Brasil colonial: 1640-1711
Restauração do trono português, expulsão dos
holandeses e a crise econômica portuguesa
Prof. Cr...
Fim da União Ibérica: restauração do
trono português
• A elite comercial
portuguesa estava
descontente porque áreas
como o...
Restauração da Independência
• Em 1640 com apoio da
Inglaterra iniciava-se uma nova
rebelião portuguesa sob
comando de D. ...
• Em 1640 os restauradores
portugueses tomam o
poder em Lisboa e
prenderam a duquesa de
Mântua que governava
Portugal.
Mar...
• Logo depois foi aclamado rei D. João IV, o
primeiro da nova dinastia, a Dinastia de Bragança.
Coroação de D. João IV
obr...
D. João IV nasceu em Vila Viçosa
(Portugal) em 1604; filho de D.
Teodósio, duque de Bragança e da
nobre espanhola Ana de V...
• A Dinastia de Bragança permaneceu no poder em
Portugal de 1640 até 1910.
Escudo do Duque de Bragança
e da Casa de Bragan...
Relações entre Portugal e Holanda
• Buscando a paz e para a reorganização do Estado
português o rei D. João IV firmou com ...
No Brasil: declínio da Nova Holanda
• Ocorre a saída de Mauricio de Nassau em 1644 do
posto de governador da colônia.
• A ...
• A tolerância religiosa foi extinguida e católicos
foram proibidos de praticar livremente sua
religião.
Fachada atual da
...
Insurreição Pernambucana (1645-1654)
• Um grupo formado por
luso-brasileiros
organizaram-se para
combater os holandeses.
•...
O que levou a revolta?
• Crise na economia açucareira e a cobrança mais
ferrenha por parte da Companhia Holandesa das
Índi...
Líderes do
movimento
João Fernandes Vieira (1613-1681) nasceu em
Faial (Ilha de Madeira), de origem humilde veio
ao Brasil...
Henrique Dias de origem africana, nasceu
em Pernambuco. Participa a partir de 1633
junto com Matias de Albuquerque na luta...
• A companhia holandesa não tinha
muitos recursos para defender a
colônia.
• Assim sucessivas vitórias luso-
brasileiras l...
• Cabe destaque as duas Batalhas dos Guararapes
(1648 e 1649) onde os luso-brasileiros sagraram-se
vitoriosos.
Batalha dos...
• Recebendo pouca ajuda do governo holandês, a
colônia mantinham a cidade de Recife.
Cidade Maurícia,
obra de Frans Post
(...
• Em 1653 o rei português D. João IV enviou ao
Brasil uma poderosa esquadra.
• Cercados por terra e por mar os holandeses
...
• Pelo último tratado entre Portugal e Holanda
(1669), o governo português comprometeu-se em
pagar uma indenização de sess...
Crise econômica portuguesa e revoltas
(1640-1711)
• As medidas iniciais são o
reforço do exclusivismo
comercial, assim foi...
• Ainda criou-se o Conselho Ultramarino em 1642
que tinha responsabilidade sobre todos os
assuntos relativos as colônias l...
• Criada em 1649 a Companhia Geral do Comércio
do Brasil tendo o monopólio comercial em todo o
litoral do Estado do Brasil...
Revolta de Beckman (1684)
• A região do Maranhão estava em recesso
econômico desde a década de 1650 e os senhores
de engen...
• Procurando mão-de-obra os produtores de açúcar
organizaram expedições para atacar aldeamentos
jesuítas capturando índios...
• Para resolver a questão o governo criou a
Companhia Geral de Comércio do Estado do
Maranhão em 1682.
• A companhia tinha...
• Devido a crise econômica a empresa não
conseguiu cumprir suas promessas agravando a
crise econômica.
Foto atual do
Centr...
• Descontentes um grupo de colonos liderados por
Manuel Beckman e Jorge Sampaio iniciaram a
revolta.
• Objetivo: acabar co...
• O governo de Portugal nomeou um novo
governador e com o apoio de tropas retomou o
controle da situação.
• Os líderes Man...
Concorrência do açúcar antilhano
• Depois de expulsos do Brasil os holandeses
levaram mudas de cana-de-açúcar para as Anti...
Tratados econômicos
• O governo português buscou
ter a Inglaterra como aliada,
assim os portugueses
recebiam a proteção po...
• O principal acordo foi o Tratado de Methuen
(1703) que estabelecia a compra por parte de
Portugal de tecidos de lã fabri...
Guerra dos Mascates (1710-1711)
• Até o final do século XVII, a cidade de Olinda era a
principal cidade da capitania de Pe...
Situação em Pernambuco
OLINDA
Moravam os tradicionais senhores de
engenho, que estavam em declínio
devido a queda do preço...
• Os senhores de engenho de Olinda necessitados
passaram a pedir empréstimos principalmente
para os comerciantes de Recife...
• O pedido ao rei D. João V de elevação de Recife à
cidade foi aprovada.
• Inconformados um grupo de senhores de
engenho d...
• Como resultado a cidade de Recife tornou-se a
capital da capitania de Pernambuco.
Venda no Recife, obra do alemão Johan ...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

173 abcde brasil colonial 1640 1711 restauração portuguesa, expulsão dos holandeses e crise economica portuguesa

950 visualizações

Publicada em

Restauração do trono por tugues, ou seja a volta de Portugal as nações independentes e os reflexos para o Brasil que luta agora para expulsar os holandeses do território.

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
950
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
4
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
14
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

173 abcde brasil colonial 1640 1711 restauração portuguesa, expulsão dos holandeses e crise economica portuguesa

  1. 1. Brasil colonial: 1640-1711 Restauração do trono português, expulsão dos holandeses e a crise econômica portuguesa Prof. Cristiano Pissolato
  2. 2. Fim da União Ibérica: restauração do trono português • A elite comercial portuguesa estava descontente porque áreas como o nordeste do Brasil, Angola, feitorias na costa da África estavam sob controle holandês. O rei espanhol Filipe IV necessitando de dinheiro realizou um aumento os impostos.
  3. 3. Restauração da Independência • Em 1640 com apoio da Inglaterra iniciava-se uma nova rebelião portuguesa sob comando de D. João, duque de Bragança. D. João, duque de Bragança era descendente distante do rei D. Manuel I que governou Portugal de 1495 a 1521. A Espanha nesse momento encontrava-se em luta contra a França [Guerra dos Trinta Anos (1618-1648)], conflito com a Holanda [Guerra dos Oitenta Anos (1568-1648)] e a revolta na região da Catalunha iniciada em 1640.
  4. 4. • Em 1640 os restauradores portugueses tomam o poder em Lisboa e prenderam a duquesa de Mântua que governava Portugal. Margarida de Saboia, duquesa de Mântua era prima do rei espanhol D. Filipe IV, sendo vice-rainha de Portugal de 1634 a 1640.
  5. 5. • Logo depois foi aclamado rei D. João IV, o primeiro da nova dinastia, a Dinastia de Bragança. Coroação de D. João IV obra de José Maria Veloso Salgado (1908). Com a reorganização do Exército português este consolidou a independência que foi reconhecida pela Espanha apenas em 1668.
  6. 6. D. João IV nasceu em Vila Viçosa (Portugal) em 1604; filho de D. Teodósio, duque de Bragança e da nobre espanhola Ana de Velasco. Líder do movimento de Restauração (1640) e fundador da quarta dinastia portuguesa (Bragança). Casou-se com uma nobre espanhola Luísa de Gusmão. No poder governou como um monarca absolutista até sua morte em 1656, tomando posse seu filho D. Afonso VI. Rei João IV (1640-1656)
  7. 7. • A Dinastia de Bragança permaneceu no poder em Portugal de 1640 até 1910. Escudo do Duque de Bragança e da Casa de Bragança. LISTA DE REIS PORTUGUESES (1640-1826) D. João IV 1640-1656 D. Afonso VI 1656-1683 D. Pedro II 1683-1706 D. João V 1706-1750 D. José I 1750-1777 D. Maria I 1777-1816 D. João VI 1816-1826
  8. 8. Relações entre Portugal e Holanda • Buscando a paz e para a reorganização do Estado português o rei D. João IV firmou com os holandeses a Trégua dos Dez anos em 1641. X
  9. 9. No Brasil: declínio da Nova Holanda • Ocorre a saída de Mauricio de Nassau em 1644 do posto de governador da colônia. • A Companhia pressionou os senhores de engenho a aumentar a produção, maiores impostos, cobrança das dívidas atrasadas, ameaçando confiscar os engenhos.
  10. 10. • A tolerância religiosa foi extinguida e católicos foram proibidos de praticar livremente sua religião. Fachada atual da Catedral da Sé em Olinda/PE. Construída no século XVI e recebendo melhorias no início do século XVII, foi profanada e sofreu um grande incêndio que destruiu parte da mesma durante a ocupação holandesa.
  11. 11. Insurreição Pernambucana (1645-1654) • Um grupo formado por luso-brasileiros organizaram-se para combater os holandeses. • Momentaneamente senhores de engenho, grupos indígenas e negros lutaram em conjunto.
  12. 12. O que levou a revolta? • Crise na economia açucareira e a cobrança mais ferrenha por parte da Companhia Holandesa das Índias Ocidentais das dívidas dos senhores de engenho. • Restauração portuguesa de 1640 – sentimento pró-lusitano. • Fim do governo de Maurício de Nassau em 1644, este era mais tolerante, sendo bem visto pela elite pernambucana.
  13. 13. Líderes do movimento João Fernandes Vieira (1613-1681) nasceu em Faial (Ilha de Madeira), de origem humilde veio ao Brasil por volta de 1620. Chegou a trabalhar no comércio e para um senhor de engenho holandês, com a saída de Nassau de Pernambuco passa a se opor a ocupação neerlandesa. Acumulou bens, chegando a possuir em 1643, 16 engenhos e em torno de mil escravos, obtendo prestigio na sociedade pernambucana, mas era um dos maiores devedores frente a companhia holandesa. André Vidal de Negreiros (1606-1680) nasceu na Paraíba, teve papel de destaque ao mobilizar tropas no sertão nordestino. Participou da defesa de Salvador em 1624 e na Insurreição Pernambucana foi responsável por várias vitórias. Depois do conflito foi nomeado governador da Paraíba e depois de Angola.
  14. 14. Henrique Dias de origem africana, nasceu em Pernambuco. Participa a partir de 1633 junto com Matias de Albuquerque na luta contra os holandeses. Na Insurreição Pernambucana comandou o grupo de origem escrava. Depois da guerra recebeu algumas compensações, contudo bem abaixo de seu valor para a expulsão dos holandeses, falecendo pobre em Recife no ano de 1662. Antônio Felipe Camarão (1600-1648) índio da tribo potiguar (localizada principalmente no atual estado do Rio Grande do Norte). Os jesuítas catequizaram a sua aldeia, assim sabia ler e escrever em português. A partir de 1630 juntou-se a Matias de Albuquerque para lutar contra os holandeses. Com a Insurreição Pernambucana volta a participar com seu grupo indígena. Faleceu devido a complicações de saúde relacionada a ferimentos de batalha. Líderes do movimento
  15. 15. • A companhia holandesa não tinha muitos recursos para defender a colônia. • Assim sucessivas vitórias luso- brasileiras levaram ao fim do poder holandês na região. A Holanda estava mais preocupada com a Guerra dos Oitenta Anos (1568- 1648) contra a Espanha, com o objetivo de consolidar sua independência. O Engenho, obra de Frans Post (1668). Na tela destaca-se o engenho, a capela e a casa grande.
  16. 16. • Cabe destaque as duas Batalhas dos Guararapes (1648 e 1649) onde os luso-brasileiros sagraram-se vitoriosos. Batalha dos Guararapes obra de Victor Meirelles (1879).
  17. 17. • Recebendo pouca ajuda do governo holandês, a colônia mantinham a cidade de Recife. Cidade Maurícia, obra de Frans Post (1653). Em 1652 a Inglaterra governada por Oliver Cromwell decreta guerra a Holanda (Primeira Guerra Anglo- Holandesa) pela disputa do comércio ultramarino.
  18. 18. • Em 1653 o rei português D. João IV enviou ao Brasil uma poderosa esquadra. • Cercados por terra e por mar os holandeses assinaram a rendição em Campina da Taborda em 1654. Capitulação neerlandesa.
  19. 19. • Pelo último tratado entre Portugal e Holanda (1669), o governo português comprometeu-se em pagar uma indenização de sessenta e três toneladas de ouro (pelo nordeste brasileiro e as possessões da África).
  20. 20. Crise econômica portuguesa e revoltas (1640-1711) • As medidas iniciais são o reforço do exclusivismo comercial, assim foi proibido que navios estrangeiros comercializassem em portos brasileiros e foram criadas as companhias de comércio. São Luís Salvador Estado do Maranhão Estado do Brasil
  21. 21. • Ainda criou-se o Conselho Ultramarino em 1642 que tinha responsabilidade sobre todos os assuntos relativos as colônias lusitanas. O principal objetivo do Conselho Ultramarino era regular as atividades comerciais, além das decisões de guerra ultramarinas e ofícios de justiça. Na imagem o Paço da Ribeira (1650) as margens do rio Tejo em Lisboa onde desde o início do século XVI residia o rei, a sua corte e funcionava os órgãos governamentais.
  22. 22. • Criada em 1649 a Companhia Geral do Comércio do Brasil tendo o monopólio comercial em todo o litoral do Estado do Brasil. • Fundada em 1682 a Companhia Geral de Comércio do Estado do Maranhão, obtendo o monopólio comercial na região do Maranhão.
  23. 23. Revolta de Beckman (1684) • A região do Maranhão estava em recesso econômico desde a década de 1650 e os senhores de engenho não tinham condições de pagar pelo escravo africano. Moeda portuguesa de prata referente a três vinténs (sessenta réis) durante o reinado de D. Pedro II (1667-1706) em Portugal. Anota-se a escrita na língua latina “rex petrus II”.
  24. 24. • Procurando mão-de-obra os produtores de açúcar organizaram expedições para atacar aldeamentos jesuítas capturando índios e levando-os para o trabalho escravo. Os padres jesuítas protestaram e o governo português proibiu a escravidão indígena, liberando apenas na situação de “guerra justa”. Caçador de Escravos, obra de Jean-Baptiste Debret (1820-1830).
  25. 25. • Para resolver a questão o governo criou a Companhia Geral de Comércio do Estado do Maranhão em 1682. • A companhia tinha o compromisso de introduzir 500 escravos africanos por ano na região, durante vinte anos.
  26. 26. • Devido a crise econômica a empresa não conseguiu cumprir suas promessas agravando a crise econômica. Foto atual do Centro Histórico de São Luís, nota- se fachadas azulejadas.
  27. 27. • Descontentes um grupo de colonos liderados por Manuel Beckman e Jorge Sampaio iniciaram a revolta. • Objetivo: acabar com a Companhia de Comércio e a influência dos jesuítas da região, além de obter autorização para escravizar os índios. • Os revoltosos tomaram São Luís e os padres jesuítas foram expulsos da região. • Tomás Beckman foi enviando a Portugal para explicar o movimento as autoridades, mas foi preso.
  28. 28. • O governo de Portugal nomeou um novo governador e com o apoio de tropas retomou o controle da situação. • Os líderes Manuel Beckman e Jorge Sampaio foram enforcados. O novo governador e a Coroa portuguesa eliminaram o monopólio da Companhia Geral de Comércio do Estado do Maranhão . Praça Manuel Beckman localizada na Avenida Beira Mar em São Luís/MA construída no início do século XX no local onde o líder da revolta foi enforcado em 1865.
  29. 29. Concorrência do açúcar antilhano • Depois de expulsos do Brasil os holandeses levaram mudas de cana-de-açúcar para as Antilhas na América Central. • A concorrência holandesa provocou a queda de 50% no preço do açúcar. Antilhas Holandesas Guiana Holandesa (atual Suriname)
  30. 30. Tratados econômicos • O governo português buscou ter a Inglaterra como aliada, assim os portugueses recebiam a proteção política da maior potência naval da época. Rainha inglesa Ana I pertencente a Dinastia Stuart governou de 1702 a 1714. Ela também foi responsável pela aprovação do Tratado de União de 1707 onde Inglaterra e Escócia uniram-se e formaram o Reino da Grã-Bretanha.
  31. 31. • O principal acordo foi o Tratado de Methuen (1703) que estabelecia a compra por parte de Portugal de tecidos de lã fabricados pelo ingleses, em troca os britânicos adquiriam os vinhos portugueses. Localização do Distrito do Porto. O tratado assinado em 1703 também ficou conhecido como Tratado de Panos e Vinhos. Rio Douro que corta o Distrito do Porto, região famosa pelos seus vinhos. Distrito do Porto Lisboa
  32. 32. Guerra dos Mascates (1710-1711) • Até o final do século XVII, a cidade de Olinda era a principal cidade da capitania de Pernambuco. Vista atual do centro histórico de Olinda tendo ao fundo a cidade de Recife.
  33. 33. Situação em Pernambuco OLINDA Moravam os tradicionais senhores de engenho, que estavam em declínio devido a queda do preço do açúcar. RECIFE (vila dependente da Câmara de Olinda) Antiga capital da colônia holandesa no Brasil, a vila possuía um porto reestruturado, assim todas as transações de importação e exportação da região passavam pelo povoado. Moravam em Recife comerciantes em sua maioria portugueses natos. Alagoas Paraíba Pernambuco
  34. 34. • Os senhores de engenho de Olinda necessitados passaram a pedir empréstimos principalmente para os comerciantes de Recife. • Cobranças de dívidas impulsionou a rivalidade entre as duas povoações. Os proprietários rurais de Olinda chamavam os comerciantes de Recife de mascates. Os comerciantes de Recife chamavam os senhores de engenho de Olinda de pés- rapados.
  35. 35. • O pedido ao rei D. João V de elevação de Recife à cidade foi aprovada. • Inconformados um grupo de senhores de engenho de Olinda invadiram a cidade de Recife em 1710. • No ano seguinte o governo português interviu colocando fim a Guerra dos Mascates, os líderes olindenses foram presos e encaminhados para o exílio.
  36. 36. • Como resultado a cidade de Recife tornou-se a capital da capitania de Pernambuco. Venda no Recife, obra do alemão Johan Moritz Rugendas (1822-1825).

×