As anemias aguda e cronica

17.895 visualizações

Publicada em

0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
17.895
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
6
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
68
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

As anemias aguda e cronica

  1. 1. As anemiasClassificação fisiopatológica e morfológicaAnemias agudas e crônicas Importância da contagem de reticulócitos
  2. 2. Anemia É sinal clínico muito frequente no mundo.HCFMUSP: 40% das referências à HematologiaAmb. FMJ: Dos casos com anemia: 70% causa não hematológica
  3. 3. Anemia• Oferta de oxigênio aos tecidos (aerobiose) é inferior às necessidades metabólicas, por diminuição da quantidade ou da qualidade da hemoglobina (transportador);• Organização Mundial da Saúde (OMS): homens < 13 g/dL sangue mulheres < 12 g/dL sangue gestantes e crianças < 11 g/dL sangue
  4. 4. Ciclo do Eritrócito Reticulócito Hemólise 120 dias Eritrócito Medula Óssea BAÇO (Produção) maduro Destruição SequestroFerro (esplenomegalia)Vit. B12Ác. fólico Perdas (Hemorragias) ERITROPOETINA (RIM)
  5. 5. O clínico e o paciente com anemia• Levar em conta o ciclo biológico do eritrócito e as variáveis que regulam a síntese de hemoglobina.• Assim, temos (classificação fisiopatológica):- Anemias por redução de produção de eritrócitos/hemoglobina;- Anemias por excesso de destruição;- Anemias por perdas (agudas e crônicas). * Considerar, ainda, o sequestro nas esplenomegalias volumosas** O médico que primeiro atende o paciente em consulta deve levar em conta os sinais e sintomas clínicos que ele apresenta para identificar os que são de anemia e os que podem representar doença subjacente.
  6. 6. Eritrócitos• Eritrocitose (poliglobulia) – Primária (P. vera) – Secundária (mais comum)• Anemia (morfologia) • Anemia (fisiopatologia) – microcítica (VCM < 80fL) – diminuição da produção – aumento da destruição – normocítica (VCM entre 80 e 100 fL) – perdas – macrocítica (VCM > 100 fL) – sequestro esplênico
  7. 7. Na consulta, observar queixas que podem ser sugestivas de anemia: cansaço fácil, taquicardia aos esforços, cefaléia, vertigens, tonturas, lipotímia, zumbidos, fraqueza muscular, cãibras, claudicação intermitente, dor precordial (Correlacionar com a idade). Elas são a expressão clínica da diminuição da oferta de oxigênio aos tecidos, que caracteriza metabolicamente a anemia.Obs.: Pagofagia (chupar/comer gelo) e outras alterações que caracterizam pica são reveladoras da carência de ferro e devem ser pesquisadas e valorizadas.
  8. 8. Sintomas geraisAnemia aguda x crônica• Dependem da velocidade de instalação da anemia: anemias agudas apresentam mais sintomas (2,3DPG – curva dissoc. Hb)• Dependem da gravidade (severidade)• Idade: idosos toleram menos a anemia, por alteração da função cardíaca
  9. 9. Curva de dissociação da Hb
  10. 10. Importância dos RETICULÓCITOS• O Reticulócito é o eritrócito que acabou de ser lançado à circulação pela medula óssea. Indica, assim, a capacidade de produção medular. Na maioria dos casos de anemia, a contagem de Reticulócitos está diminuída (em percentagem e em número absoluto/microlitro), resultado de produção insuficiente de eritrócitos pela medula óssea.• Só haverá Reticulocitose (> 100 mil/microlitro) em - Hemólise; - Hemorragia aguda.• Assim, é um exame extremamente útil para separar as anemias por falta de produção pela medula óssea daquelas por excesso de destruição ou por perdas agudas.
  11. 11. Reticulócitos
  12. 12. Reticulócitos VR: 0,5 – 2,5 % (20 mil a 100 mil/microlitro)• N.º diminuído: anemias por falta de produção de Hb/eritrócitos• N.º aumentado: anemias por excesso de destruição ou por perdas agudas
  13. 13. Compare e conclua• E: 2 100 000/µL • E: 3 500 000/µL• Hb: 7 g/dL • Hb: 7 g/dL• Ht: 22 % • Ht: 22 %• VCM: 96 fL • VCM: 63 fL• HCM: 33 pg • HCM: 20 pg• CHCM: 31 g/dL • CHCM: 31 g/dL• RDW: 18 % • RDW: 19 %• Reticulócitos: 10% • Reticulócitos: 0,1% (210 000/µL) (3 500/µL)

×