TEORIA E PRÁTICA DA EDUCAÇÃO INFANTIL
PEDAGOGIA – 6º PERÍODO / MATUTINO
PROFESSORA: CLÁUDIA REGINA RODRIGUES
ALUNAS: DILMA...
A construção da linguagem oral
VERBALIZAÇÃO
NEGOCIAÇÃO
As primeiras palavras, muito além do
gugu-dadá
Como acontece a linguagem falada
LINGUAGEM
CORPORAL
SINAIS
GESTOS
Linguagem corporal
A competência linguística
Capacidade para
compreenderem a
linguagem
Capacidade para se
fazer entender
Competência
linguíst...
Modificações e associações
Sua construção não é linear ...
Tentativa de aproximar-se das
convenções da linguagem
“Adivinha se eu
‘tô’ sentada
agachada ou
empezada?”
“Você está
chora...
As crianças têm ritmos próprios
• Reage mais à fala.
• Exibe caretas e gestos.
Já nos
primeiros dias
• Reconhece o nome.
•...
• Atenta a fala dos pais.
• Procura participar da
conversa.
• Fala intencional.
Com um
ano
• Fala e repete o que ouve.
• E...
• Capacidade de entender
contrários.
• O que se ouve desperta-lhe
imagens.
• Palavra – significado próprio
Até três
anos
•...
Predomínio da fala
 Perspectiva particular.
 Ampliação gradativa.
OS ERROS MAIS COMUNS:
 Considerar o berçário um lugar de silêncio.
 Usar diminutivos e infantilizar as expressões.
 Pre...
 Quando falar fique de frente
para a criança
 Enfatize a entonação da
frase
 Fala em altura suficiente  Abra espaços p...
O au-au
e o
cachorro,
amigos ou
inimigos?
Trava-línguas
 CÓCCO, Maria Fernanda; HAILER, Marco Antônio. APL, 2: análise
linguagem e pensamento: um trabalho de linguagem numa
prop...
A criança e a linguagem: o desenvolvimento da linguagem oral
A criança e a linguagem: o desenvolvimento da linguagem oral
A criança e a linguagem: o desenvolvimento da linguagem oral
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

A criança e a linguagem: o desenvolvimento da linguagem oral

541 visualizações

Publicada em

Como a criança desenvolve a linguagem oral, baseado no livro de:HASSELMAN, Martina. Para eu falar melhor: como os pais podem incentivar seus filhos. São Paulo: Paulinas, 2006. E outras referências.

Publicada em: Educação
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
541
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
11
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
41
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

A criança e a linguagem: o desenvolvimento da linguagem oral

  1. 1. TEORIA E PRÁTICA DA EDUCAÇÃO INFANTIL PEDAGOGIA – 6º PERÍODO / MATUTINO PROFESSORA: CLÁUDIA REGINA RODRIGUES ALUNAS: DILMA DOS ANJOS IRACILDA SOUSA VALCILENE GOMES MANAUS - 2012
  2. 2. A construção da linguagem oral VERBALIZAÇÃO NEGOCIAÇÃO
  3. 3. As primeiras palavras, muito além do gugu-dadá
  4. 4. Como acontece a linguagem falada LINGUAGEM CORPORAL SINAIS GESTOS
  5. 5. Linguagem corporal
  6. 6. A competência linguística Capacidade para compreenderem a linguagem Capacidade para se fazer entender Competência linguística
  7. 7. Modificações e associações
  8. 8. Sua construção não é linear ...
  9. 9. Tentativa de aproximar-se das convenções da linguagem “Adivinha se eu ‘tô’ sentada agachada ou empezada?” “Você está chorando?”, ao que a criança reponde: “Não estou graçando!”
  10. 10. As crianças têm ritmos próprios • Reage mais à fala. • Exibe caretas e gestos. Já nos primeiros dias • Reconhece o nome. • Reage quando é chamada. Aos seis meses • Entende algumas palavras que designam objetos conhecidos: bola, boneca, urso Perto dos dez meses
  11. 11. • Atenta a fala dos pais. • Procura participar da conversa. • Fala intencional. Com um ano • Fala e repete o que ouve. • Entende perguntas simples. Até um ano e meio • Vocabulário passivo. • Domina a maioria das expressões do cotidiano. Aos dois anos
  12. 12. • Capacidade de entender contrários. • O que se ouve desperta-lhe imagens. • Palavra – significado próprio Até três anos • Consegue entender tudo o que refere-se a sua vida. • Aumento do vocabulário passivo. Período pré- escolar
  13. 13. Predomínio da fala  Perspectiva particular.  Ampliação gradativa.
  14. 14. OS ERROS MAIS COMUNS:  Considerar o berçário um lugar de silêncio.  Usar diminutivos e infantilizar as expressões.  Prestar atenção apenas na fala dos pequenos. Restringir-se a palavras próprias da primeira infância.  Agir antes de a criança falar.
  15. 15.  Quando falar fique de frente para a criança  Enfatize a entonação da frase  Fala em altura suficiente  Abra espaços para conversas  Fale devagar  Não sobrecarregue a criança com palavras.  Fale com clareza  Forneça um modelo de dicção excelente à criança
  16. 16. O au-au e o cachorro, amigos ou inimigos?
  17. 17. Trava-línguas
  18. 18.  CÓCCO, Maria Fernanda; HAILER, Marco Antônio. APL, 2: análise linguagem e pensamento: um trabalho de linguagem numa proposta socioconstrutivista. São Paulo: FTD, 1996.  HASSELMAN, Martina. Para eu falar melhor: como os pais podem incentivar seus filhos. São Paulo: Paulinas, 2006.  SCACHETTI, Ana Lígia; SCAPATICIO, Márcia. As primeiras palavras, muito além do gugu-dadá. Nova Escola, n.125, p. 48-50, março 2012.  Teoria e Prática da Educação Infantil. A criança e a linguagem: desenvolvimento da linguagem oral. Manaus, p. 39-40.

×