Doenças causadas por protozoários Sem estruturas locomotoras

606 visualizações

Publicada em

Diferenças geográficas podem ser reflexos das diversidades regionais: hábitos religiosos, etnicidade e consumo de alimentos regionais em diferentes partes da Holanda

Publicada em: Ciências
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
606
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
4
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
15
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide
  • Década de 90 mulheres em idade reprodutiva,
    Oocisto maduro: mantem-se infectante 12 a 18 meses.
  • Os cistos em carcaças ou carne moida permanecem viaveis a 4ºC por mais de 3 meses, no congelador (-1 a -8ºC) por mais de uma semana, mas morrem a temperaturas de 67ºC.
  • Fatores de risco plausiveis como cnsumo de carne mal cozida e vegetais mal cozidos/mal lavados nao puderam ser estudados devido à falta de coleta dessas informações.
  • Porque é considerada uma variavel importante no estudo?
  • Doenças causadas por protozoários Sem estruturas locomotoras

    1. 1. Parasitologia Professora: Regina Coeli Gonçalves Lage
    2. 2. AULA 4 Doenças causadas por protozoários Sem estruturas locomotoras
    3. 3. Classe Sporozoea
    4. 4. Classificação dos protozoários Comitê de sistemática e Evolução da sociedade de protozoologia (Levine et al.1980)
    5. 5. • Todos são parasitas obrigatórios intracelulares; • Ciclo Biológico: alternam a reprodução sexuada e assexuada;
    6. 6. Esporozoários
    7. 7. CCoommpplleexxoo AAppiiccaall -- uussaaddoo ppaarraa ppeenneettrraaççããoo nnaass AAnneell AAppiiccaall CCoonnóóiiddee MMiiccrroonneemmaass ccéélluullaass ddoo hhoossppeeddeeiirroo RRooppttrriiaass CC.. GGoollggii NNúúcclleeoo MMiiccrroottúúbbuullooss ssuubbppeelliiccuullaarreess MMiittooccôônnddrriiaa
    8. 8. Classe Sporozoea 1. Subclasse Coccidia 2. Subclasse Gregarinia -Esquizogonia extracelular -Trofozoítos maduros -Gametogamia -Esporogonia Ordem Eucoccidiida Ocorrência em vertebrados e invertebrados Subordem Eimeriina Subordem Haemosporina Toxoplasma gondii; Plasmodium Sarcocystis; Isospora; Cryptosporidium
    9. 9. COCCÍDIOS Ordem Eucoccidiida Subordem Eimeriina Família Sarcocystidae Gênero Toxoplasma
    10. 10. Gênero Toxoplasma TTooxxooppllaassmmaa ggoonnddiiii -Prevalência sorológica: até 80% da população em alguns países com Brasil; -Casos clínicos: pouco freqüentes -Infecções fatais - infecções congênitas - reativação nos casos de disfunção imune
    11. 11. Zoonose: Toxoplasmose Gatos e outros felídeos hospedeiros definitivos ou completos (fase sexuada ou coccidiana) Homem/carneiro/cabra/porco/aves hospedeiros intermediários ou incompletos (fase assexuada)
    12. 12. • Uma das zoonoses mais difundidas do mundo; • No Brasil: 50% a 80% dos adultos aparentemente apresentam testes sorológicos positivos para Toxoplasmose; • 15 a 68% da população adulta norte americana. EUA- 3 mil casos por ano; • Variação na prevalência: – Fatores geográficos – Fatores climáticos – Hábitos alimentares – Tipos de trabalho (NEVES, 2005)
    13. 13. Toxoplasma gondii Formas infectantes do Toxoplasma gondii TTaaqquuiizzooííttoo -Fase aguda -Forma proliferativa, livre ou trofozoíto -Banana ou meia-lua -Móvel, de multiplicação rápida (Tachis = rápido) -Dentro do vacúolo parasitóforo de várias células, líquidos orgânicos, excreções etc
    14. 14. Toxoplasma gondii Formas infectantes do Toxoplasma gondii BBrraaddiizzooííttoo-- ddeennttrroo ddoo cciissttoo -Geralmente na fase crônica -Cistozoíto -Multiplicação lenta (Brady = lento); -Em vacúolo parasitóforo de células, membrana formando cápsula -Forma resistente
    15. 15. Toxoplasma gondii Formas infectantes do Toxoplasma gondii OOoocciissttoo -Produzidos nas células intestinais de felídeos não-imunes -Eliminados imaturos nas fezes -2 esporocistos com 4 esporozoítos em cada -Forma resistente
    16. 16. Toxoplasma gondii A doença oportunista; em imunodebilitados: • Aidéticos, • Pacientes com câncer, • Pacientes que recebem medicação imunossupressora, etc A infecção aguda ou reativação de cistos (fase crônica) podem levar os indivíduos à morte.
    17. 17. Hospedeiro Definitivo Ciclo sexuado Gametas Oocistos não esporulados nas fezes Oocistos esporulados no ambiente Taquizoítos Hospedeiros Intermediários Cistos nos tecidos Taquizoítos Cistos, Taquizoítos, Oocistos TRANSMISSÃO CONGÊNITA
    18. 18. TTrraannssmmiissssããoo • Ingestão de oocistos presentes na água, alimentos, solo, areia, jardins, etc... • Ingestão de cistos presentes em carne crua ou mal cozida (ovinos, suínos, bovinos, caprinos); • Congênita ou transplacentária; • Acidentes laboratoriais; • Transplante de órgãos infectados.
    19. 19. Toxoplasma gondii Transmissão para o homem: •Oocistos nas fezes de gatos jovens não-imunes •Cistos na carne crua (principalmente porco e carneiro) •Taquizoítos no leite, saliva, esperma etc •Congenitamente
    20. 20. Toxoplasma gondii Riscos da transmissão congênita ou pré-natal: Gestante FASE AGUDA ou REAGUDIZAÇÃO -Abortos, alterações e lesões dependem do período da gestação -Importância do acompanhamento no pré-natal
    21. 21. Toxoplasmose Profilaxia: •Não se alimentar de leite cru ou carne crua ou mal cozida •Controlar população de gatos vadios; •Donos de gatos devem alimentar seus animais com carne cozida ou ração •Descartar (incinerar) todas as fezes de gatos •Proteger caixas de areia, evitando que gatos defequem ali
    22. 22. Toxoplasmose Tratamento: Controverso; Drogas efetivas: Sulfonamidas – Pirimetamina (age sobre taquizoitas). Indicações terapêuticas para o tratamento de processos e lesões em atividade.
    23. 23. 1995/1996 • Soro obtido de um banco; • População geral entre 0-79 anos de idade; • Prevalência de IgG anti- T. gondii: – 40,5% na população geral; – 35,2% em mulheres em idade reprodutiva. • Fatores de risco: – Viver na região Noroeste ou em área moderadamente urbanizada; – Contato ocupacional com animais, ou ter um gato; – Ser divorciado ou viúvo; – Nascido fora da Holanda; – Hábitos de jardinagem frequente. 2006/2007 • Segundo estudo de base populacional; • Soro obtido em banco; • Questionário adaptado
    24. 24. Incidência de nascidos vivos com Toxoplasmose Incidência de nascidos vivos com Toxoplasmose congênita congênita 11999955//11999966 33..11//11000000 22000066//22000077 22..22//11000000
    25. 25. Fator de risco: viver na região Noroeste e em áreas urbanizadas ??? Diferenças geográficas podem ser reflexos das diversidades regionais: hábitos religiosos, etnicidade e consumo de Ainda não há esclarecimento para diferenças geográficas alimentos regionais ou para em os diferentes efeitos partes da urbanização da Holanda HIPÓTHEISPEÓTESE
    26. 26. Toxoplasmose- Ciclo de vida

    ×