Planejamento anual 8 ano

4.641 visualizações

Publicada em

planejamento anual 8 ano 2013

Publicada em: Educação
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
4.641
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
17
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
109
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Planejamento anual 8 ano

  1. 1. ESCOLA ESTADUAL JOSÉ EDUARDO AQUINO Ensino Fundamental – Médio e EJA PLANEJAMENTO ANUAL DE CURSO Escola: Escola Estadual de José Eduardo Aquino Município: Patrocínio - MG Conteúdos Básicos Comuns para o Ensino de Língua Portuguesa. Professores (a): Edilene Aparecida Silva, Taisa Guimarães Xavier Turmas:8º ano Turno:Matutino/Vespertino PERÍODO DE 03/02/2014 A 23/12/2014 I – JUSTIFICATIVA Mediante a evolução da sociedade e ampliação de um mercado competitivo em que a LINGUAGEM faz-se presente, a Escola Estadual José Eduardo Aquino propõe para o ano de 2014 um ensino em que o aluno possa utilizar com eficiência a língua materna, atuando no meio em que vive de forma crítica, reflexiva, compreendendo as distintas relações sociais. Assim ensinar linguagem, não é para descobrir o verdadeiro significado das palavras ou dos textos, nem para conhecer estruturas abstratas e regras de gramática, mas para construir sentidos, sempre negociados e compartilhados, em nossas interações. O conceito de natureza e de sociedade, de realidade e de verdade, as teorias científicas e valores, enfim, a memória coletiva da humanidade está depositada nos discursos que circulam na sociedade e nos textos que os materializam. Textos feitos de gestos, de formas, de cores, de sons e, sobretudo, de palavras de uma língua ou idioma particular. Portanto a primeira razão e sentido para aprender e ensinar a disciplina está no fato de considerar a linguagem como constitutiva de nossa identidade como seres humanos, e a Língua Portuguesa como constitutiva de nossa identidade sociocultural. II – OBJETIVOS II.I – Objetivo Geral: Proporcionar ao aluno a condição de desenvolver a sua competência comunicativa entendendo a língua como “Instrumento de Interação Humana” capaz não só de informar, mas também de transformar seus usuários. Compreendendo assim a língua como fenômeno cultural, histórico, social, variável, heterogêneoe sensível aos contextos de uso, além de mostrar-se consciente do conjunto de conhecimentos pragmáticos, discursivos, semânticos e formais envolvidos no uso da língua, compreendendo a necessidade da existência de convenções na língua escrita, mas também fazer uso consciente devariedades do português brasileiro, sabendo posicionar-se criticamente contra preconceitos lingüísticos. II.II – Objetivos Específicos:  Reconhecer, em um texto, estratégias e ou marcas explícitas de intertextualidade com outros textos, discursos, produtos culturais ou linguagens e seus efeitos de sentido.  Reconhecer e usar mecanismos de coesão verbal em um texto ou seqüência narrativa.  Reconhecer e usar marcas lingüísticas e gráficas de conexão em um texto ou seqüência narrativa. 1
  2. 2. ESCOLA ESTADUAL JOSÉ EDUARDO AQUINO Ensino Fundamental – Médio e EJA  Reconhecer e usar frases e etapas do discurso de relato em um texto ou seqüência de relato.  Distinguir fato de opinião em um texto ou seqüência de relato.  Reconhecer as funções sociocomunicativas do jornal e seus cadernos, suplementos, seções e colunas.  Reconhecer semelhanças e diferenças entre a fala escrita e oral.  Reconhecer funções da fala e da escrita em diferentes suportes e gêneros.  Usar as convenções da língua escrita produtiva e autonomamente, entendendo as diferenças entre o sistema fonológico e sistema ortográfico.  Reconhecer diferenças de uso do pronome pessoal entre o português padrão e o português não padrão.  Ler textos de diferentes gêneros, considerando o pacto de recepção desses textos.  Relacionar os gêneros do texto às praticas sociais que os requerem.  Reconhecer informações explícitas em um texto.  Inferir informações implícitas em um texto.  Inferir significados de palavras e expressões usadas em um texto.  Selecionar informações para a produção de um texto, considerando especificações de gênero, suporte, destinatário, objetivo da interação... previamente estabelecidos.  Relacionar título e subtítulos a um texto ou partes de um texto.  Justificar o título ou partes de um texto.  Reconhecer a organização temática de um texto.  Produzir textos com organização temática adequada ao contexto de produção, circulação e recepção.  Inferir significados de palavras e expressões usadas em um texto.  Identificar, em um texto, inadequações lexicais, imprecisões usadas em um texto.  Produzir novos efeitos de sentido em um texto por meio de recursos lexicais e semânticos.  Reconhecer, em um texto, estratégias e ou marcas explícitas de intertextualidade com outros textos, discursos, produtos culturais ou linguagens e seus efeitos de sentido.  Reconhecer e usar frases ou etapas da argumentação em um texto ou sequência argumentativa.  Reconhecer e usar estratégias de organização da argumentação em um texto ou sequência argumentativa.  Usar na produção de textos ou sequências argumentativas orais ou escritas, recursos de textualização adequados ao discurso, ao gênero, ao suporte, ao 2
  3. 3. ESCOLA ESTADUAL JOSÉ EDUARDO AQUINO Ensino Fundamental – Médio e EJA destinatário e ao objetivo da interação.  Relacionar sensações e impressões despertadas pela leitura de poemas à exploração da dimensão material das palavras.  Escandir versos reconhecendo as possibilidades rítmicas de um poema apresentado.  Usar na produção de textos literários estratégias do discurso poético de modo a obter os efeitos desejados.  Usar as convenções da língua escrita produtiva e autonomamente, entendendo as diferenças entre o sistema fonológico e sistema ortográfico.  Reconhecer diferenças de uso do pronome pessoal entre o português padrão e o português não padrão.  Usar a norma padrão do pronome pessoal em situações comunicativas e genros textuais que a exijam.  Reconhecer sintagmas que funcionem como constituintes imediatos de um período simples.  Formular frases com sentido completo, capazes de estabelecer comunicação.  Analisar orações, destacando seus termos essenciais.  Realizar a desmontagem de um texto para evidenciar o emprego da oração.  Empregar termos que apesar de dispensáveis acrescentam informações simples e compostas.  Diferenciar períodos simples e compostos em textos.  Identificar e classificar os verbos quanto à transitividade e seus complementos.  Analisar as orações, reconhecendo e classificando os predicados.  Construir textos, empregando os termos essenciais e acessórios da oração.  Associar o fonema /S/ a diferentes grafias convencionadas na língua portuguesa, como SS, S, Ç, ou C.  Associar o fonema /S/ a diferentes grafias convencionadas na língua portuguesa, como SC e XC.  Utilizar com competência a pontuação adequada em períodos simples  Conhecer e dominar as regras ortográficas quanto ao uso da letra H, G e J  Elaborar reportagem de jornal através de imagem, associando um ao outro, seguindo a estrutura jornalística.  Identificar e diferenciar período composto por coordenação e subordinação.  Identificar todas as conjunções coordenadas, sabendo utilizá-las com presteza nas orações.  Separar orações coordenadas assindéticas de sindéticas.  Aprender, utilizar e consolidar regras de acentuação. 3
  4. 4. ESCOLA ESTADUAL JOSÉ EDUARDO AQUINO Ensino Fundamental – Médio e EJA  Trabalhar as formas nominais do verbo e seu emprego.  Reconhecer locução verbal.  Identificar casos especiais de acentuação dos verbos.  Aprender e fazer exposição oral de trabalhos.  Estabelecer diferença entre palavras homônimas perfeitas, homófonas e homógrafas assim como de acentos diferenciais.  Aprender a fazer argumentação oral por meio de argumentos tirados de uma idéia principal.  Usar corretamente palavras e expressões homônimas.  Realizar a concordância verbal e nominal corretamente em frases e textos.  Construir textos, obedecendo aos princípios da concordância.  Diferenciar palavras parônimas em sua sinonímica.  Conhecer e produzir autonomamente os mais variados gêneros textuais.  Conhecer e dominar a estrutura e formação das palavras. III – PLANEJAMENTO 1º Bimestre: 03 / 02 /14 a 30/ 03 /14 Eixos Temáticos desenvolvidos:Compreensão e Produção de Texto, Linguagem e Língua. Tópicos de Conteúdo do CBC Habilidades a serem desenvolvidas Correlação com o Livro Didático Estratégias de Ensino Estratégias de Intervenção  1.Contex to de produção, circulação e recepção de textos: • Situação comunicativa: produtor e destinatário, tempo e espaço da produção. • Contexto histórico. • Suporte de circulação do texto e localização do texto 1.1 - Compreender e produzir textos, considerando o contexto de produção, circulação e recepção. 1.2 - Reconhecer o gênero do texto 2.1 - Interpretar referências bibliográficas em textos lidos. 2.2 - Referenciar textos e  Frase e oração  Conceito  Classificação  Termos essenciais da oração  Sujeito  Núcleo  Tipos de sujeito  Simples, composto, oculto,  Análise de textos.  Identificar frases verbais e nominais em textos diversos.  Criar frases com período simples e compostos.  Separar os termos essenciais da oração,  Atividades extraclasse e trabalhos que possibilitem o aluno se recuperar.  Acompanhamento individual.  Trabalho em grupo.  Monitoria em sala-de-aula. 4
  5. 5. ESCOLA ESTADUAL JOSÉ EDUARDO AQUINO Ensino Fundamental – Médio e EJA dentro do suporte. • Tema. • Objetivo da interação textual e função sociocomunicativas do gênero. • Situações sociais de uso do texto/ gênero. • Variedades linguísticas  2.Refere nciação bibliográfica, segundo normas da ABNT, de: • livros e partes de livro. • sites da internet e demais suportes textuais.  3.Organização temática (ou tópica) do texto: • Relação título, texto. • Identificação de tópicos e subtópicos temáticos • Consistência: pertinência, suficiência e relevância das idéias do texto. • Implícitos, pressupostos e subentendidos.  4. Seleção lexical e efeitos de sentido suportes, segundo normas da ABNT. 3.1 - Compreender a organização temática de textos de diferentes gêneros. 3.2 - Identificar e corrigir problemas de organização temática em textos apresentados. 3.3 - Produzir textos com organização temática adequada ao contexto de produção, aos objetivos do produtor e ao tema. 4.1 - Usar, produtiva e autonomamente, a seleção lexical como estratégia de produção de sentido e focalização temática. 5.1 - Reconhecer e usar, produtiva e autonomamente. Mecanismos de representação das vozes em textos de diferentes gêneros. 6.1 - Reconhecer semelhanças e diferenças entre a fala e a escrita quanto indeterminado, oração sem sujeito.  Predicativo do sujeito  Transitividade dos verbos  Verbos transitivos, intransitivos e de ligação  Complementos verbais  Objeto direto  Objeto indireto  Predicativo do Objeto  Predicado  Tipos de predicado  Verbal  Nominal  Verbo-nominal  Sujeito indeterminado e oração sem sujeito.  Gírias  Gêneros textuais:  Crônica  Enquete, seminário  Reportagem  Resenha classificando-os.  Identificar em frases, em fragmentos tipos de sujeito.  Empregar os verbos transitivos e intransitivos.  Classificar os predicados.  Criação de textos descritivos, caracterizando um objeto por meio de verbos de estado e do predicativo.  Classificar os verbos destacados no texto e seus complementos.  Classificar o predicado identificando suas características.  Identificar regras específicas e vários exercícios de registro realçando a grafia das palavras de acordo com o fonema /S/.  Criar vários textos narrativos em prosa a partir de poemas narrativos como: A pesca de Affonso D’Santana, 5
  6. 6. ESCOLA ESTADUAL JOSÉ EDUARDO AQUINO Ensino Fundamental – Médio e EJA • Significação de palavras e expressões. • Inferenciação (pressupostos e subentendidos).  5.Vozes do discurso • Vozes locutoras e seus respectivos alocutários. • Recursos lingüísticos de representação do locutor do texto e/ou do destinatário previsto e seus efeitos de sentido. • Recursos lingüísticos de não-representação do locutor do texto e/ou do destinatário previsto e seus efeitos de sentido. • Vozes sociais (não- locutoras) mencionadas no texto. • Variação lingüística no discurso das vozes. • Ações básicas realizadas no texto pelo locutor (narrar história, relatar fato ou acontecimento, apresentar o discurso de outrem, descrever seres ou objetos, expor ideias, opinar, convencer, persuadir, aconselhar, ensinar a fazer, fazer agir, regulamentar, prescrever, etc.). a condições de produção, usos, funções sociais e estratégiasde textualização. 6.2 - Reconhecer funções da fala e da escrita em diferentes suportes e gêneros. 7.1 – Corrigir um texto ou sequência textual, considerando a necessidade de uso da norma padrão de emprego do pronome pessoal. 7.2 – Usar a norma padrão do pronome pessoal em situações comunicativas e gêneros textuais que a exijam. 8.1. Usar, produtivamente e autonomamente, dados da folha de rosto ou da ficha catalográfica de livros para referenciar obras consultadas, fazer empréstimos em bibliotecas, adquirir livros, catalogar livros pessoais ou de uso coletivo. 8.2. Reconhecer a dedicatória e os agradecimentos presentes em livros como  Redação:  Narração e elementos da narrativa  Artigo de opinião.  Diálogo: Discurso direto e discurso indireto. • Matriz de referência:  Descritores do Tópico I. Procedimentos de Leitura  D1 – Localizar informações explícitas em um texto.  D3 – Inferir o sentido de uma palavra ou expressão.  D4 – Inferir uma informação implícita em um texto.  D6 – Identificar o tema de um texto  D11 – Distinguir um fato da opinião relativa a esse fato Circuito Fechado de Ricardo Ramos.  Criar textos narrativos com narrador personagem e/ou observador.  Criar diálogos vários em sala de aula com situações e contextos diversos propostos pelo professor. 6
  7. 7. ESCOLA ESTADUAL JOSÉ EDUARDO AQUINO Ensino Fundamental – Médio e EJA  6.A linguagem verbal e suas modalidades (fala e escrita): • O contínuo oral—escrito. • Condições de produção, usos, funções sociais e estratégias de textualização da fala e da escrita.  7.Uso de pronomes pessoais no português padrão e não padrão.  8.Perigrafia do livro literário • Capa (sobrecapa, primeira, segunda e quarta capas, orelhas, lombada). • Falsa folha de rosto, folha de rosto e ficha catalográfica. • Dedicatória e agradecimentos. • Epígrafe. • Sumário. • Apresentação, prefácio e posfácio. • Ilustrações.  8.Recons trução do texto literário narrativo: • Narrador e foco narrativo. • Enredo e ação. práticas discursivas. 8.3. Inter-relacionar epígrafe e texto básico do livro (poemas, contos, romance). 8.4. Usar o sumário, produtiva e autonomamente, para localizar informações dentro do livro. 8.5. Ler e usar, produtiva e autonomamente, orelhas, apresentações, prefácios e posfácios na compreensão do texto básico do livro (poemas, contos, romance). 8.6. Avaliar a adequação das ilustrações ao leitor, ao pacto de leitura previsto, ao texto verbal e ao projeto gráfico do livro. 8.7. Elaborar, produtiva e autonomamente, textos perigráficos para livros literários que se apresentem sem eles. 9.1.Compreender e usar, produtiva e autonomamente, estratégias de interação com textos ficcionais em prosa, sobretudo narrativos. 7
  8. 8. ESCOLA ESTADUAL JOSÉ EDUARDO AQUINO Ensino Fundamental – Médio e EJA • Personagens. • Tempo e espaço. • Clímax e desfecho 2º Bimestre: 01/04 /13 a 12/06/13 Eixos Temáticos desenvolvidos: Compreensão e Produção de Texto, Linguagem e Língua. Tópicos de Conteúdo do CBC Habilidades a serem desenvolvidas Correlação com o Livro Didático Estratégias de Ensino Estratégias de Intervenção  1.A frase na norma- padrão: • Ordem canônica de sintagmas e orações na frase; reordenação e efeitos de sentido. • Articulação sintática (coordenação e/ou subordinação), semântica (relações lógicas) e discursiva (instruções de progressão temática). • Pontuação: segmentação e articulação de sintagmas e orações.  2.A linguagem verbal e suas modalidades (fala e escrita): • Confronto entre o sistema fonológico e o sistema 1.1.Reconhecer e usar, produtiva e autonomamente, a frase-padrão em contextos de uso da norma-padrão. 1.2.Reconhecer, em um texto ou sequência textual, os diferentes tipos de frases: não oracional, oracional simples (período simples), oracional complexa (período composto). 1.3.Reconhecer, os processos sintáticos de organização e hierarquização dos sintagmas (coordenação e/ou subordinação), em frases apresentadas 2.1. Usar, produtiva e autonomamente, as convenções da língua escrita, entendendo o contraste entre  Vozes verbais e agente da passiva  Intertextualidade  Voz passiva analítica e voz passiva sintética  Gêneros textuais  Resenha  Apólogo  Miniconto  Poema  Redação:  Resenha  Miniconto • Matriz de referência:  Descritores do Tópico II. Implicações do Suporte, do Gênero  Análise de textos.  Criação de orações usando conjunções coordenativas, pontuando-as corretamente.  Identificar e classificar as conjunções em frases e textos longos.  Escrever palavras grafadas com G, J e H com precisão.  Acentuar palavras soltas e empregadas em textos, pronunciando-as para identificar sons abertos de fechados, assim como nasais.  Atividades extraclasse e trabalhos que possibilitem o aluno se recuperar.  Acompanhamento individual.  Trabalho em grupo.  Monitoria em sala-de-aula. 8
  9. 9. ESCOLA ESTADUAL JOSÉ EDUARDO AQUINO Ensino Fundamental – Médio e EJA ortográfico. • Convenções da língua escrita: grafia de palavras, acentuação gráfica, notações gráficas, uso convencional dos sinais de pontuação, parágrafo gráfico.  3.A frase na norma padrão: período simples • Os sintagmas nominal, adjetivo e adverbial na estrutura oracional. • O verbo e seus argumentos. • Pontuação: segmentação e articulação de sintagmas.  4.Organi zação textual do discurso descritivo • Locutor e foco descritivo: • localização espacial do objeto da descrição; • ângulo do locutor; a construção de um ponto de vista em função das intenções comunicativas; • impressões sensoriais e afetivas do locutor acerca do objeto. o sistema fonológico e o sistema ortográfico. 3.1 – Reconhecer sintagmas que funcionem como constituintes imediatos de um período simples. 3.2 – Distinguir os argumentos semânticos de verbos (sujeito, objeto direto, objeto indireto) em frases apresentadas. 3.3 – Avaliar a adequação de uso de um período simples em um texto ou sequência textual, considerando a progressão textual, a situação comunicativa e o gênero do texto. 3.4 – Corrigir problemas de estruturação de períodos simples, considerando a norma padrão. 3.5 – Produzir períodos simples estruturalmente adequados à situação comunicativa, à sequência e ao gênero textual. 4.1 –Reconhecer e usar, produtiva e autonomamente, estratégias de textualização do discurso descritivo, na e /ou do Enunciador na Compreensão do Texto  D5 – Interpretar texto com auxílio de material gráfico diverso (propagandas, quadrinhos, foto, etc.).  D12 – Identificar a finalidade de textos de diferentes gêneros.  Descritores do Tópico III. Relação entre Textos  D20 – Reconhecer diferentes formas de tratar uma informação na comparação de textos que tratam do mesmo tema, em função das condições em que ele foi produzido e daquelas em que será recebido.  D21 – Reconhecer posições distintas entre duas ou mais opiniões relativas ao mesmo fato ou ao mesmo tema.  Descritores do Tópico IV. Coerência e Coesão no Processamento do Texto  Criar textos vários observando a organização textual do discurso descritivo. 9
  10. 10. ESCOLA ESTADUAL JOSÉ EDUARDO AQUINO Ensino Fundamental – Médio e EJA • Fases ou etapas: • introdução do tema por uma forma nominal ou tema-título no início, no fim ou no curso da descrição; • enumeração de diversos aspectos do tópico discursivo, com atribuição de propriedades a cada um deles; • assimilação dos elementos descritos a outros por meio de comparação ou metáfora. • Estratégias de organização: • subdivisão; • enumeração; • exemplificação; • analogia; • comparação e confronto; • causa-e-consequência; • ordenação temporal. • Coesão verbal: • valores do presente e do pretérito imperfeito, do pretérito perfeito e do futuro do indicativo. • Conexão textual: compreensão e na produção de textos. 5.1 - Reconhecer e usar, produtiva e autonomamente, no discurso injuntivo, mecanismos de focalização temática adequados ao efeito de sentido pretendido. 5.2 - Reconhecer e usar, produtiva e autonomamente, as fases ou etapas do discurso injuntivo. 5.3 - Reconhecer e usar, produtiva e autonomamente, estratégias de organização do discurso injuntivo. 5.4 - Reconhecer e usar, produtiva e autonomamente, mecanismos de coesão verbal no discurso injuntivo. 5.5 - Reconhecer e usar, produtiva e autonomamente, marcas linguísticas e gráficas de conexão textual no discurso injuntivo. 5.6 - Reconhecer e usar, produtiva e autonomamente, mecanismos de coesão  D2 – Estabelecer relações entre partes de um texto, identificando repetições ou substituições que contribuem para a continuidade de um texto.  D7 – Identificar a tese de um texto. 10
  11. 11. ESCOLA ESTADUAL JOSÉ EDUARDO AQUINO Ensino Fundamental – Médio e EJA • marcas linguísticas e gráficas da articulação do discurso descritivo com outros discursos e sequências do texto; • marcadores textuais da progressão/segmentação temática: articulações hierárquicas, temporais e/ou lógicas entre as fases ou etapas do discurso. • Coesão nominal: • estratégias de introdução temática; • estratégias de retomada temática. • Organização linguística do enunciado descritivo: • Recursos semânticos e morfossintáticos mais característicos e/ou frequentes no enunciado descritivo.  5.Organização textual do discurso injuntivo (instrucional, de aconselhamento, prescritivo ou normativo): nominal no discurso injuntivo. 5.7 - Compreender e usar, produtiva e autonomamente, recursos linguísticos de estruturação de enunciados injuntivos. 11
  12. 12. ESCOLA ESTADUAL JOSÉ EDUARDO AQUINO Ensino Fundamental – Médio e EJA • Locutor e focalização temática • construção de um ponto de vista em função das intenções comunicativas. • Fases ou etapas: • exposição do macrobjetivo acional: indicação de um objetivo geral a ser atingido sob a orientação de um plano de execução, ou seja, de um conjunto de comandos; • apresentação dos comandos: disposição de um conjunto de ações (sequencialmente ordenadas ou não) a ser executado para que se possa atingir o macrobjetivo; • justificativa: esclarecimento por parte do produtor do texto dos motivos pelos quais o destinatário deve seguir os comandos estabelecidos. • Estratégias de organização: • plano de execução cronologicamente ordenada; • plano de execução não 12
  13. 13. ESCOLA ESTADUAL JOSÉ EDUARDO AQUINO Ensino Fundamental – Médio e EJA cronologicamente ordenada. • Coesão verbal: • valores do presente do indicativo, do modo imperativo e seus substitutos (infinitivo e gerúndio). • Conexão textual: • marcas linguísticas e gráficas da articulação do discurso injuntivo com outros discursos e sequências do texto; • marcadores textuais da progressão/segmentação temática: articulações hierárquicas, temporais e/ou lógicas entre as fases ou etapas do discurso injuntivo. • Coesão nominal: • estratégias de introdução temática; • estratégias de manutenção e retomada temática. • Organização linguística do enunciado injuntivo:  • 13
  14. 14. ESCOLA ESTADUAL JOSÉ EDUARDO AQUINO Ensino Fundamental – Médio e EJA Recursos semânticos e morfossintáticos mais característicos e/ou frequentes no enunciado injuntivo. 3º Bimestre: 14/ 07/ 14 a 30 /09 /13 Eixos Temáticos desenvolvidos:Compreensão e Produção de Texto, Linguagem e Língua, a Literatura e Outras Manifestações Culturais. Tópicos de Conteúdo do CBC Habilidades a serem desenvolvidas Correlação com o Livro Didático Estratégias de Ensino Estratégias de Intervenção  1.Signos não verbais (sons, ícones, imagens, grafismos, gráficos, infográficos, tabelas...) • Valor informativo. • Efeitos expressivos.  2.Organização textual do discurso argumentativo • Locutor e focalização temática. • construção de um ponto de vista em função das intenções comunicativas. • Fases ou etapas: • proposta ou tema: questão polêmica, explícita ou implícita no texto, diante da qual o locutor toma uma posição; 1.1 – Relacionar sons, imagens, gráficos, e tabelas a informações verbais explícitas ou implícitas em um texto como representações de ritos de iniciação ou passagem. 2.1 - Reconhecer e usar, produtiva e autonomamente, no discurso argumentativo, mecanismos de focalização temática adequados ao efeito de sentido pretendido. 2.2 - Reconhecer e usar, produtiva e autonomamente, as fases do discurso argumentativo na compreensão e produção de textos. 2.3 - Reconhecer e usar, Gêneros textuais Reportagem Debate Soneto Poema  Estudos da Língua  Figuras de Linguagem  Vocativo  Emprego dos porquês  Uso estilístico da pontuação.  ORTOGRAFIA  Redação:  Roda de poema  Poema  Análise de textos.  Conhecer todos os itens de estrutura e formação de palavras por meio atividades que analisam palavras, frases e textos.  Escrever palavras grafadas com X e CH com precisão e também palavras homônimas.  Criar textos vários observando a organização textual do discurso argumentativo.  Analisar o texto : Eco e Narciso do livro do 6º ano Projeto Araribá enfatizando a literatura: A magia do espelho.  Atividades extraclasse e trabalhos que possibilitem o aluno se recuperar.  Acompanhamento individual.  Trabalho em grupo. Monitoria em sala-de-aula. 14
  15. 15. ESCOLA ESTADUAL JOSÉ EDUARDO AQUINO Ensino Fundamental – Médio e EJA • proposição ou tese: posicionamento favorável ou desfavorável do locutor em relação à proposta e orientador de toda a sua argumentação; • provas (convencimento ou persuasão): argumentos (de comparação, causa, exemplificação, etc.) que sustentam a proposição ou tese do locutor, assegurando a veracidade ou validade dela e permitindo-lhe chegar à conclusão; • conclusão: retomada da tese, já devidamente defendida, ou uma possível decorrência dela. • Estratégias de organização: • comparação ou confronto; • argumentação de autoridade; • exemplificação; • analogia. • Coesão verbal: • valor aspectual do presente do indicativo e do futuro do presente do indicativo; • correlação com tempos do produtiva e autonomamente, estratégias de organização do discurso argumentativo. 2.4 - Reconhecer e usar, produtiva e autonomamente, mecanismos de coesão verbal no discurso argumentativo. 2.5 - Reconhecer e usar, produtiva e autonomamente, marcas linguísticas e gráficas de conexão textual no discurso argumentativo. 2.6 - Reconhecer e usar, produtiva e autonomamente, mecanismos de textualização dos discursos citados ou reportados em textos argumentativos. 2.7 - Reconhecer e usar, produtiva e autonomamente, mecanismos de coesão nominal no discurso argumentativo. 2.8 - Compreender e usar, produtiva e autonomamente, recursos linguísticos de estruturação de enunciados argumentativos. • Matriz de referência:  Descritores do Tópico IV. Coerência e Coesão no Processamento do Texto  D8 – Estabelecer relação entre a tese e os argumentos oferecidos para sustentá-la.  D9 – Diferenciar as partes principais das secundárias em um texto.  D10 – Identificar o conflito gerador do enredo e os elementos que constroem a narrativa.  D11 – Estabelecer relação causa/conseqüência entre partes e elementos do texto.  D15 – Estabelecer relações lógico- discursivas presentes no texto, marcadas por conjunções, advérbios, etc. 15
  16. 16. ESCOLA ESTADUAL JOSÉ EDUARDO AQUINO Ensino Fundamental – Médio e EJA subjuntivo. • Conexão textual: • marcas linguísticas e gráficas da articulação do discurso argumentativo com outros discursos e sequências do texto; • marcadores textuais da progressão/segmentação temática: articulações hierárquicas, temporais e/ou lógicas entre as fases ou etapas do discurso argumentativo. • Textualização dos discursos citados ou relatados: • direto; • indireto; • paráfrase; • resumo com citações. • Coesão nominal: • estratégias de introdução temática; • estratégias de manutenção e retomada temática. • Organização lingüística do 3.1 – Reconhecer e usar, produtiva e autonomamente, estratégias de textualização do discurso poético, na compreensão e na produção de textos. 4.1 – Reconhecer a simbologia dos signos espelho, Eco e Narciso no mito Eco e Narciso e em outros textos e manifestações culturais. 4.2 – Avaliar criticamente a retomada do símbolo do espelho e do mito de Eco e Narciso em outros textos e manifestações culturais. 16
  17. 17. ESCOLA ESTADUAL JOSÉ EDUARDO AQUINO Ensino Fundamental – Médio e EJA enunciado argumentativo:  • Recursos semânticos e morfossintáticos mais característicos e/ou frequentes no enunciado argumentativo.  3.Recons trução do texto literário poético • Aspectos sonoros. • Aspectos visuais. • Aspectos sintáticos. • Aspectos semânticos.  4.O mito de Eco e Narciso: o olhar da sedução. 4º Bimestre: 01/ 10 /14 a 19 /12 /13 Eixos Temáticos desenvolvidos:Compreensão e Produção de Texto, Linguagem e Língua. Tópicos de Conteúdo do CBC Habilidades a serem desenvolvidas Correlação com o Livro Didático Estratégias de Ensino Estratégias de Intervenção 17
  18. 18. ESCOLA ESTADUAL JOSÉ EDUARDO AQUINO Ensino Fundamental – Médio e EJA  1.Flexão verbal e nominal na norma-padrão  Tipos de intertextualidade: citação, epígrafe, alusão, referência, paráfrase, paródia, pastiche.  2.Organização lingüística do discurso de relato • Locutor e foco de enunciação: • relator protagonista; • relator testemunha; • outros. • construção de um ponto de vista em função das intenções comunicativas. • Fases ou etapas do relato noticioso: • sumário: título, subtítulo e lide, isto é, relato sumariado do acontecimento (quem, o quê, quando, onde, como, por quê); • continuação do acontecimento noticiado no lide; relato com detalhes sobre as pessoas envolvidas, repercussões, desdobramentos, 1.1 - Reconhecer diferentes formas de flexão nominal e verbal na fala e na escrita. 1.2 - Usar a norma-padrão de flexão verbal e nominal em eventos de língua escrita. 2.1 - Reconhecer e usar, produtiva e autonomamente, no discurso de relato, recursos de focalização adequados ao efeito de sentido pretendido. 2.2 - Reconhecer e usar, produtiva e autonomamente, as fases ou etapas do relato noticioso, na compreensão e produção de notícias e reportagens. 2.3 - Integrar informação verbal e não-verbal na compreensão global do relato noticioso. 2.4 - Reconhecer e usar, produtiva e autonomamente, estratégias de ordenação temporal no relato. 2.5 - Reconhecer e usar, produtiva e autonomamente, mecanismos de coesão verbal no discurso de relato.  Gêneros textuais  Texto argumentativo  Artigo de Opinião  Anuncio em folheto  Paródia  Anuncio Publicitário  Estudo da Língua  Conjunção  Palavras e expressões que causam dúvidas.  Período simples e período composto.  Conjunção coordenativa  Conjunção subordinativa  Redação:  Artigo de opiniao  Mesa redonda  Anuncio  Piada  Carta.  Bilhete.  Recado.  Ofício.  Relatório.  Saber empregar e identificar o grau dos adjetivos em textos e frases.  Empregar verbos em situações diárias. E identificar o modo subjuntivo em textos diversos.  Produzir textos com lógica e coerência, efetuando a concordância nominal e verbal correta.  Intercambio de textos, observando a concordância nominal e verbal.  Grafar corretamente os advérbios MAU e MAL.  Utilizar com presteza palavras homônimas e acentos diferenciais em contextos diversos.  Utilizar palavras parônimas adequadamente em contextos que lhes são  Atividades extraclasse e trabalhos que possibilitem o aluno se recuperar.  Acompanhamento individual.  Trabalho em grupo. Monitoria em sala-de-aula. 18
  19. 19. ESCOLA ESTADUAL JOSÉ EDUARDO AQUINO Ensino Fundamental – Médio e EJA comentários. • Estratégias de organização: • ordenação temporal linear; • ordenação temporal com retrospecção (flash-back); • ordenação temporal com prospecção. • Coesão verbal: • valores dos pretéritos perfeito, imperfeito, mais-que- perfeito, do futuro do presente e do futuro do pretérito. • Conexão textual: • marcas lingüísticas e gráficas da articulação do discurso com outros discursos e seqüências do texto; • marcadores textuais da progressão/ segmentação temática: articulações hierárquicas, temporais e/ou lógicas entre as fases ou etapas do discurso. • Textualização dos discursos citados ou relatados: 2.6 - Reconhecer e usar, produtiva e autonomamente, marcas lingüísticas e gráficas de conexão textual no discurso de relato. 2.7 - Reconhecer e usar, produtiva e autonomamente, mecanismos de textualização dos discursos citados ou reportados em textos de relato. 2.8 - Reconhecer e usar, produtiva e autonomamente, mecanismos de coesão nominal no discurso de relato. 2.9 - Compreender e usar, produtiva e autonomamente, recursos lingüísticos de estruturação de enunciados de relato. 3.1 - Reconhecer diferentes objetivos de leitura em um jornal (informação, conhecimento, entretenimento), considerando a organização desse suporte. 3.2 - Inferir o público-alvo do jornal ou partes do jornal • Matriz de referência:  Descritores do Tópico V. Relações entre Recursos Expressivos e Efeitos de Sentido  D16 – Identificar efeitos de ironia ou humor em textos variados.  D17 – Reconhecer o efeito de sentido decorrente do uso da pontuação e de outras notações.  D18 – Reconhecer o efeito de sentido decorrente da escolha de uma determinada palavra ou expressão.  D19 – Reconhecer o efeito de sentido decorrente da exploração de recursos ortográficos e/ou morfossintáticos.  Descritores do Tópico VI. Variação Lingüística D13 – Identificar as marcas lingüísticas que evidenciam o locutor e o interlocutor de um texto. próprios. 19
  20. 20. ESCOLA ESTADUAL JOSÉ EDUARDO AQUINO Ensino Fundamental – Médio e EJA • direto, • indireto, • resumo com citações. • Coesão nominal: • estratégias de introdução temática; • estratégias de manutenção e retomada temática. • Organização lingüística do enunciado de relato: • recursos semânticos e morfossintáticos mais característicos e/ou freqüentes no enunciado de relato.  3.Organização do suporte jornal: relações com o público-alvo: • Composição (cadernos, suplementos, seções, colunas). • Formato. • Projeto gráfico (numeração direta das páginas, variedade de fontes ou caracteres tipográficos, cores, imagens). • Caracterização e funções sociocomunicativas do suporte e suas partes. • Variedade de temas, (cadernos, suplementos, seções, colunas), considerando o projeto gráfico, os temas abordados, os gêneros e domínios discursivos, os pactos e finalidades de leitura. 3.3 - Reconhecer o jornal como espaço privilegiado de circulação de neologismos e variedades lingüísticas 4.1. Ler, produtiva e autonomamente, a primeira página do jornal. 4.2. Produzir textos característicos da primeira página do jornal (manchetes, chamadas, lides). 20
  21. 21. ESCOLA ESTADUAL JOSÉ EDUARDO AQUINO Ensino Fundamental – Médio e EJA gêneros e domínios discursivos. • Diversidade lingüística.  4.Primeira página do jornal: • Elementos estruturais: título, cabeçalho, manchetes, chamadas, lides, ilustrações e legendas, indicadores (de tempo, econômicos, etc.). • Funções sociocomunicativas. • Composição e função de manchetes, títulos e subtítulos de matérias. • Caracterização e função de lides e chamadas. IV – AVALIAÇÃO 4.1. Avaliação Qualitativa a) Aspectos qualitativos a serem avaliados nos alunos? Responsabilidade e compromisso perante a realização de trabalhos e atividades propostas em sala de aula. Respeito ao colega de classe e demais profissionais da escola. b) Pontuação atribuída. A pontuação poderá variar de bimestre a bimestre, mas ficará entre 6 e 10 pontos. c) Estratégias de auto-avaliação a serem utilizadas. A auto-avaliação será feita com debate com a turma a fim de verificar pontos positivos e negativos e verificar o que deverá ser mudado. 21
  22. 22. ESCOLA ESTADUAL JOSÉ EDUARDO AQUINO Ensino Fundamental – Médio e EJA 4.2. Avaliação Quantitativa 4.2.1 Prova escrita a) Pontuação atribuída: 8 pontos a cada bimestre b) Conteúdos Abordados: Todos os conteúdos citados acima no planejamento. c) Estilo da Prova: ( ) Todas as questões objetivas ( ) Todas as questões abertas ( x ) Com questões objetivas e abertas d) Formatação ( ) manuscrita ( x ) digitada ( ) montagem de xérox e) As provas serão realizadas ( x ) individual ( ) em dupla ( ) com consulta às anotações ( ) sem consulta f) Data prevista para a realização:Ao final de cada bimestre 4.2.2 Trabalhos a)Quantidade de trabalhos a serem aplicados ( 4 ) b) Pontuação atribuída aos trabalhos e a data prevista para sua realização? Serão atribuídos 7 pontos em cada trabalho e eles aconteceram no meio de cada bimestre c) Forma de apresentação dos trabalhos: ( ) pesquisa individual de um tema com entrega da síntese por escrito; ( ) pesquisa em grupo de um tema com entrega da síntese por escrito; ( x ) pesquisa individual ou em grupo de um tema com entrega da síntese por escrito e apresentação oral em sala de aula; d) Conteúdo ou tema do trabalho:1º Bimestre: Leitura de livros literários e identificação dos elementos da narrativa. 2º Bimestre: Gêneros Textuais 3º Bimestre: Teatro – Temas sociais 4º Bimestre: Paródia – Temas a discutir 4.3. Outras formas de avaliação. 22
  23. 23. ESCOLA ESTADUAL JOSÉ EDUARDO AQUINO Ensino Fundamental – Médio e EJA O aluno será avaliado o tempo todo nas atividades diárias do dia-a-dia copiando e respondendo estudos de textos e atividades gramaticais, fazendo redações e caligrafia de questões ortográficas da Língua Portuguesa. V - REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS. ☺ Tavares, Rosimeire Aparecida Alves, Vontade de saber Português , 8º ano, 1ª ed. FTD, 2012.  SOUZA, Cássia Garcia de; CAVÉQUIA Márcia Paganini. Linguagem Criação e Interação. 7ª Série, FTD, 2002, 2ª tiragem, 2004. (Livro de apoio – 2ª opção)  SOUTO, Ângela Maria da Silva; SOUZA, Vilma de. CBC Língua Portuguesa. Secretaria de Estado de Educação de Minas Gerais. Ensino Fundamental.  Outros que se fizerem necessários no decorrer do ano letivo. VI – BLOCO DE ASSINATURAS ____________________________________ _____________________________ _________________________ Professor Especialista Diretor(a) Patrocínio, 17 de março de 2014 23
  24. 24. ESCOLA ESTADUAL JOSÉ EDUARDO AQUINO Ensino Fundamental – Médio e EJA Planejamento Anual de Língua Portuguesa 8º ano – 2014 Professores: Edilene Aparecida da Silva Taísa Guimarães Xavier 24

×