A BIBLIOTECA DIGITAL:  novos meios para velhas práticas  Ana Daniele Maciel Diana Carla Mendonça Jéssica Lavor
Bibliotecas <ul><li>As bibliotecas surgiram com a  </li></ul><ul><li>finalidade  de preservar os  </li></ul><ul><li>regist...
Bibliotecas Digitais <ul><li>Precursor das Bibliotecas Digitais:  Vannevar Bush . </li></ul><ul><li>“ Memex: um dispositiv...
<ul><li>Com a explosão informacional, houve o surgimento das novas tecnologias que possibilitaram a utilização de recursos...
Conceito de Biblioteca Digital: <ul><li>“ Bibliotecas Digitais são organizações que disponibilizam recursos (humanos inclu...
Características: <ul><li>Acesso remoto pelo usuário, por meio de um computador ligado a rede. </li></ul><ul><li>Utilização...
Mas para se montar uma Biblioteca Digital necessita-se também de recursos financeiros e reais, e devem-se levar em conside...
<ul><li>A concepção de uma Biblioteca Digital deve ser vista como uma ferramenta de acesso à informação constituída de ele...
A BIBLIOTECA DIGITAL DA UFC <ul><li>A Universidade Federal do Ceará em Números: </li></ul><ul><li>89 Cursos de Pós-Graduaç...
A Implantação da BDTD-UFC <ul><li>Com uma visão de futuro a UFC em 2003 implantou o sistema de biblioteca digital, e em 20...
O Acervo <ul><li>2.403 teses e dissertações na base, sendo em números a 15ª no ranking nacional e a 3ª do Nordeste. </li><...
 
CONSIDERAÇÕES FINAIS <ul><li>É importante que a biblioteca digital universitária acompanhe o desenvolvimento dos outros se...
REFERÊNCIAS   <ul><li>ARAÚJO, Eliany Alvarenga; OLIVEIRA, Marlene. A produção de conhecimentos e a origem das bibliotecas....
<ul><li>Obrigada! </li></ul>
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

A BIBLIOTECA DIGITAL: novos meios para velhas práticas

3.066 visualizações

Publicada em

1 comentário
5 gostaram
Estatísticas
Notas
Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
3.066
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
202
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
8
Comentários
1
Gostaram
5
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

A BIBLIOTECA DIGITAL: novos meios para velhas práticas

  1. 1. A BIBLIOTECA DIGITAL: novos meios para velhas práticas Ana Daniele Maciel Diana Carla Mendonça Jéssica Lavor
  2. 2. Bibliotecas <ul><li>As bibliotecas surgiram com a </li></ul><ul><li>finalidade de preservar os </li></ul><ul><li>registros escritos do conhecimento . </li></ul><ul><li>As bibliotecas são para a sociedade, uma forma disponibilização das informações mais relevantes para vida social, política e cultural de determinada comunidade. </li></ul>
  3. 3. Bibliotecas Digitais <ul><li>Precursor das Bibliotecas Digitais: Vannevar Bush . </li></ul><ul><li>“ Memex: um dispositivo em que um individuo armazena todos os seus livros, dados e mensagens, estando mecanizado de tal maneira que possa ser consultado com grande velocidade e flexibilidade” (BUSH apud CUNHA, 2008, p.4) </li></ul>
  4. 4. <ul><li>Com a explosão informacional, houve o surgimento das novas tecnologias que possibilitaram a utilização de recursos eletrônicos, tanto no aprimoramento como na agilização de transferência de informação . </li></ul><ul><li>A informação, nesse tipo de Biblioteca, está sempre atualizada, disponível e poderá ser compartilhada por vários usuários em diversos formatos. </li></ul>
  5. 5. Conceito de Biblioteca Digital: <ul><li>“ Bibliotecas Digitais são organizações que disponibilizam recursos (humanos inclusive), para seleção, estruturação, interpretação, distribuição e disponibilização de objetos digitais, e que devem zelar por sua integridade/autenticidade” </li></ul><ul><li>( DIGITAL LIBRARY FEDERATION apud ROSSETO, 2008, p.104 ) </li></ul>
  6. 6. Características: <ul><li>Acesso remoto pelo usuário, por meio de um computador ligado a rede. </li></ul><ul><li>Utilização simultânea do mesmo documento por duas ou mais pessoas. </li></ul><ul><li>Existência de documentos onde se pode acessar não só a sua referencia bibliográfica, como também seu texto completo. </li></ul><ul><li>A biblioteca acessada não necessita ser proprietária do documento solicitado. </li></ul><ul><li>Utilização de diversos suportes de registro de informação (som, imagem, vídeo) </li></ul>
  7. 7. Mas para se montar uma Biblioteca Digital necessita-se também de recursos financeiros e reais, e devem-se levar em consideração alguns fatores : <ul><li>Instalações físicas </li></ul><ul><li>Processo técnico </li></ul><ul><li>Digitalização do acervo </li></ul><ul><li>Preservação </li></ul><ul><li>Metadados </li></ul>
  8. 8. <ul><li>A concepção de uma Biblioteca Digital deve ser vista como uma ferramenta de acesso à informação constituída de elementos digitais e também de meios tradicionais, mas acima de tudo, deve constituir-se como um instrumento de democratização do acesso ao conhecimento e inclusão social e cultural. </li></ul>
  9. 9. A BIBLIOTECA DIGITAL DA UFC <ul><li>A Universidade Federal do Ceará em Números: </li></ul><ul><li>89 Cursos de Pós-Graduação, </li></ul><ul><li>Destes, 48 são Mestrados Acadêmicos </li></ul><ul><li>6 são Mestrados Profissionais </li></ul><ul><li>35 são Cursos de Doutorado </li></ul>
  10. 10. A Implantação da BDTD-UFC <ul><li>Com uma visão de futuro a UFC em 2003 implantou o sistema de biblioteca digital, e em 2006 se integrou a biblioteca digital de teses dissertações (BDTD) coordenada pela instituto brasileiro de informação em ciência e tecnologia (IBCT) </li></ul>
  11. 11. O Acervo <ul><li>2.403 teses e dissertações na base, sendo em números a 15ª no ranking nacional e a 3ª do Nordeste. </li></ul><ul><li>O depósito ocorre após a defesa, quando a versão final é concluída, o próprio aluno coloca no sistema as informações necessárias para o acesso a sua tese ou dissertação. </li></ul>
  12. 13. CONSIDERAÇÕES FINAIS <ul><li>É importante que a biblioteca digital universitária acompanhe o desenvolvimento dos outros setores da universidade, afim de que a informação esteja disponível em tempo real. </li></ul><ul><li>Com a biblioteca digital de teses e dissertações a universidade, aqui no caso a BDTD-UFC, torna acessível sua produção do conhecimento cientifico aos usuários em geral., assim como também os autores podem divulgar o resultado de suas pesquisas. </li></ul>
  13. 14. REFERÊNCIAS <ul><li>ARAÚJO, Eliany Alvarenga; OLIVEIRA, Marlene. A produção de conhecimentos e a origem das bibliotecas. In .: OLIVEIRA, Marlene (coord.). Ciência da informação e biblioteconomia : novos conteúdos e espaços de atuação. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2005. p. 29-43. </li></ul><ul><li>CHARTIER, Roger. A ordem dos livros : leitores, autores e bibliotecas na Europa entre os séculos XIV e XVIII. Brasília: Editora UNB, 1994. 111p. </li></ul><ul><li>CHATAIGNIER, Maria Cecília Pragana; SILVA, Margareth Prevot da. Biblioteca </li></ul><ul><li>Digital: a experiência do Impa. Ciência da Informação , Brasília, v. 30, n. 3, p. 7- </li></ul><ul><li>12, set./dez. 2001. </li></ul><ul><li>MARCHIORI, Patricia Zeni. Ciberteca ou biblioteca virtual: uma perspectiva de gerenciamento de recursos de informação . Disponivel em: http://revista.ibict.br/index. php / ciinf / article / viewFile /389/349 . Acessado em: 20/03/2010. </li></ul><ul><li>MARCONDES, Carlos Henrique; SAYÃO, Luís Fernando. Integração e interoperabilidade no acesso a recursos informacionais eletrônicos em C&T: a proposta da Biblioteca Digital Brasileira. Ciência da Informação , Brasília, v. 30, n. 3, p. 24 - 33, set./dez. 2001. </li></ul><ul><li>MASIERO, Paulo Cesar et. al. A Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da Universidade de São Paulo. Ciência da Informação , Brasília, v. 30, n. 3, p. 34 - 41, set./dez. 2001. </li></ul><ul><li>SABATINI, M. Publicações científicas eletrônicas na Internet : modelos, padrões e tendências. São Bernardo do Campo, 1999. 256p. Dissertação (Mestrado em Comunicação Social)- Universidade Metodista de São Paulo, 1999. </li></ul>
  14. 15. <ul><li>Obrigada! </li></ul>

×