Aspectos Emocionais Na Gestao De Stakeholders 7CBGP

831 visualizações

Publicada em

Palestra Aspectos Emocionais Na Gestao De Stakeholders
7 Congresso Brasileiro de Gerenciamento de Projetos

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
831
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
4
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
25
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Aspectos Emocionais Na Gestao De Stakeholders 7CBGP

  1. 1. Aspectos Emocionais na Gestão de StakeholdersMaio 29 a 31, 2012
  2. 2. Prof. Helio Ferenhof, M. Eng, MBA, PMP, ITIL • Bacharel em Ciência da Computação;• MBA em E-Business pela FGV/RJ;• Certificado como PMP, Project Manager Professional pelo PMI;• Certificado ITIL Foundations pelo EXIM;• Mestre em Engenharia e Gestão do Conhecimento – UFSC;• Doutorando em Engenharia de Produção – UFSC;• Fundador e sócio diretor do IGCI, empresa de consultoria em Gestão do Conhecimento, Tecnologia da Informação e Gerenciamento de Projetos;• Possui mais de 17 anos de experiência em empresas multinacionais e consultorias de renome;• Especialista em banco de dados DB2, Postgres e MySql;• Linux Administrator;• Professor do curso Tecnólogo em Gerenciamento das Tecnologias da Informação (TGTI) da faculdade SENAC/SC;• Professor da Pós Graduação em Projetos do SENAC/SC;• Professor da Pós Graduação em Projetos & TI da Universidade Estácio de Sá / SC;• Professor da Pós Graduação em Administração de Empresas da SOCIESC –FGV ;• Professor da Pós Graduação em Segurança da Informação do SENAC/SC;• Membro do PMI, associado aos Chapters: PMI RJ e PMI SC;• Participou de vários projetos nas mais diversas áreas em empresas de todos os portes (Vale do Rio Doce, Embratel, Grupo Catho, Essilor, MSA, dentre outras). © Prof. Helio Ferenhof, M. Eng, MBA, PMP, ITIL  2
  3. 3. Dinâmica da PalestraBate papo informal entre os colegas Gestores de Projetos, com intuito desocializar, externalizar, combinar e internalizar conhecimento.A medida que vamos apresentando, iremos interagir com vocês a cerca do tema;Vocês podem e devem interagir  © Prof. Helio Ferenhof, M. Eng, MBA, PMP, ITIL  3
  4. 4. Introdução Gerenciar projetos de acordo com o PMBOK® (2008), inclui fazer face às várias necessidades, preocupações e expectativas dos stakeholders, conforme o projeto é planejado e realizado. Fato que aponta um desafio. Envolver conscientemente todos os stakeholders no projeto. É um processo de desenvolvimento individual e coletivo, que identifica as competências e necessidades de aperfeiçoamento. DEVE-SE levar em consideração suas diferenças e nuances, além de cargo, função e influencia positiva ou negativa ao projeto. Levando em consideração SEMPRE a comunicação entre as partes, mediadas pelo GESTOR. © Prof. Helio Ferenhof, M. Eng, MBA, PMP, ITIL  4
  5. 5. Valor do Compartilhamento deConhecimento O conhecimento, segundo Davenport e Prusak (1998) e Terra (2000), é o ativo de maior valor que uma organização pode ter. A disseminação deste conhecimento junto à equipe de projetos e todos os grupos de trabalho envolvendo stakeholders é uma forma de melhorá-los, desenvolvê-los como equipe e, como indivíduos. São estes stakeholders que vivenciam as experiências e compartilham os conhecimentos, ampliando as possibilidades de transformá-lo em conhecimento organizacional. © Prof. Helio Ferenhof, M. Eng, MBA, PMP, ITIL  5
  6. 6. Valor do Compartilhamento deConhecimento ... O conhecimento organizacional é a capacidade que uma organização tem de criar novo conhecimento, difundi-lo internamente e incorporá-lo aos produtos, serviços e sistemas, transformando conhecimento individual em organizacional (NONAKA et al., 2000). A aprendizagem de grupo, traz a disseminação, o compartilhamento de conhecimento, como um de seus processos fundamentais (WILSON et al, 2007). Sendo definida como: “as atividades por meio das quais indivíduos adquirem, compartilham e combinam conhecimento pelas experiências um com o outro” (WILSON et al, 2007). © Prof. Helio Ferenhof, M. Eng, MBA, PMP, ITIL  6
  7. 7. Valor do Compartilhamento deConhecimento ... A Importância da aprendizagem de grupo e do compartilhamento para uma organização que buscam evoluir nas suas capacidades de gerenciamento de projetos e de criação de conhecimento. O compartilhamento deve permear os cinco grupos de processos do PMBOK® (Iniciação, Planejamento, Execução, Planejamento e Controle e Finalização). Este compartilhar nem sempre é um processo habitual e estruturado nas organizações. Davenport e Prusak (1998) relatam que não se atinge o benefício do constante crescimento se o conhecimento importante existe e não é compartilhado. © Prof. Helio Ferenhof, M. Eng, MBA, PMP, ITIL  7
  8. 8. Por que do Sim e Nãocompartilhamento... Fonte: Adaptado de Tiwana (2002). © Prof. Helio Ferenhof, M. Eng, MBA, PMP, ITIL  8
  9. 9. Valor do Compartilhamento deConhecimento ... O conceito de valor difere de stakeholder para stakeholder. O que o faz ser pessoal, muito subjetivo e temporal, uma vez que esta percepção não é estática, a pessoa ao longo do tempo pode mudar de ideia, interesse, prioridade e conceito. A prática madura e estruturada do compartilhamento de conhecimento é responsável pela: Criação de VALOR organizacional: – por intermédio do desenvolvimento dos projetos, que desenvolverão processos; tecnologias; produtos; – e primordialmente GRUPOS com superior grau de competência técnica e relacional. © Prof. Helio Ferenhof, M. Eng, MBA, PMP, ITIL  9
  10. 10. Valor do Compartilhamento deConhecimento ... Esses grupos desenvolvem o que Edmondson (1999) chama de comportamentos de aprendizagem. Pela busca de: – Feedback; – Compartilhar informação; – Solicitar ajuda; – Conversar a respeito dos erros cometidos e; – Experimentar novas possibilidades. © Prof. Helio Ferenhof, M. Eng, MBA, PMP, ITIL  10
  11. 11. Valor do Compartilhamento deConhecimento ... Que é reforçado pelo PMBOK® V5. Draft (2012), que preconiza: • Exercício do diálogo contínuo para atender necessidades e expectativas dos stakeholders; • O encaminhamento das questões assim que elas acontecem; • A busca do envolvimento apropriado nas atividades e decisões do projeto.• A dificuldade disto acontecer está na parcela subjetiva da percepção do valor do compartilhamento.• Esta parcela, influencia o comportamento dos stakeholders em um grupos de trabalho (medo, suspeita, conflitos de interesse...).• Por detrás disto, têm se toda uma carga emocional. © Prof. Helio Ferenhof, M. Eng, MBA, PMP, ITIL  11
  12. 12. Aspectos Emocionais A falta do conteúdo emocional daquilo que será compartilhado pode trazer prejuízos ao completo entendimento da: – Mensagem à ser compartilhada; – Experiência vivida por cada stakeholder; E como consequência, pode esfriar a relação entre os membros do grupo, causando um afastamento. – Limitando:  O compartilhamento de conhecimento;  As ações oriundas deste compartilhamento. – Consequentemente  Reduzindo a eficiência no gerenciamento de projetos! © Prof. Helio Ferenhof, M. Eng, MBA, PMP, ITIL  12
  13. 13. Aspectos Emocionais... O PMBOK® V5. Draft (2012), aborda: – Que há nuances subjetivas, emocionais nos stakeholders (como em qualquer ser humano) e essas precisam ser consideradas, pois afetam suas relações e o resultado do projeto. – A gestão de stakeholders diz respeito a criação e a manutenção de relações com o objetivo de satisfazer necessidades. © Prof. Helio Ferenhof, M. Eng, MBA, PMP, ITIL  13
  14. 14. Conhecendo os StakeholdersFerramenta: Pensar, Sentir & Querer O esforço para compreender os stakeholders é bem explorado por Moggi & Burkhard (2005) ao descreverem o ser humano como permeado por três energias básicas: O Pensar, o Sentir e o Querer (PSQ). Cada indivíduo possui uma delas mais desenvolvida que retratam seu jeito de ser e sua forma de ver o mundo. Para haver a mudança pretendida ou o resultado desejado em grupo de projeto é preciso buscar o equilíbrio entre o PSQ do grupo. © Prof. Helio Ferenhof, M. Eng, MBA, PMP, ITIL  14
  15. 15. Aspectos Emocionais...Pensar, Sentir & Querer A complexidade amplia-se porque cada indivíduo atua nos processos da organização e toma decisões embasadas em sua forma de ser. Surgem decisões fortemente emocionais, racionais ou situacionais, nem sempre as mais adequadas para determinada circunstância. Os conflitos aparecem quando o impacto de uma decisão ou uma ação atinge um stakeholder ou um grupo com uma dimensão psíquica (sua energia) diferente daquela de quem tomou a decisão ou realiza a ação (POPADIUK, 2006). Segundo PMBOK (2012), o conflito é inevitável em um ambiente de projeto e entre as diversas fontes de conflitos incluem-se os estilos pessoais de trabalho de cada stakeholder © Prof. Helio Ferenhof, M. Eng, MBA, PMP, ITIL  15
  16. 16. Aspectos Emocionais...Conflitos Tratar esses conflitos, ou prevenir-se deles, requer um esforço em entender as peculiaridades humanas aplicadas ao gerenciamento de projetos e aos processos de aprendizagem. As abordagens tratadas no artigo (PSQ e HD) são de grande valia para a auto percepção e para o entendimento do comportamento e atitudes de stakeholders. © Prof. Helio Ferenhof, M. Eng, MBA, PMP, ITIL  16
  17. 17. Aspectos Emocionais...Ambiente Pensa-se emocionalmente, de forma flexível, construtiva e contextual. O ser humano não é uma máquina e sim indivíduo com diferentes experiências de vida, expectativas, emoções, formações e subjetividades e, por isso, pode compartilhar e construir conhecimento em grupo, mas precisa de um AMBIENTE ADEQUADO e uma intimidade conquistada. North (2011). Este ambiente é denominado „BA‟ por Nonaka e Takeuchi (1998). © Prof. Helio Ferenhof, M. Eng, MBA, PMP, ITIL  17
  18. 18. Aspectos Emocionais...Ambiente ... Construção... Para isso é preciso certa grau de PROXIMIDADE, integração/COMUNICAÇÃO e capacidade de interação entre os membros de um grupo. Isso pode gerar um grau de intimidade que permita: – que os indivíduos sintam-se confortáveis e SEGUROS para demonstrar (e conviver com) suas emoções relacionadas à determinada informação (evento, processo, tarefa, acontecimento, instrução, comunicação, etc.), Completando o conteúdo racional para o compartilhamento completo da informação ou conhecimento com seus aspectos lógicos e emocionais. © Prof. Helio Ferenhof, M. Eng, MBA, PMP, ITIL  18
  19. 19. Considerações Finais O entendimento do valor do compartilhamento do conhecimento no gerenciamento de projetos está relacionado: – à percepção que o processo de compartilhar é um diferencial competitivo para a organização. – Torna-se a base para a aprendizagem dos grupos e da organização e responsável pelo dinamismo na criação do conhecimento e inovação. A criação de um ambiente com segurança psicológica permite: – que os stakeholders alcancem um estado de maior liberdade entre eles para o compartilhar livre e efetivo, – que novos conhecimentos sejam construídos sem os medos e bloqueios normalmente existentes. © Prof. Helio Ferenhof, M. Eng, MBA, PMP, ITIL  19
  20. 20. Considerações Finais... O que reforça a criação de uma área específica do PMBOK® destinada a GESTÃO DE STAKEHOLDERS. Devido a importância de aprofundar o entendimento do ser humano e seus aspectos emocionais que afetam diretamente as inter-relações humanas, permitindo descortinar falsas suposições e aparências. © Prof. Helio Ferenhof, M. Eng, MBA, PMP, ITIL  20
  21. 21. Obrigado!Esta pesquisa contou com o apoio das seguintes instituições: Contato: Helio Ferenhof M.Eng, MBA, PMP, ITI L Diretor helio@igci.com.br +55-48-9901-1615 www.igci.com.br O segredo de progredir é começar. O segredo de começar é dividir as tarefas árduas e complicadas em tarefas pequenas e fáceis de executar, e depois começar pela primeira. (Mark Twain) © Prof. Helio Ferenhof, M. Eng, MBA, PMP, ITIL  21

×