13 a mulher e a besta cor de escarlata

1.439 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.439
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
46
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
32
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

13 a mulher e a besta cor de escarlata

  1. 1. A MULHER E A BESTA COR DE ESCARLATAI. TEXTO BÁSICO: Apocalipse 17.II. UMA MENSAGEM DE JUÍZOS. A. O anjo que falou com João – um dos anjos das sete taças. Apoc. 17:1; comp. com Apoc. 16:17, 19; 17:5. B. A revelação da cena. 1. Juízo sobre a meretriz – Apoc. 17:1, 16. 2. Juízo sobre a besta – Apoc. 17:8, 11. 3. Juízo sobre os sete cabeças – Apoc. 17:10. 4. Juízo sobre os dez chifres – Ap. 17:14.III. A Cena da visão. A. João transportado para o deserto – Ap. 17:3. 1. O termo grego ereemos. a. Exemplos do uso do radical ereemos. NO NOVO TESTAMENTO GREGO. Apoc. 17:16 – fá-la-ão desolada. Apoc. 18:17 – tão grandes riquezas vieram a ser nada Apoc. 18:19 – numa hora foi feita desolada. Mat. 24:15 – a abominação da desolação. Mar. 13:14 – a abominação da desolação. Luc. 21:20 – a desolação à vista disto está perto. Luc. 13:35 – a vossa casa se vos deixou desolada. Atos. 1:20 – fique desolada sua habitação. NA SEPTUAGINTA ( LXX). Sal. 69:25 – sua habitação seja feita desolada.
  2. 2. A Mulher e a Besta Cor de Escarlata 2 Dan. 8:13 – a transgressão da desolação. Dan. 9:27 – a abominação das desolações. Isa. 14:17 – tornou o mundo como um deserto. Jer. 4:7 – para fazer tua terra desolada. Jer. 4:26 – o lugar frutífero como um deserto. Jer. 4:27 – toda a terra será desolada. 2. O mundo, um deserto de desolação depois das sete últimas pragas e depois da vinda de Cristo. Jer. 4:23, 27; Apoc. 20:3. “A ira de Deus, nas sete últimas pragas, fora derramada sobre oshabitantes da Terra... havia cadáveres de uma extremidade dela a outra. “A Terra tinha a aparência de um deserto solitário. Cidades e vilas,derrubadas pelo terremoto, jaziam em montões. ... Aqui deve ser a moradade Satanás com seus anjos maus, durante mil anos. Aqui estará elecircunscrito, para errar para cá e acolá, sobre a revolvida superfície da Terra,e para ver os efeitos de sua rebelião contra a lei de Deus.” – PE., 289, 290. “Satanás será banido para a Terra desolada, que se encontrará comoum deserto despovoado e horrendo. O escritor do Apocalipse prediz o banimento de Satanás, e a condiçãode caos e desolação a que a Terra deve ser reduzida... “Ele tornou ‘o mundo como um deserto’, e destruiu ‘as suas cidades’. –GC., 658, 659. IV. A Descrição das Potestades: A. A meretriz – infiel a Deus, corrompida em fé religiosa: Jer. 3:20; Eze. 16:8, 15,32,34; Osé. 2:2,5, 8, 13; Isa. 1:21. “Em Apocalipse, capítulo 17, Babilônia é representada por uma mulher- figura que a Bíblia usa como símbolo de igreja, sendo uma mulher virtuosaa igreja pura, e uma mulher desprezível, a igreja apóstata.” – GC., 381. 1. Sua união corrupta com os poderes da terra. a. assentada sobre muitas águas. Apoc. 17:1. (1) Águas: povos, nações e línguas. Apoc. 17:15 b. Assentada sobre uma besta. Apo. 17:3. c. Fornicação com os reis da terra. Apo. 17:2, 18:3.
  3. 3. A Mulher e a Besta Cor de Escarlata 3 2. Os habitantes da terra embriagada com o vinho de sua fornicação: Apo. 17:2; 14;8; 18;3; Jer. 51:7. C.S. p. 580. “Babilônia tem criado doutrinas envenenadoras, o vinho do erro. Estevinho do erro é formado pelas doutrinas falsas” – TM., p.61. 3. Sua suntuosa aparência exterior. a. vestida de púrpura e escarlata: Apo. 17:4; 18:16. C.S. 413. “Não pode haver dúvida nenhuma de que muito cerimonial esplêndido,que a Igreja de Roma conhece para tão bem fascinar as raçasimpressionáveis do sul da Europa, deve sua origem a uma amalgamação, oua uma imitação das formas mais familiares do ritual pagão. As maravilhosasobras primas da escultura e da pintura antiga; as vestes de púrpura, longoscortejos triunfais, fulgurantes, encaminhando-se através de ruas festivaspara os tempos dos deuses imortais: as variadas exibições aparatosas queséculo após século embelezaram as mais refinadas devoções de uma fé queapela aos sentidos, e subordina as supersticiosas imaginações do vulgo,sugeriam naturalmente, ou como dizem alguns, tornaram necessário apompa do culto católico.” – Jolin G. Sheppard, The Fall of Rome, p. 669. b. Coberta de ouro, pedras preciosas e pérolas. Apoc. 17:4; 18:16; Dan. 11:38. 4. Um cálice de ouro na mão, cheio de abominações Apoc. 17:4; Jer. 51:7. 5. O nome em sua testa. Apoc. 17:5; Comp. Apoc. 14:1; 22:4; Jer. 3:2,3. a. Mistério. Apoc. 17:5; II Tess. 2:7. b. A grande babilônia. Apoc. 17:5; 14:8; 16:19; 18:2,10,21. c. Mãe das prostituições e abominações da terra. Apoc. 17:5. Babilônia antiga, um centro de corrupção do mundo. “...a apostasia logo determinou a divisão. Aqueles que desejavamesquecer-se de seu Criador, e lançar de si as restrições de Sua lei...
  4. 4. A Mulher e a Besta Cor de Escarlata 4resolveram separar-se dos adoradores de Deus. Portanto viajaram para aplanície de Sinear, nas margens do rio Eufrates ... Ali resolveram edificaruma cidade ... mas estes construtores de Babel resolveram conservar unidaa sua comunidade, em um corpo, e fundar uma monarquia que finalmenteabrangesse a Terra inteira. Assim, a sua cidade tornar-se-ia a metrópole deum império universal... “Todo o empreendimento destinava-se a exaltar ainda mais o orgulhodos que o projetaram, e desviar de Deus a mente das futuras gerações elevá-las à idolatria. ... “Os homens de Babel tinham-se decidido a estabelecer um governoque fosse independente de Deus. ... Houvessem eles continuado sem seremimpedidos, e teriam aviltado o mundo em sua infância.... “De tempos em tempos a mão invisível que segura o cetro do governoestende-se para restringir a iniqüidade.... “Os planos dos construtores de Babel terminaram com vergonha ederrota. O monumento ao seu orgulho tornou-se no memorial de sualoucura. Os homens, todavia, estão continuamente a prosseguir no mesmocaminho.” – PP., 118, 119, 123. “A terra mãe da mitologia astral deve ser procurada, não nas margensdo Nilo, mas nas margens do Eufrates... “De que Babilônia era a mãe da astronomia, do culto das estrelas, daastrologia, e que de lá estas ciências e estas crenças se espalham pelomundo, é um fato que já nos foi contado pelos artigos.” – F. Cumont,Astrology and religion Among the Greeks and Romans, 24. “A religião sumeriana... foi completamente adotada pelos Acádios, eposteriormente através dos reinos da Babilônia e da Assíria este tipoextremo de plytheism, rico em mitologia e especulação teológica, influênciade crenças religiosas de quase toda a raça Semítica na Ásia ocidental...Quando tratarmos da mitologia e da teologia das raças semíticas do norte edo ocidente, veremos que a Babilônia é a fonte da qual a absorveram quasetodas as sua idéias fundamentais.” – Stephen H. Langdon, The Mythology ofAll Races – Semitic, Vol. V, 6-7. 6. Embriagada com o sangue de santos e de mártires. Apoc. 17:6; 13:7; 18:24; Dan. 7:21.
  5. 5. A Mulher e a Besta Cor de Escarlata 5 7. Provoca admiração em João. Apoc. 17:6. 8. Reina sobre os reis da terra. Apoc. 17:18. B. A BESTA 1. Cor de escarlata. Apoc. 17:3; Comp. Apoc. 12:3. 2. Cheia de nomes de blasfêmia. Apoc. 17:3. 3. Sete cabeças. Apoc. 17:3 Comp. 12:3; 13:1; Dan. 7:6. 4. Dez chifres. Apoc. 17:3 Comp. 12:3; 13:1; Dan. 7:7,24. V. A explicação do Mistério da besta e da mulher Apoc. 17:7-18. A. Uma besta com sete cabeças 1. O monstro de sete cabeças na mitologia antiga. “O tema dragão pode ser classificado como quase universal namitologia... “Os textos de “Ras Shamra”... relatam mitos cananitas do período de1700 a 1400 a.C... O trecho de um texto fala da luta de “Anath” e o dragão.Em certo ponto “Anath” exclama: “Destruí o dragão do mar... Destruí a sinuosa serpente, Aquela de sete cabeças, destruí o dragão das profundezas do mundo, amado de “El.” Um outro texto (Baal e as Águas), nos fala de um “Lotan” de setecabeças, a mesma palavra da qual deriva o nome levitam do velhotestamento... Duas palavras que descrevem “Lotan” e Levitam são idênticas emduas línguas. São elas brh, traduzidos geralmente por “veloz” ou“desliza”, e “qltn”, geralmente traduzidos por “curvo”ou “tortuoso”. “Um selo de cilindro encontrado em Tell Asmar na Mesopotâmia mostraum dragão de sete cabeças sendo dominado por suas deidades... Este é otipo de monstro que bramia contra os deuses dominantes na mitologiaBarramita, o Levitam ao qual se refere o Velho Testamento”. H. Wallace,Leirathan and the Beast in Revelation”, The Biblical Archaeologist, 1948, nº3.
  6. 6. A Mulher e a Besta Cor de Escarlata 6 2. O Leviatã e a besta na Bíblia “O conceito de levitam alta o uso de besta no Apocalipse. A maiscompleta passagem que se refere ao Levitam no Velho testamento é o Cap.41 de Jó... “Sabemos agora que Levitam é uma serpente de sete cabeçasrelacionadas com água. Este conhecimento nos veio através do materialremoto fornecido pelos textos de Ras Shamra... “Evocando o que aprendemos do Levitam em (1) Jó 41:1-11 que indicaser ele uma criatura poderosa que homem algum pode prender... (2)Anversos 12-32 são uma descrição do monstro; sua forma infunde terroraos homens... (3) Nos versos 33-34 achamos que é rei de todos os filhos doorgulho. “Uma segunda passagem sobre o Levitam nós encontramos em Jó 3:8.Amaldiçoem-na encontramos em Jó 3:8. Amaldiçoem- na aqueles que sabem amaldiçoar, o dia, e sabem excitaro monstro marinho... “Quando unimos isto á próxima passagem, indica que o Levitam éconcedido como tendo lutado e sido conquistado por Deus. “Uma terceira passagem, que indica que o Levitam tem mais de umacabeça, é Sal. 74:14... “A idéia de importância é que Deus formou estes monstros e erapoderoso bastante para destruí-los... “Uma quarta passagem sobre o Levitam é Sal. 104:26... “A última, e Talvez principal, passagem focalizando o Levitam no V.T éIs. 27:1. O autor está falando do dia em que Israel será liberto de todos osseus inimigos. Eles será redimido por Jeová. As foras do mal estãopersonificadas na Serpente, levitam... “Deve-se notar que varias palavras do V.T estão relacionadasbasicamente com o Levitam. Uma delas é theom, uma palavra que designacaos original. Embora não esteja personificado, ele é mencionado em Jó41:31,32 como sendo o lugar em que habita o Levitam... Yam, “mar”, emmuitas passagens é mais do que um simples corpo de água; é uma forçaativa, que provavelmente reflete o velho mito da luta entre a ordem e ocaos... O Levitam habita no mar. Rahab, um monstro marinho, pode serigualado com o Levitam em várias passagens do V.T. ( Jó 9-13; 26:12; Is.51:9; Sal. 89:10)...
  7. 7. A Mulher e a Besta Cor de Escarlata 7 “Drakon, Dragão, é o que a Septuaginta apresenta em geral comoLevitam. Somente uma vez Levitam é traduzido Ketos, monstro marinho (Jó3:8). De Apoc. 13:1 em diante, besta e dragão são usadosindiscriminadamente, tal como são Levitam e Rahab e Tanin no V.T.Também se pode notar que a LXX traz abysos para theom, o profundo daságuas... “A guerra no Céu entre o dragão e Miguel e seus anjos (Apoc.12:7-12).. é um eco da guerra em que tiamat e suas hordas foramderrotadas por Marduc e os deuses na História da Criação de Babilônia e,em que Baal das Lendas Cananta lutou contra as águas rebeldes. Jeovádestruiu o Levitam na obscuridade do passado... a luta original entre Jeová eos poderes do caos é transformada no contexto cristão em uma luta entreDeus e Satanás... “A última parte do cap. 19 e a primeira parte do cap. 20 descrevem aderrota da besta e seus exércitos. O dragão, a antiga serpente, que é oDiabo e Satanás em Apoc. 20:2 é amarrado e lançado no abismo. Oabyssos e sua relação com tehoin é de novo uma indicação de toda a estirpedo levitam em que ele representa as inquietas forças do Caos... “Levitam... em Isaías 27:1, e nos escritos subseqüentes apócrifos erabínicos, manifesta-se num símbolo terrível e magnificente do mal e dadesordem. “Levitam é a fonte do uso de besta, therion, e a de dragão, drakon narevelação a João. Neste apocalipse do N.T, o conflito entre o bem e o mal éapresentado de uma forma intensa e as figuras da besta terrível e do dragãovermelho descem para a derrota na batalha cataclismática da qual resultaum novo céu e uma nova terra”. – Ibidem. B. A Besta que era, não é, subirá do abismo, e irá a perdição. Apoc. 17:8. 1. O abismo – o mundo desolado durante o milênio. Apoc. 20:1. 2. Satanás e seu reino – em ruínas durante o milênio. Apoc. 20:2. 3. A libertação de Satanás após o milênio. Apoc. 20:3. 4. A perdição final de Satanás após o milênio. Apoc. 20:3. 5. A admiração dos não inscritos no livro da vida. Apoc. 17:8, Comp. Apoc. 13:3.
  8. 8. A Mulher e a Besta Cor de Escarlata 8 Tradução de Knox: “A visão desta besta que viveu, e agora esta morta, incutirá temor em todos habitantes da terra, exceto naqueles cujos nomes foram escritos, antes que o mundo existisse, no livro da vida”. C. As sete cabeças da Besta 1. Sete montes sobre os quais a mulher se assenta. Apoc. 17:9. a. Monte: um poder ou reino. Jer. 51:24,25; Dan. 2:35,44; Is. 13:4. 2. Sete reis Apoc. 17:10. Comp. Dan 7:17,23. Tradução de Moffat : “Eles também são sete reis”. Tradução Americana: “Eles são também sete reis”. Tradução de Weymouth: “E eles são sete reis”. 3. As sete cabeças são sucessivas, existem cada uma num tempo. Apoc. 17:10. 4. O esforço de Satanás para estabelecer-se como regente do mundo. “...Depois de tentar o homem a pecar, Satanás reclamou a Terra comosua, e intitulou-se príncipe deste mundo. Havendo levado os pais de nossaraça à semelhança com sua própria natureza, julgou estabelecer aqui seuimpério. ... Através de seu domínio sobre os homens, adquiriu império sobreo mundo.” – DTN, pp. 114, 115. “Os edificadores de Babel tinham alimentado o espírito de murmuraçãocontra Deus. ... Entretanto enquanto murmuravam contra Deus, como sendoarbitrário e severo, estavam a aceitar o governo do mais cruel dos tiranos.Satanás estava procurando levar o desdém às ofertas sacrificais queprefiguravam a morte de Cristo... “Os homens de Babel tinham-se decidido a estabelecer um governoque fosse independente de Deus. ... A confederação foi fundada de modorevoltoso; estabelecido fora um reino para a exaltação própria, mas no qualDeus não deveria ter domínio ou honra. Houvesse sido permitida esta
  9. 9. A Mulher e a Besta Cor de Escarlata 9confederação, e uma grande potência teria exercido o domínio para banir daTerra a justiça, e com esta a paz, a felicidade e a segurança.” – PP., pp. 120,123. 5. A queda do governos do mal por decretos divinos. Babilônia. Gên. 11:6-9; Is. 14:4, 11-17; Dan. 5:18-21, 26-28; Jer 51:24-26,29. Egito. Êx. 7:5; 14:27; Jer. 46:25; Eze. 29:3,9. Assíria. Isa. 14:24-27; Naum 31:7,18,19. Medo-Pérsia. Dan. 8:7,20. Grécia. Dan 8:8, 21, 22. Roma Pagã. Dan. 2:33, 41. Roma Papal e seu satélites. Dan. 7:11, 24-26; II Tess. 2:7-9; Apoc. 18:10,21; 19:19,20. “... Os discípulos de Cristo foram guiados a olhar acima de todo poder edomínio do mal, ao Senhor seu Deus, cujo reino domina sobre todos ... “O programa dos acontecimentos por vir está nas mãos de nossoCriador. A Majestade do Céu tem a Seu cargo o destino das nações, bemcomo os interesses de Sua igreja.” – MDC., 120, 121. 6. Cinco já caíram – Babilônia, Egito, Assíria, Medo-Pérsia, Grécia. Apoc. 17:10. 7. Um existe – é Roma pagã. Apoc. 17:10. 8. Um ainda não chegou – Roma Papal. Apoc. 17:10. a. Durará um pouco de tempo Apoc. 17:10; comp. Sal 37:10; Hab 10:37; Ageu 2:3; João 16:16; Apoc. 1:1; 22:12. D. O oitavo rei. Apoc. 17:11.
  10. 10. A Mulher e a Besta Cor de Escarlata 10 Tradução de Knox: “É a besta que já viveu e agora está morta deve ser contada como a oitava, pois é uma das sete; agora se encaminhará para destruição total.” 1. Irá à perdição. “Ao fim dos mil anos, Cristo volta novamente à Terra. ... Descendo comgrande majestade, ordena aos ímpios mortos que ressuscitem para recebera condenação. ... "Os ímpios saem da sepultura tais quais a ela baixaram, com a mesmainimizade contra Cristo, e com o mesmo espírito de rebelião... “Agora Satanás se prepara para a última e grande luta pelasupremacia. ... Pretende ser o príncipe que é o legítimo dono do mundo ... “Diz o Senhor: ... E te tornei em cinza sobre a Terra, aos olhos de todosos que te vêem. ... Em grande espanto te tornaste e nunca mais serás parasempre.’ Ezeq. 28:6-8, 16-19. “Nas chamas purificadoras os ímpios são finalmente destruídos, raiz eramos – Satanás a raiz, seus seguidores os ramos. ... “Está para sempre terminada a obra de ruína de Satanás.” – GC., pp.662, 663, 672, 673. E. Os dez chifres Apoc. 17:12. 1. São dez reis. Apoc. 17:12. 2. Não receberam ainda o reino. Apoc. 17:12. 3. Receberão poder como reis por uma hora com a besta. Apoc. 17:12. 4. Têm o mesmo intento. Apoc. 17:13. “O assim chamado mundo cristão será o teatro de atos grandes edecisivos. Homens com autoridade decretarão leis para combater asconsciências, segundo o exemplo do papado. Babilônia fará com que todasas nações bebam do vinho da ira, de sua fornicação. Toadas as naçõesserão envolvidas... Estes têm o mesmo intento, e entregarão o seu poder eautoridade à besta. "Haverá um grande laço de união universal, uma grande harmonia,uma confederação, das forças de Satanás... "No grande conflito a ser travado nos últimos dias estarão unidos emoposição ao povo de Deus todos os poderes corrompidos que apostataram
  11. 11. A Mulher e a Besta Cor de Escarlata 11da lealdade às leis de Jeová... Nesta guerra o sábado do quartomandamento será o grande ponto de toque." E. G. White, Ms - 24 de 1891. “A linha de separação entre cristãos professos e ímpios é agoradificilmente discernida. ... Católicos, protestantes e mundanos juntamenteaceitarão a forma de piedade, destituída de sua eficácia, e verão nestaaliança um grandioso movimento para a conversão do mundo, e o começodo milênio há tanto esperado.” – GC., 588, 589. "Eles são representados na palavra de Deus como sendo atados emmolhos para serem queimados. Satanás está reunindo suas forças paraperdição.” – 6 T., p. 242. "As forças do mal estão se arregimentando a consolidando-se. Elas seestão robustecendo para a última grande crise. Grandes mudanças estãoprestes a operar-se no mundo, e os acontecimentos finais serão rápidos. –3 TS, p. 280. "Com os ímpios haverá uma enganosa harmonia que só em parteoculta uma perpetua discórdia. Eles estão unidos em sua oposição àvontade e à verdade de Deus.” – 5 T., p. 101. 5. Entreguem seu poder e autoridade à besta. Apoc. 17:13. Tradução de Knox: “Todos têm uma só maneira de agir: eles entregam à besta, o poder e o domínio que lhes pertence. “Satanás está pronto, ardendo em zelo para inspirar toda aconfederação dos agentes satânicos para fazer com que se unam com oshomens malignos, o tragam sobre ele os crentes na verdade, sofrimentorápido e severo”. – 9 T., p. 242. “O poder refreador do Senhor está sendo retirado da Terra e Satanásestá procurando instigar os vários elementos do mundo religioso levando oshomens a se porem sob a direção do grande enganador... Já os habitantesda Terra estão se mobilizando sob a orientação do príncipe das trevas, e istonão é senão o começo do fim.” – 8 T., p. 49. “Satanás como um poderoso general tomou o campo... Ele estámergulhado o mundo todo em suas fileiras, e os poucos que são fiéis àsexigências divinas são os únicos que sempre se podem opor a ele... Ide aDeus por vós mesmos... para que quando a admirável obra do miraculosopoder de Satanás se apresentar e o inimigo vier como um anjo de luz,possais distinguir entre a genuína obra de Deus e a obra de imitação dos
  12. 12. A Mulher e a Besta Cor de Escarlata 12poderes dez trevas." – E. G, White, Review and Herald, Extra, 24 dedezembro de 1889. 6. Fará guerra ao Cordeiro. Apoc. 17:14. Comp. Apoc. 16:14; 19:19. “O grande conflito que Satanás originou nas cortes celestiais cedo, bemcedo, há de ser para sempre decidido, logo todos habitantes da Terra terãotomado partido, ou a favor ou contra o governo do Céu.” – 3 TS, p. 143. “Os espíritos diabólicos sairão aos reis da Terra e ao mundo inteiro,para segurá-los no engano, e forçá-los a se unirem a Satanás em sua últimaluta contra o governo do Céu.” – GC., 624. 7. O Cordeiro os vencerá. Apoc. 17:14; 19:20, 21. a. Ele é Senhor dos Senhores o Rei dos reis. Apoc. 17:14; 19:10. b. Os que estão com Ele são chamados, eleitos e fiéis. Ap. 17:14. 8. As águas sobre as quais a meretriz se assenta – povos e nações. Apoc. 17:15. 9. Os dez chifres odiando a meretriz. Apoc. 17:16. a. Pô-la-ão desolada e nua. Apoc. 17:16; cf. Jer. 50:3, 9, 13, 23, 38 - 41; 51:25, 26, 29, 48, 49; Apoc. 16:12, 19. 10. Deus pôs em seus corações o cumprir a Sua vontade. Apoc. 17:17; comp. Isa. 10:5 - 7:15; Jer. 46:25, 26. F. A mulher – a grande cidade que reina sobre os reis da terra. Apoc. 17:18; 16:19; 14:8; 18:10, 18. BIBLIOGRAFIA Barnes, Albert, Notes on the Book of Revelation, 418-434 Bates, Joseph "The Beast with Seven Heads", R&H, Aug. 5, 1851, 3 Bollman, Calvin P. Mystery Babylon the Great, R&H Aug. 30, 1928, 7 Bunch, Taylor G., Studies in the Revelation, 238-248
  13. 13. A Mulher e a Besta Cor de Escarlata 13 Close Albert, Babylon. Dalrymple Gwynne, "Babylon the Great, ST, May 4, 1943, 8 ________, “Mysterious Woman Identified”, ST, May 11, 1943, 12 Elliott, E. B., Horae Apocalypticae, IV, 28-42 Haskell Stephen N., Revelation 17, R&H, March 26, 1901, 199 _______, The Story of the Seer of Patmos, 289-299 Hendriksen W., More Than Conqueors, 199-207 Keough George, "The Two Women of Revelation, M, Jan., 1947, 23 Lenski R. C. H., The Interpretation of St. Johns Revelation, 488-513 Lord, David N., An Exposition of the Apocalypse, 494-500 Reed Lucas Albert, “A Federated World Religions”, ST, Dec. 3, 1929, 13 ________, “The Characteristics of Babylon”, ST, Dec. 10, 1929, 13 Reid, William J., Lectures on the Revelation, 384-414 Scott, C. Anderson, Revelation 260-266 Seiss, J. A., The Apocalypse, III, 107-158 Smith Justin A., Commentary on the Revelation, 232-244 Thornl George, W., Visions of Hope and Fear, 128-132 White, James, "Seven Mountains”, R&H, Dec. 23, 1851, 67 Wordsworth, Chr., The New Testament, 249-258 Smith, Uriah, Daniel and the Revelation, 707-713

×