Posicionamentos e transferências

35.240 visualizações

Publicada em

Formação em Serviço

1 comentário
15 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Gostei de visitar a pasta vi a matéria de cuidados a doentes com AVC é muito importante saber como garantir a continuidade dos posicionamentos na medida em que este grande mal é a terceira causa de morte no mundo com altas taxas de imcapacidades
       Responder 
    Tem certeza que deseja  Sim  Não
    Insira sua mensagem aqui
Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
35.240
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
423
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
757
Comentários
1
Gostaram
15
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Posicionamentos e transferências

  1. 1. Elaborado por: Carina Freitas 4º CPLEER Orientação: Lucília Teixeira (EER)Fafe, 18 de Abril de 2012
  2. 2. SUMÁRIODefinição de conceitos AVC EspasticidadePadrão espástico/Padrão inibitório de espasticidadePosicionamentosTransferências Transferências e Posicionamentos ao Utente Acometido de AVC 2
  3. 3. DEFINIÇÃO DE AVCSegundo Martins (2002) o AVC pode ser definido como um complexo de sintomas de deficiêncianeurológica que permanecem durante pelo menos 24h, resultando lesões cerebrais provocadaspela alteração da irrigação sanguínea.O Acidente Vascular Cerebral é “ causado por uma interrupção no suprimento de sangue aocérebro (…) ocorre quando uma artéria que fornece sangue ao cérebro fica bloqueada ou serompe, tendo um subsequente compromisso das funções sensoriais e motoras. ” Organização Mundial Saúde, 2003 Transferências e Posicionamentos ao Utente Acometido de AVC 3
  4. 4. COMPLICAÇÕES MAIS FREQUENTES APÓS AVC  Depressão  Quedas  Alterações urinárias  Disfagia / Pneumonia de aspiração  Ombro doloroso  Sub–luxação do ombro  ESPASTICIDADE Transferências e Posicionamentos ao Utente Acometido de AVC 4
  5. 5. CONCEITO DE ESPASTICIDADE Aumento do tónus que apresenta flutuação durante o movimento passivo.Avalia-se do seguinte modo: Após iniciar um movimento de extensão (ex. de um segmento de MS),sente-se um aumento rápido da resistência, cedendo pouco depois e porvezes, bruscamente. Por analogia, é conhecida como reflexo de “navalha emmola”. Transferências e Posicionamentos ao Utente Acometido de AVC 5
  6. 6. ESCALA DE ESPASTICIDADE DE ASHWORTHScore 0 Tónus muscular normal 1 Hipertonia leve Aumento do tónus muscular com “paragem” no movimento passivo da extremidade, com resistência mínima em menos de metade do seu arco de movimento 2 Hipertonia moderada Aumento do tónus muscular durante a maior parte do arco de movimento, mas pode mobilizar-se com facilidade o membro afetado 3 Hipertonia intensa Aumento significativo do tónus muscular, com dificuldade em realizar movimentos passivos 4 Hipertonia extrema O membro afetado permanece com espasticidade em flexão ou extensão, não sendo possível efetuar mobilização passiva. Transferências e Posicionamentos ao Utente Acometido de AVC 6
  7. 7. COMPLICAÇÕES DA ESPASTICIDADE  Parestesias dolorosas  Fraqueza muscular  Contracturas  Tromboflebites  Impossibilidade de movimentos. 7
  8. 8. IMPORTANTE LEMBRARA espasticidade surge, predominantemente, nos músculos antigravíticosdos membros superiores (músculos flexores) e, nos membros inferiores(músculos extensores) produzindo uma postura típica de flexão nomembro superior e de extensão no membro inferior. Transferências e Posicionamentos ao Utente Acometido de AVC 8
  9. 9. PADRÃO ESPÁSTICOInclinação lateral da cabeça para o lado afetado, comrotação para o lado são;Inclinação lateral do tronco para o lado afetado;Retração do ombro com depressão e rotação interna;Flexão do cotovelo e pronação;Flexão do punho e dedos em adução; Transferências e Posicionamentos ao Utente Acometido de AVC 9
  10. 10. PADRÃO ESPÁSTICORetração da anca;Rotação externa e extensão do membroinferior;Extensão do tornozelo com inversão dopé e flexão plantar. Transferências e Posicionamentos ao Utente Acometido de AVC 10
  11. 11. PRINCÍPIOS GERAIS DA MECÂNICA CORPORAL Coluna Vertebral Reta Pernas Fletidas Carga Junto ao Corpo Pontos de Pega Firmes Pés Separados Suporte do Peso com o Corpo Utilização de Pontos de Apoio
  12. 12. POSICIONAMENTOSSão as posturas em que se coloca o utente, quando este não temcapacidade para mudar de decúbito sozinho e/ou quando asituação clínica não permite. (Paulino, 1998) Transferências e Posicionamentos ao Utente Acometido de AVC 12
  13. 13. OBJETIVOS DOS POSICIONAMENTOS Promover a estimulação sensorial do lado afetado Prevenir problemas de pele, nomeadamente úlceras de pressão Prevenir complicações musculares e articulares Proporcionar conforto INIBIR A ESPASTICIDADE Transferências e Posicionamentos ao Utente Acometido de AVC 13
  14. 14. IMPORTANTE LEMBRAR Os posicionamentos são o primeiro passo na recuperação do individuo; O utente deve ser posicionado em padrão inibitório de espasticidade durante as24 horas, não devendo ser limitado às horas de sono ou repouso; Ensinar o cuidador informal e o utente, sempre que possível, a adotar estesposicionamentos explicando-lhe as vantagens desta atuação. Transferências e Posicionamentos ao Utente Acometido de AVC 14
  15. 15. PADRÃO INIBITÓRIO DA ESPASTICIDADEAlinhamento da cabeça com o corpo;Alongamento do tronco do lado afetado;Protração do ombro com rotação externa;Extensão do cotovelo e supinação;Extensão do punho e dedos em abdução; Transferências e Posicionamentos ao Utente Acometido de AVC 15
  16. 16. PADRÃO INIBITÓRIO DA ESPASTICIDADEProtração da anca;Rotação interna da anca e ligeira flexão do joelho;Evitar a flexão plantar e a inversão. Transferências e Posicionamentos ao Utente Acometido de AVC 16
  17. 17. DECÚBITO DORSAL CABEÇA Sobre uma almofada baixa Ombro sobre almofada e em rotação externa MEMBRO SUPERIOR Omoplata em protração AFECTADO Cotovelo, punho e dedos em extensão Supinação do antebraço Transferências e Posicionamentos ao Utente Acometido de AVC 17
  18. 18. DECÚBITO DORSALMEMBRO INFERIOR Almofada sob a anca, com rotação interna Flexão do joelho AFECTADO Evitar a flexão plantar e a inversão do pé Transferências e Posicionamentos ao Utente Acometido de AVC 18
  19. 19. DECÚBITO LATERAL PARA O LADO SÃO CABEÇA Sem almofada ou com uma almofada o mais baixo possívelMEMBRO SUPERIOR Ombro, cotovelo e punho em extensão, apoiado sobre almofadas Dedos em extensão e abdução AFECTADO Transferências e Posicionamentos ao Utente Acometido de AVC 19
  20. 20. DECÚBITO LATERAL PARA O LADO SÃOMEMBRO INFERIOR AFECTADO Flexão da anca e rotação interna Flexão do joelho e dorsiflexão do pé Transferências e Posicionamentos ao Utente Acometido de AVC 20
  21. 21. DECÚBITO LATERAL PARA O LADO AFECTADOCABEÇA Sobre uma almofada à altura do ombro Ombro em flexão de 90ºcom rotação externa Protração da omoplata Cotovelo, punho e dedos em extensãoMEMBRO SUPERIOR AFECTADO Antebraço em supinação Dedos em abdução Transferências e Posicionamentos ao Utente Acometido de AVC 21
  22. 22. DECÚBITO LATERAL PARA O LADO AFECTADO MEMBRO INFERIOR AFECTADO Flexão da anca, joelho e tornozelo Rotação interna de todo o membro Transferências e Posicionamentos ao Utente Acometido de AVC 22
  23. 23. ABORDAGEM DO UTENTE E ESTIMULAÇÃO SENSORIAL• O utente deve ser abordado pelo lado Mesa deafetado, de modo a criar um estímulo cabeceira Cadeirasistemático ao hemicorpo lesado; Hemicorpo lesado• Organizar a unidade do doente deforma a que o lado afetado fique para o Leitocentro do quarto. Transferências e Posicionamentos ao Utente Acometido de AVC 23
  24. 24. NO UTENTE ACOMETIDO DE AVC É FUNDAMENTAL  Promover os posicionamentos em padrão inibitório de espasticidade  Reeducar a função motora e sensitiva do lado afetado Transferências e Posicionamentos ao Utente Acometido de AVC 24
  25. 25. TRANSFERÊNCIASÉ a mudança do utente, de uma superfície para a outra, pormeio de um padrão específico de movimentos que são segurose eficientes. Transferências e Posicionamentos ao Utente Acometido de AVC 25
  26. 26. OBJETIVOS DAS TRANSFERÊNCIAS• Prevenir as úlceras de pressão;• Prevenir as complicações da imobilidade;• Promover o conforto e a qualidade de vida. Transferências e Posicionamentos ao Utente Acometido de AVC
  27. 27. TÉCNICA DE TRANSFERÊNCIA DO UTENTE COM HEMIPARÉSIA Rodar o utente para o lado afetado, segurando na anca com as pernas fletidas; Apoiar sobre o cotovelo afetado; Sentar na beira da cama, com os pés completamente apoiados no chão. Transferências e Posicionamentos ao Utente Acometido de AVC 27
  28. 28. TÉCNICA DE TRANSFERÊNCIA DO UTENTE COM HEMIPARÉSIA -Colocar a cadeira num ângulo de 30º com a cama -Retirar braços e pés da cadeira -Travar as rodas da cadeira Transferências e Posicionamentos ao Utente Acometido de AVC 28
  29. 29. POSICIONAMENTO NO UTENTE NA POSIÇÃO DE SENTADO Braços apoiados, lateralmente, ao corpo; Braço afetado em ligeira abdução, com punho e dedos em extensão e abdução; O cotovelo, se possível, apoiado numa almofada, com a mão devidamente posicionada. Transferências e Posicionamentos ao Utente Acometido de AVC 29
  30. 30. POSICIONAMENTO NO UTENTE NA POSIÇÃO DE SENTADO O tronco deve estar apoiado nas costas da cadeira. Se necessário, colocar uma almofada nas costas do utente; Pés apoiados no chão ou numa base, mas nunca pendentes ( risco de pé equino); Sempre que possível, usar uma superfície de trabalho em frente ao utente; Transferências e Posicionamentos ao Utente Acometido de AVC 30
  31. 31. POSICIONAMENTO NO UTENTE NA POSIÇÃO DE SENTADO O utente segura a mão afetada (ao nível do punho) com a mão contralateral; Segurar o utente pelos antebraços e fletir os joelhos. Elevar o doente ao mesmo tempo que se faz a extensão dos joelhos. Transferências e Posicionamentos ao Utente Acometido de AVC 31
  32. 32. TÉCNICA DE TRANSFERÊNCIA NO UTENTE COM PARAPARÉSIA Transferências e Posicionamentos ao Utente Acometido de AVC 32
  33. 33. TÉCNICA DE TRANSFERÊNCIA NO UTENTE COM TETRAPARÉSIA Transferências e Posicionamentos ao Utente Acometido de AVC 33
  34. 34. PAPEL DO PRESTADOR DE CUIDADOS NO PROCESSO DE REABILITAÇÃO Os prestadores de cuidados devem ser elementos ativos e indissociáveis da equipa de reabilitação; Os profissionais de saúde têm a responsabilidade de ensinar/instruir/treinar os cuidadores informais para que estes possam participar ativamente no programa de reabilitação instituído; A ação do prestador de cuidados é, neste contexto, fundamental dada a importância de posicionar corretamente o utente e de transferi-lo com segurança. É primordial dotá-lo de conhecimentos e competências. Transferências e Posicionamentos ao Utente Acometido de AVC 34
  35. 35. É da responsabilidade do enfermeiro ajudar e apoiar osutentes e familiares na adaptação à nova condição desaúde, minimizando efeitos negativos e potenciando a suacapacidade de recuperação/reabilitação. Transferências e Posicionamentos ao Utente Acometido de AVC 35
  36. 36. BIBLIOGRAFIA DIRECÇÃO-GERAL DE SAÚDE (DGS) (2010). Acidente Vascular Cerebral, Itinerários Clínicos. Lisboa: Lidel. ORGANIZAÇÃO MUNDIAL DE SAÚDE (OMS) (2003). Promovendo a Qualidade de Vida após Acidente Vascular Cerebral. Porto Alegre: Artmed Martins, M.ª Manuela (2002) - Uma crise acidental na família: o doente com AVC. Coimbra: Formasau. Material de apoio das aulas do 4ºCPLEER Transferências e Posicionamentos ao Utente Acometido de AVC 36
  37. 37. Obrigada pela atenção. 37

×