Duratex - Resultados do 3º Trimestre de 2011

479 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
479
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
4
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Duratex - Resultados do 3º Trimestre de 2011

  1. 1. Apresentação CorporativaApresentação Corporativa3° trimestre 2011 2011 3° trimestre
  2. 2. 60 anos DURATEX 2
  3. 3. Histórico 1950-2000 2001-2008 2009 2010 2011•1951: Fundação •2002: Fábrica de •Associação com • Aquisição de • Aquisição da MDF/HDF/SDF em Satipel:Criação da terras com Elizabeth•1954-1961: Início da Botucatu maior empresa de florestas plantadas fabricação de painéis do em São Paulo chapas • 2 novas plantas•1972: Incorporação • 2005: Nível 1 do Hemisfério Sul MDF DECA índice de • Início das Governança • NOVO MERCADO operações da•1981-1995: Aquisição Corporativa da planta de resina • Bonificação de Louçasul, unidade Bovespa 20% em ações •Expansão Taquari Itapetininga, Agudos , Argentina Piazza • 2008- Aquisição Hermanos Ideal Standard e•1997: Primeira Cerâmica Monte fábrica de MDF no Carlo Brasil 3
  4. 4. Duratex 60 anos “Comemoração dos 60 anos com arte, música e educação ambiental”. Temporada de Concertos Duratex 60 anos 12 concertos com Maestro João Carlos Martins e Filarmônica Bachiana nos municípios que sediam unidades fabris e florestais. Já foram realizadas 9 apresentações que reuniram mais de 25 mil pessoas. Rino ManiaProjeto cultural de incentivo a jovens artistas.Exposição de 60 esculturas em São Paulo e umaexposição itinerante com 15 esculturas quepercorreu 11 cidades brasileiras, onde a Duratexpossui unidades industriais e florestais.Em 27.10.11 as esculturas foram leiloadas e atotalidade dos recursos obtidos, R$564,5mil, foram destinados a instituições de caridade 4
  5. 5. Governança Corporativa 5
  6. 6. Estrutura acionária Acionistas Quantidade de Ações Set/11 Percentual Controladores 317.374.960 58% Ações em tesouraria 1.849.486 0% Ações em circulação 230.810.885 42% Total de ações 550.035.331 100% Base 30/09/2011 Principais Grupos de Acionistas em setembro 2011 • 100% de ações ordinárias. 1 ação, 1 voto • Tag along de 100% Tesouraria 0,3% • Política de dividendos: 30% do lucro líquido ajustado Investidores • Aderiu a Câmara de Arbitragem da BM&FBOVESPA Estrangeiros 26,3% Itaúsa* • Existência de Comitês do Conselho de Administração 39,9% o Comitê de Auditoria e Gerenciamento de Risco* Outros o Comitê de Pessoas, Governança e Nomeação* Investidores Locais o Comitê de Sustentabilidade* 13,5% Fundos de o Comitê para Avaliação de Transações com Partes Relacionadas Pensão (composto apenas por membros independentes) 2,2% Ligna* 17,8% o Comitê de Divulgação e Negociação (liderado pelo Diretor de RI) * Inclusa a participação das famílias* Presididos por membros independentes 6
  7. 7. Desempenho dos negócios 7
  8. 8. Reconciliação do Ativo e Patrimônio LíquidoATIVO TOTAL 3ºtri/11 2ºtri/11 3ºtri/10Anterior aos ajustes IFRS (em R$000) 5.553.312 5.503.248 4.821.099 Combinação de Negócios 733.919 744.274 763.790 Ativo Biológico 327.275 326.188 329.614 Benefícios a Empregados 77.274 69.881 64.061 Demais Ajustes 2.873 2.873 (8.473)Após Ajustes IFRS 6.694.653 6.646.464 5.970.091 Variação 1.141.341 1.143.216 1.148.992PATRIMÔNIO LÍQUIDO 3ºtri/11 2ºtri/11 3ºtri/10Anterior aos ajustes IFRS (em R$000) 2.800.726 2.732.339 2.544.143 Combinação de Negócios 550.514 549.068 560.191 Ativo Biológico 216.001 215.284 217.545 Benefícios a Empregados 51.001 46.121 42.280 Demais Ajustes 19.795 19.450 37.109Após Ajustes IFRS 3.638.037 3.562.262 3.401.268 Variação 837.311 829.923 857.125 8
  9. 9. Reconciliação do Lucro Líquido (R$ milhões) Lucro LíquidoLUCRO LÍQUIDO (em R$’000) 3ºtri/11 2ºtri/11 3ºtri/10 Jan-Set/11 Jan-Set/10Anterior aos ajustes IFRS 117.257 108.268 118.385 303.420 310.878ROE 17,0% 16,0% 18,9% 14,9% 17,1% Combinação de Negócios (4.639) (2.919) (3.931) (11.630) (11.264) Ativo Biológico 717 (5.481) 28.611 (3.228) 32.368 Benefícios a Empregados 4.879 515 1.808 6.911 5.426 Demais Ajustes 0 0 7.564 0 (13.614)Após Ajustes IFRS 118.214 100.383 152.437 295.473 323.794 Evento Extraordinário (¹) (15.881) (9.284) (3.962) (25.165) (3.962)Lucro Líquido Recorrente em IFRS 102.333 91.099 148.475 270.308 319.832ROE Recorrente 11,4% 10,3% 17,7% 10,2% 13,1%(¹) 2º e 3º tri/11 e 3º tri/10: Venda de imobilizado, principalmente. Principais eventos que impactaram os resultados quando comparado c/2010 (não caixa) Ativo Biológico (aumento de preço da madeira em pé e área plantada em 2010) (27.893) (35.595) Aumento Depreciação (7.453) (22.889) TOTAL (35.346) (58.484) Lucro Líquido* (R$ milhões) e ROE* (%) 319,8 270,3 17,7% +12.3% 13,1% 11,4% 8,3% 10,2% 148,5 10,3% 138,2 102,3 91,1 9M09 9M10 9M11 3T10 2T11 2T09 3T11 *Recorrente 9
  10. 10. Receita Líquida Consolidada Receita Líquida (R$ milhões) e Margem Bruta* (%) Margem Bruta 34,4% 38,6% 34,6% 39,7% 34,9% 34,9% 2.200,8 2.022,2 1.309,5 +5,1% 703,3 751,2 789,8 9M09 9M10 9M11 3T10 2T11 3T11 Madeira 771,0 1.356,2 1.396,5 63% 472,6 480,7 502,1 64% Deca 538,5 666,0 804,3 37% 230,7 270,5 287,7 36%*Margem sem ativo biológico Distribuição geográfica das vendas 3T11 (%) Receita Líquida por área de atuação 3T11(%) Louças Mercado Sanitárias Externo 17,5% MDF/Piso 4,4% Laminado Metais 34,1% Sanitários Mercado 18,9% Interno 95,6% Componentes MDP 0,5% Chapa de 21,3% Fibra 7,7% 10
  11. 11. Reconciliação do EBITDA consolidado (Anterior ajustes IFRS)Anterior aos ajustes IFRSR$ 000 3ºtri/11 2ºtri/11 % 3ºtri/ 10 % Jan-Set/11 Jan-Set/10 %Lucro Operacional antes do Resultado 194.471 163.524 18,9 190.668 2,2 489.859 507.781 (3,5)Financeiro Depreciação/Amortização/Exaustão 65.750 68.442 (3,9) 54.764 20,1 191.816 158.468 21,0EBITDA 260.221 231.966 12,2 245.432 6,0 681.675 666.249 2,3Margem EBITDA 32,9% 30,9% - 34,9% - 31,0% 32,9% - Eventos Extraordinários (¹) (25.820) (14.068) - (6.004) - (39.888) (6.004) -EBITDA Recorrente 234.401 217.898 7,6 239.428 (2,1) 641.787 660.245 (2,8)Margem EBITDA Recorrente 29,7% 29,0% - 34,0% - 29,2% 32,6% -(¹) 2º e 3º tri/11 e 3º tri/10: Venda de imobilizado, principalmente. EBITDA recorrente (R$ milhões) 660,2 641,8 429,1 Deca 33% 239,4 217,9 234,4 Madeira 67% 9M09 9M10 9M11 3T10 2T11 3T11 11
  12. 12. Reconciliação do EBITDA consolidado (Após ajustes IFRS)Após ajustes IFRSR$ 000 3ºtri/11 2ºtri/11 % 3ºtri/ 10 % Jan-Set/11 Jan-Set/10 %Lucro Operacional antes do ResultadoFinanceiro 178.560 143.411 24,5 217.182 (17,8) 445.148 518.939 (14,2) Depreciação/Amortização/Exaustão 72.013 75.018 (4,0) 60.720 18,6 211.000 176.319 19,7 Variação do Valor Justo do Ativo Biológico (37.195) (27.693) 34,3 (72.509) (48,7) (100.490) (149.411) (32,7) Parcela da Exaustão do Ativo Biológico 36.108 35.998 0,3 29.159 23,8 105.381 100.369 5,0 Benefício a Empregados (7.393) (780) - (2.740) - (10.471) (8.222) -EBITDA 242.094 225.954 7,1 231.812 4,4 650.568 637.994 2,0Margem EBITDA 30,7% 30,1% - 33,0% - 29,6% 31,5% - Eventos Extraordinários (¹) (25.820) (14.068) - (6.004) - (39.888) (6.004) -EBITDA Recorrente 216.274 211.886 2,1 225.808 (4,2) 610.680 631.990 (3,4)Margem EBITDA Recorrente 27,4% 28,2% - 32,1% - 27,7% 31,3% -(¹) 2º e 3º tri/11 e 3º tri/10: Venda de imobilizado, principalmente. EBITDA recorrente (R$ milhões) 631,9 610,7 Deca 32% 314,2 225,8 211,9 216,3 Madeira 68% 9M09 9M10 9M11 3T10 2T11 3T11 12
  13. 13. Endividamento R$’000 3ºtri/11 2ºtri/11 Var. 3ºtri/10 Var. Endividamento Curto Prazo 584.854 531.969 52.885 410.432 174.422 Endividamento Longo Prazo 1.322.915 1.397.867 (74.952) 1.090.368 232.547 Endividamento Total 1.907.769 1.929.836 (22.067) 1.500.800 406.969 Caixa 710.992 759.763 (48.771) 452.899 258.093 Endividamento Líquido 1.196.777 1.170.073 26.704 1.047.901 148.876 Endividamento Líq.(R$ milhões) /PL (%) Endividamento Líq.(R$ milhões) /EBITDA (últimos 12 meses) 1,28 1,31 1,32 1.170,1 1.196,7 1.047,9 30,8% 32,8% 32,9% 3T10 2T11 3T11 Origem da Dívida(%) Cronograma de Amortização(R$’000) 710,9 643,4 Moeda Nacional 349,7 382,5 94% 320,9 211,2 Moeda * Estrangeira 6%*100% Swap p/CDI Caixa 2011 2012 2013 2014 2015 e após 13
  14. 14. CAPEX Consolidado (R$ milhões) 891,2 620,0e 427,0 459,6 196,7 423.3 Realizado até Set/11 2008 2009 2010 2011Capex Total Estimado 2011 R$ 620 milhõesDECA 210Madeira 276Florestal 29Plantio e Manutenção 93Outros 12 14
  15. 15. Localização das PlantasDivisão de negócios da Duratex responsável pela fabricação de painéis de madeira feitos a partir de pinus e eucalipto.6 PLANTASSão Paulo:- Itapetininga: MDP e nova plantade MDF (start-up 2013)- Agudos: 2 linhas de MDF, Piso eFábrica de Resinas (DRI)- Botucatu: Chapa de Fibra e MDFMinas Gerais:- Uberaba: MDF e MDPRio Grande do Sul:- Taquari: MDP 230 mil ha de terras: o SP – 62% o MG – 34% o RS – 4% 15
  16. 16. Destaques por divisãoCapacidade Instalada e Grau de Ocupação Expedições (em 000 m³) da Capacidade Disponível 3T11 1.742,9 1.713,2 MDF 88% +3.7% 917,2 +5.1% 590,1 582,1 611,7 MDP 87% CHAPA DE FIBRA 100% 9M09 9M10 9M11 3T10 2T11 3T11CAPACIDADE ANUAL (em ´000 m³) NOMINAL EFETIVA * DISPONÍVEL** Receita Líquida (R$ milhões) e Margem Bruta *% MDF 1.800 1.530 1.400 MDP 1.900 1.620 1.350 Margem Bruta 27,4% 40,1% 32,2% 36,1% 33,1% 32.6% Chapa de Fibra 210 195 195 1.356,2 1.396,5 Total 3.910 3.345 2.945*Capacidade efetiva anual da Duratex com base nas linhas já +6.2%instaladas, após os períodos de ramp-up e investimentos periféricos**Sem investimentos periféricos mencionados acima 771,0 +4.5% 472,6 480,7 502,1 Canais das vendas 3T11: Outros Construção 6% 9M09 9M10 9M11 3T10 2T11 3T11 Civil *Sem ativo biológico 15% Indústria Moveleira ] Revenda 53% 26% 16
  17. 17. Reconciliação do EBITDA(em R$’000) 3T11 2T11 % 3T10 % Jan-Set11 Jan-Set10 %Lucro Operacional antes do 119,2 90,4 31.9 150,0 (20.6) 271,7 338,6 (19,8)Financeiro Variação Valor Justo Ativo Biológico (37,2) (27,7) 34,3 (72,5) (48,7) (100,5) (149,4) (32,7)Exaustão da Variação Valor Justo Ativo 36,1 35,9 0,3 29,2 23,8 105,4 100,4 5,0 Biológico Depreciação, amortização e exaustão 59,9 61,8 (3,1) 50,7 18,8 173,5 146,8 18,2 Benefícios a empregados (4,8) (0,5) - (1,8) - (6,8) (5,5) -EBITDA 173,1 159,9 8,3 155,5 11,3 443,3 430,9 2,9Eventos Extraordinários (1) (25,8) (14,1) - (6,0) - (39,9) (6,0) -EBITDA recorrente 147,3 145,8 1,0 149,5 (1,5) 403,4 424,9 (5,1)Margem EBITDA recorrente 29,3% 30,3% - 31,6% - 28,9% 31,3% -Anterior aos ajustes IFRSEBITDA recorrente 158,1 147,9 6,8 157,8 0,2 420,2 441,5 (4,8)Margem EBITDA recorrente 31,5% 30,8% - 33,4% - 30,1% 32,6% -(1) 2º e 3º tri/11 e 3º tri/10: Venda de imobilizado, principalmente. 17
  18. 18. Mercado de painéis Consumo total de painéis no Brasil (Fonte ABIPA em „000 m³) MDF Capacidade efetiva disponível: 3.660 Mil m³/ano; Capacidade efetiva da indústria: 4.080 Mil m³/ano 2.972 +2,8% 2.263 2.352 2.224 2.287 2.037 1.861 +12,4% 1.413 +4,5% 740 796 832 2005 2006 2007 2008 2009 2010 9M10 9M11 3T10 2T11 3T11 MDP Capacidade efetiva disponível: 3.620 Mil m³/ano; Capacidade efetiva da indústria: 4.000 Mil m³/ano 2.885 +4.3% 2.548 2.633 2.431 2.186 2.157 2.250 2.102 +14,5% +6,3% 705 759 807 2005 2006 2007 2008 2009 2010 9M10 9M11 3T10 2T11 3T11*Capacidade efetiva anual da indústria com base nas linhas já instaladas, após os períodos de ramp-up e investimentos periféricos necessários. O volume de 2005-2008 refere-se ao consumo aparente que contempla os estoques e de 2009 em diante refere-se às vendas internas no país. 18
  19. 19. Localização das PlantasDivisão de negócios da Duratex responsável pela fabricação de metais sanitários, louças sanitárias e acessórios9 PLANTASBRASILSão Paulo:- Metais: São Paulo e Jundiaí- Cerâmica Sanitária: 2 plantas emJundiaíRio de Janeiro:- Cerâmica Sanitária: QueimadosRio Grande do Sul:- Cerâmica Sanitária: São LeopoldoPernambuco:- Cerâmica Sanitária: Cabo de SantoAgostinhoParaíba:- Cerâmica Sanitária: João PessoaARGENTINA- Metais: Deca Piazza em BuenosAires 19
  20. 20. Mercado de Materiais de Construção ÍNDICE ABRAMAT 2005 2006 2007 2008 2009 2010 Jan-Set/11 2011 EstimativaFonte: Associação Brasileira da Indústria de Materiais de ConstruçãoÍNDICE ABRAMAT: mede a venda de materiais de construção no mercado doméstico 20
  21. 21. Destaques por divisão Expedições (em 000 peças)Capacidade Instalada e Grau de 18.776 Ocupação 3T11 16.226 14.323 +22.6% +8.3%METAIS SANITÁRIOS 100% 6.259 6.780 5.529 9M09 9M10 9M11 3T10 2T11 3T11LOUÇAS SANITÁRIAS 96% Receita Líquida (R$ milhões) e Margem Bruta % Margem Bruta 39,3% 44,2% 39,1% 47,3% 38,2% 38,9% 804,3 665,9 +24.7% Canais das vendas 3T11: 538,5 +6.4% 230,7 270,5 287,7 Varejo 67% 9M09 9M10 9M11 3T10 2T11 3T11 Construtoras 22% ] Outros 2% Atacadistas 9% 21
  22. 22. Reconciliação do EBITDA(em R$’000) 3T11 2T11 % 3T10 % 9M11 9M10 %Lucro Operacional antes do 59,4 53,0 11,9 67,2 (11,6) 173,5 180,3 (3,8)FinanceiroDepreciação, amortização e 12,1 13,2 (8,1) 9,9 21,5 37,5 29,5 27,1exaustãoBenefícios a empregados (2,6) (0,2) - (0,9) - (3,7) (2,7) -EBITDA 68,9 66,0 4,4 76,2 (9.6) 207,3 207,1 0.1Eventos Extraordinários 0 0 - 0 - 0 0 -EBITDA recorrente 68,9 66,0 4,4 76,2 (9.6) 207,3 207,1 0.1Margem EBITDA recorrente 24,0% 24,4% - 33,0% - 25,8% 31,1% -Anterior aos ajustes IFRSEBITDA recorrente 76,3 69,9 9.1 81,6 (6,5) 221,6 218,6 1,3Margem EBITDA recorrente 26,5% 25,9% - 35,4% - 27,6% 32,8% - 22
  23. 23. Sustentabilidade 23
  24. 24. Sustentabilidade • 230 mil hectares de terra • Ciclo de colheita entre 6 e 7 anos • 140 mil hectares de florestas plantadas • Baixa distância de abastecimento de madeira • 267 milhões de árvores plantadas • Produtividade crescente (m3/hectare/ano) • 56 árvores plantadas por minuto • Conservação das florestas nativas • Certificações (FSC e ISO14.001) Evolução da produtividade florestal da Duratex Evolução da Produtividade em Novas Florestas Eucalipto - São Paulo - +160% 60 48 51 52 IMA (m³/ha.ano) 50 44 44 45 40 40 30 30 20 20 10 0 Anos Anos 2000 2005 2006 2007 2008 2009 2010 60 80 A Duratex desde a sua fundação, em 1951, investe constantemente em ações ambientais que colaboram com o futuro do planeta. Ano base• Reciclagem de metais (bronze, latão e plásticos) • Produtos economizadores de água • Coleta de resíduos• 9 linhas de produtos com certificação Sustentax, conforme • Área de Recuperação de materiais • Florestas certificadasLeed (Leadership in Energy and Environment Design) 24
  25. 25. Ações Sociais Projeto FORMARE Centro de Educação Socioambiental Escola de Marcenaria Tide Setúbal Uberaba – MG e Taquari - RS Estrela do Sul - MG Agudos - SP Inaugurado em setembro de 2010, recebeu 70 visitantes Inaugurada em no mesmo ano.Mais de 240 jovens formados e 543 2000, já formouEducadores Voluntários envolvidos 338 jovens.no projeto desde 2003. Área de Vivência Ambiental Piatan Bibliotecas Comunitárias Ler é Preciso Agudos – SP Estrela do Sul - MG e Taquari - RS Em 2010, a área recebeu mais de 7 mil visitantes. Parceria com o Instituto EcoFuturo, Fundação Nacional do Livro Infanto- Juvenil e prefeituras Programa na Mão Certa municipais. O projeto visa incentivar a leitura em comunidades carentes. Projeto Buscando o Futuro Unidades Deca São Paulo e Jundiaí Desde 2004, oferece orientação para engajamento no mercado de trabalho a A Duratex é signatária do alunos de escolas públicas Programa, uma iniciativa da WCF, cujo técnicas. objetivo é inibir a exploração sexual de crianças e adolescentes nas rodovias brasileiras. 25
  26. 26. Cenário econômico 26
  27. 27. Cenário Econômico Taxa de juros (% aa) Massa Salarial (R$ milhões) e Taxa de desemprego no Brasil (%) Taxa de Dez/05 Dez/06 Dez/07 Dez/08 Dez/09 Dez/10 Jul/11 Ago/11 desemprego 8,6 8,4 7,4 6,8 6,8 5,3 6,0 6,0 437.785 13,75 419.593 12,50 12,00 385.634 11,75 12,00 12,25 373.340 40000011,25 11,50 10,75 11,25 309.671 328.204 345.923 8,75 300000 200000 100000 02007 2008 2009 2010 jan/11 mar/11 abr/11 jun/11 jul/11 ago/11 otu/11 Out/11 2005 2006 2007 2008 2009 2010 UDM até jul´11 / Salário mínimo(R$ milhões) Relação crédito total x PIB (Brasil, %) 616 50,0% 545 510 46,6% 46,3% 46,5%46,5% 46,6% 46,9% 48,0% 465 46,2% 415 46,1% 45,7% 380 46,0% 350 45,0% 300 44,0% 42,0% 40,8% 40,0% 38,0% 2005 2006 2007 2008 2009 2010 2011 2012p 36,0% 2008 2009 2010 jan/11 fev/11 mar/11 abr/11 mai/11 jun/11 jul/11 ago/11 27
  28. 28. Evolução da capacidade nominal e investimentos Capacidade Nominal (em ´000 m³) 5.310 4.510 210 3.910 3.910 3.910 210 3.200 3.110 210 210 210 2.4002.510 1.800 210 1.800 1.800 360 1.000 650 1.900 1.500 1.900 1.900 1.900 1.900 1.9002007 2008 2009 2010 2011 2013 2015 MDP MDF CHAPA DE FIBRA Investimentos Realizados Flooring Sustenção, Plantio e Outros Projetos Investimentos em Andamento Capacidade (´000 m³) Efetiva Nominal Planta 1 – Itapetininga 520 600 Planta 2 - local a definir 680 800 Florestal - - Planta 1 - Itapetininga Total 1.200 1.400 28
  29. 29. Evolução da capacidade nominal e Investimentos Capacidade nominal (em ´000 peças) 30.400 26.800 23.000 23.000 12.200 21.800 9.80018.200 6.200 7.200 7.2003.800 15.800 15.800 15.600 18.200 17.00014.4402007 2008 2009 2010 2011 2012 Metais Louças Investimentos Realizados Aquisição Elizabeth (Fev/2011) Novo forno em Cabo Santo Agostinho (+0.8 M peças/ano; Abr/11) Expansão Metais p/17.000 peças/ano (2011) Investimentos em Andamento Reativação e expansão da unidade Queimados, RJ + 2,4 M peças/ano de louças (2012) Expansão Metais p/ 18,2 M peças por ano (2012) Expansão Louças Pernambuco 29
  30. 30. Criação de Valor 30
  31. 31. Prêmios 2011 VM entre 5 e 15 bilhões 1° lugar SULAMÉRICA 2° lugar DURATEX 3° lugar LOJAS RENNERPrêmio Pini (pisos laminados)Prêmio Anamaco (pisos laminados)Top of MindPrêmio Stan Design (estande Grande Porte) 31
  32. 32. Criação de Valor Valor de Mercado das 10 maiores empresas brasileiras R$ M US$ M R$ M US$ M Issuers DEZ/ 2005 SET/ 2011 Issuers 1 .PETROBRÁS 173.583,7 74.158,8 1 .PETROBRAS 262.546,3 141.580,1 2 .VALE R DOCE N1 106.437,3 45.472,4 2 .VALE N1 221.618,8 119.509,7 3 .BRADESCO N1 64.763,4 27.668,4 3 .AMBEV 158.087,8 85.250,1 4 .ITAUBANCO N1 58.155,1 24.845,2 4 .ITAUUNIBANCO N1 124.658,7 67.223,2 5 .AMBEV 54.119,7 23.121,2 5 .BRADESCO N1 96.862,9 52.234,1 6 .BRASIL 34,208,0 14.614,4 6 .BRASIL NM 71.060,5 38.319,9 7 .ITAUSA N1 24.229,1 10.351,2 7 .TELESP 53.799,7 29.011,9 8 .UNIBANCO N1 22.128,0 9.453,5 8 .SANTANDER BR N2 53.737,7 28.978,5 9 .TELESP 21.938,5 9.372,6 9 .ITAUSA N1 49.493,7 26.689,9 10 .ELETROBRÁS 21.640,7 9.245,4 10 .OGX PETROLEO NM 37.188,1 20.053,9 TOTAL R$ 581.203,9 +94% TOTAL R$ 1.129.054,6 US$ 248.303,1 +145,2% US$ 608.851,3 +199,7% A DURATEX R$ M US$ M R$ M US$ M DEZ/05 Issuers SET/11 Issuers 63 DURATEX N1 1.579,8 674,9 69 DURATEX NM 4.735,8 2.553,8 +276,2 %Fonte: BM&FBovespa 32
  33. 33. 220 100 130 160 190 250 280 310 70 19/06/2009 19/07/2009 19/08/2009 19/09/2009 19/10/2009 19/11/2009 19/12/2009 19/01/2010 19/02/2010 19/03/2010 19/04/2010 19/05/2010 19/06/2010 19/07/2010 DTEX333 19/08/2010 19/09/2010 IBOV 19/10/2010 19/11/2010 19/12/2010 19/01/2011 19/02/2011 Valorização comparativa ação DTEX3 (19.Jun.09 – 26.Out.11) 19/03/2011 19/04/2011 19/05/2011 19/06/2011 19/07/2011 19/08/2011 19/09/2011 19/10/2011 Criação de Valor +47,2% + 11,4%
  34. 34. DISCLAIMER As informações aqui contidas foram preparadas pela Duratex S.A. e nãoconstitui material de oferta para a subscrição ou compra de valores mobiliários daCompanhia. Este material contém informações gerais sobre a empresa e mercados emque se encontra inserida. Nenhuma representação ou garantia, de forma expressa ouinclusa, é feita acerca, e nenhuma confiança deve ser depositada, naexatidão, justificação ou totalidade das informações apresentadas. A Duratex não pode dar qualquer certeza quanto a realização dasexpectativas apresentadas. Novembro de 2011 34
  35. 35. Apresentação Corporativa Relações com Investidores 3° trimestre 2011 www.duratex.com.br

×