Lição 2 A Necessidade dos Gentios Revista Justiça e Graça

1.102 visualizações

Publicada em

Escola Bíblica Dominical CPAD Jovens 1 Trimestre 2016 Lição 2 A Necessidade dos Gentios

Publicada em: Espiritual
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.102
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
28
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Lição 2 A Necessidade dos Gentios Revista Justiça e Graça

  1. 1. A Necessidade dos Gentios 1º Trimestre de 2016 Lição 2
  2. 2. TEXTO DO DIA “ “[...] os quais, conhecendo a justiça de Deus (que são dignos de morte os que tais coisas praticam), não somente as fazem, mas também consentem aos que as fazem” (Rm 1.32).
  3. 3. SÍNTESE A obra da criação revela o conhecimento natural e racional de Deus. Por isso, o ser humano não tem como alegar desconhecer a existência de Deus.
  4. 4. OBJETIVOS RECONHECER que o conhecimento natural e racional de Deus não é suficiente para a salvação; CONSCIENTIZAR de que a idolatria (desprezo pela glória de Deus) induz o ser humano à perversão; RECONHECER que somente o conhecimento experiencial de Deus liberta da ira do Todo-Poderoso.
  5. 5. TEXTO BÍBLICO Romanos 1:18-27. 18 — Porque do céu se manifesta a ira de Deus sobre toda impiedade e injustiça dos homens que detêm a verdade em injustiça; 19 — porquanto o que de Deus se pode conhecer neles se manifesta, porque Deus lho manifestou. 20 — Porque as suas coisas invisíveis, desde a criação do mundo, tanto o seu eterno poder como a sua divindade, se entendem e claramente se veem pelas coisas que estão criadas, para que eles fiquem inescusáveis; 21— porquanto, tendo conhecido a Deus, não o glorificaram como Deus, nem lhe deram graças; antes, em seus discursos se desvaneceram, e o seu coração insensato se obscureceu. 22 — Dizendo-se sábios, tornaram-se loucos. 23 — E mudaram a glória do Deus incorruptível em semelhança da imagem de homem corruptível, e de aves, e de quadrúpedes, e de répteis. 24 — Pelo que também Deus os entregou às concupiscências do seu coração, à imundícia, para desonrarem o seu corpo entre si; 25 — pois mudaram a verdade de Deus em mentira e honraram e serviram mais a criatura do que o criador, que é bendito eternamente. Amém! 26 — Pelo que Deus os abandonou às paixões infames. Porque até as suas mulheres mudaram o uso natural, no contrário a natureza. 27 — E, semelhantemente, também os varões, deixando o uso natural da mulher, se inflamaram em sua sensualidade uns para com os outros, varão com varão, cometendo torpeza e recebendo em si mesmos a recompensa que convinha ao seu erro .
  6. 6. INTRODUÇÃO Nesta lição, Paulo evidencia algumas necessidades dos gentios: reconhecer que o conhecimento natural e racional não é suficiente para salvação; reconhecer a glória de Deus e ser-lhe grato; e ter um conhecimento experiencial com Deus, único que liberta da ira divina sobre o pecado.
  7. 7. I. CONHECIMENTO DE DEUS PARA SALVAÇÃO 1. As injustiças provocam a ira de Deus
  8. 8. 2. O conhecimento natural e racional não liberta da ira de Deus. I. CONHECIMENTO DE DEUS PARA SALVAÇÃO
  9. 9. 3. A falta de conhecimento experiencial de Deus é indesculpável. I. CONHECIMENTO DE DEUS PARA SALVAÇÃO
  10. 10. PENSE! Romanos demonstra que o Evangelho revela a justiça de Deus por meio da fé, porém também evidencia a ira de Deus sobre o pecado.
  11. 11. PONTO IMPORTANTE! Quando a Bíblia menciona a necessidade do conhecimento de Deus, não é o conhecimento teórico, mas o conhecimento experiencial, isto é, conhecer sobre Deus com Ele.
  12. 12. II. RECONHECIMENTO DA GLÓRIA DE DEUS 1. A falta do reconhecimento da glória de Deus induz a ingratidão.
  13. 13. 2. O antropocentrismo ambiciona transformar a Glória de Deus em objeto. II. RECONHECIMENTO DA GLÓRIA DE DEUS
  14. 14. 3. O antropocentrismo perverte o plano original para a sexualidade. II. RECONHECIMENTO DA GLÓRIA DE DEUS
  15. 15. PENSE! O ser humano que não se entrega à vontade de Deus, o criador o entrega à sua própria vontade.
  16. 16. PONTO IMPORTANTE! A idolatria ocorre quando colocamos outras prioridades antes de Deus.
  17. 17. III. O CONHECIMENTO EXPERIENCIAL QUE LIBERTA DO PODER DO PECADO 1. O desprezo pelo conhecimento experiencial de Deus conduz à perversidade.
  18. 18. 2. O desprezo pelo conhecimento experiencial de Deus torna o ser humano irreconciliável. III. O CONHECIMENTO EXPERIENCIAL QUE LIBERTA DO PODER DO PECADO
  19. 19. PENSE! “O que me preocupa não é nem o grito dos corruptos, dos violentos, dos desonestos, dos sem caráter, dos sem ética... O que me preocupa é o silêncio dos bons” (Matin Luther King Júnior).
  20. 20. PONTO IMPORTANTE! Todas as pessoas estão sujeitas ao erro e ao pecado, mas aquelas que se submetem a Deus e se importam com a sua vontade, dão ouvido ao Espírito Santo e não se comprazem na vida do pecado.
  21. 21. PONTO IMPORTANTE! Quando as pessoas não reconhecem Deus como único Absoluto, acabam por substituí-lo por coisas(status social, cargo ministerial, bens, entre outros) ou pessoas.
  22. 22. CONCLUSÃO Nesta lição nos aprendemos que: 1) a criação é uma prova evidente da existência de Deus, o ser soberano que se ira contra as práticas de injustiça. 2) para não ser consumido pela ira deste Deus é preciso ter um conhecimento experiencial de Deus, pois o conhecimento natural e racional não é suficiente para salvação. 3) o apóstolo adverte-nos que não é suficiente não cometer práticas de injustiças, mas também não ser conivente com elas (pecado de omissão).
  23. 23. HORA DA REVISÃO 1. De acordo com a lição, algumas pessoas afirmam que a expressão “Deus é amor” é conflitante com a expressão “Deus é justiça”. De acordo com a lição estas expressões são contraditórias? As expressões “Deus é amor” e “Deus é justiça” não são contraditórias, pois um Deus de Amor deve proteger os injustiçados por meio da justiça. 2. As igrejas evangélicas não possuem em seus templos imagens de esculturas. Esta atitude garante a ausência de idolatria na igreja? O fato de não termos imagens de escultura em nossas igrejas não garante a ausência de idolatria, pois a idolatria é tudo aquilo que você coloca no lugar, ou antes, de Deus. 3. Os cristãos evangélicos afirmam que a Bíblia condena a relação entre pessoas do mesmo sexo. Qual a base bíblica no Novo Testamento para tal afirmação? A base bíblica está na afirmação do apóstolo Paulo em Romanos 1.26,27: “Pelo que Deus os abandonou às paixões infames. Porque até as suas mulheres mudaram o uso natural, no contrário à natureza. E, semelhantemente, também os varões, deixando o uso natural da mulher, se inflamaram em sua sensualidade uns para com os outros, varão com varão, cometendo torpeza e recebendo em si mesmos a recompensa que convinha ao seu erro”. 4. De acordo com a lição, quando uma pessoa pode se tornar irreconciliável com Deus? A pessoa que se entrega à perversidade e não dá ouvidos ao Espírito Santo, o meio que Deus proveu para nos convencer do pecado, da justiça e do juízo (Jo 16.8-11) se torna “irreconciliável”, pois rejeita o único meio de se religar com Deus. 5. Segundo a lição, o apóstolo Paulo afirma ser suficiente não praticar a injustiça? Não. O apóstolo ensina que consentir com a injustiça também se constitui uma prática injusta.

×