2012 03-07 - harvard business school - lidando com seu chefe incompetente

560 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
560
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
10
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

2012 03-07 - harvard business school - lidando com seu chefe incompetente

  1. 1. Harvard Business SchoolDealing with Your Incompetent Boss - Lidando com seu chefe incompetenteAmy Gallo - 6 June, 2011, 14:26Todo mundo reclama de seu chefe de vez em quando. Na verdade, alguns consideram o ato de reclamar dochefe um passatempo Americano. Mas há uma diferença entre “um simples desabafo” e um “frustraçãodiária” que pode ser estressante, assim como há uma clara diferença entre um líder com algumas falhas eum incompetente. Lidar com este último pode ser angustiante e desgastante. Mas com a mentalidade certae algumas ferramentas práticas, você não pode apenas sobreviver, mas prosperar.O que dizem os especialistas"A maioria das pessoas já teve experiência com alguém que é incompetente, ou pelo menos inútil", dizAnnie McKee, fundador do Instituto de Liderança Teleos e co-autor de Becoming a Resonant Leader:Develop Your Emotional Intelligence, Renew Your Relationships, Sustain Your Effectiveness. Inépcia emgestores infelizmente é comum. McKee diz que a razão disto está no fato de que muitas empresaspromovem as pessoas pelas razões erradas, em geral pessoas são premiadas, porque mostram resultadosmelhores ou possuem capacidades técnicas adequadas, mas muitas vezes elas não possuem as habilidadespessoais necessárias. Michael Useem, Professor de Gestão Wharton School e autor do livro Leading Up:How to Lead Your Boss So You Both Win diz que se o seu patrão não tem capacidade técnica ou gerencial,os resultados são os mesmos: chefes ruins destroem a motivação, matam a produtividade, e podem fazervocê querer sair gritando do trabalho. Demitir-se resta sempre uma opção, mas não é a única para lidarcom um chefe ruim. Antes de decidir considere estas táticas.Compreender a incompetênciaAntes de declarar o seu chefe inútil, verifique seu pré-conceito e entenda melhor o que você está vendo."Quando você está olhando para o seu chefe, a primeira coisa que você precisa fazer antes de julgar, éolhar para si mesmo", diz McKee. Muitas pessoas têm pontos cegos quando se trata de seus patrões.Pergunte-se, sinceramente, se você está com ciúmes de posição ocupada por seu chefe na organização, ouse você tem uma tendência natural a resistir à autoridade. Sua avaliação de sua incompetência pode serinjustamente informados por essas crenças.Considere também se você tem toda a informação relevante. "Seja cauteloso sobre seu julgamento até quevocê tenha evidências ", diz Useem. Lembre-se que o líder pode ter razões que você não enxerga ouentende completamente. "É muito comum as pessoas se esquecem completamente das pressões as quais ochefe tem que suportar. Em parte, porque um bom gerente vai te proteger destas pressões", diz McKee. Aoaprender mais sobre o seu chefe e desenvolvendo empatia por ele, você pode reavaliar sua competência.Lembre-se, mesmo se você concluir que ele é realmente incapaz, que ele é humano, não demonize.Peça ajuda aos outrosPeça conselhos a colegas ou pessoas fora da organização, desabafe com eles. Isso não significa reclamarindiscriminadamente sobre seu chefe. "Você não vai ajudar se encontrar alguém para entrar na fila dereclamação com você", diz McKee. Busque por confidentes: um colega de confiança, cônjuge, um mentor,ou um Coach. Explique o que você está percebendo, como o chefe está afetando você e seu trabalho, epeça conselhos. "Isto não é uma conspiração contra seu chefe, é uma maneira de verificar o seu ponto de
  2. 2. vista", diz Useem. As pessoas de fora a situação pode lhe dar uma nova perspectiva ou oferecer sugestõesúteis sobre o que fazer.Isso é sobre você, não sobre seu chefeIndependentemente do nível de competência de seu chefe, vocês precisam trabalhar em conjunto parafazer atingir o resultado esperado e, presumivelmente, avançar em sua carreira. Gerir seu chefe funcionamelhor você for capaz de moldar os trabalhos e interações em torno de suas necessidades. "Dizer a alguémque não é auto-consciente de que ele não são auto-consciente, geralmente não é útil", explica McKee. Emvez disso, diga algo como: "Eu quero fazer um bom trabalho e alcançar meus objetivos, e eu preciso de suaajuda para fazer isso." Seja específico sobre o que você quer: as percepções dele sobre o seu trabalho, umaapresentação a um outro colega, a permissão dele para contatar um cliente, etc. Se ele é incapaz de ajudar,sugerir uma alternativa: talvez você pode pedir a um de seus pares ou superiores para entrada ou umaapresentação. Ajude-o a resolver o problema.Liderar-seAo invés de desistir de um chefe ineficaz, concentre-se no que você pode fazer para tampar os buracos. "Éa vocação de liderança para entender o que as necessidades de uma organização, e que o cliente quer e,em seguida, ajudá-los a obtê-lo. Se você perceber que seu chefe não está cumprindo a missão da empresa,mais poder para você para progredir", diz Useem. Você não tem que encobrir erros, mas fazer o que émelhor para a organização. "Lideres são empossados na mesma quantidade que são demitidos ", dizUseem. Você precisa fazer isso sem abrigar ressentimento. Faça porque você sabe que é necessário para obem da equipe.Pense duas vezes antes de eliminar alguémQuando você está trabalhando para alguém que não está conseguindo fazer o seu trabalho, pode sertentador procurar o chefe do seu chefe ou outro líder da organização. Primeiro, considere asconseqüências. "A hierarquia está viva e seu chefe tem mais poder do que você. Se você for expor seuchefe você precisa entender a política dentro da empresa", adverte McKee. As pessoas no topo de umaorganização pode se sentir ameaçadas se virem alguém tentando derrubar seus pares e podem não estardispostos a ajudar. Useem concorda. "É perigoso agir desta maneira. Se a notícia de que você foi oresponsável por entrar em contato com o superior se espalha, quem vai ser o primeiro a sair?" , diz ele.Então, se você decidir se posicionar formalmente, ele aconselha a fazê-lo com cuidado. Faça um teste comalguém de sua confiança antes de ir ao RH ou um superior.Ambos, McKee e Useem, enfatizam que há momentos em que você é obrigado a falar. "Em circunstânciasextremas, se o patrão está envolvido em má-fé, você tem o dever de agir", diz Useem. Nestes casos, vocêprecisa ir ao RH e relatar o que observou. Esteja pronto para compartilhar evidências.Cuide-seTrabalhar para um chefe incompetente pode ser ruim para sua saúde. "Há uma série de pesquisas sobre osefeitos psicológicos negativos", diz McKee. Ela sugere a criação de fronteiras psicológicas que o protegemcontra os danos emocionais. Nós temos uma tendência a apontar para um chefe ruim e dizer: "Ele estáarruinando a minha vida." Mas, isso ignora o fato que você tem agência na situação: você pode decidir sequer permanecer ou não. "Depois de se tornar uma vítima, você deixa de se tornar um líder", diz ela.Focalize naquilo que o faz feliz no seu trabalho, não triste ou angustiado. "Podemos vir trabalhar todos os
  3. 3. dias e prestar atenção a este chefe horrível ou podemos optar por prestar a atenção às pessoas com asquais temos prazer em trabalhar ou ao trabalho que gostamos. Podemos escolher quais emoções que serãonossos apoios", diz McKee .Claro, se você não é capaz de fazer isso, você não deve sofrer indefinidamente. Considere procurar por umatransferência para um novo chefe ou um novo empregador.Princípios para lembrarFazer • Ter empatia com seu chefe e as pressões que ele pode estar sob; • Crie limites psicológicos em torno de trabalho, de modo que a incompetência do seu chefe não impacte negativamente a sua saúde ou bem-estar; • Concentre-se no maior bem da organização e que você pode fazer para contribuir;Não • Tente apontar para o seu chefe todas as maneiras que ele é incompetente; • Vá para chefe do seu chefe, a menos que você esteja ciente das potenciais ramificações; • Fique preso ao lugar se nenhuma de suas estratégias funcionou – saiba quando você precisa sair;Estudo de Caso # 1: Foco sobre o que você precisaHilary Parker tinha recentemente mudado para Baltimore e estava empolgada com seu novo trabalho comuma agência estatal. Ela foi contratada por seu novo chefe, Jeremy, para criar uma nova aliança estadualfocada em questões ambientais. Jeremy trabalhava na agência há anos e era muito querido por toda aorganização. Após três meses no trabalho, no entanto, Hilary percebeu que Jeremy não apresentou-a àspessoas ou marcou as reuniões que ele tinha prometido. Estas conexões eram cruciais porque o projeto deHilary dependia muito na formação de relacionamento interpessoal. "Parecia que ele estava bloqueando-me um pouco", diz ela. Ao longo dos próximos meses, as coisas pareciam piorar. Ele não conseguiuapresentá-la a ninguém, levou muito tempo para responde-la em questões que eram urgentes, e tirouresponsabilidades dela sem explicação. "Eu vi que ele era muito bom em partes de seu trabalho, mas eleera terrível em apoiar e desenvolver o novo programa sob o qual eu era responsável", diz ela.Hilary ficou frustrada, mas ainda está determinada a fazer seu trabalho. Então, ela criou uma tabeladetalhada dos projetos nos quais ela estava trabalhando, incluindo informações sobre o seu estado e oscontatos e apoio que precisava para torná-los bem sucedidos. Ela, então, apresentou o documento paraJeremy. Este exercício ajudou a organizar seus pensamentos e garantir que ela estava atendendo àsexpectativas de seu chefe. Mas ela também usou isso como ferramenta para conseguir permissão parabuscar ajuda em outro lugar. Especificamente, ela perguntou se poderia contatar chefe de Jeremy Michael,o presidente da organização, que eventualmente ajudou tocar alguns dos seus projetos. Michael tambémsentiu a frustração de Hilary e a encorajou a ser aberta sobre isso. "Ele era muito favorável. Ele me deu ofeedback que eu estava esperando de Jeremy", diz ela. No final, com o apoio de Michael, Hilary decidiudeixar sua posição. Poucos meses depois, ele a contratou para trabalhar em um projeto de consultoria parauma outra agência.Estudo de Caso #2: Proteja-se
  4. 4. Stephanie Fadden trabalhou na indústria de marketing e comunicação por mais de 16 anos. Um ano atrás,ela conseguiu um emprego em uma empresa Fortune 100. Michelle, sua nova chefe, tinha uma carreirasemelhante, mas nunca tinha gerido ninguém antes. Logo no início de sua relação de trabalho, Stephaniecomeçou a ver que Michelle não era uma comunicadora clara, não era capaz de articular prioridades, e secomplicava para tomar decisões. Stephanie estava particularmente frustrada quando Michelle devolveuseu trabalho com edições que pouco tinham a ver com o conteúdo, mas eram mais sobre as diferençasestilísticas. Ela viu que esta chefe tinha pouco para lhe ensinar.Felizmente, para Stephanie, ela tinha contato direto com a gerente de Michelle, porque ela a haviarecrutado para a organização. Ela explicou à gerente e a Michelle que ela não achava que este trabalhoespecífico tivesse sido uma boa idéia e propôs uma mudança para uma nova posição com um chefediferente. Ela sugeriu isso incluindo suas necessidades pessoais e absteve-se de reclamar sobre como elaestava sendo gerenciada.A nova posição não se concretizou, mas Stephanie não deixou Michelle levá-la para baixo. Em vez disso, eladesenvolveu táticas de enfrentamento. "Eu pergunto-lhe exatamente o que eu preciso. Se ela é incapaz defornecê-lo, eu lhe dou uma recomendação", diz ela.Ela também mudou sua mentalidade. "Eu parei de tentar mudá-la," diz ela. Ela tenta olhar para ela comcompaixão. "É tão óbvio para mim que ela não está confortável como chefe. Ela pode não saber que ela éincompetente, mas ela deve saber que ela não está fazendo a coisa certa. Ela está tentando fazer o que elapensa que um bom gerente deve fazer." Stephanie também fez as pazes com sua própria situação. "Euaceito que é a minha escolha ficar aqui. Sabendo que isso é algo sob meu controle e que eu não sou umavítima da situação ajudou-me tremendamente", diz ela. Há dias em que Stephanie deseja demitir-se, masela lembra-se que ela está escolhendo ficar. "Se eu concentrar nas coisas sob meu controle, eu tenho umdia mais produtivo."*Os nomes e alguns detalhes foram alteradosFrom: http://feeds.harvardbusiness.org/~r/harvardbusiness/hmu/~3/Y1pkukObjDQ/dealing-with-your-incompetent.html

×