Ensino e Aprendizagem de Línguas Estrangeiras:  utilizando tecnologias do passado, do presente e do futuro   Profª. Drª. E...
<ul><li>Como você passa as horas em uma típica semana da sua vida? </li></ul><ul><li>Quantas horas por semana você gasta…?...
<ul><li>Como seu aluno/sua aluna passa as horas uma típica semana da vida dele/a? </li></ul><ul><li>Quantas horas por sema...
 
 
 
 
 
 
 
&quot;O inventor desse sistema merece ser classificado entre os melhores contribuintes à aprendizagem e à ciência, se não ...
 
10.000
350
50/60
<ul><li>Tecnologia </li></ul><ul><ul><li>Ao conjunto de conhecimentos e princípios científicos que se aplicam ao planejame...
E na escola, na sala de aula...?
 
<ul><li>E no ensino de línguas estrangeiras? </li></ul>
Uma visão dos estudantes de hoje
<ul><li>Fora do espa ço escolar… </li></ul><ul><ul><li>a televisão a cabo, as revistas e jornais, impressos ou virtuais, o...
Professores, Alunos e Tecnologias   <ul><li>Resistência </li></ul><ul><li>Descrença </li></ul><ul><li>Indiferença </li></u...
Professores, Alunos e Tecnologias   <ul><li>Atitudes:   </li></ul><ul><li>Tradicionais -Oposição </li></ul><ul><li>Resiste...
Professores, Alunos e Tecnologias   Você quer que eu te mostre como usar o Power Point? Minhas Férias Não posso só mandar ...
Os Papéis do Professor  Paradigma educacional atual X paradigma emergente.  Adaptado de Queiroz e Mustaro (1999) Local de ...
Os Papéis do Professor Flexível e de estrutura aberta que pode direcionar para múltiplos caminhos Pré-estabelecido e de fo...
Os Papéis do Professor Tanto o professor quanto os alunos as utilizam – o que possibilita a troca de conhecimento e idéias...
Eras tecnológicas   <ul><li>Todas as eras foram, portanto, cada uma à sua maneira, &quot;Eras tecnológicas&quot; (KENSKI, ...
Tempo de incorporação de uma inovação tecnológica  50 milhões de usuários 4 anos 1995 e 1999 internet 13 anos 1983 celular...
A tecnologia se integra de tal forma ao nosso cotidiano que deixa de ser vista como algo a ser temido.   Normalização   (B...
Normalização   (Bax, 2003) <ul><ul><li>7 estágios  na normalização das atividades de ensino de línguas mediadas por comput...
<ul><ul><li>●  4.  nova tentativa: alguém os convenceu que a tecnologia funciona; vantagens relativas.  </li></ul></ul><ul...
 
Eras tecnológicas   <ul><li>Paiva (2008) </li></ul><ul><ul><li>livro </li></ul></ul><ul><ul><li>som </li></ul></ul><ul><ul...
Eras tecnológicas   <ul><li>Paiva (2008) </li></ul><ul><ul><li>gramáticas </li></ul></ul><ul><ul><li>livros com imagens </...
Eras tecnológicas   <ul><li>Paiva (2008) </li></ul><ul><ul><li>tecnologias de áudio e vídeo </li></ul></ul>
 
Lévy (1997)   Computador tutor ferramenta
Lévy (1997)   <ul><li>O computador como  tutor   : </li></ul><ul><ul><li>professor substituto. </li></ul></ul><ul><ul><li>...
 
Lévy (1997)   <ul><li>O computador como ferramenta instrucional: </li></ul><ul><ul><li>sua função não é necessariamente fo...
Lévy (1997)   <ul><li>O computador como ferramenta instrucional: </li></ul><ul><ul><li>não possui a natureza avaliativa do...
<ul><li>Autonomia  não é : </li></ul><ul><ul><li>sinônimo de auto-instrução; </li></ul></ul><ul><ul><li>o aluno como auto-...
<ul><li>Autonomia é  </li></ul><ul><ul><li>o aprendiz ganhar mais e mais independência;  </li></ul></ul><ul><ul><li>se tor...
<ul><li>A autonomia do aprendiz envolve idéias como:  </li></ul><ul><li>o professor ... </li></ul><ul><ul><li>se tornando ...
<ul><ul><li>incentivando-os a tomar decisões sobre o que aprender;  </li></ul></ul><ul><ul><li>conscientizando-os de seus ...
Possibilidades dos recursos tecnológicos
Possibilidades dos recursos tecnológicos
Possibilidades dos recursos tecnológicos <ul><ul><li>Trabalhando offline </li></ul></ul><ul><ul><li>processador de texto (...
Possibilidades dos recursos tecnológicos <ul><ul><li>Trabalhando offline </li></ul></ul><ul><ul><li>   editor de slides (...
<ul><ul><li>Lista/Grupos de discussão </li></ul></ul><ul><ul><li>Blogs I </li></ul></ul><ul><ul><li>Blogs II </li></ul></u...
 
  a imagem confere realismo e aproxima as pessoas voz e vídeo simultâneos até 5 grupos em simultâneo   chat de grupo (1 X ...
 
  ●  a imagem enriquece a comunicação   ●  ouvir  e  falar:  chat de voz   ●  ler  e  escrever:  chat de texto   ●  &quot;...
Comentários Finais <ul><li>●  todas estas ferramentas trazem vantagens evidentes para a formação profissional e o ensino d...
<ul><li>Educar é  estar   mais   atento   às   possibilidades   do   que   aos   limites .   </li></ul><ul><li>Educar é pr...
Referências <ul><li>BAX, S. CALL – past, present and future.  System , v. 31, p. 13-28, 2003.  </li></ul><ul><li>CORRÊA, J...
Navegar é Preciso.
Ensino e Aprendizagem de Línguas Estrangeiras: utilizando tecnologias do passado, do presente e do futuro     Profª. Drª. ...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Especialização tecnologias do passado, do presente e do futuro

1.861 visualizações

Publicada em

Apresentação feita na primeira aula da disciplina Ensino e Aprendizagem de Língua Mediados por Computador

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.861
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
21
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Especialização tecnologias do passado, do presente e do futuro

  1. 1. Ensino e Aprendizagem de Línguas Estrangeiras:  utilizando tecnologias do passado, do presente e do futuro Profª. Drª. Eliane Carolina de Oliveira – UFG Profª. MsC Margarida Rosa Alvares - UFG
  2. 2. <ul><li>Como você passa as horas em uma típica semana da sua vida? </li></ul><ul><li>Quantas horas por semana você gasta…? </li></ul><ul><ul><li>comendo </li></ul></ul><ul><ul><li>dormindo </li></ul></ul><ul><ul><li>indo de um lugar para outro </li></ul></ul><ul><ul><li>trabalhando </li></ul></ul><ul><ul><li>… </li></ul></ul><ul><li>Com quais recursos tecnológicos você tem contato durante a semana? </li></ul>
  3. 3. <ul><li>Como seu aluno/sua aluna passa as horas uma típica semana da vida dele/a? </li></ul><ul><li>Quantas horas por semana ele/ela gasta…? </li></ul><ul><ul><li>comendo </li></ul></ul><ul><ul><li>dormindo </li></ul></ul><ul><ul><li>estudando (na escola) </li></ul></ul><ul><ul><li>fazendo tarefa (em casa) </li></ul></ul><ul><ul><li>assistindo TV </li></ul></ul><ul><ul><li>conversando com colegas </li></ul></ul><ul><ul><li>… </li></ul></ul><ul><li>Com quais recursos tecnológicos ele/ela tem contato durante a semana? </li></ul>
  4. 11. &quot;O inventor desse sistema merece ser classificado entre os melhores contribuintes à aprendizagem e à ciência, se não o maior benfeitor da humanidade.&quot; Josiah F. Bumstead - 1841
  5. 13. 10.000
  6. 14. 350
  7. 15. 50/60
  8. 16. <ul><li>Tecnologia </li></ul><ul><ul><li>Ao conjunto de conhecimentos e princípios científicos que se aplicam ao planejamento, à construção, à utilização de um equipamento em um determinado tipo de atividade, chamamos de “tecnologia” (KENSKI, 2007, p. 24) </li></ul></ul><ul><ul><li>Conjunto de conhecimentos específicos, acumulados ao longo da história sobre as diversas maneiras de se utilizar os ambientes físicos e seus recursos materiais em benefício da humanidade (SILVA, 2005) </li></ul></ul><ul><ul><li>Qualquer ferramenta ou técnica, produto ou processo, equipamento físico ou método de fazer ou realizar, pelos quais a habilidade humana é ampliada (SCHÖN, 1967) </li></ul></ul>
  9. 17. E na escola, na sala de aula...?
  10. 19. <ul><li>E no ensino de línguas estrangeiras? </li></ul>
  11. 20. Uma visão dos estudantes de hoje
  12. 21. <ul><li>Fora do espa ço escolar… </li></ul><ul><ul><li>a televisão a cabo, as revistas e jornais, impressos ou virtuais, os CDs ROM, os DVDs e a rede Internet </li></ul></ul><ul><ul><li>desenvolvimento tecnológico contribui enormemente para a divulgação das práticas de autonomia: o aparelho de som, gravador, o xerox, a TV e o vídeo, e mais recentemente o computador oferecem oportunidades de acesso e prática da língua estrangeira </li></ul></ul>
  13. 22. Professores, Alunos e Tecnologias   <ul><li>Resistência </li></ul><ul><li>Descrença </li></ul><ul><li>Indiferença </li></ul><ul><li>Receio </li></ul><ul><li>Ansiedade </li></ul><ul><li>Ceticismo </li></ul>Você A Tecnologia A batalha que enfrentamos
  14. 23. Professores, Alunos e Tecnologias   <ul><li>Atitudes: </li></ul><ul><li>Tradicionais -Oposição </li></ul><ul><li>Resistentes - Recusa </li></ul><ul><li>Deslumbrados </li></ul><ul><li>Usuários </li></ul><ul><ul><li>Inovadores </li></ul></ul><ul><ul><li>Moderados </li></ul></ul><ul><ul><li>Dependentes </li></ul></ul>Acho que está certo, mas deixe-me verificar.
  15. 24. Professores, Alunos e Tecnologias   Você quer que eu te mostre como usar o Power Point? Minhas Férias Não posso só mandar o link do meu blog?
  16. 25. Os Papéis do Professor Paradigma educacional atual X paradigma emergente. Adaptado de Queiroz e Mustaro (1999) Local de construção e troca de conhecimento Local de transmissão de conhecimento Sala de aula Interage com os conteúdos e os grupos e aprende de forma autônoma Recebe os conhecimentos passivamente Aluno Guia os estudos Possui e transmite o conhecimento Professor Como poderia ser Como é atualmente Em relação à (ao)
  17. 26. Os Papéis do Professor Flexível e de estrutura aberta que pode direcionar para múltiplos caminhos Pré-estabelecido e de formato rígido e restrito Conteúdo Curricular Agradável (conduz ao crescimento) Obrigatório, passível de punição Aprendizado e Estudo Processo de troca entre os membros do grupo que é integrado pelo professor Processo de transmissão hierárquica do professor para o aluno Experiência Educacional Como poderia ser Como é atualmente Em relação à (ao)
  18. 27. Os Papéis do Professor Tanto o professor quanto os alunos as utilizam – o que possibilita a troca de conhecimento e idéias São utilizadas pelo professor que estrutura suas aulas antecipadamente Uso das Novas Tecnologias de Comunicação A máquina é vista como um elemento estimulador da aprendizagem O professor teme ser substituído pela máquina instrucional Tecnologia e Informática Educacional Fazem parte do ambiente espacial da sala de aula e apresentam diferentes tipos de mídia integrada e simultânea. Utilizadas somente para chamar a atenção para certo tópico e torná-lo, dessa forma, mais “interessante” Novas Tecnologias de Comunicação Como poderia ser Como é atualmente Em relação à (ao)
  19. 28. Eras tecnológicas <ul><li>Todas as eras foram, portanto, cada uma à sua maneira, &quot;Eras tecnológicas&quot; (KENSKI, 2004) </li></ul>
  20. 29. Tempo de incorporação de uma inovação tecnológica 50 milhões de usuários 4 anos 1995 e 1999 internet 13 anos 1983 celular 16 1975 microcomputador 26 1926 televisão 22 1906 rádio três décadas 1876 telefone 35 anos 1886 automóvel depois de 46 anos de existência 1873 eletricidade
  21. 30. A tecnologia se integra de tal forma ao nosso cotidiano que deixa de ser vista como algo a ser temido. Normalização (Bax,2003; Chambers e Bax, 2006)
  22. 31. Normalização (Bax, 2003) <ul><ul><li>7 estágios na normalização das atividades de ensino de línguas mediadas por computador. </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>1. primeiros adeptos e alguns poucos professores e escolas adotam a tecnologia por curiosidade; </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>2. a maioria das pessoas ignora a tecnologia ou demonstra ceticismo; </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>3. experimentam a tecnologia, mas rejeitam o novo frente aos primeiros obstáculos; </li></ul></ul></ul>
  23. 32. <ul><ul><li>● 4. nova tentativa: alguém os convenceu que a tecnologia funciona; vantagens relativas. </li></ul></ul><ul><ul><li>● 5. mais pessoas começam a usar a nova ferramenta; ainda existe medo ou expectativas exageradas. </li></ul></ul><ul><ul><li>● 6. a tecnologia passa a ser vista como algo normal; </li></ul></ul><ul><ul><li>● 7 . integra-se em nossas vidas e se torna invisível, normalizada. </li></ul></ul>Normalização (Bax, 2003)
  24. 34. Eras tecnológicas <ul><li>Paiva (2008) </li></ul><ul><ul><li>livro </li></ul></ul><ul><ul><li>som </li></ul></ul><ul><ul><li>imagem </li></ul></ul>
  25. 35. Eras tecnológicas <ul><li>Paiva (2008) </li></ul><ul><ul><li>gramáticas </li></ul></ul><ul><ul><li>livros com imagens </li></ul></ul>
  26. 36. Eras tecnológicas <ul><li>Paiva (2008) </li></ul><ul><ul><li>tecnologias de áudio e vídeo </li></ul></ul>
  27. 38. Lévy (1997) Computador tutor ferramenta
  28. 39. Lévy (1997) <ul><li>O computador como tutor : </li></ul><ul><ul><li>professor substituto. </li></ul></ul><ul><ul><li>fundamentos do behaviorismo. </li></ul></ul><ul><ul><li>prática em exercícios do tipo repetição (drills) ou lúdicos (games). </li></ul></ul><ul><ul><li>provê o feedback apropriado. </li></ul></ul><ul><ul><li>aprendiz produzir formas e respostas previamente estabelecidas. </li></ul></ul><ul><ul><li>apesar de participar ativamente do processo, o aprendiz tende a não iniciar interações, apenas a produzir respostas. </li></ul></ul>
  29. 41. Lévy (1997) <ul><li>O computador como ferramenta instrucional: </li></ul><ul><ul><li>sua função não é necessariamente fornecer material linguístico, mas facilitar para o aprendiz o uso ou entendimento da língua. </li></ul></ul><ul><ul><li>Exemplos: processadores de texto, verificadores de gramática e ortografia, programas de publicação, dicionários online etc. </li></ul></ul>
  30. 42. Lévy (1997) <ul><li>O computador como ferramenta instrucional: </li></ul><ul><ul><li>não possui a natureza avaliativa do papel de tutor . </li></ul></ul><ul><ul><li>o professor é o elemento chave. </li></ul></ul><ul><ul><li>preparar o aluno para utilizar de forma eficaz os recursos computacionais. </li></ul></ul><ul><ul><li>auxiliar e orientar o aprendiz em busca de um papel mais autônomo. </li></ul></ul>
  31. 43. <ul><li>Autonomia não é : </li></ul><ul><ul><li>sinônimo de auto-instrução; </li></ul></ul><ul><ul><li>o aluno como auto-didata. </li></ul></ul><ul><ul><li>aprender sem um professor. </li></ul></ul><ul><ul><li>um novo método: </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>colocar MP3/CD/IPOD debaixo do travesseiro, dormir e acordar bilíngue. </li></ul></ul></ul>
  32. 44. <ul><li>Autonomia é </li></ul><ul><ul><li>o aprendiz ganhar mais e mais independência; </li></ul></ul><ul><ul><li>se tornar mais e mais capaz de controlar seu próprio aprendizado; </li></ul></ul><ul><ul><li>ter a habilidade de tomar decisões por conta própria e cumpri-las; </li></ul></ul><ul><ul><li>ter responsabilidade para com sua própria aprendizagem, ao invés de ser dependente do professor. </li></ul></ul>
  33. 45. <ul><li>A autonomia do aprendiz envolve idéias como: </li></ul><ul><li>o professor ... </li></ul><ul><ul><li>se tornando menos um instrutor e mais um facilitador; </li></ul></ul><ul><ul><li>desencorajando os estudantes de tê-lo como a fonte principal de conhecimento; </li></ul></ul><ul><ul><li>incentivando os estudantes de sua capacidade para aprender por sua própria conta; </li></ul></ul>
  34. 46. <ul><ul><li>incentivando-os a tomar decisões sobre o que aprender; </li></ul></ul><ul><ul><li>conscientizando-os de seus próprios estilos de aprendizagem; </li></ul></ul><ul><ul><li>incentivando-os a desenvolver suas próprias estratégias de aprendizagem. </li></ul></ul>
  35. 47. Possibilidades dos recursos tecnológicos
  36. 48. Possibilidades dos recursos tecnológicos
  37. 49. Possibilidades dos recursos tecnológicos <ul><ul><li>Trabalhando offline </li></ul></ul><ul><ul><li>processador de texto (word) </li></ul></ul><ul><ul><li>Correção de ortografia </li></ul></ul><ul><ul><li>Opções de auto-correção </li></ul></ul><ul><ul><li>Inserção de imagem </li></ul></ul><ul><ul><li>Inserção de comentários </li></ul></ul><ul><ul><li>Inserção de notas </li></ul></ul><ul><ul><li>Inserção de cabeçalho e rodapés </li></ul></ul><ul><ul><li>Inserção de número de páginas </li></ul></ul><ul><ul><li>Inserção de índice </li></ul></ul><ul><ul><li>Inserção de autoformas (exemplo setas) </li></ul></ul><ul><ul><li>Inserção de hiperlinks internos e externos </li></ul></ul><ul><ul><li>Inserção de bordas e sombreamentos </li></ul></ul><ul><ul><li>Inserção de tabelas </li></ul></ul><ul><ul><li>Marcadores e numeração </li></ul></ul><ul><ul><li>Divisão do texto em colunas </li></ul></ul><ul><ul><li>Classificação em ordem alfabética </li></ul></ul>
  38. 50. Possibilidades dos recursos tecnológicos <ul><ul><li>Trabalhando offline </li></ul></ul><ul><ul><li> editor de slides (power point) </li></ul></ul><ul><ul><li>programa de planilha eletrônica (excel) </li></ul></ul><ul><ul><li>programa de edição de vídeo (movie maker) </li></ul></ul><ul><ul><li>ferramenta de editoração (publisher) </li></ul></ul>
  39. 51. <ul><ul><li>Lista/Grupos de discussão </li></ul></ul><ul><ul><li>Blogs I </li></ul></ul><ul><ul><li>Blogs II </li></ul></ul><ul><ul><li>Blogs III </li></ul></ul><ul><ul><li>Podcast </li></ul></ul><ul><ul><li>Slideshare </li></ul></ul>Possibilidades dos recursos tecnológicos
  40. 53.   a imagem confere realismo e aproxima as pessoas voz e vídeo simultâneos até 5 grupos em simultâneo   chat de grupo (1 X muitos)   arquivo automático de todos as comunicações   chat individual (1 X 1)     download e utilização em minutos   &quot;3 em 1&quot;: texto, voz e vídeo  
  41. 55.   ● a imagem enriquece a comunicação   ● ouvir e falar: chat de voz   ● ler e escrever: chat de texto   ● &quot;4 em 1&quot;: permite utilizar as 4 competências básicas   Vantagens para o ensino de línguas estrangeiras  
  42. 56. Comentários Finais <ul><li>● todas estas ferramentas trazem vantagens evidentes para a formação profissional e o ensino de línguas, quer híbrido/misto ou à distância; </li></ul><ul><li>● todas podem ser usadas de diferentes maneiras: a imaginação é o limite! </li></ul><ul><li>● vale a pena integrá-las na prática diária, seja no ensino básico ou no superior. </li></ul> 
  43. 57. <ul><li>Educar é estar mais atento às possibilidades do que aos limites . </li></ul><ul><li>Educar é procurar chegar ao aluno por todos os caminhos possíveis: pela experiência, pela imagem, pelo som, pela representação (dramatizações, simulações), pela multimídia. </li></ul><ul><li>É partir de onde o aluno está, ajudando-o a ir do concreto ao abstrato, do presencial para o virtual, da dependência para a autonomia. (Moran, 2000) </li></ul>
  44. 58. Referências <ul><li>BAX, S. CALL – past, present and future. System , v. 31, p. 13-28, 2003. </li></ul><ul><li>CORRÊA, J. Novas Tecnologias da Informação e da Comunicação: novas estratégias de ensino/aprendizagem. In: COSCARELLI, C. V. Novas Tecnologias, Novos Textos, Novas Formas de Pensar . 2ª edição, Autêntica: Belo Horizonte, 2003. p. 43-50. </li></ul><ul><li>GREMMO, M. Learner Autonomy: defining a new pedagogical relationship. Forum for Modern Languages Studies . v. XXXIC, n. 2, 1998. </li></ul><ul><li>JOHNSON, M. Thinking about the Future. Electronic School , v. 47, p. 16-23, 2000. Disponível em <http://www.electronic-school.com/2000/01/0100flpart1.html> acesso em 12/07/2004. </li></ul><ul><li>LEFFA, V. L. O Computador e o Ensino de Línguas Estrangeiras. In: LEFFA, V. J. (compilador) CD TELA (Textos em Lingüística Aplicada). Publicação Eletrônica de Linguagem e Ensino, Curso de Mestrado em Letras, Universidade Federal de Pelotas, 2000. p. 43-51. </li></ul><ul><li>KENSKI, V. M. Educação e Tecnologias : o novo ritmo da informação. Campinas:SP Papirus, 2007. </li></ul><ul><li>LÉVY, M. Computer Assisted Language Learning – context and conceptualization. Oxford: Oxford University Press, 1997. </li></ul><ul><li>MORAN COSTAS, J. M. Mudar a forma de ensinar e de aprender com tecnologias. Interações (Universidade São Marcos), São Paulo, v. V, n. 9, p. 57-72, 2000. </li></ul><ul><li>SCHÖN, D. Technology and change : The new Heraclitus. Oxford: Pergamon. 1967 . </li></ul><ul><li>SILVA, K. V; SILVA, M. H. Dicionário de Conceitos Históricos . 1. ed. São Paulo: Contexto, 2005. 439 p. </li></ul><ul><li>WARSCHAUER, M. A Developmental Perspective on Technology in Language Education. TESOL QUARTERLY , v. 36, n. 3, p. 453-475, 2002. </li></ul>
  45. 59. Navegar é Preciso.
  46. 60. Ensino e Aprendizagem de Línguas Estrangeiras: utilizando tecnologias do passado, do presente e do futuro Profª. Drª. Eliane Carolina de Oliveira – UFG Profª. MsC Margarida Rosa Alvares - UFG

×