Diz85

527 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
527
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
4
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Diz85

  1. 1. Niterói15/06 a 29/06/13www.dizjornal.comDizDizO jornalO jornalJornalPluralAno 04Nº 851ª Quinzenade Junhode 2013Edição Online para 480.000 leitoresZona Sul, Oceânica e Centro de NiteróiZona Sul, Oceânica e Centro de NiteróiImpressos com distribuição gratuita:16.000 ExemplaresEdição Online para 480.000 leitoresDiretor:Responsável: Edgard FonsecaImpressos com distribuição gratuita:16.000 ExemplaresD i r e t o r : R e s p o n s á v e l : E d g a r d F o n s e c aModelo:AnaKlivia*Hair:IaraEnnes*makup:BarbaraSerrano*Foto:JulioCerinoOs Malesda FusãoPág. 03
  2. 2. Niterói15/06 a 29/06/13www.dizjornal.comA artista plástica Julia Aumuller expõe "Sentimento Único"na Glia (Rua Nilo Peçanha, 142 - Ingá ). O vernissage serádia 06 de julho, sábado, às 18 horas.2CulturaPaulo Roberto Cecchetti prcecchetti@ig.com.brannaperet@gmail.comDIZ pra mim... (que eu conto)Anna Carolina PeretEdição na internet para 480 mil leitoresAdoraria que meus dias, durante ofinal de semana, tivessem tardesinfinitas. Ou, quem sabe, que oscinemas tivessem sessões matinais... Seriaperfeito! O meu dia renderia mais e eu teriaa chance de assistir a diversos outros filmes.Num período como este, em que os cine-mas estão fervilhando de novidade, só commuita matemática para conseguir encaixartodos os horários e emendar sessões, umaapós a outra.Aposto que eu não sou a única fã do diretorM. Night Shyamalan. Ok, para quem não selembra, ele é o responsável por filmes como“O Sexto Sentido”, “Sinais”, “A Vila” e “OÚltimo Mestre do Ar”. E chega aos cinemasmais um título deste também roteirista in-diano, que sempre arrasa em suas películas.Desta vez, em “Depois da Terra” (“AfterEarth”, no original) Shyamalan dirige pai efilho, Will Smith (“MIB - Homens de Pre-to” e “Eu Sou a Lenda”) e Jaden Smith (“ODia Em Que a Terra Parou” e “Karate Kid”),numa aventura que tem como cenário ou-tro planeta, uma vez que a Terra tornou-seinabitável. Esta é a segunda vez que Wille Jaden contracenam juntos no cinema. Ofilme anterior foi o fantástico “À Procura daFelicidade”. A dupla promete!Independente do conjunto à que se perten-ce, há uma programação um tanto quan-Matemáticato divertida. A comediante Heloísa Périssé(“De Pernas pro Ar” e “O Diário de Tati”)chega aos cinemas com “Odeio o Dia dosNamorados”, dando vida a uma mulher quesempre privilegiou a carreira em detrimentode sua vida amorosa. O filme é dirigido porRoberto Santucci, que já tem no currícu-lo filmes bem sucedidos como “Até que aSorte nos Separe” e a franquia “De Pernaspro Ar”. Uma boa produção nacional, car-regada de humor e com grandes chances deemplacar uma boa bilheteria.Quem gosta de ir ao cinema e aproveitarpara conhecer histórias verídicas, não podeperder “Os Sabores do Palácio” (“Les Sa-veurs du Palais”, no original). É a chance desaber mais sobre Danièle Mazet-Delpeuch(interpretada pela leve Catherine Frot, de“Ao Lado da Pianista”) e entender como elase tornou a chef particular do ex-presidenteda França, François Mitterrand (represen-tador pelo Jean d’Ormesson). O filme, po-rém, talvez peque pelo excesso de imagensapetitosas, com direito a verdadeiras aulasde culinária, dadas por uma cozinheira cri-teriosa e determinada em conseguir os in-gredientes perfeitos para as suas receitas.Tal preciosismo pode frustrar aqueles quese interessam pelo cinema do que pela gas-tronomia. De qualquer forma, só não reco-mendo ir ao cinema com fome. É deliciosa-mente torturante!O diretor Baz Luhrmann também chega àstelinhas com um filme muito esperado. Odiretor australiano, que assinou produçõescomo “Australia”, “Moulin Rouge” e “Ro-meo + Juliet”, estreia “O Grande Gatsby”(no original), reunindo no elenco nomescomo Tobey Maguire, Leonardo DiCaprioe Carey Mulligan. Trata-se de um elogiadís-simo remake da versão de 1974, que tinhacomo protagonistas Robert Redford e MiaFarrow. Luhrmann não se preocupou emcontemporizar o roteiro. Os diálogos semantiveram, o que acaba deixando o filmeum pouco mais pesado. Contudo, o diretorinveste pesado na estética – marca registra-da de todas as suas produções – e conse-gue renovar uma história um tanto quantobatida, conferindo, visualmente, ares donovo século.Com todos estes filmes e muitos outros, oque vai faltar no final de semana vai ser ho-rário - e, muito provavelmente, verba sufi-ciente para todos os ingressos. De qualquerforma, vale abolir a pipoca, dispensar o re-frigerante, esquecer as guloseimas. O im-portante é a sétima arte. E, em nome dela,vale qualquer privação! Bons filmes!- Os "Escritores ao ar Livro"completa cinco anos de re-sistência (2008-2013) e co-memora com uma festa deconfraternização dia 23 dejunho, domingo, a partir das10 horas, na Praça GetúlioVargas, em Icaraí. Imperdí-vel!- Dentro dessas comemorações, o escritorLaércio Lopes promove o lançamento de “Ofim da feira & outras histórias”, dia 30 dejunho, domingo, a partir das 10 horas damanhã. Vale conferir!- XII Concurso Nacional PoeArt de Literatura tem inscri-ções até 20 de junho de 2013. Maiores informações: JeanCarlos Gomes (24) 9993-0615 (à noite) ou e-mail poear-teeditora@gmail.com- O Espaço ICG/Instituto Cultural Germânico (Av. Setede Setembro, 131 - Icaraí) promove o Encontro das Ar-tes 2013 - Alemanha+Brasil com o evento “Siga o coelhobranco”, curadoria de Hugo Houayek. Visitação até 29 dejunho: de 2ª a 6ª, das 15h às 20h sáb, das 11 às 16 h.--- Sucesso total o lançamento do livro "Vidas inspiradas", deCyro Cormack. Na foto, Sávio Soares de Sousa, o escritore este colunista.
  3. 3. Niterói15/06 a 29/06/13www.dizjornal.com3Documentodizjornal@gmail.comEdição na internet para 480 mil leitoresOs Males da FusãoAfórmula, por razões óbvias, desagra-dou sempre os niteroienses, mas noinício do ano de 2.000 começou nacidade do Rio de Janeiro, na Zona Sul, noseio da sua classe média, a ideia da separaçãoda Guanabara do Estado do Rio, ressuscitan-do a cidade-Estado, especulando uma possí-vel difusão.O argumento da campanha associa a deca-dência à fusão e sustenta que o Rio e o inte-rior são realidades muito distintas, que nuncahouve uma verdadeira integração, resultandonuma confusa superposição de responsabili-dades que não se coadunam, por serem in-teiramente diversas. É claro que, do ponto devista do Rio de Janeiro, o argumento se fundano preconceito contra o interior, descontenta-mento com governantes e a atribuição de umaincompetência explícita pelo fato de serem dointerior, de outra realidade. Nada mais falso;preconceito puro, sentimento perverso e fal-so. Temos na atualidade um governador bemcarioca e os resultados não foram melhores enem mais edificantes; nem social e nem cultu-ralmente. Ensaia-se um retorno de comandoa políticos do interior, visto que temos o casalGarotinho e o vice-governador Pezão, comopossíveis candidatos.A decadência do Rio se deve à mudança dacapital federal, perdendo, não só as verbasfederais, que desapareceram, mas também aforça do poder aquisitivo de dezenas de mi-lhares de funcionários que, gradativamente,foram migrando e fortalecendo o mercado deBrasília.Para Niterói, não. A perda foi objetiva e re-cebeu como suposta recompensa uma ponte,sinal aparente de progresso, que rapidamenteCom a mudança da capital para Brasília, o Rio de Janeiro perdeu força e renda. O auge intelectual, culturale econômico da Guanabara veio dos anos 50 e se esticou até o fim dos 60. A partir dos 70, o esvazia-mento foi inevitável e murchou. A situação se agravou e autoritariamente em 1974, fizeram a fusão doEstado da Guanabara com o Estado do Rio de Janeiro. Em decorrência dessa fusão, o Estado da Guana-bara foi transformado em município, passando a cidade do Rio de Janeiro a ser a capital do novo Estado,ficando Niterói, capital do antigo Estado do Rio de Janeiro, na condição de município simplesmente.Para a cidade do Rio de Janeiro foi um aporte nas suas finanças e a inclusão de outras dificuldades, comoaumento de demanda de migração, aparecimento de novos focos de pobreza, seguidos de violência.Para os antigos vizinhos, houve perda de poder político, especialmente para Niterói que, além de perdera condição de capital de estado, foi sistematicamente esvaziada, com o êxodo de inúmeras instituições erenda. Nessa fusão quem mais perdeu foi a cidade de Niterói, que em princípio sofreu franca decadênciae somente no meados dos anos 80 iniciou uma gradual recuperação.se tornou insuficiente para atender as suas ne-cessidades e acoplou todo tipo de problema,que vai do trânsito de ligação do Rio com ointerior, que só traz prejuízos e nada acres-centa de bom, - a importação de comunida-des bandidas, muita droga, violência urbana,mendigos e vagabundos, além da estratégicafunção, que quando dá problema, para a ci-dade toda.Niterói perdeu até na geografia. Se o muni-cípio fosse mais distante, na altura de Itabo-raí, por exemplo, teria muito mais vantagense menos de-pendências aoRio de Janeiro.Esta proximi-dade é nefastae comumentese transferebenesses parao Rio, quandoseriam de di-reito dos nite-roienses.Os governa-dores, desdeentão, foramquase todosos políticos dacapital - Chagas Freitas, Brizola duas vezes,Marcelo Alencar e Sergio Cabral. E a deca-dência se acentuou. Houve um prefeito doRio, na segunda metade dos 80, que tentoucuidar da economia e do emprego da cidade,criando uma Secretaria de Desenvolvimentoe lançando um programa de uma dúzia depolos indústrias correspondentes à vocaçãocientífico-tecnológica do Rio. O sucessor nãocompreendeu o alcance da iniciativa e extin-guiu a secretaria e o programa de polos.Outro fator que influenciou muito nos últi-mos anos, que foi a separação, ou oposição,do Estado ao governo Central. Atualmente,apesar das aparentes boas relações, somentea cidade do Rio de Janeiro recebeu investi-mentos, visto que vai sediar grandes eventos:Copa e Olimpíadas.Niterói em nada se beneficiou desse momen-to histórico-esportivo. Muito pelo contrário,recebeu uma carga imensa de ambulantes ebandidos, expulsos do Rio para não atrapalha-rem os eventos, mas, sem nenhum compro-misso de ficarem quietos em Niterói. Histori-camente, Niterói nunca viu tanta insegurançae violência urbana.Um projeto de lei apresentado em maio de2003 pelos deputados Federais André Luize José Divino, ambos do PMDB, sugeriam arealização do plebiscito sobre a divisão doEstado do Rio. O projeto previa que o Estadoda Guanabaraenglobaria, alémdo Rio de Janei-ro, os municí-pios de Niterói,Itaguaí, Seropé-dica, Piraí, RioClaro, Mangara-tiba, Angra dosReis e Paraty. Acapital seria oantigo Estadodo Rio, e ondeé o municípiodo Rio. Os ou-tros 83 municí-pios formariamo Rio de Janeiro, com a capital em Camposdos Goytacazes. Nada para Niterói que temmaiores condições de ser a sede do novo es-tado. Niterói continuaria em desvantagem.O que os niteroienses querem e clamam, épela volta do antigo estado do Rio e tornar-senovamente a capital deste estado. Seria umresgate a tudo que lhe foi tirado e hoje seriamuito mais eficiente e abastada. Entretanto,desejos e emoções à parte, uma difusão teriaum custo muito alto, num país de carênciasmúltiplas e sem dar soluções a contento nasua saúde, principalmente, na segurança ena educação. Ficamos muito a dever a paísesmenos abastados e civilizados que o nosso. Oestado do Rio de Janeiro não faz jus à imagemque tem. É um estado repleto de dificulda-des, muitas de fácil solução, com uma cargatributária de falir qualquer sistema, uma cor-rupção entranhada em todos os níveis e ins-tâncias possíveis. É o “Estado empregador”.Todo mundo quer trabalhar em instituiçõesgovernamentais. Sejam prefeituras, funda-ções, justiça, autarquias ou mesmo empresasmistas. É um estado empacado com a culturapreguiçosa do “deixar para depois “ e arrumarum jeitinho, quando poderia ser um estadoprodutor, com uma indústria turística digna defazer inveja. Temos um imenso litoral, praiaslindíssimas, serras, florestas e as pessoas maisbonita do país. Mas, temos também o abismoda corrupção, das disputas mesquinhas, porum pedaço de poder e manipulação de umcurralzinho de votos para poder negociar eviver como príncipes, quando não passam desapos.Desmembrar os Estados da Guanabara e Riode Janeiro até fortaleceria o Rio e beneficia-ria Niterói, mas poderia prejudicar os demaismunicípios. A justificativa à época era de quea fusão criaria um Estado forte, mas isso nãoaconteceu. Quando ocorreu a fusão, a ques-tão da água e do petróleo não estava em evi-dência. Hoje temos a questão dos Royalties,da produção do petróleo na bacia de Campose Macaé. Hoje, as questões macro econômi-cas são mais complicadas. Não é tão simplesfazer um desmembramento deste porte semdespertar demandas muito sérias e de resulta-dos imprevisíveis. O Rio de Janeiro viveria semas benesses do petróleo que ela não produz?O Estado compõe-se de 92 municípios, quese constituem, pelo artigo 343, da Constitui-ção do Estado do Rio de Janeiro, em “... uni-dades territoriais que integram a organizaçãopolítico-administrativa da República Federati-va do Brasil, dotados de autonomia política,administrativa e financeira, nos termos asse-gurados pela Constituição da República, poresta Constituição [a do Estado] e pela respec-tiva Lei Orgânica". O que não significa que arepartição dos benefícios sejam equilibrados eequânimes. O Estado do Rio de Janeiro é umarepública que precisa ser redescoberta, e quenão seja por nenhum Cabral. As experiênciasanteriores mostraram-se negativas e só deuprejuízo. E seja o que Deus quiser...Antigo prédio das secretarias de estado na Amaral PeixotoPraça Afonso Pena - Centro de Niterói
  4. 4. Niterói15/06 a 29/06/13www.dizjornal.comNo dia 21 de julho, por inicia-tiva do vereador LeonardoGiordano (PT), acontecerá a audi-ência pública sobre a prática reli-giosa e suas consequências sociaisda ” Umbanda e Candomblé”.Será no plenário Brígido Tinoco,da Câmara Municipal, a partir das18 horas.Leonardo Giordano, que é pre-sidente da Comissão de Cultura,Comunicação e Patrimônio Histó-rico da Câmara Municipal, enca-minhou o tombamento cultural eimaterial da Umbanda e do Can-domblé em Niterói. Ele afirma que é preciso garantir as conquistas e avanços, no reconhe-cimento da liberdade de expressão religiosa, independente da origem ou credo. “Somosum país laico e não é necessário submeter ou marginalizar este ou aquele credo, para queoutras religiões de maior porte a façam uso das suas convicções de forma opressora”.4InformesExpedienteEdgard Fonseca Comunicação Ltda.Rua Otavio Carneiro 143/704Niterói/RJ.Diretor Responsável: Edgard FonsecaEditor: Edgard FonsecaRegistro Profíssional MT 29931/RJDistribuição e circulação:Ernesto GuadelupeDiagramação: Erisvelton SantanaImpressão: Tribuna RJTiragem 16.000 exemplaresRedação do DizEnd: Rua Cônsul Francisco Cruz, nº 3Centro - Niterói, RJTel: 3628-0552 | 36285252 | 9613-8634Correspondência para AdministraçãoRua Domingues de Sá, 274/1103Icaraí-Niterói - CEP 24.220-091dizjornal@gmail.comwww.dizjornal.comOs artigos assinados são de integral eabsoluta responsabilidade dos autores.D! NutriçãoEdição na internet para 480 mil leitoresclara.petrucci@dizjornal.com | Instagram: Clara PetrucciLeite, o Vilão da Vez?Aintolerância e aalergia a determi-nados alimentos ounutrientes têm aumentadomuito nos últimos tempos,virando foco de pesquisasconstantes. O leite tem sidoalvo de muitas pesquisas,exatamente por este moti-vo: a intolerância a lactose(molécula de “açúcar” doleite) e alergias a outrosnutrientes do leite como acaseína, por exemplo, temocorrido cada vez mais.Pesquisas apontam que o tamanho e a es-trutura das moléculas a serem absorvidaspelo organismo sejam o motivo dessa res-posta do corpo. O leite tem uma ação in-flamatória no organismo; mas até onde issoseria bom ou ruim?Artigos mostram também que o cálcio (mi-neral encontrado em grande quantidade noleite) de origem animal, acidifica o sangue,que normalmente deve ter o ph alcalino, equando isto ocorre, o nosso organismo nointuito de reequilibrar este ph, retira mo-léculas de cálcio e magnésio do osso, aocontrário do que vem sido dito por déca-das, que o leite seria uma ótima fonte decálcio para os ossos.Realmente, nós do ocidente, temos o hábi-to do consumo constante de leite, deriva-dos e preparos com o mesmo, e possuímosum índice de osteoporose muito maior queo oriente. Os orientais não fazem a inges-tão de leite de maneira tão intensa e aindabuscam os vegetais como fonte de cálciopara os ossos.O que fazer? Não consumir? Tudo é ques-tão de equilíbrio. O leite pode ter inúmerasações maléficas no organismo, mas, é omesmo que nos oferece proteínas, vitami-nas e minerais; o que não dá é fazer doleite sua religião: no café, no lanche, almo-ço e jantar. O consumo esporádico é umaalternativa, a não ser que a pessoa possuaalergia ou intolerância.O cálcio pode não ser utilizado no osso, masé aproveitado em inúmeras outras funçõesdo organismo como contração muscular,coagulação do sangue, equilíbrio de outrosminerais e do corpo em si. A proteína dosoro do leite (whey protein) é grande alia-da do sistema imunológico e dos músculos,auxiliando a síntese e reparação; a caseína éuma proteína que é degradada lentamente,por exemplo, faz manter a nutrição gradualdos músculos durante a noite.São muitos pontos ainda a serem discuti-dos e pesquisados, mas, na dúvida, optesempre pelo equilíbrio e claro, procure umnutricionista.OIFEC - Instituto Interamericano de Fomento à Educação, Cultura e Ciência, esta comas inscrições abertas para o Curso de Formação de Agentes da Cidadania versão2013. O curso é gratuito e será no Centro Comunitário Nossa senhora Auxiliadora, naRua Santa Rosa, 216 – Santa Rosa. Os dias do curso são: 17 e 24 de agosto do corrente,sábados, de 08 às 12h.Curso de Formação deAgentes da CidadaniaAdeus ao Padre MarceloOpadre Marcello Martiniano Ferreira,salesiano de Dom Bosco, de 80 anos,faleceu no dia 07 passado. Encontrava-setocando, como sempre fazia, e acabarade executar a tocata de Bernardo Pasqui-ni, quando sentiu-se mal. Veio a falecer noHospital Santa Marta na noite seguinte emvirtude de complicações cardiovasculares.Pe. Marcello foi um sacerdote muito aten-cioso com as pessoas que participavam daMissa que celebrava todos os dias às 6h30,na Basílica de Nossa Senhora Auxiliadora.Era conhecido por sua grande dedicação àmúsica litúrgica e pastoral e buscava conta-giar a todos com a sua música, estimulan-do a todos a cantar nas celebrações quedirigia.Umbanda e Candomblé naCâmara dos Vereadores
  5. 5. Niterói15/06 a 29/06/13www.dizjornal.com5InternetJuliana Demier - juliana.demier@gmail.comORAÇÃOASANTO EXPEDITOFesta 19 de abril. Comemora-se todo dia 19Se vc. está com algum, precisa de, peça a Santo Expedito. Ele é oSanto dos Negócios que precisam de prontasolução e cuja invocação nunca é tardia.Problema Difícil eaparentemente sem SoluçãoAjuda UrgenteORAÇÃOObrigado.: Meu Santo Expedito da CausasJustas e Urgentes, socorrei-me nesta horade aflição e desespero. Intercedei juntoao Nosso Senhor Jesus Cristo! Vós quesois o Santo dos Aflitos, Vós que sois oSanto das Causas Urgentes, protegei-me,ajudai-me, Dai-me Força, Coragem eSerenidade. Atendei o meu pedido: (fazer opedido) Ajudai-me a superar estas HorasDifíceis, protegei-me de todos que possamme prejudicar; Protegei minha família,atendei o meu pedido com urgência.Devolvei-me a Paz a TranqüilidadeSerei grato pelo resto da minha vidae levarei seu nome a todos que têm fé.Rezar 1 Padre Nosso,1 Ave Mariae Fazer o sinal da cruz.“para que os pedidos sejam atendidosé necessário que sejam justos”.Agradeço a Santo Expedito a Graça Alcançada.Santo ExpeditoAcesse o Nosso Site:www.dizjornal.comFacebookou noDiz Jornalwww.dizjornal.comEdição na internet para 480 mil leitoresFaçam o seu JogoEnfim, a Copa das Confederações!E a dica de hoje não podia fugirdesse assunto, ainda mais comesse evento acontecendo aqui, em solonacional.E como todo brasileiro é um excelentetécnico de futebol,- pelo menos muitosacham isso, - e como todo mundo temuma pontinha, que seja, de conheci-mento sobre esse esporte, que tal arris-car palpites dos placares dessa grandepeleja?Existem vários sites gratuitos que vãoajudar os torcedores empolgados naorganização do famoso bolão de jogospara a Copa das Confederações.Todos eles são muito simples e muitoparecidos.Basta o mais empolgado de todos se ca-GOOLLLL!!!2 X 1dastrar em algum desses sites e con-vidar os amigos para uma disputa depalpites pra mostrar, no final de cadaapito, quem é melhor de chute.Então, anote aí alguns desses sites ecomece logo as apostas, valendo co-nhecimento futebolístico, boa mira nochute ou mesmo uma graninha - masnesse caso, é sem envolvimento dossites.www.bolaosportv.globo.com(que usa o cadastro do facebook)www.bolaovip.com.brwww.futfan.com.brAgora é marcar a tabela, torcer (semcaxirola ou vuvuzela, uhuu..) e come-morar, qualquer que seja o placar.Fim da partida!
  6. 6. Niterói15/06 a 29/06/13www.dizjornal.com6Edgard Fonsecaedgard.fonseca22@gmail.comEdição na internet para 480 mil leitoresExiste um acordo firmado entre o Sindi-cato dos Lojistas de Niterói e o Sindi-cato dos Empregados. Nesse acordo ficouestabelecido uma “Contribuição SocialFamiliar”, que os patrões pagam para osempregados , na razão de R$5 por empre-gado. Todas as empresas do comércio deNiterói, representadas pelo seu sindicato, oSINDILOJAS, deve contribuir para melho-ria dos seus empregados.Até aí, tudo certo, é positivo e proporcionalpara cada empresa que paga de acordo coma quantidade de empregados que tem.A única estranheza é que o presidente dosindicato patronal (o Sindilojas), Sr. JoséLuiz Valente Pascoal (que foi quem firmou oacordo com a presidente do Sindicato dosO Bom PatrãozinhoEmpregados, a Sra. Rita de Cacia Almeida),está fazendo o papel dela, desde que é elequem faz a cobrança da contribuição aoslojistas.Se o principal interessado em receber acontribuição é o Sindicato dos Emprega-dos, porque razão o presidente do sindica-to patronal tem que ser o cobrador? Queinteresse tem o Sr. José Luiz nessa cobran-ça?Vai ver que ele é do tipo “bonzinho”. Faztudo para colaborar, como aquela sua boavontade e desprendimento que costumapautar a sua vida... Vai de mansinho, comoum ”gato feliz, buscar o alimento do ca-chorro”, ou seria o Gato Felix, que nosquadrinhos, fazia tudo pelos outros, bon-zinho...Bonzinho... A dona Rita de Caciadeve estar muito agradecida pela “diligentecolaboração”. Os empregados do comérciovão querer saber direitinho sobre tamanhacolaboração e montante arrecadado. Afinal,Pascoal faz questão de ser amigo de todose é tão querido... Tão querido...Parabéns ao José Luiz Pascoal por tamanhadedicação. Ele é um exemplo a ser obser-vado, e muito!Enquanto durar a popularidade da pre-sidente Dilma Rousseff, ela diz garantira candidatura do senador Lindbergh Fariasao governo do Estado do Rio de Janeiro naspróximas eleições. Dilma e o governadorSergio Cabral protagonizam um belíssimoespetáculo de medição de forças, mas parao público assistir. Acredito que intimamenteestão mais acertados do que nunca.Publicamente trocam farpas e ameaças; ecomo dizem os assessores da Presidente,ela não tolera o Sergio Cabral. Acha queele é arrogante, ameaçador, insolente, eque joga em todas as posições, quer sejapara o bem ou para o mal. Disso ninguémduvida e ela certamente tem seus motivos.Ele ameaça não apoiá-la nas próximas elei-ções e ela o ameaça desenterrar o “Caso daConstrutora Delta”, onde ele foi posto forade perigo por razões de interesses políticos,enquanto os governadores, o petista Ag-nelo Queiroz e o de Goiás, Marconi Perillo(PSDB), ardem no “fogo do inferno judi-cial”. Se ele não apoiar a eleição da Dilma,vai ter que arrumar boas defesas, pois elaInimigos Cordiaisvai disparar a “retaliação política programa-da”, com direito a pedido de explicações,que dizem que ele não tem respostas, pelomenos, legais. Segundo falam, existe umalista de indagações que é de fazer tremeraté quem não tem medo de fantasmas. Nofim fica a sensação de intolerância e parti-darização, mas numa bela combinação elei-toral, costurada nos cantinhos.Entretanto, como a presidente vai cair maispontos de popularidade, ela vai “chutarLindbergh para escanteio” e vai usar ospalanques do Cabral, seja lá o candidatoque tiver, que é condição secundária. Oque vai interessar é a reeleição. Quer ga-nhar a qualquer preço e pago com o suorda população, é claro! Tanto é verdadeque o ministro do STF Toffoli, já mandouchumbo jurídico para cima do Lindbergh.São milhões a explicar na sua administraçãoem Nova Iguaçu. Se eu fosse o SenadorLindbergh, para concorrer a vaga de gover-nador, iria procurar outro partido. No PTa areia movediça não dá segurança a nin-guém.Proibida a Poda Danosa eRecessos DesnecessáriosNa terça-feira passada (11), foiaprovado pela Câmara Munici-pal, o Projeto de Lei 056/2013, deautoria do vereador Leonardo Gior-dano (PT), que trata da proibição dapoda danosa das árvores em Niterói.A Lei prevê, dentre outros itens, apoda que retire acima de 70% dacopa original, exceto quando da au-torização da Secretaria Municipal deMeio Ambiente; como poda danosaou drástica o corte de somente umlado da copa, causando desequilíbriofísico do vegetal; o corte que seccio-ne seus galhos, deixando-se abertu-ras – feridas –, sem o devido tratamento; e a que é executada em árvores com floração e/ou frutificação.Também do vereador a autoria da Resolução 013/2013, que pretende igualar o recessodos vereadores à realidade da maioria dos trabalhadores brasileiros. De acordo com aproposta, a Casa deve passar a se reunir, “ordinariamente, de 15 de janeiro a 15 de de-zembro”.Muito Bem! São de projetos assim que a cidade precisa. Parabéns ao vereador.Zaps...... O vereador Paulo Eduardo Gomes, associado a bancada do Psol está apresen-tando uma proposta de que só pode haver aumento do transporte coletivo com arealização antecipada de uma audiência pública para uma ampla discussão sobre ofato. A medida não impede que as passagens sejam aumentadas, entretanto cria-seuma consciência e participação maior do usuário que inteirado de como fazem essasnegociações terão chance de posteriormente darem o troco na hora do voto. Pelomenos saberão como é feito. Me faz lembrar o chanceler alemão que disse: “Quemsabe como se faz salsicha e justiça não quer provar de nenhuma delas”. É o queacontece com os acertos das passagens de ônibus. Se souberem...Sergio Cabral, Dilma Rousseff e Lindbergh FariasJosé Luiz PascoalLeonardo GiordanoSergio Gomes
  7. 7. Niterói15/06 a 29/06/13www.dizjornal.com7Dr. Helder MachadoUrologiaTratamento deCálculo Renala Raio LaserRua Dr. Celestino, 26Centro - Niterói.Tels:2620-2084 /2613-1747ClínicaAtendemos UNIMEDeParticularAtendimento 24H pelo tels:8840-0001e9956-1620Edição na internet para 480 mil leitoresComumente ando pelo Centro da Cida-de e tenho certa intimidade com as en-tranhas da noite niteroiense. Entretanto, deuns meses para cá, tenho observado umadrástica mudança nos tipos que frequentamos bares do Centro. Tem “aparecido” umagente estranha, mal-ajambrada, feia que sóa fome. É uma gente feia, que fala alto, deboca cheia e cospe farofa... É como se ti-vessem aberto a porta de outra dimensãoe seres grosseiros adentrassem inesperada-mente os nossos redutos de costume. Fugi-ram por uma fresta de porta do inferno maispróximo. Houve um “aparelhamento” dosacentos dos nossos bares.Indaguei a um e outro, e tem gente que dizter vindo até de Goiás e Mato Grosso doQue Gente Feia...Sul. Realocaram os nossos lugares, com gen-te que nada tem a ver com o município. Àsvezes me pergunto: o que terá acontecido ?O centro da cidade, além de mendigos,crakudos e vagabundos, acrescentou essagente feia e esquisita. Ficou triste e irreco-nhecível.Indignação TemporáriaNo Brasil, as injustiças se propagam e opovo reage timidamente ou pela faltade prática, se atrapalham e às vezes um ououtro se excede. Aí, dá margem para renas-cer a ”natureza do escorpião”, que não trainunca a sua própria maneira de ser.Rio e São Paulo protestam pelos aumen-tos abusivos e inoportunos dos preços daspassagens de ônibus. Isto sem falar daspromessas eleitorais que já estão sendotraídas. O que me espanta é o pouco gásque dispõem estes movimentos. Vem es-bravejando, mas numa espécie de falta decombustível e aparente desistência e desen-gano, vão arrefecendo e deixam tudo paralá! Isso até chegar a próxima indignação, anova e torpe atitude pública e que afeta,especialmente o bolso, invariavelmente dosmais pobres. Vamos seguindo, nos indig-nando, “temporariamente”. Talvez seja anossa cultura volúvel e volátil, ou númerode infernos a percorrer são tantos que nãodá para ficar zangado o tempo todo. Somosum povo no desterro, revoltado, mas, tem-porariamente...A Companhia de Ballet deNiterói em Nova YorkACompanhia de Ballet de Niterói está em Nova York para representar o Brasil no "ArteInstitute Dança no Alvin Ailey", uma grande performance de dança contemporânea,para celebrar o Dia de Portugal, de Camões, e as Comunidades Portuguesas.A Cia de Ballet, viajou com o Superintendente Cultural, Vitor Wolf, e apresentará o es-petáculo “Corda Friccionada” (abaulado String), inspirado na obra de Luiz Gonzaga, comarranjos de Ricardo Medeiros. A performance tem a direção do ex-bailarino Pedro Pires ecoreografia assinada por Clébio Oliveira.Marcello Oliveira, presidente da Caarj; Luciano Bandeira, diretor tesoureiro da OAB-RJ; Antonio José, pres-idente da OAB; e o desembargador João Ziraldo na inauguração da nova unidade digital da OAB- Niterói,que vai agilizar e facilitar o trabalho de advogados, especialmente aqueles que vêm de longe.Ulisses Franceschi
  8. 8. Niterói15/06 a 29/06/13www.dizjornal.com8Renda FinaAniversariantes da EdiçãoTereza mazeli Paulo Freitas Rita Mansur Maurício Bogado Aparecida RollembergEdição na internet para 480 mil leitoresAs Belas da CidadeO Dia DComemorando Carlos BrunoO clã feminino da família Barroouin comemora aniversário de Carlos Bruno Carolina Porto e Juliana PortoGabriela Ragufe, Gabriela Levo e Luisa SenaCamila Moura Porto e Sérgio Wilson Macedo, com destino a Cacum
  9. 9. Niterói15/06 a 29/06/13www.dizjornal.com9thatiana.ncunha@gmail.comthatianacunha.blogspot.com.brT! Newserisveltonsantana@gmail.comerisveltonsantana.comE! GamesCSI in FacebookAprendendo com as PerdasLidar com as perdas não é tarefas dasmais simples, ainda mais, quando setrata de vidas. E se passar por essedifícil momento sozinho não está sendopossível, a ajuda de um profissional com achamada Terapia do Luto, pode ajudá-lo. Aterapeuta Marilene Pitta (foto) diz que essaterapia pode ser usada para tratar de todasas perdas, não só a morte especificamente,mas qualquer perda que cause desespero,frustração, aniquilamento e desistências.Ela explica que essa terapia busca focalizaronde a dor possa estar: “a Terapia do Lutoenvolve um paradigma de trabalho ondeas projeções e as emoções alteradas comoculpa, medo e a raiva vêm à tona de umaforma devastadora. É preciso dissolver oque está cristalizado e devolver ao pacien-te a sua própria história reescrita, mesmocom a pena da dor. É um momento de re-construção, onde o vazio pode ser lumino-so. “Viver e morrernão se improvisa, seaprende,” diz.A terapeuta explicaainda que não existenenhum incentivo aoconsolo durante otratamento, mas, umestímulo para que opróprio paciente de-seje sair desse “labi-rinto da dor”, comoela mesma chama.“O Terapeuta éaquele que atravessaUm corpo na autoestrada...Um desconhecido tem a mãodecepada e sangra até a mor-te... Uma jovem é encontrada mortaem um frigorífico de porcos... Essessão apenas os primeiros caso de “Cri-minal Case” o novo game sensaçãodo facebook e tema da coluna destaedição.Criminal Case é um jogo no estiloaponte e clique, no qual seu perso-nagem é um policial com a missão dedesvendar os mais variados assassina-tos. Nas cenas dos crimes, você deverecolher as pistas e encaminhá-las para asmais variadas análises, desde a exumaçãodo corpo até exame de sangue e DNA,além, é claro, de interrogar os suspeitos.O game é gratuito e conta com um enredobem desenvolvido ao estilo detetive, che-guei a lembrar do clássico “Onde está Car-mem Sandiego”, um dos games mais legaisque já joguei. Interação e educação traba-lhando muito bem em conjunto.Mas, voltando ao Criminal Case, o seu pri-meiro caso consiste na morte misteriosa deuma jovem, que foi encontrada a beira deuma estrada. Esse primeiro trabalho na ver-dade é um tutorial, onde será apresentadoa interface do game e suas mecânicas defuncionamento, além de possibiltar a perso-nalização do seu avatar.Se você já jogou gamesnesse estilo não tera difi-culdade, de forma práticaa missão é encontrar pistasnas cenas dos crimes loca-lizando objetos listados emcada situação, e clicar sobreeles. A medida que você osencontra irá solucionando ocaso e novas interações sãodesbloqueadas assim comooutros locais de investiga-ção.Há ainda os minigames, quesão diferentes (montagemde quebra-cabeça) emborao deserto da passagem. Ouvindo, ajudandoe facilitando o processo de transformação eda transmutação da dor dilacerante em algoque virá de uma fonte superior.”Marilene destaca que a consciência da mor-te pode mudar a forma que se encara avida. Ela diz que esse pensamento, faz comque se busque um viver mais profundo e in-tenso com revisão de valores e na forma dese relacionar com as pessoas e com o pla-neta. “Estamos sempre renascendo e nostransformando. Como tudo na Natureza,estamos em movimento. Esse movimentocessa aparentemente quando mudamos dedimensão. Há muitas moradas na casa doPAI. O importante é saber e ter consciên-cia da experiência que se apresenta naquelemomento e qual é o aprendizado.”Contatos: aprenderaconviver.psc.brmarilenepitta@terra.com.brajudem a avançar na investigação. Nor-malmente, eles estão relacionados com oenredo, como por exemplo, quando vocêprecisa montar uma camisa encontrada nacena de um crime (ainda durante o tutorial).Além disso, o game conta com um sistemade dicas para os casos onde há dificuldadede encontrar os itens é maior.O game, por estar em uma rede social, lo-gicamente trabalha com sistema de coope-ração. Quanto mais amigos jogando vocêtiver, mas rápido conseguirá subir seu nível,visto que é possível enviar presentes quevão desde energia extra até as moedas deouro usadas na compra de itens para perso-nalizar ainda mais o seu avatar.A trilha do game auxília na imersão e no cli-ma proposto pelo enredo do jogo. Os sonsestão bem sincronizados e a história bemfeita, tanto a trama quanto a ordem dos fa-tos, além de gráficos adequados que apre-sentam uma riqueza de detalhes no cenário.Se você ainda não jogou, acesse o gameatravés de sua conta do facebook e se dis-traia com esse ótimo game online, seja uminvestigador por alguns minutos e solucioneos mais variados crimes. Até a próxima.
  10. 10. Niterói15/06 a 29/06/13www.dizjornal.com10Fernando Mello - fmelloadv@gmail.comFernando de Farias MelloSeu canal diretopara fazer denœncias.Nada melhor do queum telefone paraquem, atŽ bempouco tempo atr‡s,s— podia colocar aboca no trombone.www.alerj.rj.gov.brVenha para o NovaAuto EuropeuVelocímetros, Contagiros,Marcadores de Gasolina, Temperatura ePressão do Óleo. Bombas de Gasolinapara injeção eletrônica, Reguladores dePressão, Motores de Passo.Troca na hora de:Velocímetros e Bóias de Tanque.* Alarmes de Controle Remoto* Trava e Vidro Elétrico* Relógios ElétricosRua Marechal Deodoro, 295 - Loja 103/104,Centro - Niterói- RJ. Tels: 2621-5702 / 2717-3881Loucura no Processo TecnológicoAJustiça no Brasil, realmente, é umcaso à parte no mundo. Assimcomo muitos hospitais e clínicas sãoadministrados por médicos, o Judiciário éadministrado por juízes e desembargado-res.Portanto, hospitais e fóruns sofrem comatrasos, tropeços, erros e dão sempre asensação do “lençol curto”, ou seja, quan-do se resolve um problema em determina-do setor, outro apresenta mais problemasporque foram, em teoria, abandonados.No judiciário o problema é, certamente, demá gestão. Sobram boa vontade e decisõespara resolver.O correto seria o Tribunal de Justiça e hos-pitais, por exemplo, serem administradospor administradores. Eles, sim, podem re-solver problemas em conjunto, vislumbraracontecimentos futuros e asfaltar a detona-da estrada do presente.O Judiciário fluminense já sofre com os có-digos de processo antiquados e mal pari-dos. Cheios de recursos que quase sempredeságuam na mesmice das decisões repeti-tivas. Uma pena.Além disso, o Poder Judiciário não conse-gue sequer implantar algo aparentementedifícil, mas que na verdade,é bastante fácil: o processoeletrônico.Vejam, corajosos e prezadosleitores, que o processo ele-trônico está sendo implan-tando em ritmo de Maria-Fumaça, um procedimentolento e que vem se arrastan-do há anos.Hoje mesmo recebi um te-lefonema da ouvidoria doTribunal de Justiça do RJ.Fiz uma reclamação de algoóbvio: não se consegue gra-var em um único arquivoeletrônico o processo intei-ro. A resposta da ouvidoria,através de um telefonema deum senhor bastante educadopara o meu celular foi: aindanão oferecemos a hipótesede salvar todas as páginas doprocesso em um só arquivoporque “o site poderá ficarcongestionado pelo excessode download”.Ora, sempre soube que o caríssimo compu-tador do nosso Tribunal de Justiça era mo-tivo de orgulho para os presidentes e cor-regedores. Mas, diante da informação queme foi prestada, constatei que existe maisum gargalo diante dos advogados e partes.Um gargalo tecnológico e, incrivelmente,de fácil solução.O Tribunal de Justiça do Estado do Rio temrecursos. Possuiu o valor de custas media-no, conforme informações do CNJ.Então, o investimento está sendo feito nomodelo penoso estilo PAC: desorganiza-do e sem cuidar administrativamente dasprioridades, pois existem questões políticastambém.Assim, quando achamos que o processoeletrônico deveria ser mais rápido que ode papel, cometemos um erro, pois valedizer que o processo somente é chamadode eletrônico no link que aparece do sitedo Tribunal, porque os andamentos aindarespeitam o Código de processo, ou seja,cheio de curvas fechadas, buracos, esqui-nas escuras...E ainda ouvi de um colega que a burocra-cia, na verdade, protege a má gestão e háum interesse em mantê-la. Será?Fernando Mello, Advogadowww.fariasmelloberanger.com.bre-mail: fmelloadv@gmail.comKwliqwtyopssCartorãoãoãoPutzgrilo?
  11. 11. Niterói15/06 a 29/06/13www.dizjornal.comPela Cidade11Edição na internet para 480 mil leitoresTerceira Etapa de Tênis emNiteróiComeça no próximo dia 21, a 3° etapada Liga Niteroiense de Tênis (LNT). Osjogos acontecem no Itaquá Soccer e no To-tal Tennis Team e vão até o dia 21 de julho.As inscrições já estão abertas e podem serfeitas no site da Liga ou pelo telefone (21)7705-9653.A Liga Niteroiense de Tênis surgiu após osorganizadores dos torneios Niterói Opene Total Tennis Team se reunirem para fazercom que fossem unificados os resultados dostorneios que já aconteciam na cidade comum calendário e ranking formados em conjunto. A partir daí foi deci-dido a fusão e unificação completa dos torneios, unificando o regula-mento, organização, planejamento, visando a padronização e “profis-sionalização” do tênis amador em Niterói.O objetivo principal foi criar um torneio aberto que atletas amadores,juvenis, semiprofissionais, profissionais, enfim, todos os jogadores epraticantes de tênis de Niterói e cidades próximas pudessem participar,assim, incentivando o esporte na Região. Para isso foi criado um regu-lamento e sistemática de jogos que facilitam o planejamento do torneioe a participação de jogadores, mesmo de lugares mais distantes.Projetos de lei IsentamPassageiros das BarcasOvereador Bruno Lessa (PSDB)apresentou dois projetos delei que isentam os passageiros docatamarã de Charitas de pagarem oestacionamento na região. A inicia-tiva do parlamentar foi em funçãoda implantação do Niterói Rotativono bairro pela Prefeitura Municipal.Com a nova cobrança, o valormensal gasto por esses passageirospode chegar até R$ 1 mil somadosos preços do estacionamento (car-tela integral de 13 horas cuja tarifaé R$ 19,50) e do catamarã para aPraça XV (R$ 24 ida e volta). As outras opções são as mesmas já praticadas em São Fran-cisco com cartelas de 2 horas a R$ 3 ou de 4 horas a R$ 6.No projeto de lei n° 140, o parágrafo da lei Municipal n°2.018/ 02, que isenta da cobran-ça de estacionamento em logradouros públicos os proprietários ou locatários de imóveisque não possuem garagem, é alterado. Pela nova proposição, os usuários das barcas tam-bém serão beneficiados pela lei.Já o outro projeto, prevê que a gratuidade terá um caráter permanente, sendo necessárioapenas a renovação a cada seis meses. Ficarão isentos os passageiros que estacionarematé às 11 horas da manhã, de segunda a sexta-feira, exceto feriado, e o cadastro será feitopela própria concessionária.Servidores da EducaçãoVão a Câmara de NiteróiRepresentantes do Sindicato Estadual dos Profissionais da Educação (Sepe) participa-ram de reunião na Câmara. Na sala da Presidência, entre outros, também estavam osvereadores Paulo Henrique Oliveira (PPS), presidente da Comissão de Educação; MiltonCarlos Lopes, o Cal (PP), líder do Governo na Casa; Beto da Pipa (PMDB); Leonardo Gior-dano (PT); e Henrique Vieira, Gezivaldo Ribeiro de Freitas, o Renatinho e Paulo EduardoGomes, todos do PSOL.“Pele de Asno” naAliança FrancesaNo Ciné-club Jean Vigo da Aliança Fran-cesa, no dia 17 de junho, segunda feira,às 19h, haverá a apresentação do filme “ Pelede Asno” (Peau d’âne, no original) de JacquesDemy, ( França 1970). É uma comédia român-tica de 100 minutos de duração. A entrada égratuita e sujeita a lotação. O filme tem legen-da em português, com classificação etária livre.A Aliança Francesa de Niterói fica na Rua Lo-pes Trovão, 52 – Em Icaraí. Informações tel:(21) 2610-3966.Pela sexta vez consecutiva, aSociedade Fluminense de Fo-tografia (SFF) participa do Foto Rio(Encontro Internacional de Foto-grafia do Rio de Janeiro), um dosmais importantes eventos de foto-grafia do país. Este ano, a mostra aser apresentada pela SFF será “DaÉpoca do Fotoclubismo à Fotografia Contemporânea” econtará com o trabalho de 20 fotógrafos do século passa-do e do atual, dando uma mostra do trabalho fotográficorealizado pelos fotógrafos da instituição que completa em2014, 70 anos de fundação.A mostra será aberta na próxima terça-feira, dia 18 de ju-nho às 19h e ficará em cartaz até o dia 4 de agosto noCentro Cultural Correios na Rua Visconde de Itaboraí, 20,Centro do Rio de Janeiro.A entrada é gratuita e o horário para visitação é de 12h às20 horas, de terça-feira a domingo.Sociedade Fluminensede Fotografia Participado Foto Rio 2013Sergio GomesSergio GomesVeradores Paulo Bagueira, Henrique Vieira e Beto da PipaBruno Lessa
  12. 12. Niterói15/06 a 29/06/13www.dizjornal.comEm Focodizjornal@gmail.com12Edição na internet para 480 mil leitoresComissão Vai Acompanhar Melhorias no Liceu Nilo PeçanhaAComissão de Educação da ALERJ, re-alizou audiência pública, na CâmaraMunicipal de Niterói, no dia 12 pas-sado, e trouxe pais, alunos e professores doLiceu Nilo Peçanha, que lotaram o Plenáriopor mais de duas horas.A mesa diretora foi composta pelo presidenteda Câmara Municipal, Paulo Bagueira (PPS),vereador Leonardo Giordano (PT), deputadaClarisse Garotinho (PR), deputado ComteBittencourt, deputado Marcelo Freixo e Lu-ciano Santana, representante do Liceu NiloPeçanha.O presidente da Comissão, deputado ComteBittencourt (PPS) se comprometeu em acom-panhar as promessas de melhorias feitas pelosrepresentantes da Secretaria de Estado deEducação (Seeduc). “Vamos fiscalizar e co-brar, pois são questões recorrentes em váriasinstituições: a depreciação do ensino, da es-trutura e do incentivo aos nossos estudantes,professores e funcionários do estado”, disseComte Bittencourt.Vários problemas foram apresentados, princi-palmente, o bloqueio das verbas repassadaspara a escola, em função de problemas tra-balhistas provocados pelo Centro de LínguasEstrangeiras Modernas (Celemo).Foram abordados ainda a falta de manutençãonas estruturas físicas, a carência de funcioná-rios nos setores administrativos e de serviçosgerais e o laboratório de informática que nãoestá funcionando. A professora Maria Idalinafalou sobre o sistema de otimização adotadopela Seeduc. “Muitos alunos foram remane-jados de sala, uns com provas dadas, outrossem a disciplina, causando um grande trans-torno para todos. Além disso, não temos livrosatualizados ao currículo mínimo para algumasdisciplinas e séries”, reclamou a professora.Segundo ela, em cinco anos, passaram pelocolégio oito diretores, todos escolhidos pelasecretaria de Estado de Educação.A aluna Jennifer Alves explicou como as aulasestão sendo ministradas em sala. “Usamos oslivros que são feitos para os três anos. Porém,com a mudança feita pela secretaria, não te-mos livros atualizados e os professores tiramcópia de apostilas para nos ajudar”, disse aestudante do 2º ano do ensino médio.Representante da Seeduc, Luciano Santanaexplicou que a questão da verba bloqueadaestá em tramitação junto ao Ministério Públi-co (MP-RJ) esperando “uma melhor resolu-ção”. Além disso, Santana disse que R$ 72mil foram liberados para a instituição para aquitação de débitos. “A secretaria duplicou averba em abril, justamente para atender a de-manda de estrutura e, em maio, os débitos doLiceu foram quitados”, afirmou.Comte Bittencourt (PPS) garantiu que vaiacompanhar toda movimentação da Seeducem relação ao Liceu Nilo Peçanha e marcoupara o início de julho, uma nova visita ao co-légio.A reunião contou com a participação dos de-putados membros da Comissão, de vereado-res de Niterói e da UPPEs.Vereador Leonardo Giordano, deputada Clarissa Garotinho, deputado Comte Bittencourt, depu-tado Marcelo Freixo e Luciano Santana

×