introdução o ao estudo do comportamento humano nas organiza (1)

1.100 visualizações

Publicada em

psicologia

Publicada em: Educação
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.100
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
4
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
23
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

introdução o ao estudo do comportamento humano nas organiza (1)

  1. 1. Introdução ao estudo do Comportamento Humano nas Organizações Prof. Noeli Oro Tomio
  2. 2. 2 A Psicologia como ciência: Evento x fenômeno • Evento: acontecimento • Fenômeno: 1. Fato, aspecto ou ocorrência passível de observação. 2. Fato de interesse científico, suscetível de descrição ou explicação. 3. Objeto de experimentação. (AURÉLIO, 1999)
  3. 3. 3 A Psicologia como ciência: Opinião x Atitude Científica Paulo não é um bom trabalhador. X Paulo não dá conta de seu serviço e não interage com seu colegas. • Opinião - Forma de consentimento objetiva e subjetivamente insuficiente já que é dado a conhecimentos reconhecidos como duvidosos. (Aurélio, 1999) • Atitude científica: inferência de conclusões sobre variáveis de um evento (fato). (MINICUCCI, 1995)
  4. 4. 4 A Psicologia como ciência: Método Científico & Psicologia O método científico é um processo seriado através do qual todas as ciências obtêm respostas às suas perguntas. (MINICUCCI, 1995) • O objeto de estudo da Psicologia é o fenômeno psicológico [...] (BOCK, FURTADO E TEIXEIRA, 2002) • Fenômenos da ciência psicológica são eventos que diversos observadores, em diferentes tempos e lugares, podem ver e sentir de forma semelhante, quando são tratados da mesma forma. (MINICUCCI, 1995) .
  5. 5. 5 A Psicologia como ciência: Método Científico (etapas) Fenômeno Psicológico • Identificação - Atraso • Hipótese - Problemas com transporte - Insatisfação Método • Observação – * Quando? - Das 7h às 7h30min. – * Como? - Registro em ficha – * Onde? - Na porta de entrada • Experimentação - Punir quem chega atrasado - Reforçar quem chega cedo (MINICUCCI, 1995)
  6. 6. 6 A Psicologia como ciência: Contribuições para as organizações Uma das contribuições que a Psicologia pode oferecer às empresas é introduzir o método científico (observação, descrição, identificação) como base para colher decisões que facilitem o estudo do comportamento humano. [...] a Psicologia consiste num conjunto de atitudes que nos conduzem a aceitar fatos, ainda que possam ir de encontro às nossas expectativas, esperanças e desejos. (MINICUCCI, 1995)
  7. 7. 7 A Psicologia como profissão: Intervenção Psicológica O psicólogo dispõe de um conjunto de técnicas e de conhecimentos que lhe possibilitam: • Compreender o que o outro diz; • Compreender expressões e gestos; • Analisar as razões dos atos, pensamentos, desejos e emoções. (BOCK, FURTADO E TEIXEIRA, 2002)
  8. 8. 8 A Psicologia como profissão: A saúde como objetivo • Psicólogos atuam na criação de condições que permitam a um conjunto social produzir de modo saudável. • Saúde, em sentido amplo, refere-se às condições que garantem a continuidade da sociedade. (BOCK, FURTADO E TEIXEIRA, 2002)
  9. 9. A Psicologia como profissão: A saúde e as implicações sociais • O psicólogo, como profissional de saúde, deve, empregar seus conhecimentos na promoção de condições satisfatórias de vida na sociedade em que vive e trabalha, ou seja, em que está comprometido como cidadão e como profissional. • Por isso, o psicólogo tem seu trabalho relacionado às condições gerais de vida de uma sociedade, embora atue enfocando a subjetividade dos indivíduos e/ou suas manifestações comportamentais. 9 (BOCK, FURTADO E TEIXEIRA, 2002)
  10. 10. 10 A Psicologia como profissão: Teoria & Prática Fenômeno Psicológico • Identificação Instrumentos Coleta de dados Intervenção Modelos psicológicos • Análise dos dados (BOCK, FURTADO E TEIXEIRA, 2002)
  11. 11. 11 A Psicologia como profissão: Contribuições para as organizações Na empresa ou indústria, as relações de trabalho e o processo produtivo vão ser colocados como realidade principal do psicólogo. Portanto, os conhecimentos, as técnicas que utilizará - estarão em função da realidade e das exigências que elas colocam para o profissional, mas a promoção da saúde naquele espaço de trabalho é seu objetivo maior. (BOCK, FURTADO E TEIXEIRA, 2002)
  12. 12. 12 A Psicologia do Trabalho Psicólogo → identidade profissional ↓ Delimitação do campo da Psicologia do Trabalho ↓ Restrição da comunicação com profissionais de outras áreas que atuam nas organizações (SAMPAIO, 1998)
  13. 13. 13 A Psicologia do Trabalho Psicologia do trabalho ⌂ • Demandas oriundas do desenvolvimento das técnicas de gestão • Mudanças socioeconômicas (SAMPAIO, 1998)
  14. 14. 14 A Psicologia do Trabalho Evolução teórico-prática Início do séc. XX: * Taylorismo → controle e produção em massa * Psicologia → diferenças individuais e análise científica ↓ Psicologia Industrial ↓ Atua nos postos de trabalho e não se envolve com a estrutura das organizações. (SAMPAIO, 1998)
  15. 15. A Psicologia do Trabalho Evolução teórico-prática Prática da Psicologia Industrial: • Seleção e colocação de pessoal através de testes. • Orientação profissional através de testes. • Medição de cotas de produção para determinar cientificamente o limite do esforço. • Análise das condições de trabalho para aumentar a produtividade. 15 (SAMPAIO, 1998)
  16. 16. A Psicologia do Trabalho Evolução teórico-prática Outras contribuições para a Psicologia Industrial: • Escola da Relações Humanas: influência dos fatores humanos na produção. • Trabalhos sobre motivação, comunicação e comportamento de grupo: consideravam o conflito patológico e cindiam o “mundo do trabalho” do “mundo dos afetos”. 16 (SAMPAIO, 1998)
  17. 17. A Psicologia do Trabalho Evolução teórico-prática Pós-guerra – alterações socioeconômicas 17 ↓ Transformação das organizações produtivas ↓ Psicologia organizacional ↓ Preocupação com a produtividade e com discussões sobre as estruturas das organizações (SAMPAIO, 1998)
  18. 18. A Psicologia do Trabalho Evolução teórico-prática Prática da Psicologia Organizacional: - Teorias comportamentais, que maximizam a influência do ambiente no comportamento humano e minimizam as influências intrapsíquicas, reduzindo-as ao âmbito da satisfação (novo tema dentro dos estudos de motivação). 18 (SAMPAIO, 1998)
  19. 19. A Psicologia do Trabalho Evolução teórico-prática Críticas à Psicologia Organizacional: • Orientação tecnocrática. • Falta de interesse no simbólico. • Orientação à busca de eficácia, desempenho, produtividade e rendimento a curto prazo. 19 (SAMPAIO, 1998)
  20. 20. A Psicologia do Trabalho Evolução teórico-prática Críticas à Psicologia Organizacional: A Psicologia transforma-se numa tecnologia de persuasão para aumentar a produtividade. Culpar as organizações de natureza econômica por serem incapazes de atender às necessidade do indivíduo como um ser singular é tão fútil quanto culpar o leão por ser carnívoro. (Ramos, 1989, p. 108) 20
  21. 21. 21 A Psicologia do Trabalho Evolução teórico-prática Início dos anos 70: • Escola contingencialista – estuda os efeitos do ambiente no contexto da organização de trabalho ↓ As teorias administrativas vão se tornando menos prescritivas para assumirem um caráter mais descritivo, explicativo e crítico. ↓ Psicologia do trabalho ↓ [...] tem como ponto central o estudo e a compreensão do trabalho humano em todos os seus significados e manifestações. (Lima, 1994, p.53) (SAMPAIO, 1998)
  22. 22. A Psicologia do Trabalho Evolução teórico-prática Características da Psicologia do trabalho: • A obsessão pela produtividade cede lugar a uma compreensão mais próxima do homem que trabalha. • O que antes era visto como funções ou sistemas das organizações, agora é concebido como políticas. • O homem é concebido como um sujeito desejante. • Os esforços são voltados para a saúde e bem-estar humano, antes do aumento da produtividade 22 das organizações. • Foco é a compreensão do trabalho humano. (SAMPAIO, 1998)
  23. 23. A Psicologia do Trabalho Evolução teórico-prática Práticas da Psicologia do trabalho: • Estudo do sofrimento humano baseado no pensamento psicanalítico e na intervenção nos moldes da pesquisa-ação. • Análise do estresse laboral como instrumento de mudança organizacional. • Linha multidisciplinar de qualidade de vida no trabalho. 23 (SAMPAIO, 1998)
  24. 24. 24 A Psicologia do Trabalho Evolução teórico-prática Os profissionais da área mesclam instrumentos e práticas que foram desenvolvidos nos contextos histórico-sociais da Psicologia Industrial e da Psicologia Organizacional com as atividades teórico-práticas da terceira fase. (SAMPAIO, 1998)
  25. 25. 25 Comportamento Organizacional Década de ’60: Delineamento do campo interdisciplinar do Comportamento Organizacional ↓ Compreender as relações entre os homens e seu trabalho, seu comportamento e suas atitudes no ambiente organizacional.
  26. 26. Comportamento Organizacional 26 Mudança organizacional: organizações corporativistas → organaizing (organizações em processo) ↓ Compreensão do comportamento organizacional: Dinâmicos + multideterminados (relacionados a variáveis de diferentes níveis: algumas estáveis e previsíveis, outras inconsistentes, dinâmicas)
  27. 27. Comportamento Organizacional Definição “[...] campo de estudo que investiga o impacto que indivíduos, grupos e a estrutura têm sobre o comportamento dentro das organizações com o propósito de aplicar este conhecimento em prol do aprimoramento, da eficácia de uma organização” (ROBBINS, 1999, p.6). 27
  28. 28. • Níveis micro-organizacional - características dos trabalhadores • Níveis meso-organizacional - dinâmica dos pequenos grupos e equipes dentro da organização • Níveis macro-organizacional - estrutura da organização, que estabelece os parâmetros para as práticas de seus membros. 28 Comportamento Organizacional Níveis de Análise (WAGNER III E HOLLENBECK, 2000)
  29. 29. 29 Comportamento Organizacional Níveis de intervenção Variáveis do nível micro-organizacional: • Características Biográficas • Fatores de Personalidade • Habilidades • Valores e Atitudes • Percepção • Motivação • Satisfação • Estresse (WAGNER III E HOLLENBECK, 2000)
  30. 30. 30 Comportamento Organizacional Níveis de intervenção Variáveis do nível meso-organizacional: • Comunicação • Conflitos • Relações Intergrupais • Estrutura de Grupo • Equipes de Trabalho • Poder e Política • Liderança e Tomada de Decisão Grupal (WAGNER III E HOLLENBECK, 2000)
  31. 31. Variáveis do nível macro-organizacional: • Cultura • Clima • Estrutura e Dimensionamento da Organização • Dimensionamento e Tecnologia do Trabalho • Políticas e Práticas de Recursos Humanos 31 Comportamento Organizacional Níveis de intervenção (WAGNER III E HOLLENBECK, 2000)
  32. 32. BIBLIOGRAFIA • BOCK, A.; FURTADO, O.; TEIXEIRA, M. Psicologias: Uma introdução ao estudo da psicologia. 13.ed. SP: Saraiva, 2002. (Cap. 10) • MINICUCCI, A. Psicologia aplicada à administração. SP: Atlas, 1995. • ROBBINS, S.P. Comportamento organizacional (8ª ed.). Rio de Janeiro: LTC Editora, 1999. • SAMPAIO, J. R. Psicologia do trabalho em três faces. In: GOULART, I. B. SAMPAIO, J. R. (Org) Psicologia e gestão de recursos humanos: estudos contemportâneos. POA: Casa do Psicólogo, 1998. • SPECTOR, P. E. Psicologia nas organizações. São Paulo: Saraiva, 2004. • WAGNER III, J.A.; HOLLENBECK, J.A. Comportamento Organizacional: Criando vantagem competitiva. São Paulo: Saraiva, 2000. 32
  33. 33. BIBLIOGRAFIA • BOCK, A.; FURTADO, O.; TEIXEIRA, M. Psicologias: Uma introdução ao estudo da psicologia. 13.ed. SP: Saraiva, 2002. (Cap. 10) • MINICUCCI, A. Psicologia aplicada à administração. SP: Atlas, 1995. • SPECTOR, P. E. Psicologia nas organizações. São Paulo: Saraiva, 2004. • SAMPAIO, J. R. Psicologia do trabalho em três faces. In: GOULART, I. B. SAMPAIO, J. R. (Org) Psicologia e gestão de recursos humanos: estudos contemportâneos. POA: Casa do Psicólogo, 1998. 33

×