O FALSO PROFETA     A DESCRIÇÃO BÍBLICA DO FALSO PROFETA, a besta de doischifres, seria bastante surpreendente se signific...
O Falso Profeta                                                         2democrático do mundo Ocidental, mais tipicamente ...
O Falso Profeta                                                        3      Estes quatro pontos positivamente identifica...
O Falso Profeta                                                          4      Portanto, por causa desta diferença intrín...
O Falso Profeta                                                            5doutrinas ou ideologias. Sendo que nos devemos...
O Falso Profeta                                                          6universalmente a maldade e a intolerância que es...
O Falso Profeta                                                         7vivendo por mais de um século – em outras palavra...
O Falso Profeta                                                    8teoria perversa a respeito do reino do Messias que irá...
O Falso Profeta                                                        9    Existe de fato, o perigo de interpretar errone...
O Falso Profeta                                                          10exemplo mais proeminente deste poder; mas o sím...
O Falso Profeta                                                         11      O propósito de nosso tempo moderno, a Revo...
O Falso Profeta                                                      12maravilhoso resultado material destas duas liberdad...
O Falso Profeta                                                        13negócios é descrito como levando todo o mundo a s...
O Falso Profeta                                                         14hidrogênio e mísseis guiados como armas, ainda n...
O Falso Profeta                                                      15apenas aquelas que todos desejam conseguir: "Soberb...
O Falso Profeta                                                        16não diz que ele prepara para isto uma prova; simp...
O Falso Profeta                                                       17respeito a esses milagres do falso profeta. E eu e...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

06 o falso profeta

729 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
729
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
83
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
3
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

06 o falso profeta

  1. 1. O FALSO PROFETA A DESCRIÇÃO BÍBLICA DO FALSO PROFETA, a besta de doischifres, seria bastante surpreendente se significasse aplicar-se há muitono passado; mas como se aplica aos nossos tempos modernos, adescrição dada em Apocalipse 13:11-17 evidentemente significa algopara alarmar-nos. Esta criatura é retratada pela Inspiração como maisperigosa que qualquer poder precedente, mais perigosa porque maissagazmente decepcionante. Ele é pintado como o mais consumadoimpostor e enganador de toda a história humana. A besta leopardo édescrita como blasfema e cruel; mas o falso profeta é mencionado comoastuto e esperto, com a habilidade de produzir empolgantes maravilhasque parecem ser milagres reais com o propósito de induzir qualquerpessoa a cultuar a besta leopardo. A predição é a que ele atualmenteconsegue neste trabalho nefasto e consegue que todos menos uns poucosfaçam uma imagem viva e resfolegante da besta leopardo, e induz atodos os moradores da terra a adorar a primeira besta e sua imagem.Assim a ferida mortal está completamente curada. É por isto que estabesta leopardo nova é chamada de falso profeta. Tudo isto é uma atividade religiosa; somente num sentido muitosecundário pode ser considerado político. Um profeta de qualquer tipo,verdadeiro ou falso, é um oficial religioso, não civil. Por ser tão eficienteem sua carreira toda ao enganar e seduzir, esta criatura é na realidadeuma das piores e mais perigosas em toda a profecia. A quem é que ele está enganando? A última geração dos homens:os melhores educados, os mais inteligentes e sofisticados de toda a raça.De que é a última geração é comprovado pelo fato de que este falsoprofeta é descrito como sendo finalmente "lançados vivos" (com seucompanheiro, a besta leopardo) no primeiro lago de fogo por ocasião dosegundo advento de Cristo (Apoc. 19:20). Vários sinais de identificação nos ajudam a decidir que esta bestade dois chifres, o falso profeta, deve simbolizar o protestantismo
  2. 2. O Falso Profeta 2democrático do mundo Ocidental, mais tipicamente reconhecido nosEstados Unidos da América. 1º - O Tempo - Esta besta de dois chifres é descrita como selevantando depois da primeira carreira da besta leopardo ter terminadoem 1798, isto é, começando no tempo quando a primeira besta recebeusua ferida mortal. Como já explicamos antes, a perseguição parou maisou menos vinte e cinco anos antes desta data. No sentido mais amplo, é aperda do poder de perseguir por "heresia" que constitui a pancada mortalou ferida mortal. 2º - O Lugar - O relatório diz que esta nova besta não surgiu domar, como o fizeram os símbolos precedentes, mas "emergiu da terra",(Apoc. 13:11). Todos os estudantes das profecias sabem que a origem domar significa que os poderes mundiais precedentes se levantavam entreas partes densamente populosas do Velho Mundo pela guerra ouconquista. Em contraste, nós sabemos que a República Americana surgiunuma parte do mundo previamente desocupada por qualquer naçãoimportante, e tornou-se um poder por métodos essencialmente diferentesdos de qualquer nação precedente. O único lugar onde um taldesenvolvimento seria possível seria no Mundo Novo. 3º - Fora do Território da Besta Leopardo - Não somente em suaorigem, mas em sua carreira durante a maturidade a besta de dois chifresé descrita na profecia como diferente da primeira besta. O território dabesta leopardo incluiria não somente a Europa Ocidental, mas também oMéxico e todos os países da América do Sul. No sentido mais amplo abesta leopardo tomaria em todos os países da Igreja mais Estado ondequer que se encontrassem. A besta de dois chifres deve significar algodiverso. Isto aponta o protestantismo em religião e a América como aúnica nação preenchendo as condições. 4º - Sua Juventude - Suas características de cordeiro indicariam queera um poder jovem e de aparência gentil quando foi primeiro visto peloprofeta.
  3. 3. O Falso Profeta 3 Estes quatro pontos positivamente identificam esse novo podermundial, mas são feitos dos mais acanhados pontos de vista nacionais.Quando nós nos elevamos ao mais amplo, mais universal ponto de vista,outras marcas de identificação precisam ser consideradas. 1º - O Profeta Falso - Este nome indica que este novo poder éprimeiro religioso, não meramente secular. Isto deve significarProtestantismo, pois esta é a única força religiosa importante no NovoMundo à parte do Catolicismo. Mas deve ser uma forma apóstata edegenerada de Protestantismo, pois é um profeta falso. Prova a suafalsidade enganando o povo a fazer uma imagem viva e ativa da primeirabesta. O modernismo, o evolucionismo, que tomou posse doProtestantismo tanto na Europa e na América é prova ampla daapostasia; mas este trabalho de enganar o mundo a adorar a bestaleopardo é a prova externa de sua apostasia básica. O que alguémdenominou a Americanização do Cristianismo é uma suficientecaracterização. Uma forte tendência de espiritismo também deve serincluída. 2º - Um Dirigente Mundial - A profecia esclarece que este profetadeve ser um líder mundial genuíno, o poder preeminente político-religioso dos últimos dias. Sendo que as idéias são mais fortes do que opoder civil ou militar, o sonho americano sobre a liberdade e progresso,mais sua visão evolucionista de filosofia e religião, intoxicou ehipnotizou o mundo civilizado interno. A falsidade destes sonhosutópicos torna o nome de profeta falso apropriado. 3º - Dois Chifres Como de Cordeiro - O autor de O GrandeConflito diz que estes apresentam corretamente a liberdade civil e aliberdade religiosa que na prática real bem como na teoria foramincorporadas no caráter deste país desde seu começo, porque "estesprincípios são o segredo de seu (América) poder e prosperidade" (GC441). Mas por causa destes dois princípios celestiais, a nação que elesrepresentam é "diferente das que são mostradas sob os símbolosprecedentes" de Daniel e do Apocalipse (GC 439).
  4. 4. O Falso Profeta 4 Portanto, por causa desta diferença intrínseca entre a América emsua ascensão e carreira inicial e as outras nações representadas pelossímbolos precedentes, resulta que em seus primeiros dias a América nãopode ser qualificada como uma da série das sete cabeças, pois estas setecabeças representam nações sob o controle de Satanás em seu trabalhode procurar dirigir o mundo. Somente em sua segunda fase, depois deabandonar estes dois princípios diretores e começar a falar "como umdragão", ela se torna como as outras, e portanto uma das da série das setecabeças. Mas embora haja muitos sinais de apostasia por toda parte, amudança oficial dos chifres de cordeiro à voz de dragão ainda nãoocorreu. Ainda está no futuro. Semelhantemente, o mistério dainiqüidade já estava operando nos dias de Paulo. Muitos dos sinais deapostasia eram visíveis no tempo do Concílio de Nicéia; muitos maisapareceram quando a Capital foi mudada para Constantinopla e o dragãodesta maneira deu aos bispos seu trono e grande autoridade; mas aprofecia não começa a dar a data da carreira da besta leopardo, a nº 5 dassete cabeças, até 538 A.D. Nem a besta de dais chifres começa aqualificar como uma das sete cabeças até que começa a agir como osoutros fazendo guerra franca contra Deus e o povo de Deus. Entrementes quase dois séculos se passavam. Sendo que a série decabeças deve seguir uma à outra sem interrupção, a nº 6 deve estarreinando desde 1798, o tempo do fim, o período da ferida mortal. E estenº 6, como já vimos, deve ser a besta do abismo, que deu o golpe mortalao nº 5 e presentemente está governando a metade do mundo com suasdoutrinas e ideologia infiltrando e pervertendo todo o resto. Nos primeiros dias do mundo a Bíblia se preocupou muito nasubstituição de uma nação por outra. Mas à vista do Céu o disseminardas idéias é muito mais importante do que a mudança de linhasdivisórias nacionais. E desde que o trabalho de Deus e sua oposição têmambos se tornado globais em extensão, as profecias dos últimos diasignoram as distinções nacionais e lidam com a disseminação de
  5. 5. O Falso Profeta 5doutrinas ou ideologias. Sendo que nos devemos treinar a pensar quantoao mundo inteiro de nossos dias como estando dividido justamente emtrês grupos: o dragão, a besta leopardo, e o falso profeta. Esta divisãotríplice do mundo é repetidamente mencionada no Apocalipse e noEspírito de Profecia (veja O Grande Conflito, p. 588). Uma talclassificação tripartite do durante o tempo do fim tem que ignorarnacionalidades e com doutrinas e idéias. Nesta base, o dragão (aqui usado como sinônimo da besta doabismo) seria maior e mais inclusive do que o comunismo Marxista, abesta leopardo incluiria mais do que a Igreja Romana, e o falso profetadeve ser maior do que os Estados Unidos, ou mesmo maior do que oProtestantismo apostatado. Fundamentalmente, de fato, nós sabemos que todos os três sãoapenas agentes do diabo e todas as sete cabeças são as organizaçõeshumanas pelas quais ele operou em vários períodos da história humana.Nós estamos aqui considerando a situação bem perto do fim do tempo,depois da besta de dois chifres se tornar o falso profeta e se tornar osétimo na série de cabeças. A profecia menciona especialmente suaesperteza em enganar a altamente educada e última geração de homens.Sendo que seus dois chifres de cordeiro "são o segredo de seu poder eprosperidade", nós somos obrigados a pensar deste poder de enganarcomo de alguma maneira ligado com estes dois chifres, ou por meiodeles ou apesar deles. Mas nós somos levados a perguntar admirados comoisto pode ser. De que maneira possível estes bondosos, tolerantes princípiosde liberdade são usados para enganar o mundo à sua ruína eterna? É fácil vermos porque o novo exemplo nacional da América setornou popular através do mundo. A esperança da liberdade tem umapelo universal, e a prosperidade espetacular e o sucesso aqui vistos têmaceso a esperança de milhões incontáveis através dos oceanos do orientee do ocidente. Quando a besta do abismo invocou o lema da liberdadecivil e religiosa para abolir o Papado e assim infligir a ferida mortal, elese sobrepujou, pois a Providência divina de tal maneira desacreditou
  6. 6. O Falso Profeta 6universalmente a maldade e a intolerância que esta ferida ainda está viva,e aquelas agências simbolizadas pelo anticristo ainda estão impedidas devoltar a seu poder antigo de oprimir e destruir. E quando este país mudar, com todo o mundo ainda seguindo,quando os chifres de cordeiro se mudarem na voz de dragão e o sonhoamericano se tornar num pesadelo, a falta não estará nos dois princípiosde liberdade civil e religiosa. A falta estará na natureza humana caída,que quando abandonada a si mesma jamais na história inteira da raça foicapaz de enfrentar a prosperidade e a liberdade, mas sempre abusou eestragou as melhores dádivas de Deus. Nós precisamos voltar aos primeiros princípios. Sendo que todos ospoderes proféticos dos últimos dias – o dragão, a besta (ou anticristo), eo falso profeta – operam em escala global, como também faz a igrejaverdadeira de Cristo com a qual estão em conflito mortal, eles sãonecessariamente grandes generalizações, isto é, cada símbolo deverepresentar o total de todas as influências e tendências pelas quais semantém. Do ponto de vista de Deus isto é sempre o que estes símbolossignificam. Não poderia ser de outra maneira. Nas profeciasescriturísticas Ele experimentou representar estes totais como entidadesobjetivas completas, como pelo estilo de objetos do jardim da infância,para a instrução de Seu povo. A maioria das profecias de Daniel e doApocalipse foram mostradas ao profeta por sinais objetivos, isto é, elasforam "significadas" ao profeta como é afirmado no primeiro verso doApocalipse. Nós que vivemos nestes últimos dias e lemos estas profeciastemos que interpretar, ou decifrar estes quadros simbólicos como melhorpudermos. Usualmente nós achamos que em seu sentido mais amplo elestranscendem as meras nações e representam as várias eras culturais eideológicas da história do mundo. Isto é especialmente verdade de todosos símbolos que lidam com o tempo do fim. Conseqüentemente não é difícil compreender porque algunsestudantes destes assuntos preferem pensar deste falso profeta comosimbolizando a era democrática e científica em que o mundo está
  7. 7. O Falso Profeta 7vivendo por mais de um século – em outras palavras, que ele representao clima intelectual e cultural deste tempo do mundo em que nós agoraestamos vivendo. Sem dúvida têm tido um ambiente predominantementeprotestante. Das igrejas e universidades e centros de publicação daAlemanha, Inglaterra e da América tem radiado sobre a maioria domundo. Mas com sua genuína luz dos céus têm também dado ao mundoum vinho fortemente intoxicante de "progresso mundial" com a plenaimplicação religiosa que o milênio tradicional será o próximo evento noprograma mundial, o seguinte estágio na evolução humana. Este sempreé o ambiente para os movimentos modernos para a paz mundial. Quando indivíduos particularmente entretêm idéias erradas arespeito do futuro do mundo, geralmente não sucede grande mal. Masquando dirigentes de grupos influentes pensam que estão em companhiade Deus e ousam remodelar o mundo para mais perto do desejo de seucoração, em vez de seu céu artificial na terra eles geralmente sucedemem fazer um inferno na terra para seus oponentes. De todas as idéiasestranhas que têm confundido a humanidade durante os séculos,nenhuma tem feito mais ruína e miséria do que compreensão falsa arespeito da vinda do Messias e o que Ele deve fazer. Que "recorde" desangue e devastação que fizeram! Estas idéias falsas causaram a crucifixão de Jesus e todos oshorrores da destruição de Jerusalém sob os Romanos. Num certo sentidoreal eles puseram o fundamento da Igreja Católica, com suas Cruzadas, aInquisição, suas guerras de religião, sua São Bartolomeu, suasdragonadas, e a revolta contra estes produziu o Terror Vermelho daRevolução Francesa. Todos os sonhos utópicos iluminados do passado edo presente são formas várias de idéias torcidas a respeito de um milêniovindouro, e a presente obsessão a respeito do desarmamento e pazmundial parte das mesmas noções enganosas. Nos dias bem em nossa frente, quando todas as forças da terraconspirarem juntamente para produzir sua unidade enganadora e decompelir o povo de Deus a se conformarem com a maioria, terá a mesma
  8. 8. O Falso Profeta 8teoria perversa a respeito do reino do Messias que irá impelir osperseguidores a seu ato final de guerrearem contra Deus na pessoa deSeus seguidores. "Católicos, protestantes e mundanos juntamente aceitarão a forma depiedade, destituída de sua eficácia, e verão nesta aliança um grandiosomovimento para a conversão do mundo, e o começo do milênio há tantoesperado." – GC, pp. 588, 589. Mas que sorte para tão falsas esperanças e sonhos enganadores! Amaior parte do mundo já acordou à evidente realidade de que esta é umaunião vã; nem podem eles demorar até que o pregador desta visão serádenunciado como um falso profeta. Mas sendo que esta visão sedutoratem sido em grande parte responsável pelo impedimento da cura daferida mortal, a reação deste desengano pode bem ser a causa principalque trará finalmente a recuperação completa do anticristo. O relatório da besta de dois chifres, o falso profeta, como éapresentada na última metade de Apocalipse 13, lida quase inteiramentecom os milagres assustadores que ele opera e o caminho em que ele usaestas maravilhas para enganar o mundo. De minha parte eu nunca possoler este registro sem pensar nas maravilhas científicas de nossos dias e damaneira em que estas produções científicas são constantemente usadaspara apoiar teorias a respeito da origem do mundo e o começo dahumanidade que são completamente contraditórias ao que é ensinado naBíblia. Tem sido há muito o costume entre os estudantes desta profeciade adiar todas estas maravilhas ao futuro – depois de o falso profetacomeçar a falar como um dragão. Mas obviamente as decepçõesbaseadas nestes milagres precedem a voz do dragão e ajudammaterialmente a tornar esta voz eficiente. James White muitas vezes sequeixava sobre alguns adventistas de seus dias que estavam maisinteressados em verdades futuras do que em verdades presentes.Certamente uma das mais perigosas formas de decepção é a de estarcompletamente cego às advertências proféticas de Deus que se estãocumprindo todas ao nosso redor.
  9. 9. O Falso Profeta 9 Existe de fato, o perigo de interpretar erroneamente as profecias deantemão. Mas neste caso, a não ser que nós entendamos estas profeciasde antemão, elas não nos podem fazer bem, e nós podemos serenganados por alguns dos astutos enganos do inimigo. E ainda tambémfomos avisados contra não interpretarmos algumas destas profecias deantemão. "Devemos nós esperar até o cumprimento das profecias do fim antesde dizermos qualquer coisa a respeito delas? De que valor serão nossaspalavras então? Devemos esperar até caírem os juízos de Deus sobre ostransgressores antes de lhes dizer como podem evitá-los? Onde está anossa fé na palavra de Deus? Devemos nós ver as coisas preditasocorrerem antes de crermos no que Ele disse?" – Testimonies, vol. 9, p. 20. É alto tempo para alguns adventistas despertarem à significação doseventos que agora sucedem. É evidente que a mudança da voz do cordeiro à voz do dragão nãopode ser rápida. Embora rápidas mudanças sejam características denosso século, parece razoável que as decepções praticadas por este falsoprofeta em preparar o caminho para a feitura da imagem da besta nãopode ser dado no futuro. Por que não deveriam considerar de ver a maioria deles jáocorrendo? E para a voz do dragão se tornar real, o povo do mundo jádeve ter condicionada a sua mente para ouvi-la. O mundoprofissionalmente se tornou democrático na totalidade. Isto se reflete naprofecia, pois ela diz que o povo do mundo será informado "que elesdevem fazer uma imagem a besta" (Apoc. 13:14). Obviamente, asdecepções que preparam o caminho para esta ação fatal devem estar sedesenvolvendo a nosso redor, e nós nos devíamos perguntar: Quais sãoelas? Estamos nós também sendo enganados por elas? Nestas decepções que o tornam um falso profeta, isto é, um falsoprofessor, pois a palavra original traz a idéia de ensino ou proclamaçãoem vez de apenas uma predição. Está claro que a profecia aqui coloca a ênfase nos aspectosreligiosos deste poder mundial. A América Protestante pode ser o
  10. 10. O Falso Profeta 10exemplo mais proeminente deste poder; mas o símbolo do falso profeta émelhor representado como significando o Protestantismo como um podermundial, onde quer que seja encontrado ou onde quer que sua influênciaexista. Somente fazendo este falso profeta ser o Protestantismo modernoapostatado, antes de apenas os aspectos civis dos Estados Unidos,podemos nós dar na Austrália, na China, na Groenlândia, ou no Ceilão,qualquer sentido significativo a mensagem do terceiro anjo deApocalipse 14. Este anjo, como o primeiro, deve ir a cada nação, e triboe língua e povo; e esta advertência específica é contrária ao que o falsoprofeta está fazendo ou irá fazer. Sendo que a advertência é universal, opoder contra o qual a advertência é dirigida deve ser igualmenteuniversal. Ninguém se devia admirar pela citação em O Grande Conflito deque os dois chifres de cordeiro simbolizam a liberdade civil e religiosa.Estas duas idéias, ou princípios em grande parte diferenciam nossoséculo de todos os que o precederam. Nosso tempo Ocidental modernocomo um todo, em vez dos Estados Unidos sozinhos, é o que nós vemosretratado aqui sob o símbolo da besta de dois chifres. Estes princípios tãobondosos, mansos, liberais e aparentemente inofensivos. Durante osquase dois séculos de sua promulgação da América ao resto do mundo,eles podem salientar um relatório maravilhoso de consecuções. Oconhecimento em todas as linhas aumentou assustadoramente como aprofecia de Daniel predisse (Dan. 12:4) não somente o abrir dosmistérios da natureza, mas o preparo de suas reservas para omelhoramento da sorte do homem, como Bacon costumava se exprimir,deve ser creditado a estes dois princípios da liberdade, a permissão depensar e de fazer. A execução da ferida mortal à superstição (ou carolice)e tirania também tem que ser postas a seu crédito. Provavelmente quasetudo o que distingue este período do tempo do fim de tudo o que ocorreuantes deve ser creditado, sob a divina Providência, ao resultado práticodestes dois ideais dinâmicos, a liberdade de consciência e determinismopróprio no Governo.
  11. 11. O Falso Profeta 11 O propósito de nosso tempo moderno, a Revolução Francesa, foivisivelmente inócuo e bom em seus começos e fases anteriores. Seu alvofoi o de restaurar os direitos do homem e continha uma declaraçãodesses direitos em forma escrita, altamente esquecida de quão levementequalquer declarações abstratas de princípios verdadeiros formam ou atéinfluenciam materialmente a conduta humana. Com estes direitos daliberdade civil e religiosa em declarações concretas, por que estesmaterialistas utópicos e ateus não foram bem sucedidos em constituirseus sonhos em realidade? Aliás, eles foram humanos, muito humanos demais. E o material àsmãos com que os líderes tinham que trabalhar ao construírem seu novomundo ideal – a plebe ignorante de Paris e de outras grandes cidades –também foram muito humanos, e por séculos tinham sido detidos nasuperstição e na ignorância. E todos igualmente – dirigentes e seguidores– ficaram tão intoxicados com sua liberdade desacostumada que elesinterpretaram liberdade como licença, totalmente ignorantes desta "únicae grande verdade: que a genuína liberdade reside dentro das prescrições(limites definidos) da lei de Deus." GC, pág. 285. Estas duas liberdades lhes deram poder de fazer como queriam, masoportunidade de fazer como alguém quer é bom somente se os que têmeste poder gostam de fazer o bem. E a gentalha do Terror Vermelho nãoera nem boa nem prudente. Eles não somente estabeleceram um governosem religião, mas foram ao extremo fanático de fazer guerra aberta atodas as religiões, procurando declarar fora da lei tudo que fosse sagradoou divino. "A lei de Deus foi abertamente posta de lado pelo ConselhoNacional. E no reinado do Terror que se seguiu, todos puderam ver aoperação de causa e efeito." Ibid., pp. 285, 286. De uma maneira mais polida e camuflada uma guerra similar contraa Bíblia pode ser vista hoje na apostasia anti-Gênesis, que se temespalhado em todo o mundo nos últimos dois séculos. Em nosso mundo moderno, porém, nós estamos apenas nos estágiosiniciais da revolução. Nós estamos testemunhando em toda a parte o
  12. 12. O Falso Profeta 12maravilhoso resultado material destas duas liberdades. Estes resultadosespetaculares têm, de fato, sido marcados e planejados pela divinaProvidência para o propósito de assistir na disseminação da últimamensagem de misericórdia de Deus. Eles estão conseguindo esteresultado de uma maneira espetacular, mas eles têm sido tomados eexplorados pelo pai da mentira de fazê-los parecer comodesenvolvimentos humanos. Os resultados encantadores, intoxicantesdesta doutrina de progresso mundial, como ocorreram no séculodezenove passado e no novo século vinte, são claramente eexpressamente afirmados na profecia como enganando "os que habitamsobre a terra por causa dos sinais que lhe foi dado executar." (Apoc.13:14). Provavelmente o que nós temos visto pode ser pouco mais doque o começo. Ninguém precisa ser relembrado que já existe um lado de débitopara a conta dos dois chifres. A liberdade e o conhecimento não sãointrinsecamente regeneradores ou mesmo necessariamente bons. Sãoapenas formas de poder pessoal. Alfredo o Grande, rei da Inglaterra,disse há mil anos atrás: "O poder jamais é bom a não ser que seja bomquem o tem". Sendo que a maioria da humanidade é rebelde contra seuCriador e persiste em permanecer rebeldes, um aumento de seu poderpode resultar somente num aumento de sua rebelião. As plebes de Parisde 1793 deu uma curta recapitulação dos resultados naturais; outra maisextensa demonstração dos resultados da liberdade nas mãos de turbasdirigidas por Satanás começou na Rússia depois de 1917. E os preparospara o ato final mesmo estão se formando na rápida desintegração edesmoralização do único exemplo conspícuo de governo democráticoque jamais foi capaz de durar mais de um século. A tirania dosautocratas muitas vezes se viu, e certamente é suficientemente mau. Masnenhum terror pode igualar-se ao da anarquia histórica e frenética, aliberdade transformada em licença. A visível aproximação desta besta do abismo é mencionada emApocalipse 17:8, onde a antecipação de precisamente tal estado de
  13. 13. O Falso Profeta 13negócios é descrito como levando todo o mundo a se admirar, porqueeles compreendem que a besta de intolerância e opressão "foi, não é, masestá vindo" (Moffat). E o avanço glacial deste horror de psicologia daplebe e de histeria de massa em escala nacional e internacional auxiliagrandemente em fazer com que muitas pessoas pensadoras tenhamtolerância a favor de um governo forte, e autoritariamente centralizado,como a Igreja Católica, de acordo com a observação do arguto Francezque declarou que ele antes queria ser devorado por um leão de que pormil ratos. Quando o capricho da plebe não reconhecer um Criador no alto enenhum código do Sinai como um guia moral, mas somente o dogma deRousseau-Darwin que o homem é um animal em desenvolvimento e setornará bom se lhe for dada apenas oportunidade e estiver livre de toda arestrição; e quando todas as questões, tanto civis e religiosas, devem serdecididas por conselho pelo voto da maioria, sob o encantamentohipnótico de aspectos demagogos, como pode o resultado deixar deseguir como está declarado na profecia, "Ele falou como um dragão"(Apocalipse 13:11)? Nos mais amplos aspectos do caso, como já foi dito, este falsoprofeta simboliza aqueles sonhos utópicos de um século atrás que, pordarem a todos a liberdade de viver como deseja, todos os problemas dahumanidade estariam resolvidos. Obviamente, esta foi uma sugestão dopai das mentiras; mas soava como um novo evangelho ao povo do tempode Vitória, tanto na América como na Europa. A completa liberdadereligiosa infligiu a ferida mortal à intolerância, e a completa democraciaquando estabelecida em toda a parte traria, diziam eles, automaticamentea era longamente esperada da irmandade do homem e a federação domundo. A nova república Americana, e em sentido menor os domíniosultra-marinhos ingleses, pareciam ser provas objetivas desta visão vã deprogresso mundial inerente. Mas este falso evangelho do profeta dos doischifres se espalhou rapidamente sobre o resto do mundo. Duas guerrasmundiais, com uma terceira ameaçando, e bombas atômicas e de
  14. 14. O Falso Profeta 14hidrogênio e mísseis guiados como armas, ainda não curaram este loucofanatismo. O poder fatalmente sedativo e enganador de todo o ambientemoderno em que somos obrigados a viver é vivamente citado pelamensageira do Senhor: "O poder de Satanás de agora tentar e enganar édez vezes maior do que foi nos dias dos apóstolos". – Spiritual Gifts, vol.2. p. 277. Isto significa que o poder enganador do falso profeta é dez vezestão forte e eficiente como foi o poder do dragão romano. E isto ajuda aexplicar porque o trabalho do falso profeta tem sido reservado como oúltimo no programa divino. Sob este falso profeta Satanás está fazendoseu máximo; o Senhor lhe permite fazer tudo o que ele puder. Quando acarreira deste último enganador estiver completa, a provação humanaterá terminado, pois o diabo não tem mais engano para experimentar. Eleentão terá feito o seu pior. Mas este sonho utópico serviu ao propósito útil de dar à verdadeiraigreja de Cristo um descanso da perseguição. Durante esse período daferida mortal a igreja tem uma oportunidade de levar o evangelho dobreve advento do reino a todo o mundo, como o Mestre predisse a muito.(Mateus 24:14). Falsas doutrinas sobre qualquer assunto jamais são inofensivas.Num mundo de pecado e pecadores, mesmo tão inofensivas idéias comoa liberdade religiosa e civil podem ser pervertidos em agências do mal.No Éden o fruto da árvore do conhecimento não foi proibido porque eravenenoso para o corpo, mas porque qualquer conhecimento adquiridocontra uma ordem de Deus tornar-se-ia certamente venenoso para aalma. Quando Ló armou sua tenda em Sodoma, ele tinha duas ambições;ele planejou melhores oportunidades sociais e intelectuais para si e suafamília. Mas a liberdade e as oportunidades culturais, como o podermencionado pelo Rei Alfredo o Grande, são apenas bons quando aquelesque o possuem são bons. As condições que Ló achou em Sodoma eram
  15. 15. O Falso Profeta 15apenas aquelas que todos desejam conseguir: "Soberba, fartura de pão epróspera tranqüilidade" (Ezequiel 16:49). Uma das últimas lições que o Criador planeja demonstrar diante domundo e do universo vislumbrante é que liberdade absoluta e visãoampla de oportunidades não são bênçãos isentas de males para sereshumanos não regenerados. O homem de si mesmo não tem poder decura do orgulho ou egoísmo ou pecado. Carlyle atribuía a origem domundo democrático moderno à invenção da imprensa; e até certo pontoele tinha razão. A imprensa e todas as subseqüentes maravilhasmodernas que habilitam os homens a comunicar-se uns com os outros aoredor do mundo rapidamente, levando o conhecimento ao alcance detodos, como um cumprimento da predição de Daniel (Daniel 12:4), são oresultado da liberdade de pensar e de fazer. No planejamento dasabedoria divina eles eram essenciais para preparar o mundo para aproclamação final do evangelho justamente antes da volta do Rei dos reise Senhor dos senhores. Mas como todas as dádivas de Deus, elas podem ser abusadas eusadas para o mal. Uma das últimas lições da história humana, comouma eterna exibição diante do universo inteligente é que estes doischifres de cordeiro se tornarão armas usadas pelo falso profeta para adecepção e sedução do gênero humano na crise final da história humana,o Armagedom do gênero humano contra o Todo-poderoso. Apenas um ponto mais. A última parte de Apocalipse 13 trata dasdecepções hábeis do falso profeta, pelas quais ele engana os habitantesda terra a fazer o mal contra a vontade de Deus, e assim provoca a crisefinal para todo o mundo. Como já dissemos, as pessoas assim enganadassão a última geração do gênero humano, obviamente a mais sofisticada emais cientificamente educada em toda a longa linha da humanidade –uma situação surpreendente. Somente um embuste de decepção é mencionado: Ele fará fogo cairdos céus à vista dos homens, isto é, em público. Muitos pensaram distocomo semelhante a operação de Elias no Monte Carmelo. Mas o texto
  16. 16. O Falso Profeta 16não diz que ele prepara para isto uma prova; simplesmente declara queele faz isto de maneira pública, e depois apela para este trabalho que elefez como prova de seu poder miraculoso. E o relatório parece incluir queeste ato é apenas um de vários ou semelhantes caracteres e parapropósito similar. Atos estupendos são a característica deste falsoprofeta. E a Bíblia fala deles não como meros enganos ou imposturas, mascomo sinais e maravilhas genuínos, ou "milagres" como diz a KingJames Version. Mas o que é um milagre? Provavelmente nós devíamos dizer quetudo o que Deus faz é "natural", ou de acordo com todas as suas leisbásicas para o universo. Mas do nosso ponto de vista humano limitado,milhares de eventos que são comuns para nós, como raios X, rádio, oumísseis guiados, pareceriam como milagres genuínos a nossos anos.Nossas mentes são constituídas que quando mesmo o evento maisadmirável é repetido por algumas vezes, embora, nenhum homem deciência possa dar explanação sensível, nós somos inclinados a classificá-los como sendo apenas da "lei natural", e não muito maravilhosos defato. Quase todo e evento científico moderno seria um "milagre" paranós se ele ocorresse unicamente uma vez, ou se o víssemos pela primeiravez. Benjamin Franklin é apresentado como aquele que com seupapagaio numa tempestade ensinava o mundo como amansar os raios.Mas nenhum cientista moderno soube o que é a eletricidade, ou como aluz e outras radiações são transmitidas, ou o porquê da gravitação. WillisR. Whitney, durante anos encarregado dos trabalhos de pesquisa daGeneral Electric, disse: "Os melhores cientistas têm que reconhecer queeles são apenas indivíduos de Kindergarten (jardim de infância)brincando com mistérios nossos antepassados foram, e nossosdescendentes se vão". Possivelmente aqueles de vocês que têm lido as páginasprecedentes atenciosamente já terão entendido meu ponto de vista com
  17. 17. O Falso Profeta 17respeito a esses milagres do falso profeta. E eu estou certo que quandoestas duas bombas lançadas sobre as cidades do Japão no verão de 1945,muitos adventistas em toda a parte do mundo imediatamente pensavamneste texto de fazer fogo cair dos céus à vista dos homens. E porque não? Nós estamos certamente vivendo no tempo do fim. Ea Bíblia torna bem claro que o poder dominante no mundo (do ponto devista profético) durante este período do tempo do fim é a besta de doischifres, aliás o falso profeta. Nós olhamos ao redor de nós no mundohoje e vemos a civilização ocidental de nosso tempo, dirigido pelaAmérica, que parece ser o cumprimento da profecia. E as execuçõescientíficas espetaculares de nossos dias se enquadram perfeitamente noquadro, sempre que possamos afastar o encanto hipnótico profano queestas execuções lançavam sobre nossas mentes e acordamos frente aofato solene e terrível de que os resultados deles todos estão na direçãoerrada, para longe de Deus e Sua verdade. De fato, se qualquer dos meusleitores persiste em pensar que as teorias imperantes em biologia, emgeologia, em física atômica são factuais (reais) ou em harmonia com osprincípios básicos da cristandade, eu não tenho mais nada a dizer. Mas se, como eu creio, o pensamento científico dominante de nossotempo tende na direção errada, nós compreendemos que estamostestemunhando outro cumprimento. Há quase três quartos de séculoEllen G. White escreveu: "Assim a falsa ciência da atualidade que mina a fé nas EscriturasSagradas, mostrar-se-á tão bem-sucedida no preparar o caminho para aaceitação do papado com seu formalismo aprazível, como o fez a retençãodo saber ao abrir o caminho para o seu engrandecimento na Idade Média". –O Grande Conflito, p. 573. . E nós podemos ver agora ainda mais como os prodígiosmaravilhosos, ou "milagres" executados pelo falso profeta vãovagarosamente mas certamente enganando os habitantes da terra elevando-os a adorar a primeira besta, cuja ferida mortal está sarando.

×