Autotransplante dentário ciosp2008

1.110 visualizações

Publicada em

BASTA CLICAR E LER A AULA

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.110
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
8
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
18
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Autotransplante dentário ciosp2008

  1. 1. A importância do autotransplante dentárioem pacientes jovens candidatos a implantes futuros.
  2. 2. Autores: Sérgio Luis Noronha Júnior, CD Mayra Cristina Yamasaki,ACAna Cristina Paiva Noronha, TPD
  3. 3. Introdução Os transplantes dentários foram inicialmente descritos por HUNTER (1728), mas seusresultados iniciais foram pobres e conseqüentemente pouco explorados. Já em 1950, APFEL eMILLER mostraram o desenvolvimento técnico-científico descrevendo os primeiros protocolos deintervenção cirúrgica. Com as variáveis determinantes para o diagnóstico mapeadas e indicaçõesprecisas, a taxa de sucesso aumentou e a comunidade científica não somente aceitou esta propostade tratamento, mas os reconheceu como os ditos “pais” do transplante dentário moderno. Atualmente os implantes dentários tem sido indicado largamente na reposição deelementos dentários perdidos, porém em pacientes jovens, com idade inferior a 18 anos osimplantes não são indicados, devido ao crescimento facial em andamento o que prejudicaria aosseointegração dos implantes. Desta forma o autotransplante dentário e indicado para manter oespaço físico e biológico preservado, evitando assim a migração dos dentes vizinhos a extrusão dosantagonistas bem como a manutenção do volume ósseo, o que fundamental para terapia comimplantes. A proposição deste trabalho é rever as indicações, contra-indicações, limitações ecuidados relacionados a técnica cirúrgica bem como a importância da avaliação radiográfica e dasdiferentes técnicas de contenção, dos pacientes candidatos ao autotransplante. Serão ilustradoscom casos clínicos, a situação da perda precoce de 1° e 2° molares e sua substituição com otransplante do 3° molar em diferentes estágios de desenvolvimento, assim como um caso composterior instalação de implante ossointegrável.
  4. 4. AVALIAÇÃO RADIOGRÁFICA: INDICAÇÕES: CONTRA-INDICAÇÕES:- Avaliação da estrutura óssea da área -Perda prematura dos dentes (trauma / -Presença de lesão inflamatória aguda;receptora; cárie); -Problemas sistêmicos que empeçam -Quando não há outra alternativa- Estágio de formação radicular do qualquer tipo de cirurgia; terapêutica;elemento a ser transplantado; -O paciente tem bons hábitos de higiene - Anomalias Cardíacas;- Verificação da compatibilidade oral.dimensional do elemento a ser - Quando o paciente ainda é jovem e - Incompatibilidade de dimensões dotransplantado com a área receptora. não está indicado a instalação de dente a ser transplantado com o leito implantes, onde o dente transplantado receptor. servirá de mantenedor de espaço. LIMITAÇÕES CUIDADOS CIRÚRGICOS: TIPOS DE CONTENÇÃO:- Perda de uma das paredes ósseas - Cemento e ligamento periodontal - Fio de Nylon 1mm ∅ por até 40 dias;alveolares; deverão ter o mínimo de manipulação; - Fio de aço flexível (amarrilho- Estágio de desenvolvimento da raiz trançado), aderido ao dente comavançado (> que ¾ da raiz formada) - Evitar o descolamento do capuz pericoronário; resina fotopolimerizavél por 30 dias.- Necessidade de slice maior que 0,5mm em cada face ou que venha a - Fio de aço por 15 dias; - Fazer curetagem do alvéolo receptorexpor a dentina; seguido de abundante irrigação com -Resina fotopolimerizável por 15 dias; soro fisiológico 0,9%.- Existência de lesões apicais.
  5. 5. Paciente do gênero feminino, com 16 anos, tratada A lesão foi diagnosticada também através de radiografia periapical, e foi sugerido apreviamente de uma lesão do tipo cavidade óssea paciente que fosse realizado um autotransplante do elemento 38 para oidiopática, com perda precoce do elemento 36 por local do elemento 36, o qual foi fratura radicular. prontamente aceito.
  6. 6. Foi realizado um acesso as Foi realizada osteotomia com o O dente foi removido e áreas doadora e receptora cuidado de não prejudicar o aguardado o preparo do leitoatravés de uma incisão intra- receptor em solução salina (Soro sulcular dente a ser transplantado fisiológico à 0,9%).
  7. 7. Após a remoção do O dente éelemento é realizada a A sutura é realizada transplantado para com o cuidado de remoção do dente seu leito receptor, manter o dente emfraturado e preparo do após pequeno slice de infra-oclusão para que forma a permitir a leito receptor ele possa erupcionar e acomodação no se posicionar em sentido mesio-distal. oclusão.
  8. 8. Aspecto clínico num pós- Aspecto clínico após 3 meses Aspecto clínico e radiográficooperatório de 1 semana após 6 meses.onde foi removido a suturae o dente foi fixado com fiode nylon por 3 semanas.
  9. 9. Paciente do gênero feminino,16anos, com o elemento 37condenado por cárie e com oelemento 38 ainda emformação. Foi sugerido que amesma realiza-se o auto-transplante até que a mesmaterminasse o seu crescimentofacial o que viabilizaria ainstalação do implante.A paciente foi acompanhada por Pré-operatório 3 meses1 ano. Após este período apaciente se ausentou doconsultório por 5 anos quando amesma retornou,estava com oselementos 36 (fratura póstrauma) e 37 (reabsorção da 1 anoraiz) condenados os quais foramsubstituídos por implantes comsucesso. A mesma aguarda otermino da osseointegração parainstalação das prótesesunitárias.
  10. 10. Conclusão• O auto-transplante é viável quando bem indicado;• O acompanhamento radiográfico é fundamental;• Os melhores resultados são obtidos quando o dente a sertransplantado tem sua raiz com cerca de 2/3 a ¾ da raizformada;• Necessita de uma boa técnica para se obter bons resultados;• É economicamente viável;•Os dentes transplantados são ótimos mantenedores deespaços para instalação de futuros implantes osseointegráveis.
  11. 11. Bibliografia- Bauss O, Engelke W, Fenske C, Schilke R, Schwestka-Polly R. Effect of differentsplinting methods and fixation periods on root development of autotransplantedimmature third molars. J Oral Maxillofac Surg. 2005 Mar;63(3):304-10.- Mendes RA, Rocha G. Mandibular third molar autotransplantation--literature reviewwith clinical cases. J Can Dent Assoc. 2004 Dec;70(11):761-6.- Mejare B, Wannfors K, Jansson L. A prospective study on transplantation of thirdmolars with complete root formation.Oral Surg Oral Med Oral Pathol Oral RadiolEndod. 2004 Feb;97(2):231-8.- Sobhi MB, Rana MJ, Manzoor MA, Ibrahim M, Tasleem-ul-Hudda.Autotransplantation of endodontically treated third molars.J Coll Physicians Surg Pak.2003 Jul;13(7):372-4.- Bauss O, Schilke R, Fenske C, Engelke W, Kiliaridis S. Autotransplantation ofimmature third molars: influence of different splinting methods and fixation periods.Dent Traumatol. 2002 Dec;18(6):322-8

×