Fios e suturas

20.642 visualizações

Publicada em

0 comentários
13 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
20.642
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
12
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
1.038
Comentários
0
Gostaram
13
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Fios e suturas

  1. 1. SUTURAS
  2. 2. Sutura Aproximação de estruturas teciduais
  3. 3. Diretrizes básicas para a sutura • Manipulação e apresentação de tecidos  Bordas devem ser apresentadas e elevadas • Colocação da agulha no porta-agulha  Agulha presa na parte média (ou um pouco atrás) • Transfixação das bordas  Um ou dois tempos • Extração da agulha Apontar para cima apenas quando atravessar as duas bordas Evitar usar os dedos para a retirada
  4. 4. Boa sutura e efeito estético • Inserir a agulha com ângulo de 90º • Adotar um caminho curvilíneo • Simetria tanto nos lados como na profundidade
  5. 5. Suturas com pontos separados • Afrouxamento ou quebra de um nó não afeta o restante da sutura • Não tão impermeáveis  drenagem • Mais trabalhosa e demorada
  6. 6. Ponto Simples
  7. 7. Ponto Simples
  8. 8. Ponto simples invertido
  9. 9. Ponto de Donatti em U vertical (Longe-longe-perto-perto)
  10. 10. Suturas contínuas • Mais rápidas • Mais hemostáticas • Mais fio (corpo estranho) • Caso uma laçada se solte, pode comprometer toda sutura
  11. 11. Boa síntese • • • • • Assepsia Bordas regulares Hemostasia Material apropriado Manuseio adequado • Confrontamento anatômico • Técnica perfeita • Boa vitalidade tecidual • Boa nutrição e hidratação do paciente
  12. 12. Retirada dos fios • O mais breve possível, logo que a cicatriz adquira resistência • Incisões pequenas (4cm) = 7º dia • Excisões mais extensas ou em articulações = 10º dia
  13. 13. FIOS • Quanto a origem – Biológicos (naturais) • Vegetais: algodão, linho • Animais: categute, colágeno, seda – Sintéticos • Nylon, polipropileno, poliglactina (Vicryl) – Metálicos • Aço inoxidável
  14. 14. FIOS • Quanto a sua assimilação pelo organismo – Absorvíveis • Catgute simples (7/10 dias), categute cromado (15/20 dias) e Vicryl (50/70 dias) – Não absorvíveis • Biodegradáveis: nylon (5 anos) • Não-biodegradáveis: aço, polipropileno (Prolene)
  15. 15. Diâmetro
  16. 16. HISTÓRICO • 3500 A.C. : Egito – Fechamento de múmias com fios de couro • 400 A.C. : Fios de tendões de animais • Séc IX: Rhazes - Sutura Abdominal • Séc X: Linho rompe com infecção • Séc XVI: Ambroise Paré – Aproximação de feridas na face com fitas • Séc XIX: Joseph Lister – Esterelização química dos fios, introdução do catgut com crômio • Séc XX: Industrialização dos fios de sutura: George Merson
  17. 17. FIOS CIRÚRGICOS • Materiais usados pelo cirurgião na síntese e reconstrução dos tecidos • Características dos fios - Origem - Força de Tensão - Capilaridade - Diâmetro - Absorção de - Segurança do nó fluidos - Configuração - Elasticidade física - Manipulação - Cor - Reatividade tecidual
  18. 18. FIO IDEAL • • • • • • • • • • • Resistente no meio no qual atua Resistente à tração e torção Calibre uniforme Baixo índice de fricção Não ser cortante Resistente à esterelização Boa segurança no nó Baixa reação tecidual Não possui ação carcinogênica Não provoca ou mantém infecções Manter as bordas das feridas aproximadas até a cicatrização da ferida • Baixo custo • Adequada resistência tênsil • Fácil manuseio
  19. 19. CLASSIFICAÇÃO DOS FIOS Quanto a estrutura • Monofilamentares Categute simples e cromado Seda Aço inoxidável Polipropileno Colágeno Polidioxanone
  20. 20. CLASSIFICAÇÃO DOS FIOS • Multifilamentares Algodão Seda Nylon Dacron Aço inoxidável Ácido poliglicólico Poligactina revestido
  21. 21. CLASSIFICAÇÃO DOS FIOS Quanto á Absorção • Absorvíveis  Origem Animal: Categute simples e cromado  Origem Sintética: Ácido poliglicólico, ácido polidioxanona e poliglactina • Inabsorvíveis  Algodão  Nylon  Polipropileno  Poliamida  Poliester  Fios metálicos  Linho
  22. 22. CLASSIFICAÇÃO DOS FIOS Quanto ao Calibre MAIOR DIÂMETRO ...3- 2-1-02.0-3.0-4.0 5.0-6.0-7.08.0-9.0-10.0... MENOR DIÂMETRO
  23. 23. ESCOLHA DO FIO • Pode ser restrita, ou dependente do hábito, da experiência e do bom senso do cirurgião • Propriedades do fio • Interação do fio com tecido • Questões estéticas • Questões econômicas
  24. 24. CATGUT • Simples, cromado e rápida absorção • Fitas de colágeno da submucosa de intestino delgado de carneiro ou da serosa do gado • Simples: matém a força tensil por 7 dias e absorção em 10 – 14 dias • Cromado: resistente a enzimas do corpo, força tensil por 14 dias(máx 21) e absorção em 90 dias • Rápida absorção na presença de calor
  25. 25. POLIGLACTINA 910(VICRYL) • Absorção completa em 60- 90 dias por hidrólise • Vicryl rápide: parcialmente hidrolisado esterelizado com raios gama. Em 5 dias, 50% da força tênsil . Absorção em 7- 14 dias • Vicryl plus : envolvido com uma camada de triclosan efetivo contra S. aureus, S. epidermis, MRSA e MRSE
  26. 26. NYLON • • • • Polimero de poliamida Baixa reação tecidual Alta força tênsil em 2 semanas Degrada por hidrólise 15-20% ao ano in vivo • Boa memória sendo necessário mais do que três nós para garantia de manutenção do nó • “Nurolon” nylon trançado da seda
  27. 27. POLIPROPILENO (PROLENE) • Esteroisômero isostático e cristalino de polímero de hidrocarbono linear que não degrada com ação enzimática corpórea causando reação tissular mínima • Os nós são mais seguros que outros materiais monofilamentares sintéticos

×