EstratéGias De Aprendizagem1

3.127 visualizações

Publicada em

Apresentação sobre Estratégias de Aprendizagem de Línguas

Publicada em: Educação, Tecnologia
0 comentários
6 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
3.127
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
162
Comentários
0
Gostaram
6
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

EstratéGias De Aprendizagem1

  1. 1. ESTRATÉGIAS DE APRENDIZAGEM: Aprendendo a aprender Eliane Carolina de Oliveira
  2. 2. Estratégias de Aprendizagem <ul><li>“ Educação é algo executado por um professor perante uma classe. Este transmite informações para um grupo de aprendizes os quais estão todos dispostos e aptos a assimilá-lo.” (adaptado de Williams & Burden, 1997, p. 05) </li></ul>
  3. 3. O APRENDIZ… <ul><li>é um participante ativo no processo de aprendizagem; </li></ul><ul><li>faz uso de várias estratégias mentais com o objetivo de organizar o sistema da língua alvo. </li></ul>
  4. 4. O APRENDIZ… <ul><li>longe de ser passivo, constrói seu próprio entendimento das coisas. </li></ul><ul><li>Esse entendimento será único pois as atividades de aprendizagem serão abordadas segundo as estratégias individuais de cada um. </li></ul>
  5. 5. O APRENDIZ… <ul><li>não é um receptáculo vazio esperando para ser preenchido. </li></ul><ul><li>traz consigo suas necessidades pessoais, desejos, experiências de vida, conhecimento prévio, etc. </li></ul><ul><li>Se lhe forem dadas oportunidades, ele poderá tomar importantes decisões por sua própria conta, assumir responsabilidade pela sua própria aprendizagem e seguir em frente. </li></ul>
  6. 6. Estratégias de Aprendizagem <ul><li>PESQUISAS NA DÉCADA DE 70 </li></ul><ul><li>Rubin, 1975; Stern, 1975; Naiman et al., 1978 </li></ul>O BOM APRENDIZ DE LÍNGUAS Como as pessoas empreendem a tarefa de aprender algo? Por que algumas pessoas são mais eficientes que outras ao aprender? As características dos bons aprendizes podem ser ensinadas a aprendizes não tão bons? Quais são as características do bom aprendiz de língua?
  7. 7. <ul><li>Em termos gerais, o bom aprendiz e línguas é: </li></ul><ul><ul><li>a. auto-consciente; </li></ul></ul><ul><ul><li>b. curioso e tolerante; </li></ul></ul><ul><ul><li>c. auto-crítico; </li></ul></ul><ul><ul><li>d. realista; </li></ul></ul><ul><ul><li>e. disposto a experienciar; </li></ul></ul><ul><ul><li>f. envolvido ativamente; </li></ul></ul><ul><ul><li>g. organizado. </li></ul></ul>
  8. 8. Estratégias de Aprendizagem: aprender a aprender <ul><li>O objetivo de ensinar os alunos a aprender a aprender é levá-los a considerar os fatores que afetam seu processo de aprendizagem e descobrir as estratégias que eles já fazem uso, assim como informá-los e incentivá-los a fazerem uso de outras que se adequam ao seu estilo de aprender. </li></ul><ul><li>Chamar à sua atenção sobre o processo de aprendizagem de maneira que a ênfase seja em como aprender ao invés de o que aprender. </li></ul><ul><li>Learner training, therefore, aims to provide learners with the alternatives from which they can make informed choices about what , how , why , when and where they learn.” (Dickinson, 1992, p. 13) </li></ul><ul><li>O objetivo de ensinr os alunos a aprender a aprender é ajudar todos os alunos, especialmente aqueles que são menos eficientes, a se tornarem mais ativos e independentes no seu processo de aprendizagem. </li></ul>
  9. 9. Estratégias de Aprendizagem <ul><li>Exemplos: </li></ul><ul><li>Repetir as palavras várias vezes; </li></ul><ul><li>Ouvir atentamente para tentar distinguir as palavras; </li></ul><ul><li>Tentar descobrir as “regras” formando hipóteses sobre a língua; </li></ul><ul><li>Adivinhar o significado das palavras; </li></ul><ul><li>ensaiar na mente o que irá dizer; </li></ul><ul><li>pedir ao falante para repetir algo; </li></ul><ul><li>Fingir que entendeu para manter a conversação; </li></ul><ul><li>ESTRATÉGIAS </li></ul><ul><ul><li>Estratégias vs. Habilidades - </li></ul></ul>
  10. 10. Estratégias de Aprendizagem <ul><ul><li>Contribuem para o objetivo principal: competência comunicativa; </li></ul></ul><ul><ul><li>Faz com que os alunos se tornem mais auto-direcionados; </li></ul></ul><ul><ul><li>Expandem o papel do professor; </li></ul></ul><ul><ul><li>São orientadas para a resolução de um problema; </li></ul></ul><ul><ul><li>São ações específicas feitas pelos aprendizes; </li></ul></ul><ul><ul><li>Envolvem muitos aspectos dos estudantes, não apenas o cognitivo; </li></ul></ul><ul><ul><li>Auxiliam a aprendizagem de modo direto e indireto; </li></ul></ul><ul><ul><li>Não são sempre observáveis; </li></ul></ul><ul><ul><li>São geralmente conscientes; </li></ul></ul><ul><ul><li>Podem ser ensinadas; </li></ul></ul><ul><ul><li>São flexíveis; </li></ul></ul><ul><ul><li>São influenciadas por uma variedade de fatores. </li></ul></ul><ul><ul><ul><ul><li>Oxford, 1990, p.9 </li></ul></ul></ul></ul>
  11. 11. Estratégias de Aprendizagem <ul><li>Rubin (1975) Distinção </li></ul><ul><ul><li>Estratégias que contribuem diretamente para a aprendizagem (Estratégias diretas) e </li></ul></ul><ul><ul><li>Estratégias que contribuem indiretamente para a aprendizagem (Estratégias indiretas) </li></ul></ul><ul><ul><li>Estratégias de Aprendizagem </li></ul></ul><ul><ul><li>1. Estratégias Cognitivas – dizem respeito aos processos mentais por meio dos quais os aprendizes adquirem conhecimento do sistema lingüístico. </li></ul></ul><ul><ul><li>2. Estratégias Metacognitivas - usadas para supervisionar, regular ou auto-direcionar a aprendizagem de língua. </li></ul></ul><ul><ul><li>Estratégias de Comunicação - usadas pelos aprendizes para promover a comunicação com os outros. </li></ul></ul><ul><ul><li>Estratégias Sociais – atividades utilizadas pelos aprendizes para aumentar sua exposição à língua. </li></ul></ul>
  12. 12. Estratégias de Aprendizagem (Oxford 1990) <ul><li>ESTRATÉGIAS DIRETAS </li></ul><ul><ul><li>Estratégias de Memória </li></ul></ul><ul><ul><li>Estratégias Cognitivas </li></ul></ul><ul><ul><li>Estratégias de Compensação </li></ul></ul><ul><li>ESTRATÉGIAS INDIRETAS </li></ul><ul><ul><li>Estratégias Metacognitivas </li></ul></ul><ul><ul><li>Estratégias Afectivas </li></ul></ul><ul><ul><li>Estratégias Sociais </li></ul></ul>
  13. 13. ESTRATÉGIAS DIRETAS <ul><li>Estratégias de Memória </li></ul><ul><ul><li>A. Criar elos mentais </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>1 - agrupar </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>2 – associar/elaborar </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>3 – colocar as palavras novas em um contexto </li></ul></ul></ul><ul><ul><li>B. Utilizar imagens e sons </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>1 – usar a imaginação 2 – mapa semânitco </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>3 – usar palavras chave 4 – representar os sons na memória </li></ul></ul></ul><ul><ul><li>C. Armazenar bem </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>1 – Revisão estruturada </li></ul></ul></ul><ul><ul><li>D. Empregar ações </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>1 – fazer uso de resposta física ou de sentimento </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>2 – usar técnicas mecânicas </li></ul></ul></ul>
  14. 14. ESTRATÉGIAS DIRETAS <ul><li>Estratégias Cognitivas </li></ul><ul><ul><li>A. Praticar </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>1 - repetir </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>2 – praticar formalmente com o sistema de sons e a escrita </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>3 – reconhecer e usar fórmulas e padrões </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>4 - recombinar </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>5- praticar em ambiente natural </li></ul></ul></ul><ul><ul><li>B. Receber e enviar mensagens </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>1 – “pegar” a idéia rapidamente </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>2 – usar recursos para enviar e receber mensagens </li></ul></ul></ul>
  15. 15. ESTRATÉGIAS DIRETAS <ul><li>Cognitive Strategies </li></ul><ul><ul><li>C. Analisar e Concluir </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>1 – concluir por meio de dedução </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>2 – analisar expressões </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>3 –analisar contrastivamente (entre línguas) </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>4 - traduzir </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>5 - transferir </li></ul></ul></ul><ul><ul><li>D. Criar embasamento para input e output </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>1 - anotar </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>2 - resumir </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>3 - destacar </li></ul></ul></ul>
  16. 16. ESTRATÉGIAS DIRETAS <ul><li>Estratégias de compensação </li></ul><ul><ul><li>A. Hipotetizar de forma inteligente </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>1 – usar pistas lingüísticas </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>2 – usar outras pistas </li></ul></ul></ul><ul><ul><li>B. Superar limitações na escrita e na fala </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>1 – mudar para a língua nativa </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>2 – pedir ajuda </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>3 – usar mímica ou gestos </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>4 – evitar a comunicação parcialmente ou totalmente </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>5 – selecionar o tópico </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>6 – ajustar a mensagem </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>7 – criar palavras </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>8 – usar sinônimo </li></ul></ul></ul>
  17. 17. ESTRATÉGIAS INDIRETAS – Estratégias metacognitivas <ul><ul><li>A. Centralizando a aprendizagem </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>1 – relembrar e associar à conteúdos já aprendidos </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>2 – prestar atenção </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>3 – adiar a produção oral para concentra-se na compreensão oral </li></ul></ul></ul><ul><ul><li>B. Planejando a aprendizagem </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>1 – investigar a aprendizagem de línguas </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>2 - organizar </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>3 – estabelecer metas e objetivos </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>4 – identificar o propósito da atividade ( de escrita, fala, leitura e/ou compreensão oral) </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>5 – preparar-se para uma atividade </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>6 – procurar oportunidades de prática </li></ul></ul></ul><ul><ul><li>C. Avaliando a aprendizagem </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>1 – auto-monitoramento </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>2 – auto-avaliação </li></ul></ul></ul>
  18. 18. ESTRATÉGIAS INDIRETAS – Estratégias afetivas <ul><ul><li>A. Diminuir a ansiedade </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>1 – utilizar relaxamento progressivo, respirando profundamente ou meditando </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>2 – utilizar música </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>3 – utilizar o riso </li></ul></ul></ul><ul><ul><li>B. Encorajar a si mesmo </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>1 – elaborar afirmações positivas </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>2 – arriscar-se sensatamente </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>3 – recompensar-se </li></ul></ul></ul><ul><ul><li>C. Tomar sua temperatura emocional </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>1 – ouvir seu próprio corpo </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>2 – utilisar uma lista de verificação </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>3 – escrever um diário de aprendizagem de língua </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>4 – discutir seus sentimento com outras pessoas </li></ul></ul></ul>
  19. 19. ESTRATÉGIAS INDIRETAS – Estratégias sociais <ul><li>- A. Fazer perguntas </li></ul><ul><ul><ul><li>1 – verificar e pedir esclarecimentos </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>2 – pedir para ser corrigido </li></ul></ul></ul><ul><ul><li>B. Cooperar com os outros </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>1 – cooperar com os colegas </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>2 – colaborar com usuários proficientes da nova língua </li></ul></ul></ul><ul><ul><li>C. Solidarizar-se com os outros </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>1 – desenvolver entendimento cultural </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>2 – conscientizar-se dos pensamentos e sentimentos dos outros </li></ul></ul></ul>
  20. 20. Aprender a Aprender <ul><li>Dickinson (1980) </li></ul><ul><ul><li>Alunos devem ser preparados do ponto de vista metodológico e psicológico; </li></ul></ul><ul><ul><li>Preparo psicológico é uma questão de persuadir o aluno de que ele pode e deve ter um papel mais ativo e independente; é mostrar que o professor está com ele no momento da aula, mas que há fontes extra-classe para obtenção de conhecimento; </li></ul></ul><ul><ul><li>Preparo Metodológico é feito por meio do ensino de técnicas/ estratégias de aprendizagem além de fornecer oportunidade de prática mais independente; </li></ul></ul>
  21. 21. Aprender a Aprender <ul><li>Alunos fracos assim como os alunos eficientes fazem uso de estratégias cognitivas (maneiras conscientes de lidar com as tarefas de aprendizagem). </li></ul><ul><li>O que distingue os fracos dos bons aprendizes é, parcialmente, uma questão de os últimos utilizarem as estratégias metacognitivas. (usadas para controlar o processo de aprendizagem) por exemplo: </li></ul><ul><ul><li>a. identificar a atividade; </li></ul></ul><ul><ul><li>b. selecionar a estratégia cognitiva apropriada; </li></ul></ul><ul><ul><li>c. monitorar o uso desta; </li></ul></ul><ul><ul><li>d. verificar se a atividade está completa e </li></ul></ul><ul><ul><li>e. avaliar a eficácia da aprendizagem. </li></ul></ul>
  22. 22. Aprender a |Aprender Brown and Palincsar (1982) <ul><ul><li>Aprendizes que sabem o que é uma </li></ul></ul><ul><ul><li>estratégia, para que e como ela é utilizada </li></ul></ul><ul><ul><li>e também que ela auxilia na realização das atividades de aprendizagem </li></ul></ul><ul><ul><li>(informed training) </li></ul></ul><ul><ul><li>VS. </li></ul></ul><ul><ul><li>Aprendizes que sabem o que é uma estratégia, mas não lhes disseram como ela pode ajuda-los (blind training). </li></ul></ul><ul><ul><li>Os que tiveram informed training fizeram uso mais eficiente da estratégias do que os que tiveram blind training . Entretanto, os alunos que tiveram a oportunidade de praticar o uso da estratégia e monitorar seus efeitos (auto-controle) tiveram um resultado melhor com a estratégia específica. </li></ul></ul>
  23. 23. Aprendendo a Aprender <ul><li>Gremmo (1998) </li></ul><ul><li>Questionar o modelo tradicional de ensino: a melhor maneira para os alunos aprenderem é se colocarem nas mãos de um expert que fornecerá o conhecimento e o know-how necessários para que eles melhorem o seu desempenho. </li></ul>
  24. 24. Aprendendo a Aprender <ul><li>professores não são mais os únicos capazes de fornecer prática lingüística: a televisão a cabo, a rede internet , os cassetes, CD-roms , self-access centres, dentre outros recursos; </li></ul><ul><li>necessidade de mudanças de foco do ensino mais centralizado no professor para um mais centrado nos alunos; </li></ul><ul><li>Estes devem assumir uma parcela maior de responsabilidade pela própria aprendizagem. </li></ul>
  25. 25. Aprendendo a Aprender <ul><li>ensina-se para que o indivíduo se torne capaz de aprender sem depender exclusivamente do professor. </li></ul><ul><li>O educador deve mudar o seu papel tradicional de “the authority from whom all knowledge flows” (Armanet & Obese-jecty, 1981, p.26) para o daquele que mediará e fornecerá os meios para o processo de autonomia dos aprendizes. </li></ul>
  26. 26. Aprendendo a Aprender <ul><li>Para assumir esse novo papel, o professor também deve ser “treinado”, isto é, não se deve assumir que o professor possui o conhecimento necessário para implementar o treinamento de aprendizes se eles não tiverem esse componente em cursos de formação. </li></ul>
  27. 27. ESTRATÉGIAS DE APRENDIZAGEM: Aprendendo a aprender Eliane Carolina de Oliveira

×