Luxação da Patela

2.637 visualizações

Publicada em

Aula a respeito da luxação da patela e seu tratamento.
Luxação aguda da patela.
Instabilidade da patela.
Dr. David Sadigusrky

Publicada em: Saúde e medicina
0 comentários
8 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
2.637
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
5
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
0
Gostaram
8
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide
  • T. grácil duplo = Mais resistente que o ligamento original
    A propriedade do enxerto não prejudica a reconstrução qdo anatomicamente posicionado
  • Luxação da Patela

    1. 1. David Sadigursky M.D. MSc
    2. 2. CHEFE DO SERVIÇO HMV DR. DANIEL ALENCAR COORDENAÇÃO DA RESIDÊNCIA EM ORTOPEDIA E TRAUMATOLOGIA DR. MATEUS AZI
    3. 3. Chefe do Serviço de Cirurgia e Ortopedia do HUPES / UFBA Prof. Dr. Gildásio Daltro Chefe da residência em Ortopedia e Traumatologia do HUPES Dr. Alex Guedes Cirurgia do Joelho - Hospital das Clínicas Dr. Marcio P. Leandro Dr. David Sadigursky
    4. 4. Dr David Sadigursky
    5. 5. PATELA Faceta Medial Plana / Convexa Variação Anatômica Faceta Lateral Côncava Maior e mais larga Dr David Sadigursky
    6. 6. PATELA CLASSIFICAÇÃO DE WIBERG • Tipo I – Facetas côncavas, simétricas, tamanho igual • Tipo II – Faceta medial convexa – Mais comum • Tipo III – Faceta medial bem menor – Associada a instabilidadade PF • Tipo IV – Ausência da crista e faceta medial – Descrita por Baumgarti Dr David Sadigursky
    7. 7. Dinâmicos M. Quadríceps Estáticos L Patelar Retináculo Lateral Retináculo Medial - Lig Patelofemoral Medial (LPFM)* Arquitetura óssea Dr David Sadigursky
    8. 8. • Ângulo do sulco – 138° - 142° • Displasias Dr David Sadigursky
    9. 9. RETINÁCULO MEDIAL Warren e Marshal, JBJS Am, 1979 3 camadas 1.Fáscia supericial do sartório Retináculo medial Pata de ganso 2. L colateral tibial (Superficial) LPFM 3.Cápsula articular L. colateral tibial (Profundo) L poplíteo oblíquo Dr David Sadigursky
    10. 10. Frouxidão vs tensão do retináculo Displasia – Patelar ou troclear Dr David Sadigursky
    11. 11. Desalinhamento rotacional Fêmur / Tíbia Proximal ou distal Importância terapêutica ? (Dejour H et al 1994) Dr David Sadigursky
    12. 12. Principais fatores predisponentes Tróclea displásica, Patela alta, TAGT >20 mm Báscula patelar excessiva (> 20 graus) Dr David Sadigursky
    13. 13. • Tônus muscular (atrofia) • Alinhamento e comprimento dos MMII • Pronação do retropé Dr David Sadigursky
    14. 14. Ângulo Q Estima momento sobre a patela Questionável – 0, 30 ou 90 Dr David Sadigursky
    15. 15. • Percusso passivo da patela (J invertido) • Teste da inclinação patelar • Teste da Mobilidade patelar • Teste da Apreensão Dr David Sadigursky
    16. 16. • Encurtamentos musculares – Thomas – Ober • Hipermobilidade sistêmica Dr David Sadigursky
    17. 17. • Radiografia • Ressonância magnética • Tomografia computadorizada – Critérios de instabilidade Dr David Sadigursky
    18. 18. – Pouco valor – Alinhamento tíbio- femoral – Altura patelar – Displasia Troclear Dr David Sadigursky
    19. 19. Dr David Sadigursky
    20. 20. – displasia troclear – sinal do cruzamento Dr David Sadigursky
    21. 21. Dejour D, LeCoultre B: Osteotomies in patello-femoral instabilities. Sports Med Arthrosc 2007;15:39-46.) Dr David Sadigursky
    22. 22. Axial da patela – 45° Ângulo de congruência – 6° a +- 11° Ângulo do Sulco 138° Dr David Sadigursky
    23. 23. Análise detalhada da congruência femoro-patelar – Graus de flexão TA-GT – 15mm - 20mm Altura patelar Sulco da tróclea Tilt Patelar Dr David Sadigursky
    24. 24. Avaliação da cartilagem articular Lesões condrais • Retináculo medial (LPFM) Critérios de instabilidade – TA-GT – ângulo do sulco – inclinação patelar Dr David Sadigursky
    25. 25. Luxação aguda Luxação Crônica – Recidivante – Habitual – Permanente Dr David Sadigursky
    26. 26. Tto conservador Recidiva 14% a 57% - adultos 36% a 71% - Crianças Dr David Sadigursky
    27. 27. Tto Cirúrgico – Agudo • Fragmento osteocondral • Rotura da substância do LPFM – Patela subluxada • Comparação com o lado contra- lateral • Segundo episódio Dr David Sadigursky
    28. 28. 2009 LUXAÇÃO AGUDA 1° EPISÓDIO FATORES PREDISPONENTES SEM FRATORES PREDISPONENTES Tto Conservador Tto Cirurgico FRATURA OSTEOCONDRAL Atleta Avulsão – Fêmur ou Patela Dr David Sadigursky
    29. 29. PRICE Fortalecimento do Quadríceps – Isometria – Cadeia cinética fechada 3 a 4 sem – Carga protegida conforme tolerado TRATAMENTO CONSERVADOR Dr David Sadigursky
    30. 30. Procedimentos de Partes Moles •Release lateral • Realinhamento proximal •Avanço do VMO •Reconstrução do LPFM Dr David Sadigursky
    31. 31. Procedimentos de Partes Moles •Reconstrução do LPFM Dr David Sadigursky
    32. 32. Procedimentos Ósseos Realinhamento distal Medialização da TAT Antero-medialização Máximo de 15mm Dr David Sadigursky
    33. 33. Procedimentos Ósseos Trocleoplastia Adição Trocleoplastia Subtração Dr David Sadigursky
    34. 34. Trocleoplastia Subtração Tipo B e D Esporão Supra-troclear > 05 mm Dr David Sadigursky
    35. 35. Trocleoplastia Adição Tróclea plana Sem proeminência troclear Dr David Sadigursky
    36. 36. Procedimentos Combinados •Procedimentos combinados ˗ TA-GT > 20mm Dr David Sadigursky
    37. 37. Década de 90 Aumento do número de pesquisas Reconstrução específica do LPFM ElleraGomes,1992; Avikainemetal,1993; BurkseLuker,1997; Cohen,1996;Munetaetal,1999; Ahmadetal;Nomuraetal,2000; Drezetal,2001; CosseyePaterson;Steensenetal,2005; Mikashimaetal,2006; Camanhoetal,2000,2007;Panagopoulosetal,2008; Amaro,etal2009 Dr David Sadigursky
    38. 38. Reconstrução isolada do LPFM Restaurar – anatomia e função Enxerto disponíveis T semitendíneo, grácil, quadríceps, L patelar Enxerto sintético Alógeno Dr David Sadigursky
    39. 39. Enxerto dos Isquiotibiais – Semi-tendíneo ou grácil Dr David Sadigursky
    40. 40. Ligamento não isómetrico Tenso em extensão / frouxo em flexão Diferença na isometria - fibras proximais e distais Reconstrução não isométrica vs isométrica Dr David Sadigursky
    41. 41. Controle radiográfico - Ponto anatômico Dr David Sadigursky
    42. 42. 5mm de mal posicionamento - proximal 3mm de encurtamento Aumento na pressão da faceta medial Erros de posicionamento Dr David Sadigursky
    43. 43. Dr David Sadigursky
    44. 44. TÉCNICACIRÚRGICA Sem tensão excessiva Dr David Sadigursky
    45. 45. Ângulo de 60 ° - menor lateralização Principalmente nos primeiros ângulos de flexão – 30° Dr David Sadigursky
    46. 46. PÓS-OPERATÓRIO Carga total conforme tolerado Imobilizador – 2 a 3semanas ADM passiva – Imediata e progressiva Fortalecimento isometrico do quadríceps Retorno ao esporte – 12 a 16 sem Dr David Sadigursky
    47. 47. David Sadigursky M.D. MSc

    ×