Planejamento 2014

156 visualizações

Publicada em

Apresentação da área de planejamento na convenção anual da agência Neotass.

Publicada em: Marketing
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
156
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
8
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
1
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide
  • Bom dia pessoal! Pensamos em muita coisa pra falar. Muitas mesmo. Filtramos os mimimis para jogar luz em questões importantes para a empresa e, consequentemente para o planejamento. Sendo assim, vamos lá...
    1ª coisa que gostaria de dizer, é que o planejamento não são 2 pessoas tendo ideias com um briefing na mão. Assim como a criação, também não... Creio que as áreas que lidam mais com a inventividade, planos (que são todas na agência, cada uma a sua maneira), dependem muito de quem tem os contatos no mundo exterior. Do trabalho em grupo. Precisamos MUITO falar com todos envolvidos nos projetos e estar alinhados com as expectativas, para obter resultados realmente eficientes. Creio que todos sabemos isso e como fazer, mas na hora de aplicar... Nada rola como planejado. É sobre isso que queremos falar. Isso, e nosso papel na Neo. Como enxergamos 2014? Vejamos...
  • Este ano, chegamos a conclusão que mais que que cumprir as demandas que vocês nos pedem, nossas palavras de ordem para 2014, são: INOVAÇÃO, CONHECIMENTO e PROCESSOS. Sem isso não crescemos, e corremos um risco de passar 2014 como 2013: “manda o próximo job por favor... Que solução vamos usar? Faça o seu pedido...”.
    Já que a ideia é INOVAR, precisamos adquirir Conhecimento e determinar Processos que nos permitam planejar de forma criativa e organizada. Sem burocratizar. Mas já ouviram dizer que a fila é uma das maiores invenções da humanidade e que ela é uma prova de nossa civilidade? Tudo bem, não queremos colocar um job atrás do outro e dizer: Ahhhhh, só mexo nisso aí a hora que acabar este aqui. Isso não é uma realidade da área. Mas estabelecer processos, faz com a coisa ande em trilhos e, fora algum acidente de percurso, nos leva onde é necessário chegar.
    Entregamos como anexo, nossa ideia de como um processo de trabalho deve se desenrolar na agência. Essa é uma longa discussão que não temos tempo de definí-la aqui. Há até um sistema que sabemos que está em desenvolvimento. Talvez seja só casar estes processos e discuti-los com as equipes. Só estamos certos de uma coisa: sem processo não há progresso. Vamos discuti-lo seriamente em 2014.
    Conhecimento, é estudar, fazer cursos e se informar. Nós queremos estar até o pescoço de cursos. Adiante, apresentaremos uma opção para amortizar valores de cursos que queremos fazer?
  • Como trabalhamos hoje?
    Basicamente usamos nossa experiência para resolver tudo. Ao menos o nosso dia a dia... Nossas soluções são empíricas, superficiais, e fundamentadas de forma simplista em nossa experiência, evidenciando a necessidade de novos conhecimentos e do entendimento da realidade do novo ambiente externo. Quantas pessoas nesta sala estão realmente capacitadas para fazer uma análise precisa do nosso mercado? Eu é que não seria voluntário para falar a uma plateia de especialistas. Tenho consciência de que iria “chover no molhado” e muita gente iria aproveitar meu horário como um bom motivo para tomar um cafezinho e respirar um ar lá fora. Gente, minha visão de mercado tem que ser atualizada. Precisamos nos preparar. Estudar. Ler. Sei falar do que já fiz. Olhar para trás tentar não cometer os mesmos erros. Tentar repetir acertos. Mas tudo está mudando tão rápido... Temos que pensar diferente. Propor e se posicionar de maneira diferente. Apresentar novas soluções. Precisamos acender os faróis da frente do nosso carro.
  • Temos um complexo de nanismo, inferioridade ou somos arrogantes?
    Nosso posicionamento é confuso. Hoje, acreditamos eu estamos por aqui: Somos “cumpridores de demandas”. Tudo que nosso cliente pede, a gente se esforça para fazer da melhor maneira possível e concorremos com um preço baixo. Tentamos fazer de tudo, apesar de atualmente, estarmos descobrindo nossas “verticais”: programa de canais, campanhas promocionais, eventos... Mas se um cliente pedir para a gente tentar fazer a temperatura de hoje baixar, nos vamos agendar uma reunião pra discutir o que podemos fazer. E pior... Vamos acabar apresentando um plano que não dará em nada.
    Nós temos que nos movimentar até este ponto. O Cliente tem que falar... Putz, sem a Neotass, eu não faço isso. E não é fazer chover, é resolver questões em que apresentemos resultados verdadeiros. É fazer cases de verdade. Sair de um número, situação, e levar o cliente para outro ponto, através de uma plano que criamos, superando as expectativas de quem nos contrata. Aí sim: Inovação não tem preço. Como fica se a Samsung quiser fazer o Canal Azul sozinha? Um fica. Vai dar pau. A questão é: se eles pudessem, eles nos tirariam do Canal Azul? Eu espero responder que não. Que nada do que fazemos lá, sejam produtos que vendemos, e sim um trabalho realizado por uma empresa que eles necessitem manter como parceira estratégicas: “Pô os caras da Neotass, são feras mesmo... Ainda bem que trabalhamos com eles.”
  • Bom, vamos analisar como são o Edu e Daniel nesta história, e o que eles podem fazer por nós? Pessoalmente, nos vemos assim:

    Como pontos positivos, enxergamos:

    Como pontos negativos, enxergamos:
  • Qualquer job com qualquer prazo e qq briefing, “tá valendo”.

    Há entrega. Os resultados é que são discutíveis.

    Cases Neotass?

    Temos jobs e prazos – esse é o processo. Então vai assim mesmo...

    Requintar ao invés de “requentar”?
     
    Hábitos ruins se substituem com hábitos melhores.
  • Gente... Descobrimos a América. O que fazer com o JOB? Definir o processo. É este? Não sei. Se as pessoas souberem o que tem no radar, a gente consegue estudar prazos ou temos que continuar com: “Se é o que temos para o momento, então vai assim...” ?
    O mais importante é: não queremos burocratizar nada. Tudo em agência é muito dinâmico. Se pararmos o processo por que falta um item no briefing, perdemos o prazo. Então, manda o briefing, depois a gente cobra as informações. O que é do dia a dia não muda... Segue com e-mail, e uma conversa na baia mesmo. Vamos organizar o que é importante e que gera grande volume de trabalho.
  • Resultados . O que esperar dos dois processos apresentados?
    Qual trará um resultado mais inteligente e qual trará o resultado mais eficiente (para o cliente e não para nós).
    Estamos ansiosos demais. Será que estamos trabalhando corretamente?
  • Tem dinheiro sobrando para cursos. Não. Onde vamos buscá-lo? Nos trabalhos que o planejamento ajudou a fechar. Vamos definir um percentual e usar essa verba para a nossa especialização. Quanto? Só o financeiro pode dizer. Com o tempo checamos se isso é funcional.
  • Simples. O Planejamento é um departamento como o outros. Não 2 pessoas que fazem planos. Gostaríamos de trabalhar isso melhor. Não cordeno job no Canal Azul, sem que o André esteja a par. As vezes, temos a impressão de que o Planejamento, não é um departamento...
    Não somos executores de PPT
  • Para gerar receitas, precisamos saber melhor o que se passa no comercial. Tem uma conta no Radar? Podemos ajudar, buscar informações de mercado que sejam úteis? Reunir planejamento e comercial não é algo saudável?
    Recentemente o Daniel teve uma ideia que estamos trabalhando. Para quem podemos vender, é algo que queria compartilhar com vocês. Em breve, creio que isto tem que ser um processo.
  • Feed Back

    Trimestral – análise dos processos efetivados, discussão do que deu e do que não deu certo, quanto arrecadou o nosso fundo estratégico, quais as melhorias quantitativas e qualitativas que resultaram nossas ações.
    Uma mesa, um relatório, diretores e alguém do comercial para analisar as atitudes.
  • Pessoal,

    É isso ai. Estou curioso para ver a apresentação do time, e pensar o que essa mescla de sugestões vai gerar.
    2014 é copa do mundo. Isso também é estratégico. Temos que pensar o como ganhar dinheiro com a grana que o evento trás ao mercado. Como usar o tema. Mas isso fica para outra reunião.

    Obrigado.
  • Planejamento 2014

    1. 1. Convenção Neotass 2014 Visão de Futuro
    2. 2. retorno

    ×