1ª tc[1].ppt cópia

1.883 visualizações

Publicada em

0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.883
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
79
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
78
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

1ª tc[1].ppt cópia

  1. 1. PROFº MARCELO QUEIROZ 1º AULA AGOSTO 2009
  2. 2. Introdução a Tomografia Computadorizada AGOSTO 2009
  3. 3. Tomografia Computadorizada• Método radiológico que permite mostrar a reprodução de um corte humano com a finalidade de ver e estudar suas estruturas anatômicas.
  4. 4. HOUNSFIELD
  5. 5. 1ª. GeraçãoFeixe em forma de lápisdetector único.Movimento do sistema de tubo/detector em rotaçãoTempo de varredura entre 4 á5 minutos
  6. 6. Scanners de Segunda Geração: os 2ª Geraçãoscanners de segunda geração foramgrandemente aperfeiçoados, eforneciam um feixe de raios X emforma de leque, com até 30 detectoresou mais. Os tempos de varreduraforam encurtados em cerca de 15segundos por corte ou 10 minutospara um exame de 40 cortes.
  7. 7. DIFERENÇAS DOS APARELHOS DE TC 3ª. Geração
  8. 8. TOMOGRAFIACOMPUTADORIZADA QUARTA GERAÇÃO 4ª. Geração
  9. 9. Aparelho de TC
  10. 10. 4ª Geração
  11. 11. Nova Geração• São conhecidos por espirais ou helicoidais• A ampola apresenta giro contínuo.• A mesa faz movimentos de translação com aquisições de imagens simultâneas.• Os tubos de RX são de maior capacidade.• Os computadores são de maior velocidade e capacidade.
  12. 12.  São os multi-slice. 4,8,16,32,40,64,128 e 256 pistas no detector. Maior quantidade da dados. Melhor resolução espacial. Maior velocidade da mesa. E também muito mais caro.
  13. 13. O desenvolvimento de anéis de deslizamento para substituir os cabosde raios X de alta tensão permite rotação contínua do tubo,necessária para varredura do tipo helicoidal. Anteriormente omovimento do tubo de raios X era restrito por cabos de alta tensãofixados, e limitado a uma rotação de 360° em uma direçãocompreendendo um corte, seguida por outra rotação de 360° nadireção oposta, criando um segundo corte com o paciente movendoum incremento entre os cortes.
  14. 14. Scanners de TC por Volume (helicoidal/espiral): durante os primeirosanos da década de 1990, um novo tipo de scanner foi desenvolvido,chamado scanner de TC por volume (helicoidal/espiral). Com essesistema, o paciente é movido de forma contínua e lenta através daabertura durante o movimento circular de 360° do tubo de raios X e dosdetectores, criando um tipo de obtenção de dados helicoidal ou “emmola espiral”. Dessa forma, um volume de tecido é examinado, e dadossão coletados, em vez de cortes individuais como em outros sistemas.(Helicoidal e espiral são termos específicos de fabricantes parascanners do tipo de volume.) Os sistemas de TC por volume utilizam arranjos de detectoresdo tipo de terceira ou quarta geração, dependendo do fabricanteespecífico.
  15. 15. Volumétrico ou Helicoidal Tubo de raios-X colimador Transformação analógico-digital computador ROI Raios-x Algoritmos deatenuados reconstrução ImagemDetectores de Detectores referência
  16. 16. Volumétrico ou Helicoidal
  17. 17. Etapas de desenvolvimento principais projetos 2° geração: Preocupação em diminuir o tempo de captação3° geração: Modificações estruturais na mesa de exame4° geração: Detectores estacionários (sem ganho real)
  18. 18. Posicionamento •Supra-órbito-meatal (SOM) •Órbito-meatal (OM) •Infra-órbito-meatal (IOM)
  19. 19. Visão axial
  20. 20. Visão Coronal Visão Sagital
  21. 21. Dados Técnicos Sobre A TomografiaEspessura do Corte• Depende da geração. 1,2,3,5,7e10mm
  22. 22. Espessura do Corte
  23. 23. Incremento ou Índex: É o espaçamento entre os cortes. excursão da mesa X tempo de rotação do tuboPitch = _________________________________________ colimação mm(5) x s (1) Unidade = ____________ mm (5)
  24. 24. José PedroWilsonJefferson AlvesE-mail: emersonprof10@gmail.com

×