Apresentacao Salão Negritude

4.562 visualizações

Publicada em

Publicada em: Espiritual, Arte e fotografia
1 comentário
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Olá.tire minhas dúvidas,meu cabelo era muito cacheados e bastante volumoso,então um dia resolvi fazer uma progressiva no início ficou lindo mas agora meu marido fica me pedindo pra deixar eles cacheados de novo.Eu não sei como fazer nem se tem como fazer isso.Por isso peço a ajuda de vocês pois meu casamento já está bastante abalado por outros motivos,más mudar meu cabelo como ele pede, vai me ajudar bastante.socooooooorro!
       Responder 
    Tem certeza que deseja  Sim  Não
    Insira sua mensagem aqui
Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
4.562
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
20
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
54
Comentários
1
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Apresentacao Salão Negritude

  1. 1. Qual é o espelho que me olha? Diversidade étnico-racial
  2. 2. O que é diversidade étnico-racial? • Respeito às diferenças étnico-raciais. • Não é tolerância as diferenças, mas sim a sua afirmação e positivação. • É um valor que beneficia qualquer sociedade e qualquer empresa (que tem responsabilidade social) no combate ao preconceito, discriminação e racismo.
  3. 3. Qual é a diversidade étnico-racial presente no Brasil? • Pessoas brancas (descendência européia: pele branca, nariz afinalado, lábios finos, olhos geralmente claros e cabelos lisos - caucasóide). • Pessoas negras (descendência africana – Diáspora: pele preta ou parda, nariz largo, lábios carnudos,olhos, geralmente, escuros e cabelos crespos - negróide).
  4. 4. • Pessoas de origem asiáticas e indígenas (pele, relativamente escura, lábios finos, nariz relativamente largo, olhos escuros e cabelos lisos e grossos). BRANCO + NEGRO + ASIÁTICO + INDÍGENA = ???
  5. 5. E no Brasil, com a mistura étnico-racial, como ficam estas características? Entrelaçadas (porém, visíveis).
  6. 6. Como é possível identificar a diferença? R:Também pelos traços fenotípicos (aparência). Existe algum problema em ser diferente? (sim quando há hierarquias sociais e raciais). Hierarquização Modelo Padrão X “O Diferente” Qual é o padrão estético valorizado pela sociedade brasileira?
  7. 7. O teu cabelo não nega (Lamartine Babo e Irmãos Valença) O teu cabelo não nega Mulata Porque és mulata na cor Mas como a cor não pega Mulata Mulata quero o teu amor
  8. 8. Como se constrói um padrão estético? Estética negra X Estética branca Estética branca: • O branco é o símbolo da divindade ou Deus. • O negro é o símbolo do espírito do mal e do Demônio. • O branco é símbolo da luz.... • O negro é símbolo das trevas, e as trevas exprimem simbolicamente o mal. • O branco é o emblema da harmonia. • O negro, o emblema do caos. • O branco significa beleza suprema. • O negro a feiúra. • O branco significa perfeição.
  9. 9. • O negro significa o vício. • O branco é o símbolo da inocência. • O negro, da culpabilidade, do pecado ou da degradação moral. • O branco, cor sublime, indica a felicidade. • O negro, cor nefasta, indica tristeza. • O combate do bem contra o mal é indicado simbolicamente pela oposição do negro colocado perto do branco.
  10. 10. Como se construiu este padrão? • Cor da pele e textura do cabelo, no Brasil, serviu como marca de diferenciação na escravidão negra. • Traços físicos: desumanização = animalização (ex: negro = macaco). • Pele negra = escura, suja, feia, fedida, carvão...
  11. 11. E o cabelo Afro? • Origem na África. • O penteado tem relação com status, etnia (cultura) do grupo. • No Brasil o cabelo afro é também conhecido como: cabelo étnico; cabelo crespo; cabelo encaracolado; cabelo de negro; e, pejorativamente, de cabelo ruim. • Em geral, nos salões, o cabelo afro está relacionado com a idéia de ser um cabelo difícil e trabalhoso de lidar.
  12. 12. SARARA MIOLO (Gilberto Gil) Sara, sara, sara, sarará Sara, sara, sara, sarará Sarará miolo Sara, sara, sara cura Dessa doença de branco Sara, sara, sara cura Dessa doença de branco De querer cabelo liso Já tendo cabelo louro Cabelo duro é preciso Que é para ser você, crioulo
  13. 13. respeitem meus cabelos, brancos (chico césar) respeitem meus cabelos, brancos chegou a hora de falar vamos ser francos pois quando um preto fala o branco cala ou deixa a sala com veludo nos tamancos cabelo veio da áfrica junto com meus santos
  14. 14. benguelas, zulus, gêges rebolos, bundos, bantos batuques, toques, mandingas danças, tranças, cantos respeitem meus cabelos, brancos se eu quero pixaim, deixa se eu quero enrolar, deixa se eu quero colorir, deixa se eu quero assanhar, deixa deixa, deixa a madeixa balançar
  15. 15. Identificações de cabelo Afro. • Cabelo afro Cabelo enrolado • Cabelo étnico Cabelo ruim • Cabelo crespo Cabelo Rebelde • Cabelo pixaim Cabelo ruim de • Cabelo duro pentear • Cabelo seco Sarará • Cabelo de Bombril Cabelo feio • Pára Raio Cabelo esquisito • Cabelo de Vassoura Piaçaba • Cabelo de Bruxa Juba • Cabelo arrepiado Moita Carapinha
  16. 16. Sendo assim, quem gostaria de ter um cabelo afro? Qual profissional gostaria de lidar com o cabelo afro? Como eu poderia lidar com o cabelo afro acreditando que ele é ruim?
  17. 17. Como lidar com a estética do outro, negando a minha? O que pode ter me levado a pensar assim do cabelo afro? Meu cabelo tem história...
  18. 18. • Minha infância: (o toque, o cuidado, o zelo de mamãe com meu cabelo). • A dor, o trauma, o pente fino, as chacotas... • As tranças, os coques e os óleos, os cremes fedidos... • Na adolescência: deixar as tranças, esconder o cabelo (meninas prendem, meninos raspam), ou seja, perceber a diferença (exclusão e preconceito a partir do cabelo).
  19. 19. Adulto: Muitas pessoas passam a acreditar mesmo que o seu cabelo afro é feio e ruim. E procuram enquadrar o seu cabelo afro ao padrão aceito. O que significa ser ruim? E qual é o padrão aceito como belo e o desejável? Como é possível valorizar a diversidade dos cabelos se existe um padrão imposto?
  20. 20. As relações sociais e o cabelo O penteado das pessoas podem nos dar dicas sobre a sua realidade econômica, social e cultural. O cabelo afro está relacionado, muitas vezes, com a idéia de pobreza (classe social) e baixo nível educacional. Dependendo do penteado reforçam a idéia de “pouco cuidado”ou “pouca higiene” ( preconceito) Exemplos: O mercado de trabalho tende a valorizar o padrão estético dominante (branco), a dita “boa aparência”. Penteados mais afirmativos em contraposição ao padrão branco são menos aceitáveis e mais discriminados (dread look, tranças, o cabelo curto – para as mulheres – etc.). O que se busca é um padrão “comportado” para o cabelo afro.
  21. 21. Elza Soares - A Carne A carne mais barata do mercado é a carne negra 5x Que vai de graça pro presídio E para debaixo de plástico Que vai de graça pro subemprego E pros hospitais psiquiátricos A carne mais barata do mercado é a carne negra 5x Que fez e faz história Segurando esse país no braço O cabra aqui não se sente revoltado Porque o revólver já está engatilhado
  22. 22. E o vingador é lento Mas muito bem intencionado E esse país Vai deixando todo mundo preto E o cabelo esticado Mas mesmo assim Ainda guardo o direito De algum antepassado da cor Brigar sutilmente por respeito Brigar bravamente por respeito Brigar por justiça e por respeito De algum antepassado da cor Brigar, brigar, brigar A carne mais barata do mercado é a carne negra 5x
  23. 23. Qual tem sido o padrão mais aceito ainda, para os cabelos afros? Para os homens: cabelo bem curto ou raspado? Para as mulheres: alisados ou relaxados e de preferência longos? (cabelo que chacoalha). Mas qual é a missão do nosso salão? Como é possível valorizar a diversidade, então?
  24. 24. OBSERVAR NO SALÃO Qual é o significado da diversidade para o Salão? De que forma o salão contrapõe o padrão de estética existente conseguindo sobreviver no mercado? Como os profissionais são formados? Quais são os principais desafios do Salão na promoção da diversidade étnico-racial brasileira.
  25. 25. A mulher brasileira valoriza sobremaneira a beleza física enquanto elemento de afirmação pessoal. No contexto de acesso limitado ao conforto e bem estar, a mulheres atribuem à beleza as possibilidades de ascensão social, por meio de melhores oportunidades de trabalho.
  26. 26. Não por menos há tanta procura da parte de mulheres em geral por produtos cosméticos, academia de ginástica, cirurgia plástica, enfim recursos para fazer parecer mais bonita. Além de posse material, as pessoas querem ter prestígio. E a mulher quer ser cortejada, desejada pelos homens e invejada pelas outras mulheres.
  27. 27. Olhos Coloridos (Sandra De Sá) Os meus olhos coloridos Me fazem refletir Eu estou sempre na minha E não posso mais fugir Meu cabelo enrolado Todos querem imitar Eles estão baratinados Também querem enrolar
  28. 28. Você ri da minha roupa VOCÊ RI DO MEU CABELO Você ri da minha pele Você ri do meu sorriso A verdade é que você, TEM SANGUE CRIOULO TEM CABELO DURO SARARÁ CRIOULO Sarará crioulo, sarará crioulo (2x)
  29. 29. Qual é o maior desafio para o nosso salão? Criar condições de ter profissionais qualificados (tecnicamente), mas, também formados para lidar com a DIVERSIDADE ÉTNICO-RACIAL presente na sociedade brasileira. É preciso lembrar que a DIVERSIDADE ÉTNICO-RACIAL é um VALOR e, portanto, o SALÃO tem que OUSAR, ao mesmo tempo, que DEVE TER O COMPROMISSO de contrapor as estratégias de padronização da ESTÉTICA brasileira. (SIGNOS)
  30. 30. POESIA Cabelos enroladinhos Cabelos de caracóis pequeninos Cabelos que a natureza se deu ao luxo De trabalhá-los e não simplesmente deixá- los esticados ao acaso Cabelo Pixaim Cabelo de negro (Henrique Cunha Junior) Cadernos Negros N.1, 1978
  31. 31. CONTO COM VOCÊ!!!! OBRIGADA!

×