Texto: o vale do silêncio Música: Patética Formatação: o caçador de imagens
Sempre quis conhecer tudo quanto Jesus dissera em sua passagem pela Terra. Como algumas  palavras que Ele pronunciou não f...
Disseram que somente através do estudo e do silêncio eu encotraria  a resposta. Que havia um vale na espiritualidade, “O V...
Por muitas noites, quando meu corpo dormia, segui em Espírito para  este vale para tentar  ler no éter o pensamento perdid...
Primeiro tive que amar o silêncio e aprender a escutá-lo, pois ele era o guia a orientar-me. Falou-me apenas uma vez e eis...
A primeira  palavra que ouvi foi: calma! Mas a intuição veio a galope. “Deus tem um ritmo  que a tua vontade não pode queb...
Depois de tudo observar com cuidado,  respirando leve para não assustar os passarinhos, fui  ouvindo palavras solitárias p...
A segunda foi: beleza! A intuição parecia estar ligada à palavra. “Marca inconfundível da criação”
Progresso! “O caminho a ser palmilhado é infinito”
Dor! “Todos passam por ela”
Poesia! “Antídoto contra a tristeza  e fermento para a mansuetude”.
. Acolhimento! “Ninguém caminha sozinho no mundo”.
Segurança! “O reino de Deus está a serviço do homem”.
Vida! “Sopro divino sobre toda a Natureza”.
Ânimo! “Não vencerás tuas batalhas  com a espada, mas com ânimo”.
Doação! “Principal verso da poesia divina”.
Simplicidade! “Se queres enteder Deus, primeiro procura a simplicidade”.
Gratidão! “Deves tudo ao teu Senhor”.
Mansuetude! “Deus não usa palmatória; te  envia ao começo da lição.
Generosidade! “A mão de Deus jamais se cansa de espalhar sementes”.
Afago! “Até mesmo a erva do campo tem o afago do vento”.
Ternura! “E não é somente para utilizá-la quando avistares uma flor”.
Saudade! “Talvez precises de um combustível para  voltares mais depressa aos braços de  quem amas”.
Perseverança! “Sem ela não vencerás a ti mesmo”.
Amor! “A energia com a qual Deus tudo construiu”.
Quando as palavras começaram a se repetir entendi que já poderia partir para outra lição, a mais dificl de todas, demosntr...
Autor: Luiz Gonzaga Pinheiro
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

O Vale do Silêncio

728 visualizações

Publicada em

O Vale do Silêncio - Apresentação do autor Luiz Gonzaga Pinheiro - Editora EME

Publicada em: Espiritual, Diversão e humor
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
728
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
6
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
16
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

O Vale do Silêncio

  1. 1. Texto: o vale do silêncio Música: Patética Formatação: o caçador de imagens
  2. 2. Sempre quis conhecer tudo quanto Jesus dissera em sua passagem pela Terra. Como algumas palavras que Ele pronunciou não foram entendidas, perguntei aos Espíritos do Bem onde encontrá-las e como entendê-las.
  3. 3. Disseram que somente através do estudo e do silêncio eu encotraria a resposta. Que havia um vale na espiritualidade, “O Vale do Silêncio” onde esses ensinamentos estavam impregnados no ambiente.
  4. 4. Por muitas noites, quando meu corpo dormia, segui em Espírito para este vale para tentar ler no éter o pensamento perdido do Mestre.
  5. 5. Primeiro tive que amar o silêncio e aprender a escutá-lo, pois ele era o guia a orientar-me. Falou-me apenas uma vez e eis tudo quanto me disse: quando as palavras valem menos do que o silêncio, escolha ficar em silêncio.
  6. 6. A primeira palavra que ouvi foi: calma! Mas a intuição veio a galope. “Deus tem um ritmo que a tua vontade não pode quebrar.
  7. 7. Depois de tudo observar com cuidado, respirando leve para não assustar os passarinhos, fui ouvindo palavras solitárias pronunciadas pela alma das coisas.
  8. 8. A segunda foi: beleza! A intuição parecia estar ligada à palavra. “Marca inconfundível da criação”
  9. 9. Progresso! “O caminho a ser palmilhado é infinito”
  10. 10. Dor! “Todos passam por ela”
  11. 11. Poesia! “Antídoto contra a tristeza e fermento para a mansuetude”.
  12. 12. . Acolhimento! “Ninguém caminha sozinho no mundo”.
  13. 13. Segurança! “O reino de Deus está a serviço do homem”.
  14. 14. Vida! “Sopro divino sobre toda a Natureza”.
  15. 15. Ânimo! “Não vencerás tuas batalhas com a espada, mas com ânimo”.
  16. 16. Doação! “Principal verso da poesia divina”.
  17. 17. Simplicidade! “Se queres enteder Deus, primeiro procura a simplicidade”.
  18. 18. Gratidão! “Deves tudo ao teu Senhor”.
  19. 19. Mansuetude! “Deus não usa palmatória; te envia ao começo da lição.
  20. 20. Generosidade! “A mão de Deus jamais se cansa de espalhar sementes”.
  21. 21. Afago! “Até mesmo a erva do campo tem o afago do vento”.
  22. 22. Ternura! “E não é somente para utilizá-la quando avistares uma flor”.
  23. 23. Saudade! “Talvez precises de um combustível para voltares mais depressa aos braços de quem amas”.
  24. 24. Perseverança! “Sem ela não vencerás a ti mesmo”.
  25. 25. Amor! “A energia com a qual Deus tudo construiu”.
  26. 26. Quando as palavras começaram a se repetir entendi que já poderia partir para outra lição, a mais dificl de todas, demosntrar pela vivência o que aprendera no vale. Mas isso é assunto para mil vidas, sussurrou-me o vento.
  27. 27. Autor: Luiz Gonzaga Pinheiro

×