Sexualidade infantil

32.484 visualizações

Publicada em

0 comentários
13 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
32.484
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
26
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
894
Comentários
0
Gostaram
13
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide
  • O PERFIL DO EDUCADOR SEXUAL
  • Sexualidade infantil

    1. 1. Profa Dhilma Luci de Freitas Email: dhilmalf@gmail.com A EDUCAÇÃO SEXUAL NA INFÂNCIA
    2. 2. Para Isaura Guimarães (1995, p.24) SEXO : “ é relativo ao fato natural, hereditário, biológico, da diferença física entre o homem e a mulher e da atração de um pelo outro para reprodução. No mundo moderno, o significado dominante do termo passa a ser ‘fazer sexo’, referindo-se às relações físicas para o prazer sexual. No senso comum é: ‘relação sexual’, ‘orgasmo’, ‘órgão genital’, ‘pênis’.”
    3. 3. Sexualidade: Termo que surgiu no século XIX, ampliando o conceito de sexo, incorporando a reflexão e o discurso sobre o seu sentido e a sua intencionalidade. É entendida atualmente como fundamental dimensão humana, como a própria vida, englobando sentimentos, relacionamentos, sensualidade, prazer, erotismo, direitos, deveres, sexo, enfim o ser humano em sua totalidade. (Caderno Educação e Sexualidade /UDESC, p.22). A sexualidade é uma dimensão exclusiva do ser humano .
    4. 4. Vasconcelos (1971) “ Educação sexual é abrir possibilidade, dar informações sobre os aspectos fisiológicos da sexualidade, mas principalmente informar sobre suas interpretações culturais e suas possibilidade significativas, permitindo uma tomada lúcida de consciência”( p.111). Ribeiro, (1990) A educação sexual - constituída pelo e nos processos culturais contínuos que, desde o nascimento, de uma forma ou de outra, direcionam os indivíduos para diferentes atitudes e comportamentos, ligados à manifestação de sua sexualidade. Essa educação é dada indiscriminadamente na família, na escola, no bairro, com os amigos, pelos meios de comunicação etc. É a própria evolução da sociedade que determina os padrões sexuais de cada época e, conseqüentemente, a educação sexual do indivíduo.
    5. 5. <ul><li>há o reflexo do nosso processo de educação sexual, na maioria das vezes repressora. </li></ul>FALAR SOBRE A SEXUALIDADE INFANTIL É DIFÍCIL PORQUÊ: Mamãe botou um ovo  os pais e professores, na maioria das vezes, procuram ignorar a sexualidade infantil porque a confundem com a sexualidade adulta;  até pouco tempo havia ausência de fundamentos científicos para análise destes comportamentos;  há falta de linguagem adequada para abordar de forma positiva estas questões; <ul><li>há a idéia de ser a criança um ser puro e assexuado; </li></ul><ul><li>há a própria dificuldade pessoal em compreender a complexidade da sexualidade humana; </li></ul>
    6. 6. <ul><li> Através da perspectiva do adulto avaliava-se a sexualidade infantil: </li></ul><ul><li>Como algumas das características </li></ul><ul><li>sexuais do adulto não estão presentes na criança (capacidade de reprodução, caracteres sexuais secundários...) logo </li></ul><ul><li>NEGAVA-SE A EXISTÊNCIA DE SEXUALIDE INFANTIL </li></ul><ul><li>E...considerava-se perversões todas as manifestações sexuais infantis; </li></ul>Dois erros da nossa cultura sobre sexualidade infantil: <ul><li> 2. Segundo erro consequência do primeiro </li></ul><ul><li>Planificava-se a educação da criança em função da sua vida adulta: </li></ul><ul><li>-Como só eram consideradas legítimas as manifestações sexuais em função da reprodução, isto é dentro do casamento... </li></ul><ul><li>O QUE SE FAZIA ERA PRESERVAR A CRIANÇA DE QUALQUER POSSÍVEL INTERESSE SEXUAL. </li></ul>
    7. 7. ALGUMS DAS CARACTERÍSTICAS DA SEXUALIDADE INFANTIL Dos 0 aos 2 anos  Nesta fase a sexualidade é vivida e desenvolve-se: - Na relação com as sensações corporais, - E em interação com as figuras de apego;  Seu desenvolvimento começa com o contato físico quando os bebês são segurados e acariciados;  A evolução sexual depende da forma como a criança vivência e resolve: -As imposições sociais cada vez mais exigentes a que é submetida, - Os inevitáveis problemas de ciúmes;  O controle esfincteriano faz parte deste processo: geralmente demasiado cedo, não partindo dos ritmos fisiológicos da criança, castigando os descuidos.
    8. 8. ALGUMS DAS CARACTERÍSTICAS DA SEXUALIDADE INFANTIL Dos 2 aos 6 anos  A d escoberta das diferenças anatômicas;  A vivência dos papéis de gênero;  A auto exploração é outra experiência fundamental para o desenvolvimento de uma sexualidade saudável;  Os jogos sexuais: brincadeiras “de médico” onde trocam experiências com outras crianças;  Através da imitação do comportamento dos adultos: namoros, roupas etc;  Iniciam-se as perguntas: de onde vêm os bebês, por que sou diferente dos /as meninos /as etc?
    9. 9. Até aos 2 anos todas as crianças reconhecem os papéis sexuais e auto classificam-se; A partir dos 3 anos já utilizam a sua identidade para recusarem ou aceitarem alguma atividade; Começa e irá continuar a comportar-se como o que é socialmente esperado. Dos 3 aos 5 anos começam a adaptar-se à moral sexual dos adultos e a tentar controlar o seu comportamento de acordo com as normas dos adultos; Neste período de transição o justo e o injusto, o bom e o mal são o que os adultos consideram como tal; O juízo moral é exterior às crianças e tem origem na autoridade do adulto. Dos 5 aos 7 anos acabam por interiorizar a moral sexual dos adultos; Estas normas assimiladas são vistas como imutáveis e universais e são reflexo da moral sexual das pessoas do seu meio familiar e social. ALGUMS DAS CARACTERÍSTICAS DA SEXUALIDADE INFANTIL
    10. 10. Dos 6 aos 10 anos AQUISIÇÕES A NÍVEL DA SEXUALIDADE  Identidade e papel sexual;  Aquisição da permanência da identidade sexual e do gênero;  Distinção da identidade sexual e de gênero;  Interiorização da moral sexual;  A sociedade através dos agentes socializantes: pais, professores,colegas, meios de comunicação,literatura infantil, conteúdos e práticas escolares: - EXERCE UM CONTROLE SEXUADO DO COMPORTAMENTO ( premiando ou castigando certas manifestações sexuais) - OFERECE UMA ESCOLARIZAÇÃO COM CONTEÚDOS SEXUAIS (ex:discriminando as meninas..)
    11. 11. - Aumenta a intimidade e a afetividade entre pais e filhos/as;professores/ as e alunos/ as; - Abre caminhos para que se possa conversar sobre tudo mais tarde e faz com que se sintam melhor preparados para entrar na adolescência; - Reduz as fantasias e ansiedades decorrentes das dúvidas não respondidas; - Previne futura gravidez não planejada e contaminações por IST/SIDA; POR QUE INICIAR NA INFÂNCIA, UM TRABALHO DE EDUCAÇÃO EM SEXUALIDADE DE FORMA INTENCIONAL??? PORQUE….
    12. 12. <ul><li>- Esclarece e ameniza alguns dos muitos mitos e preconceitos em relacionados à sexualidade; </li></ul><ul><li>- Educa para o respeito à diversidade sexual; </li></ul><ul><li>- Prepara para uma vivência sexual mais madura e prazerosa na vida adulta; </li></ul><ul><li>- Incita o respeito às diferenças de gênero; </li></ul><ul><li>- Estimula a auto estima, o respeito pelo seu corpo a pelo corpo do outro/as; </li></ul><ul><li>- Valoriza a beleza e a “sacralidade” desta tão significativa dimensão humana que é a sexualidade! </li></ul>

    ×