Objetivo Geral <ul><li>O objetivo do estudo é analisar a possibilidade de criação de uma rede de desenvolvimento integrado...
Objetivos Específicos <ul><li>Identificar a potencialidade ecoturística da região de Xingó:  </li></ul><ul><li>Analisar a ...
Apresentação da Região <ul><li>Semi-árido </li></ul><ul><li>Rio São Francisco </li></ul><ul><li>Região dos Lagos do Rio Sã...
Localização da Região de Xingó Fonte: IBGE (2001)
Metodologia <ul><li>Revisão bibliográfica </li></ul><ul><li>Visitas técnicas </li></ul><ul><li>Entrevistas </li></ul><ul><...
<ul><li>Segundo CMMAD (1997), turismo sustentável é: </li></ul><ul><li>[...] um processo de transformação no qual a explor...
Ecoturismo <ul><li>Segundo a Embratur (1994), ecoturismo é: </li></ul><ul><li>Um segmento da atividade turística que utili...
Redes <ul><li>Segundo Castells (2003): </li></ul><ul><li>Uma estrutura social com base em redes é um sistema aberto altame...
Arranjos Produtivos Locais - APLs <ul><li>Segundo Porter (2000): </li></ul><ul><li>Os Arranjos Produtivos Locais ou Sistem...
Anéis concêntricos do Arranjo Produtivo Turístico Fonte: Adaptado de Barbosa e Zamboni (2000)
Evolução do processo de formação de um Arranjo Produtivo Local Fonte: Adaptado de Thomazi  apud  Athayde (2006)
Análise Socioeconômica <ul><li>Educação </li></ul><ul><li>Saneamento </li></ul><ul><li>Setores da Economia </li></ul>
Análise Turística <ul><li>Potencialidades </li></ul><ul><ul><li>Atrativos Naturais; </li></ul></ul><ul><ul><li>Atrativos C...
Vias de acesso Foto: Dyego Vasconcelos
Rio São Francisco Foto: Dyego Vasconcelos
Lago próximo à Usina Angiquinho – Delmiro Gouveia Foto: Dyego Vasconcelos
Vias de acesso para a Marina do Talhado – Olho D`água do Casado  Foto: Dyego Vasconcelos
Marina do Talhado - Olho D`água do Casado  Foto: Dyego Vasconcelos
Prainha - Piranhas Foto: Dyego Vasconcelos
Piranhas  Foto: Roberto Vieira
Pinturas rupestres Foto: Inventário Turístico da Região dos Lagos do Rio São Francisco
Grota do Angico – Poço Redondo Foto: Inventário Turístico da Região dos Lagos do Rio São Francisco
Conjunto arquitetônico da antiga estação de trem de Piranhas Foto: Moto Tour
<ul><li>Infra-estrutura turística </li></ul><ul><ul><li>Meios de Hospedagem; </li></ul></ul><ul><ul><li>Alimentação e Entr...
Meios de Hospedagem * Unidade Habitacional Fonte: Inventário Turístico da Região dos Lagos do Rio São Francisco. 704 323 1...
Alimentação e Entretenimento Fonte: Inventário Turístico da Região dos Lagos do Rio São Francisco. 47 Total 04 Poço Redond...
Fonte: Inventário Turístico da Região dos Lagos do Rio São Francisco. Infra-estrutura de Apoio
Fonte: Inventário Turístico da Região dos Lagos do Rio São Francisco. Equipamentos e Serviços Turísticos
Políticas em Operação <ul><li>Plantur – 1991 </li></ul><ul><li>PNMT – 1992 </li></ul><ul><li>PNT – 2003 </li></ul><ul><li>...
Programas, Projetos e Ações em Desenvolvimento <ul><li>Chesf </li></ul><ul><li>Instituto Xingó </li></ul><ul><li>CODEVASF ...
Elementos do APL Turístico da Região de Xingó Fonte: Adaptado de Barbosa e Zamboni (2001) <ul><li>Rio São Francisco </li><...
Abrangência dos atrativos turísticos da Região de Xingó. Fonte: Adaptado da Publicação da CHESF sobre as potencialidades t...
Percentual de abrangência dos atrativos turísticos da Região de Xingó.  (percentual do número total de municípios da Regiã...
Diagnóstico da intensidade dos elementos de composição de um Arranjo Produtivo Turístico em Xingó Fonte: Adaptado de Thoma...
Ações Estruturadoras do Arranjo Produtivo Turístico em Xingó <ul><li>Capacitação </li></ul><ul><li>Aproveitar mão-de-obra ...
Considerações Finais <ul><li>Principais deficiências: </li></ul><ul><ul><li>Falta de articulação entre os  atores envolvid...
Obrigado!
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Ecoturismo em Xingo: Analise de Turismo Integrado baseada na dinamica dos Arranjos Produtivos Locais - APL

3.546 visualizações

Publicada em

Apresentacao de monografia

0 comentários
2 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
3.546
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
73
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
0
Gostaram
2
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Ecoturismo em Xingo: Analise de Turismo Integrado baseada na dinamica dos Arranjos Produtivos Locais - APL

  1. 2. Objetivo Geral <ul><li>O objetivo do estudo é analisar a possibilidade de criação de uma rede de desenvolvimento integrado para a Região de Xingó, que se baseie nos Arranjos Produtivos Locais (APL) existentes em áreas direta ou indiretamente ligadas ao Ecoturismo, à luz de fenômenos que buscam identificar concentrações geográficas de atividades econômicas voltadas para a sustentabilidade com base local. </li></ul>
  2. 3. Objetivos Específicos <ul><li>Identificar a potencialidade ecoturística da região de Xingó: </li></ul><ul><li>Analisar a dinâmica dos Arranjos Produtivos Locais (APL’s) entre os cinco municípios que compõem a região de Xingó; </li></ul><ul><li>Identificar ações, propostas e programas em desenvolvimento no turismo para a região de Xingó </li></ul><ul><li>Apontar o estágio de desenvolvimento do Arranjo Produtivo Turístico em Xingó; </li></ul><ul><li>Identificar as principais deficiências do desenvolvimento integrado da atividade turística em Xingó; </li></ul><ul><li>Sugerir ações mitigadoras baseadas na dinâmica de desenvolvimento dos Arranjos Produtivos Locais (APLs). </li></ul>
  3. 4. Apresentação da Região <ul><li>Semi-árido </li></ul><ul><li>Rio São Francisco </li></ul><ul><li>Região dos Lagos do Rio São Francisco </li></ul><ul><li>Região de Xingó </li></ul>
  4. 5. Localização da Região de Xingó Fonte: IBGE (2001)
  5. 6. Metodologia <ul><li>Revisão bibliográfica </li></ul><ul><li>Visitas técnicas </li></ul><ul><li>Entrevistas </li></ul><ul><li>Registro fotográfico </li></ul><ul><li>Pesquisas na internet </li></ul>
  6. 7. <ul><li>Segundo CMMAD (1997), turismo sustentável é: </li></ul><ul><li>[...] um processo de transformação no qual a exploração dos recursos, a direção dos investimentos, a orientação da evolução tecnológica e a mudança institucional se harmonizam e reforçam o potencial presente e futuro, a fim de atender às necessidades e aspirações humanas. </li></ul>Turismo Sustentável
  7. 8. Ecoturismo <ul><li>Segundo a Embratur (1994), ecoturismo é: </li></ul><ul><li>Um segmento da atividade turística que utiliza, de forma sustentável, o patrimônio natural e cultural, incentiva sua conservação e busca a formação de uma consciência ambientalista através da interpretação do ambiente, promovendo o bem-estar das populações. </li></ul>
  8. 9. Redes <ul><li>Segundo Castells (2003): </li></ul><ul><li>Uma estrutura social com base em redes é um sistema aberto altamente dinâmico suscetível de inovação sem ameaças ao seu equilíbrio. Redes são instrumentos apropriados para a economia capitalista baseada na inovação, globalização e concentração descentralizada; para o trabalho, trabalhadores e empresas voltadas para a flexibilidade e a adaptabilidade; para uma cultura de desconstrução e reconstrução contínuas; para uma política destinada ao processamento instantâneo de novos valores e humores públicos; e para uma organização social que vise a suplantação do espaço e a invalidação do tempo. </li></ul>
  9. 10. Arranjos Produtivos Locais - APLs <ul><li>Segundo Porter (2000): </li></ul><ul><li>Os Arranjos Produtivos Locais ou Sistemas Produtivos Locais são identificados como aglomerados de atividades produtivas, de diversos setores da economia nacional, compostos por instituições públicas e privadas de elevado grau de afinidade econômica e operacional em prol da construção de uma eficiência coletiva. </li></ul>
  10. 11. Anéis concêntricos do Arranjo Produtivo Turístico Fonte: Adaptado de Barbosa e Zamboni (2000)
  11. 12. Evolução do processo de formação de um Arranjo Produtivo Local Fonte: Adaptado de Thomazi apud Athayde (2006)
  12. 13. Análise Socioeconômica <ul><li>Educação </li></ul><ul><li>Saneamento </li></ul><ul><li>Setores da Economia </li></ul>
  13. 14. Análise Turística <ul><li>Potencialidades </li></ul><ul><ul><li>Atrativos Naturais; </li></ul></ul><ul><ul><li>Atrativos Culturais. </li></ul></ul>
  14. 15. Vias de acesso Foto: Dyego Vasconcelos
  15. 16. Rio São Francisco Foto: Dyego Vasconcelos
  16. 17. Lago próximo à Usina Angiquinho – Delmiro Gouveia Foto: Dyego Vasconcelos
  17. 18. Vias de acesso para a Marina do Talhado – Olho D`água do Casado Foto: Dyego Vasconcelos
  18. 19. Marina do Talhado - Olho D`água do Casado Foto: Dyego Vasconcelos
  19. 20. Prainha - Piranhas Foto: Dyego Vasconcelos
  20. 21. Piranhas Foto: Roberto Vieira
  21. 22. Pinturas rupestres Foto: Inventário Turístico da Região dos Lagos do Rio São Francisco
  22. 23. Grota do Angico – Poço Redondo Foto: Inventário Turístico da Região dos Lagos do Rio São Francisco
  23. 24. Conjunto arquitetônico da antiga estação de trem de Piranhas Foto: Moto Tour
  24. 25. <ul><li>Infra-estrutura turística </li></ul><ul><ul><li>Meios de Hospedagem; </li></ul></ul><ul><ul><li>Alimentação e Entretenimento; </li></ul></ul><ul><ul><li>Infra-estrutura de Apoio; </li></ul></ul><ul><ul><li>Equipamentos e Serviços Turísticos. </li></ul></ul>Análise Turística
  25. 26. Meios de Hospedagem * Unidade Habitacional Fonte: Inventário Turístico da Região dos Lagos do Rio São Francisco. 704 323 18 Total 22 09 01 Poço Redondo – SE 243 97 07 Piranhas – AL - - - Olho D’água do Casado – AL 234 132 07 Delmiro Gouveia – AL 205 85 03 Canindé do São Francisco – SE Leitos UH’s* Quantidade Cidade
  26. 27. Alimentação e Entretenimento Fonte: Inventário Turístico da Região dos Lagos do Rio São Francisco. 47 Total 04 Poço Redondo – SE 11 Piranhas – AL 03 Olho D’água do Casado – AL 23 Delmiro Gouveia – AL 06 Canindé do São Francisco - SE Quantidade Cidade
  27. 28. Fonte: Inventário Turístico da Região dos Lagos do Rio São Francisco. Infra-estrutura de Apoio
  28. 29. Fonte: Inventário Turístico da Região dos Lagos do Rio São Francisco. Equipamentos e Serviços Turísticos
  29. 30. Políticas em Operação <ul><li>Plantur – 1991 </li></ul><ul><li>PNMT – 1992 </li></ul><ul><li>PNT – 2003 </li></ul><ul><li>PRT – Roteiros do Brasil – 2004 </li></ul><ul><li>PNE – 1994 </li></ul><ul><li>Programa de Revitalização e Integração do Rio São Francisco – 2005 </li></ul>
  30. 31. Programas, Projetos e Ações em Desenvolvimento <ul><li>Chesf </li></ul><ul><li>Instituto Xingó </li></ul><ul><li>CODEVASF </li></ul><ul><li>Fóruns DLIS </li></ul><ul><li>APA e PARNA </li></ul><ul><li>Plano Diretor da Região de Xingó </li></ul>
  31. 32. Elementos do APL Turístico da Região de Xingó Fonte: Adaptado de Barbosa e Zamboni (2001) <ul><li>Rio São Francisco </li></ul><ul><li>Reservas Florestais e Trilhas ecológicas </li></ul><ul><li>Passeios fluviais </li></ul><ul><li>UHX </li></ul><ul><li>Patrimônio Histórico de relevância </li></ul><ul><li>Sítios arqueológicos </li></ul><ul><li>Gastronomia diferenciada </li></ul><ul><li>Poucos hotéis e pousadas </li></ul><ul><li>Bares e restaurantes </li></ul><ul><li>Guias </li></ul><ul><li>Agências de receptivo </li></ul><ul><li>Prefeituras municipais </li></ul><ul><li>Fóruns de Desenvolvimento Local Integrado </li></ul><ul><li>Chesf </li></ul><ul><li>Instituto Xingó </li></ul><ul><li>MAX </li></ul><ul><li>CODEVASF </li></ul><ul><li>CNPq </li></ul><ul><li>Sebrae </li></ul><ul><li>Ministérios: Turismo, Meio Ambiente, Minas e Energia, Integração Nacional </li></ul><ul><li>Universidades </li></ul><ul><li>Região de influência da UHX </li></ul><ul><li>Rio São Francisco </li></ul><ul><li>Centros urbanos </li></ul><ul><li>Área de confluência de 4 estados nordestinos </li></ul>Atrativos Turísticos Infra-estrutura turística Instituições de Apoio Local Instituições de Apoio Supra-local Ambiente
  32. 33. Abrangência dos atrativos turísticos da Região de Xingó. Fonte: Adaptado da Publicação da CHESF sobre as potencialidades turísticas na Região dos Lagos.
  33. 34. Percentual de abrangência dos atrativos turísticos da Região de Xingó. (percentual do número total de municípios da Região) Fonte: Adaptado da Publicação da Chesf sobre as potencialidades turísticas na Região dos Lagos Gastronomia diferenciada S ítios arqueológicos Patrim ônio Histórico de relevância UHX Passeios fluviais Reservas florestais e trilhas ecol ógicas Rio S ão Francisco
  34. 35. Diagnóstico da intensidade dos elementos de composição de um Arranjo Produtivo Turístico em Xingó Fonte: Adaptado de Thomazi (2006).
  35. 36. Ações Estruturadoras do Arranjo Produtivo Turístico em Xingó <ul><li>Capacitação </li></ul><ul><li>Aproveitar mão-de-obra local </li></ul><ul><li>Estimular parcerias com entidades de ensino profissionalizan-te </li></ul><ul><li>Envolver as esferas federal e estadual </li></ul><ul><li>Utilizar expertise de instituições no processo de desenvolvimento do Turismo em Xingó </li></ul><ul><li>Mitigar sobreposição de ações </li></ul><ul><li>Estimular produção científica </li></ul><ul><li>Priorizar a atividade turística </li></ul><ul><li>Desenvolvi-mento com base local </li></ul><ul><li>Cooperativis-mo </li></ul><ul><li>Retomada dos fóruns </li></ul><ul><li>Estimular a abertura (consciente) de novos empreendi-mentos </li></ul><ul><li>Qualificação na prestação do serviço </li></ul><ul><li>Estruturas turísticas básicas </li></ul><ul><li>Levantar potencialidades </li></ul><ul><li>Diagnosticar ícones da cultura local </li></ul><ul><li>Estudo de capacidade de carga </li></ul><ul><li>Melhorias estruturais </li></ul><ul><li>Estimular a promoção </li></ul><ul><li>Analisar os ambientes rural e urbano </li></ul><ul><li>Melhorar as estruturas de acesso </li></ul>Mão-de-obra Instituições de Apoio Supra-local Instituições de Apoio Local Infra-estrutura Atrativos Ambiente
  36. 37. Considerações Finais <ul><li>Principais deficiências: </li></ul><ul><ul><li>Falta de articulação entre os atores envolvidos; </li></ul></ul><ul><ul><li>Falta de mão-de-obra especializada; </li></ul></ul><ul><ul><li>Falta de estruturação dos empreendimentos; </li></ul></ul><ul><ul><li>Falta envolvimento da comunidade; </li></ul></ul><ul><ul><li>Hoje, inexiste um fórum. </li></ul></ul><ul><li>Principais pontos positivos: </li></ul><ul><ul><li>Rica diversidade; </li></ul></ul><ul><ul><li>Predisposição ao desenvolvimento integrado por se tratar de uma região com características complementares; </li></ul></ul><ul><ul><li>Predisposição à roteirização; </li></ul></ul><ul><ul><li>Estruturação de um APL – estágio de Pré-arranjo. </li></ul></ul>
  37. 38. Obrigado!

×