RoadEnergy - VCI Energia Rodoviária

520 visualizações

Publicada em

Publicada em: Negócios
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
520
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
17
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

RoadEnergy - VCI Energia Rodoviária

  1. 1. GA 2009 VCI Energia Rodoviária Project Finance | Parceria Público-Privada Artur Melo | Daniel Campos | João Nunes Direcção de Empresas | EGP-UPBS
  2. 2. FICHA TÉCNICA VCI Energia Rodoviária TítuloProject Finance | Parceria Público-Privada Sub-Título Artur Cabral Costa Benevides de Melo Autores Daniel Tiago Fraga Campos João Luís de Menezes Nunes Escola de Gestão do Porto Instituição Pós-Graduação em Direcção de Empresas Curso Project Finance | Parcerias Público-Privadas Módulo Dezembro de 2009 Data Porto, Portugal Local
  3. 3. PLANO ESTRATÉGICO DA CONSTRUÇÃO INOVAÇÃO E COMPETITIVIDADE EM PORTUGAL SUMÁRIO EXECUTIVOO presente dossier é uma iniciativa no âmbito da Pós-Graduação em Direcção deEmpresas, da responsabilidade dos autores de agora em diante designados por ADJEngenharia & Construção, que visa a apresentação de um projecto de parceriapúblico-privada junto dos potenciais parceiros do sector público – C.M. Porto eEstradas de Portugal – em regime de Project Finance. Os parceiros do sectorprivado já se encontram reunidos, tratando-se dos financiadores do projecto – BPIe BEI.A parceria público-privada designada por roadenergy consiste na concessão por 30anos da produção e exploração de energia rodoviária no itinerário complementarIC23, também designado por VCI - Via de Cintura Interna do Porto.A roadenergy tem como objectivo a conversão de energia mecânica do tráfegorodoviário em energia eléctrica rentável aliada à melhoria da eficiência energética eà segurança rodoviária, tornando-se um projecto pioneiro em Portugal.Em termos tecnológicos, o projecto integra elementos inovadores, nomeadamentegeradores piezo-eléctricos, iluminação pública LED, pavimentação de betumemodificado com borracha e sistema de gestão de tráfego inteligente.Com um investimento inicial de 35 milhões de euros, o projecto apresenta comomaior valia estruturante:> Viabilidade Económico-Financeira (VAL 61M€, TIR 18% e Payback de 12 anos)> Sem investimento e encargos para o sector público, tornando-se este accionistade 20% da empresa> Optimização dos custos de operação e manutenção rodoviária, a par de umamelhoria considerável do fluxo de tráfego rodoviário (redução de 20% docongestionamento)> Melhoria significativa da segurança rodoviária com uma redução de 60% dasinistralidade e 75% do índice de gravidade> Benefícios ambientais e de conforto, nomeadamente redução e eliminação deresíduos perigosos, reutilização de 120ton de pneus usados, redução de 20% dodesgaste dos pneus das viaturas circulantes, redução da emissão de ruído em 50%e redução da dispersão luminosa para os edifícios adjacentes em 40%> Eficiência energética, registando-se uma reutilização de 15% da energiaproduzida pelas viaturas circulantes e uma redução de 50 % dos custos de energiacom iluminação pública Artur Melo | Daniel Campos | João Nunes
  4. 4. roadenergy ))) P A R C E R I A P Ú B L I C O - P R I V A D A Porto Via Cintura Interna Produção de Energia Rodoviária Artur Melo ▪ Daniel Campos ▪ João Nunes EGP © 2009
  5. 5. Objecto A parceria público-privada designada por roadenergy consiste na concessão por 30 anos da produção e exploração de energia rodoviária no itinerário complementar IC23, também designado por VCI - Via de Cintura Interna do Porto. A roadenergy tem como objectivo a conversão de energia mecânica do tráfego rodoviário em energia eléctrica rentável aliada à melhoria da eficiência energética e à segurança rodoviária, tornando-se um projecto pioneiro em Portugal. Artur Melo | Daniel Campos | João Nunes 1
  6. 6. Project Finance SPONSORS / PROMOTORES Acordo Parassocial SECTOR PRIVADO SECTOR PÚBLICO ADJ Engenharia & Construção + C.M.Porto + Estradas de Portugal BPI + BEI 20% Accionistas 80% EMPREITEIRO GERAL PERITO TÉCNICO ADJ Engenharia & Construção INNOWATTECH + EFACEC LOAN / EMPRÉSTIMO PROJECT COMPANY LENDERS / FINANCIADORES BPI + BEI roadenergy ) ) CONTRATO DE GOVERNO REPAYMENT / ) CONCESSÃO PAGAMENTO SERVIÇOS DE OPERAÇÃO TARIFAS E MANUTENÇÃO RODOVIÁRIA USERS / UTILIZADORES EDP / UTILIZADORES UTILIZADORES ELECTRICIDADE ENERGIA RODOVIÁRIOS Artur Melo | Daniel Campos | João Nunes 2
  7. 7. Tecnologia Geradores Piezoeléctricos Sistema inovador de produção de energia renovável colocado sob o pavimento rodoviário que, à passagem de viaturas, converte a deformação mecânica visco-elástica do pavimento betuminoso em energia eléctrica. Quanto maior a carga e a velocidade de passagem da viatura, maior a energia produzida. Capacidade Média de Produção: 0,07kW.h por viatura e quilómetro. P V >Ver Video or Gerad Artur Melo | Daniel Campos | João Nunes 3
  8. 8. Tecnologia Iluminação Pública LED Redução de 50% do consumo energético Aumento do tempo de vida útil (15anos) Redução dos custos de manutenção Eliminação de resíduos perigosos (não contém mercúrio) Redução de perdas e melhoria da eficiência da intensidade luminosa produzida Redução da dispersão luminosa para os edifícios adjacentes em 40% Sem tempo de arranque inicial Artur Melo | Daniel Campos | João Nunes 4
  9. 9. Tecnologia Pavimento de Betume Modificado c/ Borracha Benefícios Ambientais • Reciclagem de pneus usados • Redução do ruído na circulação (-6dB): eliminação de barreiras acústicas Melhoria da Segurança rodoviária • Aumento da aderência pneu-pavimento • Aumento da drenagem das águas • Redução do efeito spray Redução de Custos de Manutenção • Aumento da resistência à fadiga • Diminuição da susceptibilidade à temperatura • Aumento do período de vida útil (20anos) Artur Melo | Daniel Campos | João Nunes 5
  10. 10. Tecnologia Sistema de Gestão de Tráfego Monitorização de Velocidade e Congestionamento de Tráfego em toda a extensão da VCI Pesagem em Movimento em toda a extensão da VCI Classificação e Contagem de Tráfego Sinalização Variável Detecção Automática de Incidentes Detecção de veículos em sentido contrário Estações Meteorológicas Medição de visibilidade Medição de teor de concentração de gases poluentes Artur Melo | Daniel Campos | João Nunes 6
  11. 11. VCI ▪ Caracterização Extensão de 10km 2 faixas rodoviárias x 3 vias de circulação 230 mil viaturas por dia (das quais150 mil viaturas efectuam percurso completo) 5% de crescimento anual do tráfego Potencial de produção de energia rodoviária de 25.000 MW.h/ano (246 dias de produção) Artur Melo | Daniel Campos | João Nunes 7
  12. 12. Gestão de Risco Riscos a assumir pelo Sector Público Aprovações Ambientais Licenciamentos Autárquicos Situações de Força Maior Risco Fiscal (tributação sobre os lucros) Decisões de carácter público que alterem a procura Riscos a assumir pelos Parceiros Privados Concepção do projecto Desenvolvimento Risco de Construção (sobrecustos, incumprimento de prazos, etc.) Risco de Financiamento, incluindo os de variação de taxa de juro Risco de Procura, excepto resultantes de decisões do sector público (novas vias alternativas, novos serviços, etc.) Risco de Disponibilidade Risco associado à Qualidade do Serviço Alterações Legislativas de carácter geral, excepto tributação sobre os lucros Alterações Ambientais Riscos de Exploração e Manutenção Riscos de Evolução Tecnológica Artur Melo | Daniel Campos | João Nunes 8
  13. 13. Análise Economico-Financeira Investimento Inicial Equipamento de energia rodoviária 31.200.000€ Pavimentação 2.200.000€ Equipamento de Gestão de Tráfego 1.000.000€ Equipamento de Iluminação 250.000€ Custos Operação e Manutenção 1.040.000€/ano Energia Iluminação Pública 73.000€/ano Repavimentação 1.100.000€/5anos Troca de Equipamento de Iluminação 125.000€/15anos Encargos Financeiros 3.465.000€/ano (Taxa Juro Anual 10%) Receitas Produção de Energia Eléctrica Rodoviária 7.750.000€/ano (0,30€/KW.h) AVALIAÇÃO Valor Actualizado Líquido do Projecto VAL= 61.000.000€ Taxa Interna de Rentabilidade ajustada TIR= 18% Payback actualizado = 12 anos Artur Melo | Daniel Campos | João Nunes 9
  14. 14. Conclusão ▪ Mais Valias Económico-Financeira Investimento atractivo, com retorno elevado A VCI deixa de ser uma fonte de despesa, tornando-se numa fonte de receita Sem investimento e encargos para o sector público Redução de 50% dos custos de operação e manutenção da via Segurança Rodoviária Redução de 60% da sinistralidade Redução de 75% no índice de gravidade acidental Melhoria significativa da gestão de tráfego Melhoria significativa dos comportamentos de condução Ambiente e Conforto Redução e eliminação de resíduos perigosos Reutilização de 120ton de pneus usados Redução de 20% do desgaste dos pneus das viaturas circulantes Redução da emissão de ruído em 50% Redução da dispersão luminosa para os edifícios adjacentes em 40% Eficiência Energética Reutilização de 15% da energia produzida pelas viaturas circulantes Redução de 50 % dos custos de energia com iluminação pública Artur Melo | Daniel Campos | João Nunes 10
  15. 15. GA EGP © 2009

×