Bio60

1.024 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.024
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
8
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
7
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Bio60

  1. 1. FOTO DA CAPA O gaúcho e o Guaíba, símbolos de uma cidade Foto Alfonso Abraham JULHO/SETEMBRO 2011 6 26º CONGRESSO Porto Alegre recebe mais de 5 mil E mais: técnicos para debater universalização • Novas tecnologias12 ÁGUA DE TORNEIRA melhoram os Água de torneira para beber evita processos nas produção desnecessária de PETs empresas • Museu das Águas20 POLUIÇÃO DIFUSA conta a história de Pouco estudada, é a maior degradadora Lisboa dos mananciais urbanos • A gaúcha Carmem Gamba mostra no26 DESMATAMENTO NA AMAZÔNIA ensaio fotográfico Ibama detecta o uso de venenos no de sua paixão por processo de devastação das matas Porto Alegre • Colunas do do32 HIDROMETRAÇÃO INDIVIDUALIZADA Álvaro, do Jordão e Medição do consumo individual impõe do Lineu justiça tarifária aos condomínios 3
  2. 2. informe a palavra da presidente Vigilância da Qualidade da Água para Consumo Humano em situações de desastre Cássia de Fátima Rangel, Adriana Rodrigues Cabral e Daniela Buosi Rohlfs Compromissos Os eventos considerados como desastres de origem natural predomi- nantes no Brasil estão associados a A Portaria MS nº 518/2004, que determina o padrão de potabilidade da água para consumo humano, esta- que se abastece por meio de soluções alternativas individuais. Uma das medidas a serem adota- com o futuro inundações graduais ou bruscas, ven- belece em seu art. 29 que: “sempre das é a aferição do cloro residual nas davais, granizos, escorregamentos, que forem identificadas situações diferentes formas de abastecimento secas e estiagens, sendo as inundações de risco à saúde, o responsável pela de água, para avaliar a necessidade do O as de maior ocorrência. Vários elemen- operação do sistema ou solução alter- aumento da concentração de cloro, tos contribuem para essa realidade, nativa de abastecimento de água e as garantindo a desinfecção da água para dentre eles as mudanças climáticas, autoridades de saúde pública devem consumo humano. Se necessário, deve livro-reportagem que preparamos para É um livro que vai lá atrás buscar os passos dos a urbanização desordenada, a ocupa- estabelecer entendimentos para a ser realizada a distribuição de hipoclo- ção de áreas de risco, a degradação do elaboração de um plano de ação e rito de sódio para a população, para contar um pouco do que já fez a ABES pioneiros para trabalhar em cima de seus exemplos na meio ambiente causada pelo manejo tomada das medidas cabíveis, incluin- assegurar o procedimento adequado de ao longo de sua vida será lançado em projeção do futuro. O conhecimento do que se viveu inadequado dos recursos naturais e do a eficaz comunicação à população, desinfecção caseira da água para con- Porto Alegre durante a realização do 26º Congresso para permitir-nos sonhar o futuro. A visualização de pela contaminação ambiental; além do sem prejuízo das providências imedia- sumo humano, limpeza e desinfecção Brasileiro de Engenharia Sanitária e Ambiental, quan- nossos alicerces para permitir a intuição do que se avi- baixo investimento em infra-estrutura. tas para correção da anormalidade”. das caixas d’água, alimentos, embala- do esta edição da revista Bio chega a seus leitores. zinha, para antecipar as dificuldades e preparar a ABES Os desastres, naturais e antro- De modo a atender o exposto na gens e utensílios domésticos. Outras É uma obra que sai do prelo quase ao fim de nosso para continuar, no momento seguinte, como referência pogênicos, provocam diversos efeitos Portaria, a Vigilância da Qualidade da fontes seguras de abastecimento de trabalho de reorganização e reestruturação da ABES, técnica e profissional do saneamento no país. à saúde pública, tais como: trauma- Água para Consumo Humano - Vigiagua água devem ser indicadas para suprir a tarefa a que vimos nos dedicando desde o início de Não fazemos isso por nós, fazemos pelo país. E um tismos, afogamentos, aumento das tem desenvolvido ações articuladas necessidade imediata de água potável, nosso compromisso com essa que é a maior entidade dos nossos compromissos está à vista de todos, que é doenças de veiculação hídrica e ali- com a Vigilância em Saúde dos Riscos tais como caminhões-pipa, poços de de saneamento da América Latina. a luta em que nos engajamos pela universalização o mentar, acidentes por animais peçon- Associados aos Desastres - Vigidesastres, água tratada que não foram compro- Não é um livro de história, não tem a pretensão quanto antes dos serviços de saneamento. Já apon- hentos, transtornos psicológicos na com vistas a garantir o padrão de pota- metidos pelo desastre ou água mineral nem o rigor dos documentos históricos. É um levan- tamos os caminhos para isso, e esses caminhos não população atingida, bem como o bilidade da água consumida pela popula- distribuída pelos órgãos oficiais. A água tamento de tudo que foi feito por essa entidade que, dependem de nada além de nossa vontade, a mesma aumento súbito de óbitos. ção em situações de desastres. armazenada e distribuída nos abrigos e Esses eventos, na sua maioria, dani- O Vigiagua dispõe de um Sistema alojamentos deve ter atenção redobra- desde sua origem, não perdeu o foco de seus propósi- vontade que abriu os caminhos da ABES desde seu ficam ou interromperem os sistemas de de Informação em Vigilância da Água da pelos agentes de saúde, para evitar tos. Uma entidade que trabalhou e trabalha na forma- nascimento nos distantes anos 60, e que há de fazê-lo distribuição de água, os serviços de dre- para Consumo Humano - Sisagua, que a contaminação e a possível dissemina- ção e na qualificação dos profissionais do setor para na trilha do futuro. nagem, limpeza urbana e esgotamento permite, por meio da análise de seus ção de doenças de transmissão hídrica. permitir a melhoria da gestão, afinar a qualidade dos sanitário. O abastecimento de água dados e relatórios, a avaliação das Até que o fornecimento da água serviços, baixar os custos e, consequentemente, per- (tratamento, distribuição e reservação) diferentes formas de abastecimento de para consumo humano esteja norma- mitir a extensão dos serviços de saneamento para Cassilda Teixeira de Carvalho danificado, compromete o fornecimen- água: Sistemas de Abastecimento de lizado, é necessária a sistematização todos os brasileiros. Presidente Nacional da ABES to de água em termos de quantidade e Água, Soluções Alternativas Coletivas e o monitoramento das informações qualidade, prejudicando as necessidades e Soluções Alternativas Individuais. sobre a qualidade da água para consu- básicas da população. Além disso, a con- Com bases nas informações levanta- mo humano, para subsidiar gestores e • Diretor Responsável: Cassilda Teixeira de Carvalho Realização taminação da água pode também atingir das pode-se elaborar um plano emer- técnicos quanto às ações necessárias • Conselho Editorial: Carlos Mello Garcias, Cecy Oliveira, Cícero Onofre de Andrade os alimentos, quando em contato com gencial para o monitoramento da para a prevenção dos riscos, mitiga- Neto, Evandro Rodrigues de Britto, Fernando Botafogo Gonçalves, Jorge Briseno, José esta água. A ingestão de água e alimen- qualidade da água no período da ocor- ção dos danos, e promoção da saúde Eduardo W. Cavalcanti, Márcia Adriana da Silveira, Márcio Gomes Barbosa, Marco Anto- nio Silva de Oliveira, Miguel Fernandez y Fernandez, Miguel Mansur Aisse, Nercy Donini tos contaminados pode levar ao desen- rência do desastre, para assegurar a à população atingida pelo desastre. Bonato, Paulo Cezar Pinto, Paulo Ferreira, Plínio Tomaz e Walter Pinto Costa volvimento de doenças de transmissão manutenção adequada das diferentes A prevenção, a preparação e o Revista Brasileira de • Correspondência Revista Bio: Av. Beira Mar, 216, 13º andar – CEP 20021-060 – Rio de hídrica com sintomas agudos, como formas de abastecimento, juntamente planejamento da resposta são impres- Saneamento e Meio Janeiro – RJ – Brasil Tel: (21) 2277-3900 – Fax: (21) 2262-6838 Ambiente Página na internet: www.abes-dn.org.br cólera e outras doenças diarréicas agu- com os responsáveis pela operação cindíveis para eliminar/minimizar o Ano XVIII – nº 56 • Assinaturas Departamento de Cadastro: Tel: (21) 2277-3909 Fax: (21) 2262-6838 das, ou com sintomas mais tardios como dos sistemas de abastecimento e das impacto dos desastres na saúde da Julho/Setembro de 2010 • Coordenação Geral/ABES: Maria Isabel Pulcherio Guimarães a febre tifóide, Hepatite A, e as infecções soluções alternativas coletivas, bem população e constituem objeto de atu- ISSN 0103-5134 • Produção e edição: RR Comunicação Ltda. Publicação trimestral da • Email da redação: revista.bio@abesdn.org.br Patrocínio por parasitos intestinais. como orientação para a população ação da Vigilância em Saúde Ambiental. ABES - Associação Brasileira • Editor: Romildo Guerrante Reg. prof. 12.669/56/35 MTB/RJ de Engenharia Sanitária e • Projeto gráfico original: Maraca Design Ambiental, com tiragem de • Diagramação e atualização do projeto: Fino Traço Programação Visual Ltda. 4 Jan/Mar - 2011 6.000 mil exemplares 5
  3. 3. 2 6 º congresso Porto Alegre, O grande cenário para o debate da universalização a capital do Congresso P felipe gaieski/abes-RS orto Alegre será consagrada, durante a últi- Uruguai. “Atualmente, 50% da população brasileira ma semana de setembro, como a Capital do não tem rede de esgotos e, dos outros 50%, somente Saneamento, com a presença de mais de 5 mil 1/3 é tratado. Das 162 mil toneladas de lixo geradas Ellen, Cassilda e Nanci no lançamento do Congresso, especialistas do Brasil e do exterior no 26º Congresso por dia no Brasil, 60% não tem disposição adequada para o qual Cassilda convidou o governador Tarso Genro Brasileiro de Engenharia Sanitária e Ambiental, pro- e vai para lixões”, explica ela. “Mudar essa realidade caroline biccochi / palácio piratini moção bianual da ABES há mais de 40 anos. O tema da é oferecer qualidade de vida para as pessoas, pois edição deste ano é “Saneamento ambiental: a excelên- saneamento básico é igual a saúde pública”, afirmou. cia da gestão como caminho para a universalização”. Confirmaram presença em Porto Alegre no Centro Paralelamente, será realizada a Fitabes, um feira com de Eventos da Fiergs – Federação das Indústrias do 265 estandes de produtos e serviços de saneamento. Rio Grande do Sul, para cumprimento da rica agenda É o maior evento do setor na América Latina. preparada pela ABES, entre outros nomes relevantes O evento deverá ser aberto pelo governador Tarso do saneamento: Federico Basañez, do BID – Banco Genro a convite da presidente da ABES, Cassilda Teixeira Internacional de Desenvolvimento; Julian Sandino, da de Carvalho, que dividirá as honras de promotora do IWA - International Water Association; e Glenn Pearce- Congresso com Ellen Pritsch, que irá presidi-lo, e com a Oroz, coordenador do Programa Água e Saneamento, anfitriã Nanci Benigni Giugno, recém-eleita para mais um do Banco Mundial. mandato de dois anos à frente da seção gaúcha da ABES. A programação prevê mais de 20 paineis, mesas No lançamento oficial do Congresso em Porto redondas, palestras, fóruns, visitas técnicas e também Alegre, no final de agosto, Cassilda disse que o debate um Campeonato de Operadores, que estreou com sobre a universalização no cenário do Congresso é enorme sucesso no Congresso de Recife, realizado importante, porque o Brasil precisa usar criatividade há dois anos. Outro encontro importante será reali- para apressar o atendimento dos serviços básicos de zado no domingo, 25, antes da abertura solene: é o I saneamento à população. Para isso, ela defenda três Fórum de Jovens Profissionais do Saneamento, criado ações: alterar as formas de contratação dos produtos pela ABES ara aproximar do mercado os jovens pro- e serviços, com agilidade, transparência e utilizando a fissionais do setor. Haverá também uma Olimpíada mesma excepcionalidade aberta para a Copa de 2014; dos Jovens Profissionais, com cumprimento de duas realizar a modernização da gestão das companhias e tarefas técnicas. Está prevista a apresentação de 500 dos serviços municipais de saneamento; e institucio- trabalhos em pôster e 600 apresentações orais de tra- nalizar os instrumentos de regulação do setor. balhos técnicos. Segundo a presidente da ABES, sendo o Brasil a Estão entre os muitos assuntos a serem abordados sétima economia mundial, é imprescindível universali- no Congresso: saúde ambiental, mudanças e desas- zar os serviços básicos para acelerar o desenvolvimen- tres climáticos; novas tecnologias para tratamento de to do saneamento no país, que hoje, em alguns aspec- esgoto; perdas no abastecimento de água; a univer- tos, é pior do que em países como Chile, Colômbia e salização dos serviços básicos de saneamento; eficiên- 6 Jan/Mar - 2011 7
  4. 4. 2 6 º congresso cia energética; recursos hídricos; as Redes Wop (Water Operators A agência de turismo oficial do enaltecedores. É considerada umas concentram 80% de seus prédios Casa de Cultura Mário Quintana. fontes renováveis de energia; Partnership) e reunião preparatória evento é a Fellini Turismo (telefone das cidades mais arborizadas do tombados. Em um passeio a pé por Um dos centros culturais mais reúuso de água; parcerias público- para o “Rio+20”, a grande conferên- 51-3216-6300 ou email eventos@ mundo, com 17 metros quadrados essa região pode-se conhecer boa conhecidos e bem queridos da privadas; infraestrutura urbana; cia de desenvolvimento sustentá- felliniturismo.com.br). de área verde para cada habitante e parte da história e da vida cultural cidade, a Casa de Cultura tem sede regulamentação ISO e gestão vel que ocorrerá no Rio de Janeiro A programação completa está no mais de 1,5 milhão de árvores - uma da cidade. No núcleo da Praça da no antigo Hotel Majestic, onde de bacias. Haverá debates sobre em junho de 2012. site da ABES (www.abes-dn.org.br). multidão de ipês, jacarandás, flam- Matriz, entre as ruas Duque de Caxias o famoso poeta gaúcho Mario boyants e muitas outras, a despejar e Jerônimo Coelho, está o histórico Quintana viveu por muitos anos. O suas pétalas em determinadas épo- Teatro São Pedro, um dos mais belos prédio de sete andares, construído cas do ano nas ruas e calçadas for- e tradicionais do País, o Museu Júlio em estilo barroco no início do sécu- A cidade que nasceu do rio mando multicoloridos tapetes natu- rais. Tem a segunda maior área rural de Castilhos e a “praça dos poderes” – reunindo o Palácio Piratini, a lo, abriga salas de cinema, teatros, galerias de arte, museus, bibliote- entre as capitais brasileiras, com Assembleia Legislativa, o Palácio da cas, cafeterias e livrarias. Em uma “ Clarice Almeida positivos reflexos na qualidade de Justiça e a Catedral Metropolitana. de suas salas a presença do poeta vida de seus habitantes e o melhor é imortalizada, expondo a mobília “A luz é muito bela. A cidade, e o desapontamento dos intelec- e Ambiental, esbanja charme e IDH – Índice de Desenvolvimento do quarto por ele ocupado e seus feia“. Assim registrou Alberto tuais gaúchos da época. Mas... formosura, e acumula títulos bem Humano nacional, uma classifica- objetos pessoais da forma como Camus em seu diário sobre uma cidade feia? Longe disso. A capi- mais enaltecedores. brevíssima visita a Porto Alegre tal gaúcha, que acolhe no final Longe disso. A capital gaú- ção comparativa que leva em conta É visita costumava organizá-los. dados como expectativa de vida, Seguindo ainda pelo centro no longínquo ano de 1949, provo- de setembro o 26º Congresso cha esbanja charme e formo- educação e renda per capita. obrigatória histórico e chegando à beira do rio, cando a um só tempo o orgulho Brasileiro de Engenharia Sanitária sura e acumula títulos bem mais Localizada na região de planí- no centro chega-se ao Centro Cultural Usina cies que compõem a porção do Gasômetro, construção de 18 romildo guerrante inferior da América do Sul, de histórico o mil metros quadrados de área do herança pastoril e vastos horizon- tes, Porto Alegre fica situada no centro geográfico do Mercosul. Construída a partir do século XVIII, sua colonização iniciou-se em Mercado Público Central, prédio erguido em 1869 “ início do século, edificada para for- necer energia para a cidade através da produção de carvão mineral. Reformado e transformado em centro cultural no início dos anos 1752 com a chegada de imigran- 90, com diversas áreas de con- tes portugueses e posteriormente vivência e exposição, cinema, salas italianos, alemães, africanos, jude- No entorno da Praça da alfân- de teatro e gastronomia, abriga o us, espanhóis e poloneses, entre dega está o chamado Corredor projeto “Usina das Artes” dedicado outros. Atualmente abriga cerca Cultural, de belos prédios ocu- à produção e exibição da produção de 1,4 milhão de habitantes em pados por espaços culturais de artística de diversos grupos da capi- seu espaço urbano banhado pelo primeira linha a poucos passos um tal, realizando anualmente cerca de estuário do Guaíba, de quase 500 do outro. No Santander Cultural, 2 mil atividades e 600 espetáculos quilômetros quadrados, cuja bacia antiga sede bancária em estilo neo- de teatro, dança e música de forma hidrográfica composta pelos rios clássico, acontecem exibições de gratuita para o público. Jacuí, Sinos, Caí, Gravataí e diver- arte, shows e mostras de cinema. Do terraço da Usina tem-se sos arroios abrange 30% do Estado Ao seu lado está o Memorial do Rio uma visão privilegiada da cidade do Rio Grande do Sul. Grande do Sul, com informações e do Guaíba, sendo um dos locais Foi às margens do Guaíba que multimídia sobre a memória rio- para se apreciar o famoso pôr-do- surgiu a Rua da Praia, a mais antiga grandense e o belo prédio e acervo sol da capital. Em seu entorno, e famosa da cidade, e em seu entor- do Museu de Artes do Rio Grande diversos barcos de turismo ofe- no o que se chama hoje de centro do Sul. Mais adiante chega-se a recem passeios pelas ilhas e na Mercado Central, fiel às suas origens desde a criação, em meados do século XIX histórico de Porto Alegre, onde se monumental Igreja das Dores e a área segregada ao longo da orla a 8 Jan/Mar - 2011 9
  5. 5. 2 6 º congresso população passeia, pratica esportes e atividades ao ar livre e tem de Ciências e Tecnologia da PUC, Ricardo Giusti/ Prefeitura de Porto Alegre romildo guerrante acesso aos parques da Harmonia e Marinha do Brasil, uma área onde mais de 800 experimentos verde de quase 150 hectares com infraestrutura de lazer e esporte. estimulam a curiosidade cientí- É visita obrigatória ainda no centro histórico o Mercado fica e o exercício sensorial de Público Central, prédio erguido em 1869, à época da escravidão, adultos e crianças. fortemente ligado ao imaginário e a memória da cidade. Tombado A noite oferece todos os atra- pelo Patrimônio Histórico e diversas vezes reformado, recebe tivos de uma grande cidade, e se diariamente cerca de 100 mil visitantes circulam por seus dois divide entre o bairro da Cidade andares, 107 bancas e lojas onde se encontra de tudo: produtos e Baixa, o centro nervoso e mais utensílios típicos regionais, frutas e hortigranjeiros, carnes, tempe- popular dos bares, restaurantes, ros e especiarias da culinária internacional, artigos religiosos afro- cafés, danceterias e casas de espe- Ponte sobre o Lago Guaíba brasileiros, artesanato, lojas de vinho e cachaçaria, grãos, farinhas táculos, onde de quebra pode-se e erva-mate a granel, café de várias procedências, carnes e peixe apreciar lindos casarios de arquite- materiais, telas, caricaturas, xilo- cidade, de acordo com seu Secretário fresco. São tradicionais o sorvete caseiro da banca 40 e o chope e tura portuguesa, e o bairro Moinhos gravuras e esculturas, peças raras e de Turismo, Luiz Fernando Moraes, a culinária de bares e restaurantes centenários como o Gambrinus de Vento, com inúmeras atrações colecionáveis como joias, móveis, apostou em seguidas administra- e o Naval. É como dizem os versos do cantor Neto Fagundes: “No para um público mais sofisticado. utensílios de casa, livros, revistas e ções por fortalecer o turismo de Mercado Público a gente come/ou leva alguma coisa para comer/ Mas o roteiro por Porto Alegre discos de vinil. Um verdadeiro pas- eventos, um cobiçado filão do negó- vela de acender para qualquer santo/manto e guarda-chuva se não estará completo sem uma visita seio pela cultura da capital gaúcha. cio do turismo, estando hoje em chover. /(...) tem bilhete, salada com sorvete na Banca 40, pente, ao Parque e o Brique da Redenção, quarto lugar no ranking das capitais flor, tabaco, sal, corrente (...) o mercado é público pode entrar, nos- os mais populares pontos de lazer A aposta na cultura brasileiras que mais recebem even- so mercado tem até trilho, é pena que o bonde não passa mais lá.” e convivência dos porto-alegrens- tos internacionais. Mas segundo Além do centro histórico, vale a pena conhecer a sede da es. Nos fins de semana, mais de 70 Diferente de outras capitais ele, dois projetos pretendem mudar Fundação Iberê Camargo, cujo projeto vanguardista recebeu o mil pessoas transitam pela área de brasileiras de regiões tropicais um pouco esse perfil. O primeiro é Casa de Cultura Mário Quintana, na rua da Praia Leão de Ouro na Bienal de Arquitetura de Veneza e o Museu 37 hectares do parque, onde estão que atraem os turistas com sol e a revitalização do cais do Porto da 45 monumentos, vários recantos mar, o clima subtropical húmido capital, uma ideia que se anuncia e jardins temáticos, zoológico, de temperaturas extremadas fez há décadas e acaba esbarrando parque de diversões infantil, can- com que Porto Alegre encontrasse em inúmeras dificuldades. Moraes Em direção à Serra chas de futebol e de bocha, pista de atletismo. Ao longo de toda a na cultura seu atrativo mais forte. Incluída no roteiro de grandes afirma que dessa vez ela tem tudo para sair do papel, transformando arborizada Avenida José Bonifácio, produções artísticas nacionais e através de um consórcio público- Quem vai a Porto Alegre não pode deixar de romildo guerrante colada a ele, um grande brechó internacionais, abriga alguns dos privado o antigo cais de Porto ir à Serra Gaúcha, que se alcança em hora e meia. ao ar livre, patrimônio histórico e maiores eventos culturais latino- Alegre em um complexo turístico Na montanha há pequenas e charmosas cidades. cultural da capital, se refaz todas americanos, como a Bienal de de 187 mil metros quadrados com Em algumas delas são produzidos os melhores as manhãs de domingo desde Artes Visuais do Mercosul, o festival áreas de lazer, shopping centers, vinhos do país. Vale visitar Gramado, a 115 quilô- os anos 70. Famílias com crian- de teatro “Porto Alegre em Cena” e restaurantes, bares e lojas, às mar- metros de Porto Alegre, construída por imigran- ças, casais, grupos das tribos mais a maior e mais antiga Feira do Livro gens do Guaíba. A outra aposta é tes italianos e alemães entre colinas e bosques, exóticas, militantes de partidos a céu aberto do País. Polo produ- em trazer para a capital a cultura com arquitetura que privilegia o estilo bávaro, políticos transitam na área e, entre tor e exibidor de arte, conta com da produção da uva e do vinho da vias floridas com intenso comércio de artesan- um chimarrão e outro, são a plateia a infraestrutura de 13 centros cul- Serra Gaúcha, o que segundo ele ato, roupas de lã e couro, objetos de decoração, de grupos de capoeiristas, músi- turais, mais de 30 teatros, 63 salas será o tema do “Templo do Vinho” - vinhos, queijos e chocolates. Na Serra também cos e artistas de teatro que fazem de cinema e cerca de 50 museus, um espaço onde será possível apre- está Bento Gonçalves, “Capital Brasileira da Uva do movimento do lugar o palco memoriais e galerias. ciar os melhores exemplares da e do Vinho”, que reúne mais de 50% da produção para suas apresentações. Em mais Colocada no mapa do mundo produção vinícola do Estado, além vinícola do país. A Maria Fumaça de Bento Gonçalves, propagadora da cultura italiana de 300 bancas encontra-se gas- a partir da realização das primeiras de abrigar cursos e uma biblioteca tronomia, artesanato em diversos edições do Fórum Social Mundial, a dedicada ao assunto. 10 Jan/Mar - 2011 11
  6. 6. recursos h í dricos Água de torneira Dá pra beber sem susto? Água de torneira, gelada, começa a chegar aos restaurantes de categoria no Brasil Maria Alice Paes Barretto N divulgação o Brasil, pedir água fil- sai da estação de tratamento em trada em restaurante condições de ser bebida, desde só serve para espantar que as caixas d`água domésticas o garçom. Ele chega à sejam higienizadas a cada seis mesa e já oferece duas alternativas, meses. Nenhum problema se a com ou sem gás. Água mineral ou empresa de abastecimento da mineralizada, naturalmente, quase cidade obedecer à legislação em sempre em garrafas PET, a praga vigor, especialmente à Portaria mundial para a qual não se encon- 518/04, do Ministério da Saúde, trou solução compatível com o que estabelece os limites máximos volume do descarte. Mas os garçons de micro-organismos e padrões de daqui, com raras exceções, não ofe- controle de qualidade. recem água da bica. Sendo potável, a água da tor- Hábito comum na Europa e neira pode ser bebida sem medo nos Estados Unidos, inclusive nos já que, antes de chegar a nós, restaurantes, que servem jarras passa por tratamentos que elimi- nas mesas sem nada cobrar por nam substâncias nocivas para a isso, beber água de torneira ainda saúde. Mesmo assim, tem gente não pegou no Brasil. São poucos que não bebe água da torneira os restaurantes que já adotam de jeito algum. Tanto aqui como essa prática, alguns cobrando um lá fora. A desconfiança vem, mui- valor quase simbólico pelo serviço. tas vezes, do cheiro forte e da Mas em Paris, por exemplo, á agua cor esbranquiçada , provocados de torneira vem sendo oferecida pelo cloro. Mas é uma espécie de todas as formas para deter o de mito da população não beber avanço das águas engarrafadas. A essa água quando ela vem trata- empresa de águas parisiense che- da. Se tem cheiro e cor do cloro, gou a montar na Praça Reuilly uma aí é que está boa, garantem as fonte que oferece eau de robinet empresas de saneamento. Mas gaseificada e gelada. De graça. por que, então, de uns tempos O que os engenheiros sanita- para cá assumimos que a água ristas dizem, com relação à maio- engarrafada é a mais pura, desde ria dos grandes sistemas de abas- que higienicamente preparada tecimento no Brasil, é que a água para evitar impurezas? 12 Jan/Mar - 2011 13
  7. 7. romildo guerranterecursos h í dricos A pureza é justamente o argu- gera mercados multibilionários. e tiveram até a atriz Jenniffer da têm mostrado grande crescimen- mento de venda mais martelado E para criar um mercado usando Aniston (fotografada por Mario to nos últimos anos. Publicidade pela indústria de garrafas de água. um produto gratuito disponível Testino) como garota propaganda para a água engarrafada sugere Se examinarmos os rótulos das prin- para todos, como a água, seria da Smart Water… com “eletrólitos”. que beber água de plástico pode cipais marcas, veremos variações das necessário criar e difundir o mito Apesar de ainda existirem cerca torná-lo magro, sexy, saudável, prós- palavras “pura” e “natural” repetindo- da água contaminada da torneira, de 900 milhões de pessoas no mun- pero e – pasmem - ambientalmente se interminavelmente. Quanto é ver- o de que essa água não era sau- do que não têm acesso a uma água responsável. As garrafas de água dadeira essa mensagem? dável nem saborosa, era impura. de boa qualidade, segundo dados tornaram-se um acessório de moda. Anos atrás não era preciso ir até Precisavam esconder a realidade da ONU, já é visível esse exces- O efeito disso é que, nos EUA, o supermercado para comprar água. com uma forte campanha de mar- sivo consumo de água engarra- uma em cada cinco pessoas bebe Bastava abrir a torneira, encher e keting contra a água da bica. A fada sem necessidade por parte de apenas água engarrafada sem beber – e quase de graça. Mas na estratégia de marketing, segundo populações que têm acesso à água necessidade; empresas gastam última década tudo isso mudou, e a americana Annie, começou por tratada. De acordo com a Beverage cada vez mais para convencer as “ hoje se vive num mundo inundado Marketing Corporation, empresa pessoas a tomar água engarra- em água de garrafa. Só nos Estados norte-americana de consultoria, fada, em vez de água de torneira, Unidos são 600 marcas disponíveis. os americanos gastaram mais de 8 quase sempre segura; a cada ano, O Brasil comercializa a mesma quan- bilhões de dólares em água engar- quatro bilhões de garrafa PET são tidade de marcas de água mineral. E A pureza é o rafada em 2002 – dez vezes o valor jogadas no lixo; em todo o mundo, a cidade de Nova York acumula 2,5 argumento de de uma década atrás. E mais: no consumidores gastaram em 2005 bilhões de descartáveis por ano, sen- venda mais ano seguinte, pela primeira vez na cerca de US$ 100 bilhões com água do que desses, 2 milhões de tonela- das são de garrafas plásticas. Segundo a militante anticon- sumista Annie Leonard, que postou um vídeo no YouTube intitulado A martelado pela indústria de garrafas de água. “ história, o consumo de água pelos norte-americanos ultrapassou o de cerveja e o de café, perdendo ape- nas para os refrigerantes na lista de suas bebidas favoritas. Quatro bilhões de garrafas PET vão para o lixo a cada ano Em nosso país, além do con- sumo exagerado da água engar- rafada, há outro problema: as Royte, autora do livro Bottlemania, essa também é um invenção da indústria da água engarrafada. engarrafada. Além da poluição de plástico espalhado pelo mundo, desnecessariamente, esse luxo dos que preferem água engarrafada, tendo a opção da água de torneira, história da água engarrafada, esse fábricas de refrigerantes convence- Por isso mesmo, o alto con- é conseguido à custa da explora- grande negócio começou quando Consumo ram as pessoas que sede se mata sumo de água se tornou intima- ção das águas e da destruição de os comerciantes perceberam que com...refrigerantes! É exatamente mente relacionado a campanhas fontes naturais. a venda de refrigerantes começava volta dos anos 1970 e se alastrou Com as vendas de refrigerantes o oposto, bebida adocicada cria publicitárias e à saúde pública. a estagnar e precisavam inventar de tal forma que, ela lembra, em estacionadas, talvez seja questão sede. Mas tem uma geração inteira Com produtos “puros” e “naturais”, Realidade um produto novo para não perder muitos locais as águas ficaram de tempo até a água se tornar a de brasileiros que não toma mais as empresas nos fazem acreditar para os brasileiros dinheiro. Como conseguir isso? realmente poluídas devido ao bebida oficial dos EUA. Já o con- água, só refrigerantes. Mais uma que a água engarrafada é melhor – Simples, basta fazer estrondosas lixo jogado em rios e lagos pelas sumo do brasileiro médio ainda é vez o marketing entrando em ação. e mais saudável – do que o material O engenheiro Lineu Alonso, ex- campanhas de marketing dizendo próprias indústrias de garrafas. baixo, gira em torno de 31 litros por Mas, graças à crescente preo- mais barato que corre pelos canos. presidente da ABES e presidente da que a água engarrafada é a saudá- Esses argumentos são de uma ano, contra os 83 do americano. cupação ligada à boa forma – e da O problema? Na verdade são dois. ETEP – consultoria, gerenciamento e vel, ao contrário da água da torneira, ativista pró-sustentabilidade, mas Mas em São Paulo, que responde repetição exaustiva que devemos O primeiro, ao menos quanto serviços que faz estudos e projetos e está criado esse novo produto. Na o fato é que, já em 2002 as empre- por quase 40% da produção nacio- beber ao menos oito copos de água aos EUA: não há provas de que a na área de saneamento - explica que, verdade, água engarrafada é apenas sas americanas gastaram US$ 93.8 nal, o consumo chega a 75 litros por dia -, queremos cada vez mais água engarrafada seja melhor que a apesar de ser absolutamente normal isso mesmo, água, embora esse fato milhões para convencer as pessoas per capita/ano. Índices ainda con- ter aquela garrafinha d`água à mão, água de torneira. E o segundo, para beber água da torneira em diversos não impeça que as pessoas a com- a tomar água engarrafada, em vez siderados pequenos quando com- a qualquer hora e em qualquer todos nós: talvez não precisemos países do mundo, são necessários prem, só por vir numa garrafa. de água de torneira (quase sempre parados a outras bebidas: em 2005 lugar. Água faz bem para a saúde beber tanta água quanto os espe- dois fatores para essa prática se tor- Para inovar, essas compa- segura). Chegaram ao ponto de foram vendidos quase 5,6 bilhões e os seres humanos têm de tomar cialistas apregoam. Apesar de tudo, nar realidade entre nós, brasileiros. nhias trataram de criar a chama- glamurizar a água, criando águas de litros de água mineral, contra 12 pelo menos um litro e meio por os US$ 60 bilhões que movimentam O primeiro é a confiança no da demanda manufaturada, que com sabor, que já viraram mania bilhões de litros de refrigerantes. dia, certo? Não. Segundo Elizabeth a indústria global da água engarrafa- tratamento. Ainda há uma grande 14 Jan/Mar - 2011 15
  8. 8. romildo guerranterecursos h í dricos No Jardim Reuilly, em Paris, o quiosque serve de graça água de torneira gelada e gaseificada desconfiança na pureza da água para quem esses recipientes inter- 2.500 habitantes, dos quais 350 fornecida pelo poder público, o mediários são o segundo fator que foram à prefeitura votar pela nova que é perfeitamente compreen- desaconselha a ingestão da água legislação. Apenas um morador, sível. Na década de 1990, a Cetesb diretamente da torneira. representante da indústria de água - Companhia de Tecnologia de Ao contrário de outros países, engarrafada, votou contra. Saneamento Ambiental de São aqui no Brasil não tomamos a água A campanha “Bundy on Tap” Paulo fez estudos em vários que vem direto da rede, uma água (“Bundy - apelido da cidade - na municípios paulistas e verificou sempre sob pressão e difícil de ser torneira”) incentiva os moradores e que a água estava fora dos padrões contaminada. A desconfiança na os turistas a encherem uma garrafa estabelecidos pela legislação em regularidade do fornecimento, que reutilizável (que tem o nome da cam- vigor. “Tudo leva a crer que isso gerava e ainda gera a conhecida panha estampado) nos bebedores ainda possa acontecer em vários falta d´água em muitos lugares, da principal rua da cidade, ou nas outros municípios brasileiros”, diz até mesmo nas grandes cidades, torneiras de qualquer residência ou Lineu Afonso, “o que leva à descon- fez com que os brasileiros adotas- comércio. Na Austrália, a água da fiança generalizada”. sem a caixa d´água para fazer o torneira é potável e pode ser bebi- Alguns municípios brasileiros, armazenanamento. A água vem da sem problemas. principalmente nas regiões Norte do reservatório, cai e fica livre na Também pode ser bebida e Nordeste, ainda não atingem o caixa por um, dois até mais dias. É em qualquer parte do Japão. padrão de qualidade da água esta- aí que mora o perigo. As caixas são Bebedouros são encontrados em belecido pela OMS - Organização foco de poluição ,e se não forem estações de trem e na maioria dos Mundial de Saúde. muito bem limpas,podem causar grandes estabelecimentos comerci- Mas um processo de trata- contaminação da água. Nas caixas ais. O tratamento de água da África mento bem feito é garantia de d’água pode haver lodo, bacté- de embalagens sujas e malconser- é seguro beber água da torneira em sive nos 820 bebedouros públi- do Sul está entre os melhores do uma água potável de qualidade. rias e, se estiverem mal tampadas, vadas. Nas lojas, a água engarra- qualquer parte do país, salientando cos existentes nas praças de Paris. mundo, e a água de torneira pode E o cloro usado nesse tratamento animais mortos, como ratos. E fada deve ser armazenada em local que Portugal tem um dos melho- Em Moscou, a água cumpre todas ser bebida sem preocupação, pois é uma dessas garantias. A dosa- então lá se vai todo o trabalho da arejado, sem contato com o chão e res resultados em termos de quali- as normas necessárias à potabi- está livre de micro-organismos gem de cloro adotada no nosso estação de tratamento, que acaba com a luz solar. dade da água: o relatório anual da lidade, não é prejudicial à saúde prejudiciais. A higienização em res- país mata a contaminação na rede. sendo perdido. Até mesmo algu- qualidade da água para consumo e contém minerais - magnésio e taurantes e hotéis é de alto nível. Se bebêssemos a água que vem mas águas engarrafadas apresen- No mundo humano relativo a 2008 revela cum- cálcio. Mosvodokanal – a empresa Pode-se comer tranquilamente fru- “ tam contaminação. As de garrafão, primento dos parâmetros de 97,6 de águas russa - relatou recente- tas e saladas frescas, sem precisar se segundo Lineu Alonso, são as que São vários os argumentos que por cento de pureza. mente que, devido à qualidade da preocupar com contaminações. apresentam mais surpresas, pois fazem com que muitas pessoas, Em outros lugares do mundo, água da torneira, a expectativa de Água mineral costuma ser uma não sabemos a origem de muitas mesmo no resto do mundo civiliza- como a França, já existe um a forte vida dos moscovitas cresceu em fortuna em restaurantes, princi- O maior vilão da água de torneira é a caixa d´água. “ delas. Por isso, ele aconselha evi- tar essas águas e só beber água engarrafada se soubermos que sua procedência é de compa- do, pensem que a água engarrafa- da é mais segura do que a água da torneira. Um estudo realizado em 2008 pelo Instituto Regulador de Águas e Resíduos (IRAR) de Portugal campanha para a redução de gar- rafas PET. Os franceses endossam uma campanha mundial chamada “Tome água pública”. A empre- sa Eau de Paris (Águas de Paris) nove anos. Os moradores de Bundanoon, cidade do estado de New South Wales, na Austrália, votaram por maioria quase absoluta na proi- palmente na Europa e nos Estados Unidos. Nesses lugares, é perfeita- mente normal - e saudável - pedir água da torneira, pois ela é proveni- nhias cuidadosas. De acordo com ente de um sistema confiável e vem levantamento feito em 2002 pela demonstrou que três quartos dos instalou na capital francesa um bição da comercialização de água direto dos reservatórios: “tap water” Agência Nacional de Vigilância portugueses bebem água engarra- quiosque para fornecer gratuita- em garrafa. Segundo eles, esta nos Estados Unidos, ou “carafe direto dos reservatórios – como Sanitária, 14% das 190 amostras fada de forma generalizada, embo- mente água de torneira, que pode medida irá beneficiar o meio ambi- d’eau”, na França. Eles vão trazer um ocorre na França, na Inglaterra, na de água mineral analisadas tinham ra a água da rede pública tenha boa vir gelada ou gaseificada, a pes- ente, além de economizar recursos copo ou uma jarra com a água da Itália - estaríamos bebendo água irregularidades sanitárias. As con- qualidade para consumo. soa escolhe. A empresa garante a que são gastos com o processo torneira. O sabor costuma ser pare- confiável. “O maior vilão é a caixa taminações podem ser resultado O Ministério do Ambiente por- qualidade da água e o respeito às de embalagem e transporte da cido com nossa água do filtro aqui d´água”, afirma Lineu Alonso, de problemas na própria fonte ou tuguês divulgou recentemente que normas sanitárias do país, inclu- bebida. Bundanoon tem cerca de no Brasil, e a água é confiável. 16 Jan/Mar - 2011 17
  9. 9. recursos h í dricos R E S E N H A E D I TO R I A L Tratamento Biológico de O livro versa sobre processos de tratamento de efluentes que Efluentes: Fundamentos e permitem renovar os poluentes majoritários presentes nes- Aplicações sas águas. A obra se destina não somente aos estudantes de No Brasil graduação, como também aos mestrandos e doutorandos dos Autor: Geraldo Lippel muitos cursos que abordam o tema da poluição das águas nos Segundo a jornalista Luciana Sant’Anna Jr. seus currículos. Os conteúdos expostos aqui fornecem baga- Fróes, especializada em gastrono- Peso (kg): 0,80 gem técnicas para os profissionais que enfrentam os problemas mia, a moda da água na jarra está Valor: R$74,00 e desafios ambientais, que têm se apresentado de forma intensa ganhando adeptos no Rio de Janeiro, 398 páginas e complexa nas sociedades modernas. onde a prática de substituir garrafas de plástico por jarras de água fil- trada nos restaurantes já começou O objetivo deste livro é mostrar ao leitor o que é preciso fazer Monitoramento de Recursos a se espalhar. E também em São para instalar uma rede de monitoramento da qualidade das Hídricos em Áreas Urbanas Paulo, onde a Secretaria Municipal águas superficiais, como operar a rede instalada e como os dados do Verde e do Meio Ambiente lan- podem ser usados para a tomada de decisão, com o intuito de Autores: Alexandra R. Finotti, çou recentemente o bem-sucedi- subsidiar a formulação de políticas públicas, de programas gover- Raquel Finkler, Maurício do programa “Água na Jarra”, que namentais e de materiais para a educação ambiental na área de D’Agostini Silva e Gisele Cemin estimula o racionamento no uso das Peso (kg): 0,51 recursos hídricos. Também é direcionado aos comitês de geren- embalagens descartáveis. “A adesão ciamento de bacia hidrográfica, aos executivos municipais, esta- Valor: R$51,00 é expressiva”, garante Luciana. duais e federal, além do Judiciário, especialmente ao Ministério 270 páginas O restaurante carioca Aprazível, No cardápio, o restaurante Muita gente não sabe, mas a Público, que atua na área ambiental. reduto da boa gastronomia do bairro inova com o seguinte texto: “O água que chega às residências de de Santa Teresa, há seis anos ofere- Aprazível se preocupa com o meio Fortaleza e Região Metropolitana A presente obra é oriunda de um curso ministrado pelo prof. Engo ce em sua carta a opção da água fil- ambiente e a qualidade de vida também pode ser bebida sem trada. Gratuita, cortesia da casa. Foi Plinio Tomaz, em que são abordados temas como perdas d’água nas de seus clientes. Seguindo uma problemas, desde que as caixas Rede de Água o pioneiro. A água chega à mesa em redes de distribuição, ar nas tubulações e estações de bombeamen- tendência mundial, oferecemos, estejam limpas, é o que garante jarras. “Como na França”, explica a to e cálculos pelo método de Hardy-Cross, sempre de maneira clara como cortesia, água processada a Cagece - Companhia de Água Autor: Plínio Tomaz coordenadora de Marketing, Andréa e objetiva, unindo a visão teórica com a prática dos anos de trabalho por filtros que utilizam a mais e Esgoto do Ceará. A empresa Peso (kg): 0,70 Setúbal. A decisão foi tomada por moderna tecnologia. Trata-se de analisa a água distribuída e con- em saneamento. Profissionais da área, certamente, terão neste livro Valor: R$130,00 desejo da sócia fundadora e chef do água purificada, de qualidade, trola a qualidade do produto uma base de apoio para a formação de seus técnicos no universo 328 páginas restaurante, Ana Castilho, seguindo o completamente livre de impure- para que seja usada na higiene do abastecimento de água, pulando etapas e aprendendo já o que princípio de proteção e preservação zas. Peça ao garçom a sua jarra”. e na hidratação do corpo. Seis talvez levassem anos para assimilar na prática. do meio ambiente e, também, com No Rio, Luciana Fróes lembra tam- parâmetros são analisados dia- base nos ensinamentos de seu pai, bém o Ix, na Gávea, que já serve água riamente: cloro residual livre, tur- que dizia que a água é o alimento da filtrada, e da Brasserie do Rosário, no bidez, cor, flúor, coliformes totais MAIS VENDIDOS – ABRIL A JUNHO 2011 vida e oferecê-la ao outro é a melhor Centro, onde o chef Frederic Monier e escherichia coli. forma de se acolher um convidado. instituiu as jarras com água filtrada e O mesmo acontece nas cidades 1º Tratamento de esgotos domésticos Eduardo Pacheco Jordão Não se sabe ao certo quantos rodelas de frutas frescas. Cada uma de Gramado e Bento Gonçalves, no e Constantino Arruda Pessôa vasilhames deixam de ser jogados custa R$1, com direito a reposição. Rio Grande do Sul, onde a água da 2º Coleta e transporte de esgoto Milton Tomoyuki Tsutiya no lixo com essa prática, pois há cli- Tem feito sucesso nos almoços Corsan - Companhia Riograndense e Pedro Alem entes que ainda preferem consumir da casa. No Universo Orgânico, a de Saneamento pode ser bebida 3º Introdução à Engenharia Ambiental Suetônio Mota a água industrializada, em gar- chef Tiana Rodrigues aromatiza a sem medo diretamente da tornei- 4º Digestão de resíduos sólidos orgânicos e aproveitamento de biogás Sérvio Túlio Cassini (coordenador) rafa, sobretudo o cliente brasileiro. água com ervas como capim limão, ra. A Pousada Vovó Carolina, em 5º Estudos de caracterização e tratabilidade de lixiviados Luciana Paulo Gomes “Nossa água é tratada por filtros enquanto no japonês Nippo Sushi, as Gramado, dispõe até de pequenas 6º Manual de tratamento de efluentes industriais José Eduardo W. de A. Cavalcanti modernos e produzidos com alta jarras chegam com raspas de gengi- bicas do lado de fora do prédio 7º Gestão ambiental de recursos hídricos Suetônio Mota tecnologia no Brasil. São diversos os bre ou folhas de hortelã. E no tradicio- para quem quiser encher as suas 8º Seleção de tecnologias de tratamento de água 2º. Volume Luiz Di Bernardo filtros instalados no restaurante, e a nal Navegador, também no Centro, garrafas e sair tranquilamente para e Lyda Patrícia Sabogal Paz água usada para cozimento dos ali- aos poucos a chef Teresa Corção vem um passeio sem ter de comprar 9º Abastecimento de água Milton Tsutiya mentos também é tratada”, diz ela. substituindo as garrafas plásticas. água engarrafada. Um luxo. 10º Manejo de águas pluviais e urbanas Antônio Marozzi Righetto 18 Jan/Mar - 2011 19

×