Plano de ensino portugues 6 ano

1.101 visualizações

Publicada em

plano de curso, planejamento anual, planejamento anual sexto ano, planejamento anual 6º ano, plano de curso 6 ano

Publicada em: Educação
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.101
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
5
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
23
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Plano de ensino portugues 6 ano

  1. 1. ESTADO DE MINAS GERAIS SECRETARIA DE ESTADO DE EDUCAÇÃO Superintendência Regional de Ensino de Patrocinio ESCOLA ESTADUAL JOSÉ EDUARDO AQUINO Endereço: AV. dos Bálsamos, 419 E-mail: escola199133@educacao.mg.gov.br PLANEJAMENTO ANUAL DE LÍNGUA PORTUGUESA – 6º Ano - EF ANO: 2015 PROFESSORAS: EDILENE E CLEUSA NÚMERO DE AULAS SEMANAIS: 06
  2. 2. PLANO DE ENSINO E.E. JOSE EDUARDO DE AQUINO LINGUA PORTUGUESA. 2015 1º BIMESTRE. 6º ANO PROFESSORAS: EDILENE E CLEUSA 1º BIMESTRE LÍNGUA PORTUGUESA 6º ANO Eixo Temático I Compreensão e Produção de Textos Tema 1: Gêneros Subtema: Operação de contextualização TÓPICO HABILIDADE CORRELAÇÃO COM LIVRO DIDÁTICO CONTEÚDO TÓPICO 1. Contexto de produção, circulação e recepção de textos OP1 Contexto de produção, circulação e recepção de textos RA-1 Roteiro de pequeno projeto: coleta seletiva do lixo . Considerar os contextos de produção, circulação e recepção de textos, na compreensão e na produção textual, produtiva e autonomamente. . Reconhecer o gênero de um texto a partir de seu contexto de produção, circulação e recepção. 3/a 6º ano . Usar índices, sumários, cadernos e suplementos de jornais, livros e revistas para identificar, na edição, textos de diferentes gêneros. 2/a 6º . Reconhecer o objetivo comunicativo (finalidade ou função sociocomunicativa) de um texto ou gênero textual. 2/a 6º ano . Identificar o destinatário previsto para um texto a partir do suporte e da variedade lingüística (+ culta / - culta) ou estilística (+ formal / - formal) desse texto. 1/a 6º ano . Relacionar gênero textual, suporte, variedade lingüística e estilística e objetivo comunicativo da interação. 2/a 6º ano . Relacionar os gêneros de texto às práticas sociais que os requerem.1/a 6º ano . Participar de situações comunicativas, - empregando a variedade e o estilo de linguagem adequados à situação comunicativa, ao interlocutor e ao gênero; - respeitando, nos gêneros orais, a alternância dos turnos de fala que se fizer necessária; - assumindo uma atitude respeitosa para com a variedade lingüística do interlocutor; - reconhecendo a variedade lingüística do interlocutor como parte integrante de sua identidade. 5/a 6º ano . Retextualizar um texto, buscando soluções compatíveis com o domínio discursivo, o gênero, o suporte e o destinatário previsto. 3/a 6º ano . Selecionar informações para a produção de um texto, considerando especificações (de gênero, suporte, destinatário, objetivo da interação...) previamente estabelecidas. 2/a 6º Unidades 1 e 2 Pág 10 a 60 • Situação comunicativa: produtor e destinatário, tempo e espaço da produção. • Contexto histórico. • Suporte de circulação do texto; localização do texto dentro do suporte. • Silhueta do texto. • Tema. • Pacto de recepção do texto (ficcional x não- ficcional): critérios de verificabilidade, credibilidade e legitimação do conteúdo temático do texto. • Domínio discursivo. • Objetivo da interação textual e função sociocomunicativa do gênero. • Situações sociais de uso do texto / gênero. • Variedades lingüísticas (dialetais e de registro): relações com a situação comunicativa, o contexto de época, o suporte e as situações sociais de uso do gênero. TÓPICO 2 Integrar referenciação bibliográfica à compreensão de textos, produtiva e autonomamente OP2 Referenciação bibliográfica, segundo normas da ABNT RA-2 Roteiro de estudo dirigido, pesquisa na internet e na biblioteca da escola . Interpretar referências bibliográficas de textos apresentados. 2/a 6º ano . Localizar, em jornais, revistas, livros e sites, dados de identificação de textos para elaboração de referências bibliográficas.1/a 6º ano 1/a 8º ano 1/a 9º ano . Referenciar textos e suportes em trabalhos escolares, segundo normas da ABNT. 1/a - Referenciação bibliográfica, segundo normas da ABNT, de • jornais e textos de jornais;• revistas e textos de revistas;• livros e partes de livro;• sites da internet.
  3. 3. 6º ano Eixo Temático I Compreensão e Produção de Textos Tema 1: Gêneros Subtema: Operação de tematização TÓPICO 3 Organização temática OP-3 Organização temática do texto RA3 Organização temática . Construir coerência temática na compreensão e na produção de textos, produtiva e autonomamente. . Relacionar título e subtítulos a um texto ou partes de um texto. 1/a 6º ano . Justificar o título de um texto ou de partes de um texto. 1/a 6º ano . Reconhecer a organização temática de um texto, identificando 2/a 6º ano . Reconhecer informações explícitas em um texto. 3/a 6º ano . Inferir informações (dados, fatos, argumentos, conclusões...) implícitas em um texto.5/a 6º, . Correlacionar aspectos temáticos de um texto. 2/a 6º ano . Sintetizar informações de um texto em função de determinada solicitação. 1/a 6º ano . Avaliar a consistência (pertinência, suficiência e relevância) de informações de um texto. 1/a 6º ano . Corrigir problemas relacionados à consistência (pertinência, suficiência e relevância) das informações de um texto. 2/a 6º ano . Comparar textos que falem de um mesmo tema quanto ao tratamento desse tema. 1/a 6º, . Produzir textos com organização temática adequada aos contextos de produção, circulação e recepção. 4/a 6º ano Unidades 1 e 2 Pág 10 a 60 Relação título—texto (subtítulos—partes do texto). Hierarquia tópica Continuidade Progressão Não-contradição Consistência argumentativa (pertinência, suficiência e relevância de argumentos) Integração entre signos verbais e não-verbais (valor informativo, qualidade técnica, efeitos expressivos).
  4. 4. PLANO DE ENSINO E.E. JOSE EDUARDO DE AQUINO LINGUA PORTUGUESA. 2015 2º BIMESTRE. 6º ANO PROFESSORAS: EDILENE E CLEUSA 2º BIMESTRE LÍNGUA PORTUGUESA 6º ANO Eixo Temático I Compreensão e Produção de Textos Tema 1: Gêneros Subtema: Operação de tematização TÓPICO HABILIDADE CORRELAÇÃO COM O LIVRO DIDÁTICO CONTEÚDO TÓPICO 4. Seleção lexical e efeitos de sentido OP-4 Seleção lexical e efeitos de sentido RA-4 O trabalho com a inferenciação na sala de aula . Inferir o significado de palavras e expressões usadas em um texto.2/a 6º ano . Reconhecer recursos lexicais e semânticos usados em um texto e seus efeitos de sentido.2/a 6º ano . Usar, em um texto, recursos lexicais e semânticos adequados aos efeitos de sentido pretendidos.1/a 6º . Identificar, em um texto, inadequações lexicais, imprecisões e contradições semânticas. 1/a 6º ano . Corrigir, em um texto, inadequações lexicais, imprecisões e contradições semânticas.2/a 6º ano . Produzir novos efeitos de sentido em um texto por meio de recursos lexicais e semânticos. 1/a 6º ano Unidades 3 e 4 Pág 60 a 120 • Significação de palavras e expressões.• Inferenciação (pressupostos e subentendidos): • marcadores lexicais de pressuposição. TÓPICO 5 . Signos não verbais (sons, ícones, imagens, grafismos, gráficos, infográficos, tabelas...) . Integrar informação verbal e não verbal na compreensão e na produção de textos, produtiva e autonomamente. . Relacionar sons, imagens, gráficos e tabelas a informações verbais explícitas ou implícitas em um texto. 1/a 6º ano Eixo Temático I Compreensão e Produção de Textos Tema 1: Gêneros Subtema: Operação de enunciação TÓPICO 6. Vozes do discurso OP-5 Vozes do texto OP-7 Posicionamentos enunciativos do texto RA-21 Diferenças entre textos de diferentes gêneros e domínios . Reconhecer e usar, em um texto, estratégias de representação de seus interlocutores (vozes locutoras e alocutários). 2/a 6º ano . Reconhecer e usar, em um texto, estratégias de não representação de seus interlocutores (vozes locutoras e alocutários). 1/a 7º ano . Interpretar efeitos de sentido decorrentes de variedades lingüísticas e estilísticas usadas em um texto. 2/a 6º ano . Reconhecer estratégias de modalização e Unidades 3 e 4 Vozes locutoras e seus respectivos alocutários Recursos lingüísticos de representação do locutor do texto e/ou do alocutário—destinatário previsto (dêixis pessoal [construções em 1ª e 2ª pessoas], temporal e espacial; modalizações afetivas e avaliativas; seleção lexical; etc.) e seus efeitos de sentido (subjetividade, aproximação, familiaridade,) Recursos lingüísticos de não-representação do locutor do texto e/ou do destinatário previsto (ausência de dêixis
  5. 5. discursivos argumentatividade usadas em um texto e seus efeitos de sentido. 2/a 6º ano . Usar estratégias de modalização e argumentatividade na produção de textos em função dos efeitos de sentido pretendidos. 2/a 6º ano . Identificar tipos de discurso ou de seqüências discursivas usadas pelos locutores em um texto e seus efeitos de sentido. 2/a 6º ano . Reconhecer e usar focos enunciativos (pontos de vista) adequados aos efeitos de sentido pretendidos. 1/a 6º ano . Reconhecer posicionamentos enunciativos presentes em um texto e suas vozes representativas.1/a 6º, . Representar, produtiva e autonomamente, posicionamentos enunciativos em textos.1/a 6º pessoal, temporal e espacial; construções impessoais; construções com agente indeterminado; formas de passiva sem agente; seleção lexical; etc.) e seus efeitos de sentido (objetividade, distanciamento, formalismo, etc.) Vozes sociais (não-locutoras) mencionadas no texto Variação lingüística no discurso das vozes Ações discursivas realizadas no texto pelo locutor (narrar história, relatar fato ou acontecimento, apresentar o discurso de outrem, descrever seres ou objetos, expor idéias, opinar, convencer, persuadir, aconselhar, ensinar a fazer, fazer agir, regulamentar, prescrever, etc.).Situação comunicativa: produtor e destinatário, tempo e espaço da produção Marcas do posicionamento enunciativo do locutor (seleção lexical: modalização, operadores argumentativos, intertextualidade). Vozes representativas dos posicionamentos enunciativos presentes no texto. Relações de oposição e confronto (polifonia), aliança e/ou complementação (sinfonia). Efeitos de sentido do domínio de um posicionamento enunciativo (texto autoritário), da desconstrução ou confronto de posicionamentos enunciativos (texto polêmico), do diálogo entre posicionamentos enunciativos (texto lúdico). TÓPICO 7. Intertextualidade e metalinguagem OP-8 Intertextualidade e metalinguagem RA-7 O trabalho com a intertextualidade na sala de aula . Reconhecer, em um texto, estratégias e/ou marcas explícitas de intertextualidade com outros textos, discursos, produtos culturais ou linguagens e seus efeitos de sentido. 3/a 6º ano • Efeitos de sentido de relações intertextuais e metalingüísticas • Tipos de intertextualidade: citação, epígrafe, alusão, referência, paráfrase, paródia, pastiche Eixo Temático I Compreensão e Produção de Textos Tema 1: Gêneros Subtema: Operação de textualização TÓPICO 8. Textualização do discurso narrativo (ficcional) OP-9 Organização textual do discurso narrativo OP-10 Organização lingüística do enunciado narrativo RA-18 O discurso descritivo na construção de sentido de textos narrativos RA-16 Análise e reescrita de texto . Reconhecer e usar as fases ou etapas da narração em um texto ou seqüência narrativa.1/a 6º ano . Reconhecer e usar estratégias de ordenação temporal do discurso em um texto ou seqüência narrativa.1/a 6º . Reconhecer e usar, mecanismos de coesão verbal em um texto ou seqüência narrativa. 1/a/7º ano . Reconhecer e usar marcas lingüísticas e gráficas de conexão textual em um texto ou seqüência narrativa.1/a 6º . Reconhecer e usar mecanismos de textualização de discursos citados ou relatados dentro de um texto ou seqüência narrativa. 1/a 6º ano . Reconhecer e usar mecanismos de coesão nominal em um texto ou seqüência narrativa.1/a6º/7º ano Unidade 4 Pág 90 a 120 - Elementos estruturais:• narrador e foco narrativo: narrador onisciente (EF), narrador testemunha (EF), narrador protagonista (EF);• personagens;• tempo;• espaço;• ação (intriga e enredo). - Fases ou etapas:• exposição ou ancoragem (ambientação da história, apresentação de personagens e do estado inicial da ação);• complicação ou detonador (surgimento de conflito ou obstáculo a ser superado); • clímax (ponto máximo de tensão do conflito); • desenlace ou desfecho (resolução do conflito ou repouso da ação; pode conter a avaliação do narrador acerca dos fatos narrados — coda — e ainda a moral da história).
  6. 6. narrativo . Reconhecer e usar recursos lingüísticos e gráficos de estruturação de enunciados narrativos. 1/a 6º ano 1/a 7º ano . Reconhecer e corrigir problemas de textualização do discurso em um texto ou seqüência narrativa.1/a 6º ano . Retextualizar, produtiva e autonomamente, narrativas orais em narrativas escritas, ou vice-versa.2/a 6º ano - Estratégias de organização:• ordenação temporal linear;• ordenação temporal com retrospecção (flash- back);• ordenação temporal com prospecção. - Coesão verbal:• valores dos pretéritos perfeito, imperfeito, mais-que-perfeito e do futuro do pretérito do indicativo. - Conexão textual:• marcas lingüísticas e gráficas da articulação do discurso narrativo com outros discursos e seqüências do texto; • marcadores textuais de progressão temática: articulações hierárquicas, temporais e/ou lógicas entre as fases ou etapas do discurso e entre os enunciados de uma fase. - Textualização dos discursos citados ou relatados:• direto;• indireto;• indireto livre;• fluxos de consciência. - Coesão nominal:• estratégias de introdução temática;• estratégias de manutenção e retomada temática. • Recursos semânticos e morfossintáticos mais característicos e/ou freqüentes no enunciado narrativo. TÓPICO 9. Textualização do discurso de relato OP-11 Organização textual do discurso de relato OP-12 Organização linguística do enunciado de relato RA-24 Roteiro de atividade para o discurso de relato . Reconhecer e usar, produtiva e autonomamente, estratégias de textualização do discurso de relato, na compreensão e na produção de textos. . Reconhecer e usar as fases ou etapas do discurso de relato em um texto ou sequência de relato.1/a 6º . Distinguir fato de opinião em um texto ou sequência de relato.1/a 6º ano . Reconhecer e usar, produtiva e autonomamente, estratégias de ordenação temporal do discurso em um texto ou sequência de relato. 1/a 6º ano . Reconhecer e usar mecanismos de coesão verbal em um texto ou sequência de relato. 1/a 6º . Reconhecer e usar marcas linguísticas e gráficas de conexão textual em um texto ou sequência de relato. . Reconhecer e usar mecanismos de textualização de discursos citados ou relatados dentro de um texto ou sequência de relato. . Reconhecer e usar mecanismos de coesão nominal em um texto ou sequência de relato. . Reconhecer e usar recursos linguísticos e gráficos de estruturação de enunciados de relato. 1/a 6º. Reconhecer e corrigir problemas de textualização do discurso em um texto ou sequência de relato. . Retextualizar, produtiva e autonomamente, relatos orais em - Locutor e foco de enunciação:• relator protagonista;• relator testemunha;• outros. - Fases ou etapas do relato noticioso:• sumário: título, subtítulo e lide, isto é, relato sumariado do acontecimento (quem, o quê, quando, onde, como, por quê);• suíte (ou continuação do acontecimento noticiado no lide): relato com detalhes sobre as pessoas envolvidas, repercussões, desdobramentos, comentários; pode ter intertítulos. - Estratégias de organização:• ordenação temporal linear;• ordenação temporal com retrospecção (flashback);• ordenação temporal com prospecção. - Coesão verbal:• valores dos pretéritos perfeito, imperfeito, mais-que-perfeito, do futuro do presente e do futuro do pretérito. - Conexão textual:• marcas linguísticas e gráficas da articulação do discurso com outros discursos e sequências do texto; • marcadores textuais da progressão/ segmentação temática: articulações hierárquicas, temporais e/ou lógicas entre as fases ou etapas do discurso. - Textualização dos discursos citados ou relatados:• direto;• indireto;• ilha textual;• resumo com citações. - Coesão nominal:• estratégias de introdução
  7. 7. relatos escritos, ou vice-versa. Recriar relatos lidos ou ouvidos em textos do mesmo gênero ou de gênero diferente. 1/a 6º temática;• estratégias de manutenção e retomada temática. Organização lingüística do enunciado de relato. Recursos semânticos e morfossintáticos mais característicos e/ou frequentes no enunciado de relato).
  8. 8. PLANO DE ENSINO E.E. JOSE EDUARDO DE AQUINO LINGUA PORTUGUESA. 2015 3º BIMESTRE. 6º ANO PROFESSORAS: EDILENE E CLEUSA 3º BIMESTRE LÍNGUA PORTUGUESA 6º ANO Eixo Temático I Compreensão e Produção de Textos Tema 1: Gêneros Subtema: Operação de textualização TÓPICO HABILIDADE CORRELAÇÃO COM O LIVRO DIDÁTICO CONTEÚDO TÓPICO 10. Textualização do discurso descritivo OP-13 Organização textual do discurso descritivo OP-14 Organização lingüística do enunciado descritivo . Reconhecer e usar, produtiva e autonomamente, estratégias de textualização do discurso descritivo, na compreensão e na produção de textos. . Reconhecer e usar as fases ou etapas da descrição em um texto ou seqüência descritiva.1/a 6º. Reconhecer e usar estratégias de organização da descrição em um texto ou seqüência descritiva.1/a 6º . Reconhecer e usar mecanismos de coesão verbal em um texto ou seqüência descritiva.1/a 6º ano. Reconhecer e usar marcas lingüísticas e gráficas de conexão textual em um texto ou seqüência descritiva. 1/a 6º, 7º, 8º . Reconhecer e usar mecanismos de textualização de discursos citados ou relatados dentro de um texto ou seqüência descritiva. 1/a 6º ano 1/a 7º ano 1/a 8º ano . Reconhecer e usar mecanismos de coesão nominal em um texto ou seqüência descritiva. 1/a 6º. Reconhecer e usar recursos lingüísticos e gráficos de estruturação de enunciados descritivos. 1/a 6º . Reconhecer e corrigir problemas de textualização do discurso em um texto ou seqüência descritiva. 1/a 6º . Retextualizar, produtiva e autonomamente, descrições orais em descrições escritas, ou vice-versa. 2/a 6º . Recriar descrições lidas ou ouvidas em textos do mesmo gênero ou de gênero diferente. 1/a 6º . Usar, na produção de textos ou seqüências descritivas orais ou escritas, recursos de textualização adequados ao discurso, ao gênero, ao suporte, ao destinatário e ao objetivo da interação. 1/a 6º Unidades 5 e 6 Pág 120 a 170 - Locutor e focalização temática (foco descritivo): • localização espacial do objeto da descrição;• ângulo de visão do locutor;• impressões sensoriais e afetivas do locutor acerca do objeto. - Fases ou etapas:• ancoragem (introdução do tema por uma forma nominal ou tema-título no início, no fim ou no curso da descrição);• aspectualização (enumeração de diversos aspectos do tópico discursivo, com atribuição de propriedades a cada um deles);• relacionamento (assimilação dos elementos descritos a outros por meio de comparação ou metáfora). - Estratégias de organização:• subdivisão;• enumeração;• exemplificação • analogia;• comparação e confronto;• causa-e-conseqüência; • ordenação temporal. - Coesão verbal:• valores do presente e do pretérito imperfeito, do pretérito perfeito e do futuro do indicativo; - Conexão textual: • marcas lingüísticas e gráficas da articulação do discurso descritivo com outros discursos e seqüências do texto; • marcadores textuais da progressão/segmentação temática: articulações hierárquicas, temporais e/ou lógicas entre as fases ou etapas do discurso. - Coesão nominal:• estratégias de introdução temática;• estratégias de retomada temática. Organização lingüística do enunciado descritivo • Recursos semânticos e morfossintáticos mais característicos e/ou freqüentes no enunciado descritivo. TÓPICO 12. Textualização do discurso argumentativo . Reconhecer e usar mecanismos de coesão verbal em um texto ou sequência argumentativa. ¯ Locutor e focalização temática. ¯ Fases ou etapas:• proposta ou tema: questão
  9. 9. OP-18 Organização linguística do enunciado argumentativo OP-20 Organização linguística do enunciado argumentativo OP-6 Modalização e argumentatividade RA-20 Organização textual do discurso argumentativo RA-23 Registro linguístico, modalização e argumentatividade 2/a 6º ano . Reconhecer e usar marcas linguísticas e gráficas de conexão textual em um texto ou sequência argumentativa. 2/a 6º ano . Reconhecer e usar mecanismos de textualização de discursos citados ou relatados dentro de um texto ou seqüência argumentativa. 2/a 6º ano . Reconhecer e usar mecanismos de coesão nominal em um texto ou seqüência argumentativa. 2/a 6º ano . Recriar textos argumentativos lidos ou ouvidos em textos do mesmo gênero ou de gênero diferente. 1/a 6º, OP- 17 Organização textual do discurso argumentativo polêmica, explícita ou implícita no texto, diante da qual o locutor toma uma posição;• proposição ou tese: posicionamento favorável ou desfavorável do locutor em relação à proposta e orientador de toda a sua argumentação; • provas (convencimento ou persuasão): argumentos (de comparação, causa, exemplificação, etc.) que sustentam a proposição ou tese do locutor, assegurando a veracidade ou validade dela e permitindo-lhe chegar à conclusão;• conclusão: retomada da tese, já devidamente defendida, ou uma possível decorrência dela. ¯ Estratégias de organização:• comparação ou confronto;• argumentação pragmática;• argumentação de autoridade;• concessão-restritiva;• exemplificação;• analogia. ¯ Coesão verbal:• valor aspectual do presente do indicativo e do futuro do presente do indicativo; • correlação com tempos do subjuntivo. ¯ Conexão textual:• marcas lingüísticas e gráficas da articulação do discurso argumentativo com outros discursos e seqüências do texto;• marcadores textuais da progressão/segmentação temática: articulações hierárquicas, temporais e/ou lógicas entre as fases ou etapas do discurso argumentativo. ¯ Textualização dos discursos citados ou relatados:• direto;• indireto;• paráfrase;• ilha textual;• resumo com citações. ¯ Coesão nominal:• estratégias de introdução temática;• estratégias de manutenção e retomada temática Enunciação - Uso de modalizadores (entoação e sinais de pontuação, adjetivos, substantivos, expressões de grau, verbos e perífrases verbais, tempos e modos verbais, operadores argumentativos de escalonamento, advérbios, etc.) como recursos de expressão ou pista do posicionamento enunciativo do locutor do texto e de persuasão do destinatário previsto, ou seja, uso de recursos lexicais, morfossintáticos, prosódicos ou gráficos para indicar • a modalidade sob a qual uma proposição deve ser interpretada (certeza, probabilidade, possibilidade, incerteza ou dúvida, necessidade, obrigatoriedade, eventualidade, etc.) e o conseqüente grau de comprometimento do locutor com aquilo que diz;• o domínio dentro do qual o enunciado deve ser entendido ou o modo como ele é formulado pelo locutor;
  10. 10. • uma atitude subjetiva do locutor (seu estado emocional ou psicológico, um sentimento pessoal, uma valoração positiva ou negativa, um ponto de vista ideológico) diante de algum conteúdo temático do texto (um agente, um fato, uma qualidade, etc.). TÓPICO 13. Textualização do discurso injuntivo OP-19 Organização textual do discurso injuntivo (instrucional, de aconselhamento, prescritivo ou normativo RA-5 O trabalho com as marcas do discurso de outrem no texto . Reconhecer e usar as fases ou etapas da injunção em um texto ou seqüência injuntiva. 1/a 6º . Reconhecer e usar estratégias de organização do discurso em um texto ou seqüência injuntiva.1/a 6º . Reconhecer e usar mecanismos de coesão verbal em um texto ou seqüência injuntiva. 1/a 6º . Reconhecer e usar marcas lingüísticas e gráficas de conexão textual em um texto ou seqüência injuntiva. 1/a 6º ano . Reconhecer e usar mecanismos de textualização de discursos citados ou relatados dentro de um texto ou seqüência injuntiva. 1/a 6º ano . Reconhecer e usar mecanismos de coesão nominal em um texto ou seqüência injuntiva. 1/a 6º . Reconhecer e usar recursos lingüísticos e gráficos de estruturação de enunciados injuntivos. 1/a 6º. . Reconhecer e corrigir problemas de textualização do discurso em um texto ou seqüência injuntiva.1/a 6º . Retextualizar, produtiva e autonomamente, discursos injuntivos orais em discursos injuntivos escritos, ou vice- versa. 2/a 6º ano . Recriar textos injuntivos lidos ou ouvidos em textos do mesmo gênero ou de gênero diferente.1/a 6º . Usar, na produção de textos ou seqüências injuntivas orais ou escritas, recursos de textualização adequados ao discurso, ao gênero, ao suporte, ao destinatário e ao objetivo da interação. 1/a 6º ano ¯ Locutor e focalização temática. ¯ Fases ou etapas:• exposição do macrobjetivo acional: indicação de um objetivo geral a ser atingido sob a orientação de um plano de execução, ou seja, de um conjunto de comandos; • apresentação dos comandos: disposição de um conjunto de ações (seqüencialmente ordenadas ou não) a ser executado para que se possa atingir o macrobjetivo; • justificativa: esclarecimento por parte do produtor do texto dos motivos pelos quais o destinatário deve seguir os comandos estabelecidos; ¯ Estratégias de organização:• plano de execução cronologicamente ordenada; • plano de execução não cronologicamente ordenada. ¯ Coesão verbal:• valores do presente do indicativo, do modo imperativo e seus substitutos (infinitivo e gerúndio); ¯ Conexão textual:• marcas lingüísticas e gráficas da articulação do discurso injuntivo com outros discursos e seqüências do texto; • marcadores textuais da progressão/segmentação temática: articulações hierárquicas, temporais e/ou lógicas entre as fases ou etapas do discurso injuntivo. ¯ Coesão nominal:• estratégias de introdução temática;• estratégias de manutenção e retomada temática. TÓPICO 14. Textualização do discurso poético OP-21 Reconstrução do texto literário poético RA-15 Reconstrução do texto literário poético . Reconhecer e usar, produtiva e autonomamente, estratégias de textualização do discurso poético, na compreensão e na produção de textos. . Relacionar sensações e impressões despertadas pela leitura de poemas à exploração da dimensão material das palavras. 2/a 6º ano . Escandir versos, reconhecendo as possibilidades rítmicas de um poema apresentado. 1/a 6º . Interpretar efeitos de sentido decorrentes do uso de recursos musicais (ritmo, rima, aliteração, assonância, eco, onomatopéia, etc.) em poemas. 2/a 6º ano . Relacionar efeitos de sentido de um poema ao uso de estratégias musicais de distribuição, repetição, acréscimo, • Aspectos sonoros• Aspectos visuais• Aspectos sintáticos• Aspectos semânticos
  11. 11. corte ou substituição de fonemas/sons (ritmo, onomatopéia, aliteração, assonância, eco, metáfora sonora, rima, paronomásia) 2/a 6º ano . Relacionar efeitos de sentido de um poema à sua configuração visual (tamanho e distribuição de versos na página, exploração de espaços em branco, uso de sinais gráficos e digitais). 1/a 6º . Recriar poemas e canções, buscando novas disposições visuais de seus versos e palavras, de modo a realçar uma idéia, um ritmo, uma palavra... 1/a 6º ano 1/a 7º ano . Reconhecer imagens poéticas em um texto ou seqüência textual literária. 1/a 6º Eixo Temático I Compreensão e Produção de Textos Tema 2: Suportes textuais Subtema: Livros literários TÓPICO 18. Perigrafia de livros literários OP-32 Perigrafia do livro literário RA-14 Trabalho em grupo: lendo a perigrafia do livro literário RA-17 Composição e leitura de texto dramático . Ler livros literários, considerando, produtiva e autonomamente, as informações de seus textos perigráficos. . Reconhecer as funções comunicativas da capa de um livro literário: identificar a obra e o destinatário previsto, estabelecer pactos de leitura, motivar a leitura da obra.1/a 6º ano . Usar, produtiva e autonomamente, dados da folha de rosto ou da ficha catalográfica de livros para referenciar obras consultadas, fazer empréstimos em bibliotecas, adquirir livros, catalogar livros pessoais ou de uso coletivo. 1/a 6º ano 1/a 7º ano . Reconhecer a dedicatória e os agradecimentos presentes em livros literários como práticas discursivas. 1/a 6º ano . Usar o sumário, produtiva e autonomamente, para localizar partes dentro de um livro literário: poemas, contos, capítulos... 1/a 6º ano . Ler e usar, produtiva e autonomamente, orelhas, apresentações, prefácios e posfácios na compreensão do texto básico de um livro literário. 1/a 6º ano . Reconhecer a ilustração de livros literários como um texto em diálogo com o texto verbal. 1/a 6º. Elaborar, produtiva e autonomamente, textos perigráficos para livros literários. 2/a 6º ano ¯ Capa (sobrecapa, primeira, segunda e quarta capas, orelhas, lombada). ¯ Falsa folha de rosto, folha de rosto e ficha catalográfica. ¯ Dedicatória e agradecimentos.¯ Epígrafe.¯ Sumário.¯ Apresentação, prefácio e posfácio.¯ Ilustrações.
  12. 12. PLANO DE ENSINO E.E. JOSE EDUARDO DE AQUINO LINGUA PORTUGUESA. 2015 4º BIMESTRE. 6º ANO PROFESSORAS: EDILENE E CLEUSA 4º BIMESTRE LÍNGUA PORTUGUESA 6º ANO Eixo Temático II Linguagem e Língua TÓPICO HABILIDADE CORRELAÇÃO COM O LIVRO DIDÁTICO CONTEÚDO TÓPICO 19. A linguagem verbal: modalidades, variedades, registros OP-22 A linguagem verbal e suas modalidades (fala e escrita) RA-25 A variação lingüística no português . Compreender a língua como fenômeno histórico, cultural, social, variável, heterogêneo e sensível aos contextos de uso. . Reconhecer semelhanças e diferenças entre a fala e a escrita quanto a condições de produção, usos, funções sociais e estratégias de textualização. 4/a 6º ano Reconhecer funções da fala e da escrita em diferentes suportes e gêneros. 1/a 6º ano . Usar as convenções da língua escrita produtiva e autonomamente, entendendo as diferenças entre o sistema fonológico e o sistema ortográfico. 5/a 6º ano 3 . Identificar fatores relacionados às variedades lingüísticas e estilísticas de textos apresentados. 1/a 6º ano Avaliar o uso de variedades lingüísticas e estilísticas em um texto, considerando a situação comunicativa e o gênero textual. 1/a 6º ano 1/a 7º ano . Adequar a variedade lingüística e/ou estilística de um texto à situação comunicativa e ao gênero do texto. 1/a 6º ano . Mostrar uma atitude crítica e não preconceituosa em relação ao uso de variedades lingüísticas e estilísticas. 1/a 6º ano . Reconhecer a manifestação de preconceitos lingüísticos como estratégia de discriminação e dominação. 1/a 6º ano UNIDADES 6 e 7 Pág 170 a 230 • O contínuo oral-escrito • Condições de produção, usos, funções sociais e estratégias de textualização da fala e da escrita • Convenções da língua escrita: grafia de palavras, acentuação gráfica, notações gráficas, uso convencional dos sinais de pontuação, parágrafo gráfico TÓPICO 20. Neologia de palavras OP-28 Neologia de palavras . Reconhecer a neologia semântica, a lexical e o empréstimo como processos de criação lingüística. . Identificar a origem de neologismos em circulação no português brasileiro. 1/a 6º ano . Identificar o processo de formação de neologismos em circulação no português brasileiro. 2/a 6º ano . Interpretar neologismos em diferentes situações de interlocução. 1/a 6º ano ¯ Neologia semântica (criação de novos sentidos para palavras, expressões e frases) e seus efeitos de sentido ¯ Neologia lexical (processos mais produtivos no português brasileiro atual) e seus efeitos de sentido ¯ Neologia por empréstimo (estrangeirismos) e seus efeitos de sentido TÓPICO 21. Uso de pronomes pessoais no português padrão (PP) e não padrão . Reconhecer e usar o pronome pessoal, produtiva e autonomamente. . Reconhecer diferenças de uso do pronome pessoal entre o português • Caracterização sociolingüística da sociedade brasileira atual
  13. 13. (PNP) OP-23 Variação lingüística no português brasileiro RA-22 Diferenças entre norma padrão e não-padrão padrão (PP) e o português não padrão (PNP). 2/a 6º ano • O contínuo rural-urbano: - Sobreposições - Variedades descontínuas e variedades graduais • O contínuo oralidade-letramento: - Eventos de oralidade e eventos de letramento - Sobreposições • O contínuo de monitoração estilística: - Variedades de estilo ou registro menos ou mais monitoradas • Prestígio e preconceito lingüístico TÓPICO 23. Flexão nominal no português padrão (PP) e não padrão (PNP) OP-26 O português brasileiro atual e a norma-padrão: flexão verbal e nominal . Reconhecer e usar mecanismos de flexão nominal, produtiva e autonomamente. . Reconhecer diferenças de flexão nominal entre o português padrão (PP) e o português não padrão (PNP). 2/a 6º ano . Avaliar adequação da flexão nominal padrão ou não padrão em um texto ou seqüência textual, considerando a situação comunicativa e o gênero do texto. 1/a 6º ano . Corrigir um texto ou seqüência textual, considerando a necessidade de uso da norma padrão de flexão nominal. 1/a 6º ano . Usar a norma padrão de flexão nominal em situações comunicativas e gêneros textuais que a exijam. 2/a 6º ano Diferenças entre o português brasileiro e a norma-padrão no que se refere à flexão nominal e verbal. Usar a norma-padrão de flexão verbal e nominal em eventos de língua escrita. Eixo Temático III A Literatura e outras Manifestações Culturais Tema: Mitos e símbolos literários na cultura contemporânea TÓPICO 27. De feiticeiras e fadas . Reconhecer representações do feminino associadas às figuras da feiticeira e da fada. . Reconhecer características e valores da feiticeira em personagens femininas de diferentes gêneros literários e de outras produções culturais. 2/a 6º ano . Avaliar criticamente a recriação das figuras da feiticeira e da fada em textos literários e em outras manifestações culturais contemporâneas. 2/a 6º ano . Reconhecer a função da feiticeira e da fada na criação, no desenvolvimento e no desfecho de conflitos de uma narrativa. 1/a 6º ano . Recontar ou criar contos ou textos dramáticos, atualizando a figura da feiticeira e/ou fada. 2/a 6º ano OBS: Os tópicos complementares e respectivos números de aulas serão ministrados e avaliados a critério do professor, de acordo com o desenvolvimento da turma, priorizando os tópicos obrigatórios.
  14. 14. IV- METODOLOGIA Trabalho em grupo ( ) Debate ( ) Pesquisa de campo ( ) Feira de Cultural ( ) Aula expositiva dialógica ( ) Excursão ( ) Exercícios ( ) Exposição de Trabalhos ( ) Mídias ( ) Leituras ( ) Atividades em ambiente virtual ( ) Outros: V- RECURSOS Caderno do aluno ( ) Datashow ( ) Quadro/giz ( ) Outros: Livro didático ( ) Jornais, revistas ( ) Mídias ( ) Computador ( ) Obs.: O uso do livro didático e sua interface com o CBC Passos: 1º- Selecionar os eixos temáticos e temas, tópicos e habilidades, referentes ao ano escolar no qual irá lecionar. 2º- Selecionar do livro didático adotado os textos, mapas, atividades que podem ser utilizadas para a concretização do conteúdo do CBC. 3º- Pesquisar em outros livros didáticos do mesmo ano ou de anos diferentes e outros materiais as atividades que podem ser utilizadas para concretizar as habilidades selecionadas. VI- AVALIAÇÃO Diagnóstica ( x ) Outros: Oral ( x ) Escrita ( x ) Atitudinal ( x ) VII – BIBLIOGRAFIA Livro Adotado (x) Blog SRE ( ) CBC ( x ) Outros: Orientações Pedagógicas ( x ) Roteiro de Atividades ( x ) CRV (x ) Observações do planejamento escolar: Algumas aulas serão utilizadas: - em atividades interdisciplinares. - na realização de projetos. - em apresentações da escola. - na aplicação dos conteúdos básicos comuns (CBC). - na implementação e adequação do Programa de Intervenção Pedagógica (PIP). Dando a esse planejamento o caráter flexível e realista de um ano escolar. Recuperação da aprendizagem: deverá ocorrer de forma paralela e com atividades diversificadas dando assim novas oportunidades de aprendizagem para o educando.
  15. 15. MATRIZ DE REFERÊNCIA - SIMAVE / PROEB LÍNGUA PORTUGUESA - 9o ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL TÓPICOS E SEUS DESCRITORES I – PROCEDIMENTOS DE LEITURA D1 Identificar o tema ou o sentido global de um texto. D2 Localizar informações explícitas em um texto. D3 Inferir informações implícitas em um texto. D5 Inferir o sentido de uma palavra ou expressão. D10 Distinguir um fato da opinião relativa a esse fato. II – IMPLICAÇÕES DO SUPORTE, DO GÊNERO E/OU DO ENUNCIADOR NA COMPREENSÃO DO TEXTO D6 Identificar o gênero de um texto. D7 Identificar a função de textos de diferentes gêneros. D8 Interpretar texto que conjuga linguagem verbal e não-verbal. III – RELAÇÃO ENTRE TEXTOS D18 Reconhecer posições distintas entre duas ou mais opiniões relativas ao mesmo fato ou ao mesmo tema. D20 Reconhecer diferentes formas de abordar uma informação ao comparar textos que tratam do mesmo tema. IV – COERÊNCIA E COESÃO NO PROCESSAMENTO DO TEXTO D11 Reconhecer relações lógico-discursivas presentes no texto, marcadas por conjunções, advérbios, etc. D12 Estabelecer a relação causa/consequência entre partes e elementos do texto. D15 Estabelecer relações entre partes de um texto, identificando repetições ou substituições que contribuem para sua continuidade. D16 Estabelecer relações entre partes de um texto a partir de mecanismos de concordância verbal e nominal. D19 Identificar o conflito gerador do enredo e os elementos que compõem a narrativa. D14 Identificar a tese de um texto. D26 Estabelecer relação entre a tese e os argumentos oferecidos para sustentá-la. D27 Diferenciar as partes principais das secundárias em um texto. V – RELAÇÕES ENTRE RECURSOS EXPRESSIVOS E EFEITOS DE SENTIDO D23 Identificar efeitos de ironia e humor em textos. D28 Reconhecer o efeito de sentido decorrente da escolha de uma determinada palavra ou expressão. D21 Reconhecer o efeito de sentido decorrente do uso de pontuação e de outras notações. D25 Reconhecer o efeito de sentido decorrente do uso de recursos ortográficos e morfossintáticos. VI – VARIAÇÃO LINGUÍSTICA D13 Identificar marcas linguísticas que evidenciam o locutor e o interlocutor de um texto

×