PREFEITURA MUNICIPAL DE CAMPO GRANDE SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO SUPERINTENDÊNCIA DE GESTÃO E POLÍTICAS EDUCACIONAIS ...
? ? AVALIAÇÃO ALUNO    EDUCADOR ALUNO    ALUNO REGISTROS E AÇÕES AÇÕES PEDAGÓGICAS O QUE AVALIAR? PORQUE AVALIAR?
"Avaliação da aprendizagem na escola: investigação e intervenção" o conhecimento é "(...) um modo de desven...
"Lembramos, por fim, que o ato de avaliar, tendo como característica a investigação e, se necessário, a consequente i...
COMUTATIVIDADE DE FATORES DA AVALIAÇÃO PESQUISA CONHECIMENTO ESPAÇOS INTERATIVOS AFETIVIDADE REFLEXÃO RECONSTRUÇÃO MEIOS D...
Ao educador  cabe a ação contínua da avaliação, é o sujeito que mediante constantes interações e observações poderá interv...
Todos os dias, todas as horas e na dinâmica própria das salas de aula se fazem espontaneamente presentes os três tempos da...
Nós como educadores  não podemos fugir a discussão constante de nossa prática , dela depende o aprendizado de nossos aluno...
Conhecer novas dinâmicas de interação desencadeia conhecer novos mecanismos de avaliação,  nossos alunos não são os mesmos...
No contexto de um  aluno autor , requer um  educador autor . Autor em atividades de interação que possibilitem aprendizado...
HOFFMANN, Jussara.  O jogo do contrário em avaliação - Avaliação formativa ou avaliação mediadora?  Porto Alegre, RS: Medi...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Avaliação

7.377 visualizações

Publicada em

Estudo realizado no curso AVA-SEMED/MS

Publicada em: Educação
0 comentários
4 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
7.377
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
157
Comentários
0
Gostaram
4
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Avaliação

  1. 1. PREFEITURA MUNICIPAL DE CAMPO GRANDE SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO SUPERINTENDÊNCIA DE GESTÃO E POLÍTICAS EDUCACIONAIS DIVISÃO DE TECNOLOGIA EDUCACIONAL A AVALIAÇÃO DA APRENDIZAGEM COMO PROCESSO CONSTRUTIVO DO ALUNO AUTOR PCTE DEISE XAVIER MEDIADORA NEILA ANDRADE
  2. 2. ? ? AVALIAÇÃO ALUNO  EDUCADOR ALUNO  ALUNO REGISTROS E AÇÕES AÇÕES PEDAGÓGICAS O QUE AVALIAR? PORQUE AVALIAR?
  3. 3. "Avaliação da aprendizagem na escola: investigação e intervenção" o conhecimento é "(...) um modo de desvendar a realidade que oferece suporte a uma intervenção eficiente (tecnologia) (...)" LUCKESI (2011)
  4. 4. "Lembramos, por fim, que o ato de avaliar, tendo como característica a investigação e, se necessário, a consequente intervenção, estabelece uma ponte entre seu modo de ser e o modo de agir da ciência e da tecnologia." LUCKESI (2011)
  5. 5. COMUTATIVIDADE DE FATORES DA AVALIAÇÃO PESQUISA CONHECIMENTO ESPAÇOS INTERATIVOS AFETIVIDADE REFLEXÃO RECONSTRUÇÃO MEIOS DE APRENDIZAGEM TECNOLOGIA ESTÍMULOS MEIOS SOCIAIS
  6. 6. Ao educador cabe a ação contínua da avaliação, é o sujeito que mediante constantes interações e observações poderá intervir no processo a qualquer momento, redirecionando-o e adequando-o as necessidades dos alunos durante a ocorrência do processo. Para avaliarmos neste ambiente de interação e construção, o educador precisa dispor de proximidade real com o educando, observando-o, analisando suas colocações, suas dúvidas e seus saberes para que possa assim, intervir e redirecionar a prática para que todos possam aprender.
  7. 7. Todos os dias, todas as horas e na dinâmica própria das salas de aula se fazem espontaneamente presentes os três tempos da avaliação mediadora: 1. tempo da admiração; 2. O tempo da reflexão; 3. O tempo da reconstrução das práticas avaliativas. JUSSARA HOFFMAN
  8. 8. Nós como educadores não podemos fugir a discussão constante de nossa prática , dela depende o aprendizado de nossos alunos, a evolução de meios de aprendizagem, a valorização do trabalho em sala de aula, além de que a troca de experiências enriquece o trabalho do professor.
  9. 9. Conhecer novas dinâmicas de interação desencadeia conhecer novos mecanismos de avaliação, nossos alunos não são os mesmos de todos os anos , é preciso considerar as questões sociais, políticas e afetivas.
  10. 10. No contexto de um aluno autor , requer um educador autor . Autor em atividades de interação que possibilitem aprendizado e consequentemente, autor em processos de avaliação para estas diferentes interações .
  11. 11. HOFFMANN, Jussara. O jogo do contrário em avaliação - Avaliação formativa ou avaliação mediadora? Porto Alegre, RS: Mediação, 2005.   LUCKESI, Cipriano Carlos. Avaliação da aprendizagem componente do ato pedagógico – Avaliação da aprendizagem na escola: investigação e intervenção. 1 a edição – São Paulo, SP: Cortez, 2011.   JANSSEN, Felipe da Silva; Hoffman, Jussara; Esteban, Maria Teresa. Práticas avaliativas e aprendizagens significativas: em diferentes áreas do currículo – INTRODUÇÃO: Avaliação do ensino e da aprendizagem numa perspectiva formativa reguladora. Porto Alegre, RS: Mediação, 2003.     BIBLIOGRAFIA

×