Lean Manufacturing 6

13.667 visualizações

Publicada em

While Professor in the Production Engineering Course of University São Judas Tadeu, I have presented these slides concerning Lean Manufacturing System - This is the second part of Lean Theory

Lean Manufacturing 6

  1. 1. Sistemas de Produção Enxuta Modulo 5 Lean – Realeanhando o Fluxo Produtivo
  2. 2. Os 8 pilares da Mentalidade Enxuta MELHOR QUALIDADE, MELHOR CUSTO, MENOR LEAD TIME E MAIOR SATISFAÇÃO DO CLIENTE Stop at first defect Manufatura Celular Sistema Puxado Jidoka & Andon One Piece Flow da Demanda Suavização Takt Time Kanban SMED TQM – VARIABILIDADE SOB CONTROLE TPM – CONFIABILIDADE NOS PROCESSOS KAIZEN – CULTURA DA MELHORIA CONTÍNUA Sistemas de Produção Enxuta
  3. 3. MANUFATURA CELULAR MELHOR QUALIDADE, MELHOR CUSTO, MENOR LEAD TIME E MAIOR SATISFAÇÃO DO CLIENTE Stop at first defect Manufatura Celular Sistema Puxado Jidoka & Andon One Piece Flow da Demanda Suavização Takt Time Kanban SMED TQM – VARIABILIDADE SOB CONTROLE TPM – CONFIABILIDADE NOS PROCESSOS KAIZEN – CULTURA DA MELHORIA CONTÍNUA Sistemas de Produção Enxuta
  4. 4. Manufatura Celular Definição: É um tipo de arranjo físico onde as etapas do processo produtivo de um determinado produto são posicionadas de forma que o Manufatura Celular fluxo de processamento seja muito próximo do contínuo. Sistemas de Produção Enxuta
  5. 5. Layout em U O layout em U é muito utilizado no campo de manufatura celular: Entrada P4 Entrada de Peças de Peças • Evita-se que se percorra distancias muito grandes; Entrada P3 P5 Entrada • Permite uma combinação de de Peças de Peças tarefas diferentes aos trabalhadores; • Otimiza o espaço necessário para Entrada P2 P6 Entrada de Peças de Peças a realização das tarefas. P1 P7 Saída do Material Sistemas de Produção Enxuta
  6. 6. Case Motorola MOTOROLA NO BRASIL População: 6.500 empregos diretos Investimentos realizados: US$ 500 milhões Investimentos em P&D: US$ 225 milhões desde 1997 (duas novas invenções por mês). Manufatura Celular Desafio 2004: Tornar-se a 5.a Empresa mais performante do Grupo Motorola no Mundo (UMC U$ 6,00) – Benchmarking China e Cingapura (UMC U$ 3,90 e U$ 3,50). Solução: Lean Six Sigma -> Células de Manufatura + Projetos 6sigma Sistemas de Produção Enxuta
  7. 7. Manufatura Celular vs Linha de Produção Linha de Produção Vantagens • Baixa Probabilidade de Mistura. Manufatura Celular Desvantagens • Alto Estoque Intermediário. • Muito transporte Interno. • Produtividade Prejudicada • Difícil Balanceamento de Fluxo. Sistemas de Produção Enxuta
  8. 8. Manufatura Celular vs Linha de Produção Célula de Manufatura Vantagens • Maior Produtividade. • Sem estoques ou Manufatura Celular movimentações internas. • Menor número de COPS para serem escolhidos. • Maior número de Postos de Escolha. • Fluxo Linear. Desvantagens • Operador sujeito a erros. • Muitas responsabilidades. Sistemas de Produção Enxuta
  9. 9. Exemplo da Implantação de uma Célula Sistema Antigo de Produção em uma linha de de Escolha e Embalagem Manufatura Celular Escolhe Estoca Embala Sistemas de Produção Enxuta
  10. 10. Exemplo da Implantação de uma Célula Sistema Antigo de Produção em uma linha de de Escolha e Embalagem Manufatura Celular Retira Manualmente Coloca no Pallet Sistemas de Produção Enxuta
  11. 11. Exemplo da Implantação de uma Célula Novo Sistema de Produção: Célula de Manufatura Manufatura Celular Escolhe e Embala Sistemas de Produção Enxuta
  12. 12. Exemplo da Implantação de uma Célula Novo Sistema de Embalagem Manufatura Celular Embala com Sistema a Vácuo Sistemas de Produção Enxuta
  13. 13. Produtividade Antes da Implantação Variação da Quantidade Escolhida com a Produção 120,00% Sistema Atual 2 Escolhedores ? Taxa mínima de Segurança 100,00% Manufatura Celular Utilização do Operador 80,00% 3 Escolhedores 2 Embaladores 60,00% 4 Escolhedores 3 Embaladores 40,00% 20,00% Total - 6 operadores Taxa mínima de Produtividade 0,00% 00 50 00 50 00 50 00 50 00 0 0 0 0 0 0 70 75 80 85 90 95 10 10 11 11 12 12 13 13 14 Produção (ton/mês) Sistemas de Produção Enxuta
  14. 14. Produtividade Depois da Implantação Variação da Quantidade Escolhida com a Produção Célula de Manufatura 1800 Taxa mínima de Segurança 1600 4 Postos 1400 5 Postos Manufatura Celular COPS por Operador 1200 6 Postos 1000 7 Postos 800 600 400 Taxa mínima de 200 Produtividade Total - 5 operadores 0 700 750 800 850 900 950 1000 1050 1100 1150 1200 1250 1300 Produção (ton/mês) Sistemas de Produção Enxuta
  15. 15. Resultados Redução de 15% no custo fixo do setor; Redução de 8 postos de trabalho; Manufatura Celular Eliminação das movimentações manuais de caixas nos pallets; Redução de riscos ergonômicos nos postos de escolha; Redução de WIP; Linearização do fluxo produtivo. Sistemas de Produção Enxuta
  16. 16. Case Visteon Manufatura Celular Sistemas de Produção Enxuta
  17. 17. Case Alpargatas Manufatura Celular Sistemas de Produção Enxuta
  18. 18. Fábrica do Seu Armindo 5 a ic mâ in D Através dos conhecimentos adquiridos, implante uma célula de manufatura na fábrica do Seu Armindo e faça a análise crítica dos resultados Sistemas de Produção Enxuta
  19. 19. KANBAN MELHOR QUALIDADE, MELHOR CUSTO, MENOR LEAD TIME E MAIOR SATISFAÇÃO DO CLIENTE Stop at first defect Manufatura Celular Sistema Puxado Jidoka & Andon One Piece Flow da Demanda Suavização Takt Time Kanban SMED TQM – VARIABILIDADE SOB CONTROLE TPM – CONFIABILIDADE NOS PROCESSOS KAIZEN – CULTURA DA MELHORIA CONTÍNUA Sistemas de Produção Enxuta
  20. 20. Kanban - Definição Definição: Dispositivo que sinaliza e que dá autorização e instruções para produção em um sistema puxado. Fluxo de Informação (referência de produtos, equipamento de produção, quantidade, localização do estoque) isto em tempo real porque está ligado ao fluxo de material. KANBAN Kanban pode ser: Cartões, fax, e-mails,fichas, etc… Piso vazio identificado na área da produção ou armazém; Embalagem vazia: pallets, big-bag, box, trolley, wagon, Tanques intermediários vazios. Sistemas de Produção Enxuta
  21. 21. Kanban – Regras Gerais O processo fornecedor deve produzir os itens na quantidade precisa e na seqüência especificada pelo Kanban. Nenhum item é feito ou movimentado sem um Kanban; KANBAN Todas as partes e materiais sempre devem ter um Kanban anexado; Partes com defeitos e incorretas jamais devem ser enviadas para o processo seguinte; O número de Kanban é reduzido cuidadosamente para um inventário menor quando os problemas são atacados. Sistemas de Produção Enxuta
  22. 22. Exemplos de Kanban no dia a dia Supermarket (Wall-mart, Carrefour…) No supermercado, a maioria dos itens são repostos quando os pallets ou prateleiras estão vazias ou atingiram um nível min. Exemplo: Para repor o leite, 1 kanban é 1 pallet de leite. Existem 2 pallets: quando 1 pallet está vazio, dá-se um sinal para reposição, durante o tempo de reposição, o outro pallet é consumido… KANBAN Farmacia: Um sinal kanban é anexado a última caixa do medicamento. Quando o farmacéutico remove a última caixa do medicamento, ele pega o cartão e envia duas vezes ao dia para o fornecedor repor. Mc Donalds: Um sinal kanban é colocado no final do lote de “big mac”. Quando o sinal é atingido, é enviado uma informação para o produtor “big-mac” para produzir um lote de “big-mac”. Sistemas de Produção Enxuta
  23. 23. MTS -SISTEMA VARIABILIDADE + KANBAN Sinalizador:( +; - ) Sequêncial: (+ ; + ) -Pedidos variáveis; -Pedidos Fixos -Quantidades variáveis. -Quantidades variáveis KANBAN KANBAN Regular( - ; -) -Pedidos variáveis; -Pedidos variáveis; -Quantidades variáveis. -Quantidades fixas. - RIGIDEZ - + Sistemas de Produção Enxuta
  24. 24. TIPOS DE KANBAN Regular Kanban Sinal Kanban 1 cartão por lote (pallet, big-bag…) 1 cartão por produto dando Nb de cartões = Máximo inventário informação do ponto de reposição Tamanho do Lote (Gatilho para reposição) Parte # Parte Localização Parte # Parte descrição Descrição Data Tamanho do Lote Localização Triggered Trigger Point Processo # Linha # Processo # Armazém Quantitdade Linha # Se o tempo de troca é curto: Se o tempo de troca é longo: Produção de pequenas Produção em camapanhas de quantidades grandes quantidades Sistemas de Produção Enxuta
  25. 25. Produção Kanban: Regular Kanban Muitos cartões kanban por produtos. Produção Armazém –O tempo que o operador remove um lote KANBAN (pallet, big-bag…) do armazém do supermercado uma produção Kanban é enviada de volta para o painel de demanda no processo gargalo na linha de produção. –1 cartão por lote (pallet, big-bag…) –Número de cartões por produto = Máximo inventário/Tamanho do Lote Sistemas de Produção Enxuta
  26. 26. Case ThyssenKrupp KANBAN Kanban de Sinal para peças de forjamento da ThyssenKrupp Sistemas de Produção Enxuta
  27. 27. Case RockHill Rock Hill: Sinal Kanban é enviado quando há menos de 4 filas em estoque. KANBAN Sistemas de Produção Enxuta
  28. 28. Case J&J KANBAN Sistemas de Produção Enxuta
  29. 29. SISTEMA PUXADO MELHOR QUALIDADE, MELHOR CUSTO, MENOR LEAD TIME E MAIOR SATISFAÇÃO DO CLIENTE Stop at first defect Manufatura Celular Sistema Puxado Jidoka & Andon One Piece Flow da Demanda Suavização Takt Time Kanban SMED TQM – VARIABILIDADE SOB CONTROLE TPM – CONFIABILIDADE NOS PROCESSOS KAIZEN – CULTURA DA MELHORIA CONTÍNUA Sistemas de Produção Enxuta
  30. 30. Sistema Empurrado vs Sistema Puxado Sistema de Produção Empurrada: Programação (usualmente semanal) e produção baseada na estimativa das necessidades dos clientes (forecasts) Sistema de Produção Puxada Tem boa visão para médio e longo prazo de planejamento. A visão é ruim para curto prazo já que as programações não são atualizadas conforme mudanças nas previsões. Em condições de variabilidade zero o sistema empurrado torna-se eficaz a curto prazo. Sistema de Produção Puxada: Programação e produção baseada nas reais necessidades dos clientes. Clientes sinalizam suas necessidades com cartões KANBAN para o fabricante. Tem ótima visão no curto prazo porque ele reage em tempo real a variabilidade, desde que o fluxo de informação esteja alinhado ao fluxo de material através do KANBAN. Sistemas de Produção Enxuta
  31. 31. Sistema Empurrado – Informações de Previsão Previsão Previsões de Consumo de Programa COMPRAS PPCP VENDAS Sistema de Produção Puxada Programa Programa Previsão Previsão Semanal Semanal de Vendas Programa de Consumo Processo A Processo C Semanal Processo B Processo Processo Processo Fornecedor A B C Cliente A programação não é atualizada na mesmo ritmo da alteração da previsão. Isto gera superprodução , excesso de inventário, transporte desnecessário e etc… Sistemas de Produção Enxuta
  32. 32. Sistema Puxado – Informações Reais Previsão Previsões de Consumo de Programa COMPRAS PPCP VENDAS Previsão Previsão de Consumo de Vendas Sistema de Produção Puxada Request Product Request Request Request (SIGNAL) Product Product Product (SIGNAL) (SIGNAL) (SIGNAL) Demand Board Leveling Box Processo Processo Processo Fornecedor A B C Clientes Replace Replace Replace Replace Products Products Products Products Consumed Consumed Consumed Consumed Fluxo de Informação flui em tempo real. Sistemas de Produção Enxuta
  33. 33. Características do Sistema Puxado Para PA ou WIP, os limites dos inventários (Max, Min, Trigger point) são estabelecidos baseados na previsão ou histórico. Sistema de Produção Puxada Pedidos de produção são geradas quando os materiais são consumidos do inventário. Instruções de produção são transferidas com Kanban. Plano de Reação é definido para gerenciar situações quando o inventário cai abaixo do nível mínimo ou excede o nível máximo: • O que deveria ser feito (informar gerente de produção…) • Investigações devem ser realizadas para identificar as causas dos desvios (aumento da média da demanda, problemas de confiabilidade do processo…) Plano de melhoria é definido para continuamente reduzir o nível de inventário. Sistemas de Produção Enxuta
  34. 34. Case Delphi Sistema de Produção Puxada Sistemas de Produção Enxuta
  35. 35. Case Alcoa Sistema de Produção Puxada Sistemas de Produção Enxuta
  36. 36. Case Alcoa Sistema de Produção Puxada Sistemas de Produção Enxuta
  37. 37. Case Alcoa Sistema de Produção Puxada Sistemas de Produção Enxuta
  38. 38. Case Alcoa Sistema de Produção Puxada Sistemas de Produção Enxuta
  39. 39. Johnson & Johnson Sistema de Produção Puxada Sistemas de Produção Enxuta
  40. 40. Johnson & Johnson Sistema de Produção Puxada Sistemas de Produção Enxuta
  41. 41. Os 8 pilares da Mentalidade Enxuta MELHOR QUALIDADE, MELHOR CUSTO, MENOR LEAD TIME E MAIOR SATISFAÇÃO DO CLIENTE Stop at first defect Manufatura Celular Sistema Puxado Jidoka & Andon One Piece Flow da Demanda Suavização Takt Time Kanban SMED TQM – VARIABILIDADE SOB CONTROLE TPM – CONFIABILIDADE NOS PROCESSOS KAIZEN – CULTURA DA MELHORIA CONTÍNUA Sistemas de Produção Enxuta
  42. 42. Cuidado!!! Quando devemos implementar todas essas ferramentas? Trabalhar a base é extremamente importante. Regras de Excelência muito bem implementadas. Criar e Plano de Ação desempenhar de Melhoria Atividades que Regra 1 5S, Trabalho Padronizado, GEMBA, Cálculo agregam valor dos Estoques, SMED Interfaces entre Regra 2 Regra 4 Takt Time, Quadro de Análise WorkShop Kaizen, Revisão de Layout operações de Produção, Kanban de Fluxo (Spaghetti Chart), A3 Report Fluxo de Regra3 Heijunka, OBC (Operator Balance Chart), atividades Fluxo Puxado, One Piece Flow Sistemas de Produção Enxuta
  43. 43. Ferramentas -> Regra 1 Trabalho Padronizado Quadro de Capacidade do Processo Combinação do Trabalho Padronizado Diagrama do Trabalho Padronizado Sistemas de Produção Enxuta
  44. 44. Ferramentas -> Regra 1 Quadro de Capacidade do Processo Sistemas de Produção Enxuta
  45. 45. Ferramentas -> Regra 1 Tabela de Combinação do Trabalho Padronizado Sistemas de Produção Enxuta
  46. 46. Ferramentas -> Regra 1 Diagrama de Trabalho Padronizado Sistemas de Produção Enxuta
  47. 47. Ferramentas -> Regra 2 Quadro de Análise de Produção Sistemas de Produção Enxuta
  48. 48. Ferramentas -> Regra 3 Heijunka Sistemas de Produção Enxuta
  49. 49. Ferramentas -> Regra 3 Heijunka Box Sistemas de Produção Enxuta
  50. 50. Ferramentas -> Regra 4 WorkShop Kaizen Sistemas de Produção Enxuta
  51. 51. Ferramentas -> Regra 4 Sistemas de Produção Enxuta
  52. 52. Ferramentas -> Regra 4 A3 Report Sistemas de Produção Enxuta
  53. 53. Sistemas de Produção Enxuta Modulo 6 Mapeamento do Estado Futuro
  54. 54. Legendas Lean Institute Sistemas de Produção Enxuta
  55. 55. Legendas Lean Institute Sistemas de Produção Enxuta
  56. 56. Passos do Mapeamento + Plano de Ação Definição do Escopo -> Qual o problema? O que queremos melhorar? O que o Cliente quer? O que é importante? Mapeamento do Estado Atual -> Criação da Legenda, identificação dos processos, estoques, fluxo de material, fluxo de informação, estratégia de planejamento, n.o de operadores, T/C, Takt Time, Pitch Time, variabilidade da demanda, variabilidade dos processos, cálculo do Flow Efficiency, etc... etc... etc... Identificação das Perdas e dos Problemas -> Levantamento dos principais problemas no fluxo de informação e materiais (somente problemas e não a solução). Formatação do Plano de Ação -> Por foco de atuação. Mapeamento do Estado Futuro -> Considerar que 100% das ações sejam implementadas. Priorização das Ações -> Saber escolher aquelas que diminuirão o GAP entre o estado atual e o futuro, maximizando os resultados do negócio. Sistemas de Produção Enxuta
  57. 57. Formatando o Plano de Ação Total de perdas do processo Definição do Escopo MAPEAMENTO DO FLUXO DE VALOR Mapeamento do Estado Atual Identificação das Perdas e dos Problemas IDENTIFICAÇÃO DAS PERDAS Formatação do Plano de Ação Mapeamento do Estado Futuro MAPEAMENTO DO ESTADO FUTURO Priorização das Ações 0% FERRAMENTAS MÃO DE OBRA KAIZEN Plano de Ação Evolução do PRODUTOS TQM EQUIPAMENTOS TPM FLUXO LEAN 100% Perdas não diagnosticadas ou trabalhadas Sistemas de Produção Enxuta
  58. 58. Estado atual da fábrica do Seu Geraldo 80 canetas/min Estoque de Polímeros Injetoras 65 fundos/min Máquina de Montagem 57 tampas/min 80 corpos/min Sistemas de Produção Enxuta
  59. 59. O balanço Financeiro Sistemas de Produção Enxuta
  60. 60. Mapeamento do Estado Atual 30/60/90 dias 30/60/90 dias Previsão Programa Previsão de Compra a Fábrica de Vendas Semanal Semanal Mensal Mensal Fornecedor 1 1 2 2 3 3 1 Máquina de 2 4 Cliente Injetoras Montagem • 3 Máquinas • 1 Máquina • 3 Operadores • 2 Funcionários • OEE T = 81% • TT = 80 p/m • OEE F = 79% • OEE C = 70% • TT T = 57 p/m • TT F = 65 p/m • TT C = 80p/m X min X min X min X min X min X min X min X min X min Y min Y min Fornecedor/Cliente Movimentação Automática Processos Σ y´s FE = ___________ Estoque Fluxo de Materiais Informação Σ x´s + Σ y´s Movimentação Manual Fluxo de Informação Sistemas de Produção Enxuta
  61. 61. Identificação das Perdas 30/60/90 dias 30/60/90 dias Previsão Programa Previsão de Compra a Fábrica de Vendas Semanal Semanal Mensal Mensal Produção por Produção 100% MRP Previsão Fornecedor 1 1 2 2 3 3 1 Máquina de 2 4 Cliente Injetoras Montagem • 3 Máquinas • 1 Máquina • 3 Operadores Alto estoque • 2 Funcionários Alto estoque • OEE T = 81% • TT = 80 p/m • OEE F = 79% • OEE C = 70% Muita Desorganização Muita Desorganização • TT T = 57 p/m • TT F = 65 p/m Muitos Acidentes Muita Sujeira Muita Sujeira • TT C = 80p/m Muita Sujeira Alta Movimentação Alta Movimentação Baixo Rendimento Falta Manutenção Layout inadequado Layout inadequado Desbalanceamento Ociosidade Muito Refugo Sistemas de Produção Enxuta
  62. 62. Formatando o Plano de Ação Foco de Atuação Local Problema Ação • Organizar Layout Mão de Obra Alto estoque • Gerenciamento visual de fluxo em FIFO KAIZEN 1 3 Muita Desorganização • Plano sistemático de limpeza • Implantação do programa 5S 2 4 • Programa de reconhecimento operacional Muita Sujeira • Implantação de plano de sugestões de melhoria Injetoras Muita Desorganização • Gerenciamento visual de indicadores Layout inadequado • Organizar Layout Máquina de • Plano de conscientização operacional Montagem Muitos Acidentes • Acompanhamento de indicadores de acidentes • Implantação do controle estatístico de processo Produto • Abrir projeto 6 sigma para redução de refugo Injetoras TQM Muito Refugo • Controle de variabilidades • Revisão do STD de fabricação do Produto • DOE Sistemas de Produção Enxuta
  63. 63. Formatando o Plano de Ação Foco de Atuação Local Problema Ação • Adaptação do Equipamento (visual) Equipamento Muitos Acidentes Máquina de • Implantação do programa TPM TPM Montagem Falta Manutenção • Programa de Conscientização: Dono da Máquina • Equipe TEC 1 3 • Alimentação automática de polímero – Puxada Fluxo Alta Movimentação • Heijunka nos estoques de matéria prima LEAN 2 4 Alto estoque • Kanban entre os estoques Injetoras • Andon para acompanhamento da produção (Ttime) Baixo Rendimento • Célula de manufatura nas injetoras Máquina de Desbalanceamento • Heijunka na Injetoras Montagem • Smed para acionamento de máquinas Ociosidade • Simulação computacional antes da implantação Fornecedor • Mudança da cultura dos clientes e fornecedores Produção 100% MRP • Implantação de Supermercados, VMI Produção por Cliente Previsão • Plano de Suavização de Demanda Sistemas de Produção Enxuta
  64. 64. Desenhando o Estado Futuro Pedidos Diários 30/60/90 dias Previsão Programa Previsão de Compra a Fábrica de Vendas Revisa o Takt Acompanha Time diariamente andamento da Produção Takt Time -> 16m30s -> 1000 pçs Máquina de Cliente Fornecedor 1 Injetoras 3 1 Montagem • 3 Máquinas • 1 Máquina • 1 Operador • 2 Funcionários • OEE T = 98% • TT = 60 p/m • OEE F = 98% • OEE C = 98% • TT T = 60 p/m • TT F = 60 p/m • TT C = 60 p/m X min X min X min X min Y min Y min Fornecedor/Cliente Movimentação Automática Processos Σ y´s FE = ___________ Estoque Fluxo de Materiais Informação Σ x´s + Σ y´s Kanban Fluxo de Informação Puxada Sistemas de Produção Enxuta
  65. 65. Metodologia Lean 6σ p/ priorização das Ações O melhor Desempenho do processo Meta muito Controle Estatístico (entitlement) Instruções escritas Design for 6 sigma Instruções ver bais agressiva UPL Modificações P oka-Yoke - do Processo Metas realísticas Atual (baseline) 1 2 3 4 5 Meta demasiado 3-6 meses passiva Esforço para controlar o Tempo Efetividade Sistemas de Produção Enxuta
  66. 66. Priorizando o Plano de Ação e de ad o to a id po rn lid c o iv pa st to m ci et N.o Ação Cu Re Im Foco de Atuação Te Fa Ef 1 • Organizar Layout Mão de Obra KAIZEN 1 5 6 3 5 8 2 • Gerenciamento visual de fluxo em FIFO Mão de Obra KAIZEN 3 5 8 5 5 10 3 • Plano sistemático de limpeza Mão de Obra KAIZEN 5 5 10 1 1 2 4 • Implantação do programa 5S Mão de Obra KAIZEN 1 1 2 3 3 6 5 • Programa de reconhecimento operacional Mão de Obra KAIZEN 3 3 6 5 5 10 6 • Implantação de plano de sugestões de melhoria Mão de Obra KAIZEN 5 5 10 3 5 8 7 • Gerenciamento visual de indicadores Mão de Obra KAIZEN 1 5 6 5 5 10 • Listar critérios que possuem 8 • Organizar Layout Mão de Obra KAIZEN 3 5 8 1 1 2 relacionamento com facilidade. 9 Mão de Obra KAIZEN 10 • Plano de conscientização operacional • Acompanhamento de indicadores de acidentes Mão de Obra KAIZEN 5 1 5 1 10 2 3 5 3 5 6 10 • Dar pesos a esses critérios 11 • Implantação do controle estatístico de processo Produto TQM 3 3 6 3 5 8 12 • Abrir projeto 6 sigma para redução de refugo Produto TQM 5 5 10 5 5 10 13 • Controle de variabilidades Produto TQM 1 5 6 1 1 2 14 • Revisão do STD de fabricação do Produto Produto TQM 3 5 8 3 3 6 15 • DOE Produto TQM 5 5 10 5 5 10 16 • Adaptação do Equipamento (visual) Equipamento TPM 1 1 2 3 5 8 17 • Implantação do programa TPM Equipamento TPM 3 3 6 5 5 10 18 • Programa de Conscientização: Dono da Máquina Equipamento TPM 5 5 10 1 1 2 19 • Equipe TEC Equipamento TPM 1 5 6 3 3 6 • Listar critérios que possuem 20 • Mudança da cultura dos clientes e fornecedores Fluxo LEAN 3 5 8 5 5 10 relacionamento com Impacto. 21 • Implantação de Supermercados, VMI Fluxo LEAN 5 5 10 3 5 8 22 • Plano de Suavização de Demanda Fluxo LEAN 1 1 2 5 5 10 • Dar pesos a esses critérios 23 • Andon para acompanhamento da produção (Ttime) Fluxo LEAN 3 3 6 1 1 2 24 • Célula de manufatura nas injetoras Fluxo LEAN 5 5 10 3 3 6 25 • Heijunka na Injetoras Fluxo LEAN 1 5 6 5 5 10 26 • Smed para acionamento de máquinas Fluxo LEAN 3 5 8 3 5 8 27 • Simulação computacional antes da implantação Fluxo LEAN 5 5 10 5 5 10 28 • Alimentação automática de polímero – Puxada Fluxo LEAN 1 1 2 1 1 2 29 • Heijunka nos estoques de matéria prima Fluxo LEAN 3 3 6 3 3 6 30 • Kanban entre os estoques Fluxo LEAN 5 5 10 5 5 10 Sistemas de Produção Enxuta
  67. 67. Priorização do Plano de Ação Matriz de Priorização 37 39 40 87 88 89 90 1 2 3 4 41 42 43 44 91 93 94 Alto = 3 5 7 8 45 46 47 48 96 97 98 9 10 11 12 49 50 51 52 100 101 102 13 53 54 55 56 103 104 105 106 Impacto para o Negócio 57 58 59 60 107 108 109 15 16 17 19 20 21 61 62 63 64 Médio = 2 23 24 25 26 65 66 67 68 115 116 117 118 27 28 29 30 6 70 71 72 31 32 33 34 73 74 75 76 35 36 78 79 80 110 111 119 120 Baixo = 1 81 82 83 84 113 114 Alta = 5 Média = 3 Baixa = 1 Facilidade Sistemas de Produção Enxuta

×