Fisioterapia hospitalar icc

879 visualizações

Publicada em

Fisioterapia hospitalar

Publicada em: Saúde e medicina
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
879
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
4
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
16
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Fisioterapia hospitalar icc

  1. 1. FISIOTERAPIA HOSPITALAR - ICC Estágio Hospitalar Grupo 4
  2. 2. Os objetivos principais dessa fase incluem reduzir o tempo de permanência hospitalar e diminuir os problemas de descondicionamento associados com o repouso prolongado no leito, como atrofia muscular, hipotensão postural e deterioração circulatória geral, melhorar as condições pulmonares, promover a RCV e oferecer maior independência. FASE HOSPITALAR-FASE 1
  3. 3.  Esta fase baseia-se em procedimentos simples, como exercícios metabólicos de extremidades, para aumentar a circulação, exercícios respiratórios para eliminar obstruções respiratórias e manter os pulmões limpos, exercícios ativos para manter a amplitude de movimento e elasticidade mecânica dos músculos envolvidos, treino de marcha em superfície plana e com degraus, reduzindo os efeitos prejudiciais do repouso prolongado no leito. Titoto et al (2005)
  4. 4. Objetivos  Promover higiene brônquica;  Normalizar a ventilação pulmonar;  Melhorar a mecânica diafragmática;  Evitar hipomobilidade no leito;  Prevenir complicações do imobilismo;  Evitar trombose venosa profunda e escaras;  Manter amplitude de movimento articular e força muscular dos membros inferiores.  Aumentar a autoconfiança do paciente.  Orientar paciente e familiares  Incentivar a um programa de Reabilitação Pulmonar (Fase 2 e Fase 3)
  5. 5. Higiêne brônquica  TEF (técnica de expiração forçada) + Huffing  -Controle da respiração (secreção periferia-centro), seguida do huffing (VAS-fora)  AFE  Manobra de Shaking  Vibrações torácicas  Vibrocompressão  Realizadas em DD, em DLE e DLD no leito com a cabeceira elevada à aproximadamente 45º.  Estímulo da tosse ativa (paciente colaborativo)  Estímulo da tosse induzida – tick traqueal (paciente não colaborativo) paciente semi-sentado ou sentado.  Aspiração
  6. 6. Reexpansão pulmonar  Inspiração fracionada/ em tempos  Expiração lenta prolongada com freno labial  Suspiros inspiratórios  Respiração diafragmática  Incentivadores inspiratórios  Exercícios respiratórios
  7. 7. ADM- Força muscular- Imobilidade  Exercícios metabólico em extremidades;  Alongamento passivo de cintura escapular e de membros superiores e peitorais;  Deambulação;  Mobilização passiva e ativa-assistida de MMSS e MMII;  Mobilização ativa com o controle da respiração.  Marcha estacionária;  Treino de marcha em superfície plana e com degraus  Cicloergômetro
  8. 8. Programa RC Fase I  Step 1: consumo calórico 2 METs  Paciente deitado  Exercícios respiratórios diafragmáticos  Exercícios ativos de extremidades  Exercícios ativo-assistido de cintura, cotovelo e joelhos
  9. 9.  Step 2: consumo calórico 2 METs  Paciente sentado  Exercícios respiratórios diafragmáticos, associados a MMSS (movimentos diagonais)  Exercícios de cintura escapular  Exercícios ativos de extremidade  Paciente deitado  Exercícios ativos de joelho e coxofemoral  Dissociação tronco e coxofemoral
  10. 10.  Step 3 consumo calórico 3 METs  Paciente em pé  Exercícios ativos de MMSS (movimentos diagonais e circundução)  Alongamentos ativos de MMSS (quadríceps, adutores e tríceps crural)  Deambulação 35 m
  11. 11. Obrigada! RCV - AMBULATORIAL FASE 2 E 3

×