Multimodalidade nos contos infantis

539 visualizações

Publicada em

TODO MUNDO SABE LER: A MULTIMODALIDADE NOS CONTOS LITERÁRIOS INFANTIS COMO CONSTRUTOR DO PROCESSO DE APRENDIZAGEM NA EDUCAÇÃO INFANTIL.

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
539
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
7
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Multimodalidade nos contos infantis

  1. 1. TODO MUNDO SABE LER: A MULTIMODALIDADE NOS CONTOS LITERÁRIOS INFANTIS COMO CONSTRUTOR DO PROCESSO DE APRENDIZAGEM NA EDUCAÇÃO INFANTIL. Edneide Maria de Lima: Autora Edvania Maria de Lima: Co-autora Acadêmicas do 7º período do Curso de Letras Português da Universidade Estadual de Alagoas- UNEAL Ana Lúcia dos Santos Silva Batista: Co-autora Orientadora-Docente da UNEAL Membros do Núcleo de Estudos Literários Interdisciplinares (NELI - UNEAL)
  2. 2. O presente trabalho visa relatar a experiência decorrente dos estudos realizados no Núcleo de Estudos Literários Interdisciplinares (NELI), da Universidade Estadual de Alagoas (UNEAL), e nossa experiência como docentes na Educação Infantil. CONTEXTUALIZANDO...
  3. 3. OBJETIVO O objetivo em relatar a pesquisa, é contribuir para a reflexão acerca do trabalho com textos multimodais no ensino infantil.
  4. 4. METODOLOGIA A metodologia de trabalho com a literatura infantil na sala de aula, consiste em: •Levar os alunos a ouvir a história; •Observar atentamente as imagens, e; •Identificar a relação que as mesmas têm com a história contada pela professora. Recursos semióticos Relação dialógica do aluno com o livro o educando consegue recontar oralmente com o texto não-verbal os fatos da narrativa.
  5. 5. ALGUNS RESULTADOS A experiência de ensino aqui descrita, demonstra com clareza a necessidade do trabalho com a leitura de imagens em sala de aula, de forma a atuar com a mesma enquanto processo de cognição e interação. O aluno passa a ser um agente no processo de leitura e compreensão extra-linguísticos e realiza, para isso, um processo de construção de hipóteses.
  6. 6. ABRAMOVICH, F. Literatura infantil: gostosuras e bobices. 5.ed. São Paulo : Scipione, 1995. BARTHES, R. Elementos de Semiologia. São Paulo: Cultrix.1964, in AMARAL, M. B. BETTELHEIM, B. A psicanálise dos contos de fadas. 11.ed. Rio de Janeiro : Paz e Terra, 1996. BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Fundamental. Parâmetros Curriculares Nacionais: Língua Portuguesa. Brasília: MEC/SEF, 1997. FILHO, José Nicolau Gregorin. Literatura infantil: múltiplas linguagens na formação de leitores. São Paulo: 2009. MOZDZENSKI, L. Multimodalidade e gênero textual: analisando criticamente as cartilhas jurídicas. Recife: Ed. da UFPE, 2008. SILVA, Cleber Fabiano. A leitura literária na educação infantil: a voz da Criança pequena no encontro com o texto. Disponível em: http://www.pucpr.br/eventos/educere/educere2009/anais/pdf/2746_1333.pdf. Acessado em 21 de junho de 2012. SOUZA, Tania C. Clemente de. “A Análise do não verbal e os usos da imagem nos meios de comunicação”. In: CIBERLEGENDA, nº6, 2001. Texto extraído do site: http://www.uff.br/mestcii/tania3.htm em 20/05/2007. SPENGLER, Maria Laura Pozzobon. Livro de imagem: Quando a ilustração se faz dona da palavra. Disponível em: http://www.ibby.org/index.php?id=1058. Acessado em 21 de junho de 2012. REFERÊNCIAS

×