Aula 14-15 de 20   Santarém – Tapajós – Brasil   12 e 19 de Novembro de 2012Fernando Monteiro D’Andrea                 dod...
Aula Anterior        Tema: As Normas da Qualidade        Data: 5 de Novembro de 2012        Principais pontos:         ...
Estudaremos    Introdução ao estudo da Qualidade;    Foco no Cliente - a busca de Resultados;    Organização de process...
Aula de hoje                 Qualidade de Vida no                       Trabalho                  Contexto Histórico,     ...
Qualidade... (1)             E a Qualidade                               de Vida no                   Foco no   Trabalho, ...
Qualidade... (2) Nenhum conjunto de dois dos fatores que não inclua o terceiro pode ser considerado Qualidade;   Foco no...
E a QVT, onde se encaixa? Os 3 pilares da Qualidade são:   Padronização;   Melhoria Contínua; e;   Foco no Cliente;   ...
Breve Histórico da QVT (1) Modernamente deve-se ver o trabalho como um dos meios de  desenvolvimento e realização da pess...
Breve Histórico da QVT (2) QVT portanto trata, desde o princípio dos aspectos  ligados ao bem estar da pessoa em situação...
Breve Histórico da QVT (3) Atentar para o fato de que não apenas dinheiro é capaz de gerar QVT;   Muitas vezes nem um al...
QVT: Custo ou Investimento? (1) Produzir mais, em menos tempo, com menos  recursos e sem agredir a saúde (física e mental...
QVT: Custo ou Investimento? (2) Não se pode desprezar o aspecto financeiro, pois as  organizações devem investir para cri...
Evolução Durante seu desenvolvimento a QVT passou por algumas fases, dentre elas:   A Socioeconomica;   A Organizaciona...
Visão Biopsicossocial (1) BPS é uma visão integral e sistêmica das pessoas nas  organizações; Todo ser humano é um compl...
Visão Biopsicossocial (2) Biológica: demonstra características físicas herdadas  e/ou adquiridas, incluindo metabolismo, ...
Visão Biopsicossocial (3) No ambiente de trabalho, a visão BPS associa-se à ética  da condição humana;   Ambiente físico...
Visão Biopsicossocial (4) Objetivos:   Identificar, eliminar, neutralizar ou controlar os riscos    ocupacionais observá...
QVT: as teorias (1)                                            A análise da pirâmide              Auto                   ...
QVT: as teorias (2) Herzberg e os fatores motivacionais e higiênicos    A motivação está alicerçada no ambiente externo ...
QVT: Walton (1973) (1) Qualidade de Vida tem sido usada com  crescente frequência para descrever certos  valores ambienta...
QVT: Walton (1973) (2) Oito fatores que afetam a QVT:   Compensação justa e adequada : adequação da    remuneração ao tr...
QVT: Walton (1973) (3) Oito fatores que afetam a QVT:    Integração social na organização: eliminação de barreiras     h...
QVT: Walton (1973) (4)                                       Equidade interna e externa                                   ...
QVT: Walton (1973) (5)                                        Ausência de preconceitos                                    ...
QVT: Hackman e Oldham (1974) (1) Buscando medir o nível de motivação gerado pelo trabalho  desenvolveram uma equação deno...
QVT: Hackman e Oldham (1974) (2) Existem ainda fatores secundários que influenciam  nas dimensões do trabalho e nos resul...
QVT: Hackman e Oldham (1974) (3)                                   27
QVT: Hackman e Oldham (1974) (4) Os estados psicológicos críticos que conduzem a resultados pessoais e de trabalho que af...
QVT: Hackman e Oldham (1974) (5)    Autonomia: a pessoa deve ter capacidade para planejar e     executar as tarefas, auto...
QVT: Hackman e Oldham (1974) (6) É o único modelo de QVT que foi concebido  para ter um instrumento quantitativo; Faz-se...
QVT: Hackman e Oldham (1974) (7) O modelo considera apenas a satisfação como  fator determinante na QVT; Isto porém não ...
QVT: Werther & Davis (1981) (1) Defendem que muitos fatores afetam a QVT dentre eles a  supervisão, as condições de traba...
QVT: Werther & Davis (1981) (2) Os autores avaliam a QVT da seguinte maneira:                    Abordagem mecanística  O...
QVT: Nadler & Lawler (1983) (1) Observando a perda de importância da QVT no final dos  anos 70 buscaram mostrar que isso ...
QVT: Nadler & Lawler (1983) (2)                     Participação na resolução de problemasAtividades que devem            ...
QVT: Nadler & Lawler (1983) (3) Focaram-se na conceituação teórica da QVT  através da análise em diversos contextos de  e...
QVT: Huse & Cummings(1985) Similarmente ao conceito de Nadler & Lawler definem QVT  como uma forma de pensamento envolven...
QVT: Limongi-França (1996) A autora tem seu foco no moderno conceito  de visão Biopsicossocial (BPS) da QVT; QVT é: “A c...
QVT... Observando os modelos apresentados pode-se dizer que o  desempenho e o clima organizacional representam fatores  a...
Próxima Aula: 16 de 20     Dia 26 de Novembro de          2012, SegundaA Excelência na gestão de Empresas
Bibliografia (1) Livros e Aulas    LIMONGI FRANÇA ANA CRISTINA. Qualidade de Vida no Trabalho - QVT:      Conceitos e pr...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Aula 14-15 - qvt histórico conceitos e modelos

6.420 visualizações

Publicada em

Qualas 14 e 15 de 20 de

1 comentário
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
6.420
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
19
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
202
Comentários
1
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Aula 14-15 - qvt histórico conceitos e modelos

  1. 1. Aula 14-15 de 20 Santarém – Tapajós – Brasil 12 e 19 de Novembro de 2012Fernando Monteiro D’Andrea dodandre2@gmail.com
  2. 2. Aula Anterior  Tema: As Normas da Qualidade  Data: 5 de Novembro de 2012  Principais pontos:  Evolução da Qualidade  Custos Totais da qualidade e até quando é valido investir nela?  Evolução das Normas da Qualdiade;  ISO, o que é?;  ISO 9000;  ISSO 14000;  OHSAS: 18001;  ISO 22000;  SA 8000;  Visão Integrada dos sistemas;. Gestão da Qualidade - Fernando MonteiroSegunda-feira, 12/11/2012 D’Andrea 2
  3. 3. Estudaremos  Introdução ao estudo da Qualidade;  Foco no Cliente - a busca de Resultados;  Organização de processos: uso racional de recursos;  Gerenciamento da Qualidade: fazer certo da primeira vez;  Housekeeping – 5s;  Sistema da Qualidade nas empresas;  Resolução estruturada de problemas;  Dominando o processo;  As normas da Qualidade;  A Qualidade de Vida no Trabalho – contexto histórico;  Conceitos e modelos de QVT;  A Excelência na gestão das empresas; Gestão da Qualidade - Fernando MonteiroSegunda-feira, 12/11/2012 D’Andrea 3
  4. 4. Aula de hoje Qualidade de Vida no Trabalho Contexto Histórico, Conceitos e Modelos Gestão da Qualidade - Fernando MonteiroSegunda-feira, 12/11/2012 D’Andrea 4
  5. 5. Qualidade... (1) E a Qualidade de Vida no Foco no Trabalho, onde Cliente se encaixa? QUALIDADE MelhoriaPadronização Contínua 5
  6. 6. Qualidade... (2) Nenhum conjunto de dois dos fatores que não inclua o terceiro pode ser considerado Qualidade;  Foco no Cliente e Padronização sem Melhoria Contínua;  Foco no Cliente e Melhoria Contínua sem Padronização;  Padronização e Melhoria Contínua sem Foco no Cliente; 6
  7. 7. E a QVT, onde se encaixa? Os 3 pilares da Qualidade são:  Padronização;  Melhoria Contínua; e;  Foco no Cliente;  Externo; e,  Interno; Assim uma organização que prima pela Qualidade deve se preocupar com a Qualidade de Vida no trabalho pois ela inclui o Foco nos Clientes Internos; 7
  8. 8. Breve Histórico da QVT (1) Modernamente deve-se ver o trabalho como um dos meios de desenvolvimento e realização da pessoa e não apenas como um processoApesar de a preocupação voltada para de cumprimento e execução de tarefas pré- determinadas que visam garantir seu sustento; organizar o trabalho ter sido uma A QVT como a conhecemos hoje surgiu em meados da década de 1950; constante desde o advento da  Apesar de ter-se evidências desta desde a década de 20 com a administração científica, só escola de Relações Humanas que já trazia idéias que seriam mais tarde incluídas na QVT; as empresas vêm-se recentemente Seu objetivo inicial era agrupar: Indivíduo, trabalho e preocupando com a satisfação do organização num mesmo objetivo; trabalhador na execução de suas  QVT é a grande esperança das organizações para atingirem alto nível de produtividade, sem esquecer a motivação e satisfação do indivíduo Nadlercomo requisito para atingirem tarefas, & Lawler, 1983; altos índices de produtividade. Fernandes, 1996 8
  9. 9. Breve Histórico da QVT (2) QVT portanto trata, desde o princípio dos aspectos ligados ao bem estar da pessoa em situação de quanto à expressão Qualidade de Vida trabalho (e não apenas no local de trabalho); no Trabalho, (...) não se pode atribuir Quer responder à questão: como desenvolver cargos que se uma definição produtivos e O conceito que mostrem mais consensual. satisfatórios tragam vantagens para o indivíduo e para a organização? além dos atos legislativos que engloba, protegem o trabalhador, o  Este desenvolvimento deve considerar a atendimento a necessidades e possibilidade de participação do trabalhador no desenho do cargo; aspirações humanas, calcado na idéia  O trabalho deve ser visto do trabalhode na de humanização como fonte e satisfação pessoal; responsabilidade social da empresa. Fernandes, 1996 9
  10. 10. Breve Histórico da QVT (3) Atentar para o fato de que não apenas dinheiro é capaz de gerar QVT;  Muitas vezes nem um alto salário fará isso; Deve-se atentar aos fatores Físicos, Psicológicos e Sociológicos do trabalho; A importância do estudo da QVT nas organizações dá-se maiormente pelo fato de que esta afeta diretamente no desempenho e na consequente produtividade e Qualidade que poderá ser atingida; 10
  11. 11. QVT: Custo ou Investimento? (1) Produzir mais, em menos tempo, com menos recursos e sem agredir a saúde (física e mental) do trabalhador; Investimentos em proteção e prevenção de problemas com o trabalhador são tidos como indispensáveis para a busca da produtividade; QVT representa custos, porém estes se pagam se a organização visa melhorar a imagem, o ambiente em geral e a própria produtividade; 11
  12. 12. QVT: Custo ou Investimento? (2) Não se pode desprezar o aspecto financeiro, pois as organizações devem investir para criar e manter tais programas, e qualquer investimento na organização necessita ter retorno;  Quando bem pensados e dirigidos ao público certo de forma certa, têm bom custo-benefício; Deve-se ainda considerar o fator “imagem”, muitíssimo relevante para as organizações contemporâneas;  Uma boa imagem pode ser muitíssimo benéfica – ainda que indiretamente – para a lucratividade; QVT facilita o aumento e a manutenção da produtividade que, por sua vez, gera Qualidade que, como sabemos, implica em redução de custos; 12
  13. 13. Evolução Durante seu desenvolvimento a QVT passou por algumas fases, dentre elas:  A Socioeconomica;  A Organizacional;  A da condição humana no trabalho; e, modernamente à Visão biopsicossocial do trabalhador; O trabalhador é encarado como um complexo dinâmico, indissociável, um todo (visão holística)  Isto abre diversas oportunidades de investimento em capital humano que agregam valor e portanto irão refletir sobre a organização;  O gestor deve compreender a importância da QV; 13
  14. 14. Visão Biopsicossocial (1) BPS é uma visão integral e sistêmica das pessoas nas organizações; Todo ser humano é um complexo sociopsicossomático, formado de potencial biológico, psicológico e social e que reagem simultaneamente às variadas condições; As camadas são interdependentes; Esta visão causa um diferencial para:  Diagnósticos;  Definição de ações;  Campanhas;  Criação de serviços;  Implantação de projetos;  Que tem por objetivo aumentar o valor dos RH’s; 14
  15. 15. Visão Biopsicossocial (2) Biológica: demonstra características físicas herdadas e/ou adquiridas, incluindo metabolismo, resistência e vulnerabilidade de órgãos e/ou sistemas; Psicológica: incorpora os processos afetivos, emocionais e de raciocínio, conscientes ou inconscientes, formadores da personalidade, de seu modo de ver e posicionar-se diante das situações e sociedade; Social: valores, crenças, o papel na família, trabalho e demais grupos e comunidades em que cada indivíduo esta inserido; 15
  16. 16. Visão Biopsicossocial (3) No ambiente de trabalho, a visão BPS associa-se à ética da condição humana;  Ambiente físico: Identificação, eliminação, neutralização ao controle de riscos ocupacionais que podem ser identificados;  Padrões das relações de trabalho, carga física e mental exigida de cada atividade desempenhada;  Atribuições políticas e ideológicas, dinâmica de liderança e (poder formal ou informal), o significado e importância do trabalho e mesmo o relacionamento e a satisfação das pessoas em seu cotidiano; O surgimento da BSP gerou mesmo o nascimento da Gestão da Qualidade de Vida no Trabalho; 16
  17. 17. Visão Biopsicossocial (4) Objetivos:  Identificar, eliminar, neutralizar ou controlar os riscos ocupacionais observáveis no ambiente físico;  Mapear os padrões de relações de trabalho;  Avaliar a carga física e mental requerida por cada atividade;  Conhecer implicações políticas e ideológicas de cada trabalho;  Diagnosticar a dinâmica da liderança empresarial e do poder formal;  Saber do significado do trabalho em si, dos relacionamentos interpessoais e da satisfação no trabalho; 17
  18. 18. QVT: as teorias (1)  A análise da pirâmide Auto mostra que a Realização satisfação destas necessidades é Estima motivador.  O ser humano Relacionamento / Sociais participa com prazer de suas atividades e Segurança tarefas, o que certamente repercuteFisiológicas / positivamente naSobrevivência QVT; Pirâmide de Maslow 18
  19. 19. QVT: as teorias (2) Herzberg e os fatores motivacionais e higiênicos  A motivação está alicerçada no ambiente externo e no trabalho do indivíduo (HERZBERG). Fatores Motivacionais ou de satisfação: são aqueles que influenciam positivamente a qualidade do desempenho e a saúde mental, emocional do trabalhador:  delegação de responsabilidade, liberdade de exercício, promoção ou plano de carreira, uso pleno de habilidades, etc. Fatores higiênicos ou de insatisfação: que quando abaixo do adequados geram insatisfação:  Condições de trabalho e conforto, política da organização e administração, relação com a chefia, competência dos superiores, salário, segurança no cargo e relações interpessoais; Análise séria e intervenções adequadas visando a satisfação das necessidades do trabalhador e para maximizar os fatores motivacionais e minimizar os higiênicos certamente contribuirão para a melhoria da QVT; 19
  20. 20. QVT: Walton (1973) (1) Qualidade de Vida tem sido usada com crescente frequência para descrever certos valores ambientais e humanos, negligenciados pelas sociedades indústrias em favor do avanço tecnológico, da produtividade e do crescimento econômico; “QVT é a grande esperança das organizações para atingirem altos níveis de produtividade, sem esquecer a motivação e satisfação do indivíduo” (1983); 20
  21. 21. QVT: Walton (1973) (2) Oito fatores que afetam a QVT:  Compensação justa e adequada : adequação da remuneração ao trabalho que realizado, equidade interna e da externa com situações similares;  Condições de segurança e saúde no trabalho: dimensões, jornada de trabalho, ambiente físico adequado à saúde e bem-estar;  Uso e desenvolvimento de capacidades: proporcionar oportunidades de satisfazer as necessidades de utilização de habilidades e conhecimentos do trabalhador;  Oportunidades de crescimento contínuo e segurança: proporcionar possibilidades de carreira na organização; 21
  22. 22. QVT: Walton (1973) (3) Oito fatores que afetam a QVT:  Integração social na organização: eliminação de barreiras hierárquicas marcantes, apoio mútuo, boas relações interpessoais e ausência de preconceito;  Constitucionalismo: estabelecimento de normas e regras da organização, direitos e deveres do trabalhador, recursos contra decisões arbitrárias e um clima democrático dentro da organização;  Trabalho e espaço total de vida: o trabalho não deve absorver todo o tempo e energia do trabalhador em detrimento de sua vida familiar e particular, de seu lazer e suas atividades comunitárias;  Problemas da internet e dos celulares: “Always on!”  Relevância social da vida no trabalho: o trabalho deve ser uma atividade social que traga orgulho para as pessoas; 22
  23. 23. QVT: Walton (1973) (4) Equidade interna e externa Justiça na compensaçãoCompensação Justa e adequada Partilha dos ganhos de produtividade Proporcionalidade entre salários Jornada de trabalho razoávelCondições de trabalho Ambiente físico seguro e saudável Ausência de insalubridade Autonomia Autocontrole relativoUso e desenvolvimento de capacidades Qualidades múltiplas Informação sobre o processo total do trabalho Possibilidade de carreiraOportunidade de Crescimento e Crescimento pessoalSegurança Perspectiva de avanço salarial Segurança de emprego 23
  24. 24. QVT: Walton (1973) (5) Ausência de preconceitos IgualdadeIntegração social na organização Mobilidade Relacionamento Senso comunitário Direitos de proteção ao trabalhador Privacidade pessoalConstitucionalismo Liberdade de expressão Tratamento imparcial Direitos trabalhistas Papel balanceado no trabalho Estabilidade de horáriosO trabalho no espaço total de vida Poucas mudanças geográficas Tempo para lazer da família Imagem da empresa Responsabilidade social da empresaRelevancia social do trabalho na vida Responsabilidade pelos produtos Práticas de emprego 24
  25. 25. QVT: Hackman e Oldham (1974) (1) Buscando medir o nível de motivação gerado pelo trabalho desenvolveram uma equação denominada “Potencial Motivador do Trabalho”;  Faz parte de uma pesquisa mais abrangente dos autores chamada “Job Diagnostics Survey”; Com base nestes estudos se afirma que há 3 fatores que influenciam a motivação no ambiente de trabalho, chamados “Estados Psicológicos Críticos”, são eles:  Conhecimento e Resultado do seu trabalho;  Responsabilidade percebida pelos resultados do seu trabalho;  Significância percebida do seu trabalho; São processos individuais e não se pode influenciá-los durante o gerenciamento do trabalho;  Deve-se determinar as propriedades do trabalho possam ser avaliadas e mudadas e que possuam influência direta nos Estados Psicológicos Críticos, estas propriedades são as Dimensões Essenciais do Trabalho; 25
  26. 26. QVT: Hackman e Oldham (1974) (2) Existem ainda fatores secundários que influenciam nas dimensões do trabalho e nos resultados, ditos “Resultados Pessoais e do Trabalho”;  Motivação interna;  Satisfação geral com o trabalho;  Satisfação com sua produtividade;  Absenteísmo;  Rotatividade; Por fim existe a Necessidade de Crescimento Individual que está diretamente relacionada às duas anteriores; 26
  27. 27. QVT: Hackman e Oldham (1974) (3) 27
  28. 28. QVT: Hackman e Oldham (1974) (4) Os estados psicológicos críticos que conduzem a resultados pessoais e de trabalho que afetam a QVT e tem as seguintes dimensões:  Variedade ou habilidades: o cargo deve requerer diferentes habilidades, conhecimentos e competências das pessoas;  Identidade da tarefa: o trabalho deve ser realizado do início ao fim para que a pessoa possa perceber que produz um resultado palpável;  Uma vez mais a importância da delimitação de processos;  Significado da tarefa: a pessoa deve ter uma clara percepção de como o seu trabalho produz conseqüências e impactos sobre o trabalho das outras; 28
  29. 29. QVT: Hackman e Oldham (1974) (5)  Autonomia: a pessoa deve ter capacidade para planejar e executar as tarefas, autonomia e independência para desempenhar;  Retroação do próprio trabalho: a tarefa deve proporcionar informação de retorno à pessoa para auto avaliação do desempenho;  Retroação extrínseca: o retorno proporcionado pelos superiores hierárquicos ou clientes a respeito do desempenho na tarefa;  Inter-relacionamento: a tarefa deve possibilitar contato interpessoal do ocupante com outras pessoas ou com clientes internos e externos; Tais dimensões dos cargos são determinantes para a QVT pois oferecerem recompensas, em geral não palpáveis, que produzem a satisfação e facilitam a motivação das pessoas para o desempenho do trabalho; 29
  30. 30. QVT: Hackman e Oldham (1974) (6) É o único modelo de QVT que foi concebido para ter um instrumento quantitativo; Faz-se uma série de 15 questões – cada uma das 5 Dimensões Essenciais do Trabalho (todas baseadas no fator “Satisfação”) é representada por três questões – fechadas; Das respostas obtém-se um valor que determina o nível de motivação proporcionado por um trabalho específico para aquele trabalhador, este é o “Potencial Motivador do Trabalho”, calculado assim: 30
  31. 31. QVT: Hackman e Oldham (1974) (7) O modelo considera apenas a satisfação como fator determinante na QVT; Isto porém não condiz com a realidade;  Resultados devem ser estudados com cuidado; O estudo do ambiente de trabalho é uma ferramenta complementar indispensável; A QVT é uma realidade de múltiplas dimensões todas devem ser tratadas como importantes e as devidas realocações devem ser feitas caso a caso; 31
  32. 32. QVT: Werther & Davis (1981) (1) Defendem que muitos fatores afetam a QVT dentre eles a supervisão, as condições de trabalho, o pagamento, benefícios e o projeto do cargo; Apesar disto o “trabalho em si” é o mais importante, mesmo que todos os outros fatores sejam satisfatórios o trabalhador pode ainda achar a atividade entediante; Suas pesquisas afirmam que para ter QVT o cargo deve ser: “interessante, desafiador e compensador”; A reformulação de cargos não é a solução para todos os tipos de insatisfação., às vezes a melhoria da QV T só será alcançada com a mudança de cargo;  O projeto de cargo deve prever o máximo possível de variedade de tarefas, autonomia na tomada de decisões, e, por fim, a satisfação do colaborador; A reformulação de cargos deve acontecer pela combinação entre as necessidades humanas e as necessidades e da organização; 32
  33. 33. QVT: Werther & Davis (1981) (2) Os autores avaliam a QVT da seguinte maneira: Abordagem mecanística Organizacionais Fluxo de trabalho Práticas de trabalho Habilidades e disponibilidade de empregados Ambientais Expectativas sociais Autonomia Variedade Comportamentais Identidade de tarefa Retroinformação Além destes fatores os autores defendem que para que haja satisfação de ambas as partes participem da elaboração dos cargos; Contradição entre aspectos organizacionais e Comportamentais. 33
  34. 34. QVT: Nadler & Lawler (1983) (1) Observando a perda de importância da QVT no final dos anos 70 buscaram mostrar que isso traria como consequência a perda de valor das organizações; Assim buscaram formar um conceito de QVT que mostrasse o real significado do termo e que deve abarcar:  O que é a QVT  Que resultados pode proporcionar;  Os benefícios pode trazer;  Quais condições para que esta produza os resultados desejados; Ao estudarem os modelos vigentes até então delimitaram uma lista de fatores que fomentam a efetividade dos programas de QVT; 34
  35. 35. QVT: Nadler & Lawler (1983) (2) Participação na resolução de problemasAtividades que devem Reestruturação do trabalhoser exploradas nos Inovação do sistema de recompensasprogramas de QVT Melhoria no ambiente de trabalho Percepção da necessidade Enfocar um problema saliente na organizaçãoFatores que Estruturação para a identificação e resolução dedeterminam o sucesso problemasnos programas de Recompensar resultados positivosQVT Motivar pessoas ligadas a atividades de longo prazo Envolver a organização como um todo Desenvolvimento de projetos em diferentes níveis daPontos centrais que empresadevem ser Mudanças na gestão e no planejamento organizacionalgerenciados Mudança no comportamento dos gerentes mais velhos 35
  36. 36. QVT: Nadler & Lawler (1983) (3) Focaram-se na conceituação teórica da QVT através da análise em diversos contextos de espaço e tempo; Levantaram a história do conceito e previram seus desdobramentos futuros; A importância deles se destaca pela percepção da realidade a qual mostrou que a QVT não perdeu sua importância com o tempo, ao contrário, teve de ser incorporada mesmo nas organizações mais céticas quanto à ela; 36
  37. 37. QVT: Huse & Cummings(1985) Similarmente ao conceito de Nadler & Lawler definem QVT como uma forma de pensamento envolvendo pessoas, trabalho e organização, destacando-se a preocupação com o bem-estar do trabalhador, com a eficácia organizacional e a participação dos trabalhadores nas decisões e problemas do trabalho; Além disso sua abordagem daria ao trabalhador uma melhor QVT com recompensa adequada e satisfatória, saúde e segurança no trabalho, desenvolvimento de criatividade, crescimento e segurança profissional, integração social, direitos do trabalhador, espaço total de vida no trabalho e fora dele e relevância social; Defendem que o ser humano, se inserido numa atividade prazerosa e num ambiente agradável terá uma QVT mais satisfatória; Falam, como Hackman e Oldhan sobre a necessidade de reestruturação de cargos; 37
  38. 38. QVT: Limongi-França (1996) A autora tem seu foco no moderno conceito de visão Biopsicossocial (BPS) da QVT; QVT é: “A capacidade de administrar o conjunto das ações, incluindo diagnóstico, implantação de melhorias e inovações gerenciais, tecnológicas e estruturais no ambiente de trabalho, alinhada e construída na cultura organizacional, com prioridade para o bem-estar das pessoas da organização.”; 38
  39. 39. QVT... Observando os modelos apresentados pode-se dizer que o desempenho e o clima organizacional representam fatores altamente importantes na determinação da QVT, pois “Se a qualidade do trabalho for pobre, conduzirá à alienação do empregado, à insatisfação, à má vontade, ao declínio da produtividade, a comportamentos contraproducentes como absenteísmo, rotatividade, roubo, sabotagem, militância sindical etc.”  Hackman & Suttle (1977); Do contrário a qualidade do trabalho elevada “conduz a um clima de confiança e respeito mútuo, no qual as pessoas tendem a aumentar suas contribuições e elevar suas oportunidades de êxito psicológico enquanto a administração tende a reduzir mecanismos rígidos de controle social”;  (Chiavenato, 2004); 39
  40. 40. Próxima Aula: 16 de 20 Dia 26 de Novembro de 2012, SegundaA Excelência na gestão de Empresas
  41. 41. Bibliografia (1) Livros e Aulas  LIMONGI FRANÇA ANA CRISTINA. Qualidade de Vida no Trabalho - QVT: Conceitos e práticas nas empresas da sociedade pós-industrial . São Paulo, Atlas: 2004.  http://www.editoraatlas.com.br/Atlas/webapp/detalhes_produto.aspx?prd_des _ean13=9788522438891 Websites  Qualidade de vida no trabalho: uma avaliação da Percepção dos docentes do curso de Administração http://www.ufrrj.br/posgrad/ppgen/07/32.pdf  http://www.gestaopublica.sp.gov.br/conteudo/gestaoconhecimento/Apresent_ %20FUNDAP.pdf  www.mackenzie-rio.edu.br/pesquisa/cade7/qualidade.doc  http://www.fafit.com.br/revista/index.php/fafit/article/view/13  http://www.ead.fea.usp.br/semead/11semead/resultado/trabalhosPDF/759.pdf  http://unipe.br/blog/administracao/wp-content/uploads/2008/12/a- importancia-do-programa-de-qualidade-de-vida-no-trabalho-para-os- resultados-na-empresa-ficamp.pdf

×