Projeto
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×
 

Like this? Share it with your network

Share

Projeto

em

  • 1,606 visualizações

 

Estatísticas

Visualizações

Visualizações totais
1,606
Visualizações no SlideShare
1,606
Visualizações incorporadas
0

Actions

Curtidas
1
Downloads
26
Comentários
0

0 Incorporações 0

No embeds

Categorias

Carregar detalhes

Uploaded via as Microsoft Word

Direitos de uso

© Todos os direitos reservados

Report content

Sinalizado como impróprio Sinalizar como impróprio
Sinalizar como impróprio

Selecione a razão para sinalizar essa apresentação como imprópria.

Cancelar
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Tem certeza que quer?
    Sua mensagem vai aqui
    Processing...
Publicar comentário
Editar seu comentário

Projeto Document Transcript

  • 1. COLÉGIO MARIA IMACULADARua Francisco Gomes, 661 – CentroCEP - 13730-320 – Mococa – SPFone: 3656 0107 - www.cmimococa.com.br1PROJETO:“QUEM CONTA UM CONTO AUMENTA UM PONTO...”MOCOCA - SP
  • 2. COLÉGIO MARIA IMACULADARua Francisco Gomes, 661 – CentroCEP - 13730-320 – Mococa – SPFone: 3656 0107 - www.cmimococa.com.br2SumárioI - INTRODUÇÃO............................................................................................... 3II - JUSTIFICATIVA............................................................................................ 4III - OBJETIVO GERAL: ..................................................................................... 43.1 - OBJETIVOS ESPECIFICOS: ................................................................. 5IV - REFERENCIAL TEÓRICO: ......................................................................... 5V- METODOLOGIA:......................................................................................... 10VI - AVALIAÇÃO: ............................................................................................. 12REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS................................................................. 13
  • 3. COLÉGIO MARIA IMACULADARua Francisco Gomes, 661 – CentroCEP - 13730-320 – Mococa – SPFone: 3656 0107 - www.cmimococa.com.br3I - INTRODUÇÃO“Todo conhecimento começa com o sonho. O conhecimentonada mais é que a aventura pelo mar desconhecido, em buscada terra sonhada. Mas sonhar é coisa que não se ensina. Brotadas profundezas do corpo, como a água brota das profundezasda terra. Como o Mestre. Só posso então lhe dizer uma coisa:Conte-me os seus sonhos para que sonhemos juntos!”Rubem AlvesÉ comum ouvir comentários saudosos de pessoas que adoravam e,portanto, guardam boas lembranças de avós sentados em volta de mesaspartilhando de várias histórias.Todas as pessoas tem uma história para partilhar, principalmente ascrianças que pouco viverm mas conseguem ver história em tudo o queacontece em sua vida, a mais simples tarefa virá comentário e história aomesmo tempo.Por este e tantos outros motivos que a equipe do Colégio MariaImaculada, Mococa-SP, visa imortalizar a arte de contar uma boa história,transformando-a parte do curriculo pedagogico da instituição, sempre atentos àmissão desta casa de ensino, ou seja,Evangelizar através da educação preventiva, tendo Maria Imaculadacomo fonte inspiradora, favorecendo a formação da pessoa e apercepção de si mesma enquanto sujeito histórico, capaz deinfluenciar na construção de uma sociedade justa e fraterna, por meiodo testemunho e anúncio de valores humano-cristãos.(ProjetoEducativo, Rede Concpcionista de Ensino)Portanto buscará, em consonância, com o que preza a LDB 9394/96,estabelezer uma teia de relações ligadas interdiciplinariamente, trabalhando demaneira preventiva, integradora, autonoma, motivadora, acolhedora elibertadora.
  • 4. COLÉGIO MARIA IMACULADARua Francisco Gomes, 661 – CentroCEP - 13730-320 – Mococa – SPFone: 3656 0107 - www.cmimococa.com.br4II - JUSTIFICATIVAAs histórias sempre fascinaram o ser humano. Nas palavras ditas ouescritas de um bom narrador, os episódios adquirem vida. Somos entãotransportados para outro mundo. Lá acompanhamos os personagens em suasaventuras e em seus dramas, compartilhamos suas alegrias e tristezas.A arte de contar histórias é milenar. Após a invenção da imprensa anarrativa oral perdeu o status de principal maneira de transmitir saberes. Etalvez seja este o motivo das horas de contos se tornarem tão importantes emágicas.Todo povo tem histórias que contam as coisas que precisam saber. Elasacompanham nossa vida, desde pequeno. Quem nunca parou para ouvir umaboa história contada pelo vovô, pela vovó, pela mamãe? Quem não gosta deouvir ou de ler uma boa história?As histórias são patrimônios da humanidade. E sabendo que, ouvir econtar histórias desenvolve a imaginação, resgata a cultura oral e incentiva aescrita, proporciona momentos lúdicos e de interação com o público, é queelaboramos este projeto de contação de histórias, visando, assim, oferecer aosouvintes um conjunto de ações que proporcionarão um encontro mágico com aleitura e com o objetivo de desenvolver a linguagem oral e escrita nos alunosda Educação Infantil e do Ensino Fundamental I.III - OBJETIVO GERAL:Utilizar-se da leitura, através da contação de histórias, comometodologia para o desenvolvimento dos sujeitos e melhoria de seudesempenho escolar, respondendo a necessidades afetivas e intelectuais pelocontato com o conteúdo simbólico das leituras trabalhadas.
  • 5. COLÉGIO MARIA IMACULADARua Francisco Gomes, 661 – CentroCEP - 13730-320 – Mococa – SPFone: 3656 0107 - www.cmimococa.com.br53.1 - OBJETIVOS ESPECIFICOS:Despertar nos alunos o gosto pela leitura através de textos literários;Desenvolver as potencialidades artísticas e culturais através da poesia,contos, novelas, etc;Elevar a auto-estima através dos textos e dinâmicas e melhorar suacapacidade de se comunicar, de conviver e de respeitar as diferenças;Estimular nos alunos a reflexão e a revisão de valores, atitude ecomportamentos;Resgatar a tradição da arte de contar histórias;Partilhar a amizade, o companheirismo e a solidariedade entre osmembros do grupo;Promover a diversão e o lazer no espaço escolar;Instigar a imaginação e a capacidade de “fazer de conta” das crianças;Demonstrar que o contato do lúdico com a literatura, pode aconteceratravés da contação de histórias;IV - REFERENCIAL TEÓRICO:As histórias são patrimônios da humanidade e é ouvindo histórias porum bom contador que se pode transportar para vários mundos imaginários. Asaulas que se baseiam na contação de história terão mais sucesso por se tornarmais expansiva, abrangendo vários assuntos como afirma Kieran (1994, p.123) “os professores serão os contadores de histórias e o currículo a história aser contada”.E dessa forma, o currículo seria contextualizado e interdisciplinado, e ashistórias envolveriam os conteúdos, de acordo com cada uma que fossecontada.
  • 6. COLÉGIO MARIA IMACULADARua Francisco Gomes, 661 – CentroCEP - 13730-320 – Mococa – SPFone: 3656 0107 - www.cmimococa.com.br6Contar histórias é atividade muito antiga. Até os profetas já falavam dela.Assim, o mais importante que o homem acumulou de sua experiência foi sendocomunicado de indivíduo a indivíduo, de povo a povo. Contar em latim écomputare, abreviado de comptare, do qual se originou o vocábulofrancês compter. Então contar é o compito ou conto dos fatos (GÓES, 1991,p.125).A criança desenvolve-se seu ser se for estimulada exteriormente e acontação de história viabiliza esta interação colocando a criança em confrontoconsigo mesma para distinguir o real do imaginário. Dentre as habilidadesdesenvolvidas pela criança através do que houve nas histórias são destacadaspor Dohme (2005, p.19) alguns aspectos relevantes, tais como:Caráter: as histórias com heróis, conteúdos que proporcionam lições devida, fábulas em que o bem prevalece sobre o mal. Por meio dashistórias, principalmente, os meninos se defrontam com situaçõesfictícias e com isso adquirem vivência e referências para montar os seuspróprios valores;Raciocínio: as histórias mais elaboradas, os enredos intrigantes, agitam oraciocínio da criança.Imaginação: o exercício da imaginação traz grande proveito às crianças,porque atende a uma necessidade muito grande que elas têm deimaginar. As fantasias não são somente um passatempo; elas ajudam naformação da personalidade na medida em que possibilita fazerconjecturas, combinações, visualizações como tal coisa seria “desta” oude “outra” forma.Criatividade: uma vez que a criatividade é diretamente proporcional àquantidade de referências que cada um possui, quanto mais “viagens” aimaginação fizer, tanto mais aumentará o “arquivo referencial” e,conseqüentemente, a criatividade.Senso Crítico: as histórias atuam como ferramentas de grande valia naconstrução desse senso crítico, porque por meio delas os alunos tomam
  • 7. COLÉGIO MARIA IMACULADARua Francisco Gomes, 661 – CentroCEP - 13730-320 – Mococa – SPFone: 3656 0107 - www.cmimococa.com.br7conhecimento de situações alheias à sua realidade, uma vez que podem“navegar” em diferentes culturas, classes sociais, raças e costumes.Disciplina: é entendida como aceita e praticada espontaneamente pelacriança e não como algo imposto inquestionavelmente pelo educador. Nomomento que se trabalha com o que a criança realmente gosta, quandosente que foi preparada especialmente para elas, as chances de se teruma postura atenta e participativa aumentam muito.É bom saber que uma história bem contada surpreende as pessoas,tem o poder de quebrar a rotina e trazer a magia à tona; estimula-se acriatividade, rompem-se barreiras, desvendam-se mistérios, abrem-se portas epode ser tão especial e marcante para o ouvinte que chega a influenciar na suamaneira de pensar e agir.O ato de contar história é possível em todas as fases dedesenvolvimento do ser humano, dessa forma, “o impulso de contar históriasdeve ter nascido no homem no momento em que ele sentiu necessidade decomunicar aos outros, certa experiência sua, que poderia ter significação paratodos.” COELHO (2000, p.13). A contação de história como estímulo para aaprendizagem nos remete aos concertos de leitura de Alves (2006, p. 61)quando afirma:Penso que, de tudo o que as escolas podem fazer com as crianças ejovens, não há nada de importância maior que o ensino do prazer daleitura. Todos falam na importância de alfabetizar, saber transformarsímbolos gráficos em palavras. Concordo. Mas isso não basta. Épreciso que o ato de ler dê prazer. As escolas produzem, anualmente,milhares de pessoas com habilidade de ler, mas que, vida afora, nãovão ler um livro sequer. Acredito piamente no dito do evangelho: “Noprincípio está a Palavra...” É pela palavra que se entra no mundohumano.Os primeiros livros destinados às crianças surgiram no final do séculoXVII, estes livros foram escritos por professores e pedagogos, com o objetivo
  • 8. COLÉGIO MARIA IMACULADARua Francisco Gomes, 661 – CentroCEP - 13730-320 – Mococa – SPFone: 3656 0107 - www.cmimococa.com.br8maior de ensinar, principalmente os valores, ajudando-as com a realidadesocial.Conforme COELHO(2000):A literatura infantil é, antes de tudo, literatura, ou melhor, é arte:fenômeno de criatividade que representa o mundo, o homem, a vida,através da palavra. Funde os sonhos e a vida prática, o imaginário eo real, os ideais e sua possível realizaçãoA literatura infantil apresenta-se não apenas como um veículo demanifestações de cultura, mas é também de ideologias. É ela que insere o serhumano no maravilhoso mundo literário e pode ter o poder de prendê-lo aleitura transformando-o num verdadeiro leitor. Segundo Zilberman (1987), o atode ler,relaciona-se ao desenvolvimento lingüístico da criança, com aformação da compreensão do fictício, com a função específica dafantasia infantil, com credulidade na história e a aquisição do saberContudo, podemos perceber ainda que a Literatura Infantil não deve serutilizada apenas com caráter pedagógico, didático ou para incentivar o hábitode leitura, ela deve cativar e encantar este público que é tão exigente e o maiorsegredo é trabalhar mexendo com o seu imaginário e fazendo-a entrar nomaravilhoso mundo da fantasia. Como diz Abramovich (1995): “Literatura éarte, literatura é prazer... É precisar e isso inclui criticar... cobrança nunca foipassaporte ou aval pra vontade e descoberta ou pro crescimento de ninguém”.Sabe-se que a Literatura Infantil está ligada aos eternos dilemas que ohomem vive ao longo da vida e principalmente na infância, fase em que surgemas necessidades de defender-se resolvendo pequenas situações do seucotidiano. E é neste sentido que a Literatura pode ser decisiva para a formaçãoda criança em relação ao estranho mundo que está à sua volta. ConformeBorges (1994): “É Inesgotável a importância da literatura quando se pensa naformação completa do ser humano num processo que busque o equilíbrio entre
  • 9. COLÉGIO MARIA IMACULADARua Francisco Gomes, 661 – CentroCEP - 13730-320 – Mococa – SPFone: 3656 0107 - www.cmimococa.com.br9o desenvolvimento da inteligência e da afetividade, entre razão e emoção,entre o utilitário e o estético”.A Literatura Infantil em si promove uma viagem no imaginário, comdescobertas e aventuras cheias de imagens, florestas, castelos, seresfantásticos, reis e rainhas, príncipes e princesas, animais falantes, anões egigantes... Percebe-se então o maniqueísmo fazendo com que esta dicotomiase transmita através de uma linguagem simbólica de textos irreais repletos desituações inusitadas. É esta situação de maniqueísmo que traz relações decategorias de valor que dividem os personagens em boas e más, belas e feias,poderosas e fracas e é isto que faz com que a criança compreenda certosvalores básicos do convívio social, que favorecem a formação de suaconsciência ética. Contar e Recontar...Os primeiros contadores de história da humanidade de que tomamosconhecimento foram os autores de pinturas rupestres que hoje são tãoestudadas por historiadores que tentam entender a vida na antiguidade.Podemos então perceber que os contos e histórias são verdadeiras obras dearte pertencentes ao patrimônio cultural de toda a humanidade, por issorepresentam a visão do mundo e que contar essas histórias é a mais antiga emais moderna forma de comunicação.Contar e recontar histórias é uma atividade que está presente em todosos espaços da vida cotidiana. As narrativas chegam à vida do ser humanodesde a mais tenra idade e norteiam a sua existência durante toda a vida,permitindo-o aquisições de compreensão e visão sobre planos social, cultural,pedagógico, psicológico, etc. Contar é um ato de encontro consigo e com osoutros, com o imaginário e com a realidade, é um ato socializante e de fruiçãoonde se desenvolve o prazer de ouvir e de contar uma história bem contada.O ponto mais importante de contar histórias é a possibilidade doencontro que este momento proporciona, seja ele realizado por pais,
  • 10. COLÉGIO MARIA IMACULADARua Francisco Gomes, 661 – CentroCEP - 13730-320 – Mococa – SPFone: 3656 0107 - www.cmimococa.com.br10professores, etc. O contador acima de tudo realiza uma forte troca deafetividade com as crianças ou o ouvinte, por que a medida se ouve umahistória ele se projeta na personagem, fazendo com que a ligação entrecontador e ouvinte seja mais forte e proporcione momentos de grandesemoções vividas pelas personagens.V- METODOLOGIA:Contar história é uma forma de o homem dar continuidade a suacultura, suas descobertas sua espécie. Na sala de aula, porém, este hábito nãoacontece com a freqüência desejada, suprimindo nas crianças o ato dedesenvolver a imaginação impedindo também o acesso as histórias quefundamentaram várias gerações com seus ensinamentos.Não se pode conceber que crianças que não são incentivadas a ouvirhistórias possam ter concentração para ler livros e produzir textos, porque sóse constrói leitores através do incentivo da leitura. E como afirma Bezerra(2008, p. 03):Contar histórias para crianças deve ser um ato constante, não sóporque executá-lo é o início da aprendizagem para ser leitor, maspara provocar a imaginação. Deve dar prazer a quem conta e aoouvinte. Constitui fonte de prazer e encantamento pela vida. Éouvindo histórias que se pode descobrir o mundo imenso de conflitose soluções, que se podem sentir novas e diferentes emoções,conhecerem lugares novos, começar a formar opiniões, critérios,conceitos e novos valores.Este projeto, então, pautado sob a concepção de ensino adotada pelaAssociação Concepcionista de Ensino buscará através das interdiciplinaridade,trabalhar com as crianças de forma lúdica e prazerosa, oferecendo-as umacervo de histórias contadas que possam ajudar no desenvolvimento de suaimaginação, crítica e reflexão, por meio de blocos temáticos e atividadesassociadas.É necessário, portanto, ressaltar que dentro deste projeto existe umateia com vários outros projetos específicos que pretendem levar a variedade de
  • 11. COLÉGIO MARIA IMACULADARua Francisco Gomes, 661 – CentroCEP - 13730-320 – Mococa – SPFone: 3656 0107 - www.cmimococa.com.br11contos e culturas até às crianças, disseminando a pluralidade de idéias emanifestações:Histórias do cocar do pajé: Semana voltada para os contos deorigem indígena, disseminando a importância do conhecimentosobre o que nos é diferente ao mesmo tempo em que valoriza-seo que é parte da cultura nacional.A áfrica conta Histórias: Através dos contos africanos, valorizaresta cultura presente no Brasil e conhecer sua influencia noterritório nacional, abordando as belezas de um paisestigmatizado.Na minha terra tem saci: Semana dedicada aos contos dofolclore brasileiro e a cultura local.Contos da minha terra: Contos voltados para o campo; asabedoria do homem da roça e sua percepção do mundo que ocerca. Etc.Estes são alguns exemplos dos blocos temáticos a serem desenvolvidoscom as crianças, sempre respeitando as faixas etárias, para o bomdesenvolvimento do projeto.Contar-se-á, ainda, com atividades que auxiliem no desenvolvimentoafetivo e cognitivo dos discentes, como:Organização de roda de leitura;Dramatizações de história;Apresentação do teatro de fantoche;Utilização de um banco de personagens para contação;Organização de oficinas de artes – confecção de elementos da narrativa;Exposição de livros;Momento de desenho livre;Apresentação com mímicas e músicas;Reconto de histórias;
  • 12. COLÉGIO MARIA IMACULADARua Francisco Gomes, 661 – CentroCEP - 13730-320 – Mococa – SPFone: 3656 0107 - www.cmimococa.com.br12Desenvolvimento de oficinas de desenhos e pintura;Apresentações de painéis de leitura;Concurso de leitura (reconto e produção de poemas);Organização da hora do conto com personagens caracterizados;Realização da caravana da alegria e da caravana do natal;Arraial da leitura.VI - AVALIAÇÃO:Durante as apresentações observando:Envolvimento dos alunos público;Exposição das opiniões;Atitudes e comportamentos relacionados a busca de mais leitura;Freqüência na biblioteca;__________________________Ir. Vera Lucia MarineGestora Escolar__________________________Ir. Silvia Helena FirminoCoordenadora Pedagógica_________________________Danilo Cippollini DonizettiAuxiliar Bibliotecário
  • 13. COLÉGIO MARIA IMACULADARua Francisco Gomes, 661 – CentroCEP - 13730-320 – Mococa – SPFone: 3656 0107 - www.cmimococa.com.br13REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS.ABRAMOVICH, F. Literatura infantil: gostosuras e bobices. 4ª ed. SãoPaulo: Scipione, 1994.DOHME, V. Técnicas de Contar Histórias. São Paulo: Informal Ed., 2005.FONSECA, Adriana Beatriz da Silva. “Era uma vez...”: o contar histórias comoprática educativa na formação docente. Uberaba: UNIUBE, 2004. Dissertaçãode MestradoGOÈS, Lucia Pimentel. Introdução a Literatura infantil e juvenil. 2ª ed. SãoPaulo: Pioneira, 1991GUTFREIND, Celso. Contos e desenvolvimento psíquico. Revista Viver Mente&Cérebro. Ano XIII, n. 142, Nov 2004.KIERAN, E. O uso da narrativa como técnica de ensino. Lisboa: DomQuixote, 1994MACHADO, R. Conto de tradição oral. São Paulo: FDE, 1994.MADEIROS, L. S. Leitura no Primeiro Ano das Séries Iniciais: uma construçãode significados. Disponível em: http://www.pedagogia.com.br/artigos/leitura.Acesso em 14 nov. 2012.MENDONÇA, M. L. B. A influência da contação de histórias na educaçãoinfantil.Artigo Acadêmico, UFRPE, 2008.OLIVEIRA, M. J. G. de. Contação de história como estimulo naaprendizagem da leitura nas series iniciais do Ensino Fundamental. ArtigoAcadêmico, FASC, 2009.ZILBERMAN, R. O estatuto da literatura infantil. In: Revista Viver Mente&Cérebro. Ano XIII, n. 142, Nov 2004.