Instrução de aprendiz maçom

1.037 visualizações

Publicada em

Instrução de aprendiz maçom

Publicada em: Educação
0 comentários
5 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.037
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
6
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
33
Comentários
0
Gostaram
5
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Instrução de aprendiz maçom

  1. 1. INSTRUÇÃO DE APRENDIZ MAÇOM FERRAMENTAS DO Ap M Aspectos Filosóficos
  2. 2. Aspectos Filosóficos • O aprendiz maçom, quando começa a estudar os significados filosóficos e simbólicos dos três Instrumentos de Trabalho, • Logo verifica que seus fundamentos estão diretamente relacionados com a nossa vida e o nosso cotidiano, e a partir deles podemos entender a fundamentação conceitual da vida maçônica.
  3. 3. Ferramentas do Grau de Ap  M  • O Maço, que é a representação simbólica do poder ou da força, de onde emana toda a energia aplicada sobre o cinzel. • E por fim, o Cinzel, que representa simbolicamente a beleza, com seu poder de abrir caminhos através da matéria.
  4. 4. Ferramentas do Grau de Ap  M  • Aplicamos a nossa força com o Maço e finalizando, damos a beleza para o nosso trabalho com o Cinzel.
  5. 5. Ferramentas do Grau de Ap  M  • Ao aprofundarmos nossos pensamentos no estudo e no emprego desses referidos instrumentos em nossas ações diárias, estamos empregando e executando as simbologias apresentadas pelas tais ferramentas, sempre no sentido de se fazer o Bem. • Estaremos assim, vivenciando um dos grandes mistérios da nossa Sublime Ordem.
  6. 6. OBJETIVO GERAL DESTA INSTRUÇÃO »Esta Instrução pretende demonstrar com que o aprendiz maçom, internalize os conceitos e os significados filosóficos e simbólicos dos três instrumentos de trabalho do primeiro grau.
  7. 7. Embasamento Teórico • Segundo o Ir. Castro, N. A., o simbolismo é a ciência mais antiga do mundo. Através dos símbolos, os povos primitivos se comunicavam e registravam sua história. • O verdadeiro símbolo, é aquele que pode ser interpretado por diversos ângulos, de acordo com a capacidade intelectual e emocional de cada um. • De acordo com a Enciclopédia de Mackey, “a maçonaria é um sistema de moralidade desenvolvido e inculcado pela ciência do simbolismo”.
  8. 8. • Fui o primeiro a formular a máxima: “não façais a outrem o que não queres que te façam”. • Tu, que és capaz de servir aos homens, como queres servir aos deuses! • Tu, que não conheces a vida, como queres conhecer a morte! O que é a maçonaria?
  9. 9. Embasamento Teórico • Com o surgimento da maçonaria especulativa no século XVIII, na Inglaterra, ressurgiu, também uma releitura dos simbolismos religiosos que se encontravam deturpados pela ignorância eclesiástica medieval. • Os maçons especulativos começaram a estudar os simbolismos religiosos e iniciáticos, dando origem a simbologia mística, dos maçons operativos, alquímicos e outros símbolos tradicionais.
  10. 10. Embasamento Teórico • Foram incluídos, também, os símbolos de significado particular, como é o caso da Romã, Cadeia de União, Estrela Flamígera, a letra G, Acácia, o Pelicano, etc. • São inúmeros os símbolos maçônicos, porém alguns se destacam pelo seu constante uso e conhecimento entre os maçons.
  11. 11. V M  Secr Or  2º Vig 1º Vig Tes.’. Hosp.’. M.’.C.’. Chan.’. P.’.B.’. P.’. E .’. 1º Diac.’. 2º Diac.’. 1º Exp.’. Cobr.’.ext.’. 2º Exp.’. Cob.’.Int.’. Harmonia
  12. 12. Giro em Loja ESTRELA DE DAVID Venerável Mestre SecretárioGuarda da Lei (Orador) Primeiro Vigilante Segundo Vigilante Cobridor Interno
  13. 13. União entre os IIr.’.
  14. 14. Cadeia de União • - A cadeia de união é sem dúvida alguma um dos símbolos mais significativos de entre todos os que decoram a Loja maçônica. • - Trata-se de um cordão que rodeia todo o templo em sua parte superior. • - Esta situação no "alto" lhe dá uma conotação celeste, confirmada pelos doze nós que aparecem de trecho em trecho ao longo de todo o cordão, os quais simbolizam os doze signos do zodíaco. • Esses nós correspondem, além disso, às doze colunas que exceto pelo lado de Oriente também rodeiam o recinto da Loja. • Cinco dessas colunas estão situadas no lado do Setentrião, outras tantas ao Meio-dia, e as duas restantes -as colunas J e B- no Ocidente.
  15. 15. O Pelicano alimentando os filhotes
  16. 16. • Examinando as páginas do Grande Dicionário Enciclopédico da Maçonaria de Nicola Aslan, vamos encontrar a seguinte descrição sobre o Pelicano: "símbolo maçônico representado pelo pelicano derramando sangue pelos seus filhotes a que foi adotado pela maçonaria, na antiga arte cristã, o Pelicano era considerado emblema do salvador". • Este simbolismo tem por base uma antiga superstição, cuja falsidade foi demonstrada, mas, enquanto se acreditava nela, o Pelicano foi adotado como símbolo do Cristo, derramando o seu sangue pela Igreja e pela Humanidade.
  17. 17. • A esta interpretação teológica, os místicos aplicaram, porém, outro significado, • Considerando o Pelicano como símbolo do próprio sacrifício, indicando que na medida em que damos , nossas posses, as nossas aquisições intelectuais, as nossas habilidades, alimentamos a nossa vida, desenvolvemos o nosso caráter e a nossa personalidade, • Sendo que, à medida que os anos passam, o nosso sacrifício se reflete em boas ações que perduram além da nossa vida, como que lembrando os sacrifícios que fizemos.
  18. 18. • O Pelicano é sempre representado no momento em que se abre as suas entranhas para alimentar seus filhotes, sempre em números considerados sagrados: 3-5-7. • A Maçonaria vê no Pelicano o DEUS alimentando o seu Cosmos com a própria substância.
  19. 19. Explicação Biológica • Então, o Pelicano possui uma espécie de bolsa, logo depois do bico, descendo para o papo. • E, na forma de regurgitação, deposita ali os alimentos para os filhos. • Quando necessitando desse trabalho, enfiava o bico pela bolsa e retirava o alimento que ali estava, servindo assim seus próprios filhos.
  20. 20. • O Pelicano não serve de sua carne, não serve de seu sangue para alimentar os filhotes, pelo processo que era vedado aos primitivos notarem, devido à distância em que ficavam. • E a semelhança ficou, o símbolo permaneceu. • E o Pelicano é para nós, realmente o emblema mais extraordinário de nossa própria Ordem, quando a mãe comum realiza todos os sacrifícios para amparar os filhos, para alimentar seus rebentos para propagar a própria espécie.
  21. 21. REGUA DE 24PP • A régua é o símbolo da Retidão. Representa a boa administração do tempo que deve ser divido no auto- conhecimento, meditação, estudo e repouso.
  22. 22. • Régua de 24 PPInstrumento essencialmente estático, que tem a função de medir, planejar e avaliar qualquer ação ou tarefa a ser executada pelo maçom. • Evidenciarmos também que a Régua de 24 PP tem seu princípio de trabalho dimensionado na longitude, o que consiste na base das medidas de todo o gênero e de todos os departamentos da vida, não existindo outra forma ou base possível e aplicável.
  23. 23. • Todas as medidas se derivam da longitude, ou seja, bases, linhas, superfícies etc. As formas dos corpos não poderiam ser descritas se não se recorresse às expressões da medida de longitude. • Dessa forma vemos que para se medir outras matérias, como por exemplo, o calor, a luz, a radioatividade, a energia e a força, nos baseamos no conhecimento do comprimento ou da velocidade de suas ondas que implica na medida essencial de longitude, sempre através da régua.
  24. 24. • Da mesma forma, temos conhecimento que o tempo é medido, através dos registros dos movimentos naturais em espaços definidos, que só podem ser expressos por meio de termos dependentes da medida longitudinal. • Assim, entendemos que a Régua de 24 PP  ensina que, no campo moral, o homem deve medir prudentemente os seus planos de ação, apreciando o contorno de suas ideias conhecendo exatamente seu valor e sua utilidade.
  25. 25. Filosoficamente • Em outras palavras, o maçom não deve nunca agir sobre meras conjecturas. • Tanto material, como espiritual, medir é saber e o erro começa onde se perde o senso da medida. • Antes de lançar uma idéia, deve medir suas proporções e calcular as conseqüências. • As medidas têm suas relações com tudo o que fazemos, ou seja, no comer, no beber, nas despesas diárias, na administração do seu lar ou do seu trabalho, nas relações pessoais, na justiça, na reciprocidade, nos direitos individuais, nos direitos e deveres para com seu país e para com a humanidade. • Em síntese, Sabedoria é prudência e só é prudente aquele que sabe medir.
  26. 26. MAÇO • É a ferramenta de trabalho do Aprendiz, para alegoricamente, desbastar a pedra, ou educar a agreste e inculta personalidade para uma vida ou obra superior. • O malho simboliza a vontade, energia, decisão, o aspecto ativo da consciência, necessário para vencer e superar os obstáculos.
  27. 27. • Este instrumento é basicamente utilizado para desferir golpes, cuja qualidade e sua representatividade é a Força e o poder, – E sua missão consiste na transmissão de energia, sendo para o aprendiz maçom, o símbolo de todas as formas físicas, morais, mentais e espirituais.
  28. 28. • Podemos dizer que o Maço foi o primeiro instrumento imaginado pelo homem primitivo para mover a matéria do plano material. • Este passo dado pela humanidade foi tão importante para evolução que alguns cientistas definiram o homem como um ser fabricador de instrumentos e para a maçonaria o homem é o ser que leva o maço na mão.
  29. 29. Prancha de Traçar Usado em Loja como tapete Régua
  30. 30. • Em síntese o ser humano tem como tarefa em sua vida diária a remoção e transformação de matéria, tanto no campo material, quanto moral e espiritual. • O Maço é a impulsão, a vontade, a força espiritual e material a energia que tem como fim impulsionar aquilo que foi avaliado, medido, calculado e planejado pela Régua de 24 Polegadas para frente.
  31. 31. CINZEL • Representa o intelecto e sugere o trabalho inteligente. • Instrumento do grau de Aprendiz. • Simbolicamente, serve para desbastar a pedra bruta da personalidade.
  32. 32. • O Cinzel é o instrumento de trabalho, que possui a propriedades fundamentais de cortar, abrir caminho através da matéria e receber a força que lhe é aplicada pelo Maço, • Para poder realizar perfeitamente a sua função, possuindo um fio cortante e resistente, na proporção exata da obra que realiza.
  33. 33. • Para entender melhor os fundamentos do Cinzel, ao estudarmos as artes de trabalhar a madeira, os metais, as pedras a terra, • E em quase todos os ofícios e indústrias que empregam instrumentos para polir madeiras, fazer estrias e molduras, veremos que todos esses instrumentos cortantes são Cinzéis.
  34. 34. • Assim, ao analisarmos os princípios deste instrumento no mundo moral e espiritual, vamos descobrir que tanto os trabalhadores da indústria, como qualquer outro, • Ao utilizar o Cinzel para abrir os caminhos através da matéria, deverá estar sempre bem afiado, construído de material resistente e temperado na medida certa, • Para que possa transmitir com perfeição, a energia dos golpes aplicados ao elemento bruto, transformando-o em obra de arte.
  35. 35. • Alem disso o Cinzel do Maçom deve ser continuamente temperado pelo aperfeiçoamento constante das faculdades morais, pois durante o trabalho, • O fio desse instrumento poderá sofrer avarias quando contraposto às resistências dos materiais. • É importante manter sempre constante o potencial de penetração, se não quiser deixar uma obra inacabada e sem valor.
  36. 36. • O Cinzel representa a beleza moral, e simbolicamente modela o espírito e a alma, de acordo com os mandamentos, da sabedoria. • Representa as nossas faculdades morais, mentais e espirituais, subordinadas ao nosso saber e a nossa prudência, sem o que, o maçom não poderia dar feição à sua própria natureza.
  37. 37. • E assim finalizamos descrevendo os fundamentos sagrados do triangulo que representa simbolicamente as três colunas sagradas do templo, onde a sabedoria orienta; a força impele e a beleza executa, todas representadas pela Régua, o Maço e o Cinzel. • Esses são os símbolos do mundo com que nós sonhamos em que cada ser humano possa cultivar e desenvolver as forças latentes da consciência, concretizadas nessa tríade misteriosa: Pensar, querer e fazer.
  38. 38. Representação Simbólica • Já segundo Bondarik, R., a Ordem Maçônica baseia os seus muitos princípios e os seus diversos ensinamentos em símbolos e rituais. • Podemos afirmar que uma das principais características da Maçonaria, seja justamente aquela de procurar velar e proteger os seus muitos segredos dos olhos daqueles que ainda sejam considerados profanos. • A maneira encontrada pela Ordem Maçônica para ministrar os seus muitos segredos e ensinamentos aos seus Iniciados, é procurar sempre fazê-lo utilizando-se de símbolos e metáforas (CAMPANHA, 2003, p.38).
  39. 39. Representação Simbólica • Esta Simbologia Maçônica, sua interpretação e o seu entendimento são as ferramentas utilizadas pelos maçons para os seus constantes escavar de masmorras ao vício e no seu permanente edificar e levantar de templos às virtudes:
  40. 40. Representação Simbólica • “Para tornar sua doutrina mais facilmente assimilável, como também para inspirar conceitos mais amplos, a Maçonaria transmite seus ensinamentos por meio de símbolos. • Cada maçom vê nestes símbolos conforme o seu grau de evolução, sem, contudo afastar-se dos fundamentos da doutrina (...)” (GRANDE LOJA DO PARANÁ, 2000, p.3).
  41. 41. Representação Simbólica • Em seu “Dicionário de Maçonaria”, uma obra que consideramos fundamental, Joaquim Gervásio de Figueiredo, nos coloca uma interessante definição da Ordem Maçônica, em que procura destacar a importância da utilização de símbolos para a difusão dos princípios maçônicos: • “A Maçonaria é um sistema sacramental que, como todo sacramento, tem um aspecto externo visível, consistente em seu cerimonial, doutrinas e símbolos, e acessível somente ao maçom que haja aprendido a usar sua imaginação espiritual e seja capaz de apreciar a realidade velada pelo símbolo externo (...)” (FIGUEIREDO, 1998, p.231).
  42. 42. Simbologia • Os símbolos aliados às metáforas e a prática da analogia sempre foram utilizadas na transmissão de informações e mensagens, principalmente aquelas que são consideradas religiosas ou até mesmo esotéricas. • Assim foi com o cristianismo ao longo de sua evolução, e também com a imensa maioria das religiões que existem na atualidade ou que já existiram. • Uma cerimônia religiosa ou ritual é um exemplo prático da riqueza representada pelos símbolos, bem como da sua utilização
  43. 43. Simbologia • “(...) A cerimônia religiosa desempenha um papel importante em todas as religiões (...) invoca-se ou louva-se um Deus ou vários Deuses, ou ainda manifesta-se gratidão a ele ou a eles. • Tais cerimônias religiosas, ou ritos, tendem a seguir um padrão bem distinto, ou ritual (...)” (HELLERN, op. cit., p. 25).
  44. 44. Simbologia • Ao analisarmos o conjunto das cerimônias pertencentes e próprias de uma religião, qualquer que seja ela, conhecido também como culto ou liturgia, encontraremos ai o maior número das representações simbólicas desta mesma religião: • “(...) A palavra culto (do verbo latino colere ‘cultivar’) é empregada em geral para significar ‘adoração’, mas na ciência das religiões é um termo coletivo que designa todas as formas de rito religioso (...)”
  45. 45. Maçonaria . Religião • Cabe-nos também aqui procurar destacar que a Ordem Maçônica, ou simplesmente Maçonaria, não é todavia e muito menos pode vir a ser encarada como uma religião. • Um dos princípios básicos das ordens maçônicas em todo o mundo, é o de que a religião é um assunto exclusivo do indivíduo. • A maçonaria sofreu forte oposição da Igreja Católica Apostólica Romana porque, com seus princípios obrigatórios e sua essência religiosa, ela teria usurpado as prerrogativas da Igreja. • O número de membros no mundo está na casa dos 6 milhões. ("Franco-maçonaria," Enciclopédia® Microsoft® Encarta);
  46. 46. Importante Observar: • “ (...) O maçom é livre para investigar a verdade, portanto, pode discordar ou discutir os princípios maçônicos, notadamente, porque as instruções maçônicas não tem natureza dogmática (verdades absolutas) (...)” (GRANDE LOJA DO PARANÁ op cit. p.14)
  47. 47. Porém: • A Maçonaria, porém, utiliza-se em seus diversos rituais e em sua simbologia própria, influência de muitas outras religiões e seitas que existiram ou ainda existem no mundo . • [A Maçonaria] nascida em sua forma moderna, nas asas das aspirações liberais e libertárias dos povos subjulgados pelo poder real absoluto e pelos privilégios do clero, ela, também, é liberal e libertária, evolutiva e adaptável às épocas, racional e democrática
  48. 48. Assim: • Para armar todavia, a sua doutrina moral, ela buscou o simbolismo nascido da mística de civilizações perdidas na noite dos tempos; e o simbolismo, fonte de espiritualidade oculta, será, sempre, por mais que a cibernética e a materialidade dominem o mundo, uma LUZ no caminho da humanidade (...)” (CASTELLANI: 1996. p.92).
  49. 49. O TEMPLO É O LUGAR ONDE SE REÚNEM OS MAÇONS Templo: do Latim Tempus = Tempo Após a iniciação, o neófito Quando deixou seu estado edênico Local de formação do Homem maçom E o colocou para morar no templo O templo de DEUS é o universo A pirâmide de Keops é o templo mais perfeito, segundo alguns é a cópia do corpo humano O templo de Salomão não é a imitação do copo humano? O homem maçom deve ouvir a voz do seu mestre interno e construir o templo intimo o corpo de Deus Adorar a Deus não significa prosternar-se diante de uma imagem dentro de um Templo Não sabeis que sois Templo de Deus? e que o Espírito de Deus mora em vós
  50. 50. O TEMPLO CRISTO colocou fim a época dos santuários ou templo externo, quando fez o auto-sacrifício; O templo é a representação alegórica do corpo físico; O iniciado deve penetrar diariamente, em seu interior, por meio da concentração e meditação; Ai permanecer em contato com seu Templo Intimo o tempo que lhe for possível.
  51. 51. A LOJA • O Templo maçônico representa o UNIVERSO que é o templo de DEUS, cuja contraparte é o corpo humano; • No interior do Sagrado Templo Corpo é a Câmara Interna a Loja é a contra parte do Lugar Santo; • • A Loja é a habitação do: Logos, Verbos, Palavras, Templo Intimo, Eu Sou, que é o Corpo Físico; • • A Loja é a manifestação do LOGOS ou A PALAVRA
  52. 52. A LOJA • A Loja também simboliza a superfície da terra o mundo; • Abrir a Loja significa deixar o Templo Intimo manifestar-se; • Mostrar seu poder por meio de nosso organismo que tem seus canais; as células e átomos; • É a doutrina da luz interior que identifica o Homem com seu Templo Intimo
  53. 53. RELAÇÃO DA LOJA COM O HOMEM • Dentro do Templo simbólico, a loja é a representação do Universo ou do Corpo Físico. • Tem a forma de um quadrilongo que corresponde em sua figura ao número quatro. • Simboliza a Natureza, ou o Corpo com seus quatro elementos e os quatro pontos cardeais. • A planta do local orienta-se de leste a Oeste, o Homem deve seguir a Lei Divina. • O sol depois de um dia de trabalho, com radiante esplendor descansa no ocidente; • O homem depois de um dia de trabalho, busca o descanso no silêncio do seu Templo Intimo
  54. 54. RELAÇÃO DA LOJA COM O HOMEM • O Sol é o símbolo da vida, do nascimento, do crescimento e do contínuo esforço. • O homem em seu oriente = cabeça, aprende com o Sol, que é o principio da vida, o continuo esforço para evoluir. • O sul é o lugar das trevas onde o sol não derrama sua luz com intensidade, é o mal, o abismo o vale das lagrimas, ignorância, o lugar dos desejos inferiores, o baixo ventre. • É por onde entra o Neófito, cego e ignorante, em busca da Luz • O Norte designa Iluminação e Espiritualidade porque o Sol brilha em todo seu esplendor
  55. 55. RELAÇÃO DA LOJA COM O HOMEM O homem como a loja tem seus pontos cardeais. Oriente é a parte superior e o acidente á a parte inferior; O lado direito ou o norte do homem é o lado positivo, o cérebro direito é o instrumento da Mente Divina é a Galiléia cidade santa do evangélio; O lado esquerdo ou o Sul é o negativo, o lado tenebroso, é a Babilônia da bíblia, cidade de confusão, morada do espírito negativo, reino da ignorância. No contorno da loja temos 12 signos , Jacó teve 12 filhos, Jesus 12 apóstolos, o homem tem 12 faculdades do espírito em si.
  56. 56. As Colunas J e P *8 Covados são 2.75 metros, igual Ao pé direito da construção civil
  57. 57. Colunas ocas no Museu de Alexandria – Turquia
  58. 58. Abaixo o desenho cabalístico das colunas unidas e numeradas cuja soma representa 8 que é o número do cabala para equilíbrio, e ainda mais o desenho lembra a espada Flamerígena com a qual todo Maçom é iniciado.
  59. 59. RELAÇÃO DA LOJA COM O HOMEM SIGNOS LOCAIS DO CORPO FÍSICO FILHOS DE JACÓ FACULDADES DO ESPÍRITO AIRES Cabeça ou cérebro do homem cósmico Benjamim Vontade ativa guiada pelo cérebro TOURO Pescoço e garganta Issachar Força do pensamento Silencioso GÊMINIS Braços e Mãos Levi União da razão com a intuição CÂNCER Órgãos vitais Zabulão Equilíbrio entre material e espiritual LEÃO Centro vital Judá Desejo ardente, anseios VIRGO Plexo solar Ascher Realização das esperanças LIBRA Rins Dan Torvelinho da força procriadora ESCORPIÃO Órgãos geradores Gad Geração de idéias SAGITÁRIO Ancas e Assentos José Organizadora do espírito CAPRICÓRNIO Rotulas flexíveis Neftali Símbolo da regeneração ou renascimento AQUÁRIO Pernas Rubens A ciência e a verdade PISCIS Pés Efrain Paciência e obediência
  60. 60. RELAÇÃO DA LOJA COM O HOMEM • O trono do venerável eleva-se sobre sete degraus. O homem tem sete mundos, o físico, astral, mental, institucional, espiritual, monárquico e o divino. • Para elevar-se a título de Mestre o Homem deve faze-lo por meio da santidade altruísta, sobre os sete mundos que são representados pelos sete degraus; • O venerável é o que senta na sua própria sabedoria;
  61. 61. RELAÇÃO DA LOJA COM O HOMEM • O delta luminoso indica a trindade do homem; Imagem e semelhança do G:.A:.D:.U:. • Os três ângulos do triângulo representam o mistério da trindade, • Os reinos da natureza: o passado o presente e o futuro, o nascimento a vida e a morte
  62. 62. RELAÇÃO DA LOJA COM O HOMEM • O triangulo que forma o DELTA simboliza o homem: - PERFEIÇÃO; HARMONIA e SABEDORIA; O Olho é a representação do Absoluto dentro e fora do homem, • No divino: o Pai, o Filho e o Espírito Santo; • - São as três emanações, poderes e princípios: O Criador, O Conservador e O Destruidor; • Os raios que irradiam dos lados do Delta simbolizam a força expansiva do ser interno, • As Nuvens indicam a força cristalizada ou a matéria; • As letras hebraicas forma o nome de Deus Jehová;
  63. 63. RELAÇÃO DA LOJA COM O HOMEM • Cabalisticamente encerra o mistério da criação: I, Hé, O, Hé. I equivale a 10 o número do Criador. Hé é cinco metade de dez representa a sua criação em si mesma. Unindo, C:.C:. 10+5, obtém-se 1+5 = 6 que é o 0, • Temos o mistério da Trindade. O pai 10, emanou de si o filho, 5, o mundo, e da relação de 10, com 5 temos o Espírito Santo • Para os ocidentais Pai, Mãe e Filho. Em egípcio, Osíris, Isis e Hórus. Brâmanes, Nara, Nari e Viraj Caldeus:, Anu, Nuah e Bel. Catolicismo:, Pai, Filho e Espírito Santo.
  64. 64. RELAÇÃO DA LOJA COM O HOMEM • Alquimicamente: • Princípios constitutivos do universo Sal, Enxofre e Mercúrio ou Rajas , Tamas e Satwa; ou Atividade, Energia e Ritmo, que correspondem a; Força Centrífuga, Força Centrípeta e Força Equilibrante, ou Brahma, Yishnu e Shiva • Todos estes nomes se encontram na definição de Deus e como imagem e semelhança no homem . Os atributos de Deus e do homem. Onipresença, Onisciência e Onipotência. • Três mundos; Exterior, Interior e Divino. Três partes do homem; Espírito, Alma e Corpo.Na loja; Sabedoria, Força e Beleza.
  65. 65. RELAÇÃO DA LOJA COM O HOMEM • Liberdade= Prumo. Igualdade= Nível e Fraternidade= Esquadro. Que significa: Libertar dos vícios, A Equidade e Justiça, e que Somos Irmãos. • O olho no centro do Delta é a representação do Absoluto dentro e fora do homem é a Unidade, • Que se fez três; é o símbolo do único principio é a Causa sem Causa. • Sol e Lua são manifestações diretas e reflexas da luz Invisível. Sol: Mente Divina no homem. • Lua: o cérebro esquerdo, intelecto origem de todo o egoísmo.
  66. 66. RELAÇÃO DA LOJA COM O HOMEM • O Sol e a Lua representam a dualidade da manifestação humanizada em nossos • Na dualidade integram a raça humana e refletem em todos os reinos da vida e • Correspondem a dois princípios: de Atividade e Inércia. Energia e Matéria, Essê Substância, Enxofre e Sal. Em metafísica Pai e Mãe, Masculino e Feminino. • Todos esses símbolos acham-se no corpo humano e na loja. O maçom deve me concentrar-se dentro de si mesmo para conhecer-se. • Altar dos Juramentos: o Altar deve ser o dos Sacrifícios e remorsos por nossos v • O Altar está no interior do homem, no Coração. Cada homem deve converte-se Sacrifícios e degolar o animal que existe dentro de si mesmo. • O Altar do juramento na loja tem a forma triangular e seus lados representam: t Símbolo da evolução. • Altar do orador representa o poder do Verbo. Altar do secretário representa a M
  67. 67. RELAÇÃO DA LOJA COM O HOMEM • O candelabro com as três velas acesas representa no homem as três luzes da • Deus é Luz diz S. João, e esta Luz esta refratada nas três cores primárias: - Pai azul, Filho amarelo e Espírito Santo vermelho • Faça-se a minha imagem e semelhança, assim também no Homem refrata-se três atributos: - O Raio Azul é do PAI, o do FILHO Amarelo, e o do ESPÍRITO SANTO o Vermelh - Assim como a Luz do Candelabro enche a Loja, assim deve ser a Luz da Trinda posta dentro de nossos corações para que nos GUIE. • O compasso É O PODER DO VERBO ou da VERDADE INTUITIVA. - É O PODER DA VONTADE EDUCADA - O compasso indica um ângulo cujos lados partem de um vértice, quanto mais se alongam de sua origem mais se separam; - É A DUALIDADE NO HOMEM ESPÍRITO E MATÉRIA. • A carta constitutiva É A SUCESSÃO DA VERDADE, DA VERDADE NO HOMEM • O livro da Lei simboliza A PALAVRA DIVINA O VERBO ou VERDADE SUPREMA é natural escrita em nossa memória.
  68. 68. RELAÇÃO DA LOJA COM O HOMEM • Se O compasso representa O ESPIRITO manifestado na matéria, • O esquadro é o HOMEM INFERIOR que, por ser dominado pelo SUPERIOR novam se alça PARA SUA ORIGEM ‘ DEUS’. • O compasso é a INTUIÇÃO o esquadro é a RAZÃO. • No grau de aprendiz o esquadro e o compasso sobe o livro da lei é o símbolo do HOMEM INFERIOR dominando o HOMEM SUPERIOR em atos, paixões e desejo • O esquadro e o compasso sobre o L da L são ferramentas para interpretar o LIVRO SAGRADO
  69. 69. RELAÇÃO DA LOJA COM O HOMEM • O homem quando saiu de seu estado edênico, cansou de perambular por inúmeras vidas e de passar por tantos sofrimentos impostos por seu corpo de desejos, contudo, • Precisa vencer todas as dificuldades dentre elas Querubim com a Espada que deita chamas, o fantasma do Umbral que impede a entrada dos Átomos do Mal que vivem sob a égide do corpo dos desejos. • Coluna J e B representam o aspecto dual do mundo terrestre positivo e negativo as duas pernas do corpo da casa do pai.
  70. 70. RELAÇÃO DA LOJA COM O HOMEM • Os aprendizes ficam na coluna do Sul, princípio passivo, pois não podem ver a luz do Norte. Coluna do Norte é a luz da sabedoria princípio ativo homem positivo. • Os Vigilantes: junto com o VM representam três atributos da divindade do homem: onisciência Onipotência e onipresença. • O Tesoureiro representa no homem corpo causal, átomo semente, memória que reúne o fruto da ação, • O Diácono: representa no homem a faculdade que o torna fraterno e caridoso; • O painel do Grau, representado pelo tapete é o símbolo do nosso corpo, as três janelas representam as três luzes internas. • Pedra bruta é símbolo do nosso corpo material sem conhecimento.
  71. 71. RELAÇÃO DA LOJA COM O HOMEM • O pavimento de mosaico representa a dualidade, o bem e o mal; • A orla dentada é a união dos maçons o homem é uno com o universo; • Corda de 81 nós é a união dos maçons no universo a Fraternidade.

×