Laboratório de Comunicação Popular - Aula 3

342 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
342
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
111
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
6
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Laboratório de Comunicação Popular - Aula 3

  1. 1. Linha EditorialConceitosDiedro Barros
  2. 2. Introdução• Linha editorial é uma política predeterminadapela direção do veículo de comunicação ou peladiretoria da empresa que determina “a lógicapela qual a empresa jornalística enxerga omundo”;• Ela indica seus valores, aponta seus paradigmase influencia decisivamente na construção de suamensagem, além de orientar o modo como cadatexto será redigido, definir quais termos podemou não, quais devem ser usados, e qual ahierarquia que cada tema terá na edição final;• A linha editorial não é um valor-notícia dos fatosa serem abordados (ou seja, de seleção), massim um valor-notícia da forma de realizar a pauta(ou seja, de construção).
  3. 3. O Surgimento• Com a mudança de caráter daimprensa para um modo deprodução comercial, as empresasjornalísticas tiveram que se adaptarpara atrair anunciantes, visandomantê-las funcionando. A partirdisso, foram criadas regras paradirigir o trabalho derepórteres, editores eredatores, garantindo que osinteresses comerciais dosanunciantes não se choquem com asnotícias veiculadas nas ediçõesdistribuídas.
  4. 4. Princípios organizacionais /Manuais de Redação e Estilo• Para nortear as característicaseditoriais de cada empresa, as chefiasdas organizações passaram aformular Manuais de Redação e Estilovisando doutrinar os Jornalistasrecém-chegados a trabalhar de acordocom a linha dogmática da publicação.Nos manuais, estão contidas regrasde redação, escrita, organizaçãoeditorial, posicionamentos edisposição de anunciantes, entreoutras informações;• No Brasil, os manuais mais famosossão o dos jornais Folha de São Paulo,Estado de São Paulo, O Globo, e dasrádios Jovem Pan e CBN.
  5. 5. O código de ética• Assim como os manuais de Redaçãoe Estilo das empresas jornalísticas, éuma série de regras formuladaspela Fenaj, Federação Nacional dosJornalistas, que regulamenta otrabalho do profissional da área.Nela estão dispostos pontos como odireito à Informação, condutaprofissional, responsabilidades, relações profissionais, e propõe sançõesaos jornalistas que descumpremessas diretrizes.• A última atualização do Código deÉtica é do ano de 2007.
  6. 6. Acordos implícitos• Mesmo com a liberdade de Imprensa, a profissão de Jornalista apresentaalguns acordos não formais que não aparecem no código de ética ounos manuais de redação e estilo, mas que tratam da produçãonoticiosa, visando evitar situações constrangedoras ou suscitarquestões difíceis de lidar. Exemplos: a não veiculação de notíciasenvolvendo suicídios, evitar na editoria de política termos como“golpe”, etc.
  7. 7. Artigos de opinião• São textos presentes nos produtosjornalísticos nos quais o autorapresenta seu ponto de vista sobretemas geralmente polêmicos, e queexigem uma posição por parte dosouvintes, espectadores e leitores;• Nos artigos de opinião, tambémconhecidos como “gênerosargumentativos”, o autor tem aintenção de convencer seu público.Para isso, precisa apresentar bonsargumentos, que consistem emverdades e opiniões.
  8. 8. Divisão por editorias• Cidade;• Nacional, País;• Internacional, Mundo;• Política;• Economia e Negócios;• Ciência e tecnologia;• Esportes;• Artes e Espetáculos;• Cultura e lazer;• Turismo;• Serviços;• Classificados;• Etc.
  9. 9. Fotojornalismo
  10. 10. Conceitos• O fotojornalismo é um ramo que engloba a área do Jornalismoresponsável pela ilustração de reportagens e matérias através daimagem. Assim como a ilustração, a charge e o infográfico, a fotografiatem o papel de transmitir a informação de forma clara e objetiva.
  11. 11. Gêneros do Fotojornalismo(parte 1)• Fotografia social: Envolve as editorias deCidade, Política, Economia eNegócios, Nacional e Internacional. Servepara ilustrar e denunciar fatos eacontecimentos gerais, incluindo tragédiase escândalos;• Fotografia esportiva: Como o próprionome já diz, é voltada especialmente paraa cobertura de fatos e eventos esportivos.Atua como um suporte de umaresenha, ilustrando um determinado lanceou momento do evento;
  12. 12. Gêneros do Fotojornalismo(parte 2)• Fotografia cultural: Ilustra as editorias deArtes e Espetáculos, Cultura e Lazer, eTurismo. Geralmente este tipo de fotografiachama mais a atenção do que o textonoticioso propriamente dito, fazendo ocaminho inverso e transformando o materialredigido em um suporte para a ilustração;• Fotografia policial: Categoria associada aimagens de combate, apreensão e ourepressão, crimes, mortes. Para este tipo decobertura, alguns cuidados extras sãotomados, como o uso de coletes à prova debalas, treinamento de registros emsituações de conflito, os repórteresfotográficos receberam apoio das forçaspoliciais, etc.
  13. 13. Técnica (parte 1)Enquadramento:É a posição para a captura de um registro por parte do fotógrafo.Geralmente o enquadramento é feito dividindo a imagem em novequadrantes e capturando como ponto central uma das interseções dessesquadrantes;
  14. 14. Técnica (parte 2)Foco:Pode ser definido como a qualidade de nitidez da imagem capturada.Existem vários tipos de lentes diferentes (grande angular, para capturas comfoco mais amplo; normal, para fotos que não exijam muitos recursos; eteleobjetiva, para registros com focos de localização mais distante), quepermitem fazer fotografias nas mais difíceis condições de luz eposicionamento.
  15. 15. Técnica (parte 2b)Lente grande angular: Lente teleobjetiva:
  16. 16. Técnica (parte 3)Controle da imagem:Cada câmera tem um dispositivo chamado obturador, que abre e fechaquando você aperta o botão para tirar uma foto, marcando o tempo deexposição do filme à luz. Este dispositivo pode garantir uma boa imagem, ouentão problemas como o de uma foto completamente escura (que recebeupouca luz) ou muito clara (que recebeu luz demais). Câmerassemiprofissionais e profissionais possuem esse controle para o fotógrafo. Jácâmeras normais tem esse recurso automático;
  17. 17. Técnica (parte 3b)Esquema de uma câmera fotográfica analógica:
  18. 18. Manipulação de fotografias• Mesmo que uma foto já ofereçauma qualidade aceitável parapublicação, esta pode receberreforços de cor ou correçõesdigitalmente, através de programasde edição. O software mais comumé o Adobe Photoshop, mas outrosque também são bem popularessão o Gimp e o Photoscape;• Este recurso foi popularizado como desenvolvimento das ferramentasdigitais. Mas a manipulaçãoartificial de imagens já existia naépoca da fotografia analógica (coma utilização de filmes).
  19. 19. Manipulação de fotografiasExemplos de manipulação de fotografias:

×