Edição Online Para Um Milhão e Setecentos Diz: Todo Mundo Gosta Mil Leitores 
Niterói 
22/11 a 06/12/14 
www.dizjornal.com...
Niterói 
22/11 a 06/12/14 
www.dizjornal.com 
2 
Cultura 
Paulo Roberto Cecchetti prcecchetti@ig.com.br 
DIZ pra mim... (q...
Niterói 
22/11 a 06/12/14 
www.dizjornal.com 
3 
Documento Edição na internet para Hum milhão e 200 mil leitores 
dizjorna...
D! Nutrição 
clara.petrucci@dizjornal.com | Instagram: Clara Petrucci 
Niterói 
22/11 a 06/12/14 
www.dizjornal.com 
4 
In...
Niterói 
22/11 a 06/12/14 
www.dizjornal.com 
5 
Internet 
Laio Brenner - laiobrenner1@gmail.com 
Você Sabe o Que é Proxy?...
6 Edgard Fonseca Edição na internet para Hum milhão e 200 mil leitores 
Niterói 
22/11 a 06/12/14 
www.dizjornal.com 
edga...
Niterói 
22/11 a 06/12/14 
www.dizjornal.com 
7 
Waldenir Bragança, Marco Lucchesi, Raymundo Romêo e Márcia Pessanha 
Clín...
Niterói 
22/11 a 06/12/14 
Edição na internet para Hum milhão e 200 mil leitores 
O Dia da Festa Roots AF esta Roots foi d...
Niterói 
22/11 a 06/12/14 
www.dizjornal.com 
9 
Conexões 
E! Games 
contato@erisveltonsantana.com 
erisveltonsantana.com ...
Niterói 
22/11 a 06/12/14 
www.dizjornal.com 
10 
Fernando de Farias Mello 
Fernando Mello - fmelloadv@gmail.com 
Atenção ...
11 
Niterói 
22/11 a 06/12/14 
Pela Cidade 
Edição na internet para Hum milhão e 200 mil leitores www.dizjornal.com 
Lei d...
22/11 a 06/12/14 Em Foco 
Niterói 
www.dizjornal.com dizjornal@gmail.com 
12 
Edição na internet para Hum milhão e 200 mil...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Dizjornal122

261 visualizações

Publicada em

Diz Jornal Edição 122

Publicada em: Governo e ONGs
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
261
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
4
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
1
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Dizjornal122

  1. 1. Edição Online Para Um Milhão e Setecentos Diz: Todo Mundo Gosta Mil Leitores Niterói 22/11 a 06/12/14 www.dizjornal.com Ano 06 Nº 122 4ª Semana de Novembro Como Crescer Oportunidades... Durante a Crise. 16 Mil Exemplares Impressos Zona Sul, Oceânica e Centro de Niterói D i r e t o r R e s p o n s á v e l: E d g a r d F o n s e c a Página 03 V i c k L o p e s , * b e l e z a : W a g n e r R a i o l d o P a u l o R o b b e r t * f o t o: J u l i o C e r i n o
  2. 2. Niterói 22/11 a 06/12/14 www.dizjornal.com 2 Cultura Paulo Roberto Cecchetti prcecchetti@ig.com.br DIZ pra mim... (que eu conto) Anna Carolina Peret annaperet@gmail.com que necessários para a sobrevivência. Boa formação e currículo astronômico não são certeza de sucessop ra ninguém. Uma boa indicação é essencial, sem dúvida. Sem ela, a vida fica muito mais complicada– ou, até mesmo inviável. Eu, por enquanto, vou me vi-rando também. Enfrentando a amargura que grudou em mim como praga. E, obviamente, continuarei torcendo para que Téo alcance seus objetivos. Pelo menos a novela quee m geral tem apenas grande função “emburrece-dora”, poderá me trazer também um pouco de esperança! Eu não vivo de jornalismo sensacionalista. Ainda bem... Vou em frente arriscando-me pelas bandas da arte – que eu amo! D epois de realizar tal revelação bombástica, sei que alguns amigos entrarão em contato, inconfor-mados! Eu não ligo... Creio que a grande tris-teza do texto desta semana nãoé eu ter me u confesso! Estou assistindo “Império”, E rendido ao entretenimento do canal aberto. a novela das nove da TV Globo. E faço tal revelação com justificativa. Passei a curtir a atração por conta do personagem do ator Paulo Betti. Para quem não sabe, ele en-carna Téo Pereira, umb logueiro para lá de maldoso, que vive de falar mal dos outros. Uma amiga, também jornalista, foi quem me indicou o folhetim. Ela me contou que, além de fazer de tudo para conseguir uma fofoca, Téo é no fundo um jornalista que quer “me-lhorar”, quer progredir na profissão e deixar os dias de “blogueirod e celebridade” para lá. Não é nenhum garotinho deslumbrado que acabou de sair da faculdade... É um jo-r nalista experiente, que vive do seu blog, mas sonha em fazer um jornalismo mais orgânico e até ganhar prêmios. Creio que na faculda-de muitos vivem esse sonho. Eu, inclusive. Queria trabalhar num grande jornal, ser re-conhecida, enfim... Só que não é tão simples assim. Ainda mais num país onde a censura existe (não, não sejamos hipócritas amigos!), o crescimento econômico é insignificante e a alienação da população apresenta níveis subs-tanciais! Neste cenário, não há comunicador sério que sobreviva... Téo é filho do mesmo sistema que eu: partiu para o jornalismo al-ternativo, para uma atuação autônoma. Não estou canonizando o personagem. Estou apenas dizendo que vivemos em um mun-do cruel, onde a criatividade, a inovação e o famoso “jogo de cintura” se fazem mais do O grande pesar na verdade é reconhecer pu-blicamente o péssimo momento econômico e, consequentemente, profissional que vive-mos. E o pior: sem perspectiva de melhora! Ou seja, se o personagem de Téo realmente conseguir sucesso, é porque as novelas estão cada vez mais longe da realidade... Então, vamos deixar a reflexão de lado e partir para o que esta coluna realmente se propõe: cinema.E, por falar em sétima arte, trago no-tícias formidáveis para os fãs do 007. Há ru-mores de que a produção já pode ter encon-trado um fantástico vilão... Ninguém menos que o ator Christoph Waltz, o grande “bay-boy” do momento.W altz tem baseado sua carreira em papéis pra lá de malvados, como em suas atuações marcantese m “Bastardos Inglórios”, “Deus da Carnificina” e “Djan-go Livre”. Este será o 24º filme do agente inglês (ainda sem título oficial), interpretado por Daniel Craig( “A Casa dos Sonhos” e “Munique”). O ator se juntaráa outras es-trelas já confirmadas no elenco, como a pró-xima Bond Girl, Léa Seydoux (“Azul é a Cor Mais Quente” e “Meia Noite em Paris”), e o ator Ralph Fiennes (“O Leitor” e “Harry Pot-ter”). O novo filme terá o mesmo diretor do último filme da franquia, “Operação Skyfall”, Sam Mendes e já tem data prevista parae s-tréia: 29 de outubro de 2015. Outra boa notícia vem do cinema n-acio nal. Para quem curte comédias e, com certe-za, a atuação sempre fantástica da atriz Ingrid Guimarães, o início do próximo ano prome-te! Ingrid, que coleciona boas performances em seus filmes, como “De Pernas pro Ar” e “Minha Mãe é uma Peça”, agora encabeça o elenco de “Loucas pra Casar”. Neste longa, a atriz encarna uma corretora de imóveis, que descobre próximo ao dia do seu casamento, que o seu noivo - interpretado pelo sempre lindo Márcio Garcia - está de matrimônio marcado com outras duas mulheres: as atri-zes Tatá Werneck e Suzana Pires. A primeira reação do trio será tentar se jogar daP onte Rio-Niterói... Porém, elas acabam se conhe-cendo e decidem tomar outras providências! O diretor RobertoS antucci (“O Candidato Honesto” e “Odeio o Dia dos Namorados”) faz questão de manter em sigilo qualquer ou-tro detalhe sobre o filme, visando garantir o maior suspense possível para a trama. Com certeza, mais uma produção nacional para nos encher de orgulho! Edição na internet para Hum milhão e 200 mil leitores A Queda do Império - Posse de Marcelo Cerqueira na AFL-Aca-demia Fluminense de Letras foi concorrida. - A Biblioteca Pública de Niterói/BPN (Pra-ça da República, s/nº - Centro) oferece gratuitamente, na sala Multiuso, a oficina "Dobrando com Arte e Emoção" voltada através da arte milenar do origami. Dia 25 de novembro, 3ª feira, às 14 h. Classifica-ção livre. - Stil, o cartunista, promove Oficinas de Férias no dia 30 de novembro; dias 06 e 07 de dezembro Kiko Kawahara esta-rá "Soltando o tra-ço"; e quem quiser aprender roteiro de quadrinhos, apa-reça nod ia 14 de dezembro. Ana Carolina Recalde também marcará presença. Tudo isso naG lia (Rua Nilo Peçanha, nº142 - Ingá). Mais informa-ções: rio@animator.com.br (foto 2 Stil) - Alberto Araújo é o mais novo imortal da Academia Niteroiense de Letras, eleito dia 12 de novembro último, com expressiva votação. - O Espaço UFF de Fotografia (Centro de Artes UFF - Rua Miguel de Frias, nº 9 - Ica-raí) apresenta a exposição "Essas Máquinas Maravilhosas", de Luiz Alberto Guimarães, com curadoria de Angela Magalhães e Nad-ja Peregrino. Visitação até 07 de janeiro de 2015. Im-per-dí-vel! - O Solar do Jambeiro (Rua Presidente Do-miciano, nº 195 - Ingá) promove oF órum II Ciclo de Encontros Culturais, Linguísticos e Literários, dia 27 de novembro, 5ª feira, às 15h30min. - Vem aí o 3º Salão de Artes Visuais do CCFA - Centro Cultural França Alemanha. Inscrições até 26 de novembro. Mais in-formações: galeria@icgermanico.com. br / 2714-0879. - Dia 18 de novembro tomou posse na Aca-demia Fluminense de Letras/AFL o imortal das academias Brasileira e Niteroiense de Letras, Marco Lucchese. - O Professor Roberto Santos cotado para ser o novo presidente da Academia Nite-roiense de Letras. (foto 3)
  3. 3. Niterói 22/11 a 06/12/14 www.dizjornal.com 3 Documento Edição na internet para Hum milhão e 200 mil leitores dizjornal@gmail.com Como Crescer Durante a Crise Por mais que os governantes e políticos petistas preguem irresponsavel-mente que “está tudo bem”, todos sabem por força do cotidiano que o nosso país caminha para uma grave crise. Basta observar as prateleiras dos supermercados, a retração nas vendas de automóveis e imóveis e um comércio que começa a se ressentir das fracas vendas dos últimos meses. Entretanto, a crise que se desenha é mais grave e profunda que uma crise econômica. Estamos à beira de crises em várias as instâncias, que vai da institucional à financeira. Avissareiros, pesar dos avisos, pouco ou nada al- devemos estar atentos e criarmos defesas imediatas antes que o mal maior nos atinja. Precisamos reagir, apesar da crise moral, do aparelhamento das instituições e instâncias de governo e sociais. Não poderemos evitar os estragos que o in-quérito e processo judicial sobre o gigantesco roubo da Petrobrás fará nas nossas crenças e atitudes. Todos, absolutamente todos nós, já perdíamos há muito tempo. Mas, o estrago que se fará na tela da nossa sociedade ainda é imprevisível. Perdemos a confiança e o res-peito por nossos governantes. Eles insistem na tática da negação sistemática, transferindo responsabilidades e literalmente invertendo posições e valores. É absolutamente ultrajan-te ver a presidente declarando internacional-mente que “agora” o Brasil vai ter um caso de corrupção investigada e que haverá punições. Que foi o “seu governo” que deu ordens para o Ministério Público e Polícia Federal para que investigassem e prendessem “todos os infratores e larápios refinados”. Ela sai da condição de investigada para auto-ra das ações positivas. Teve todo tempo do mundo para evitar estes crimes quando era ministra de Minas e Energia, presidente do Conselho da Petrobrás, chefe da Casa Civíl e presidente da República. Nada fez, além de elogios e aportes para os mesmos que estão presos e denunciando o esquema e os parti-cipantes, mediante um acordo de redução de pena, na figura da “delação premiada”. Embora nada tenha sido explicitado até o mo - mento, não será surpresa se os atuais delato-res acusarem formalmente a presidente e o ex-presidente Lula. Já fizeram revelações de que eles sabiam de tudo. Resta agora implicá-los diretamente. Estes prováveis fatos irão desencadear uma grave crise política e institucional. Haverá o impedimento da presidente ou haverá a im-plantação da desordem geral e falta de auto-ridade. A insegurança jurídica abalará todos os pilares morais do Estado. Fatos como este poderão criar inseguranças institucionais e Tradicionalmente enfrentamos no Brasil sucessivas crises econômicas, oportunistas sempre aparecem. Inclusive os com inflação muito alta, recessão persistente, falta de fluxo de dinheiro, desestímulo empresarial e desemprego. Sofremos repetidas vezes a nos-sa vida retroceder de padrão e muitos passaram apertos inesquecíveis. Apesar da desfaçatez governamental, que inverte e subverte a verdade, os acontecimentos se apresentam de forma irrecusável e se torna inadiá-vel assumirmos o labirinto que permitimos que fosse construído. - i n t e r n a c i o nais. P r e c i s a m o s estar pre-parados. O país já vive um acentu-a do desequil-í brio das suas contas e tudo refletirá nos mercados, no investimento externo, nas exportações, câmbio e receitas. A sociedade como um todo deverá encontrar seus próprios mecanis-mos de resistência, pois poderemos ter que corrigir rotas e sermos solidários uns com os outros, até que tudo possa se normalizar. Fazendo uma analogia simples, é como se estivéssemos num teatro, no meio do espe-táculo, e nas fileiras de trás acontecesse uma briga generalizada. O espetáculo não pode e nem deve parar. Mas, é preciso que a segu-rança intervenha para que o tumulto não se espalhe. Os demais participantes da plateia e atores deverão fazer um esforço, para se harmonizarem para que o espetáculo prossiga e outras sessões aconteçam. O principal mal que deverá ser combatido a qualquer custo é a sensação de desalento e negativismo. Estes sentimentos quando coletivizados promovem a depressão em massa. É preciso manter a vela no alto, mesmo que não haja ventos. Uma hora vai ventar novamente e deveremos estar sempre prontos. A vela recolhida, até que se levante e se torne utilizável, vai perder oportunidades que não retornam mais. Daí é preciso manter o desejo da ação na sua ple-nitude. É preferível caminhar buscando cami-nhos, a sentar-se na beira da estrada e esperar que o predador nos alcance. Evitemos o círculo vicioso da negatividade: não fazemos nada porque não temos dinhei-ro, e não temos dinheiro pois não fazemos nada. As ideias de John Maynard Keynes, um cida-dão inglês que enfrentou a grande depressão dos anos 30, nascidas da oportunidade força-da pela crise, ainda têm muita influência atu-almente. Ele e outros de sua geração criaram o sistema multilateral que ainda permanece e que devemos refazer mais uma vez para tratar dos desafios de nossa era. É claro que os fato - res se modificam e é preciso fazer uma relei-tura da realidade atualizada. E em tempos de crise é mais arriscado fazer de menos do que fazer demais. É preciso multiplicar, os espa-ços ao invés de recuar. Criar novas parcerias, conquistar novos clientes, diversificar o perfil da clientela, independente da multiplicidade de tipos. Não há espaço para preconceitos. A ordem é multiplicar, e divisão só de gentile-zas. Uma atitude mais agressiva na conquista de espaço ajuda a identificação mais rápida dos meios de produção e lucros. É preciso observar as diferenças entre o que começa com uma crise financeira e transfo-r ma-se rapidamente em uma crise econômi-ca. Escassez de dinheiro não deve dar lugar à perda de patrimônio e recursos. É tentar impedir o que descamba para uma crise de desemprego. Se não houver novos ciclos e circulação de dinheiro e valores, a tendência à estagnação é evidente. Numa guerra não se pode ficar parado, pois nos transformamos rapidamente em presas e alvos fáceis. O movimento é a essência da resistência. As camadas e campos de força se movem e se correspondem. É como um ciclo de catás-trofes. Para impedir que se desenvolvam e produzam mais estragos é necessário interromper o ciclo de comunicação e desenvolvimento destes fatores. Se pro-movermos algo que impeça a progressão do mal, estancamos o fluxo, tal qual no combate de uma doença contagiosa. É preciso encapsular o mal, isolá-lo, deixar que se dissipe por falta de novos alimen-tos. Enquanto isso, estaremos toman-do providências para novas investidas e contra atacar com medidas positivas. É preciso manter o moral em alta. Não há espaço para desânimo e desistências. Tomemos como exemplo um comerciante que ao perceber a crise se encolhe, para de comprar novas mercadorias, apaga metade das lâmpadas da loja e não faz mais publici-dade do seu negócio para economizar. Com estas atitudes ele acentua ainda mais o quadro crítico. Ele faz com que seus clientes percam a motivação de comprar. Não recebem mais informações sobre novos produtos, quando conseguem chegar à loja ela está meio paga-da e desabastecida. Toda motivação da com-pra desaparece. Este comerciante estabeleceu um ciclo de derrotas e vai fatalmente quebrar ou perder espaço para outro comerciante, mais jovem, ávido por usar a oportunidade de conquistar espaço no mercado. Para o comerciante jovem em tempos normais, isso seria muito difícil. Mas, durante uma crise as oportunidades aparecem. Muitas marcas, cadeias de lojas e até instituições de crédito cresceram nas crises. Enquanto a maioria se encolhia, eles se espalhavam. Crise é parte de um ciclo. O desafio é a mola mestra das realizações. A oportunidade de luta ou sinalização que algo precisa ser muda - do, sempre aparece nos momentos de crise. Esta é a razão dos chineses milenarmente ter como sinônimo de crise a “oportunidade”. Crise sem o “S” é Crie. E a visão que se deve ter é de uma Cri$e, com muitos meios de produzir dobrado para quebrar a inércia e vencer a causa. Não se deixe abater. Invista e acredite. Pesso - as ficam, crises passam.
  4. 4. D! Nutrição clara.petrucci@dizjornal.com | Instagram: Clara Petrucci Niterói 22/11 a 06/12/14 www.dizjornal.com 4 Informes Expediente Edgard Fonseca Comunicação Ltda. Rua Otavio Carneiro 143/704 Niterói/RJ. Diretor Responsável: Edgard Fonseca Editor: Edgard Fonseca Registro Profíssional MT 29931/RJ Distribuição, circulação e logística: Ernesto Guadelupe Diagramação: Eri Alencar Impressão: Tribuna RJ Tiragem 16.000 exemplares Redação do Diz End: Rua Cônsul Francisco Cruz, nº 3 Centro - Niterói, RJ Tel: 3628-0552 | 36285252 | 9613-8634 Correspondência para Administração Rua Cônsul Francisco Cruz, nº 3 Centro - Niterói, - CEP 24.020-270 dizjornal@gmail.com www.dizjornal.com Os artigos assinados são de integral e absoluta responsabilidade dos autores. Arrecadação de Presentes para Pestalozzi Associação Pestalozzi de A Niterói iniciou a sua cam-panha de arrecadação de presentes para o natal das cerca de 600 crianças e adolescentes que estudam ou fazem tratamento na tradicional instituição filantró-pica localizada em Pendotiba. No dia 18 de dezembro, a partir das 10 horas no ginásio de esportes, acontecerá a festa de fim de ano, com a chegada do Papai Noel oficial de Niterói, interpretado pelo artista Sohail Saud. Os presentes arrecadados para o |Natal das crianças da Pestalozzi estão sendo doa-dos por voluntários e simpatizantes à causa. Quem quiser participar tem até o dia 5 de dezembro para encaminhar à Pes-talozzi de Niterói o seu presente. Entrando em contato com a insti-tuição é possível solicitar uma ficha com os dados de uma criança que se deseja presentear. A ficha, além de contar com o local onde a crian-ça faz tratamento, contém dados, como nome e a sugestão do pre-sente que ela deseja ganhar, além da idade. A ficha pode ser solici-tada no perfil da Pestalozzi nas re-des sociais, ou através do telefone 21994436. A Pestalozzi encaminhará por email ou via fax todas as informações. Pessoa da Emergência os atendimentos de emergência mé- Ndicas de acidentes, especialmente au-tomobilísticos, os médicos e paramédicos perceberam que, na maioria das vezes, os feridos têm um celular consigo. No entanto, na hora de intervir com estes doentes, não sabem qual a pessoa a contatar na longa lista de telefones existentes no celular do aciden-tado. O SAMU lançou a ideia de que todas as pessoas acrescentem, na sua longa lista de con-tatos, o número da pessoa que deve ser contatada em casos de acidentes e emergências. Deverá ser feito da seguinte forma: 'AA Emergência' (as letras AA são para que apareça sempre este contato em primeiro lugar na lista de contatos). É simples, não custa nada e pode ajudar muito ao SAMU, e a quem nos acuda ou possa nos acudir. É tão somente mais um dado que registramos no nosso celular e que pode ser a nossa salvação. Divulgue esta ideia. Poderá facilitar a vida de muita gente. Aposentadoria do Deficiente Comissão de Previdência Social da A OAB Niterói discutirá em seminário a “Lei Complementar 142/2013 – Seus efeitos em 2014”. Terá como parceiros o Instituto Latino-Americano de Direito So-cial (IDS) a OAB de São Gonçalo e Belford Roxo. Será dia 4 de dezembro, das 9h30 às 12h30. O Seminário reunirá no auditório da OAB Niterói, Fábio de Souza, juiz da 2ª Vara Federal de São Gonçalo, que vai abordar “Aposentadoria do Deficiente”; a advogada e vice-presidente da Comissão de Previdência Social, Ignez Maria de Le-mos Lyra, que falará sobre “Os efeitos al-cançados pela aplicação da LC 142/2013; e Adriana Maria Hilu de Barros Moreira, chefe da Perícia Médica do INSS e coorde-nadora do Núcleo de Assistência Técnica Pericial da Procuradoria Regional Federal da 2ª Região, que comentará sobre as “Di-ficuldades da implantação e execução das perícias no cumprimento da Portaria Inte-r ministerial nº 01/2014. O evento é gratuito, mas devem ser feitas inscrições pelos telefones 3716-8922 e 3716-8923. Será atribuída carga horária para estudantes. Qcoluna u e m a c o m p a n h a a aqui, sabe o quanto assinalo e abordo a importância do equilíbrio em todos os âmbitos da alimentação; de como uma dieta adequada e uma vida saudável podem influenciar positivamente em uma vida feliz e equilibrada. Já dividi com vocês opinião sobre dietas restritas extremas e principalmente com a restrição geral das gorduras. Existem gorduras "boas" e "ruins". Hoje já foi provado que esse "ruim" é discutível de acordo com o estado nutricional do paciente, objetivo e necessidades. Não é para sair por aí comendo gordura indiscriminadamente, mas entender, mais uma vez que o equilibro é a chave de tudo; só um profissional capacitado vai saber avaliar a quantidade adequada de nutrientes para cada ser humano. Falei também das propriedades positivas dos ácidos graxos e recentemente saiu um estudo trazendo mais um benefício. Na Conferencia Internacional Sobre Psicose, que aconteceu em Tóquio (Japão), foi abordado um tema muito valioso para ciência: "Óleo de Peixe pode ajudar a prevenir a psicose entre jovens que têm um alto risco de desenvolver a doença " Por possuir propriedades anti-inflamatórias, são neuroprotetores e também influenciam a atividade da dopamina em regiões do cérebro que são relevantes para a esquizofrenia, segundo os estudiosos. Com esses estudos há possibilidades de novos medicamentos serem desenvolvidos e a prevenção pode ser feita desde já! A ingestão de ácidos graxos não pode estar fora da sua dieta. Os hormônios são sintetizados através deles, e com tantos benefícios que vem sendo apresentados não pode haver restrição. Mas volto a repetir... Tem beneficio sim, mas não se deve abusar das gorduras.
  5. 5. Niterói 22/11 a 06/12/14 www.dizjornal.com 5 Internet Laio Brenner - laiobrenner1@gmail.com Você Sabe o Que é Proxy? Qxy” uantas vezes já ouvimos a palavra “Pro numa conversa sobre internet e muita gente não faz a menor ideia do que se trata? Na rede mundial, “Proxy”, que significa em português, “Procurar”, é um servi-dor (que é um sistema de computador ou uma aplicação) que tem a função de agir como um intermediário para requisições de clientes soli-citando recursos de outros servidores. Pode ser uma conexão, um arquivo, página web ou outros recursos disponíveis de um servidor diferente; e o Proxy avalia a solicitação como um meio de simplificar e controlar sua complexidade. Os sistemas de Proxies foram criados para adi-cionar estrutura e encapsulamento a sistemas distribuídos. Hoje, a maio-ria dos proxies são proxies web, facilitando o acesso ao conteúdo na World Wide Web e com a vantagem de fornecer anonimato na conexão. Além disso, pode atuar como um servidor que armazena dados em forma de cache em redes . O servidor “Proxy” têm uma série de usos, como providenciar anonimato, filtrar conteúdo e outras funções de sigilo. Um Proxy de cache HTTP permite que o cliente requisite um documen-to na World Wide Web e o Proxy procura pelo documento na sua cai-xa. Se encontrado, a requisição é atendida e o documento é retornado ORAÇÃO A SANTO EXPEDITO Festa 19 de abril. Comemora-se todo dia 19 Se vc. está com algum Problema Difícil e , precisa de aparentemente sem Solução Ajuda Urgente , peça a Santo Expedito. Ele é o Santo dos Negócios que precisam de pronta solução e cuja invocação nunca é tardia. ORAÇÃO : Meu Santo Expedito da Causas Justas e Urgentes, socorrei-me nesta hora de aflição e desespero. Intercedei junto ao Nosso Senhor Jesus Cristo! Vós que sois o Santo dos Aflitos, Vós que sois o Santo das Causas Urgentes, protegei-me, ajudai-me, Dai-me Força, Coragem e Serenidade. Atendei o meu pedido: (fazer o pedido) Ajudai-me a superar estas Horas Difíceis, protegei-me de todos que possam me prejudicar; Protegei minha família, atendei o meu pedido com urgência. Devolvei-me a Paz a Tranqüilidade Serei grato pelo resto da minha vida e levarei seu nome a todos que têm fé. Ave Maria Obrigado. Rezar 1 Padre Nosso,1 e Fazer o sinal da cruz. “para que os pedidos sejam atendidos é necessário que sejam justos”. Santo Expedito Agradeço a Santo Expedito a Graça Alcançada. imediatamente. Se não encontrar, o Proxy procura o documento num servidor remoto, disponibiliza para o cliente e salva uma cópia em seu cache. Como servidor, Proxy não é o servidor original, é requisitado, proporciona uma redução do uso da banda. O Proxy também pode ser usado (até mesmo por empresas) para aumentar a segurança da sua nave-gação. Algumas pessoas o utilizam por questões de privacidade, para tornar as visitas anônimas. Além de que, qualquer restrição de na-vegação, geralmente imposta por instituições e governos, pode ser quebrada e a liberdade da internet se consolida. Existem programas para a utiliza-ção de Proxy, mas, há formas de configurá-lo manualmente nos na-vegadores. Bom Finde!
  6. 6. 6 Edgard Fonseca Edição na internet para Hum milhão e 200 mil leitores Niterói 22/11 a 06/12/14 www.dizjornal.com edgard.fonseca22@gmail.com Vamos Invadir a Sua Praia Hanos, á mais de trinta durante um jantar numa - co bertura elegante em São Conrado, eu disse para um político, também morador da região: “está vendo este morro todo iluminado? Pa-rece um poético presépio, mas se vocês não tiverem a atenção e o cuidado devido isso vai se transformar numa bomba. Já imaginou se estes moradores resolverem vir para cima de vocês? Eles não vão precisar nem de armas. Na mão ou com pedaços de pau eles atravessam este prédio aqui como formigas carregadeiras. Não tem polícia que segure. Prestem muito bem atenção. É preciso educar, profissionalizar, integrar e oferecer meios de sociabilização. Caso contrário... Isso vai dar errado!”. É claro que os ânimos estão muito mais exaltados pela prática estimuladora das de-savenças sociais, usadas pelo PT. As estó-rias “nós contra eles, ricos x pobres, ocupar é o que importa...” E por aí vamos indo. Esta semana tivemos o episódio da “ocu-pação das ruas e das praias do Leblon” por pessoas das famílias da ocupação Zumbi dos Palmares, organizadas pelo MTST em São Gonçalo. Foram para “ocupar” em forma de ame-a ça. A praia ficou cheia destes manifestantes (muitos deles nunca tinham pisado os pés no Leblon, mesmo morando em São Gon-çalo, que fica a uns 40 quilômetros da Zona Sul do Rio.). Os banhistas se retiraram da praia temendo agressões e os prédios residenciais manti-veram seus usuais esquemas de segurança. Não houve episódio de violência, Eles usa-ram apenas palavras de ordem e de ressen-timento social. O que está sendo criado é um pensamento de conquista sem esforço. Esta estimulação a ocupações tornou-se um discurso de di-reito adquirido. Não se estimula o traba-lho, a profissionalização e nem são gerados empregos para acolhimento dos possíveis trabalhadores. A filosofia introduzida para esta “massa de manobra” de eleitores fiéis é a do ócio premiado. Tudo deverá vir de e serão instrumentos úteis para as práticas graça. Continuarão na miséria controlada ideológicas dos dirigentes petistas. É mais ou menos como em Cuba. O povo não tem direito nem ao uso de sabonete e papel hi-giênico. Mas, seus dirigentes vivem naba-bescamente. Fidel Castro é um dos homens mais ricos do mundo. As castas comunistas não são novidade. A antiga União Soviética mostrou muito bem estas práticas. Fato que levou a derrocada do “império russo”. Nunca uma nação co-munista foi tão desigual. Esta prática de ocupação tem várias formas. Basta ver no exame do ENEM o tipo de per - gunta, a resposta esperada e dita como cer - ta. Eles estão reescrevendo a história, se-gundo a ótica do partido e suas aspirações ideológicas. Estão “comendo pelas beira-das”, como sempre fazem. Estão fazendo uma lavagem cerebral nas escolas, desde a base. Se as coisas caminharem deste jeito, num futuro não muito distante, encontra-remos nos livros escolares de história que José Dirceu, Genoíno e até Delúbio Soares são “heróis de resistência”. Lula então vai ser “canonizado” e será mais importante que Tiradentes, Getúlio Vargas ou Juscelino Kubitscheck. Ele (Lula) diz que vai reescrever a história do mensalão e vai provar que nunca existiu. Os petistas usam as táticas de negação e afirmação contrária. É como se alguém fosse pego com o produto de um furto na mão. Ele imediatamente afirma que tinha recuperado a “rés furtiva” e estava levando para devolver ao dono. É uma prática en-saiada em todos os recantos petistas. Se algo de muito republicano e regulador não acontecer neste escândalo do Petrolão, podemos pedir asilo em outras terras. Esta aqui será definitivamente a terra arrasada. O País do Faz de Conta, ou Terra do Nunca... A mais nova piada petista é que eles estão “revoltados” com os em-preiteiros, Afirmam que eles são os culpados da corrupção na Petrobrás. Dizem que estes criminosos corruptores se valeram da fraqueza dos diretores da empresa e dos políticos e corromperam todos! Coitadinhos dos agentes públicos. Dos pobres e ingênuos políticos, do tesou-reiro do PT... Marketing Sem Medidas Te odos sabemos que o marketing a publicidade tem a prática de “dourar a pílula”, apresentando as qualidades e propriedades de um produto ou ideia. É legítimo o ato de seduzir para influenciar, criar conceitos e adesões e até vender. Entretanto, quando esta publicidade p-er de os limites da realidade, exagerando elementos, qualidade e quantidades, não apenas perde o seu efeito caindo no des-crédito, mas, chega ao ridículo e sofre o desprezo popular. Os marqueteiros e publicitários que fazem a propaganda da prefeitura de Niterói per-deram a dimensão da realidade e fizeram Por sua vez, os empreiteiros se dizem ví-timas de extorsão e chantagem. Se não dessem as propinas não teriam as obras... Coitadinhos, tão indefesos... A verdade é que corrupção tem que ter os dois lados. Tem o que corrompeu e o que se deixou corromper. Esta prática só exis-te na base da parceria. Portanto, todos são responsáveis. Pau neles! uma campanha que virou piada na cidade. Ela é tão pretenciosa e megalômana que in-sulta o conhecimento e as inteligências dos habitantes da cidade. Está certo que Niterói é uma cidade en-cantadora por suas belezas naturais e pelo povo amigo e leal que tem. Agora, daí fa-zer comparativos de qualidade com cidades como Sydney, Amsterdam e Lisboa, onde apresentam Niterói como infinitamente me-lhor... “Viajaram na maionese”! Certamente eles nunca foram a estas cida-des. Sydney é uma das cidades mais qualifi-cadas do planeta. Lá tudo funciona inclusive a verdade! Propriedade que em Niterói tem sido escassa.
  7. 7. Niterói 22/11 a 06/12/14 www.dizjornal.com 7 Waldenir Bragança, Marco Lucchesi, Raymundo Romêo e Márcia Pessanha Clínica Dr. Helder Machado Urologia Tratamento de Caá Rlcauiloo LRaesnearl Atendemos UNIMED e Particular Atendimento 24H pelo tels: 8840-0001 e 9956-1620 Rua Dr. Celestino, 26 Centro - Niterói. Tels: 2620-2084 / 2613-1747 Marcando Posição sa e demolidora. Os usuários to-maram conta do centro da cidade, e os moradores, comerciantes e profissio-nais liberais queixam-se e dizem que nin-guém aguenta mais. Nos fundos da antiga prefeitura, o Palácio Araribóia, funciona um depósito clandestino de papeis e outros re-síduos. Os usuários de crack se drogam, fa-zem todas as suas necessidades fisiológicas pela calçada e entram em atrito entre eles e com as pessoas. O Palácio Araribóia, visto de cima, está com lonas cobrindo o telhado e se vê o tal depósito clandestino como uma lixei-ra. Na esquina de Marechal Deodoro com Consul Francisco Cruz, sob a marquise da Igreja Renascer, outro grupo se apresenta à noite. É uma desordem geral. O barulho de suas brigas não permitem os moradores dormirem um só momento. No entorno do edifício Tower outro grupo se movimenta. E ainda tem um grupo que faz desordem na entrada do Pé Pequeno. A população questiona a atuação da municipalidade nas políticas públicas de atendimento social. Sobra dinheiro para publicidade, portanto, atendimento social deve ser prioridade. E aí? Dá para comparar com Sydney? Com ministro da Aviação Civil We- O certeza lá as coisas são bem diferentes... lington Moreira Franco ao longo deste muitos anos de atividade política dedicou-se sempre a cidade Niterói, onde foi prefeito. Ape-sar de estar em Brasília, não deixa de participar da vida da cidade e cotidiana-mente faz uma interferência. Para quem não sabe, deve-se a ele, a reforma do Palácio dos Correios quan-do era vice-presidente da Caixa Econô-mica. A reforma do Posto de Saúde do Largo da Batalha veio através de v-er bas conseguidas por ele. A necessária duplicação da Avenida do Contorno é um projeto com verbas conseguidas por ele em parceria com o deputado Felipe Peixoto. Esta obra beneficia muito a Ilha da Concei-ção com novos acessos. E recentemente, retomou o aeroporto de Maricá, colocando-o sob a administração do governo do Estado. Esta medida além de sanear e reparar algumas distorções, co - loca o aeroporto a serviço do apoio das ae-ronaves que sevem ao trabalho no pré-sal. Balança Mas Não Cai Eé speramos que não caia. Mas o risco grande. Uma suposta obra de arte colocada em frente da porta lateral do edifício Tower, ameaça à segurança das pessoas. Um dos postes (palitos ou mastros ou sei lá o quê) está para desabar. A oxida-ção da base apresenta a fratura que possi-velmente não irá resistir por muito tempo, Vai cair e esperamos que não seja em cima de uma pessoa. Outro mastro já tombou. Agora vamos esperar o acidente ou alguém de direito vai tomar uma providência? A responsabilidade é do condomínio, mas a prefeitura tem que intimar e fiscalizar. Em Lisboa isso não aconteceria... Posse na Academia arco Lucchese tomou posse na Academia Fluminense de Letras. Foi saudado por José MRaymundo Martins Romêo. Lucchese enalteceu quem o saudava, falou da beleza da sua infância em Niterói e criticou o avassalador crescimento imobiliário de Niterói. Na festa Roots, Barbara Marcolini e Ricardo Acyoli responsável pelas fotos do Renda Fina
  8. 8. Niterói 22/11 a 06/12/14 Edição na internet para Hum milhão e 200 mil leitores O Dia da Festa Roots AF esta Roots foi despretensiosamente criada por um grupo de amigos. Entretanto, pela irreverência e o grau de divertimento que produziu, legitimamente e sem pose, tomou www.dizjornal.com 8 Renda Fina grandes proporções. Hoje é uma das festas mais aguardadas da cidade. Os organizadores são: Gabriel Torres, Eduardo Nogueira, Caio Pacheco e Felipe Amorim. Zambrotti e Mergulhão apresentando amigos Pedro Kurdian, Ramon Pimenta, Gabriela Novaes e Bruna Martins Variedade de Fantasias Aniversariantes da Edição Camila Otero como uma linda mulher. E é mesmo Jaqueline Moço Fausto Hoeltz Sandra Maria Lucas Leandro Portugal Luciene Bressand Fotos Ricardo Acyoli Giuliano Lara e Clara Petrucci Caio Pacheco e Marcela Kronemberger André Monteiro e Débora Craveiro Clara Petrucci, Hugo Alexandre e Manoela Magni
  9. 9. Niterói 22/11 a 06/12/14 www.dizjornal.com 9 Conexões E! Games contato@erisveltonsantana.com erisveltonsantana.com Por Jerônimo Falcone Sonhos. É Possível Parabéns pra Vocês Acreditar nos Conteúdos? Hperada á um ano chegava às lojas a tão es- nova geração de consoles, videogames dotatos de capacidade gráfica de alta resolução e processamento de dados nunca antes imaginada. Tecnolo-gia de ponta acessível apenas para aqueles que podem pagar, e pagar caro. Pelo menos no Brasil é assim. Tanto PlayStation 4 quanto Xbox One com-pletam esse mês um ano de vida. Agora, passado esse tempo do lançamento e que muitos se perguntam: vale investir num vi-deogame novo? Será que compensa com-prar um PS4 ou um Xbox One? Quais jogos escolher? Qual dos dois é melhor? O PS4 é superior ao Xbox One. Isso é um fato, pois possui hardware superior e todos os jogos apresentam gráficos melhores no PS4. O XboxOne apostou erroneamente na for-mula “sempre online”, porém a Microsoft buscou melhorar sua plataforma com atua-lizações, diversas funções e aplicativos. Ambos os consoles ofe-recem games gratu-ita mente e possibilitam o jogo online atrevés de uma assinatura, além de outros serviços ofereci-dos em suas redes online, como aplicativos de vídeo e música. Quem vende mais? Isso faz diferença? Segundo dados do site Ars Technica, o PS4 ven-deu 40% mais unidades que o Xbox One, porém não se tem exatidão no Brasil, visto que o PS4 custa praticamen-te o dobro do preço que seu concorrente direto. Sobre preços: oficialmente, o PS4 custa R$ 4 mil e o Xbox One, sem Kinect, sai por R$ 2 mil. Mas é comum encontrar os apare-lhos por preços mais em conta em grandes varejistas. E os jogos? O número de jogos para PS4 e Xbox One não era grande coisa no laçamento, mas hoje a situação mudou para melhor. Entre jogos exclusivos, “semi exclusivos” (que sa-íram para PC e um dos consoles) e jogos multiplataforma, há opções para todos os gostos. A oferta de títulos exclusivos para Xbox One possuí games como “Forza Hori-zon 2”, “Sunset Overdrive” e a coletânea “Halo: The Master Chief Collection”. Para o PS4 há títulos como: “The Last of Us Remastered”, “Infamous: Second Son” e “DriveClub”. Até a próxima. Dt esde os e m p o s rem otos os sonhos desem-penham fortes significados nas nossas vidas. É preciso estabe-lecer diferenças entre os sonhos de vida, que re-presentam nossas aspirações e pr-o jetos e os sonhos mecânicos psíqui-cos, ocorridos du-rante o ato de dor - mir. Ambos têm significados expressivos. Os sonhos mecânicos, na maioria das ve-zes, representam nossos desejos, expressos e ocultos, e funcionam como uma válvula de escape para nossas tensões emocionais, compensando frustrações e desejos, ainda que não bem definidos conscientemente. O nosso cérebro é capaz de manter ativi-dades construtivas, ainda que de forma au-tônoma, criando forma para projetos que desenvolvemos inconscientemente. Daí, a surpresa quando descobrimos uma habili-dade, até então aparentemente desconhe-cida. Estes projetos inconscientes são ca-pazes de obter informações por um senso de observação que trabalha na lateralidade do nosso cotidiano. É como se de repente concluíssemos um curso sobre determina-do tema, e só tomamos conta deste saber quando o conteúdo já está mais ou menos pronto. Após a “descoberta”, vamos incor-porar de forma consciente novos eleme-n tos, enriquecendo a prática. Na realidade, são mecanismos que se desenvolvem e tra-balham silenciosamente, mas o conteúdo é fruto de elaboração e maturação, muitas vezes, demorada e minuciosamente escul-pida. Do ponto de vista místico, os sonhos habi-tam as mais inusitadas circunstâncias e ga-nham significados explicativos, como indi-cações a seguir ou esperar. Entretanto estas “formas”, ainda que de maneira enigmática, representam valores existenciais, morais e éticos. Nada objetivamente é desperdício. e que se apresente Tudo tem uma “lógica”, ainda que obscura como um labirin-to de ideias. Mas, todo conteúdo tem um significado. Adi-vinhos e “especialis-tas” apresentam um imenso número de explicações e sig-nificados para cada sonho, que vão desde as profecias afetivas, aos efeitos de ganhos em jogos e previsões de ata-ques de inimigos. São incontáveis os usos, símbolos e maneiras que se multipli-cam e corroboram com outras práticas e até ciências. Podem ajudar da mesma forma que podem atrapalhar. Existem também as chamadas “experiências fora do corpo”, que se obtém através do sono. Significa apartar-se do corpo físico e empreender viagens de exploração ou esta-belecer contatos. Estes podem ser com pes-soas que estão vivas nesta dimensão e que também fazem a mesma “viagem”. Pode ser uma necessidade de encontro, acordo ou abertura de novos caminhos em parce-ria. Especula-se também que podem ser contatos com seres de outras dimensões, incluindo aqueles que não mais possuem corpo físico e, portanto, invisíveis durante o estado desperto. Muitos destes seres de outra dimensão já viveram entre nós e por alguma razão se comunicam apenas nestas circunstâncias. A outra forma de sonhar é estabelecer me-tas para nossos desejos. Podem ser realiza-ções emocionais, afetivas ou mesmo mate-riais. Este tipo de sonho é uma espécie de “projeto de construção virtual da realidade futura”. Quando decisiva e obstinadamente mantemos o nosso pensamento na realiza-ção de um projeto, os pensamentos tomam forma e atraem os elementos necessários para esta “materialização da ideia”. É o sonho feito realidade, afetiva ou material. Mas, se constrói a realidade a partir do so-nho. Daí, dizemos poeticamente. Sonhos. Acre-dite neles.
  10. 10. Niterói 22/11 a 06/12/14 www.dizjornal.com 10 Fernando de Farias Mello Fernando Mello - fmelloadv@gmail.com Atenção Consumidor! Mais Picaretagem à Vista Eseguem ntre mentiras e verdades, consumidores trilhando o caminho promovi-do por certas empresas na direção da enganação, da esperteza, do lucro fácil diante de maquiagens e, até mesmo, corajosamente vendendo gato por lebre, como por exemplo, nas prateleiras lotadas dos supermercados. Não irei aqui repetir o mantra dos juros abu-sivos dos cartões de crédito e do cheque es-pecial. Aliás, muitos consumidores clientes de cartões de crédito não conseguem adotar uma atitude mais firme em não comprar. Pre-ferem viver perigosamente comprando parce-lado “sem juros no cartão” até o dia em que não conseguem pagar a fatura integralmente, pagando apenas parte. Com juros médios de 12% ao mês, praticamente o dobro da infla-ção anual, não há ser humano que trabalhe para pagar extorsivos juros cobrados no tal “rotativo”. O consumidor entra na ciranda do “crédito rotativo” e provavelmente nunca mais irá sair. É fato! Mas, temos que ser conscientes para lembrar que os próprios bancos estimulam o crédito dito fácil e depois ficam recebendo estes juros altíssimos, ameaçando com cobranças muitas vezes expondo o consumidor numa ver-go nhosa situação. Não adianta passar a mão na ca-beça do consumidor que seja por qual motivo, não possuiu freios e caiu nas garras dos bancos, afinal, ele foi porque assim escolheu. Mas, ao mesmo tempo, esta ati-tude do consumidor não auto-ri za a cobrança dos juros que são considerados extorsivos e ilegais! Desta forma, o consumidor após não mais conseguir arcar com o valor nem mesmo mínimo do cartão diante dos juros sucessi-vos, passa a ser “perseguido” por todos os lados pelas administra-doras de cartões de crédito ao iniciarem um verdadeiro circuito de cobrança extrajudicial após ne-gativar Reino da Picaretagem É, Mas Não É... o nome do consumidor nos cadastros restritivos de credito quando então, sabe-se que aí mesmo incapacita qualquer humano trabalhador de pagar o valor cobrado que mês a mês sofre aumento cavalar. Portanto, todo o controle é pouco, princi-palmente neste período em que começam as compras natalinas. Abram os olhos, consumi-dores! Mas, voltando agora ao problema nas com-pras cotidianas no supermercado, constatei mais um “golpe” praticado pelas indústrias de biscoitos, requeijão, sabão em pó, enfim, em vários setores. A embalagem é igual... E o consumidor ime-diatamente coloca o produto no seu carrinho. No entanto, deixou de perceber que muito embora o produto interior seja igual, a quan-tidade, o peso é menor e alias, bem menor. No entanto, ao efetuar o pagamento, o preço também é o mesmo. Isso foi constatado por mim em 2 supermercados diferentes, claro. Como exemplo, um pacote de biscoito “wa-fer” que antes pesava 165g, hoje foi alterado para 140g, já o seu preço se manteve. O sa-bão em pó em promoção também! A noticia veiculada deixa de informar, claramente como manda o código consumerista, que o produ-to não tem 1k, mas sim 750g, induzindo o consumidor a acreditar que está pagando por um produto com valor inferior ao produto concorrente sem ter a noção de que a está pagando por uma quantidade consideravel-mente menor. O problema está na semelhança da emba-lagem. Isso com certeza seria um crime em qualquer país desenvolvido, com direito à multa de muitos milhões, ao ponto da indús-tria ficar efetivamente arrependida da tent-a tiva de golpe. Mas, como estou no Brasil, o que irá surgir, é uma reclamação aqui e outra ali e o PROCON mesmo detectando o abuso e falha ficará aguardando que outro setor “su-perior” venha a fazer alguma coisa, ou seja, no final das contas é o consumidor que con-tinuará a sair no prejuízo. Quanto ao biscoito, claro que não comprei. Mas soube que golpe semelhante foi aplicado no requeijão, pois não mais se encontram nas prateleiras os copos de 300g ou 250g. Ago-ra a grande maioria está nos parcos 200g. E o preço? Continuou o mesmo. É golpe contra o consumidor de boa fé. Sinceramente, ficarei um bom tempo sem comprar os produtos dessas empresas e ficarei de olho cada vez mais em todos os produtos, na esperança que outros inúme-ros consumidores também o façam e então, quem sabe quando os estoques sobrarem nas prateleiras passem a vender a preços justos. Deixar um produto estragar na prateleira é a melhor arma do consumidor, afinal, é um dos grandes temores da indústria. Fernando Mello, Advogado www.fariasmelloberanger.com.br e-mail: fmelloadv@gmail.com P I N G P I N G P O N G P I N G P I N G SeÊvocê ÊnãoÊaguentaÊmaisÊserÊjogadoÊdeÊumÊladoÊ proÊoutroÊpeloÊSAC,ÊligueÊpraÊgente.ÊAqui,ÊvamosÊ ouvirÊ eÊ acompanharÊ suasÊ reclamaçõ esÊ sobreÊ leisÊ queÊnãoÊestãoÊsendoÊcumpridasÊeÊatéÊmesmoÊdeÊ serviçosÊmalÊprestadosÊporÊempresasÊprivadas. P O N G Me Engana que Eu Gosto Fraldas para Grandes Fraudes Vamos Roubar? Para Otários e Cegos
  11. 11. 11 Niterói 22/11 a 06/12/14 Pela Cidade Edição na internet para Hum milhão e 200 mil leitores www.dizjornal.com Lei de Isenção de Taxas para Renovação da CNH or indicação do deputado estadual PFelipe Peixoto (PDT), tramita na As-sembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj) um pedido de extensão da Lei 4.573 em busca de novos benefícios para a categoria dos motoristas. A proposta visa estender a todos os condutores profis-sionais a isenção do pagamento das taxas para a renovação da Carteira Nacional de Habilitação (CNH) concedida desde 2005, mas, apenas para motoristas desempreg-a dos. Pela redação original, a Lei garante a isen-ção das taxas referentes à avaliação psicoló-gica e aos exames de aptidão física e mental exigidos para a renovação da CNH, desde que feitos diretamente no Detran ou ainda em postos autorizados, não acarretando ônus para as clínicas médicas e psicológicas credenciadas. “O objetivo é estender a isenção des-sas taxas, já previstas para motoristas desempregados que tenham tido a -pro fissão como última ocupação, para os profissionais do volante que comprovem estar trabalhando”. Disse Felipe P-eixo to Isenção de IPVA - É também de autoria do deputado Felipe Peixoto o Projeto de Lei 3.124/2014, que propõe a ampliação da isenção do Imposto sobre Propriedade de Veículos Automotores (IPVA) a todos que apresentem qualquer tipo de deficiência e/ ou mobilidade reduzida permanente. A in-dicação exige constatação por laudo médi-co, e abrange ainda entidades filantrópicas que prestam assistência a esses deficientes. Veículos Apreendidos com Resgate Dificultado Ncom iterói têm uma estreita relação o governo do estado, entre-tanto não dispõe de um depósito estadual para a guarda dos automóveis apreendidos ou acidentados. Se alguém, por algum motivo, tem o carro apreendido nestas blitzes da Lei Seca vai enfrentar uma maratona para resgatar o seu veículo. Em alguns casos é possível “encontrar” o veículo em São Gonçalo, mas, a maio - ria das vezes só é possível no depósito de veículos de Tanguá. Existe um depósito municipal em Ni-terói controlado pela empresa Trans-guard. Fica no Barreto e seria uma solução mais confortável para os mo-radores da cidade. Apesar da existên-cia do depósito, segundo presidente da NitTrans, coronel Paulo Afonso, a Trans-guard não tem obrigação de receber veícu-los estão sob a guarda do estado. Assim, o niteroiense fica condenado a res-gatar seu veículo, além de todas as sanções e multas, num depósito muito distante da cidade. Zelly Mansur Vai Lançar Deputado Felipe Peixoto “Mais Além” Edezembro sta previsto para o lança-mento do mais novo trabalho musical do multi-mídia Zelly Mansur. Tem uma proposta arrojada e vai haver intercâmbio den-tro da internet. O trabalho vai ficar aberto para esco-lha das faixas e a audiência será escolhida por quem compra a obra. Zelly, que é figura muito conhecida em Niterói e no Rio de Janeiro, é pianista, violonista, compositor, in-terprete, além de web de-sign, editor, produtor, r-o teirista de vídeos e outras vivências gráficas digitais. Ele também é engenheiro e um dos mais experimentados e competentes editores de áudio. É só esperar. “Mais Além” está chegando.
  12. 12. 22/11 a 06/12/14 Em Foco Niterói www.dizjornal.com dizjornal@gmail.com 12 Edição na internet para Hum milhão e 200 mil leitores Concurso Garota da Capa Jornal DIZ Jo á estão abertas as inscrições para concurso da Garota da Capa Jor-nal Diz. Destina-se ao sexo femini-no de 07 aos 70 anos, com objetivo de descobrir novos valores com vista à carreira de modelo fotográfico, ou para aquelas que desejam vivenciar uma experiência com tal, tendo a sua foto publicada na capa do jornal DIZ, que tem circulação impressa em Nite-rói (16.000 exemplares) e ainda edi-ção online (em PDF) para um milhão e setecentas mil pessoas em 68 mu-nicípios do Estado do Rio de Janeiro, Brasília, São Paulo, Salvador. Recife e Fortaleza. Além de colônias brasileiras nos Estados Unidos, Canadá, França, Portugal, Espanha e Itália. As regras para participação já definem os requisitos para participação. Habi-lite- se! Regulamento do Concurso da “Garota da Capa Jornal DIZ” Do objetivo: Selecionar as mais qualifica-das modelos para serem publicadas na capa do jornal Diz nas edições do ano 2015, ou ainda no final de 2014. As 25 primeiras colocadas terão suas fotos publicadas, in-dependente do resultado final do concurso que irá selecionar e premiar as seis primei-ras colocadas. Da Participação: poderão participar pesso-as do sexo feminino, de qualquer raça, na-cionalidade, residentes no Rio de Janeiro, de 07 a 70 anos, de qualquer altura, peso e ainda portadores de deficiência física. Da responsabilidade: participantes men-o res de idade terão obrigatoriamente apre-sentar declaração de permissão pelo res-ponsável legal da menor. Nesta declaração a autorização destina-se a participação no concurso e eventual publicação, em caso de classificação. Fica ciente que esta pu-blicação não terá qualquer contra partida financeira ou significará qualquer contrato, ou obrigação trabalhista. Da Inscrição e Pré Seleção: As participan-tes deverão preencher a ficha de inscrição (disponível no site www.dizjornal.com), ob-servando as exigências em caso de menor de idade, junto com duas fotos com dimen-são mínima de 12x9cm, de perfil de frente (close frontal). Em caso de seleção deverá agendar data para ser maquiada e ser foto-grafada na sede do jornal. A inscrição no concurso é gratuita e os custos fotografia e de maquiagem, em caso se seleção, será responsabilidade do jornal. As participan-tes não terão qualquer custo, exceto de sua locomoção pessoal até a sede do jornal. Da premiação: Os seis primeiros lugares obterão prêmios. A divulgação dos prêmios será apresentada assim que os patrocinado - res decidirem as contribuições. Serão di-vulgados até o meado do mês de dezembro de 2014. Dos Compromissos e VínculosF:i ca es-tabelecido que nenhuma participante terá direito a qualquer contratação, seja como modelo, funcionária ou prestadora de se-r viço, ficando o jornal isento do pagamento de salários, direitos de imagem, ou qual-quer indenização a participante ou respon-sável. A participação no concurso é livre e os objetivos estão declarados na cláusula primeira. Alana Monteiro

×