Projeto integralizador menina bonita

26.414 visualizações

Publicada em

0 comentários
4 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
26.414
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
489
Comentários
0
Gostaram
4
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Projeto integralizador menina bonita

  1. 1. PROJETO INTEGRALIZADOR Acadêmicos: Diulha Ebbres Francieli Giza Marcos Dias Rodrigo Pereira
  2. 2. Análise da obra  Enredo: Em “ Menina bonita do laço de fita”, a personagem é uma menina linda e graciosa, que chama atenção com suas tranças e a cor de sua pele. Mas ao contrário do que estamos acostumas a vivenciar e até mesmo ler, nossa protagonista não é branca, e sim negra. O tom de sua pele não gera desgostos a pequena menina, pois seu vizinho, o Coelho branco, admira e tem grande estima pela tom de sua pele. A admiração é tanta que o Coelho tenta de todo modo ficar com a cor da menina, chegando a fazer três tentativas sem sucesso.
  3. 3. Cada vez que o coelho lhe pergunta qual é o segredo da sua cor, ela inventa histórias engraçadas: caiu na tinta preta quando bem pequena, tomou muito café, comeu jabuticaba demais... O coelho segue todos os conselhos da garota, mas continua branco.Então, a mãe da menina explica que o segredo daquela pele tão bonita era a cor da avó da criança.
  4. 4. Por meio desta obra pequena em sua extensão, mas vasta em sensibilidade, podemos claramente perceber questões sociais como aceitabilidade, discriminação, padrões de beleza, autoestima da criança negra etc. Além de questões negativos, o livro nos mostra que com persistência e com um objetivo, somos capazes de realizar coisas que muitas vezes julgamos impossíveis e incapazes. A autora deixa transparecer a mensagem de que a cor da pele é resultante da descendência familiar e que a beleza não está no ser "preto” ou “branco", mas sim na essência de cada sujeito, que merece ser respeitado mesmo com suas diferenças.
  5. 5. Estrutura da obra: •Apresenta narrador em terceira pessoa; •Tempo cronológico, segue uma ordem; •O espaço é social ( casa, rua); •Apresenta características de fábula: tempo indeterminado, repetição, predominância de personagens que desempenham funções no grupo ( mãe, filha) e padrão espiritual (coelho sonhador), convivência natural do real com o fantástico; •Emprego de palavras e/ou expressões que valorizam e exaltam a imagem da menina negra.
  6. 6.  Análise das personagens Menina Bonita: personagem que desempenha o papel de protagonista, representa o modelo crítico e seu nível de personalidade é ego. Coelho Branco: personagem secundária, seu nível de personalidade é id. Mãe da menina: personagem secundária, seu nível de personalidade é ego.
  7. 7. O papel da Literatura Infantil Infelizmente vivemos em uma sociedade cega e hipócrita, que acredita haver vencido a batalha contra a prática discriminatória e preconceituosa para com as pessoas afrodescendentes, as quais compõem uma grande parcela de nossa população. Esse universo racista, essa ignorância intelectual e moral também provoca impactos no cotidiano escolar, afeta os alunos em suas produções de discursos e atitudes discriminatórias, bem como fazendo com que esses mesmos discursos sejam permeados por um conceito de belo que as crianças produzem conscientemente e reproduzem inconscientemente a partir do que ouvem e veem frequentemente em casa, na mídia, na rua, na escola e etc.
  8. 8. Para mudarmos essa realidade, é necessário que desde cedo as crianças tenham uma educação antirracista e que permita a desconstrução do preconceito e dos estereótipos de beleza formados ao longo dos anos por intermédio dos meios de comunicação atuais, em especial a televisão e a internet. Nessa perspectiva, a Literatura Infantil pode ser um instrumento complementar para a educação formadora do respeito e do auto reconhecimento, tendo a si como um ser diferente e único. A obra Menina bonita do laço de fita pode ser usada como um recurso para auxiliar nesta tarefa, uma vez que tem valor significativo e demonstra interesse e preocupação com essas questões. Podendo ser trabalhado com crianças e estudantes em todas as idades.
  9. 9. Proposta de atividades para serem realizadas em sala •Apresentar a história à classe, contando-a, sem mostrar o livro. • Pedir às crianças que deem um título (um nome) à história ouvida, escrevendo na lousa as sugestões apresentadas. •Falar um pouco sobre a escritora Ana Maria Machado, uma escritora brasileira que escreve livros para crianças, principalmente. •Comentar como surgiu o livro. •Dizer o título do livro: “Menina bonita do laço de fita” e comparar com os nomes que os próprios alunos desenvolveram, perguntando a eles se gostaram mais do nome escolhido por eles próprios ou o escolhido pela autora; mostrar às crianças que nem sempre temos a mesma opinião sobre um mesmo fato ou situação e que o importante é que aprendamos a respeitar todas as opiniões; comentar os nomes escolhidos pelos alunos, na medida em que se afastam ou se aproximam do nome original da história. •Mostrar para os alunos a capa do livro, perguntar e mostrar a importância da ilustração na leitura.
  10. 10. •Perguntar e comentar com os alunos se eles têm uma ideia de por que o coelho quer ter a cor de pele da menina. Será que ele não está satisfeito com a própria cor? •Aproveitando a descoberta do coelho (“a gente se parece sempre é com os pais, os tios,os avós e até com os parentes tortos”) podemos estar perguntando com quem o aluno se parece, pedir para ele trazer fotografias, entrevistar pessoas de sua própria família para procurar saber mais sobre seus antepassados, pedir que eles façam desenhos de sua família e sobre a parte da história que mais chamou a atenção. •Roda de conversas para discutir assuntos como etnias, costumes de cada povo, valorização e distinção de raças etc.
  11. 11. Conhecendo a autora e um pouco mais sobre o livro Ana Maria Machado é uma escritora de renome que, segundo dados do seu site oficial, nasceu em 24 de dezembro de 1941, na cidade de Santa Tereza/RJ. Ela iniciou sua carreira pintando (e faz isso até os dias de hoje) e só depois passou a trabalhar como escritora. Após ter sido exilada, em 1969, começou a trabalhar como jornalista, mas abandonou a carreira no ano de 1980. A partir daí, ela voltou a se dedicar àquilo que mais gostava: escrever livros, tanto voltados para adultos como para as crianças. Os números da escritora são impressionantes: trinta e três anos de carreira, mais de cem livros publicados no Brasil e em mais dezessete países, somando mais de dezoito milhões de exemplares vendidos. Sem esquecer os inúmeros prêmios que a mesma recebeu, sendo eleita, em 2003, para ocupar a cadeira nº. 1 da Academia Brasileira de Letras/ABL.
  12. 12. A obra Menina Bonita do Laço de Fita pode ser considerada uma das mais premiadas e traduzidas, em diversos países, de toda a bibliografia de Ana Maria Machado. Segundo palavras da própria autora, a ideia da história deste livro surgiu a partir de uma brincadeira que ela e seus dois filhos mais velhos (Rodrigo e Pedro) e mais morenos, faziam com a sua filha recém- nascida (Luísa), que era branquinha e havia ganhado um coelhinho branco de pelúcia. Assim, eles costumavam brincar com a menininha usando o coelhinho para fazer cócegas na pequenina, questionando: “Menina bonita do laço de fita, qual o segredo para ser tão branquinha?”; E respondendo coisas do tipo: “é por que caí no leite”; “porque comi arroz demais”; “porque me pintei com giz” e etc. Ao final da brincadeira, sempre respondiam, mais ou menos assim: “Não, nada disso, foi uma avó italiana que deu carne e osso para ela”.
  13. 13. Finalmente um dia, o marido da escritora cuja profissão era músico, ouvindo e observando este momento de descontração, sugeriu que daria para Ana escrever uma música ou uma história com a brincadeira. A autora se agradou da opinião do marido, porém, ela teve o seguinte pensamento: “escrever sobre uma menina linda, loura e branca, já estava gasto demais e nem tem nada a ver com a realidade do Brasil”. Então foi feita a adaptação para menina pretinha, a tinta preta, as jabuticabas, o café, etc...
  14. 14. Eu vivo inventando histórias. E dessas que eu escrevo, algumas viram livros. Adoro o meu trabalho. Ainda bem, porque acho que não ia conseguir viver se não escrevesse. Ana Maria Machado
  15. 15. “Olha de novo: não existem brancos, não existem amarelos, não existem negros: somos todos arco-íris.” Ulisses Tavares “As flores são bonitas em qualquer lugar do mundo, muita gente tem forma mas não tem conteúdo.” Chorão
  16. 16. REFERÊNCIA MACHADO, Ana Maria. Menina bonita do laço de fita. São Paulo: Ática, 7. Ed., 2005, 24 p., il. color: Claudius, Coleção Barquinho de Papel. http://www.anamariamachado.com/biografia Acesso em: 27 de maio de 2012. BETTELHEIM, Bruno. A PSICANÁLISE DOS CONTOS DE FADAS Tradução de Arlene Caetano 16a Edição - PAZ E TERRA - 2002 Traduzido do original em inglês: The Uses of Enchantment TheMeaning and Importance ofFairy Tales

×