Danielly Monique de Oliveira Silva            Tecnófilo
Joana acabou de se formar em Geografia e foi aprovada em um concurso público,ela irá dar aulas para uma turma de 3º ano do...
Ela sabia que nem toda forma de utilização do computador na educação se prestaigualmente bem a atingir certos objetivos ed...
Joana não contava com a dura resistência dos colegas professores, que não seimportavam em trabalhar com essa ferramenta at...
Joana tentou mostrar às outras professoras que compete ao professor e alunoexplorarem ao máximo todos os recursos que a te...
Ela percebeu que não poderia deixar essa oportunidade passar, até porque, elanão poderia perder de vista o fato de que a e...
Sua atitude mostrou a todos que é papel da escola democratizar o acesso aocomputador, promovendo a inclusão sócio-digital ...
As professoras então perceberam que quando temos um sistema de ensinodeficiente, o que é claro pelos resultados dos alunos...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Tecnófilo

96 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
96
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Tecnófilo

  1. 1. Danielly Monique de Oliveira Silva Tecnófilo
  2. 2. Joana acabou de se formar em Geografia e foi aprovada em um concurso público,ela irá dar aulas para uma turma de 3º ano do Ensino Fundamental.Então ela desenvolveu um projeto para trabalhar a informática juntamente com suamatéria, já que o processo do informatização da sociedade que já atinge o Brasilcaminha com espantosa rapidez e parece ser irreversível. Ela acredita que osprofessores têm a responsabilidade de se preocupar em oferecer a melhorpreparação possível para que os alunos, inclusive da rede pública, possam viver eatuar numa sociedade informatizada.
  3. 3. Ela sabia que nem toda forma de utilização do computador na educação se prestaigualmente bem a atingir certos objetivos educacionais e pedagógicos. Mas,acreditava que quase todo emprego do computador na educação pode trazerresultados pedagogicamente benéficos.
  4. 4. Joana não contava com a dura resistência dos colegas professores, que não seimportavam em trabalhar com essa ferramenta atual. Naquela escola, oscomputadores eram usados apenas como “tapa buraco” quando algum professorfaltava.O grande desafio da atualidade consiste em trazer essa nova realidade para dentroda sala de aula, o que implica em mudar, de maneira significativa, o processoeducacional como um todo.
  5. 5. Joana tentou mostrar às outras professoras que compete ao professor e alunoexplorarem ao máximo todos os recursos que a tecnologia nos apresenta, deforma a colaborar mais e mais com a aquisição de conhecimento. Explicoutambém que o educando é antes de tudo, o fim, para quem se aplica odesenvolvimento das práticas educativas, levando-o a se inteirar e construir seuconhecimento, por intermédio da interatividade com o ambiente de aprendizado.
  6. 6. Ela percebeu que não poderia deixar essa oportunidade passar, até porque, elanão poderia perder de vista o fato de que a escola tem que preparar cidadãossuficientemente familiarizados com os mais básicos desenvolvimentostecnológicos, de modo a poder participar no processo de geração e incorporaçãoda tecnologia de que o País precisa para sair do estágio de subdesenvolvimentoeconômico e de dependência cultural e tecnologica em que se encontra. E ainformática está no centro de toda essa tecnologia.
  7. 7. Sua atitude mostrou a todos que é papel da escola democratizar o acesso aocomputador, promovendo a inclusão sócio-digital de nossos alunos. É precisotambém que os dirigentes discutam e compreendam as possibilidadespedagógicas deste valioso recurso. Contudo, é preciso estar conscientes de quenão é somente a introdução da tecnologia em sala de aula, que trará mudançasna aprendizagem dos alunos, o computador não é uma “panacéia” para todos osproblemas educacionais.
  8. 8. As professoras então perceberam que quando temos um sistema de ensinodeficiente, o que é claro pelos resultados dos alunos brasileiros das escolaspúblicas, devemos considerar que quaisquer melhorias do processo ensino-aprendizagem serão bem-vindas, e era isso que Joana tinha em mente.

×