FenóMenos FonéTicos

15.772 visualizações

Publicada em

Publicada em: Tecnologia, Educação
0 comentários
4 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
15.772
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3.548
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
284
Comentários
0
Gostaram
4
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

FenóMenos FonéTicos

  1. 1. Fenómenos fonéticos
  2. 2. Fenómenos de supressão de segmentos <ul><li>Aférese – supressão de fonemas iniciais, que deixam de ser pronunciados </li></ul><ul><ul><li>Episcopu > bispo </li></ul></ul><ul><ul><li>Está > tá </li></ul></ul>
  3. 3. Fenómenos de supressão de segmentos <ul><li>Síncope – supressão de um fonema no meio da palavra </li></ul><ul><ul><li>Animales > animaes > animais </li></ul></ul><ul><ul><li>Pede > pé </li></ul></ul>
  4. 4. Fenómenos de supressão de segmentos <ul><li>Apócope – supressão de um segmento no final da palavra </li></ul><ul><ul><li>Rosam > rosa </li></ul></ul><ul><ul><li>Et > e </li></ul></ul>
  5. 5. Fenómenos de adição ou inserção de segmentos <ul><li>Prótese – inserção de fonemas no início da palavra </li></ul><ul><ul><li>Spiritu > espíritos </li></ul></ul><ul><ul><li>Scribere > escrever </li></ul></ul><ul><ul><li>Popularmente: mandar > amandar </li></ul></ul>
  6. 6. Fenómenos de adição ou inserção de segmentos <ul><li>Epêntese – inserção de um fonema no meio da palavra </li></ul><ul><ul><li>Humile > humilde </li></ul></ul>
  7. 7. Fenómenos de adição ou inserção de segmentos <ul><li>Paragoge – inserção de um fonema no final da palavra </li></ul><ul><ul><li>Ante > antes </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>As formas populares amore e flore documentam a mesma tendência </li></ul></ul></ul>
  8. 8. Fenómenos de alteração de segmentos <ul><li>Nasalisação – quando as consoantes –n- ou –m- tornam nasal uma vogal oral </li></ul><ul><ul><li>Canes > caes >cães </li></ul></ul><ul><ul><li>Manus > mãos </li></ul></ul>
  9. 9. Fenómenos de alteração de segmentos <ul><li>Desnazalização – quando a ressonância nasal desaparece </li></ul><ul><ul><li>Luna > l~ua > lua </li></ul></ul><ul><ul><li>Pode encontrar-se uma forma nasal intermédia , nos textos arcaicos, ~ua em vez de uma </li></ul></ul>
  10. 10. Fenómenos de alteração de segmentos <ul><li>Vocalização – quando acontece a passagem de uma consoante vogal. </li></ul><ul><ul><li>Actu > auto </li></ul></ul><ul><ul><li>Multu > muito – além da vocalização, há também uma nasalização, na oralidade </li></ul></ul>
  11. 11. Fenómenos de alteração de segmentos <ul><li>Contracção </li></ul><ul><ul><li>Legere > leer > ler – duas vogais em hiato contrairam-se numa só – crase </li></ul></ul><ul><ul><li>Lege > lee > lei – duas vogais contrairam-se num ditongo - sinérese </li></ul></ul>
  12. 12. Fenómenos de alteração de segmentos <ul><li>Assimilação – sempre que dois fonemas contíguos se tornam iguais ou semelhantes </li></ul><ul><ul><li>Nostru > nosto > nosso </li></ul></ul>
  13. 13. Fenómenos de alteração de segmentos <ul><li>Dissimilação – dois fonemas iguais diferenciam-se. </li></ul><ul><ul><li>Liliu > lírio </li></ul></ul><ul><ul><li>Ministro > menistro na oralidade </li></ul></ul>
  14. 14. Fenómenos de alteração de segmentos <ul><li>Palatalização – evolução de um grupo de fonemas para um som palatal (língua toca no palato). </li></ul><ul><ul><li>Filiu > filho </li></ul></ul><ul><ul><li>Seniore > senhor </li></ul></ul><ul><ul><li>Clamare > chamar </li></ul></ul>
  15. 15. Fenómenos de alteração de segmentos <ul><li>Sonorização – quando consoantes surdas em posição intervocálica se tornam sonoras. </li></ul><ul><ul><li>Focu > fogo </li></ul></ul><ul><ul><li>Totu > todo </li></ul></ul><ul><ul><li>Facere > fazer </li></ul></ul>
  16. 16. Fenómenos de alteração de segmentos <ul><li>Metátese – permuta de fonemas com a transposição de segmentos no interior da palavra. </li></ul><ul><ul><li>Semper > sempre </li></ul></ul><ul><ul><li>Frol > flor </li></ul></ul>
  17. 17. Palavras divergentes e convergentes <ul><li>Palavras divergentes – provêm do mesmo étimo latino, mas entraram na língua por vias diferentes: </li></ul><ul><ul><li>Plenu: originou pleno por via erudita e cheio por via popular </li></ul></ul><ul><ul><li>Mácula : mágoa , mancha , malha por via popular </li></ul></ul>
  18. 18. Palavras divergentes e convergentes <ul><li>Palavras convergentes- provêm de étimos diferentes, dando origem à homonímia: </li></ul><ul><ul><li>Sanu > são (adjectivo) </li></ul></ul><ul><ul><li>Sunt > são ( forma verbal) </li></ul></ul><ul><ul><li>Sanctu > São (adjectivo) </li></ul></ul>

×