Chamada da meia-noite_06-2009

1.914 visualizações

Publicada em

0 comentários
2 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.914
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
8
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
47
Comentários
0
Gostaram
2
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Chamada da meia-noite_06-2009

  1. 1. JUNHO de 2009 | ANO 40 | Nº 6 | RS 3,50 Das Crises MunDiais ao GiGante MunDial
  2. 2. 04 Índice pRezAdOS AMIGOS Publicação mensal Administração e Impressão: Rua Erechim, 978 | Bairro Nonoai | 90830-000 Porto Alegre/RS | Brasil Fone: (51) 3241-5050 Fax: (51) 3249-7385 mail@chamada.com.br | www.chamada.com.br 05 Endereço Postal: Caixa Postal, 1688 90001-970 | PORTO ALEGRE/RS | Brasil Preços (em R$): dA S C RI SeS MU N d I AI S Assinatura anual ..................................... 31,50 AO G I G AN T e MU N d I AL - semestral .............................. 19,00 Exemplar Avulso ........................................ 3,50 Exterior - Assin. anual (Via Aérea) ...... US$ 35.00 Fundador: Dr. Wim Malgo (1922-1992) 10 Conselho Diretor: Dieter Steiger, Ingo Haake, Markus Steiger, Reinoldo Federolf Editor e Diretor Responsável: Ingo Haake Layout: Julia Wiesinger A pRO feC I A Rev eLA Diagramação & Arte: Roberto Reinke O S SeG Red O S d O fU T U RO INPI nº 040614 Registro nº 50 do Cartório Especial Edições Internacionais A revista “Chamada da Meia-Noite” é publica- da também em espanhol, inglês, alemão, ita- 14 liano, holandês, francês, coreano, húngaro e cingalês. As opiniões expressas nos artigos assinados são de responsabilidade dos autores. O S “H AbI TAN T eS dA T eRRA” “Mas, à meia-noite, ouviu-se um grito: Eis o noivo! saí ao seu encontro” (Mt 25.6). Me NC I O N Ad O S eM ApO CALI pSe A “Obra Missionária Chamada da Meia-Noite” é uma missão sem fins lucrativos, com o objetivo de anunciar a Bíblia inteira como infalível e eterna Pa- lavra de Deus escrita, inspirada pelo Espírito Santo, 18 sendo o guia seguro para a fé e conduta do cristão. A finalidade da “Obra Missionária Chamada da Meia-Noite” é: 1. chamar pessoas a Cristo em todos os lugares; d O N O SSO CAMpO v I SUAL 2. proclamar a segunda vinda do Senhor Jesus Cristo; 3. preparar cristãos para Sua segunda vinda; Por que tantos focos de conflitos? 4. manter a fé e advertir a respeito de falsas doutrinas chamada Todas as atividades da “Obra Missionária Chamada da meia-noite da Meia-Noite” são mantidas através de ofertas vo- 20 luntárias dos que desejam ter parte neste ministério. AC O N S e L H A M e N TO b í b L I C O www.chamada.com.br é veRdAde qUe O SUbCONSCIeNTe dIR IGe NOSSOS ATOS?
  3. 3. amigos prezados Roney nos escreveu por e-mail: “O problema é que não consigo aceitar os pastores de várias igrejas que na maior parte dos seus cultos se preocupam em ficar pedindo dinheiro de várias formas. Se fosse apenas o dízimo... Mas não é apenas isso. Ficam tentando vender produtos e águas, fazem rituais que prometem nos fazer vencer e virar grandes empresários, só falam em carros e casas e viagens”. Recebemos mensagens desse tipo com muita freqüência. Em evidente contraste, o Mestre Jesus declarou a Seus discípulos: “As raposas têm seus covis, e as aves do céu, ninhos; mas o Filho do Homem não tem onde reclinar a cabeça” (Mt 8.20). O apóstolo Pedro disse ao homem coxo de nascença: “Não possuo nem prata nem ouro, mas o que tenho, isso te dou: em nome de Jesus Cristo, o Nazareno, anda!” (At 3.6). Sem dúvida isso era válido para todos os apóstolos, conhecidamente pobres em bens materiais. Mas dos falsos mestres a Bíblia nos diz o contrário: “...homens cuja mente é pervertida e privados da verdade, supondo que a piedade é fonte de lucro” (1 Tm 6.5). dIeTeR Chama a atenção que se espera que os anciãos e diáconos sejam “não avarentos”, “não cobiçosos de sórdida ganância” (1 Tm 3.3,8). O mesmo se esperava do bispo da ilha de Creta: que ele não fosse STeIGeR “cobiçoso de torpe ganância” (Tt 1.7). O apóstolo Pedro escreveu aos anciãos: “pastoreai o rebanho de Deus que há entre vós, não... por sórdida ganância” (1 Pe 5.2). Estamos bem conscientes de que o amor ao dinheiro, o desejo de lucro e o anseio por bens materiais que se alastra dentro do cristianismo de hoje pode se apossar de nós também. Ter dinheiro não é pecado, mas ai de nós quando o dinheiro nos comanda, quando ele domina nosso pensar e nosso agir. O apóstolo alerta: “Ora, os que querem ficar ricos caem em tentação, e cilada, e em muitas concupiscências insensatas e perniciosas, as quais afogam os homens na ruína e na perdição” (1 Tm 6.9). A Bíblia nos fornece três exemplos assustadores de pessoas que foram tomadas pela ganância: Acã, que na tomada de Jericó escondeu em sua tenda despojos que, segundo ordens bem claras de Deus através de Josué, deveriam ser destruídos. Esse pecado único causou uma terrível derrota ao povo de Israel diante de Ai, pois o Senhor não podia mais estar com eles. Acã confessou: “Verdadeiramente, pequei contra o Senhor, Deus de Israel, e... vi entre os despojos uma capa babilônica, e duzentos siclos de prata, e uma barra de ouro do peso de cinquenta siclos, cobicei-os e tomei-os...” (Js 7.20-21). Ele foi apedrejado. Balaão, o profeta gentio a quem o rei moabita Balaque fez uma proposta tentadora e vantajosa se amaldiçoasse Israel. O Novo Testamento usa-o como exemplo negativo, falando de homens que “abandonando o reto caminho, se extraviaram, seguindo pelo caminho de Balaão, filho de Beor, que amou o prêmio da injustiça” (2 Pe 2.15). Os corações cheios de cobiça daqueles que prestam serviços religiosos visando o lucro pessoal são “movidos de ganância” e “se precipitaram no erro de Balaão” (Jd 11). Balaão era um profeta mercenário e símbolo do dolo e da cobiça, segundo a Bíblia Anotada Expandida. Mais tarde ele foi morto pelos soldados de Josué. Geazi, servo do profeta Eliseu. Ele correu atrás de Naamã, que havia sido curado da lepra, e mentiu, pedindo “um talento de prata e duas vestes festivais” (2 Rs 5.23). Pelo visto, ele não queria deixar passar essa grande chance de, como servo do grande profeta, finalmente conseguir algum lucro. O profeta o repreendeu, dizendo: “...Era ocasião para tomares prata e para tomares vestes, olivais e vinhas, ovelhas e bois, servos e servas?” (2 Rs 5.26). Geazi foi castigado com a lepra de Naamã pelo resto de sua vida. A Palavra diz que não tem herança no reino de Cristo e de Deus “nenhum... avarento, que é idólatra” (Ef 5.5). “Uma pessoa avarenta é idólatra, pois coloca as coisas antes de Deus” (ABA). O Senhor Jesus diz na parábola do semeador: “O que foi semeado entre os espinhos é o que ouve a palavra, porém os cuidados do mundo e a fascinação da riqueza ofuscam a palavra, e fica infrutífera” (Mt 13.22). É hora de vigiar e orar para que o amor ao dinheiro e por tudo aquilo que o dinheiro pode comprar não encontre lugar em nossos corações. Como antídoto, peçamos com mais fervor que o Senhor abra nossos olhos espirituais para os valores eternos, orando sempre: “Inclina-me o coração aos teus testemunhos e não à cobiça” (Sl 119.36). 4 CHA MA dA dA Me I A -N OI Te | J U NH O d e 2 0 0 9
  4. 4. ARTI GO 01 Das Crises MunDiais ao GiGante MunDial norbert lieth TRêS TIpOS de CRISeS MUNdIAIS fORçAM A UNIdAde dAS NAçõeS: A CRISe AMbIeNTAL, O TeRRORISMO INTeRNACIONAL e AS CRISeS eCONôMICAS. NeSSe SeNTIdO, ALGUéM deCLAROU: “eSTAMOS SeNdO ARRASTAdOS eM dIReçãO à NOvA ORdeM MUNdIAL, eMpURRAdOS peLA HISTeRIA CLIMáTICA, eSMAGAdOS peLAS fINANçAS”. A CRISe MAIS ReCeNTe qUe NOS ATINGIU fOI A CRISe fINANCeIRA MUNdIAL... a ntes de tratarmos de um tema polêmico, seguindo a orienta­ ção de Tiago 5.1­9, quero enfa­ tizar que, em princípio, a riqueza não é proibida pela Bíblia. Conhecemos ho­ A palavra profética de Deus conec­ ta os tempos finais com o mundo fi­ nanceiro. Este é um sinal dos últimos tempos. O setor financeiro terá um pa­ pel significativo nestes dias e será um mente. Filhinhos, já é a última hora; e, como ouvistes que vem o anticristo, também, agora, muitos anticristos têm surgido; pelo que conhecemos que é a última hora” (1 Jo 2.15-18). mens da Bíblia que eram ricos, como o tema dominante. Não creio que Tiago Nossa época, como nenhuma outra, bem­sucedido Filemom, os ricos pa­ 5 trate apenas de indivíduos ricos, que é determinada por emoções, imagens e triarcas e o bilionário Davi. Se meus sempre existiram, mas de um mundo pela ostentação de riqueza e poder. cálculos estiverem corretos, o rei Davi, enriquecido e de nações economica­ Heinz Schumacher, na sua tradução da por exemplo, possuía cerca de 3.400 to­ mente ricas, como as de hoje. O cená­ Bíblia [para o alemão], traz a seguinte neladas de ouro e 34.000 toneladas de rio predito na Bíblia condiz com o explicação sobre “soberba da vida” prata, que colocou à disposição para a mundo financeiro dos últimos dias. (v.16): “Vangloriar­se daquilo que a construção do templo (1 Cr 22.14). E Alguns exemplos: pessoa é, do que tem e do que pode em ele não ficou mais pobre por isso. A Bí­ sua vida terrena”.[1] O comentário bí­ blia não proíbe a riqueza, mas adverte blico de Menge diz que a “soberba da acerca dos perigos que ela representa e a última hora vida” é “orgulho como postura de vida lamenta seu uso fora da vontade de “Não ameis o mundo nem as coisas (ou: gabar­se da fortuna, exibir­se com Deus (Mc 4.19; Lc 12.15; At 5.4; Cl 3.5­ que há no mundo. Se alguém amar o dinheiro, a pompa terrena)”. 6; 1 Tm 6.9­10,17; 2 Pe 2.14­15). mundo, o amor do Pai não está nele; Com certeza, é muito significativo o porque tudo que há no mundo, a concu- fato de João ligar o mundo financeiro e piscência da carne, a concupiscência sua derrota futura com a “última hora” 1. Um sinal dos dos olhos e a soberba da vida, não pro- e o “Anticristo” que virá. Ele o faz de últimos dias cede do Pai, mas procede do mundo. modo semelhante a Tiago, que fala dos Ora, o mundo passa, bem como a sua “últimos dias” nesse contexto. João tam­ “Tesouros acumulastes nos últimos concupiscência; aquele, porém, que faz bém é o escritor do Apocalipse, e justa­ dias” (Tg 5.3). a vontade de Deus permanece eterna- mente quando trata da união mundial CH A M A dA dA MeI A- N O I T e | JU N H O d e 2 009 5
  5. 5. anticristã e da derrocada da Babilônia soas não se arrependerão (Ap 9.20­21)? financeira, ele repetidamente menciona Haverá novamente ídolos de pedra ou esta hora (Ap 18.10,17,19). madeira para serem adorados, ou o ob­ jeto de culto será algo mais moderno? Basta lembrar que a carta aos Colos­ Jeroboão senses chama a avareza de idolatria e A história de Jeroboão é relatada a enfatiza que, por sua causa, a ira de partir de 1 Reis 11. Ele levou o povo a Deus virá sobre o mundo desobediente descaminhos como nenhum outro an­ (Cl 3.5­6) e que o Apocalipse descreve tes dele. Por isso ele é um tipo de Anti­ essa ira de Deus – então saberemos que cristo. E o Israel do seu tempo exem­ idolatria é essa: a dança ao redor do be­ plifica um povo que, nos últimos dias, zerro de ouro (o mundo financeiro) deixar­se­á seduzir novamente. Jero­ nos tempos finais. “Assim, façam mor- boão provocou uma revolta, dividiu o rer tudo o que pertence à natureza ter- reino e tomou dez tribos para si. Con­ rena de vocês: imoralidade sexual, im- seguiu ser declarado rei sobre Israel pureza, paixão, desejos maus e a ganân- (dez tribos). Erigiu um bezerro de ou­ cia, que é idolatria” (Cl 3.5; NVI). ro em Betel e outro em Dã, uma con­ Pelo visto, acumular dinheiro, es­ traposição ao serviço a Deus no tem­ banjá­lo e exibi­lo será um fenômeno plo em Jerusalém. Jeroboão instituiu característico dos tempos finais. um sacerdócio falso e mudou até mes­ mo as datas da festa dos Tabernáculos. “Pois, quando ele rasgou a Israel da ca- 2. a atUalidade sa de Davi, e eles fizeram rei a Jeroboão, das afirmações filho de Nebate, Jeroboão apartou a Is- proféticas rael de seguir o Senhor e o fez cometer grande pecado” (2 Rs 17.21). “Tesouros acumulastes nos últimos Os atos de Jeroboão foram tão terrí­ dias... Tendes vivido regaladamente so- veis que a Bíblia repetidamente fala do bre a terra; tendes vivido nos prazeres; “pecado de Jeroboão”. Porém, é interes­ tendes engordado o vosso coração, em sante ler o seguinte a respeito desse ho­ dia de matança; tendes condenado e OS GRANdeS bANCOS, qUe ObTI- mem: “Ora, vendo Salomão que Jero- matado o justo, sem que ele vos faça re- veRAM LUCROS bILIONáRIOS, boão era homem valente e capaz, moço sistência” (Tg 5.3,5-6). AINdA ASSIM deMITIRAM e eS- laborioso, ele o pôs sobre todo o trabalho O cumprimento total do versículo TãO deMITINdO MILHAReS de forçado da casa de José” (1 Rs 11.28). 6 está reservado para a Grande Tribu­ eMpReGAdOS. Um “último Jeroboão” se levantará lação futura, mas o que está descrito sobre Israel e sobre o mundo, e ele nos versículos 3 e 5 já é perfeitamente também fará com que tudo gire em visível nos dias de hoje. A região da torno de finanças. antiga Babilônia está se transformando numa nova Babilônia – basta ver o de­ senvolvimento de Dubai. Essa região a ira de deus por causa do mostra ao mundo inteiro o quanto a dinheiro Bíblia é atual.[2] “Fazei, pois, morrer a vossa nature- As chamadas “oligarquias” também za terrena: prostituição, impureza, pai- voltaram a ter destaque desde a década xão lasciva, desejo maligno e a avareza, de 90. O termo oligarquia deriva do que é idolatria; por estas coisas é que grego do tempo de Platão (427­347 vem a ira de Deus sobre os filhos da de- a.C.), e descreve o “governo sem lei dos sobediência” (Cl 3.5-6). ricos que só pensam em seu próprio Essa ira de Deus não se refere ao benefício. Assim como a aristocracia, é Dia do Juízo, mas à Tribulação futura o governo de poucos, com a diferença mencionada no Apocalipse, algo que de que a aristocracia, ao contrário da Isaías também liga com a Babilônia oligarquia, é considerada como um go­ dos últimos tempos (Is 13.1,9­13; cf Sf verno legal, voltado ao bem comum”. É 2.2­3; Rm 1.18; Ap 6.16­17). interessante considerar que, desde a dé­ O que será essa “idolatria” da qual o cada de 90, essa palavra voltou a ser Apocalipse tanto fala, e da qual as pes­ significativa na Rússia. Ela refere­se a 6 CHA MA dA dA Me I A -N OI Te | J U NH O d e 2 0 0 9
  6. 6. empresários “que em geral são suspei­ tos de terem obtido grande riqueza e influência política por meios escusos durante o período caótico que se se­ guiu ao fim da União Soviética”.[3] A respeito, li: ...em apenas 10 anos, alguns russos entraram, da noite para o dia, para o eM pRINCípIO, A RIqUezA clube mundial dos hiper-ricos. Sem es- NãO é pROIbIdA peLA crúpulos, tiraram proveito da transição bíbLIA. O ReI dAvI eRA do sistema comunista para um novo sis- tema capitalista, garantindo para si, a bILIONáRIO; eNTRe preço de banana, o filé da economia OUTROS beNS, eLe russa. Estes assim chamados “oligar- pOSSUíA CeRCA de 3.400 cas” são os vencedores de um enorme TONeLAdAS de OURO. “Banco Imobiliário” (...) Os antigos ad- ministradores soviéticos mostraram-se extremamente adaptáveis, descartando rapidamente a sua ideologia e privati- zando as estatais para dentro de seus tem seu próprio benefício em vista, e pressão se tornaram os assuntos do dia próprios bolsos. (...) Os banqueiros da não se importa com o bem comum. nos países mais ricos. Bilionários e primeira hora ganharam milhões em • Os grandes bancos, que obtive­ suas famílias perderam grandes fortu­ dinheiro público com especulação e ram lucros bilionários, ainda assim de­ nas em poucos dias. A economia mun­ câmbio, sem correr grandes riscos. mitiram e estão demitindo milhares de dial e todo o sistema financeiro estão Apenas, não concediam muitos emprés- empregados. abalados. Mas tudo isso é apenas o co­ timos. Na primeira metade da década • No final de novembro de 2008, a meço, pois o juízo da própria Tribula­ de 90, os banqueiros eram a elite da União Européia (UE) decidiu reduzir ção ainda está por vir. oligarquia. (...) Na fase inicial, a pro- drasticamente as subvenções para os priedade das estatais foi distribuída agricultores europeus, privando­os de amplamente entre a população, por uma receita importante para a manu­ 3. a volta do meio de certificados de participação. tenção de seus empreendimentos. senhor está Essa distribuição foi teórica, pois logo próxima os antigos administradores e os novos ricos tinham garantido essas empresas o colapso econômico O retorno iminente do Senhor é para si. Isso foi possível graças à hipe- foi predito mencionado três vezes em relação di­ rinflação e à crise”.[4] “Atendei, agora, ricos, chorai lamen- reta com as crises econômicas mun­ “Tesouros acumulastes nos últimos tando, por causa das vossas desventuras, diais: dias!”. que vos sobrevirão. As vossas riquezas “Sede, pois, irmãos, pacientes, até à estão corruptas, e as vossas roupagens, vinda do Senhor” (Tg 5.7). comidas de traça; o vosso ouro e a vossa “Sede vós também pacientes e forta- o manuseio injusto de prata foram gastos de ferrugens, e a sua lecei o vosso coração, pois a vinda do dinheiro e poder ferrugem há de ser por testemunho con- Senhor está próxima” (Tg 5.8). “Eis que o salário dos trabalhadores tra vós mesmos e há de devorar, como “Irmãos, não vos queixeis uns dos que ceifaram os vossos campos e que por fogo, as vossas carnes. Tesouros acumu- outros, para não serdes julgados. Eis vós foi retido com fraude está claman- lastes nos últimos dias” (Tg 5.1-3). que o juiz está às portas” (Tg 5.9). do; e os clamores dos ceifeiros penetra- O repentino colapso financeiro é Primeiro é dito duas vezes que o ram até aos ouvidos do Senhor dos um exemplo para o Dia do Senhor, que retorno do Senhor está próximo, e em Exércitos” (Tg 5.4). sobrevirá ao mundo como um ladrão à seguida lemos que o juiz está às portas. • A renda mensal média dos cida­ noite. Justamente no meio de um pico Jesus virá para arrebatar os Seus e de­ dãos de Dubai é de 2.400 euros; já o econômico, quando todos estavam oti­ pois virá como Juiz. Os acontecimen­ salário dos trabalhadores estrangeiros, mistas, veio o crash, a crise financeira tos da Tribulação já serão os juízos ini­ que cumprem jornadas de 15 horas atual. A miséria e a aflição literalmente ciais desse Juiz. por dia, sob uma temperatura de 40 desabaram sobre o mundo das finan­ A rebelião do mundo contra Deus e graus à sombra, é de apenas 100 euros. ças. Grandes setores industriais (in­ o seu Ungido é cada vez maior (Sl 2). Esses são os escravos de hoje.[5] dústria automobilística) ruíram, e os As pessoas não querem saber de Cristo • A oligarquia, nome para um go­ bancos se tornaram devedores. De nem do cristianismo. Os cristãos são re­ verno sem lei exercido pelos ricos, só uma hora para outra, a recessão e a de­ jeitados com freqüência cada vez maior. CH A M A dA dA MeI A- N O I T e | JU N H O d e 2 009 7
  7. 7. A depressão na década de 1930 na Alemanha selou o fim da democracia parlamentarista. Hitler subiu ao po­ der. Com mentiras, enganos, sedução e uma nova prosperidade econômica o país galopou em direção à catástrofe da ditadura, da Segunda Guerra Mun­ dial, da perseguição aos judeus e, fi­ nalmente, da derrocada total do “Ter­ ceiro Reich”. As crises atuais parecem ser vir para preparar os acontecimen­ tos do Apocalipse. Elas clamam por segurança confiável, por uma nova ordem mundial, impelem a globaliza­ ção e exigem um homem forte, um gigante mundial. exemplos da mídia NO pORTãO de bRANdeNbURGO (eM beRLIM) • Romano Prodi (ex­primeiro­mi­ 200.000 peSSOAS ACLAMARAM bARACk ObAMA, nistro da Itália) disse: “Não temos al­ MeSMO SeM CONHeCeR SeU pROGRAMA de GOveRNO. ternativa senão formar os Estados Uni­ dos da Europa”.[9] • Em um artigo, a revista Die Zeit la­ mentou que não haja um “líder global” adequado em vista e considerou Barack E, você quer saber de uma coisa? O pró­ hora. Têm estes um só pensamento e Obama como “o presidente mundial prio Deus vai tirá­los do meio das pes­ oferecem à besta o poder e a autoridade certo para o século 21”.[10] O noticiário soas! O Arrebatamento extrairá o ver­ que possuem” (Ap 17.12-13). suíço 10 vor 10 tratou do tema “Barack, dadeiro cristianismo do mundo, para Diante de tudo isso, não é sur­ o salvador”. Em todo o mundo, os que o anticristianismo tenha seu espaço preendente que o presidente alemão, meios de comunicação competiram pa­ (2 Ts 2.5­12). Deus dará ao mundo o Horst Köhler, afirmou que desejaria ra publicar relatos eufóricos a respeito que ele deseja; Saul em vez de Davi, que os governos escolhessem “alguns dele. Ele foi chamado de “Messias” com Barrabás em vez de Jesus, o Anticristo sábios” para regulamentar o mundo freqüência cada vez maior. No Portão em vez de Cristo. O retorno do Senhor globalizado.[7] Ou que Kofi Annan de Brandenburgo (em Berlim) 200.000 está próximo, e o Juiz está às portas. (ex­Secretário­Geral da ONU) tenha pessoas o aclamaram, mesmo sem co­ As crises ambientais, o terrorismo enfatizado o fato de que a crise só po­ nhecer seu programa de governo. O en­ internacional e a crise financeira mun­ derá ser resolvida de forma global.[8] tão presidente George W. Bush, que se dial empurram o mundo para a unida­ Já nos acostumamos a expressões declarava cristão, era demonizado e de e na direção de um último “gigante como “cúpula econômica mundial”, odiado, mas as mesmas massas aclama­ mundial” profetizado na Bíblia. A re­ “sistema financeiro mundial”, “ordem ram um homem que mal conheciam. vista factum publicou um artigo que financeira mundial”, “controle finan­ Isso tudo é um bom exemplo para o fu­ dizia: “...Os sinais dos tempos chamam ceiro mundial”, “fórum econômico turo. Individualmente, as pessoas po­ a atenção e lembram que estamos na mundial”. Ultimamente, também ouve­ dem ser inteligentes, mas as massas última etapa da história da humanida­ se falar cada vez mais de uma “entida­ sempre estão sujeitas à sedução. A his­ de. Os seis primeiros juízos dos selos de ou banco central mundial”. tória prova isso, e as conseqüências são do Apocalipse prevêem rupturas políti­ Fica claro que os eventos descritos assustadoras. cas, sociais, econômicas e militares que no último livro da Bíblia terão de se • O ex­secretário da Economia dos remetem ao que já vivemos hoje”.[6] cumprir e que isso acontecerá de for­ EUA, Prof. N. Cooper, já dizia em 1984: A Bíblia é clara quando fala de uma ma repentina e rápida. Os rumos estão “Para o próximo século sugiro uma al­ reunificação mundial, liderada por um sendo estabelecidos hoje. É preciso ternativa radical: a criação de uma “gigante” anticristão, a quem o dragão formar uma plataforma para o futuro moeda comum para todas as democra­ dará sua força, seu trono e seu poder reino mundial anticristão e seu líder. cias industriais, com uma política cam­ absoluto (Ap 13.2). “Os dez chifres que Para isso é preciso que haja unidade e, bial comum e um banco comum para a viste são dez reis, os quais ainda não re- através de manobras de engano em fixação de uma estratégia monetária ceberam reino, mas recebem autoridade massa, também deverá ser produzida (...) Como países independentes po­ como reis, com a besta, durante uma uma nova prosperidade. dem conseguir isso? Precisarão entre­ 8 CHA MA dA dA Me I A -N OI Te | J U NH O d e 2 0 0 9
  8. 8. gar o controle da política cambial a Diante do prédio da nossa missão nível neste local é mais alto que o nível uma corporação supranacional”.[11] na Suíça há um hotel muito bonito, cha­ inferior da fossa”. • Neste contexto uma declaração mado Sonnental (= Vale do Sol). Ele foi Esse não é um bom exemplo para do presidente francês Nicolas Sarkozy reformado e parcialmente reconstruído os seres humanos? Por fora muitos são não causa qualquer espanto: “Durante por dentro e por fora, com novas de­ um “Vale do Sol”, mas por dentro está anos tentamos alcançar algo. A crise pendências e bela decoração. As cores escondida uma fossa negra. Por fora as deve ser aproveitada como a oportuni­ são lindas e o atendimento é excelente. aparências são ótimas, mas interior­ dade para que ela não se repita. Preci­ Há nele um grande spa e um restauran­ mente a profunda fossa dos pecados samos de uma economia de mercado te de primeira linha. O Sonnental des­ ainda não foi limpa. Os pecados cor­ humana que funcione. Isso só é possí­ fruta de uma boa reputação. Há algum roem nossa vida e podem causar gran­ vel com regras. Essas regras precisam tempo aconteceu algo estranho: uma des danos. Porém, quem permite que ser definidas em âmbito global (...) parte do piso do estacionamento afun­ Jesus a limpe e depois a preencha com precisamos de uma resposta global pa­ dou. O buraco era tão grande que um seus dons, experimentará a verdade bí­ ra uma crise global...”[12] caminhão poderia ter caído nele. O mo­ blica: “Se, porém, andarmos na luz, co- • A revista Veja lamentou a falta de tivo era a existência de uma fossa negra mo ele está na luz, mantemos comunhão um líder político adequado para o mun­ naquele local, da qual ninguém tinha uns com os outros, e o sangue de Jesus, do, que precisa do estadista certo.[13] conhecimento e que não aparecia em seu Filho, nos purifica de todo pecado. As crises econômicas preparam o nenhum documento ou planta. Se dissermos que não temos pecado ne- mundo para o gigante mundial que virá. Uma camada de terra de 2 metros nhum, a nós mesmos nos enganamos, e de espessura cobria a fossa. O nível in­ a verdade não está em nós. Se confessar- ferior da fossa estava 4,5 m abaixo do mos os nossos pecados, ele é fiel e justo 4. o JUiz está diante piso do estacionamento. Ela tinha sido para nos perdoar os pecados e nos puri- da porta, e Um dia desativada há muito tempo sem ter si­ ficar de toda injustiça” (1 Jo 1.7-9). o homem estará do limpa. Como o conteúdo é muito ácido, com o tempo ele corroeu a co­ Notas: diante do JUiz bertura de concreto e causou o desaba­ 1. NT, Heinz Schumacher, Hänssler, pg 916, comentário 28. 2. “Blickfeld”: “Das Seiende, das vergeht, und das Blei­ “Irmãos, não vos queixeis uns dos mento. Cerca de 70m3 de esgoto que bende, das kommt”. outros, para não serdes julgados. Eis ainda estavam na fossa tiveram de ser 3. http://de.wikipedia.org/wiki/Oligarchie. que o juiz está às portas” (Tg 5.9). aspirados por uma firma especializada 4. www.netstudien.de/Russland. Cada homem será julgado, e nada e levados embora em dois caminhões­ 5. israel heute, abril de 2008, PF. 28. será esquecido diante de Deus: “Porque tanque. No lugar do esgoto o buraco 6. factum 4/2008, p. 44. 7. Reuters.com, 11 de outubro de 2008, 12h40. importa que todos nós compareçamos foi preenchido com 70m3 de bom ma­ 8. w w w . 2 0 m i n . c h / n e w s / k r e u s – u n d – q u e r / perante o tribunal de Cristo, para que terial e assim o problema foi resolvido. story/15873676, 11 de outubro de 2008. cada um receba segundo o bem ou o Um engenheiro comentou: “O fato 9. NZZ, 20 de novembro de 2008, International, pg. 7. mal que tiver feito por meio do corpo” de a fossa não ter sido esvaziada na 10. factum 8/2008, p. 6. (2 Co 5.10). “Os pecados de alguns ho- época foi um grave crime ambiental, e 11. TOPIC, outubro de 2008, p. 5. 12. www.bundesregierung.de “Mitschrift Pressekonferenz: mens são notórios e levam a juízo, ao as conseqüências estão se mostrando Pressekonferenz Bundeskanzlerin Merkel und Präsi­ passo que os de outros só mais tarde se hoje. Ninguém sabe quanto esgoto pe­ confira dent Sarkozy”, 12 de outubro de 2008. manifestam” (1 Tm 5.24). netrou no lençol freático, já que o seu 13. Veja, 1 de outubro de 2008. confira recomendamos pedidos: 0300 789.5152 | www.chamada.com.br livros DvD CH A M A dA dA MeI A- N O I T e | JU N H O d e 2 009 9
  9. 9. ARTIGO 02 a ProFeCia revela os seGreDos Do Futuro tim laHaye 10 CHA MA dA dA Me I A -N OI Te | J U NH O d e 2 0 0 9
  10. 10. n a edição passada A declaração de que esse Deus é o chamei a atenção único Deus verdadeiro não se com­ para aquela que prova apenas pelo fato de que Ele considero uma das prediz o futuro, mas, sobretudo, pelo passagens proféti­ fato de que o futuro realmente se cas mais ignoradas cumpre como Ele predisse. Ao fazer­ das Escrituras. Es­ mos um exame cuidadoso, exata­ se texto profético merece uma consi­ mente como as Escrituras nos ensi­ deração especial por parte daqueles nam, constatamos que não há nada que desejam utilizar o cumprimento que certifique mais a nossa fé. Você das profecias bíblicas para comprovar lembra daquela situação ocorrida as principais doutrinas da Bíblia. Elas após a ressurreição de Jesus, quando vão desde a Criação por um ato direto Ele se encontrou com dois discípulos de Deus, passando pela existência do que estavam no caminho para próprio Deus, pela Sua natureza e Seus Emaús? Aqueles discípulos estavam atributos, pela credibilidade das Escri­ deprimidos pela desesperança, por­ turas, pela divindade de Jesus em pes­ que o homem que eles criam ser o soa, até a certeza de que a salvação em Messias de Israel tinha sido crucifi­ Cristo é eterna, entre muitas outras cado e, agora, tudo estava perdido. doutrinas. Em minha opinião, essa Eles haviam ouvido que “algumas passagem profética é uma das mais im­ mulheres” (cf. Lc 24.22) encontraram portantes provas da veracidade do pró­ o sepulcro vazio e tiveram “uma vi- prio Cristianismo e, quando usada de são de anjos, os quais afirmam que ele modo adequado, torna­se uma tre­ vive” (Lc 24.23). Evidentemente, eles menda motivação espiritual. não deram crédito a esse relato e es­ Quando Deus procurou chamar a tavam a caminho de sua aldeia, de atenção dos israelitas para que reconhe­ volta para sua casa. Jesus, confronta­ cessem que só Ele é Deus – não aqueles do naquele momento por uma das ídolos pagãos da Babilônia que eles ti­ concepções mais difíceis de ser ex­ nham adorado – o Senhor fez a seguin­ plicada, indagou: “Por ventura, não te declaração através do profeta Isaías: convinha que o Cristo padecesse e en- “Lembrai-vos das coisas passadas da trasse na sua glória?” (Lucas 24.26). antiguidade: que eu sou Deus, e não há Os judeus esperavam que seu Mes­ outro, eu sou Deus, e não há outro se- sias viesse para libertá­los do jugo melhante a mim; que desde o princípio opressor dos romanos. Aqueles que anuncio o que há de acontecer e desde a não tinham estudado as Escrituras antiguidade, as coisas que ainda não Proféticas (as quais continham pro­ sucederam; que digo: o meu conselho fecias acerca do Messias e de Sua permanecerá de pé, farei toda a minha obra redentora) não conheciam (ou, TOdO pASTOR pReCISA vontade” (Isaías 46.9-10). em muitos casos, nem se importa­ eNSINAR AOS CReNTeS Essa é uma admoestação clara e vam com) o fato de que era necessá­ de SUA IGReJA ACeR- desafiadora de Deus aos filhos de Is­ rio haver duas vindas do mesmo CA dAS pROfeCIAS rael, para que soubessem que somen­ Messias; uma vinda com a finalidade qUe JeSUS CUMpRIU, te Ele é Deus, digno de ser adorado – de sofrer pelos pecados da humani­ RefeReNTeS A SI MeS- e a prova que lhes dava era o cumpri­ dade e outra vinda em poder e glória MO COMO MeSSIAS. mento das profecias. Deus é o único para libertar Seus seguidores e reinar que pode predizer o futuro com exa­ aqui na Terra. tidão! Já constatamos [no ar tigo an­ Então o que Je sus fez naquela terior] que Ele predisse o futuro por hora? “...começando por Moi sés, dis- mais de 500 vezes no Antigo Testa­ cor rendo por todos os Profetas, ex pu- mento. Lembre­se que a definição nha-lhes o que a seu respeito consta- mais simples de profecia é esta: “Pro­ va em todas as Es crituras” (Lucas fecia bíblica é o fato histórico escrito 24.27). Je sus fez uso das profe cias antes que aconteça”. Ainda que mui­ do Antigo Testamento referentes ao tos seres humanos tenham tentado, Messias, a respeito dE le mes mo, pa­ somente Deus é capaz de predizer os ra convencê­los acerca de quem Ele fatos com absoluta exatidão. era e do que vie ra fazer neste mun­ CH A M A dA dA MeI A- N O I T e | JU N H O d e 2 009 11
  11. 11. do. Que exposição bíbli ca sensacio­ as coisas nal! Jesus uti lizou o cumprimento encobertas profético para convencer aqueles pertencem ao homens acerca da verda de sobre Sua identi dade e Sua missão. Não é de senhor admirar que, mais tarde, eles disses­ Salientei na edição passada que Da­ sem: “Por ventura, não nos ardia o niel, um dos maiores profetas judeus, coração, quando ele, pelo caminho, ao ser chamado à presença do rei Na­ nos falava, quando nos expunha as bucodonosor, declarou: “O mistério Es crituras?” (Lucas 24.32). Que “Es­ que o rei exige, nem encantadores, nem crituras” eram essas? Eram profe cias magos nem astrólogos o podem revelar do Antigo Testamento que, a par tir ao rei; mas há um Deus no céu, o qual dos livros de Moisés e em to dos os revela os mistérios, pois fez saber ao rei profetas, referiam­se ao Messias e à Nabucodonosor o que há de ser nos úl- Sua missão. Eram profe cias que já timos dias” (Daniel 2.27-28). Após di­ tinham se cumprido! O coração zer isso, Daniel relembrou o sonho que também “nos arde” quando estu da­ o rei tivera e expôs a interpretação dos mos as muitas profe cias que Jesus “tempos dos gentios”, período esse que cumpriu durante Sua vida neste já está em andamento há 2.500 anos. mundo, as quais, sem sombra de dú­ Deus é o único que pode revelar vida, comprovam que Ele é o único previamente os segredos do futuro e e verdadeiro Salvador. O cumpri­ levá­los ao pleno cumprimento – co­ mento profético proporciona essa mo profetizou. No coração humano há cer te za, pois nos convence de que um inacreditável anseio de conhecer o Jesus é o único Salvador, confor me futuro. Essa é a razão pela qual mi­ Ele mes mo disse (cf. João 14.6). lhões de pessoas procuram adivinhos, Todo pastor precisa ensinar aos cartomantes, astrólogos, gurus, viden­ crentes de sua igreja acerca das profe­ tes e falsos profetas, na vã esperança de cias que Jesus cumpriu, referentes a Si obterem informações prévias acerca do mesmo como Messias. Mesmo nos futuro, para traçarem o curso de suas dias atuais, essa prática faria com que a vidas a partir do que elas pensam que congregação dos salvos desenvolvesse vai acontecer. Tudo isso não passa de um “coração ardente” por Deus e lhes falsa esperança, pois a Palavra de Deus proporcionaria uma convicção resolu­ afirma que “as coisas encobertas per- ta de que não estamos “...seguindo fá- tencem ao Senhor, nosso Deus” (Deu- bulas engenhosamente inventadas, mas teronômio 29.29a). Aqui está a razão nós mesmos fomos testemunhas ocula- pela qual devemos investigar cuidado­ res da sua majestade” (2 Pedro 1.16). samente as Escrituras, buscando iden­ Um estudo das profecias que já se tificar as profecias que já se cumpriram cumpriram fortalece nossa confiança e aquelas que ainda não se cumpriram em Deus, pois nos leva a entender na história, a fim de encontrarmos “O MISTéRIO qUe O ReI exIGe, quem Ele é, demonstrando a razão motivação e encorajamento para servir porque todas as pessoas devem aceitar diariamente ao Senhor, à luz dos ma­ NeM eNCANTAdOReS, NeM MA- a Jesus Cristo. ravilhosos planos que Ele tem para GOS NeM ASTRóLOGOS O pOdeM Numa época em que a pregação de nós, preparados para se cumprirem no ReveLAR AO ReI; MAS Há UM Jesus como único caminho de salvação fim dos tempos. deUS NO CéU, O qUAL ReveLA OS geralmente é taxada de pregação “bito­ Ao ler novamente o livro de Deu­ MISTéRIOS, pOIS fez SAbeR AO lada” por aqueles que sugerem haver teronômio junto com minha esposa, ReI NAbUCOdONOSOR O qUe Há mais de um caminho para o céu, preci­ achei interessante a constatação de de SeR NOS úLTIMOS dIAS” samos algo que nos assegure que Ele é que Deus insistentemente recomen­ (dANIeL 2.27-28). verdadeiramente o único caminho. O dou aos filhos de Israel que se lem­ cumprimento das profecias é a prova brassem da Sua presença, dos mila­ que certifica tal realidade, pois nin­ gres e livramentos que Ele efetuara, guém na história deste mundo cum­ como uma motivação para guardarem priu sequer meia dúzia das 109 profe­ Seus “...mandamentos, e os estatutos, e cias messiânicas. Jesus, porém, cum­ os juízos” (Deuteronômio 7.11). Deus priu todas elas! lhes prometeu que, se fossem fiéis em 12 CHA MA dA dA Me I A -N OI Te | J U NH O d e 2 0 0 9
  12. 12. obedecer ao que Ele ordenara, eles se­ damente 1500 a.C.) não tivessem aces­ cumpramos todas as palavras desta riam abençoados muito além dos so­ so a um registro escrito, eles tinham lei” (Dt 29.29; grifo do autor). Como nhos que mais acalentavam e Deus recordações suficientes da provisão de já vimos, das mais de 1.000 passa­ lhes concederia “longa vida”. Contu­ Deus para sustentar­lhes a fé de que gens proféticas que prediziam o futu­ do, se eles Lhe desobedecessem, prin­ Ele manteria Sua Palavra e os abençoa­ ro quando foram escritas, no mínimo cipalmente adorando falsos deuses ria, SE e somente SE, não adorassem 500 delas já se cumpriram. As profe­ dos povos pagãos circunvizinhos, Ele aos deuses dos povos pagãos circunvi­ cias que não se cumpriram dizem os amaldiçoaria. Em suma, eles de­ zinhos. Infelizmente, a maioria foi in­ respeito a um momento ainda futu­ viam ser encorajados à fidelidade no fiel, transgrediu o primeiro manda­ ro, porém muitas delas já estão se futuro, olhando para os atos do amor mento, adorou falsos deuses e sofreu cumprindo durante nosso tempo de leal de Deus no passado, quando Ele as conseqüências da maldição que, se­ vida neste mundo, o que nos leva a os guiara pelo deserto com uma colu­ gundo a advertência de Deus, lhes so­ crer que nossa geração pode muito na de nuvem durante o dia e uma co­ breviria pela desobediência. bem ser a geração que verá o pleno luna de fogo durante a noite; quando Durante o período de 1.500 anos cumprimento das profecias que se manifestara Sua provisão fiel fazendo que se seguiu, o Senhor lhes enviou referem ao fim dos tempos. Nos con­ com que as roupas deles durassem “homens santos”, denominados profe­ gressos que organizamos sobre a pro­ quarenta anos; quando Ele providen­ tas, os quais proclamaram a mensa­ fecia bíblica, sempre procuro lembrar ciara água da rocha e o maná que des­ gem de Deus “movidos pelo Espírito aos participantes que a nossa gera­ cia do céu a cada dia. Por que Deus Santo”. Poucos desses profetas foram ção, mais do que qualquer outra ge­ não requereu que eles se fortaleces­ escritores; temos alguns de seus escri­ ração anterior, tem motivos de sobra sem na fé pela consideração das pro­ tos preser vados e classificados no câ­ para crer que a Segunda Vinda de fecias que já tinham se cumprido? non hebraico como Profetas Maiores Cristo acontecerá durante os dias de Eles não tinham uma Bíblia à qual re­ e Profetas Menores do Antigo Testa­ nossa vida. correr e, até então, poucas profecias já mento. Nos escritos desses profetas há Isso nos proporciona razão, mais cumpridas estavam escritas de modo muitas profecias que predizem o futu­ do que suficiente, para acordar a cada que pudessem aprender através delas ro, desde as 109 profecias (ou mais) manhã e dizer: “Talvez nosso Senhor (talvez ainda não houvesse nenhuma relativas à primeira vinda do Messias, volte hoje!”. Um dia isso vai se tornar profecia escrita). Moisés foi o seu pri­ bem como as 321 profecias relativas à realidade e pode ocorrer muito em meiro grande profeta a escrever. Sua Segunda Vinda, até profecias que breve. Minha mãe, uma estudante de­ Em Seu plano, Deus já tinha esta­ dizem respeito a Israel e a seus mais dicada da Bíblia e das profecias bíbli­ belecido profetas extraordinários que ferrenhos inimigos. cas, costumava dizer o seguinte: podiam revelar “as coisas encobertas Hoje em dia, temos em nossas “Mantenha os olhos erguidos!”. (Pre- [que] pertencem ao Senhor, nosso mãos as profecias da parte de Deus Trib Perspectives) Deus”, bem como aquelas coisas “reve- que nos foram deixadas por escrito, ladas [que] nos pertencem, a nós e a mencionadas por Daniel e referidas nossos filhos, para sempre, para que por Moisés como “...coisas encober tas Tim LaHaye escreveu mais de 40 livros e é co­autor dos best­sellers da série Deixados Para Trás. Ele também é um cumpramos todas as palavras desta lei” [e... coisas] reveladas [que] nos per- dos editores da Bíblia de Estudo Profética e um dos funda­ (Deuteronômio 29.29). Por conseguin­ tencem, a nós e a nossos filhos, para confira dores do Pre­Trib Research Center (Centro de Estudos Pré­ te, embora naquela época (aproxima­ sempre, para [nos motivar a] que Tribulacionais). confira recomendamos pedidos: 0300 789.5152 | www.chamada.com.br livros CH A M A dA dA MeI A- N O I T e | JU N H O d e 2 009 13
  13. 13. a ARTIGO 03 os “Habitantes Da terra” MenCionaDos eM aPoCaliPse thomas ice O texto de Apocalipse 3.10 é correta­ bitantes da terra” origina­se no Anti­ um contexto local, mas a um contexto mente conhecido como uma das passa­ go Testamento. Algumas formas dela global ou mundial. gens bíblicas que apóiam a doutrina do ocorrem cerca de 50 vezes no Antigo Todas as ocorrências globais da ex­ Arrebatamento pré­tribulacionista. Entre­ Testamento hebraico[1], sem incluir a pressão “habitantes da terra” no Anti­ tanto, a segunda parte desse versículo expressão semelhante “habitantes do go Testamento aparecem num contex­ menciona a expressão “habitantes da Ter­ mundo”, que ocorre cinco vezes.[2] A to de julgamento e é provável que to­ ra” pela primeira vez no livro de Apoca­ esmagadora maioria das ocorrências das as afirmações relacionadas a ela se lipse, conforme se lê: “Porque guardaste a dessa expressão “habitantes da terra” cumpram no futuro, durante o Dia do palavra da minha perseverança, também no Antigo Testamento é corretamente Senhor, também conhecido como pe­ eu te guardarei da hora da provação que traduzida por “habitantes da terra” ou ríodo da Tribulação. Um fato relevante há de vir sobre o mundo inteiro, para expe- “os que habitam na terra”, uma vez é que tanto a expressão “habitantes da rimentar os que habitam sobre a terra”. que o contexto imediato faz referência terra” quanto a expressão “habitantes Nesse versículo encontra­se a primeira a um determinado território ou a al­ [ou moradores] do mundo” são usadas ocorrência do que denomino de “habi­ gum país, como, por exemplo, Israel. por diversas vezes nos capítulos 24­27 tantes da Terra”, uma expressão que geral­ Entretanto, num contexto global, a de Isaías, uma seção do livro freqüen­ mente é traduzida por “os que habitam so- mesma expressão hebraica é traduzi­ temente denominada de “o Apocalipse bre a terra”. Essa frase ocorre onze vezes da com mais propriedade por “mora­ de Isaías”. O capítulo 24 nos informa em nove versículos do livro de Apocalipse dores da terra” (cf., Sl 33.14; Is 18.3; Is que o juízo mundial de Deus sobrevirá (Ap 3.10; Ap 6.10; Ap 8.13; Ap 11.10, 2 24.6,17; Is 26.21; Jr 25.30; Jl 2.1; Sf a toda a humanidade por causa dos pe­ vezes; Ap 13.8,12,14, 2 vezes; Ap 14.6; Ap 1.18). Todas as cinco ocorrências da cados específicos dos “moradores da 17.8). “Habitantes da Terra” é um desig­ expressão “habitantes [ou moradores] terra” (Is 24.5,6,17). O texto de Isaías nativo para as pessoas descrentes que per­ do mundo” parecem se enquadrar 26.9b declara: “...porque, quando os sistirem na sua incredulidade durante o nesse contexto global (cf., Sl 33.8; Is teus juízos reinam na terra, os morado- período da Tribulação vindoura. 18.3; Is 26.9,18; Lm 4.12) e, com exce­ res do mundo aprendem justiça”. Os ção de uma ocorrência (Lm 4.12), to­ dois últimos versículos do capítulo 26 das aparecem no mesmo contexto em referem­se ao período da Tribulação. o contexto do que se menciona a expressão “habi­ O versículo 20 menciona que Israel se antigo tantes da terra”. Quando as expressões esconderá e será protegido “...até que testamento “habitantes [ou moradores] do mun­ passe a ira”. Se o remanescente de Is­ do” e “habitantes da terra” são usadas rael será protegido durante a Tribula­ Como a maior parte da terminolo­ no mesmo contexto, fortalece­se a ção, qual será, então, o propósito de gia neotestamentária, a expressão “ha­ concepção de que não se referem a Deus em executar juízo durante esse 14 CHA MA dA dA Me I A -N OI Te | J U NH O d e 2 0 0 9
  14. 14. “pORqUe GUARdASTe A pALAvRA dA MINHA peRSeveRANçA, TAMbéM eU Te GUARdAReI dA HORA dA pROvAçãO qUe Há de vIR SObRe O MUNdO INTeIRO, pARA expeRIMeNTAR OS qUe HAbITAM SObRe A TeRRA”. (ApOCALIpSe 3.10) período? O versículo 21 responde a es­ proporcionam o pano de fundo para ca. O termo grego traduzido por “expe­ sa indagação nos seguintes termos: que se possa entender o significado de rimentar” é peirazo, que quer dizer “es­ “Pois eis que o Senhor sai do seu lugar, Apocalipse 3.10, bem como compreen­ forçar­se para descobrir a natureza ou para castigar a iniqüidade dos morado- der o uso que o apóstolo João faz da caráter de alguma coisa por meio de res da terra; a terra descobrirá o sangue expressão “habitantes da terra” ao lon­ teste; testar, experimentar, submeter à que embebeu e já não encobrirá aqueles go de todo o livro de Apocalipse. prova”.[4] É importante que se tenha em que foram mortos” (Is 26.21). Assim, mente o fato de que um dos principais percebemos que o propósito da Tribu­ propósitos dos juízos da Tribulação lação vindoura é o de “castigar” os ha­ “para descritos em Apocalipse (caps. 4­19) é bitantes da terra. Isso se assemelha experimentar os o de testar os habitantes da terra sob as muito à afirmação encontrada em qUe habitam circunstâncias mais extremas, a fim de Apocalipse 3.10, na qual o Senhor de­ comprovar a rejeição deles ao Cordeiro clara que usará a “provação que há de sobre a terra” (i.e., Jesus) e à Sua mensagem (i.e., o vir sobre o mundo inteiro” [i.e., a Tribu­ Já que um dos principais propósitos Evangelho). Apesar da severidade dos lação] com o propósito de “experimen- dos juízos da Tribulação é o de “casti­ julgamentos que são desferidos do céu, tar os que habitam sobre a terra”. Pare­ gar” (Is 26.21) ou “experimentar” (Ap nem ao menos um morador da terra se ce evidente que os capítulos 24­27, es­ 3.10) os habitantes da terra[3], é funda­ arrepende (veja Ap 6.15­17; Ap 9.20­21; pecialmente o texto de Isaías 26.21, mental que saibamos o que isso signifi­ Ap 16.9,11,21). CH A M A dA dA MeI A- N O I T e | JU N H O d e 2 009 15
  15. 15. É possível que o texto de Isaías bitantes da terra” em Apocalipse, per­ besta, os “habitantes da terra” serão 26.21 tenha empregado o termo vin­ cebe­se um componente interessante e enganados pelos sinais e milagres rea­ dicativo “castigar” pelo fato de que, revelador. Esses habitantes não apenas lizados pelo falso profeta durante a segundo o relato detalhado de Apoca­ precisam ser experimentados para re­ Tribulação e erigirão uma imagem da lipse, nem sequer um habitante da velar sua verdadeira convicção (Ap besta, provavelmente no interior da­ terra se arrependerá durante a Tribu­ 3.10), mas também são identificados quele que será o templo dos judeus lação. A profecia de Isaías retrata uma claramente como aqueles que perse­ (Ap 13.14). Embora o público­alvo da resolução definitiva tomada após ava­ guem e matam os crentes durante a pregação do Evangelho proclamada liação, ao passo que o apóstolo João Tribulação (Ap 6.10). Muitos dos juí­ por um mensageiro angelical sejam os se refere ao propósito antes que o zos da Tribulação têm como alvo “os “habitantes da terra” (Ap 14.6), ne­ mesmo produza determinado efeito. habitantes [ou moradores] da terra” nhum dos ouvintes seguirá o Cordeiro; Entretanto, os acontecimentos subse­ (Ap 8.13). São os “habitantes de terra” pelo contrário, todos se maravilharão qüentes de Apocalipse não deixam a que se alegrarão e enviarão presentes com a besta (Ap 17.8). menor dúvida de que os habitantes da uns aos outros quando as duas teste­ Tony Garland faz uma correta su­ terra, após serem submetidos às pro­ munhas forem mortas em Jerusalém posição de que a expressão “habitantes vas da Grande Tribulação, merecem o na metade do período da Tribulação da terra” transmite um significado “so­ justo juízo de Deus. (Ap 11.10). Quando a besta (i.e., o An­ teriológico­escatológico[5] no livro de ticristo) é apresentada em Apocalipse Apocalipse porque designa os perdidos 13, observa­se que “...adorá-la-ão todos [i.e., não­salvos] no tempo do fim, os qUem são “os qUe os que habitam sobre a terra” (Ap quais continuam em sua firme rejeição habitam sobre a 13.8,12). Portanto, cem por cento dos a Deus”.[6] Portanto, em vez de ser terra”? que “habitam sobre a terra” receberão uma designação geográfica, a expres­ a marca da besta em seus corpos e pas­ são “habitantes da terra” é uma desig­ Quando se faz um levantamento sarão a eternidade sob condenação no nação moral, ainda que a frase tenha das onze ocorrências da expressão “ha­ Lago de Fogo. Como seguidores da conotação geográfica. A expressão “ha­ AO CONTRáRIO dOS fIéIS A deUS qUe SãO eSTRANGeIROS e peReGRINOS NA TeRRA, CU- JA eSpeRANçA Se eNCONTRA NO CéU, eSSeS qUe HAbITAM SObRe A TeRRA põeM SUA CONfIANçA NO HOMeM e NO MeIO-AMbIeNTe. 16 CHA MA dA dA Me I A -N OI Te | J U NH O d e 2 0 0 9
  16. 16. bitantes da terra” parece ser uma figu­ trombeta, que causarão a morte de um idéia de que um teste e um julgamento ra de linguagem denominada sinédo­ terço da humanidade, os habitantes da dos “habitantes da terra” estão incluí­ que, na qual o todo (i.e., os habitantes terra não se arrependerão de suas dos no propósito estabelecido por da terra) é usado para designar uma de obras perversas (Ap 9.20­21)”.[10] Deus para a Tribulação. Nesse contex­ suas partes (os descrentes do período to de 2 Tessalonicenses, Deus é visto da Tribulação).[7] como Aquele que permite ao “homem A realidade dos “habitantes da ter­ oUtras da iniqüidade” [i.e., o Anticristo] reali­ ra” é contrastada com o legítimo cen­ referências zar falsos sinais e prodígios da mentira tro das atenções do livro de Apocalipse pelo fato de que os “habitantes da ter­ que é o templo celestial, do qual são O texto de Lucas 21.35, que é parte ra” não amam a verdade. Maranata! expedidas as ordens divinas para o es­ do discurso sobre o fim dos tempos (Pre-Trib Perspectives) tabelecimento do Reino de Deus na proferido por nosso Senhor no monte Thomas Ice é diretor­executivo do Pre­Trib Research Center terra. Por outro lado, o centro das das Oliveiras, faz a seguinte advertên­ em Lynchburg, VA (EUA). Ele é autor de muitos livros e um atenções e ambições dos “habitantes da cia: “Pois há de sobrevir a todos os que dos editores da Bíblia de Estudo Profética. terra” limita­se à terra, numa desconsi­ vivem sobre a face de toda a terra”. deração com a vontade de Deus profe­ Nesse caso em questão, os “habitantes NOTAS: 1. Obtido por pesquisa eletrônica através do programa rida do céu e decretada na terra. Gar­ da terra” são aqueles que serão pegos de computação Accordance, versão 7.4.2. land comenta que “esse fato explica a de surpresa pelos juízos do período da 2. Obtido por pesquisa eletrônica através do programa razão pela qual os acontecimentos de Tribulação. A mesma temática do des­ de computação Accordance, versão 7.4.2. Apocalipse envolvem grandes juízos preparo se encontra em 1 Tessaloni­ 3. O outro propósito principal da Tribulação é o de levar derramados sobre os sistemas naturais censes 5 na referência aos “filhos das o povo de Israel à conversão e aceitação de Jesus co­ mo seu Messias (Is 26.11­20; Jr 30.1­24; Ez 20.33­ da terra, visto que a Terra se tornou trevas” (1 Ts 5.1-11). Eles estarão des­ 44; Ez 22.17­22; Dn 12.1­13; Zc 12.10­13.1, etc). um ídolo adorado pelos que nela habi­ preparados porque não crerão em Je­ 4. Walter Bauer, A Greek­English Lexicon of the New Testa­ tam”.[8] Ao contrário dos fiéis a Deus sus Cristo como seu Salvador. ment and Other Christian Literature, traduzido e adap­ que são estrangeiros e peregrinos na Uma outra passagem bíblica que tado por William F. Arndt e F. Wilbur Gingrich, Chicago: terra (Lv 25.23; Nm 18.20,23; 1 Cr não usa a expressão “habitantes da ter­ The University of Chicago Press, 1957, p. 793. 5. Soteriológico relaciona­se com o estudo da doutrina da 29.15; Sl 39.12; Sl 119.19; Jo 15.19; Jo ra”, mas que muito provavelmente faz salvação, enquanto escatológico diz respeito ao estudo 17.14,16; Fp 3.20; Hb 11.13; 1 Pe 2.11), alusão aos “habitantes da terra” por da doutrina das últimas coisas. cuja esperança se encontra no céu (Hb outro designativo (i.e., “os que não aco- 6. (Os termos em itálico são originais) Tony Garland, A 11.13­16; Ap 13.6), esses que habitam lheram o amor da verdade para serem Testimony of Jesus Christ: A Commentary on the Book sobre a terra põem sua confiança no salvos” – cf. 2 Ts 2.10b), nos proporcio­ of Revelation, 2 vols., Camano Island, WA: SpiritAnd­ Truth.org, 2004, vol. 1, p. 264­5. homem e no meio­ambiente”.[9] Re­ na uma compreensão mais ampla des­ 7. Veja, Ethelbert W. Bullinger, Figures of Speech Used in nald Showers declara: “Todas essas re­ sa questão: “É por este motivo, pois, que The Bible, Grand Rapids: Baker Book House, (1898), ferências do livro de Apocalipse aos Deus lhes manda a operação do erro, 1968, p. 637­8. “que habitam sobre a terra” são uma para darem crédito à mentira, a fim de 8. Garland, Revelation, vol. 2, p. 281, nota explicativa nº 77. clara indicação de pessoas não­salvas serem julgados todos quantos não de- 9. (Os termos em itálico são originais) Garland, Revela­ tion, vol. 2, p. 265. do futuro período de provação, as ram crédito à verdade; antes, pelo con- 10. Renald E. Showers, Maranatha, Our Lord Come, Bell­ quais nunca serão salvas [...] Apesar trário, deleitaram-se com a injustiça” (2 confira mawr, NJ: The Friends of Israel Gospel Ministry, 1995, dos devastadores horrores da sexta Ts 2.11-12). Tal declaração reforça a p. 265, citado na obra de Garland, Revelation, p. 265. confira recomendamos pedidos: 0300 789.5152 | www.chamada.com.br livros CH A M A dA dA MeI A- N O I T e | JU N H O d e 2 009 17
  17. 17. Do nosso CaMPo visual NOTícIAs 01 Por que tantos FoCos De ConFlitos? O HOMeM deveRIA TORNAR-Se MAIS SábIO COM O pASSAR dOS MILêNIOS, MAS NA pRáTICA NãO SOMOS MUITO dIfeReNTeS dOS NOSSOS ANTepASSAdOS. AS peSSOAS NãO MeLHORARAM; SeUS ARMAMeNTOS, SIM, pOIS COM eLeS é pOSSíveL MATAR CAdA vez MAIS GeNTe eM MeNOS TeMpO. O ano de 2008 trouxe mais guer- 9 e os conflitos regionais aumentaram delitos”. E 1 Timóteo 5.6 também fala ras ao mundo, mas também trouxe um de 26 para 30... (N-tv) da possibilidade de, mesmo vivo, al­ sinal de esperança. Foi registrado um Repetidamente nos perguntamos guém estar morto. aumento de conflitos violentos e, com como pode haver tanta brutalidade, O homem vive fisicamente, mas a luta entre a Rússia e a Geórgia no tanto terror, opressão, ódio, inimizade desde a queda em pecado seu espíri­ início de agosto, a guerra retornou à e guerra no nosso mundo. O globo es­ to está morto. Isso traz conseqüên­ Europa. Mas um evento do ano passa- tá cheio de focos de conflitos. Pelo vis­ cias a todos os seus atos e, por exten­ do anima os analistas: a eleição de to, o mundo não aprendeu absoluta­ são, a todos os acontecimentos no Barack Obama como presidente dos mente nada do passado. mundo. Efésios 2.12 nos diz porque é Estados Unidos. Com ele aumentariam A explicação é encontrada na Bí­ assim: “naquele tempo, estáveis sem as chances de soluções diplomáticas e blia. O mundo continua lidando com o cristo, separados da comunidade diminuiria o uso das armas por parte mesmo inimigo de sempre, tanto mais de israel e estranhos às alianças da dos americanos – pré-requisito impor- quanto avançamos nos tempos finais. promessa, não tendo esperança e tante para um mundo mais pacífico, “ele (Deus) vos deu vida, estando sem deus no mundo”. mesmo que o fim de todas as guerras vós mortos nos vossos delitos e peca­ Esse é um balanço realmente deso­ continue sendo uma esperança irreal. dos, nos quais andastes outrora, se­ lador: sem Cristo, sem esperança, sem Anualmente, o Instituto Para a So- gundo o curso deste mundo, segundo Deus e sem vida! Quem não tem a lução Internacional de Conflitos (de o príncipe da potestade do ar, do es­ Cristo, também não tem a Deus. Por Heidelberg/Alemanha), estabelece pírito que agora atua nos filhos da isso, Efésios 4.18 diz acerca das pessoas uma “escala de conflitos” dividida em desobediência” (ef 2.1­2). É uma ver­ que vivem conscientemente sem Deus: categorias. Nos dois níveis mais gra- dade assustadora perceber que pode­se que elas têm seu “entendimento obs­ ves, o ano passado teria registrado estar morto ainda em vida. O versículo curecido” e estão “alheias à vida de aumento em relação ao ano anterior: 5 descreve o mesmo em outras pala­ deus”, que vivem em “ignorância”, o número de guerras subiu de 6 para vras: “estando nós mortos em nossos “pela dureza do seu coração”. Mesmo 18 CHA MA dA dA Me I A -N OI Te | J U NH O d e 2 0 0 9
  18. 18. sendo tão trágica, essa afirmação é a mais pura verdade. Pessoas sem Jesus não conhecem a Deus e estão excluí­ das da vida dEle e, portanto, mortas espiritualmente. Nessa situação de morte espiritual, o homem não é dominado por Deus, mas por aquele que trouxe o pecado e a morte ao mundo, pelo príncipe deste mundo. A Bíblia nos explica que existe um curso deste mundo segundo o príncipe da potestade do ar, segundo o espírito que agora atua nos filhos da desobediência. Em Efésios 6, Paulo ex­ plica que nosso mundo é dominado por Satanás e seus demônios a partir do cosmo: “porque a nossa luta não é contra o sangue e a carne, e sim con­ tra os principados e potestades, con­ tra os dominadores deste mundo te­ INSATISfAçãO e bRIGAS, ódIO e vIOLêNCIA, deSeNTeNdIMeNTOS nebroso, contra as forças espirituais e SepARAçõeS SãO CONSTANTeS e CONTINUAM AUMeNTANdO. do mal, nas regiões celestes” (ef 6.12). A palavra grega para “domina­ dor do mundo” é “kosmokrator”, da tra o quanto esses sonhos estão distantes quele que a tudo enche em todas as qual deriva a palavra cosmo. da realidade. Milhares de vezes sonha­se coisas” (ef 1.20­23). Uma humanidade desobediente a com mudanças, e milhares de vezes na­ Jesus está elevado acima de qual­ Deus, que rejeita Seu Filho Jesus Cristo, da acontece – até que chega a grande vi­ quer outro poder e tudo Lhe está sujei­ está dependente do príncipe (ou domi­ rada, quando alguém se volta para to. Assim, Jesus está muito acima da­ nador), que age entre o céu e a terra e Aquele que mudou tudo, que pode alte­ quele que, segundo Efésios 2.2, domi­ dali influencia o mundo. Mas Satanás e rar tudo e que vai transformar tudo. Em na nos ares e demoniza este mundo. seus demônios não apenas influenciam, Sua morte na cruz e em Sua ressurreição Todo aquele que crê em Jesus renasce eles também dominam os povos da ter­ dentre os mortos Jesus trouxe a grande espiritualmente, sua posição “em Je­ ra. É óbvio que isso tem conseqüências virada. E esta se torna uma realidade sus” passa a ser nas regiões celestiais. terríveis sobre os indivíduos, sobre as bem atual para cada um que se abre pa­ Por isso, não está mais sob a esfera de famílias, as sociedades e as nações. Os ra Ele. E quando Jesus voltar, trará a ação de Satanás, mas sob o poder do focos de conflitos e as crises são causa­ grande mudança para o mundo inteiro. Espírito (Cl 1.13). dos por Satanás e fazem parte de sua lu­ O impossível se tornará possível através “mas deus, sendo rico em miseri­ ta contra Deus. E, quanto mais avança­ de Jesus! Cada um que está morto sem córdia, por causa do grande amor mos nos tempos finais, maiores se tor­ Cristo torna­se vivo com Ele! com que nos amou, e estando nós nam os conflitos. Isso acontece Deus é um Deus da vida e quer dar mortos em nossos delitos, nos deu vi­ justamente nas regiões que desempe­ a vida a uma humanidade caída em da juntamente com cristo, – pela nham algum papel importante no cená­ pecados e, portanto, morta. Por isso graça sois salvos, e, juntamente com rio bíblico­profético. É literalmente per­ Jesus veio, morreu por nós, ressuscitou ele, nos ressuscitou, e nos fez assen­ ceptível que “algo paira no ar”. dentre os mortos e foi elevado acima tar nos lugares celestiais em cristo O Apocalipse fala de um tempo fu­ dos céus – para trazer vida. Jesus” (ef 2.4­6). turo em que Satanás será lançado so­ “(O poder de Deus), o qual exer­ Satanás é o príncipe deste mundo bre a terra (Ap 12.7­12), que então será ceu ele em cristo, ressuscitando­o (Jo 12.31; Jo 14.30; Jo 16.11), e por isso tomada pelo terror, demonismo, domí­ dentre os mortos e fazendo­o sentar todo o mal vem dele. Mas se você está nio da violência e guerras. à sua direita nos lugares celestiais, em Cristo, Satanás não é mais o seu Aquilo que acontece em escala glo­ acima de todo principado, e potesta­ príncipe. O domínio mudou. Jesus, o bal também explica os conflitos na vida de, e poder, e domínio, e de todo no­ Príncipe da Paz, (Is 9.6) é agora o seu pessoal. Insatisfação e brigas, ódio e vio­ me que se possa referir não só no Príncipe, no lugar de Satanás. E Jesus é lência, desentendimentos e separações presente século, mas também no muito maior do que aquele que está no são constantes e continuam aumentan­ vindouro. e pôs todas as coisas de­ mundo (1 Jo 4.4). Essa mudança de do. Mesmo que o homem não queira ser baixo dos pés e, para ser o cabeça domínio já foi experimentada por como é e sonha com amor e harmonia, sobre todas as coisas, o deu á igreja, muitos, o que é uma prova evidente do é justamente a vida cotidiana que mos­ a qual é o seu corpo, a plenitude da­ poder de Jesus. (Norbert Lieth). CH A M A dA dA MeI A- N O I T e | JU N H O d e 2 009 19
  19. 19. aConselHaMento bíblico É verdade que Resposta: Em primeiro lugar, a mente, que é a sede dos nossos pensamentos, é uma parte não­física da nossa constituição. Ela não deve ser confundida com o cérebro, que o subconsciente é um órgão físico pertencente ao corpo. Como a mente não tem propriedades físicas, dirige ela está fora do alcance da investigação científica objetiva. nossos atos? A idéia de que nossa mente tem uma parte subconsciente ou inconsciente, que de­ termina ou influencia nosso comportamento, é um mito criado por Sigmund Freud que, segundo alguns, formulou a teoria quando estava sob o efeito da cocaína. Essa era a dro­ ga que ele usava para tratar de sua própria depressão e que recomendava aos outros com Pergunta: “A afirmação de que nossa insistência. Mesmo que algo acontecesse num campo hipotético chamado inconsciente, mente é composta de duas partes, o não há nenhum meio de discernir, de forma cientificamente válida, quais teriam sido consciente e o subconsciente, tem com- esses pensamentos. Deveria ser óbvio para todo mundo que essa suposta região incons­ provação científica? É verdade que é o ciente que determina nossos pensamentos e ações conscientes não passa de especulação subconsciente que rege a maioria das em benefício próprio. nossas ações e que ele também controla Em seu livro intitulado Therapy’s Delusions: The Myth of the Unconscious and the Ex- nossos comportamentos aprendidos?” ploitation of Today’s Walking Worried (Ilusões da Terapia: O Mito do Inconsciente e a Explo­ ração dos Ansiosos de Hoje, em tradução livre), Richard Ofshe e Ethan Watters escrevem: Embora seja óbvio que todos nós temos processos mentais dos quais não es- tamos plenamente conscientes, a idéia do inconsciente dinâmico propõe a exis- tência de uma poderosa mente oculta que, sem o conhecimento de seu hospedei- ro, influencia intencionalmente os mais ínfimos pensamentos e comportamentos. Não existe nenhuma evidência científica da existência desse tipo de inconsciente dotado de intenção e nem de que os psicoterapeutas tenham métodos especiais para desvendar realmente os processos mentais dos quais não temos consciên- cia. No entanto, a alegação dos terapeutas de que têm condições de expor e modificar a mente inconsciente continua sendo a promessa sedutora de muitas terapias baseadas na interação verbal. Os cristãos têm sido levados a acreditar nessa falsa idéia de subconsciente devido à in­ fluência do aconselhamento psicológico na igreja, principalmente entre os chamados psi­ cólogos cristãos e os praticantes da cura interior. O resultado prático desse conceito pseu­ docientífico completamente antibíblico é que o indivíduo não pode ser responsabilizado por suas ações pecaminosas, porque elas foram determinadas sem o seu envolvimento consciente. Além disso, é um prato cheio de desculpas para a nossa natureza pecaminosa. A noção de inconsciente, ou subconsciente, é estranha ao ensino bíblico. A Palavra de Deus trata da humanidade com base no comportamento consciente sobre o qual todos nós temos controle, o que nos faz, portanto, responsáveis por nossos atos. Com certeza, existem áreas que são um mistério para nós; áreas relacionadas com o cora­ ção, a mente, a vontade, as emoções e o que a Bíblia chama de “o mistério da iniqüida­ de”, ou pecado. Mas essas áreas estão fora do alcance da investigação humana e só Deus as conhece: “Ouve tu dos céus, lugar da tua habitação, perdoa e dá a cada um se- gundo todos os seus caminhos, já que lhe conheces o coração, porque tu, só tu, és conhe- cedor do coração dos filhos dos homens. Enganoso é o coração, mais do que todas as coi- sas, e desesperadamente corrupto; quem o conhecerá? Eu, o Senhor, esquadrinho o co- ração [...]” (2 Crônicas 6.30; Jeremias 17.9-10). (Dave Hunt, The Berean Call) 20 CHA MA dA dA Me I A -N OI Te | J U NH O d e 2 0 0 9

×