Regulamento concurso so_faro

215 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
215
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
3
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Regulamento concurso so_faro

  1. 1. CONCURSO ESCOLAR DE ARTES PLÁSTICAS UM RETRATO DA VIDA E OBRA DE ÁLVARO CUNHAL COMEMORAÇÃO DO CENTENÁRIO DE NASCIMENTO DE ÁLVARO CUNHAL O OLHAR ARTÍSTICO DAS CRIANÇAS E DOS JOVENS SOBRE A VIDA E OBRA DE ÁLVARO CUNHAL Destinatários: crianças da educação pré-escolar e alunos dos ensinos básico, secundário e universitário Inscrições: até 31 de janeiro de 2014 Consultar o REGULAMENTO DO CONCURSO ORGANIZAÇÃO
  2. 2. CONCURSO ESCOLAR: UM RETRATO DA VIDA E OBRA DE ÁLVARO CUNHAL COMEMORAÇÃO DO CENTENÁRIO DO NASCIMENTO DE ÁLVARO CUNHAL CONCURSO ESCOLAR UM RETRATO DA VIDA E OBRA DE ÁLVARO CUNHAL ANO LETIVO 2013/2014 REGULAMENTO 1. APRESENTAÇÃO No dia 10 de Novembro assinala-se a data de nascimento de Álvaro Cunhal. O Sindicato de Professores da Zona Sul, distrito de Faro, membro da FENPROF (SPZS/FENPROF), no âmbito da Comemoração do Centenário do Nascimento de Álvaro Cunhal, lança o concurso escolar “Um retrato da vida e obra de Álvaro Cunhal”. Considerando a relevância da vida e obra de Álvaro Cunhal na defesa dos direitos do povo trabalhador português e enquanto artista e escritor, torna-se pertinente proporcionar às crianças e aos jovens portugueses uma oportunidade de estudarem uma figura histórica, de desenvolverem, ou de reforçarem, as suas competências enquanto futuros cidadãos ativos da sociedade e de estimularem a sua criatividade através da expressão artística. O concurso escolar “Um retrato da vida de Álvaro Cunhal” consiste na elaboração de trabalhos de expressão artística que recriem a figura de Álvaro Cunhal e/ou um episódio da sua história de vida ou ainda da sua obra artística. Os trabalhos apresentados a concurso serão objeto de avaliação por um júri e de exposição. Comemorar o centenário do nascimento de Álvaro Cunhal é prestar homenagem a uma personalidade que marcou a História Nacional. É prestar homenagem ao Homem que lutou pela defesa intransigente dos direitos do povo trabalhador português. Assim, o SPZS/FENPROF associa-se ao programa nacional de atividades comemorativas do centenário do nascimento de Álvaro Cunhal, com a promoção de um concurso escolar dirigido às crianças da educação pré-escolar e aos alunos dos ensinos básico, secundário e universitário. Concurso Escolar: Um retrato da vida e obra de Álvaro Cunhal Página 2
  3. 3. CONCURSO ESCOLAR: UM RETRATO DA VIDA E OBRA DE ÁLVARO CUNHAL 2. OBJETIVO Estimular o conhecimento da vida e obra de Álvaro Cunhal no ano em que se comemora o centenário do seu nascimento e privilegiar a expressão artística enquanto veículo de comunicação de ideias. 3. PÚBLICO-ALVO O concurso é dirigido às crianças da educação pré-escolar e aos alunos dos ensinos básico, secundário e universitário. 4. 4.1. NATUREZA DOS TRABALHOS Áreas de trabalho. São aceites trabalhos originais no domínio da expressão artística: desenho, cartaz, maquete, escultura, vídeo… 4.2. Âmbito dos trabalhos. Os trabalhos a concurso deverão incidir sobre dois temas: um retrato de Álvaro Cunhal, destinado às crianças da educação pré-escolar e aos alunos do 1º ciclo do ensino básico e da educação especial e um acontecimento da vida ou obra de Álvaro Cunhal (Prisão no Luso, 25 de março de 1949; Julgamento perante o tribunal fascista, 9 de maio de 1950; Fuga da prisão-fortaleza de Peniche, 3 de janeiro de 1960; 25 de abril de 1974; Obra literária, Obra plástica, entre outros) para os alunos dos 2º e 3º ciclos do ensino básico, ensino secundário e ensino universitário. 5. 5.1. CONDIÇÕES DE CANDIDATURA Candidatos. Considera-se como candidato, um grupo de até três alunos ou um aluno individualmente, tendo um professor como responsável. O concurso é aberto às escolas da rede pública e do ensino privado e cooperativo. 5.1.1. Cada aluno não poderá integrar mais do que um grupo mas pode apresentar um trabalho individual; 5.1.2. Pode concorrer mais do que um grupo por turma ou por escola; 5.1.3. O mesmo professor poderá ser responsável por vários grupos ou trabalhos individuais. 5.2. Categorias. Foram definidas as seguintes categorias de candidatos:  Educação Pré-Escolar  1º Ciclo do Ensino Básico  2º Ciclo do Ensino Básico  3º Ciclo do Ensino Básico  Ensino Secundário Concurso Escolar: Um retrato da vida e obra de Álvaro Cunhal Página 3
  4. 4. CONCURSO ESCOLAR: UM RETRATO DA VIDA E OBRA DE ÁLVARO CUNHAL  Educação Especial  Ensino Universitário 5.3. Inscrições. São feitas em formulário próprio. 5.4. Os trabalhos entregues deverão incluir de forma clara e inequívoca referências à identificação da escola/agrupamento/universidade, ao nome do professor responsável, ao nome e ano de escolaridade do(s) aluno(s) que participaram na execução de cada trabalho criativo original. 5.5. Considera-se que, ao concorrerem, os participantes concedem autorização ao SPZS/FENPROF para a utilização exclusiva dos seus produtos finais, nomeadamente para exposição dos trabalhos e na sua itinerância, divulgar, publicar, editar e explorar os produtos, em qualquer suporte, renunciando a toda e qualquer compensação financeira. 5.6. Os trabalhos serão devolvidos aos concorrentes, reservando-se o direito ao SPZS de manter em sua posse os que entender. 5.7. Todas as dúvidas relacionadas com os processos de candidatura ou de envio dos trabalhos a concurso podem ser esclarecidas através do envio de mail para o SPZS-Faro: faro@spzs.pt. 6. 6.1. TEMAS E CATEGORIAS Retrato de Álvaro Cunhal – Educação Pré-Escolar, 1º Ciclo do Ensino Básico, Educação Especial (independentemente do ciclo de ensino a que pertence). 6.2. Retrato de um acontecimento da vida ou obra de Álvaro Cunhal – 2º e 3º Ciclos do Ensino Básico, Ensino Secundário e Ensino Universitário. 7. ENTREGA OU ENVIO DOS TRABALHOS Os trabalhos deverão ser entregues na delegação de Faro ou na subdelegação de Portimão do SPZS OU enviados por correio para a delegação de Faro do SPZS faro@spzs.pt. 7.1. Entrega dos trabalhos. Faro: SPZS-Faro, Rua Miguel Bombarda, Ed. Varandas de Faro, Bloco E, r/c Dto, 8000-394 Faro 8. 8.1. PRAZOS Inscrições dos trabalhos: São feitas em formulário próprio e enviadas por correio eletrónico para faro@spzs.pt, até ao dia 31 de janeiro de 2014. 8.2. Entrega dos trabalhos: Os trabalhos deverão ser entregues ou enviados pelo correio (ver ponto 6) até ao dia 21 de abril de 2014. 8.3. Avaliação dos trabalhos pelo júri: 24 de abril de 2014. Concurso Escolar: Um retrato da vida e obra de Álvaro Cunhal Página 4
  5. 5. CONCURSO ESCOLAR: UM RETRATO DA VIDA E OBRA DE ÁLVARO CUNHAL 8.4. Divulgação dos resultados: 25 de abril de 2014 no site do SPZS – http://www.spzs.pt/. Os premiados serão contactados telefonicamente. 8.5. Entrega de prémios e exposição dos trabalhos: a cerimónia de entrega dos prémios decorrerá em Faro (local a anunciar) no dia 25 de abril de 2013. Os trabalhos apresentados a concurso constituirão a exposição que será apresentada em várias localidades do Algarve. 9. CRITÉRIOS DE APRECIAÇÃO Constituem critérios de apreciação dos trabalhos apresentados a originalidade, a criatividade, o domínio da técnica utilizada e a qualidade de apresentação. 10. PRÉMIOS Será atribuído um livro ao vencedor de cada categoria. Todos os participantes receberão um diploma de participação. O júri poderá atribuir menções honrosas, caso o decida. Na sequência de apoios, o SPZS poderá atribuir diversos outros prémios. 11. JÚRI O júri de avaliação será composto pelas seguintes entidades:  Sindicato de Professores da Zona Sul – um elemento que presidirá;  FENPROF – um elemento;  Especialista na área de trabalho a concurso – um elemento a designar Concurso Escolar: Um retrato da vida e obra de Álvaro Cunhal Página 5
  6. 6. CONCURSO ESCOLAR: UM RETRATO DA VIDA E OBRA DE ÁLVARO CUNHAL INSCRIÇÃO DO TRABALHO (enviar para faro@spzs.pt) 1. ESCOLA/AGRUPAMENTO/UNIVERSIDADE 2. NOME DO PARTICIPANTE OU GRUPO DE PARTICIPANTES (ATÉ AO MÁXIMO DE TRÊS E ELEMENTOS) 3. NOME E CONTACTO DO PROFESSOR RESPONSÁVEL (apenas para o ensino não superior) 4. CATEGORIA (assinalar com X à frente da opção pretendida) 4.1. - Educação Pré-Escolar 4.2. - 1º Ciclo do Ensino Básico 4.3. - 2º Ciclo do Ensino Básico 4.4. - 3º Ciclo do Ensino Básico 4.5. - Ensino Secundário 4.6. - Educação Especial 4.7. - Ensino Universitário 5. EXPRESSÃO ARTÍSTICA (assinalar com X à frente da opção pretendida) 5.1. DESENHO 5.2. PINTURA 5.3. ESCULTURA 5.4. MAQUETE 5.5. VÍDEO 5.6. OUTRA QUAL? 6. BREVE DESCRIÇÃO DO TRABALHO Concurso Escolar: Um retrato da vida e obra de Álvaro Cunhal Página 6
  7. 7. CONCURSO ESCOLAR: UM RETRATO DA VIDA E OBRA DE ÁLVARO CUNHAL NOTAS BIOGRÁFICAS: Álvaro Cunhal nasceu em Coimbra (freguesia da Sé Nova) em 10 de Novembro de 1913. Passou parte da sua infância em Seia. A família mudou-se entretanto para Lisboa, onde Álvaro Cunhal começou por frequentar o Liceu Pedro Nunes e, mais tarde, o Liceu Camões. Concluídos os estudos liceais, ingressou na Faculdade de Direito de Lisboa onde iniciou a sua atividade revolucionária. Participou no movimento associativo estudantil, tendo sido eleito em 1934 como o representante dos estudantes no Senado Universitário. Foi militante da Federação das Juventudes Comunistas Portuguesas (FJCP) sendo eleito seu secretário-geral em 1935. Membro do Partido Comunista Português desde 1931, a partir de 1935 passou a integrar o quadro de militantes clandestinos. Preso em 1937 e em 1940 e submetido a torturas, voltou imediatamente à luta logo que libertado depois de alguns meses de prisão. Participou na reorganização do PCP de 1940/41 e foi membro do Secretariado de 1942 a 1949, período durante o qual deu uma contribuição decisiva na atividade e definição da orientação e identidade do Partido que faz do PCP um Partido profundamente enraizado na classe operária e nos trabalhadores, com forte influência na intelectualidade e na juventude, grande partido nacional e dirigente da luta antifascista. Preso de novo em 1949, passou toda a década de 50 nas prisões fascistas. Levado a julgamento, fez no Tribunal fascista uma contundente acusação à ditadura fascista e a defesa da política do Partido. Condenado, permaneceu 11 anos seguidos nas cadeias fascistas, dos quais cerca de 8 anos em completo isolamento. Transferido da Penitenciária de Lisboa para a prisão-fortaleza de Peniche, evadiu-se em 3 de Janeiro de 1960 com um grupo de outros destacados militantes comunistas. O período desde o início dos anos 60 até à Revolução de Abril de 1974 foi extraordinariamente intenso. Integrou novamente o Secretariado do Comité Central, tendo sido eleito Secretário-geral do PCP em Março de 1961. Deu uma contribuição decisiva na análise da situação nacional e na caracterização do regime fascista, criando condições para a Revolução de Abril e influenciando o seu desenvolvimento. Após o derrube da ditadura fascista em 25 de Abril de 1974, depois de quase quarenta anos de luta na clandestinidade ou na prisão, pôde desenvolver a ação política nas condições de liberdade que a Revolução proporcionou. Foi Ministro sem Pasta nos primeiros quatro Governos Provisórios e eleito deputado à Assembleia Constituinte em 1975 e à Assembleia da República nas eleições realizadas entre 1975 e 1987. Foi membro do Conselho de Estado de 1982 a 1992. A sua intervenção na fase do desenvolvimento do processo revolucionário, e posteriormente na defesa das conquistas da revolução atingidas pelo processo contrarrevolucionário, foi profundamente marcada pela avaliação e o estímulo ao papel da luta da classe operária, dos trabalhadores, das massas populares. Continuou a ter, até ao fim da sua vida, uma intervenção ativa na ação política, na atividade cultural e artística, na afirmação confiante do projeto comunista. Morreu aos 92 anos em 13 de Junho de 2005 e o seu funeral, no dia 15 de Junho, contou com a participação de centenas de milhares de pessoas, o que constituiu uma extraordinária homenagem dos Concurso Escolar: Um retrato da vida e obra de Álvaro Cunhal Página 7
  8. 8. CONCURSO ESCOLAR: UM RETRATO DA VIDA E OBRA DE ÁLVARO CUNHAL comunistas, dos democratas e patriotas, dos trabalhadores e do povo a quem Álvaro Cunhal dedicou a sua vida. Autor de vasta obra publicada, no plano político e ideológico, de que são exemplos trabalhos como «As Lutas de Classes em Portugal nos Fins da Idade Média», «Contribuição para o Estudo da Questão Agrária», «Rumo à Vitória», «A Revolução Portuguesa – O Passado e o Futuro», «O Partido com Paredes de Vidro», «A Verdade e a Mentira na Revolução de Abril (A contra-revolução confessa-se)», «O Radicalismo Pequeno-Burguês de Fachada Socialista», «Acção Revolucionária Capitulação e Aventura», «A Arte, o Artista e a Sociedade», entre muitos outros, e centenas de informes/relatórios, de discursos, de colóquios, entrevistas, debates, conferências, artigos em várias publicações; prefaciou e traduziu diversas obras, que fazem de Álvaro Cunhal um intelectual que enriqueceu criativamente o pensamento político, económico, social e cultural numa permanente relação dialéctica com a sua acção prática de organizador e dirigente comunista. Álvaro Cunhal foi também o homem, o comunista, o artista com um apaixonado interesse por todas as esferas da vida, nomeadamente pela atividade de criação artística, quer no plano da literatura, nomeadamente com o pseudónimo de «Manuel Tiago», com o romance e o conto («Até Amanhã, Camaradas»; «Cinco Dias; Cinco Noites»; «A Estrela de Seis Pontas»; «A Casa de Eulália»; «Fronteiras»; «Um Risco na Areia»; «Os Corrécios»; «Sala 3»; «Lutas e Vidas»; «Os Barrigas e os Magriços») e a tradução («Rei Lear» de Shakespeare), quer no plano das artes plásticas, com o desenho e a pintura («Desenhos da Prisão», «Projectos»), quer ainda no plano da reflexão teórica sobre a estética e a criação cultural («A Arte, o Artista e a Sociedade»). http://alvarocunhal.pcp.pt/elementos-biogr%C3%A1ficos-de-%C3%A1lvaro-cunhal Concurso Escolar: Um retrato da vida e obra de Álvaro Cunhal Página 8

×