2°periodização da história

2.532 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
2.532
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
90
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

2°periodização da história

  1. 1. Periodização da HistóriaPeriodização da HistóriaCONTAGEM DO TEMPOCONTAGEM DO TEMPO
  2. 2. CONCEITOCONCEITO• Denomina-se de periodização daHistória à divisão, para fins didáticos, daHistória em épocas, períodos ou idades.• Estas divisões podem ter pontos-de-vistacomo: culturais, etnográficos eideológicos.
  3. 3. HISTÓRIA ANTIGAHISTÓRIA ANTIGA• Na Grécia Antiga, Hesíodo, emOs Trabalhos e os Dias, propôs umaarticulação por épocas, a as cinco idades(Ouro, Prata, Bronze, Heróis e Ferro).• Posteriormente, Políbio, um dos primeiroshistoriadores a encarar a História comouma sequência lógica de causas e efeitos,por outras razões, optou por uma teoriade rígida sucessão das instituiçõespolíticas.
  4. 4. CONCEPÇÃO CRISTÃCONCEPÇÃO CRISTÕ O Cristianismo trouxe uma concepção de devirhistórico linear, uniforme, que, estendendo-seda Criação até ao Juízo Final• A articulação em - Antiguidade – Idade Média –Idade Moderna – foi enunciada pelo alemãoCristoph Cellarius (1634-1707) que, de início,correspondia à interpretação e valorizaçãopelos Humanistas de uma história culturaleuropéia ocidental.
  5. 5. A contagem do tempoA contagem do tempo• A necessidade de contaro tempo surgiu duranteo Neolítico, quando osprimeiros agricultoresnotaram a importância doexato conhecimento dasestações do ano para osucesso de suasplantações. A partir daí,cada cultura desenvolveuseu próprio sistema decontagem do tempo.
  6. 6. PERIODIZAÇÃO OCIDENTALPERIODIZAÇÃO OCIDENTAL
  7. 7. PERIODIZAÇÃO DA HISTÓRIAPERIODIZAÇÃO DA HISTÓRIADO BRASILDO BRASIL
  8. 8. A era cristã e a divisão da HistóriaA era cristã e a divisão da História• referência de maior aceitação para se contaro tempo, atualmente, é o "nascimento deCristo". Mas já houve outras referênciasimportantes no Ocidente: os gregos antigostinham como base cronológica o início dosjogos olímpicos; os romanos, a fundação deRoma. Ainda hoje, os árabes contam seutempo pela Hégira, a emigração (não fuga)de Maomé de Meca para Medina
  9. 9. Unidades de tempoUnidades de tempo• O calendário atual, estabelecido em 1582,incorporou unidades de tempo de diferentesorigens históricas. A mais antiga divisão dotempo, o dia, definida pela alternância cíclica daluz solar e da escuridão da noite é,provavelmente, anterior a 8000 a.C.• Mais tarde surgiram os meses, definidosoriginalmente pelas fases da lua, e depois oano,baseado no movimento aparente do sol e nociclo das estações.
  10. 10. • O mais antigo calendário solar foidesenvolvido no Egito por volta de 2773a.C. Esse calendário tinha 365 dias e eraainda usado pelos gregos do EgitoPtolemaico durante o Período Helenístico.• A divisão do mês em 4 semanas de 7dias, invenção babilônica baseado emconceitos astrológicos e desenvolvida noséculo VII a.C., foi adotada pelos romanosna época do Império, provavelmente noséculo I d.C.
  11. 11. O calendário gregoO calendário grego• O início do ano e o nome dos mesesvariava de pólis para pólis e Tucídides,em sua obra sobre a Guerra doPeloponeso, dá uma idéia dacomplexidade desse sistema.• O calendário mais conhecido é oateniense ou ático. O ano ático tinha dozemeses lunares, com número variável dedias, e durava apenas 354 dias.
  12. 12. • No século IV a.C., os gregos tomaramcomo base comum da contagem dotempo osjogos olímpicos, disputados acada quatro anos. Hípias de Élis, deacordo com listas de vencedores dasprovas atléticas, calculou que a primeiraOlimpíada teria ocorrido no ano que nós,modernos, chamamos de 776 a.C.
  13. 13. O calendário julianoO calendário juliano• Os romanos utilizavam primitivamente umcalendário lunar, com adição periódica de ummês suplementar para compensar o atraso emrelação às estações do ano, dependentes doano solar. O método, extremamente rudimentar,acumulou em 47 a.C. uma diferença de 80 dias,gerando enorme confusão na vida civil ereligiosa.• No ano seguinte, 46 a.C., o ditador romano JúlioCésar (100-44 a.C.) instituiu ocalendário juliano,conforme as recomendações do astrônomoSosígenes de Alexandria (séc. I a.C.):
  14. 14. • o ano de 46 a.C. teve a duração prolongada:445 dias;• o ano passou a ser calculado em 365,25 dias;• os doze meses passaram a ter duraçãodiferente, quase igual à que têm até hoje;• o primeiro dia do ano, antes situado em 15 demarço, foi fixado em 1º de janeiro;• a cada quatro anos, para compensar a fraçãoanual excedente (0,25 dias), foi instituído o anode 366 dias, chamado de ano bissexto até hoje.
  15. 15. CALENDARIO GREGORIANOCALENDARIO GREGORIANO• Em 1582, tornou-se necessário um pequenoajuste, instituído pelo Papa Gregório III(1502-1585 d.C.), conforme as recomendações doastrônomo bávaro Christoph Clavius(1537-1612 d.C.):• 10 dias do ano de 1582 foram suprimidos (o dia4 de outubro foi seguido do dia 15 de outubro);• os anos terminados em "00" e não divisíveis por400 deixaram de ser considerados bissextos(1700, 1800 e 1900 d.C., não foram bissextos;2000 d.C., sim).
  16. 16. ERA CRISTÃERA CRISTÕ Em 523, o monge católico Dionísio, o Pequeno, decidiuefetuar a contagem a partir do nascimento de JesusCristo. Ele calculou que o nascimento de Cristo haviaocorrido em 753 AVC, no dia 25 de dezembro, e fixou oinício da "nova era" no dia 1º de janeiro do ano seguinte,o 754º da fundação de Roma.• O novo sistema cronológico não foi aceito de imediato,nem mesmo pela Igreja Católica. Finalmente admitidono século X d.C. pela Cúria Romana, foi gradualmenteadotado pelas nações cristãs, assim como o calendáriogregoriano
  17. 17. ERRO DO NASCIMENTO DEERRO DO NASCIMENTO DECRISTOCRISTO• Sabe-se, hoje, que Dionísio, o Pequeno,cometeu um pequeno erro de cálculo:Jesus Cristo, na verdade, nasceu poucoantes de 749 AVC, quatro a oito anosantes da data "oficial". No entanto, portradição, até hoje o ano 754 AVC continuasendo o "Ano 1" da Era Cristã.
  18. 18. Pré história:Pré história:• No Período Paleolítico ou Idade da PedraLascada: tivemos a descoberta do fogo;• No Período Neolítico ou Idade da PedraPolida, ocorreu a revolução agrícola:domesticaram-se animais, e começou-se apraticar a domesticação de espéciesvegetais;•• Na Idade dos Metais: fundição dos metais eutilização deste no fabrico de instrumentos, oúltimo período da Pré-Historia demarca oconjunto de transformações que dão início aoaparecimento das primeiras civilizações daAntiguidade, Egito e Mesopotâmia.•
  19. 19. Idade AntigaIdade Antiga• A Antiguidade compreende-se de cerca de4000a.C. até 476 d.C., quando ocorre a queda doImpério Romano do Ocidente. É estudada comestreita relação ao Próximo Oriente, ondefloresceram as primeiras civilizações, sobretudono chamado Crescente Fértil, que atraiu, pelaspossibilidades agrícolas, os primeiros habitantesdo Egito, Palestina, Mesopotâmia, Irão eFenícia. Abrange, também, as chamadascivilizações clássicas: Grécia e Roma.
  20. 20. Idade MédiaIdade Média• A Idade Média é limitada entre o ano de476 d.C. até 1453, quando ocorre aconquista de Constantinopla pelos turcosotomanos e consequente queda doImpério Romano do Oriente. Seu estudoocorre em relação às três culturas emconfronto em torno da bacia do marMediterrâneo. Caracterizou-se pelo modode produção feudal em algumas regiõesda Europa.
  21. 21. Idade ModernaIdade Moderna• A Idade Moderna é operíodo que inicia-se em1453 e termina em 1789,com a eclosão daRevolução Francesa.Compreende o período dainvenção da Imprensa, osdescobrimentos marítimose o Renascimento.Caracteriza-se pelonascimento do modo deprodução capitalista.•
  22. 22. Idade ContemporâneaIdade Contemporânea• A IdadeContemporâneacompreende-se de1789 até aos diasatuais. Envolveconceitos tão diferentesquanto o grandeavanço da tecnologia,os conflitos armados degrandes proporções e aNova Ordem Mundial.
  23. 23. Documentos e fontes históricasDocumentos e fontes históricas• Crítica Objetiva - Verifica o valor extrínseco,externo de um documento; se é original ouapenas uma cópia.• Crítica Subjetiva - Verifica o valor intrínseco,interno, de um documento. É um trabalhoespecializado, comparativo, que só pode serrealizado pelas ciências auxiliares da História:Arqueologia (estuda ruínas, objetos antigos);Paleontologia (fósseis); Heráldica (emblemas ebrasões); Epigrafia (inscrições lapidares);Numismática (moedas); Genealogia (linhagensfamiliares); Paleografia (estudo da escritaantiga)
  24. 24. FONTES HISTÓRICASFONTES HISTÓRICAS• O estudo da História foi dividido em dois períodos: aPré-História (antes do surgimento da escrita) e a História(após o surgimento da escrita, por volta de 4.000 a.C).Para analisar a Pré-História, os historiadores earqueólogos analisam fontes materiais (ossos,ferramentas, vasos de cerâmica, objetos de pedra efósseis) e artísticas (arte rupestre, esculturas, adornos).Já o estudo da História conta com um conjunto maior defontes para serem analisadas pelo historiador. Estaspodem ser: livros, roupas, imagens, objetos materiais,registros orais, documentos, moedas, jornais,gravações, etc.

×