• Curtir
O Renascimento
Próximos SlideShare
Carregando em...5
×

O Renascimento

  • 1,228 visualizações
Carregado em

Adaptado da Raiz Editora

Adaptado da Raiz Editora

Mais em: Educação
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Tem certeza que quer?
    Sua mensagem vai aqui
Sem downloads

Visualizações

Visualizações totais
1,228
No Slideshare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
0

Ações

Compartilhamentos
Downloads
33
Comentários
1
Curtidas
2

Incorporar 0

No embeds

Conteúdo do relatório

Sinalizado como impróprio Sinalizar como impróprio
Sinalizar como impróprio

Selecione a razão para sinalizar essa apresentação como imprópria.

Cancelar
    No notes for slide

Transcript

  • 1. Hora H / 8.º ano
  • 2. O que foi o Renascimento? Onde e quando se desenvolveu? Movimento cultural que revolucionou as artes, a literatura e a ciência e teve origem em Itália, no século XV. Hora H / 8.º ano
  • 3. Porque é considerada a Itália o berço do Renascimento? Porquê em Itália? Desenvolvimento económico das cidades italianas: Florença, Milão, Veneza e Roma Comércio e banca muito desenvolvidos Rivalidade política entre as cidades mais desenvolvidas Mecenato cultural – a família dos Médicis, os papas Governantes e papas promoveram a cultura como forma de distinção social e afirmação política Vestígios da civilização greco-romana e presença de intelectuais de origem grega que divulgaram a língua e as obras clássicas Obras de arte clássicas inspiraram os artistas Hora H / 8.º ano
  • 4. Quem eram os principais mecenas do Renascimento? Cosme de Médicis foi banqueiro e político no século XV. Governou Florença, onde mandou construir igrejas e palácios, patrocinando as artes. Foi avô de Lourenço e fundador da dinastia política da família dos Médicis, que se contava entre uma das mais ricas da Europa. Lourenço de Médicis governou Florença no século XV. Embelezou a cidade e fundou uma biblioteca e uma escola para a formação de escritores e artistas, onde estudou Miguel Ângelo. Vivia rodeado de humanistas e artistas, que apoiava. Hora H / 8.º ano
  • 5. Entre passado e presente: o mecenato cultural A EDP criou uma Fundação em 2004 que é mecenas da Companhia Nacional de Bailado e da Orquestra Sinfónica Juvenil, para além de apoiar bolsas de estudo, exposições, concursos de música e artes plásticas e possuir uma coleção de arte que conta com mais de 700 obras de mais de 170 artistas. A Fundação Calouste Gulbenkian foi fundada em Lisboa em 1953 pelo empresário arménio Gulbenkian. Era um grande colecionador de arte, doando, após a morte, a sua coleção e fortuna à fundação para apoiar projetos culturais. Atualmente, a fundação continua a financiar vários programas culturais e bolsas de estudo e investigação. Hora H / 8.º ano
  • 6. Explorar fontes históricas “Lourenço de Médicis tinha adornado os jardins da cidade com belas estátuas antigas; os pátios, os parques e todas as salas do seu palácio encontravam-se embelezados com admiráveis esculturas, quadros e mil objectos da autoria dos melhores mestres que tinham vivido na Itália e no estrangeiro. Todas as obras de arte constituíam (…) uma verdadeira escola para os jovens pintores, aprendizes de escultura e para todos aqueles que se aplicavam ao desenho (…). Lourenço de Médicis favoreceu sempre os grandes génios, particularmente os nobres dotados para as artes (…). Àqueles demasiado pobres (…) assegurava os meios de vida e vestuário e concedia grandes recompensas aos que, entre eles, realizavam os melhores trabalhos.” Giorgio Vasari, Vidas de Pintores, 1582 Transcreve frases que demonstrem que Lourenço de Médicis era um mecenas. Hora H / 8.º ano
  • 7. Quais os grandes centros artísticos do Renascimento? Florença Flandres Centros artísticos Roma Veneza Hora H / 8.º ano
  • 8. Veneza Entre passado… … e presente Veneza do Renascimento. Veneza na atualidade. Hora H / 8.º ano
  • 9. Quem eram os humanistas? Rabelais Maquiavel Thomas More Erasmo de Roterdão Luís de Camões Eram os intelectuais que iniciaram o Renascimento. Homens cultos, muitos deles professores universitários, oriundos da nobreza, do clero ou da burguesia. Hora H / 8.º ano
  • 10. Quais os novos valores cultivados pelos humanistas? Classicismo Espírito crítico «Eis os soberanos pontífices, os cardeais e os bispos. Hoje, estes pastores não fazem nada senão alimentar-se bem.» Erasmo Tolerância Novos valores do Humanismo Individualismo Naturalismo Curiosidade científica Antropocentrismo Hora H / 8.º ano
  • 11. Quais os novos valores cultivados pelos humanistas? Classicismo Espírito crítico Tolerância Novos valores do Humanismo Valorização da cultura clássica greco-latina, tomada como modelo nas artes e na literatura. Capacidade de cada indivíduo pensar livremente e julgar por si próprio. Respeito pela diversidade de opiniões. Individualismo Valorização da liberdade do indivíduo, das suas capacidades e realizações. Naturalismo Valorização do estudo e representação da Natureza. Curiosidade científica Antropocentrismo Vontade de conhecer o mundo que nos rodeia. O conhecimento do Homem passou a ser tema central das ciências, literatura e artes. Hora H / 8.º ano
  • 12. O que significa o antropocentrismo renascentista? E livre-arbítrio? (pág.35, doc. 2) «Deus escolheu o Homem (...) e, colocando-o no centro do mundo, disse-lhe: - Nós não te demos um lugar preciso, nem forma que te seja própria, nem função particular (...) para que tu, segundo os teus desejos e discernimento, possas escolher e modelar-te da forma que preferires.» Pico della Mirandola, Sobre a Dignidade do Homem, séc. XV Hora H / 8.º ano
  • 13. A literatura renascentista «Esquecem que o seu nome de bispo significa labor, vigilância, solicitude. Estas qualidades servem-lhes para deitar mão ao dinheiro.» «E em perigos e guerras esforçados, Mais do que prometia a força humana» «Parecer piedoso, fiel, humano, íntegro, religioso, e sê-lo realmente, mas estar com o espírito preparado e disposto de modo que (…) possas e saibas tornar-te o contrário.» «A ilha da Utopia tem cinquenta e quatro cidades espaçosas e magníficas.» Hora H / 8.º ano
  • 14. Quais as características da literatura do Renascimento? «Eis os soberanos pontífices, os cardeais e os bispos. Hoje, estes pastores não fazem nada senão alimentar-se bem. Deixam o cuidado do rebanho ao próprio Cristo. Esquecem que o seu nome de bispo significa labor, vigilância, solicitude. Estas qualidades servem-lhes para deitar mão ao dinheiro. Se os soberanos pontífices, que estão no lugar de Cristo, se esforçassem por imitá-lo na sua pobreza, nos seus trabalhos, na sua sabedoria, na sua cruz e no seu desprezo da vida, não seriam os mais infelizes dos homens? Aquele que empenhou todos os seus recursos para adquirir essa dignidade não terá de, em seguida, a defender pelo ferro, o veneno e a violência?»  Antropocentrismo: o conhecimento do Homem e das suas ações tornou-se o tema central dos humanistas.  Espírito crítico: crítica aos líderes da Igreja, mais preocupados em deitar mão ao dinheiro e viver luxuosamente do que em seguir o exemplo de pobreza e sabedoria dado por Cristo. Erasmo de Roterdão, O Elogio da Loucura (adaptado), 1511 Hora H / 8.º ano
  • 15. Quais as características da literatura do Renascimento? «As armas e os barões assinalados Que, da Ocidental praia Lusitana, Por mares nunca de antes navegados Passaram ainda além da Taprobana, Em perigos e guerras esforçados, Mais do que prometia a força humana, E entre gente remota edificaram Novo Reino, que tanto sublimaram; E também as memórias gloriosas Daqueles Reis que foram dilatando A Fé, o Império, e as terras viciosas De África e de Ásia andaram devastando, E aqueles que por obras valerosas Se vão da lei da Morte libertando: Cantando espalharei por toda a parte, Se a tanto me ajudar o engenho e arte.»  Camões é influenciado pelas epopeias clássicas de Homero e Virgílio (classicismo), glorificando os grandes feitos e qualidades dos portugueses.  O plano dos deuses acompanha toda a obra, a sua intervenção favorece a viagem dos portugueses até à Índia.  É um escritor viajado e com uma vasta cultura, um verdadeiro humanista. Luís de Camões, Os Lusíadas, canto I, estrofes 1 e 2, 1556 Hora H / 8.º ano
  • 16. Quais as características da literatura do Renascimento?  «(…) A um príncipe, portanto, não é essencial possuir todas as qualidades acima mencionadas, mas é bem necessário parecer possuí-las. Antes, ousarei dizer que, possuindo-as e usando-as sempre, elas são danosas, enquanto que, aparentando possuí-las, são úteis; por exemplo: parecer piedoso, fiel, humano, íntegro, religioso, e sê-lo realmente, mas estar com o espírito preparado e disposto de modo que, precisando não sê-lo, possas e saibas tornar-te o contrário (…).» Nicolau Maquiavel, O Príncipe, 1513 Maquiavel dá conselhos ao Príncipe sobre a forma que considera mais adequada à governação, mesmo que isso implique não olhar aos meios para atingir certos fins.  Mobiliza o conhecimento que tem sobre o ser humano para construir um autêntico tratado teórico sobre o modo como os governantes deviam atuar para governar bem.  Estes princípios são adotados pelos reis absolutistas a partir do século XVI para centralizar o seu poder. Hora H / 8.º ano
  • 17. Quais as características da literatura do Renascimento? «A ilha da Utopia tem cinquenta e quatro cidades espaçosas e magníficas. A linguagem, os hábitos, as instituições, as leis são perfeitamente idênticas. As cinquenta e quatro cidades são edificadas sobre o mesmo plano e possuem os mesmos estabelecimentos e edifícios públicos, modificados segundo as exigências locais. (…) As roupas têm a mesma forma para todos os habitantes da ilha; esta forma é invariável, e apenas distingue o homem da mulher, o solteiro do casado. (…)» Thomas More imaginou uma ilha ideal – a Utopia – onde os homens são felizes porque o espaço, a economia e a sociedade estão mais bem organizados, de forma a garantir a justiça e uma maior igualdade. Os governantes são mais justos e sensatos. É uma forma construtiva de criticar aquilo que considera estar errado na sociedade do seu tempo (revela espírito crítico). Thomas More, Utopia, 1516 Hora H / 8.º ano
  • 18. De que forma a invenção da imprensa permitiu a difusão das ideias humanistas? «A imprensa é um exército de 26 soldados de chumbo com o qual se pode conquistar o mundo.» Johannes Gutenberg, inventor da imprensa (1397-1468) Invenção da imprensa DESCOBRE VANTAGENS Multiplicação de livros Livros mais baratos e acessíveis a um maior número de pessoas Difusão mais rápida de novas ideias Hora H / 8.º ano
  • 19. A ciência Hora H / 8.º ano
  • 20. Quais os progressos registados na astronomia náutica e na geografia? O geógrafo Duarte Pacheco Pereira demonstrou que a observação e a experiência provaram que muito daquilo que os antigos diziam era falso. Nau da armada de Afonso de Albuquerque comandada por Duarte Pacheco Pereira em 1503. Com a expansão marítima portuguesa alargou-se o conhecimento da Natureza e do Mundo (naturalismo) e desenvolveu-se a curiosidade científica e o espírito crítico, pois o conhecimento dos autores antigos foi revisto à luz do novo saber. Hora H / 8.º ano
  • 21. Quais os progressos registados na astronomia, cartografia e matemática? O cosmógrafo, geómetra e matemático Pedro Nunes aplicou a matemática à cartografia e às técnicas de navegação. Tratado da Esfera, acerca de princípios de cosmografia (1537). As viagens transoceânicas exigiam mapas e conhecimentos de astronomia cada vez mais rigorosos e precisos, o que implicou o desenvolvimento da matemática e da geometria para resolver problemas práticos. Hora H / 8.º ano
  • 22. Quais os progressos registados na astronomia? O geocentrismo defendido pelo geógrafo Ptolomeu, no século II, colocava a Terra fixa, no centro do Universo, em torno da qual giravam todos os planetas e o Sol. Esta era a teoria que vigorava até ser substituída pelo heliocentrismo defendido por Copérnico e comprovado por Galileu. «Depois de longas investigações, convenci-me de que: O Sol é uma estrela fixa rodeada de planetas que giram em volta dela e de que ela é o centro e a chama. (…) Que a Terra é um planeta principal, sujeito a movimento (…)» Nicolau Copérnico, De Revolutionibus Orbium Coelestium, 1543 Hora H / 8.º ano
  • 23. Quais os progressos registados na medicina e na botânica? Rembrandt, Aula de anatomia (quadro do séc. XVII). Estudos de Leonardo da Vinci. Os estudos anatómicos do médico André Vesálio, feitos com base na dissecação de cadáveres, permitiram um grande avanço da medicina, bem como os registos de Leonardo da Vinci. Afirmava-se, assim, uma mentalidade mais experimental. Vesálio, autor do primeiro atlas de anatomia (1543) e considerado o pai da anatomia moderna. Hora H / 8.º ano
  • 24. Quais os progressos registados na botânica e na medicina? Obra de Garcia de Orta, Colóquio dos simples e drogas e coisas medicinais da Índia, editado em Goa em 1563. O médico português Garcia de Orta estudou muitas plantas medicinais do Oriente, modernizando e ampliando a farmacopeia. Hora H / 8.º ano
  • 25. Sintetizando…os progressos científicos registados no Renascimento Astronomia náutica, geografia e cartografia     Progressos da ciência  Botânica e medicina Astronomia    Com a expansão marítima triunfou uma mentalidade mais experimental, um saber mais rigoroso e atualizado, fundado na experiência e no entendimento (razão). Desenvolvimento do espírito crítico: o conhecimento dos autores antigos foi revisto à luz dos novos conhecimentos. Alargamento do conhecimento da Natureza e do mundo (naturalismo). Desenvolvimento da curiosidade científica. Desenvolvimento da matemática: Pedro Nunes aplicou a matemática à elaboração de mapas e cartas. Garcia de Orta e Cristóvão da Costa lançaram as bases da farmacopeia. André Vesálio desenvolveu estudos do corpo humano através da dissecação de cadáveres. Heliocentrismo de Copérnico. Hora H / 8.º ano
  • 26. A arquitetura Hora H / 8.º ano
  • 27. Que influência exerceu a arte greco-romana na arquitetura renascentista? A arquitetura foi marcada pela forte influência greco-romana:  Colunas e pilastras de ordens clássicas (dórica, jónica, coríntia, toscana e compósita)  Arco de volta perfeita, substituindo o arco quebrado gótico  Abóbada de berço, em vez de ogiva  Cúpula hemisférica, normalmente com lanternim  Frontões triangulares  Entablamento com frisos e cornijas  Reconstituição do Pártenon, séc. V a. C. Planta basilical nas igrejas Panteão de Roma, séc. II. Hora H / 8.º ano
  • 28. Quais as características da arquitetura renascentista? Frontão Cúpula e lanternim Arco de volta perfeita Colunas jónicas Entablamento (friso e cornija) Villa Rotonda, Andrea Palladio, 1566. Hora H / 8.º ano
  • 29. Quais as características da arquitetura renascentista? Basílica de S. Lourenço em Florença, de Brunelleschi. Arcos de volta perfeita Ponto de fuga Simetria Interior da Igreja de S. Lourenço, Florença, 1425. Hora H / 8.º ano
  • 30. Quais as características da arquitetura renascentista? Palazzo Medici Riccardi, Michelozzo Palazzo Rucellai, Leon Battista Alberti Palazzo Medici Riccardi, Florença, de Michelozzo, encomendado por Cosme de Médicis, século XV Palazzo Rucellai, Florença, Leon Battista Alberti, encomendado por Giovanni Rucellai, 1446 a 1451 Racionalidade Simetria Hora H / 8.º ano
  • 31. Quais as características da arquitetura renascentista? Horizontalidade dos edifícios Desenho da Villa Rotonda, Andrea Palladio, e cúpula. Simetria e racionalidade Planta da Villa Rotonda, Andrea Palladio. Hora H / 8.º ano
  • 32. Quais as obras mais emblemáticas? Quem foram os seus arquitetos? E os seus mecenas? Igreja de S. Lourenço em Florença, de Brunelleschi, 1419-60, patrocinada por Cosme de Médicis, classificada património mundial pela UNESCO. Hora H / 8.º ano
  • 33. Quais as obras mais emblemáticas? Quem foram os seus arquitetos? Fachada de Santa Maria Novela, Florença, obra de Alberti (poeta, filósofo, arquiteto, pintor, músico, escultor, escritor…). Hora H / 8.º ano
  • 34. Quais as obras mais emblemáticas? Quem foram os seus arquitetos? Basílica de S. Pedro em Roma, de Miguel Ângelo e Bramante, séc. XVI. Hora H / 8.º ano
  • 35. Quais as obras mais emblemáticas? Quem foram os seus arquitetos? Catedral de Florença, Duomo, Cúpula renascentista de Brunelleschi Hora H / 8.º ano
  • 36. Quais as obras mais emblemáticas? Quem foram os seus arquitetos? Cúpula da Catedral de Florença, Duomo, Frescos de Vasari e de Zuchero Hora H / 8.º ano
  • 37. Quais as obras mais emblemáticas? Quem foram os seus arquitetos? Chão da Catedral de Florença, Duomo, Florença OPA = OPERA Pontifício APOSTOLICA – símbolo da guilda de artesãos que mantinham as igrejas e catedrais católicas Hora H / 8.º ano
  • 38. Quais as obras mais emblemáticas? Quem foram os seus arquitetos? Galeria dos Ofícios, Galleria degli Uffizi, Florença, de Vasari, encomendado por Cosme de Médicis, Florença, 1560-1580 Hora H / 8.º ano
  • 39. Quais as características da arquitetura renascentista? Atividade: com os olhos e a mão do arquiteto renascentista 1. Observa atentamente a imagem do diapositivo que se segue, que representa a basílica de S. Pedro em Roma. 2. Desenha no teu caderno a estrutura e os elementos arquitetónicos essenciais que observaste na basílica. 3. Compara com o desenho do teu colega de carteira e, em conjunto, completem com os elementos que sintam estar em falta. 4. Faz a legenda do desenho com o nome de cada um dos elementos arquitetónicos da basílica. 5. Sublinha os elementos arquitetónicos que comprovem a influência greco-romana. Hora H / 8.º ano
  • 40. Basílica de S. Pedro em Roma, de Miguel Ângelo e Bramante, séc. XVI. Hora H / 8.º ano
  • 41. Florença em 3D Hora H / 8.º ano
  • 42. Entre passado e presente: do clássico ao neoclássico O Palácio de S. Bento, sede da Assembleia da República, foi reconstruído em 1895 sobre as ruínas de um antigo convento do século XVI. O arquiteto seguiu as linhas do estilo neoclássico. Hora H / 8.º ano
  • 43. A pintura renascentista Leonardo da Vinci, Mona Lisa Jan Van Eyck, O Casal Arnolfini Sandro Botticelli, O Nascimento de Vénus Rafael, Escola da Vinci, A Última Ceia Leonardo de Atenas Vasco Fernandes, S.Ângelo, Criação do Homem Miguel Pedro Hora H / 8.º ano
  • 44. Quais as características da pintura renascentista? Pintura a óleo Retrato Individualismo Perspetiva (profundidade) Paisagem Naturalismo Composição usando esquemas geométricos Utilização da técnica do sfumato Leonardo da Vinci, Mona Lisa, 1503-1507, Museu do Louvre, Paris. Hora H / 8.º ano
  • 45. Quais as obras mais emblemáticas? Quem foram os seus autores? Simetria Ponto de fuga Realismo: uso de sombreados e Leonardo da Vinci, A Última Ceia, 1495-97. grande diversidade de tonalidades para representar o pormenor Hora H / 8.º ano
  • 46. Quais as obras mais emblemáticas? Quem foram os seus autores? VER EM 3D http://www.vati can.va/various/ cappelle/sistina _vr/index.html O teto da Capela Sistina, pintado por Miguel Ângelo, Vaticano, 1508-12. Hora H / 8.º ano
  • 47. Quais as obras mais emblemáticas? Quem foram os seus autores? Miguel Ângelo, O Juízo Final, Capela Sistina, 1534-41, Vaticano. Hora H / 8.º ano
  • 48. Quais as obras mais emblemáticas? Quem foram os seus autores? Sandro Botticelli, O Nascimento de Vénus, 1485, Galeria dei Uffizi (Florença). Hora H / 8.º ano
  • 49. Quais as obras mais emblemáticas? Quem foram os seus autores? Sandro Botticelli, A Primavera, 1478. Hora H / 8.º ano
  • 50. A escultura renascentista Hora H / 8.º ano
  • 51. Como se caracteriza a escultura renascentista? Construção em pirâmide Representação do nu Realismo: representação do detalhe (músculos, veias, dobras do vestuário) Miguel Ângelo, Pietà, 1499. Miguel Ângelo, David, 1501-04. Hora H / 8.º ano
  • 52. Como se caracteriza a escultura renascentista? Representação de estátuas equestres Individualismo – forma de distinção social Realismo Verrocchio, Bartolomeu Colleoni, 1483. Colleoni foi um condotiero italiano, ou seja, um mercenário contratado para chefiar uma milícia, no período em que havia grandes rivalidades entre as cidades italianas. Hora H / 8.º ano
  • 53. Superação dos modelos da Antiguidade Clássica INVENÇÃO DA PERSPETIVA Brunelleschi, interior da Igreja de S. Lourenço, Florença, 1421 Hora H / 8.º ano
  • 54. Superação dos modelos da Antiguidade Clássica CONTRAPPOSTO Brunelleschi, interior da Igreja de S. Lourenço, Florença, 1421 Hora H / 8.º ano
  • 55. Superação dos modelos da Antiguidade Clássica GEOMETRIZAÇÃO DAS COMPOSIÇÕES A – Pietá, Miguel Ângelo, mármore, 174cm de altura 1498-1501. B – David, Donatello, bronze, 165cm de altura, 1430-1440 Hora H / 8.º ano
  • 56. Superação dos modelos da Antiguidade Clássica SFUMATO Santa Ana, a Virgem e o Menino, óleo sobre madeira, 1510, 168cmX112cm A técnica do sfumato modela suavemente as personagens e o espaço envolvente e dá profundidade à paisagem que serve de fundo à obra. Hora H / 8.º ano
  • 57. Superação dos modelos da Antiguidade Clássica PINTURA A ÓLEO Jan Van Eyck–O casal Arnolfini, 1434, óleo sobre madeira, 81,8X59,70 cm, National Gallery, Londres Hora H / 8.º ano
  • 58. Superação dos modelos da Antiguidade Clássica PERFECIONISMO E REALISMO TÉCNICOS Desenhos de Leonardo da Vinci sobre o corpo humano Hora H / 8.º ano
  • 59. Superação dos modelos da Antiguidade Clássica PERFECIONISMO E REALISMO TÉCNICOS Lebre, Durer, Albrecht, aguarela e guache sobre papel, 25X22,5 cm, 1502 Ervas, Durer, Albrecht, aguarela, pena e tinta, lápis e aguada sobre papel, 40,3X31,1cm, 1503 Hora H / 8.º ano
  • 60. A arte portuguesa: manuelino e renascimento Hora H / 8.º ano
  • 61. Quais as características da arte portuguesa dos séculos XV e XVI? A arte portuguesa Localização periférica em relação aos centros artísticos na Europa Persistência do uso dos modelos góticos Expansão marítima e colonial Preponderância da arte manuelina, introdução tardia e pouco significativa do estilo renascentista Hora H / 8.º ano
  • 62. Quais as características da arte manuelina? Cruz da Ordem de Cristo Esfera armilar Armas de D. Manuel I Cabos Algas Originalidade nos motivos decorativos: Alcachofras  Elementos ligados ao mar Cordas retorcidas  Elementos vegetalistas e naturalistas  Símbolos reais e nacionais Janela do Capítulo, Convento de Cristo, Tomar, de Diogo de Arruda, 1510. Hora H / 8.º ano
  • 63. Quais as características da arte manuelina? Abóbada de cruzamento de ogivas Verticalidade Colunas trabalhadas fazem lembrar palmeiras Igreja de Santa Maria de Belém, Mosteiro dos Jerónimos. Hora H / 8.º ano
  • 64. Quais as características da arquitetura renascentista portuguesa? Arco de volta perfeita Colunas jónicas Colunas dóricas Entablamento (friso e cornija) Claustro renascentista do Convento de Cristo em Tomar, 1557-95. Hora H / 8.º ano
  • 65. Quais as características da pintura portuguesa renascentista? Simetria Perspetiva Realismo: uso Naturalismo de sombreados e de grande diversidade de tonalidades para representar o pormenor Grão Vasco, São Pedro, cerca de 1530. Hora H / 8.º ano
  • 66. Que outras obras emblemáticas marcaram a arte renascentista em Portugal? Igreja da Graça, Évora, 1530-40. Igreja de S. Paulo, Braga, c. 1589. Hora H / 8.º ano
  • 67. Que outras obras emblemáticas marcaram a arte renascentista em Portugal? Casa dos Bicos, Lisboa, c. 1523, de clara influência italiana. Hora H / 8.º ano
  • 68. Que outras obras emblemáticas marcaram a arte renascentista em Portugal? Palácio de Vila Viçosa. As obras iniciaram-se em 1501, sendo a fachada de 1537. Hora H / 8.º ano
  • 69. Que outras obras emblemáticas marcaram a arte renascentista em Portugal? Ermida de Nossa Sra. da Conceição, Tomar, 1535-40. Denota influência da arquitetura clássica italiana. Hora H / 8.º ano
  • 70. Que outras obras emblemáticas marcaram a arte renascentista em Portugal? Painéis de São Vicente de Fora, Nuno Gonçalves (1470-80). Obra-prima da pintura portuguesa, revela um grande realismo no tratamento das figuras que faziam parte da sociedade portuguesa da época dos Descobrimentos. Hora H / 8.º ano
  • 71. Raiz Editora Adaptação: Cristina Barcoso Lourenço Agrupamento de Escolas de Montenegro Faro, 2013 Hora H / 8.º ano