Silêncios

434 visualizações

Publicada em

0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
434
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
6
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
3
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Silêncios

  1. 2. Silêncios… Vernissage
  2. 3. Silêncios… Catálogo
  3. 4. <ul><li>O Museu de Arte Moderna e Contemporânea de Estrasburgo em parceria com o Museu Colecção Berardo convidaram, há três anos, Marin Karmitz para organizar esta exposição a que foi dado o nome de Silêncios. </li></ul><ul><li>Marin Karmitz, de origem romena, produtor e promotor de cinema independente em França reuniu aqui 14 artistas com os quais tem uma relação de longa data. As obras expostas surgiram essencialmente no pós guerra e no contexto das sublevações das décadas de 60 e 70 em diferentes pontos do mundo e mantêm um fio condutor pois questionam o lugar do homem na história contemporânea e introduzem a presença da palavra escrita ou sonora. Desta forma os artistas partilham uma vontade de se libertarem do silêncio das telas para desenvolverem projectos num novo género. </li></ul><ul><li>Algumas destas propostas agitaram bastante e de uma forma duradoura, a história da arte. </li></ul>Silêncios… Comentário
  4. 5. <ul><li>Silêncios é um labirinto tanto no sentido próprio como figurativo. A exposição estende-se por um rectângulo labiríntico de salas com telas e instalações e acaba no infindável Labyrinth dos russos Kabakov. </li></ul><ul><li>O visitante pode sempre perder-se nas diversas Forêts de Giacometti ou na complexa Bibliothéque de Kosuth. </li></ul><ul><li>Uma luz ténue e difusa dá um ambiente com alguma tensão. Podemos testar medos e fantasmas que nos povoam o imaginário. Permite-nos um arrepio desconfortante ao relembrarmos as pobres condições em que estivemos na condição de jovens estudantes ao passarmos junto do trabalho hiperrealista La Classe Morte de Kantor. </li></ul><ul><li>Podemos experimentar sensações novas e ou emocionarmos junto deste conjunto privilegiado de obras de arte universais através do nosso imaginário pessoal pois os autores deixam as portas abertas a diversas leituras mais ou menos profundas. </li></ul><ul><li>Os trabalhos são gritos de socorro, de alerta, de aviso para que os homens se apercebam melhor do que os rodeia. A maioria dos trabalhos apresentados são instalações multimédia. </li></ul>Silêncios… Comentário
  5. 6. “… ao longo de todo o meu percurso, uma das minhas preocupações constantes consistiu em estabelecer pontes entre o que eu conhecia melhor, o cinema, e as outras disciplinas, a literatura, a música, a pintura, a fotografia, a escultura, o video…” in Catálogo de Silêncios Silêncios… Marin Karmitz
  6. 7. Alberto Giacometti (1901 – 1966) pintor e escultor Suiço. Nasceu no cantão italiano, tinha três irmãos e era filho do conhecido pintor pós impressionista Giovanni Giacometti. Teve um papel de relevo no Movimento surrealista e deixou-nos um trabalho vasto representado nos principais museus e galerias de arte do mundo. Christian Boltanski ( 1944) é um artista francês que se dedica à pintura, escultura e fotografia. Nasceu em Paris filho de um judeu de origem ucraniana e uma senhora corsa. Vive e trabalha em Malakoff. É casado com a artista Anette Messager com quem faz alguns trabalhos. O seu trabalho artístico gira à volta da morte e do desaparecimento. A partir dos anos 80 concentrou a sua atenção na dimensão espacial através da combinação de variados meios mediáticos tais como o filme, a performance, o video e a fotografia. Ilya Kabakov (1933) é um artita conceptual russo-americano. É judeu ,nascido na Ucrânia, trabalhou30 anos em Moscovo e hoje vive e trabalha em Long Island. Ao longo da sua carreira produziu muito desenho, pintura e instalações onde tenta representar facetas doa cultura soviética. É membro da União dos Artistas Soviéticos desde 1959 e foi um importante ilustrador de livros infantis. Artistas Representados Silêncios…
  7. 8. <ul><li>Juan Muñoz (1953 - 2001) foi um escultor espanhol que começou com papel maché, resina e bronze. </li></ul><ul><li>Nasceu em Madrid, teve seis irmãos e aborrecia-se na escola. Mudou-se para Londres onde estudou artes na </li></ul><ul><li>Central Scholl of Art and Design e onde conheceu a escultora Cristina Iglesias com quem casou. Em 1982 </li></ul><ul><li>ganhou uma bolsa de estudo da Fullbright e foi estudar para os Estados Unidos. Foi galardoado em 2000 com </li></ul><ul><li>O maior prémio espanhol para as Belas Artes. </li></ul>Tadeusz Kantor (1915 – 1990) foi um artista polaco multifacetado que também se dedicava ao design e ao teatro. É reconhecido pelas performances teatrais que dirigiu. Nasceu no Império Austro-Húngaro e formou-se na Academia de Cracóvia onde deu aulas durante a ocupação nazi. Neste período fundou o teatro independente na Polónia. Martial Raysse (1936) é um artista francês que começou a pintar cerâmica enquanto muito jovem com a família. Maravilhado com a beleza do plástico, nos anos 60, fez um conjunto de trabalhos com caixas plásticas baratas para denunciar a sociedasde de consumo. Em 1960 com Yves Klein e François Dufrene entre outros, fundam o grupo Nouveaux Réalistes. Artistas Representados Silêncios…
  8. 9. Annette Messager (1943) é uma artista francesa reconhecida pelas instalações arrojadas que monta onde incorpora pintura, desenho, fotografia e outros materais.Companheira de Boltanski, ganhou o Leão de Ouro na Bienal de Veneza em 2005. Joseph Kosuth (1945) é um artista conceptual norte –americano. Nasceu no Ohio e estudou Artes em Nova York. Escreveu vários livros sobre a natureza da arte e dos artistas. Defende que a arte é a continuação da filosofia. Chris Marker (1921) é um realizador francês que também escreve, e fotografa. Com uma vasta produção cinematográfica, é muito conhecido pelas curtas-metragens La Jetée e Sans Soleil. Vive em Paris e não dá entrevistas. Bruce Nauman (1941) é um artista contemporâneo multifacetado da América do Norte. Nasceu no Indiana e estudou Matemática e Física. Começou a expôr em 1960 e já arrebatou dois Leões de Ouro da Bienal de Veneza, em 1999 e em 2009. Silêncios… Artistas Representados
  9. 10. Mario Merz (1925 – 2003) foi um artista italiano, nascido em Milão. Começou a desenhar durante a 2ª Guerra Mundial e expôs pela primeira Vez em Turim em 1950. Admirava a arquitectura nova-iorquina e sempre gostou de desenhar todo o tipo de espaços, talvez também influenciado pelo pai que era arquitecto. A partir dos anos 60 tem grande actividade e integra a corrente Art Povera que com o Futurismo lembram o principal movimento artístico italiano do século XX. Dieter Appelt (1935) é um fotógrafo alemão que gosta de esculpir e apresentar performances em que junta fotografia, cinema e escultura. Estudou na Academia de Música de Leipzig e em 60 deixa a RDA e instala-se na Alemanha ocidental onde continua a estudar música em Berlim. On Kawara (1933) é um artista conceptual japonês que vive em Nova York desde 1965 .Desde 1966 que se dedica a fazer longas séries de quadros, postais ilustrados e telegramas com datas. Georg Baselitz (1938) é um artista alemão do movimento neo-expressionista Neue-Wilden. Nasceu na RDA e em 1958 muda-se para o ocidente onde conhece a sua futura mulher, a pintora Elkae Kretzschmar. Silêncios… Artistas Representados
  10. 11. Visita de Estudo

×