Os rumos da prosa brasileira contemporânea

14.521 visualizações

Publicada em

Trabalho de Língua Portuguesa.
2012.

Publicada em: Educação
0 comentários
3 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
14.521
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
69
Comentários
0
Gostaram
3
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Os rumos da prosa brasileira contemporânea

  1. 1. Língua Portuguesa
  2. 2. Em linhas gerais, a prosa contemporânea apresenta as seguintes características: - O enredo tem importância secundárias, pois o que interessa é a psicologia dos personagens; - Predominância de tempo psicológico; - Interessam as características psicológicas da personagem e não as físicas. A literatura não tem compromisso com a “realidade”; - A prosa urbana enfoca o conflito do indivíduo perante a sociedade.
  3. 3. O Conto é, antes de mais nada, curto. Não há tempo para se espalhar em grandes detalhes, em sutilezas que destoam de seus tempos, de seu necessário ritmo de leitura. Um conto deve estar contido entre algumas palavras (no caso de micro contos) até um máximo de cinco a seis mil palavras.
  4. 4. Venha Ver o Pôr do Sol é um conto da escritora brasileira Lygia Fagundes Telles, e considerado um dos mais famosos da renomada autora. “Ela subiu sem pressa a tortuosa ladeira. À medida que avançava, as casas iam rareando, modestas casas espalhadas sem simetria e ilhadas em terrenos baldios. No meio da rua sem calçamento, coberta aqui e ali por um mato rasteiro, algumas crianças brincavam de roda. A débil cantiga infantil era a única nota viva na quietude da tarde.”
  5. 5. A vida urbana: violência e frustração Entre os contistas cuja obra desenvolve essa temática, destacam-se: João Antônio, Dalton Trevisan, Sérgio Sant’Anna, Ricardo Ramos, Luiz Vilela, Domingos Pellegrini Jr, Inácio de Loyola Brandão. A ficção intimista: encontros e desencontros Além de Caio Fernando de Abreu, Lygia Fagundes Telles, Autran Dourado, Fernando Sabino, Otto Lara Rezende, Luiz Vilela, Heloísa Seixas são alguns dos nomes de destaque na produção dos textos de ficção introspectiva e reflexiva da literatura brasileira contemporânea.
  6. 6. A crônica é o único gênero literário produzido essencialmente para ser vinculado na imprensa, seja nas páginas de uma revista, seja nas de um jornal. O fato de ser publicada no jornal já lhe determina vida curta, pois à crônica de hoje seguem-se muitas outras nas próximas edições. Há semelhanças entre a crônica e o texto exclusivamente informativo. Assim como o repórter, o cronista se alimenta dos acontecimentos diários, que constituem a base da crônica.
  7. 7. Luis Fernando Veríssimo adotou a ironia e o humor como bases para desencadear o processo analítico da realidade. Pai não entende nada - Um biquíni novo? - É, pai. - Você comprou um no ano passado! - Não serve mais, pai. Eu cresci. -Como não serve? No ano passado você tinha 14 anos, este ano tem 15. Não cresceu tanto assim. - Não serve, pai. - Está bem, está bem. Toma o dinheiro. Compra um biquíni maior. - Maior não, pai. Menor. Aquele pai, também, não entendia nada.
  8. 8. Rubem Braga, Otto Lara Resende, Paulo Mendes Campos e Fernando Sabino foram alguns nomes que ajudaram a manter vivo a prestígio do gênero. Entre os cronistas contemporâneos em atividade, alguns nome merecem destaque, pela legião de leitores que conquistaram: Carlos Heitor Cony, Luis Fernando Veríssimo e Martha Medeiros.
  9. 9. Romance é um tipo de história longa e complexa, com várias personagens. Caracterizado por livros, eles permitem que o leitor se aprofunde na trama e conheça bem cada um dos protagonistas dela. Dentro de um romance podem existir histórias secundárias que ajudam a compor o caráter e a personalidade das personagens ou ajudam no entendimento do que se passa na história.
  10. 10. Os Romances Regionais Herdeiros de uma forte tradição no romance brasileiro, alguns escritores contemporâneos deram prosseguimento às narrativas regionais. Memória e História na Prosa da Ficção Na linha da ficção memorialista, de forte tradição entre os escritores brasileiros, alguns romances abordaram história e política enquanto outros vasculharam a vida familiar, recuperando tempos, traçando painéis de épocas diversas. O Espaço Urbano: A Narrativa Intimista e o Romance Policial Muitos escritores contemporâneos desenvolvem uma temática mais intimista, às vezes associada a um olhar memorialista, às vezes contaminada pelas pressões do espaço urbano.
  11. 11. Trabalho de Língua Portuguesa Prof.: Dulcinéa Corrêa França Alunas: Diana Sobreira Karoline Silvério Letícia Grazielle Tainara Lisandra Série: 3º ano A – Ensino Médio

×