História da tabela periódica(final)

23.384 visualizações

Publicada em

3 comentários
17 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Excelente! trabalho conciso, claro e com domínio de conteúdo. Ajudou-me a compreender bem a importância desta tabela para quem a estuda.
       Responder 
    Tem certeza que deseja  Sim  Não
    Insira sua mensagem aqui
  • muito bomm me ajudou muito em um trabalho da faculdade!!!
       Responder 
    Tem certeza que deseja  Sim  Não
    Insira sua mensagem aqui
  • Gostei, ajudou muito num trabalho da escola para o meu filho.
       Responder 
    Tem certeza que deseja  Sim  Não
    Insira sua mensagem aqui
Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
23.384
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
79
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
926
Comentários
3
Gostaram
17
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

História da tabela periódica(final)

  1. 1. Tabela Periódica História e Evolução
  2. 2. Ao longo dos tempos... <ul><li>Elementos químicos foram sendo descobertos. </li></ul><ul><li>Houve necessidade de: </li></ul><ul><li>- esquematizar </li></ul><ul><li>- representar </li></ul><ul><li>- organizar esses elementos. </li></ul>
  3. 3. TABELA PERIÓDICA <ul><li>A Tabela Periódica teve como base as propriedades observadas experimentalmente </li></ul><ul><li>nos elementos químicos. </li></ul><ul><li>As propriedades físicas e químicas dos elementos mostraram ser função periódica do número atómico. </li></ul>
  4. 4. Século XIX... <ul><li>Primeira letra maiúscula do seu nome em latim ou grego. </li></ul><ul><li>Berzelius (1779-1848) </li></ul>Símbolo Químico
  5. 5. Contribuição de vários cientistas para a construção da Tabela Periódica: ANTOINE LAVOISIER (1743-1794) A.B.Chancourtois ( 1820-1886) J.L.Meyer ( 1830-1895) Henry Moseley J.W.Döbereiner (1780-1849) J.A.R.Newlands (1837-1898) Dimitri Mendeleyev (1834-1907) Glenn Seaborg (1912 – 1999)
  6. 6. ANTOINE LAVOISIER <ul><li>Ordenou e sistematizou um conjunto de observações e hipóteses que deu origem à química científica; </li></ul><ul><li>Publicou em 1789 o “ Tratado Elementar da Química ”; </li></ul><ul><li>Construiu uma tabela com 32 elementos; </li></ul>
  7. 7. As tríadas de J. W. Dobereiner <ul><li>Organizou os elementos por ordem crescente de massa atómicas. </li></ul><ul><li>Verificou que os elementos apresentavam propriedades químicas semelhantes. </li></ul><ul><li>Formou grupos de três elementos – “Tríadas”. </li></ul>Cloro, bromo e iodo: a tríada da primeira tentativa. <ul><li>A massa atómica do elemento central da “tríada” era a média das massa atómicas dos outros dois elementos. </li></ul>
  8. 8. Primeira Tabela Periódica <ul><li>Em 1829, J. W. Dobereiner </li></ul>Lei das tríadas de Dobereiner 40 88 >>> (40 + 137) /2 = 88,5 137 Cálcio Estrôncio Bário Massa atómica Elemento
  9. 9. PARAFUSO TELÚRICO DE CHANCOURTOIS (o Caracol de Chancourtois) <ul><li>Em 1862, A. E. Chancourtois </li></ul><ul><li>Disposição dos elementos numa espiral traçada nas paredes de um cilindro, por ordem crescente de massas atómicas. A esta distribuição deu-se o nome de parafuso telúrico ou de caracol de Chancourtois. </li></ul>
  10. 10. <ul><li>Chancourtois </li></ul><ul><li>(1820-1886) </li></ul>Parafuso Telúrico (Caracol de Chancourtois)
  11. 11. As oitavas de John Newlands <ul><li>Agrupou os elementos em sete grupos de sete elementos, por ordem crescente das suas massas atómicas; </li></ul>“ O oitavo elemento é uma espécie de repetição do primeiro, como a oitava nota de uma oitava de uma música” <ul><li>Estabeleceu uma relação entre as propriedades dos elementos e a sua massa atómica. A este tipo de repetição com propriedades semelhantes chamou-se periodicidade, e é esta a origem do nome da “tabela periódica”. </li></ul>Si14 Enxofre Si 7 Oxigénio Lá 13 Fosfato Lá 6 Nitrogénio Sol 12 Silício Sol 5 Carbono Fá 11 Alumínio Fá 4 Boro Mi 10 Magnésio Mi 3 Berílio Ré 9 Sódio Ré 2 Lítio Dó 8 Flúor Dó 1 Hidrogénio
  12. 12. John Newlands (1837-1898) <ul><li>Em 1863, Newlands, químico industrial, ordenou os cerca de 62 elementos conhecidos de então, segundo a sua massa atómica crescente e verificou que, após um intervalo de oito elementos, as propriedades dos elementos se repetiam. Nasceu, assim, a Lei das oitavas . </li></ul>
  13. 13. <ul><li>Limitações: </li></ul><ul><li>Em determinadas colunas onde estão elementos com propriedades semelhantes, encontram-se alguns erradamente colocados; </li></ul><ul><li>O telúrio (Te) foi colocado antes do iodo, contudo, a sua massa atómica relativa é maior; </li></ul>
  14. 14. Lothar Meyer e Dimitri Mendeleiev <ul><li>O alemão Lothar Meyer e o russo Dimitri Mendeleiev, trabalhando independentemente, descobriram a lei periódica e publicaram a tabela periódica dos elementos. </li></ul>
  15. 15. O pai da actual Tabela Periódica <ul><li>Mendeleiev (1834-1907) </li></ul>
  16. 16. <ul><li>Tabela Periódica de Mendeleiev publicada, em Inglaterra, em 1871. </li></ul>
  17. 17. Descoberta dos gases raros <ul><li>Em 1895, o físico Lord Rayleigh (1842-1919) e o químico William Ramsey (1852-1916) descobriram os “gases inertes”. A descoberta destes novos elementos acrescentaram uma nova coluna à Tabela Periódica. </li></ul>
  18. 18. Henry Moseley (1887-1915) <ul><li>Em 1914, ordenou os elementos segundo os números atómicos crescentes (conceito que só surgiu em 1913) e não segundo as massas atómicas, eliminando algumas incongruências verificadas na Tabela de Mendeleiev. </li></ul>
  19. 19. Lei Periódica de Moseley <ul><li>Demonstrou que a carga do núcleo do átomo é característica de um elemento químico ; </li></ul><ul><li>Reordenou os elementos químicos por ordem crescente dos seus números atómicos; </li></ul>Uuu Uun Une Uno Uns Unh Unp Unq Ac Ra Fr Rn At Po Bi Pb Tl Hg Au Pt Ir Os Re W Ta Hf La Ba Cs Xe I Te Sb Sn In Cd Ag Pd Rh Ru Tc Mo Nb Zr Y Sr Rb Kr Br Se As Ge Ga Zn Cu Ni Co Fe Mn Cr V Ti Sc Ca K Ar Cl S P Si Al                     Mg Na Ne F O N C B                     Be Li He                                 H Tabela Periódica
  20. 20. Século XX... <ul><li>Moseley (1887-1915) </li></ul><ul><li>Lei Periódica </li></ul><ul><li>“ Quando os elementos químicos são agrupados por ordem crescente de número atómico (Z), observa-se a repetição periódica de várias das suas propriedades”. </li></ul>
  21. 21. A série de Actinídeos de Glenn Seaborg <ul><li>Descobriu todos os elementos transurânicos, do número atómico 94 até ao 102, tendo reconfigurando a tabela periódica e colocado a série dos actinídeos debaixo da série dos lantanídeos. </li></ul>Lr No Md Fm Es Cf Bk Cm Am Pu Np U Pa Th Actinídeos Lu Yb Tm Er Ho Dy Tb Gd Eu Sm Pm Nd Pr Ce Lantanídeos
  22. 22. Tabela Periódica Actual
  23. 23. TABELA PERIÓDICA <ul><li>Os elementos encontram-se ordenados por ordem crescente dos seus números atómicos; </li></ul><ul><li>Os elementos de uma mesma coluna da Tabela Periódica, pertencem à mesma família e formam um GRUPO ; (As propriedades físicas e o comportamento químico dos elementos de um dado grupo são análogos) </li></ul><ul><li>Os elementos que se encontram numa mesma linha horizontal constituem um PERÍODO . (A variação das propriedades dos elementos de um dado período processa-se de uma maneira regular) </li></ul><ul><li> 18 Grupos </li></ul><ul><li>TABELA </li></ul><ul><li> 7 Períodos </li></ul>
  24. 24. Grupos Períodos Organização da Tabela Periódica Metais Não Metais Semi-metais Gases Nobres Lantanídeos Actinídeos Elementos de transição Elementos representativos Hidrogénio 18 17 16 15 14 13 12 11 10 9 8 7 6 5 4 3 2 1 7.º 6.º 5.º 4.º 3.º 2.º 1.º
  25. 25. As Famílias Grupo 1: Metais Alcalinos Grupo 2: Metais Alcalino-Terrosos Grupo 17: Halogéneos Grupo 18: Gases Nobres ou Inertes 18 17 2 1 Ra Fr Rn At Ba Cs Xe I Sr Rb Kr Br Ca K Ar Cl Mg Na Ne F Be Li He 7.º 6.º 5.º 4.º 3.º 2.º 1.º
  26. 26. PROPRIEDADES DOS METAIS <ul><li>Maleáveis (alteram a forma). </li></ul><ul><li>Dúcteis (podem ser estirados) </li></ul><ul><li>Bons condutores de calor. </li></ul><ul><li>Bons condutores de electricidade. </li></ul><ul><li>Apresentam brilho. </li></ul>
  27. 27. Grupo 1: Metais Alcalinos <ul><li>Apresentam brilho metálico; </li></ul><ul><li>Oxidam-se facilmente na presença de oxigénio; </li></ul><ul><li>Têm boa condutibilidade térmica e eléctrica; </li></ul><ul><li>São muito reactivos com a água, originando soluções básicas; </li></ul><ul><li>- Apresentam apenas um electrão de valência; </li></ul><ul><li>- Tendem a formar iões monopositivos pois nas reacções cedem um electrão; </li></ul><ul><li>- A reactividade e o carácter metálico dos elementos tendem a aumentar ao longo do grupo. </li></ul>
  28. 28. Grupo 2: Metais Alcalino-Terrosos <ul><li>Apresentam brilho metálico; </li></ul><ul><li>Oxidam-se facilmente na presença de oxigénio; </li></ul><ul><li>São também muito reactivos com a água, originando soluções básicas; </li></ul><ul><li>Apresentam dois electrões de valência; </li></ul><ul><li>Tendem a formar iões bipositivos, pois nas reacções cedem dois electrões; </li></ul><ul><li>- A reactividade e o carácter metálico tendem a aumentar ao longo do grupo. </li></ul>
  29. 29. Grupo 17: Halogéneos <ul><li>Isoladamente são perigosos (tóxicos); </li></ul><ul><li>Apresentam sete electrões de valência; </li></ul><ul><li>Tendem a formar iões mononegativos, pois nas reacções captam um electrão; </li></ul><ul><li>De um modo geral, a reactividade e o carácter não metálico diminuem ao longo do grupo. </li></ul>
  30. 30. Grupo 18: Gases Nobres <ul><li>À temperatura ambiente são gases; </li></ul><ul><li>São quimicamente inactivos, daí serem também designados gases inertes; </li></ul><ul><li>Todos os elementos, à excepção do Hélio, possuem oito electrões de valência; </li></ul><ul><li>- São elementos muito estáveis. </li></ul>
  31. 31. TABELA PERIÓDICA <ul><li>A maior parte dos elementos são metálicos. </li></ul><ul><li>Existem apenas 17 elementos não-metálicos e 8 semi-metálicos. </li></ul><ul><li>A localização dos elementos na T.P. é feita através da configuração electrónica dos átomos dos elementos no estado fundamental. </li></ul><ul><li> </li></ul>
  32. 32. TABELA PERIÓDICA <ul><li>A Tabela Periódica pode dividir-se em quatro blocos , designados por : </li></ul><ul><li>bloco s – o nível mais periférico só tem em preenchimento as orbitais s. </li></ul><ul><li>ns x (x = 1 ou 2) </li></ul><ul><li>bloco p – o nível mais periférico tem em preenchimento uma orbital p (ou é a última a ser preenchida) </li></ul><ul><li>ns 2 np x (x = 1, 2, 3, 4, 5, 6) </li></ul><ul><li>bloco d – </li></ul><ul><li>(n-1)d x ns 2 (x = 1, 2, …, 10) </li></ul><ul><li>bloco f – </li></ul><ul><li>(n-2)f x (n-1)p 6 ns 2 (x = 1, 2, …, 14) </li></ul><ul><li> </li></ul>
  33. 33. TABELA PERIÓDICA <ul><li>Na Tabela Periódica podem distinguir-se: </li></ul><ul><li>Elementos representativos (bloco s e bloco p) </li></ul><ul><li>Metais de transição (bloco d) </li></ul><ul><li>Lantanídeos e actinídeos (bloco f) </li></ul><ul><li> </li></ul>
  34. 34. TABELA PERIÓDICA
  35. 35. TABELA PERIÓDICA
  36. 36. Vamos reflectir... <ul><li>Como podemos localizar na Tabela Periódica os elementos Li, Na, Be, Mg, F, Cl, He e Ne, sabendo apenas o seu número atómico? </li></ul>Dados: 3 Li 4 Be 9 F 2 He 11 Na 12 Mg 17 Cl 10 Ne

×