Aula EBD - Fidelidade ao Senhor

7.130 visualizações

Publicada em

Publicada em: Espiritual, Educação
0 comentários
10 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
7.130
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
18
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
0
Gostaram
10
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Aula EBD - Fidelidade ao Senhor

  1. 1. a decisão de SER FIEL AO SENHOR Daniel cap. 1 © DMM, 2009
  2. 2. Sola Scriptura - Sola Gratia - Sola Fide - Solo Christo - Soli Deo Gloria a decisão de SER FIEL AO SENHOR Textos para Análise: Daniel 1 e Tiago 1:1-4 www.dmmonteiro.com © DMM, 2009
  3. 3. a decisão de SER FIEL AO SENHOR  Considerações Iniciais  Como povo de Deus estamos sujeitos a provas que testarão a nossa fidelidade, colocarão nossa fé diante de grandes desafios.  Foi assim com Daniel e seus companheiros. - Eram jovens e cultos. - Viviam a segurança e a estabilidade de famílias ricas. E de repente, uma guinada. Nabucodonsor conquista Jerusalém e os leva para Babilônia como prisioneiros de guerra. - Distante da terra natal. - Em um país com cultura predominantemente pagã. Não deve ter sido fácil. Mas eles venceram. O mal se transformou em bênçãos. Tanto para eles quanto para o nome do Deus que serviam. www.dmmonteiro.com © DMM, 2009
  4. 4. a decisão de SER FIEL AO SENHOR  Idéia Principal  Como judeus exilados na Babilônia, Daniel e seus três amigos encontram oportunidades múltiplas para permanecerem fiéis a Deus, até mesmo quando as vidas deles/delas são ameaçadas. O livro de Daniel nos equipa com histórias importantes sobre focalizar na aliança de Deus, resistindo às pressões mundanas, e permanecendo firmes em nossa fé. www.dmmonteiro.com © DMM, 2009
  5. 5. a decisão de SER FIEL AO SENHOR  Fazendo Conexões  Cada dia Deus nos dá oportunidades para viver nossa fé no mundo. Muito freqüentemente, nós colocamos uma prioridade mais alta em valores mundanos e cedemos às pressões seculares em lugar de permanecermos fiéis ao nosso Deus. As histórias desde o início do livro de Daniel nos lembram de ficarmos focalizados na fé em Deus e nas instruções de Deus acima de tudo. www.dmmonteiro.com © DMM, 2009
  6. 6. a decisão de SER FIEL AO SENHOR  Contexto de Dn 1  Os primeiros seis capítulos do livro de Daniel recontam histórias de Daniel e seus três amigos —todos judeus exilados na Babilônia debaixo do governo do Rei Nabucodonosor. Embora as histórias diferenciem em conteúdo, elas compartilham um tema comum de resistência a um rei e a uma sociedade que colocaram outros deuses acima do Deus de Israel. Ao risco de severo castigo e até mesmo morte, Daniel e os amigos dele foram fiéis ao seu Deus e são protegidos da perseguição. www.dmmonteiro.com © DMM, 2009
  7. 7. a decisão de SER FIEL AO SENHOR  Contexto de Dn 1  O conceito popular da época, era de que os deuses da nação vencedora venciam os deuses da nação vencida. Era assim que os babilônicos acreditavam. Por isso, foi que trouxeram objetos do Templo de Jerusalém e colocaram no templo de Marduk. Uma forma de homenagear o deus vencedor. - Esses mesmos objetos mostram a Justiça divina: - O povo de Israel havia contaminado o templo desde Salomão com utensílios de nações idólatras que haviam conquistado; - Para o povo a presença do Templo era prova simples de que eram aceitáveis diante de Deus (Jeremias 7:4); - Isaías 39:6-7 – 2 séculos antes Deus já os havia advertido; - O povo não ouviu a palavra do Senhor, confiou em algo inferior e perdeu tanto o serviço ao Senhor como o objeto de sua confiança. www.dmmonteiro.com © DMM, 2009
  8. 8. a decisão de SER FIEL AO SENHOR  Um Dilema, O Desafio  Certamente este conceito e a situação que viviam balançaram a cabeça dos jovens hebreus. Como foi possível um deus que não é deus vencer o Deus criador dos céus e da terra? São nesses momentos para os quais não se encontra respostas que a fé entra em ação. Sem ela, Daniel e seus companheiros teriam sido engolidos pela cosmovisão babilônica pagã. www.dmmonteiro.com © DMM, 2009
  9. 9. a decisão de SER FIEL AO SENHOR  A Exortação de Tiago Do texto e tribos que andam dispersas: Gr. “Às doze contexto de Tiago diáspora, palavra que, no seu sentido literal, Objetivos: designa os judeus que ficaram espalhados entre as nações após o cativeiro babilônico. Aqui, abrange os crentes em Cristo espalhados pelo mundo, incluindo os de CONSOLO EM MOMENTO DE CRISE procedência judaica....” EXORTAÇÃO PARA UM FÉ COMPLETA www.dmmonteiro.com © DMM, 2009
  10. 10. a decisão de SER FIEL AO SENHOR “Às doze tribos que andam dispersas: Gr. diáspora, palavra que, no seu sentido literal, designa os judeus que ficaram espalhados entre as nações após o cativeiro babilônico. Aqui, abrange os crentes em Cristo espalhados pelo mundo, incluindo os de procedência judaica....” www.dmmonteiro.com © DMM, 2009
  11. 11. a decisão de SER FIEL AO SENHOR  A Exortação de Tiago Palavras chaves no texto: Provação πειρασμος peirasmos Destacando os versos 1 a 3 Fé: Aqui,experimento, tentativa,como constância ou fidelidade na 1) se entende sobretudo teste, prova 2) tentação da fidelidade do homem, integridade, virtude, conduta ditada pelo evangelho. Em outros lugares da epístola, esta constância palavra é usada υπομονη hupomoneCf. Tg 1.6 e ver 2.14. Perseverança com matizes diferentes. 1) estabilidade, constância, tolerância www.dmmonteiro.com © DMM, 2009
  12. 12. a decisão de SER FIEL AO SENHOR Palavras chaves no texto: Provação πειρασμος peirasmos 1) experimento, tentativa, teste, prova 2) tentação da fidelidade do homem, integridade, virtude, constância Perseverança υπομονη hupomone 1) estabilidade, constância, tolerância www.dmmonteiro.com © DMM, 2009
  13. 13. a decisão de SER FIEL AO SENHOR  A Exortação de Tiago Em função do contexto de crise e do “4 Tenha, porém, a paciência a sua obra perfeita, para mundanismo o que se via eram crentes sujeitos que sejais perfeitos e completos, sem faltar em coisa alguma. uma FÉ incompleta, superficial. AE, se algumdo textotem justamente nos confrontar proposta de vós é falta de sabedoria, peça-a a 5 na capacidade dedá liberalmente e crentes mesmo Deus, que a todos continuarmos não o lança em quanto ser-lhe-á dada. rosto; e tudo está difícil e estabelecer o padrão 6 Peça-a, porém, com fé, não duvidando; porque o que das adversidades: duvida é semelhante à onda do mar, que é levada pelo - INTEGRIDADE: Alvo = outra parte.” vento e lançada de uma para uma fé completa, pela reprodução do caráter de Cristo. www.dmmonteiro.com © DMM, 2009
  14. 14. a decisão de SER FIEL AO SENHOR “4 Tenha, porém, a paciência a sua obra perfeita, para que sejais perfeitos e completos, sem faltar em coisa alguma. 5 E, se algum de vós tem falta de sabedoria, peça-a a Deus, que a todos dá liberalmente e não o lança em rosto; e ser-lhe-á dada. 6 Peça-a, porém, com fé, não duvidando; porque o que duvida é semelhante à onda do mar, que é levada pelo vento e lançada de uma para outra parte.” www.dmmonteiro.com © DMM, 2009
  15. 15. a decisão de SER FIEL AO SENHOR  De que perigos falamos? A fidelidade a Deus e o sucesso na vida espiritual hoje, não é garantia de sucesso amanhã. Há perigos! Minas prontas a explodir sob os pés dos insensatos.  Nossa época tem frutos de muitos esforços do neopaganismo – união dos inimigos da fé Cristã (panteístas, politeístas e, principalmente, humanistas): Pluralismo  (Culto das diferenças);  Efemeridade  (Culto das emoções);  Fragmentação  (Culto das divisões);  Alteridade  (Culto das mudanças);  Desconstrucionismo  (Culto à relatividade);  Divergência  (Culto à suspeita);  Instantaneidade  (Culto do momento).  www.dmmonteiro.com © DMM, 2009
  16. 16. a decisão de SER FIEL AO SENHOR  De que perigos falamos? Perigos ao Cristão na Pós-Modernidade  Moral: Relativismo - Homossexualismo, bispo gay da Igreja Episcopal Anglicana, Gene Robinson;  Espiritual: Sub-cristianismo, Igrejas-Empresas; Fé-Mercado.  Valores: Honestidade dependente do valor (ex.: servente do aeroporto)  Política: Políticos cristãos envolvidos em escândalos; www.dmmonteiro.com © DMM, 2009
  17. 17. a decisão de SER FIEL AO SENHOR  De que perigos falamos? Evangelho Pós-Moderno: – Liturgia menos solene ou mais irreverente; – Púlpito transformado em plataforma; – Somos a geração que desaprendeu a orar – Substituição da música sacra por música de mercado (produzidos pelo mercado Gospel); – Poder X Autoridade; – Despreocupação com membresia; – Místicismo: • Dente de ouro; • Paletó que derruba; • Copo com água. www.dmmonteiro.com © DMM, 2009
  18. 18. a decisão de SER FIEL AO SENHOR www.dmmonteiro.com © DMM, 2009
  19. 19. a decisão de SER FIEL AO SENHOR  As Provas de Daniel são perigos atuais As provas de Daniel são perigos impostos pelos inimigos da fé de todos os tempos. Elas indicam os riscos do paganismo, da secularização, da assimilação!  1. Eles tiveram seus nomes trocados De nomes que os conectavam ao Deus de seus pais, para nomes ligados às divindades pagãs. A mudança de nomes teve como propósito apagar do coração destes jovens a religião dos hebreus, e inculcar-lhes a religião dos babilônios. Parece que não se importaram com isso. Eles não tinham outra escolha. Apenas aceitaram. E foi o mais próximo que se permitiram chegar ao paganismo. Novos nomes, não significou adesão ao significado deles. www.dmmonteiro.com © DMM, 2009
  20. 20. a decisão de SER FIEL AO SENHOR  2. Eles tiveram que estudar na Babilônia - Entraram em contato com a literatura e a ciência do Império. - Estudaram astrologia e mitologia pagã. Não se eximiram desses conhecimentos. - Quando o rei os inquiriu, conheciam sobre tudo (Dn 1:20). Mas decidiram não se contaminar. Isso fez a diferença!  3. Foram “honrados” com o direito de comerem na mesa do rei. Mas ali eram servidos alimentos impuros. E até os puros, dedicavam-se aos deuses. E com os deuses, eles não queriam conversa. Negaram-se a comer. Não usaram de subterfúgios. Não se justificaram. Não deram explicações. Nem racionalizaram: “Somos escravos e recebemos a honra de comer da comida real. Qual o problema? Separamos o que pode ser comido do que não pode.” www.dmmonteiro.com © DMM, 2009
  21. 21. a decisão de SER FIEL AO SENHOR  O Texto nos ensina algumas lições: 1. DEUS EXIGE RESPONSABILIDADE DE NÓS O começo do livro demonstra que Deus responsabiliza as pessoas de seus atos. Em Jeremias 25.1–10, Deus disse a Seu povo que por não haver-lhe obedecido, sofreriam as conseqüências que se enumeram nos primeiros versículos de Daniel. São de 2 tipos:  As pessoas são responsáveis diante de Deus em coletividade Daniel 1.2 resume as conseqüências da desobediência de Israel.  As pessoas também devem dar conta a Deus de forma individual Nos mesmos versículos que falam acerca de como Deus castigou a Judá por sua iniqüidade, encontramos os nomes de alguns que haviam seguido sendo fiéis a Deus: Daniel, Ananias, Misael e Azarias. (vers. 6). www.dmmonteiro.com © DMM, 2009
  22. 22. a decisão de SER FIEL AO SENHOR 2. OPÇÃO QUE SE ESCOLHE PELA FÉ – (1:8-14) A exortação de Tiago e o comportamento de Daniel e seus amigos, evidenciam que a nossa postura correta é uma escolha de FÉ, daí porque FIDELIDADE.  No relato de Daniel e seus amigos, a primeira coisa que fizeram foi tomar uma decisão. Resolveram não se contaminar com aqueles alimentos. Decisão é o primeiro passo para uma longa caminhada. Tanto para o bem quanto para o mal. Durante todas as provas, a FÉ PREVALECEU sobre a SABEDORIA REINANTE. Daniel e seus amigos tomaram a decisão de agir de modo contrário às normas impostas por pessoas pagãs, ímpias. Haviam outros cativos que estavam se submetendo aos mandamentos dos babilônios; não obstante, o nosso exemplo é de jovens que entenderam o que era fazer parte do povo de Deus e preferiu os riscos que se suponham e mantiveram-se fiéis ao Senhor. www.dmmonteiro.com © DMM, 2009
  23. 23. a decisão de SER FIEL AO SENHOR POSTURA DA IGREJA E DO CRENTE DIANTE DO MUNDO:  Não podemos deixar que o mundo estabeleça uma agenda para a Igreja  Não podemos nos curvar servilmente perante o mundo. Ao contrário, nosso papel é declarar e fazer aquilo que Deus nos enviou a declarar e fazer. Consciência sensível perante o mundo www.dmmonteiro.com © DMM, 2009
  24. 24. a decisão de SER FIEL AO SENHOR POSTURA DA IGREJA E DO CRENTE DIANTE DO MUNDO:  protesto contra a secularização, o materialismo, ou seja, contra a tentativa de eliminar Deus do mundo.  sobrevivência às pressões e ataques mediante a preservação da identidade – não assimilar. (Ex.: rolo compressor comunista x sobrevivência cristã na Rússia.  resistência ao materialismo do “ter” maior do que o “ser”; da “vida aqui e agora” prevalecendo sobre a “vida eterna”; da ciência que se arroga o poder explicar tudo, de desfazer todos os mistérios. www.dmmonteiro.com © DMM, 2009
  25. 25. a decisão de SER FIEL AO SENHOR POSTURA DA IGREJA E DO CRENTE DIANTE DO MUNDO • Busca por transcendência Elevar a Qualidade da adoração a Deus • Busca de significância Elevar a Qualidade do ensino na Igreja • Busca de comunhão Elevar a Qualidade da comunhão na Igreja www.dmmonteiro.com © DMM, 2009
  26. 26. a decisão de SER FIEL AO SENHOR 3. O TESTEMUNHO DA FÉ – (1:15-24) “Os moinhos de Deus moem devagar. Mas moem bem moidinho”.  Deus não é Senhor apena do seu povo, mas de todos os habitantes da terra. Embora os pagãos babilônicos não O conhecessem, queria se revelar a eles. E fizera isso através da fidelidade de quatro rapazes corajosos e fiéis. Deus cumpre seus propósitos através de seus servos FIÉIS. Veja o resultado do testemunho fiel de Daniel: Quantas pessoas conheceram o Deus de Israel! Editos foram emitidos proclamando o nome de Jeová como sendo o único Deus verdadeiro. O Deus de Daniel. Há pessoas, que tudo o que conhecem, é alguém que segue a Jesus. E através dessas pessoas têm elas a oportunidade de saber quem de fato é o Criador dos Céus e da terra. www.dmmonteiro.com © DMM, 2009
  27. 27. a decisão de SER FIEL AO SENHOR CONCLUSÃO Do texto de TiagoTiago, pronunciadas a partir de uma As exortações de falamos de duas palavras chaves: perspectiva ética da fé pessoal, com vistas: Provação e perseverança Uma Fé sob forma de AÇÃO COMPLETA - τελειος teleios Para não sucumbirmos no estágio entre uma e outra 1) levado a seu fim, finalizado 2) que não carece de nada necessário para estar completo, perfeito; integridade e virtude humana consumados devemos entender que a primeira tem o propósito de nos 4b) de homens e mulheres adultos, maduros Tudo isso revelarápassando por uma vivência prática da fé sob levar a segunda que somos CRENTES ÍNTEGROS - ολοκληρος holokleros o entendimento de mais 2 palavras: 1) completo em todas as suas partes, em nenhuma parte deficiente ou enfermo, inteiro, íntegro 1a) de um corpo sem mancha ou defeito, livre de pecado, sem culpa www.dmmonteiro.com © DMM, 2009
  28. 28. a decisão de SER FIEL AO SENHOR As exortações de Tiago, pronunciadas a partir de uma perspectiva ética da fé pessoal, com vistas: Uma Fé sob forma de AÇÃO COMPLETA - τελειος teleios 1) levado a seu fim, finalizado 2) que não carece de nada necessário para estar completo, perfeito; integridade e virtude humana consumados 4b) de homens e mulheres adultos, maduros Tudo isso revelará que somos CRENTES ÍNTEGROS - ολοκληρος holokleros 1) completo em todas as suas partes, em nenhuma parte deficiente ou enfermo, inteiro, íntegro 1a) de um corpo sem mancha ou defeito, livre de pecado, sem culpa www.dmmonteiro.com © DMM, 2009

×