Português

9.549 visualizações

Publicada em

0 comentários
2 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
9.549
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
34
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
189
Comentários
0
Gostaram
2
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Português

  1. 1. A RELIQUIA<br />
  2. 2. A Relíquia foi publicada em 1876. A obra é constituída por 5 capítulos que apresentam vários momentos da vida do protagonista, Teodorico Raposo que relata a história na 1º pessoa.<br />No prefacio, o protagonista menciona as razoes subjacentes à sua intenção de relatar a sua experiencia de vida.<br />Os capítulos I e II fornecem informações sobre a infância do protagonista, a sua mudança para a casa da Titi, os estudos em Coimbra, a vida amorosa de Teodorico e a sua viagem ao Egipto e à Terra Santa<br />A estrutura da Obra<br />
  3. 3. O capitulo III abrange cerca de um terço do total da obra. Está inteiramente dedicado ao sonho de Teodorico que reconstrói o episodio Bíblico da Condensação de Cristo.<br />Os capítulos IV e V relatam o regresso do narrador a Lisboa, a troca da relíquia, a sua expulsão da casa da Titi, o seu casamento, assim como a sua regeneração moral.<br />A estrutura da Obra<br />
  4. 4. O prefacio, em tom heróico, antecipa a crítica à sociedade Portuguesa, ressaltando os defeitos do clero.<br />Momentos da acção:<br />Teodorico nasce numa 6ºfeira de paixão;<br />A sua mãe morreu tinha ele 3 anos de idade.<br />O seu pai morre tinha ele 7 anos, e é então levado para a casa da tia Patrocínio, em Lisboa.<br />Com quase 9 anos, ele frequenta o colégio dos Isidoros.<br />Teodorico vai para Coimbra estudar Teologia, ficando alojado nas Pimentas.<br />A acção da Obra<br />
  5. 5. O protagonista regressa a Lisboa mantendo uma relação oculta com Adélia.<br />Titi decide mandar Teodorico á Terra santa.<br />Teodorico chega do Egipto acompanhado por Topsius.<br />Em Alexandra, Teodorico conhece Mari, com o qual mantém uma relação até a sua partida para Jerusalém.<br />Mari dá a Teodorico uma camisa de rendas á qual junta um bilhete com uma dedicatória com recordação da Paixão vivida.<br />Teodorico e Topsius chegam à Palestina e instalam-se no Hotel Mediterrâneo.<br />O protagonista encontra um arbusto com o qual faz coroa de espinhos que levaria como Relíquia para a sua Tia.<br />No capitulo III, ele assiste a uma espécie de sonho, onde vê a condenação e crucificação de Cristo.<br />
  6. 6. Teodorico regressa a Lisboa e um criado corre atrás dele para lhe entregar um pacote e ele pensando que é a camisa de Mari dá-a a um pobre.<br />O Protagonista chega a Lisboa onde é recebido com emoção pela Titi por ter pisado os Santos Lugares. Quando se dá a abertura do presente que continha a relíquia para a Titi Teodorico apercebe-se da troca de prendas. A tia recebera a camisa perfumada de Mari.<br />A titi expulsa Teodorico de casa e para sobreviver ele vende relíquias.<br />Após a morte da sua tia ele toma conhecimento que ela lhe negaria os seus bens e pobre e revoltado, Teodorico compreende finalmente a inutilidade da hipocrisia. Casa-se com a irmã de um antigo colega de colégio do Isidoros, torna-se pai e compra a quinta “O Mosteiro” ao pobre Negrão, que a herdara da D. Patrocínio<br />
  7. 7. Teodorico Raposo: é o narrador e o protagonista da acção. É criado pela Titi, irmã da sua mãe. Finge partilhar o fanatismo religioso da tia, de modo a puder herdar o seu dinheiro e os seus bens. É um individuo calculista, dissimulado, mentiroso, levando uma vida dissoluta e confundindo amor com prazer sensual. Após estudos, mantêm-se inactivo, entregando-se a uma ociosidade quebrada pelas visitas às igrejas e com relação amorosa que mantêm com Adélia. No final descobrirá a inutilidade da sua hipocrisia. <br />As Personagens<br />
  8. 8. D. Patrocínio das Neves: Esta personagem é apresentada como um ser pouco agradável. É conservadora, austera e fria. Associa o amor e o sexo ao pecado que condena as almas. É uma beata que conduz a sua existência por um fanatismo religioso sem limites. Esta personagem simboliza a burguesia.<br />Adélia: é uma rapariga leviana que mantém uma relação com Teodorico. É interesseira e muito vulgar.<br />As Personagens<br />
  9. 9. Casimiro: é o procurador da Titi e o representante do clero.<br />Topsius: Colega de viagem de Teodorico à Terra Santa. É um alemão alto e magro, dedicado á pesquisa e ao sabor. É arqueologo e cientista. Homem civilizado, oriundo de um país com um desenvolvimento cultural superior. Vê Portugal como um país decadente, preso ás teias do passado.<br />Mari: É amante de Teodorico quando este realiza a sua viagem á Terra Santa. Acaba por ser ela a responsável pelo destino final de Teodorico, que ficou deserdado pela Titi.<br />As Personagens<br />
  10. 10. Trata-se do espaço onde as personagens se movimentam e onde ocorrem os acontecimentos.<br />Os espaços geográficos mais relevantes são as margens do rio Lima, Lisboa, Coimbra, e a Terra Santa.<br />A acção decorre em quatro espaços físicos:<br />Margens do rio Lima: Local onde o protagonista vive a sua infância.<br />Lisboa: Cidade onde o narrador vive a partir dos 7 anos com Titi.<br />Coimbra: cidade onde Teodorico estuda direito<br />Egipto e Terra Santa<br />Espaço Físico<br />
  11. 11. Os espaços Sociais aparecem construídos através dos ambientes vividos pelas personagens que tipificam um determinado grupo social, caracterizando-o.<br />Eça apresenta uma visão pessimista de um Portugal estagnado no tempo, dominado pelo conservadorismo de que a Titi é a principal representante.<br />A critica de Eça á sociedade Portuguesa é impiedosa e incide nos seguintes aspectos:<br />Conservadorismo hipócrita da burguesia<br /> Costumes do clero<br />Provincianismo do povo português<br />Fanatismo religioso.<br />Espaço Social<br />
  12. 12. O espaço psicológico é constituído pelo conjunto de elementos que traduz a integridade das personagens.<br />Na obra ele é constituído pelos seguintes elementos :<br />Sonhos<br />Pensamentos e reflexões do protagonista<br />Espaço Psicológico<br />
  13. 13. Tempo Histórico: A acção decorre na segunda metade do século XIX.<br />Salienta-se as seguintes datas:<br />* 1853- o pai de Teodorico consegue um bom emprego na Alfandega<br />*1875- ano em que o narrador realiza a viagem á Terra Santa<br />Tempo<br />
  14. 14. Tempo de discurso: O narrador relata acontecimentos através de analepses e prolepses. Há também um tempo presente que corresponde ao tempo em que se desenvolve cronologicamente a narrativa da vida de Teodorico e um tempo passado, associado ao sonho , aquele em que Cristo viveu em Jerusalem. A união desses dois tempos, no final do romance permite a Teodorico encontrar algumas repostas que os Homens têm colocado ao longo dos séculos.<br />Tempo<br />
  15. 15. O narrador da acção é um narrador autodiegético, pois é protagonista da acção e relata as suas próprias vivências. Trata-se de um narrador que atingiu uma posição de maturidade( casado, pai, proprietário) e que relata, num tempo posterior, a sua historia de juventude. As marcas linguísticas deste tipo de narrador são o uso da primeira pessoa do singular, os pronomes e os determinantes.<br />Narrador<br />
  16. 16. A relíquia é um romance que consegue atingir o seu objectivo principal de criticar a sociedade lisboeta através da sua temática principal que é a Hipocrisia e a Inutilidade. A crença na mentira parece conduzir toda uma sociedade ao declínio, representando nitidamente o estado de decadência da sociedade lusíada da segunda metade do século XIX.<br />Eça revela mais que falsidade, o sinismo da personagem Teodorico, uma sociedade moralmente desgostada uma vez que estabelece o interesse económico em prol do respeito pela sua beata tia.<br />Problemáticas e principais temas<br />
  17. 17. Critica a decadência moral da sociedade<br />Inutilidade da hipocrisia<br />Censura e desconformidade entre os actos e os ideais.<br />Hipocrisia Religiosa<br />Culto das aparências<br />Critica a beatice doentia<br />Critica a educação sexual transformado em aversão ao sexo<br />Critica o abuso da boa fé e da credibilidade<br />Critica a falta de sinceridade e á ambição desmedida<br />Criticas á Obra<br />

×